Menu

21.4.20

{Resenha} As Sombras de Outubro - Søren Sveistrup



Editora: Suma
Nº Páginas: 416
Ano:2019

Sinopse:

É outubro e a neve de outono começa a cair em Copenhagen, deixando os dias mais curtos e as noites mais sombrias... e pelas ruas geladas e escuras, um psicopata aterroriza a cidade. Em uma manhã tempestuosa em um tranquilo bairro de Copenhagen, a polícia faz uma descoberta sinistra: o corpo de uma mulher brutalmente assassinada, com uma das mãos faltando. 

Sobre ela está pendurado um pequeno boneco feito de castanhas. O caso é entregue à ambiciosa detetive Naia Thulin e a seu novo parceiro, Mark Hess, um investigador introspectivo que acabou de ser expulso da Europol.

Logo se descobre uma evidência ligando o sr. Castanha a uma garota desaparecida há um ano: a filha da política Rosa Hartung. 

O homem que confessou tê-la sequestrado e assassinado está atrás das grades e o caso foi encerrado há tempos ― e qualquer insinuação contrária causa disputas e inimizades na corporação. 

No entanto, quando novas vítimas e novos bonecos aparecem, Thulin e Hess acham cada vez mais difícil ignorar a conexão entre o caso Hartung e o novo serial killer.

Mas que conexão seria essa? E como impedir o assassino de continuar sua caçada, se ele parece sempre um passo à frente da polícia?

As Sombras de Outubro traz o melhor do estilo thriller noir, acrescentando ao suspense clássico uma boa dose de energia. 

Sveistrup retrata seus personagens com sensibilidade e mostra como romances policiais podem fazer críticas contundentes às realidades sociais.


Um ano antes a filha de uma importante política de Copenhagen desaparece misteriosamente, após uma investigação rapidamente um suspeito é acusado e preso, mas o corpo nunca foi encontrado, um ano após essa tragédia uma mulher é encontrada morta em sua própria casa com um misterioso boneco de castanha próximo ao corpo.

Thulin e Hess são designados para essa investigação, a medida que novas pistas vão aparecendo, outros corpos com a mesmas características vão surgindo e sempre com um boneco de castanha ao lado do corpo, um fato estranho sobre esses bonecos é que as digitais da filha desaparecida da ministra foram encontradas neles, o que trás uma reviravolta para a investigação dos assassinatos dessas mulheres.

Hess começa a investigar esses bonecos em outras cenas de crime e chega a conclusão de que estão mais perto de achar o assassino e descobrir o que realmente aconteceu com a filha de Rosa Hartung e qual a ligação da menina com esses bonecos. 

Ao mesmo tempo em que a investigação avança, Rosa sofre diversas ameaças que não são levadas muito a serio por seu gabinete, o que provoca uma grande tensão entre ela e a policia. O mais intrigante é que o assassino sempre está a um passo a frente da policia, provocando algumas desavenças entre eles.

Não se dando por vencidos Hess e Thulin seguem outra linha de investigação, que acabam levando ambos diretamente para as mãos do assassino, que no fim é alguém totalmente improvável.

Pra quem ama thriller simples e puro super indico esse livro, capítulos curtos que não deixa a leitura cansativa, pra pessoas que procuram um "Q" de romance nessa estória, vai se decepcionar com essa leitura. 

Particularmente não curti muito essa leitura pelo fato de as coisas demorarem a acontecer, não consegui me apegar a nenhum personagem, mas é o que eu sempre falo, o que não da certo pra mim não significa que não dará pra vocês, então leiam e tirem suas conclusões e me contem o que acharam!!
















