Menu

16.10.18

{Resenha} 50 Poemas de Revolta



Editora: Companhia das Letras
Autores: Vários
Sinopse: Nesta breve antologia, o leitor vai encontrar muitos motivos para se indignar. Desigualdade social, racismo, machismo, incontáveis modalidades de opressão e intolerância: esses são os temas tratados por 34 poetas brasileiros. Os poemas que compõem esta seleta por vezes revelam uma ponta de esperança; outras vezes, mergulhados em desgosto, levam o desânimo e a apatia às últimas consequências. Canônicos e novíssimos, os poetas abordam questões assombrosamente atuais e contundentes, mesmo quando parecem tratar de um passado distante. Escreve Hilda Hilst: “Repensemos a tarefa de pensar o mundo”.

Nossa, é até difícil lembrar o quanto eu esperei por esse lançamento sem nem saber! haha. 

50 Poemas de Revolta traz o que eu mais amo no mundo da poesia: a atemporalidade. Nessa época de eleições, onde todos se dizem novos mas não passam de mais do mesmo, inúmeros poemas - muitos escritos antes de eu nascer - caíram como uma luva. Mas 50 Poemas de Revolta não se detém apenas no tema político; aborda questões como o racismo, o machismo, a xenofobia, e vários outros temas que até podemos tentar ignorar no nosso dia-a-dia para evitar o sentimento de impotência, mas que estão sempre ali à nossa espreita.



E é esse meu tipo de poesia preferido: a poesia da revolta, da indignação, da realidade nua, crua e dolorosa. A poesia que não esqueceu os navios negreiros, que não vai esquecer os mortos da Síria, é a poesia que me representa e me faz ter fé na literatura brasileira. Porque arte é isso: é entreter, mas nunca deixar de lado seu compromisso de tocar o público (nem sempre de uma maneira agradável).
Subversiva - Ferreira Gullar

A poesiaquando chega
não respeita nada

Nem pai nem mãe.
Quando ela chega
de qualquer de seus abismos

desconhece o Estado e a Sociedade Civil
infringe o Código de Águas
relincha

como puta
nova
em frente ao Palácio da Alvorada


E só depois
reconsidera: beija
os que têm sede de felicidade
e de justiça

E promete incendiar o país
Fiquei MUITO/EXTREMAMENTE/SUPER feliz em ter esse livro na minha estante e poder, um dia, lê-lo novamente com meus filhos e passar essa coletânea de geração em geração. Apesar de tratar-se de uma edição quase de bolso que não se adequa muito bem à estante, a grandiosidade desse livro não pode ser medida em centímetros.  

15.10.18

{Resenha} Mil palavras


Título Original: Thousand Words
Autora: Jennifer Brown
Editora: Gutemberg
Sinopse: O namorado de Ashleigh, Kaleb, está prestes a partir para a faculdade e a jovem está preocupada que ele se esqueça dela. Então, em uma famosa festa de final do verão, as amigas de Ashleigh sugerem que ela mande uma foto nua para ele. Antes que possa mudar de ideia, Ashleigh vai para o banheiro, tira uma foto de corpo inteiro em frente ao espelho, e aperta a tecla “enviar”.
Mas o término do relacionamento do casal é ruim e, para se vingar, Kaleb encaminha a foto para sua equipe de beisebol. Em pouco tempo, a foto viraliza, atraindo a atenção do conselho da escola, da polícia e da mídia local. A pena ordenada a Ashleigh pelo tribunal é prestar serviço comunitário, e é onde ela conhece Mack, um jovem que oferece uma nova chance de amizade, e é o único que recebeu a foto e não olhou.
A aclamada autora Jennifer Brown traz aos leitores um romance emocionante sobre honestidade, traição e redenção, amizade e atração, e integridade, mostrando que uma imagem pode valer mil palavras… mas nem sempre conta a história inteira.

Acho que um livro nunca sofreu tanto na minha mão! Ele se molhou suas vezes (sem  danos, ufa!) acidentalmente enquanto eu lia. Com sorte, está intacto, hehe! Primeira vez que isso me acontece, gente! <o> Não sou desleixada com meus livros, nunca!