20.4.20

{Resenha} Agora e para sempre, Lara Jean




Título Original: Always and forever, Lara Jean

Autora: Jenny Han

Editora: Intrínseca

Sinopse: Em Para todos os garotos que já amei, as cartas mais secretas de Lara Jean — aquelas em que se declara às suas paixonites platônicas para conseguir superá-las — foram enviadas aos destinatários sem explicação, e em P.S.: Ainda amo você Lara Jean descobriu os altos e baixos de estar em um relacionamento que não é de faz de conta. 
Na surpreendente e emocionante conclusão da série, o último ano de Lara Jean no colégio não podia estar melhor: ela está apaixonadíssima pelo namorado, Peter; seu pai vai se casar em breve com a vizinha, a sra. Rothschild; e sua irmã mais velha, Margot, vai passar o verão em casa. Mas, por mais que esteja se divertindo muito — organizando o casamento do pai e fazendo planos para os passeios de turma e para o baile de formatura —, Lara Jean não pode ignorar as grandes decisões que precisa tomar, e a principal delas envolve a universidade na qual vai estudar. A menina viu Margot passar pelos mesmos questionamentos, e agora é ela quem precisa decidir se vai deixar sua família — e, quem sabe, o amor de sua vida — para trás. 
Quando o coração e a razão apontam para direções diferentes, qual deles se deve ouvir?


Resenha: Para todos os garotos que já amei

Resenha: P.S., ainda amo você

Estava muito ansiosa por esse livro! E tive que compra-lo duas vezes, acreditam?

Etive em São Paulo nas minhas férias deste ano e visitei a Saraiva... Ele foi o único livro que comprei, auto controle demais de minha parte, né? Depois, eu e meu marido fomos almoçar... Na volta ao hotel, acompanhada de todas as minhas sacolas de compras, notei que faltava uma: a sacola em que estava o livro! Quase surtei. Meu marido diria que eu surtei, mas foi quase, tá?!

Mais ou menos isso...

Não tinha muito como voltar ao restaurante, então meio que fiquei deprê na cama até a hora de sairmos de novo. No dia seguinte... Encontrei outra Saraiva (segundo meu marido, eu farejei a Saraiva...), cacei o livro e comprei-o novamente! Mas só esse mês consegui colocar todas as leituras do blog em dia e pude me permitir a degustar essa obra maravilinda da Jenny Han, o fechamento da estória de Lara Jean!

Este livro é a continuação de seu antecessor, então é recomendável que você leia os anteriores antes de pegar esse! E também é provável que a resenha tenha alguns poucos spoilers dos livros anteriores, mas vou evitar o máximo que eu puder, ok?

Lara Jean está na reta final do ensino médio. Está muito feliz com Peter, seu círculo de amigos agora faz parte dos amigos mais próximo dele, embora Chris ainda seja presente. Porém, ela tem outros planos e mais adultos que sua melhor amiga. 

Ela sonha em ir para a universidade da cidade onde mora, que fica próximo de sua casa e que irá lhe permitir correr para lá sempre que quiser ou precisar. A UVA foi onde sua mãe estudou e onde ela tem memórias muito agradáveis com a mãe e suas irmãs, mas mais com Margot do que Kitty. Porém, é muito competida e difícil de entrar, então ela possui mais duas outras opções que não são tão próximas assim. Todos acreditam que ela já está dentro e Peter foi aceito no ano na UVA anterior por ser jogador de lacrosse e, aparentemente, dos bons.

A ansiedade de Lara Jean domina seu comportamento: está freneticamente em busca do cookie perfeito! Testa vários modos e várias receitas para encontrar uma perfeita, come dos cookies que possuem a fama de serem os melhores do país... Mas nada, é impossível! Sua ansiedade só muda de alvo – e ela para de fazer sua família e seus amigos se empanturrarem de cookies – quando precisa ajudar a Sra. Rothschild a organizar o casamento. 

Só uma pessoa não está feliz com o casamento e o modo como a namorada que o pai Song levou para casa. Margot, durante suas férias, faz de tudo para mostrar sua insatisfação e para provocar o sempre tão calmo honorável pai. Dá para perceber que é completamente infantil. Até Kitty se irrita com isso!

E, falando em Kitty, essa menina dá um show cada vez melhor! Decidida, sabe o que quer e sabe como fazer para conseguir! Às vezes parece mais adulta que as duas irmãs mais velhas, embora se esforce para manter-se uma criança mimada. E o quanto as irmãs se esforçam para cuidar dela o melhor possível... Claro, e o pai também. 