Anyway, dramas pessoais do processo de leitura à parte, lhes digo que este é o primeiro livro da autora que li, embora sempre tenha sido curiosa a respeito deles. Aqui você tem resenha de outro livro da autora realizado pela Crislane, ok?

Jennifer Brown é conhecida por fazer seus livros de temas cotidianos e o tema escolhido por ela em Mil Palavras é: nudes. Sim, nudes. E as consequências que o vazamento de fotos íntimas pode ter nesse cenário.

Ashleigh – Ash – ama seu namorado Kaleb, a ponto de não conseguir e imaginar sem ele. No entanto, ele está indo para a faculdade e ela ainda precisa terminar o ensino médio. Acreditou que teriam as férias de verão juntos, mas ele está mais ocupado em passar um tempo com os amigos do que com ela. Analisando sua preocupação (e ciúmes regado a álcool) suas amigas lhe recomendam que tire um nude seu e encaminhe para ele, para mostrar o que ele tem esperando e não se interesse por outras quando for pra faculdade.

Segura de si, ela aceita a sugestão. Afinal, é uma adolescente com um corpo bem trabalhado. O que poderia dar errado? Nem todos sabem que não se deve tomar decisões com o álcool dominando sua consciência né? Mas parece o certo, então por que não faria?

Porém, sua insegurança ainda lhe domina e os dois acabam rompendo o relacionamento. Após uma brincadeira de mal gosto, seu nude vaza na internet e ela se vê bombardeada de mensagens negativas. Como se não bastasse, seu pai pode acabar perdendo o trabalho dele por causa da repercussão do caso.

Ela acaba tendo que prestar serviço comunitário e lá conhece realidades diferentes da sua, vidas muito diferentes da que ela tem.

O livro é muito interessante, a questão nos faz refletir sobre “um peso, duas medidas”. Afinal, a moça teve que pagar serviço comunitário porque seu nude vazou? Punir a vítima! O bom é que as pessoas reconhecem que o caso dela é inusitado.

Gostei de conhecer como funciona o serviço comunitário para adolescentes, pelo menos o que me foi apresentado no livro. Esse é meu trabalho atual, acompanhar adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, me deu algumas ideias boas. No livro, os adolescentes fazem aqueles folhetos informativos para adolescentes, geralmente refletindo o motivo o qual os levaram até ali.
“Uma imagem vale mil palavras... Mas não conta sua história.”
Hoje em dia é muito comum vermos a situação que aconteceu com a Ash dominarem a vida de pessoas todos os dias. É marcante e pode levar uma pessoa à um sofrimento emocional e psicológico muito grande e também é crime. Se você receber fotos íntimas de alguém, delete. Não repasse.

Os personagens são bem atrativos e nos fazem pensar em tudo o que está acontecendo. Ash é uma adolescente comum da classe média, com amigas mais ricas ou nem tanto. Vonnie é o exemplo de como tudo é temporário e pode passar se nós deixarmos. Mack é um mistério que vive sua vida um dia após o outro...

A escrita da autora me agradou bastante, faz com que você sinta vontade de continuar lendo. Ser sobre algo atual e reflexivo também ajuda bastante.

A mensagem que o livro deixa também é muito bonita. Você não pode deixar os outros definirem quem você é. Eles podem acreditar o que quiserem sobre você, porque a opinião que realmente importa é a sua e como você trata os outros. Posicione-se, sempre. Não deixe que os outros estraguem sua felicidade, okay?

11.10.18

{Resenha} Outsider - Stephen King


Autor: Stephen King
Editora: Suma
Sinopse: O corpo de um menino de onze anos é encontrado abandonado no parque de Flint City, brutalmente assassinado. Testemunhas e impressões digitais apontam o criminoso como uma das figuras mais conhecidas da cidade — Terry Maitland, treinador da Liga Infantil de beisebol, professor de inglês, casado e pai de duas filhas.O detetive Ralph Anderson não hesita em ordenar uma prisão rápida e bastante pública, fazendo com que em pouco tempo toda a cidade saiba que o Treinador T é o principal suspeito do crime. Maitland tem um álibi, mas Anderson e o promotor público logo têm amostras de DNA para corroborar a acusação. O caso parece resolvido.
Mas conforme a investigação se desenrola, a história se transforma em uma montanha-russa, cheia de tensão e suspense. Terry Maitland parece ser uma boa pessoa, mas será que isso não passa de uma máscara? A aterrorizante resposta é o que faz desta uma das histórias mais perturbadoras de Stephen King.



Na pequena cidade pacata de Flint City, um assassinato extremamente cruel acontece com um garoto. Frank Peterson é encontrado morto em um parque, mas ele não foi simplesmente assassinado... Um crime que mexe com toda a cidade e que tem como principal suspeito Terry Maitland. Terry é um homem casado e pai de duas meninas. Ele leva uma boa vida na cidade: é treinador da Liga Infantil de Beisebol e professor de inglês. Muito conhecido e querido por todos, é um choque que ele tenha feito algo tão horrível com uma criança.

Ralph Anderson é o detetive encarregado do caso. Ele tem as digitais e vários depoimentos de testemunhas dizendo que avistaram Terry em vários momentos suspeitos no dia do assassinato de Frank, além de uma das testemunhas o ter visto levar Frank embora em uma van branca. Levado pela raiva e emoção, Ralph acaba prendendo Terry na frente de boa parte da cidade e da família dele, porém Terry tem um álibi daquele dia. No entanto, Raph consegue a confirmação de DND de Terry logo em seguida. O que está acontecendo? Quem está certo nessa história? Terry é mesmo um homem inocente?


“Vai ficar tudo bem, Gold dissera, e foi a isso que Terry se agarrou. Mas claro que não ia.” Página 93

A edição do livro está bem simples, mas impecável como sempre. A capa combina muito com a história e chega a me dá arrepios. A narração está em terceira pessoa com vários pontos de vista, mas com foco e Ralph.

Adoro livros de suspense, porém não leio tanto quanto gostaria. Ainda assim, quando consigo ler, coloco na lista um autor que adoro muito: Stephen King. O autor traduz toda a trama ao redor desse misterioso homicídio de forma mestra e minuciosa. Eu me via a cada pagina muito envolvida nessa história e confesso que ler esse livro à noite foi bem complicado. Principalmente por eu passar o início da noite sozinha! #medrosasou Apesar desse medo, eu não conseguia parar de ler. O que estava realmente por trás da morte de Frank Peterson?

“Quando passou pelo limite da cidade, já tinha se convencido de que nada acontecera no celeiro abandonado. O latejamento na base da nunca dele também não queria dizer nada. Nada mesmo.” Página 241

Eu gostei bastante do final dessa história, mas também fiquei triste por ter me despedido de alguns personagens. Esses não mereceram o final que foi contado, porém King gosta mesmo de nos fazer envolver com os personagens e despedaçar nossos corações depois. Uma coisa que devo dizer é que esse livro tem um final, mas fica uma leve abertura para novas possibilidades. Será que King pensa em escrever um novo livro nesse mesmo universo? Eu gostaria!


Uma curiosidade é que Outsider é do mesmo universo da trilogia Bill Hodges. Então nesse livro vai ter leves spoilers da trilogia sobre uma de suas personagens, mas sem muitos detalhes. Isso acabou aguçando minha curiosidade e agora preciso ler essa trilogia urgentemente!

10.10.18

{Resenha} O Clube dos Oito



Título Original:  The Basic Eight
Autor: Daniel Handler
Editora: Seguinte
Sinopse: Como um grupo de jovens estudantes bem-educados acabou se envolvendo num escândalo que chocou um país? Por que tantos especialistas em comportamento juvenil têm algo a dizer quando o assunto é o Clube dos Oito? Até quando inúmeras manchetes de jornal e programas de TV sensacionalistas vão explorar o caso nos mínimos detalhes? Para fazer com que a verdade venha à tona, Flannery Culp, a dita líder do Clube, decide tornar público o diário que manteve ao longo do seu desastroso último ano de ensino médio. Agora que está presa por cometer um assassinato, a garota tem tempo de editar o que escreveu e revisitar a rotina que levava ao lado de seus sete melhores amigos. A narrativa de Flan, permeada de professores da pior índole, um amor não correspondido, aulas complicadas e jantares pomposos, comprova que ela pode até ser uma adolescente criminosa — mas, pelo menos, é uma adolescente criminosa muito inteligente.
“Flannery Culp tem uma história para contar. A história de como se tornou uma assassina”.