É uma família muito bonita de se observar, algo como uma família ideal, mesmo com seus altos e baixos. Lara Jean deseja fazer coisas que adolescentes fazem, como deixar o namorado entrar pela janela do quarto quando todos já foram dormir, fazer uma viagem escondida de seu pai, coisas assim. Mas ela sempre se lembra da expressão de decepção do pai e desiste. Não quer em momento algum magoá-lo ou decepcioná-lo. Nenhuma das irmãs Song querem decepcionar quem ama e nem o pai quer decepcioná-las. É bonito, de verdade. Não corresponde à realidade da grande parte das famílias, imagino... Mas é bonito acreditar que famílias assim existam.

Grandes surpresas aguardam os leitores nesse livro de despedida da família Song. Tem um quê de adeus em muitos aspectos, de Lara Jean dos amigos, do passado, da escola, de quem ela era. E muitos outros “adeus”, um deles mais triste do que qualquer outro. 

Vemos como o desespero bate quando nos agarramos a coisas que muitas vezes são impossíveis de serem mantidas. Quando a lógica bate forte na vida e nas decisões que nossa protagonista precisa tomar, a possibilidade de cair e o quão necessário é a força daqueles que nos cercam e a nossa própria para não deixar isso acontecer. Quando ela acredita que já havia decidido como seria sua vida, se programado... 

Este é um livro saudosista. A autora já o escreveu com saudade da personagem e da família que criou. Foi o final perfeito para uma série perfeita. A li em menos de 24 horas, tamanho a delícia e o prazer que a leitura causa. A capa nos apresenta uma Lara Jean vintage, com cores românticas e pastéis, suaves como a personagem. A diagramação é simples com fonte de um tamanho bom de se acompanhar.

Eu queria que houvessem mais livros da Lara Jean! A faculdade é o novo começo!!! Tantas novas aventuras!!!



“Nunca diga não quando quer mesmo dizer sim.”

10.4.20

{TAG Literária} Qual Livro Você Indica?


Oie amores.
C-H-E-G-U-E-I!


O blog vem com uma nova TAG: Qual Livro Você Indica?
Os resenhistas do blog irão trazer indicações de livros lidos e que se 
tornaram favoritos e que precisam passar adiante, pra outro leitor(a). 
Essa são as minhas dicas de séries que amei ler.
Confere aí!

PRIMEIRO LIVRO

A Maldição do Tigre - vol 01 - Colleen Houck


"Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco. Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele. O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço. 

Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem. A maldição do tigre é o primeiro volume de uma saga fantástica e épica, que apresenta mitos hindus, lugares exóticos e personagens sedutores"


Uma indicação dessas bicho! 💗
Conheci a autora pela primeira vez através desse livro, me encantando com a sinopse do primeiro livro, que viraria a minha série favorita em todo o mundo. Sabe quando você cria um laço de amor e carinho com os personagens e a cada livro o amor cresce mais? 
Pois é! Foi assim que me senti quando li A Maldição do Tigre.
Sou #TeamRen desde o começo, isso não quer dizer que não ame o Kishan também, mas o casal maravilhoso já estava formado né mores? 
As aventuras que são tão fortemente detalhadas, como se você estivesse ali, do lado de Ren e Kelsey, tentando desvendar todos os segredos e libertar o príncipe dessa maldição. É simplesmente esplêndido!
Você que conhece ou já ouvi falar, mas nunca leu... amooooooor! 


Precisa mudar isso já! 
Aproveita que tem o Box maravilhooooooso da série e já emenda um livro atrás do outro...pois vou te dizer: você não vai aguentar de tanta curiosidade e vai querer saber como tudo vai desenrolar. Eu sofri horrores porque tive que esperar lançar e foi um martírio, confesso!
Amo demais essa série e recomendo pra qualquer leitor que gosta de se aventurar por lugares mágicos e cheio de mistério.


SEGUNDO LIVRO

Irmãos de Sangue - A Sina do Sete #1 - Nora Roberts


O que falar dessa autora né mores?
Quem acompanha minhas resenhas, sabe o quanto sou 
A-P-AI-X-O-N-A-D-A por essa autora e por seus romances.
Nora Roberts sempre consegue arrebatar meu coração com seus 
livros, e essa trilogia magnifica não ficou de fora. 💗


São 3 livros regados de suspense, mistério e muito romance. Cada livro 
fala de um dos amigos que com toda a inocência e rebeldia, liberaram 
um demônio que não devia ter sido tirado do lugarzinho dele. E é aí 
que o negocio começa a ficar bom! Sou leiga pra falar dos romances 
da Nora, mas quem conhece e ama como eu, sabe o quanto 
extraordinária a cabeça dessa mulher é.
Muito amor por ela e seus personagens.
O que essa trilogia me ensinou foi que a amizade derruba 
barreiras, enfrenta os obstáculos e o amor transforma tudo.