Nas primeiras páginas conhecemos Flannery, que nos explica que está presa por ter cometido um assassinato há um ano, mesmo sendo uma adolescente de dezoito anos. Em momento algum ela nega que é uma assassina e, através de seu diário (o qual está editando), quer contar a história como realmente aconteceu, pois a mídia expõe tudo de maneira exagerada e errada.

A escrita de Flannery é informal e até mesmo irônica de linguajar adolescente, não combinando com a seriedade do acontecimento que a levou a nos mostrar seu diário. A primeira impressão que tive da protagonista ao ler a sinopse era uma personagem persuasiva e inteligente, mas na verdade chega a ter uma personalidade irritante, divertida, uma adolescente comum, eu diria. E isso que me conquistou. Toda a forma divertida que ela dá ao crime que cometeu.

Outra coisa que me cativou no livro foram as “questões para análise” que a personagem nos deixa, perguntas sobre o capítulo, como você agiria ou sua opinião, adorei isso, seria ótimo para um clube do livro (risos)


Bom, algumas páginas após uma breve explicação de Flan, lemos as diversas cartas que a personagem escreve para o cara por quem se apaixona. Talvez o calor do momento cercada pelo romance em sua viagem à Itália a levaram a enviar-lhe cartas, na esperança de ser correspondida. Infelizmente, ao voltar para sua casa não recebe a ligação que tanto ansiava.

Com seu retorno conhecemos também todo o Clube dos Oito que, como ela, é um grupo de amigos ricos que se encontram para conversar, andam juntos e organizam alguns jantares entre eles e às vezes alguns outros convidados.

O autor consegue administrar a personalidade de apenas alguns personagens e apenas no começo, conforme a história avança ele perde um pouco esse controle o que pode ser difícil para o leitor reconhecer quem é quem.

Outro grande erro: o começo do livro é tediante, 150, 200 páginas é apenas a vida de Flan, suas preocupações de adolescente comum: corpo e garotos,  o que acaba deixando tudo maçante e um pouco irritante de ler.

Há sim partes importantes, como a abordagem de um estupro, mas é aquele negócio, é um homem tentando descrever como uma mulher se sente ao ser estuprada, claro que cada mulher reagiria de uma forma a uma situação assim, é impossível descrever isso, mas o autor tentou e infelizmente acabou sendo uma forma leviana.

Conforme vamos alcançando o final, a curiosidade desperta, sabemos que Adam, o amor de Flan é um merda, mas ainda sim ela é atraída por ele. O final é impressionante, depois que passa a confusão inicial, sinceramente eu não esperava por “aquele acontecimento” em especial, e isso salvou todo o livro para mim.

Teve seus altos e baixos, partes bem confusas e tudo o mais, mas o livro compensa sim a leitura, adorei a forma divertida e irônica de Flannery ao contar seu crime a todos os leitores, a personalidade dada a Flan é de certa forma ótima e irritante, mas perfeita para ela.


Para finalizar, deixo uma frase ótima:

“Eu não sentia tanto nojo de alguém desde pequena, quando os meninos nos provocavam no parquinho, dando chutes, jogando pedrinhas e falando com voz aguda para nos provocar. ‘Se eles fazem isso é porque gostam de você, os adultos diziam como abóboras de halloween. Naquela época acreditávamos e nos sentíamos atraídas por todas aquelas maldades, porque elas significavam que éramos especiais: deixem que eles nos chutem, quer dizer que gostam da gente, então devemos gostar deles também. Mas agora eu me dava conta que os garotos não eram maus porque gostavam de alguém. Eles só eram daquele jeito e pronto.”