Bom, essas foram as minhas indicações. 
Espero que tenha despertado a curiosidade em vocês.
Por hoje é só amores.
Até a próxima.
Tchau!


30.3.20

{Resenha} Orgulho e Paixão - MacGregors # 3 - Nora Roberts


Oie amores. C-H-E-G-U-E-I!


Voltei trazendo o terceiro livro de uma das melhores séries do mundo: O Clã MacGregor! 💗
Vocês sabem o quanto eu amo essa série e a autora loucamente, então confere aí que o casal é simplesmente sensacional.

*livro cedido pela editora

Sinopse:

“Uma mulher vibrante e criativa que não quer um envolvimento amoroso. Um homem paciente, determinado e que tem todos os passos de seu futuro traçados. Um amor que nasce de uma atração improvável, mas inegável.

Shelby Campbell é uma mulher única que sempre fugiu dos padrões estabelecidos para as mulheres que fazem parte do cenário político de Washington. E ela tem uma regra clara: nunca se envolver com políticos. Até conhecer Alan MacGregor, e entender que regras servem para ser quebradas. Alan está determinado a conseguir o que quer, e não vai deixar uma disputa de séculos entre os MacGregor e os Campbell ficar entre ele e o grande prêmio: o coração de Shelby.

Sequência da série MacGregor, Orgulho e paixão narra uma nova história da família que acha que está no topo do mundo, que vivem entre o poder e a glória. Até que os seus corações sejam roubados.”

Resenha


Quem aí sentiu saudades de um famoso patriarca, ansioso pra ter seus netinhos nos braços, cobra os filhos de todos os lados e diz que é sua esposa Anna, muito arteiro e metido a casamenteiro? 


Sim! Daniel MacGregor está de volta com sua família maravilhosa, e Orgulho e Paixão conta a estória do Senador Alan MacGregor (primogênito) e da oleira Shelby Campbell.
Os antepassados do Clã MacGregor e Clã Campbell tinham muitas rixas, e quando Daniel souber que seu filho está completamente encantado por uma moça de cabelos cor de fogo e que pertence a esse clã, vai pirar, mas talvez reveja se vale a pena ser do contra e não ver seu filho casado e lhe dando netos.

Shelby e Alan são os personagens da vez em outro sucesso de Nora Roberts, quando está nos presenteia com mais um “capítulo” do clã McGregor.
Daniel e Anna tem uma família linda e feliz, que contamina aos que chegam a ela, direta ou indiretamente. Ninguém tem escapado do fascínio dos MacGregors.

Shelby Campbell é uma pessoa descontraída, senhora de si, sem convenções, independente, trabalha em sua própria loja bem sucedida, transita com desenvoltura em qualquer ambiente. E às vezes frequenta a muita insistência da mãe Deborah, o ambiente político, mesmo porque seu pai Roberts Campbell vivia nesse mundo, se não tivesse sido assassinado em sua frente e na de seu irmão Grant.
Isso os traumatizou demais, tanto que Grant se isolou numa praia e não quis mais se envolver nesse mundo cheio de pessoas por todos os lados.
Ao contrário do irmão ela não se isolou, mas vive cada momento de sua vida com grande intensidade como se fosse o último.


Alan MacGregor, Senador da República, bonito, exala o charme que só os MacGregors têm, carismático, transita normalmente pelos eventos políticos, como se estivesse em sua própria casa.
E nunca tinha visto àquela bela mulher com cabelos avermelhados, que se vestia fora dos padrões e se movimentava pelo salão, conhece todos os frequentadores, se encaixando perfeitamente naquele ambiente. Mas quem é ela? Por que nunca a tinha visto? E ele vai até ela encantado, encontrando-a avaliando uma peça de porcelana.
Ela é ceramista de profissão (oleira), e tem sorriso e boca inesquecíveis, segundo o Senador.
Conversam e se descobrem escoceses, mas durante o papo ela descobre que ele é Senador de Massachusetts, simplesmente sentencia: “Uma pena. Não saio com políticos.” Mas ela não sabe que quando um MacGregor quer algo, ele não desiste tão fácil assim?