9.10.18

{Resenha} O buraco da agulha


Título Original: Eye of the needle
Autor: Ken Follet
Editora: Arqueiro
Sinopse: O ano é 1944. Os Aliados estão se preparando para desembarcar na Normandia e libertar os territórios ocupados por Hitler, na operação que entrou para a história como o Dia D.
Para que a missão dê certo, eles precisam convencer os alemães de que a invasão acontecerá em outro lugar. Assim, criam um exército inteiro de mentira, incluindo tanques infláveis, aviões de papelão e bases sem parede. O objetivo é que ele seja fotografado pelos aviões de reconhecimento germânicos.
O sucesso depende de o inimigo não descobrir o estratagema. Só que o melhor agente de Hitler, o Agulha, pode colocar tudo a perder. Caçado pelo serviço secreto britânico, ele deixa um rastro de mortes através da Grã-Bretanha enquanto tenta voltar para casa.
Mas tudo foge a seu controle quando ele vai parar numa ilha castigada pela tempestade e vê seu destino nas mãos da mulher inesquecível que mora ali, cuja lealdade, se conquistada, poderá assegurar aos nazistas a vitória da guerra.
Na obra-prima que lhe garantiu, há 40 anos, a entrada no cenário da literatura, Ken Follett fisga o leitor desde a primeira página, com uma trama repleta de suspense, intrigas e maquinações do coração humano.
-=Resenha de Aryanna!=-
Não é novidade pra ninguém que a história da II Guerra Mundial me fascina; já li livros com os mais diversos pontos de vista e com as mais diversas abordagens. Eu poderia até dizer que estou saturada sobre o tema... Mas é impossível não ficar no mínimo curiosa sobre uma obra que mistura o clima da segunda Grande Guerra com uma personagem feminina "pacata", seus filhos e seus afazeres domésticos. 

Neste romance, acompanhamos a trajetória dos personagens com seus pontos de vista intercalados. Henry, um grande espião alemão e homem de confiança de Hitler, busca informações sobre o plano dos Aliados em 1944. A narrativa sobre a jornada do "vilão" Henry - apelidado de Die Nadel - é intercalada com o ponto de vista dos outros personagens. A alternância de narradores ajuda a construir melhor o cenário investigativo e também a caracterizar melhor os personagens, garantindo uma relação leitor-personagem bem mais íntima. E nessa relação, a personagem que ganhou meu coração e os corações de milhões de leitores desde o lançamento do livro em 1976, foi Lucy: uma mulher bela e sensível que prova ser mais corajosa do que jamais imaginaríamos. 

O encontro romântico dos personagens Henry e Lucy é um dos pontos altos da trama, mas a conjuntura investigativa, a ação, o desenrolamento político e militar também fizeram meu coração bater mais forte. Na minha pequena experiência com livros envolvendo esse plano de fundo, não havia lido nada que tivesse aliados de Hitler tão na "linha de frente". Foi uma nova abordagem (para mim)  que fez par com minha "inauguração" no mundo literário da espionagem.


Diante do exposto, não é difícil perceber que fiquei extremamente feliz com essa leitura! Não bastava ser sobre a Segunda Guerra e ter uma heroína (representatividade!), O Buraco da Agulha me surpreendeu positivamente ao mostrar como a espionagem pode ser totalmente intrigante na literatura. 
O Buraco da Agulha merece todo o sucesso que vem acumulando ao longo dos anos e também a minha total admiração.

8.10.18

{Lançamentos} Outubro: Planeta de Livros Brasil


Vamos começar os lançamentos do mês de Outubro!
Para dar abertura, vamos começar com os lançamentos da Planeta de Livros Brasil!

O DILEMA DO PORCO-ESPINHO 

COMO ENCARAR A SOLIDÃO
LEANDRO KARNAL

NÃO FICÇÃO
Páginas 192
Preço R$ 36,90
Ser ou não ser sozinho O poeta Vinicius de Moraes cantava “que é melhor se sofrer junto, que viver feliz sozinho”. Será? Este é um dos fios da meada que o historiador Leandro Karnal, um dos intelectuais mais influentes do país, toma como mote neste livro. A partir de referências filosóficas ou religiosas, relacionadas a fatos históricos ou a romances, ele faz uma saborosa reflexão sobre a natureza de viver só – ainda que por pouco tempo. Ele apresenta como a solidão é encarada no cinema, na literatura, na música, nas artes. Mostra que ela pode ser uma luz e que, em alguns casos, Deus revela-se aos solitários. Segundo o Gênesis, aliás, Deus teria dito: “Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e corresponda”. E o autor amplia o tema para discorrer como a tradição judaico-cristã em geral abordou a solidão. Em O dilema do porco-espinho, Karnal viaja pela modernidade líquida e também analisa a solidão no mundo virtual. Contempla tanto temas como os amigos imaginários das crianças até pensamentos de filósofos como Aristóteles, que dizia que a solidão criava deuses e bestas. Como a solidão é um tema que sempre o acompanhou e, segundo revela o próprio Karnal, tem se amplificado em sua maturidade, o autor escreve este livro como um ensaio pessoal. Ao dividir suas meditações, o autor convida seu interlocutor, durante o ato da leitura, a deixar a solidão de lado e compartilhar de seus pensamentos.

SE QUISER FALAR COM DEUS

OS CAMINHOS PARA SE COMUNICAR COM O CRIADOR POR MEIO DA ORAÇÃO 
DOM ORANI TEMPESTA E KATER FILHO

NÃO FICÇÃO
Páginas 208
Preço R$ 36,90
Um guia real para uma oração eficaz Deus sempre nos ouve? Essa é uma pergunta feita com frequência. E é claro que Deus sempre ouve tudo e a todos. Diferentemente de nós, Ele não tem descanso ou pausa. Jesus, antes de ser preso, julgado e condenado à morte na cruz, orou e suplicou ao Pai no Monte das Oliveiras. Assim como o Filho de Deus, é necessário aquietar o coração, usar da comunicação e, a partir dos sinais visíveis que Deus pode enviar, conhecer a vontade do Pai, mesmo em situações de extrema angústia. A oração também é uma ferramenta essencial para falar com o Criador nos momentos de gratidão, de alegria. Em Se quiser falar com Deus descubra o processo de comunicação espiritual, qual a importância dela na sua vida diária, os tipos de oração e manifestação do Espírito Santo no cotidiano e como se transformar em uma pessoa que ora ativamente. O mais importante é fazer com fé, na certeza de que Ele sempre quer o melhor para todos e de que virá em
nosso auxílio.

A SAIDEIRA

UMA DOSE DE ESPERANÇA DEPOIS DE ANOS LUTANDO CONTRA A DEPENDÊNCIA BARBARA GANCIA

NÃO FICÇÃO
Páginas 280
Preço R$ 49,90
Como superar o alcoolismo
“Há pessoas cujas vidas imploram para ser escritas. O problema é que, para que isso aconteça, essa pessoa precisa estar viva. E Barbara Gancia preferia flertar com a morte, a bordo de copos e mais copos e ao volante de carros suicidas. Em sua fase de esbórnia, Barbara viveu vários filmes de ação, cheios de alçapões invisíveis, quedas no abismo e ataques de ratos. Mas nenhum tão emocionante quanto sua luta pela sobriedade. Um dia, finalmente, depois de muitas recaídas, Barbara conseguiu parar a história. O resultado é A saideira, um livro que só ela poderia ter escrito. E cuja leitura encerra lições para todos nós que, tantas vezes, achamos que os prazeres que a vida nos oferecia estavam sendo dados de graça.” – Ruy Castro, escritor

365 DIAS QUE MUDARAM O BRASIL

VALENTINA NUNES

NÃO FICÇÃO
Páginas 768
Preço R$ 89,90
Uma maneira interessante de aprender história Os 365 dias deste livro reúnem conhecimento e curiosidades imprescindíveis. Um acontecimento por dia, todos os dias do ano, sem exceção, que podem ser lidos aleatoriamente, sem ordem cronológica. Uma maneira atraente de aprender mais sobre a história do país em seus mais de 500 anos de existência. A seção “Você sabia?” enriquece e amplia, com notas curtas, o conhecimento sobre o fato abordado em cada data. Resultado de intensa pesquisa, 365 dias que mudaram o Brasil mostra-se como uma viagem movimentada pelas mais diversas áreas que marcaram, definiram e transformaram o Brasil. Tecnologia, música, teatro, TV, cinema, literatura, batalhas, fatos políticos, personagens queridas pelo povo, outras nem tanto, esporte, grandes eventos, realeza, heroísmo, ciência, religião, movimentos pela liberdade de pensamento e de ação, bastidores, homens e mulheres, tragédias, descasos, formam um painel do que foi e é este país, das suas mudanças socioculturais ao longo dos anos e suas conquistas. Como em toda viagem, o melhor é o que está por vir. Você certamente vai se deliciar com cada um dos dias desta obra. Depois do best-seller 365 dias que mudaram o mundo, é hora de descobrir o que fez a diferença na história do Brasil.