Para Alan, uma possibilidade de vê-la novamente é certa, para Shelby era o fim da história. Mas o destino se encarrega também de fazer sua parte. E nunca falha!
Nos eventos, (em todos) ela o encontrava e embora, dissesse a si mesma que estava segura e se mostrasse casual, no final da noite, na despedida, Alan a beijava e ia embora, como se dissesse que o cerco continuava e ela amolecia com seus presentes e telefonemas como se deixasse seu aviso: “estou viajando, mas não te esqueci, estou no páreo.”
O que ela fará, para reaver a sua força, continuar com seus princípios de não querer passar novamente a mesma dor que passou com a morte do pai? Quem será mais forte?


O amor por Alan ou o trauma que desgraçou sua família? Ela mudará de opinião?
Quem ganhará essa “briga”? Alan vai desistir com os nãos de Shelby?
É um livro fabuloso, romântico, dinâmico, divertido, com diálogos inteligentes, mas isso é apenas Nora Roberts, não poderia deixar de ser. Parabéns por mais um livro encantador.
Os momentos que mais amo nessa série, são os finais de semana em família, onde se vê o amor e o entrosamento dos pais com os filhos, e as reclamações continuas e insistentes da raposa velha sobre ter seus netos.
Já reli essa série milhares de vezes, e a cada vez que releio me apaixonado como se fosse a primeira vez que leio. Quem é fã sabe do que estou falando.
Só o que posso continuar dizendo é que, quem ainda não leu nada dessa autora mude isso agora!
O selo não poderia faltar né? Magnifica estória.


Por hoje é só amores. Até a próxima. Tchau!


Título: Orgulho e Paixão - MacGregors # 3
Autor (a): Nora Roberts
Editora: Harlequin
Número de Páginas: 192

22.3.20

{Resenha} Através do Vazio - S. K. Vaughn



Estamos em 2067. A comandante May Knox espaçonave Hawking II desperta de sua cápsula no espaço, sozinha e sem muitas lembranças das últimas semanas. Ela não sabe o que aconteceu com os tripulantes e nem mesmo com a nave. Desesperada, procurando saber o que aconteceu, ela conta com a ajuda de Eva, a inteligência artificial para ajudá-la a cuidar da nave que está cheia de defeitos e em estado de destruição.

A espaçonave está sem comunicação e às escuras, e quanto mais May tenta restaurar a nave para que funcione direito, mais ela percebe que tudo o que aconteceu não foi ao acaso e que ela pode não estar tão sozinha quanta imagina.

Na Terra, temos o dr. Stephen Knox, um dos cientistas ligados à missão de May, preocupado com o silêncio da nave que já dura oito dias. Ele está principalmente preocupado com May, sua ex-mulher. Os dois estavam em processo de separação quando ela partiu, porém ele ainda a ama. E quando a NASA recebe uma mensagem de que May está viva. Stephen vê isso como uma oportunidade do destino, mas será que May conseguirá retornar à Terra?

“Por mais que se esforçasse para olhar para além do hangar, sua mente, estava ancorada ali, o último lugar onde ele a viu, talvez o último lugar onde jamais a veria.”

Em Através do Vazio há muitas reviravoltas! O foco da história não foi apenas a ficção-científica espacial, pois isso foi o pano de fundo para muito mais. As relações humanas entre os personagens, as suas situações que estavam sendo vividas e principalmente nas retomadas ao passado para que a história tivesse uma ambientação mais emocional com tudo que estava acontecendo, isso é o que mais norteia Através do Vazio. Porém, o livro tem uma trama bem elaborada até certo ponto.



May é uma mulher astronauta e ainda por cima negra, então o autor de Através do Vazio tinha nas mãos a faca e o queijo, pois em um meio de predominância masculina branca, uma protagonista com todas essas características tinha tudo para trazer uma grande discussão sobre representatividade feminina e negra. Isso acabou por não ser algo tão relevante na história e como eu disse acima, as relações dos personagens tiveram um peso maior. Isso não é de todo ruim, pois eu realmente gostei do livro, mas eu esperei esse momento de discussão que não veio.

Ao final dessa resenha, eu realmente recomendo a leitura para todos os leitores. Através do Vazio tem uma história que prende e pode ser uma boa trama para quem quer iniciar na leitura de livros de ficção-científica, pois temos momentos de thriller e perseguição. Vale a pena!

“Ela escureceu o vidro do capacete e acendeu o maçarico. A chama brilhou como fogo branco, jogando luz seis metros à frente em todas as direções, revelando os objetos desconhecidos que o atingiam na escuridão. May gritou, um uivo primitivo de horror.”


19.3.20

{Resenha} Uma Canção de Natal – Charles Dickens


Oie amores.
C-H-E-G-U-E-I!


Recebi o livro com atraso, por culpa dos correios daqui... que não 
entregou quando chegou e o livro acabou voltando.
Por isso a resenha saiu bem depois do Natal, mas não faz mal, 
pois estória deve ser repassada para todos os leitores que 
gostam de uma boa estória clássica.
Confere aí a resenha!


*livro cedido pela editora

Sinopse:
"Incapaz de compartilhar momentos de amizade e de compreender a magia do Natal, Ebenezer Scrooge só encontra refúgio na riqueza e na solidão. Até que, num 24 de dezembro, recebe a visita do fantasma de Jacob Marley, seu ex-sócio falecido há sete anos.
É ele quem avisa a Scrooge que mais três espíritos o visitarão para lhe dar a chance de mudar seu triste fim e ser poupado de vagar a esmo depois de morto, como Marley. Assim, o Fantasma dos Natais Passados, o Fantasma do Natal Presente e o Fantasma dos Natais Futuros levarão o protagonista para uma viagem no tempo, mostrando-lhe que a generosidade é sempre a melhor escolha.
Um dos livros mais carismáticos da literatura inglesa, Uma canção de Natal recebe o crédito por ter concebido a celebração desse evento como a entendemos hoje: uma ocasião para agradecer e ajudar o próximo."
Resenha
A introdução é um primor de informações, que eu gostei.
São vinte e duas páginas que antecedem à estória. O prefácio é escrito pelo próprio Dickens, em Dezembro de 1843. Gostei da expressão – “morto como um prego”.
O redator dessa estória é o próprio autor. Seu personagem principal é o banqueiro sovina, o Sr. Ebenezer Srooge. A estória é macabra sem ser assombrosa.
A descrição de cada espírito é macabra, não consegui ler esse livro a noite, confesso pra vocês rs.

Charles Dickens é detalhista minucioso, me lembrou José de Alencar. Essa estória, na verdade tem quatro fantasmas: o primeiro é Marley, sócio de Ebenezer, outro sovina igual ao amigo, sem coração, que veio anunciar a vinda dos outros três fantasmas.


E por que esse fantasma voltou ao mundo, para visitar Ebenezer? Não foi saudade, foi um ato de grande generosidade, qualidade que ele não possuía em vida.
Marley queria que Scrooge, não passasse a eternidade, como ele estava passando.
As visitas aconteceram como Marley dissera e o proposito era mudar o comportamento de seu amigo, principalmente nos períodos natalinos. Era a chance dele se redimir.

E depois que os três fantasmas que viriam (Fantasma dos Natais Passados, o Fantasma do Natal Presente e o Fantasma dos Natais Futuros) mostram a ele o Scrooge do passado, o ser humano avarento e sem caridade que ele era como o Scrooge presente, se comportará perante essa realidade?
Como ele vai encarar o Natal, a família, o “ter”?


Gostei muito do livro, apesar do assombro. Mas valeu a pena.
Quem dera descesse a terra, milhões destes, fazendo o mesmo trabalho. Leiam esse clássico e você verá que valeu a pena.
Já li livros demais e nunca encontrei em nenhum texto lido, o maior vocábulo da língua portuguesa, com suas doze sílabas, na página 61.
Recomendo demais, são só 135 páginas do livro todo, mas o texto em si são só 106 páginas, eu simplesmente adorei.
Por hoje é só amores.
Até a próxima.
Tchau!

Título: Uma Canção de Natal
Autor (a): Charles Dickens
Editora: Cia das Letras
Número de Páginas: 136