LAMPIÃO E MARIA BONITA

UMA HISTÓRIA DE AMOR E BALAS
WAGNER G. BARREIRA

NÃO FICÇÃO
Páginas 224
Preço R$ 44,90
Uma maneira interessante de aprender história Lampião é um sujeito raríssimo cuja história não se encerra. Circunscrito a seu ambiente, o semiárido nordestino, Virgulino Ferreira da Silva, bandido, assassino, terrível, encontrou Maria da Déa, casada, inquieta, aventureira. A união da dupla e a vida entre seus seguidores apresentou ao país, preocupado em ser moderno, uma forma diferente, assustadora e sedutora de viver. Gênio militar inato, galanteador, sábio, pernóstico, malvado, justo... Quantas pessoas foram capazes de reunir tantos defeitos e qualidades? Quantas mulheres abandonaram tudo para seguir o grande amor? Testemunhada, contada, recontada, reescrita, a vida e o amor de Lampião e Maria Bonita, um legítimo romance de aventura, só podem ser projetados como ficção coletiva, erguido sobre as fundações deixadas por tantos outros narradores que se aventuraram a contar seu romance. A saga dos dois é uma história verdadeira que, até hoje, alimenta a mística do cangaço e continua mexendo com o imaginário popular.

O FOGO INVISÍVEL

O SEGREDO MAIS IMPORTANTE DA HUMANIDADE ESTÁ PRESTES A SER REVELADO 
JAVIER SIERRA

FICÇÃO
Páginas 320
Preço R$ 54,90
Novo romance de um dos autores mais vendidos do Grupo Planeta, Javier Sierra Qual é a verdadeira origem da arte? O jovem e promissor linguista David Salas não esperava tirar férias de um dia para o outro e ir à Madri – menos ainda encontrar-se lá com Lady Victoria Goodman, uma velha amiga de seus avós que não via havia mais de vinte anos. De repente, os planos para suas férias mudam de maneira drástica e ele se vê em uma corrida surpreendente para desvendar o que aconteceu com um aluno de Lady Goodman, que ela diz ter sido assassinado. Para sua surpresa, a resposta parece estar escondida no mito do Graal e sua ligação com a Espanha. Entre igrejas romanas remotas nos Pirineus, coleções de arte em Barcelona, livros antigos e códigos estranhos, David e seus companheiros nos levam a um enredo cheio de intrigas e mistérios, que nos fazem questionar sobre a origem da inspiração, da literatura e da verdadeira arte.

AS HORAS VERMELHAS

PARA QUE SERVEM AS MULHERES?
LENI ZUMAS

FICÇÃO
Páginas 336
Preço R$ 49,90
Esqueça O conto da aia – As horas vermelhas é a distopia reprodutiva que precisamos ler agora – Electric Literature Neste romance ferozmente imaginativo, o aborto é mais uma vez ilegal nos Estados Unidos, a fertilização in vitro é proibida e uma emenda constitucional concede direitos de vida, liberdade e propriedade a todos os embriões. Em uma pequena cidade pesqueira no Oregon, cinco mulheres muito diferentes vivem os dramas causados por essas novas imposições do governo enquanto levantam tradicionais questionamentos relacionados à maternidade, identidade e liberdade. Ro, uma professora solteira de ensino médio, está tentando ter um bebê sozinha, enquanto também escreve a biografia de Eivør, uma exploradora polar pouco conhecidas do século XIX. Susan é mãe frustrada de dois filhos, presa em um casamento prestes a ruir. Mattie, filha adotiva de pais apaixonados e uma das melhores alunas de Ro, descobre estar grávida sem saber a quem recorrer. E Gin é a talentosa curandeira da floresta, responsável por juntar os destinos dessas mulheres quando é presa e levada a julgamento em uma caça às bruxas moderna e frenética.

O DIÁRIO DE SONHOS

ANOTE SEUS SONHOS E CONHEÇA MELHOR A SI MESMO
BLACKIE BOOKS

NÃO FICÇÃO
Páginas 224
Preço R$ 49,90
Registre seus sonhos. Explore seu interior. Conheça a si mesmo. Nossos sonhos são o diário de nossa vida: um espaço onde esperanças, medos e desejos aparecem em formas de histórias fantásticas ou, algumas vezes, assustadoras. Nossa essência cria mundos secretos e íntimos noite após noite, e quase nunca paramos para nos perguntar o porquê. Será que os sonhos são mapas do que queremos para o nosso futuro? Cura para as feridas do passado? Um esforço para compreender o presente? E se conseguíssemos nos lembrar dos nossos sonhos a cada manhã? E se pudéssemos utilizar essas vivências para nos conhecer melhor ou como combustível para a nossa criatividade? E se aprendêssemos a acordar dentro dos sonhos e a guiá-los na direção que quiséssemos? Ao escrever seus sonhos, você os transportará à sua memória a longo prazo, e essas experiências incríveis e tão intensas estarão à sua espera nas páginas deste livro.

TITÃS DA HISTÓRIA

OS GIGANTES QUE MUDARAM O NOSSO MUNDO
SIMON SEBAG MONTEFIORE

NÃO FICÇÃO
Páginas 560
Preço R$ 89,90
De heróis a bandidos, um almanaque do mundo São 190 biografias de personalidades que todos devem conhecer, histórias que não podem ser esquecidas. Como uma agradável, interessante e instigante “bíblia” da história, Simon Sebag Montefiore oferece neste livro sua seleção dos homens e mulheres que criaram o mundo que vivemos hoje. Ele afirma esperar que essas biografias incentivem e inspirem os leitores a descobrir mais sobre estes indivíduos extraordinários. O livro começa com Ramsés, um dos maiores imperadores do Egito, e vai até os dias atuais com os vilões Saddam Hussein e Osama Bin Laden. As biografias trazem curiosidades, em sua maioria, desconhecidas do grande público. Em mais de três mil anos de história, há espaço para todos: Garibaldi e Napoleão; os conquistadores Cortés e Pizarro; a família de ditadores coreanos Kim Il-Sung, Kim JonIl e King Jong-Un; Cícero e César, Cleópatra e Catarina, a Grande; Davi, Maomé, Buda e Jesus; Tchaikóvski e Mozart; Balzac e Oscar Wilde; Proust e Dickens; Platão e Aristóteles. Não faltam, é claro, as figuras carimbadas como Hitler e Mussolini; Stálin e Churchill; Shakespeare e Michelangelo; Einstein e da Vinci; Galileu e Darwin; Thatcher e Anne Frank. Professor de História na Universidade de Cambridge e autor de vários best-sellers que foram sucesso de público e de crítica, Montefiore tem um carinho especial por Titãs da história porque acredita que “a História não se repete, mas contém muitas advertências e lições”. 

O CANALHA DO 610

MILA WANDER

FICÇÃO
Páginas 416
Preço R$ 49,90
O aguardado spin-off de O safado do 105
Carlos Júnior, ou simplesmente Caju, é um canalha assumido: vive atrás de mulheres e adora ser solteiro. No entanto, depois de ser beijado por uma desconhecida no elevador, pensa que está apaixonado pela primeira vez na vida. Disposto a conquistá-la, o canalha, que nada sabe sobre amor, tenta usar os mesmos artifícios que fizeram sua cunhada se apaixonar pelo seu irmão mais novo. No entanto, ao contrário do irmão, Caju não sabe cozinhar, não dá sorte usando cuecas Calvin Klein, não tem um corpo escultural e, definitivamente, precisa ler mais sobre Clarice Lispector antes de recitar frases por aí. Quando Emanuele, sua melhor amiga há vinte anos, termina com a namorada e fica sem ter onde morar, Caju a convida para dividir o 610 com ele a fim de ajudá-la a recomeçar a vida. Só que dividindo o teto com a amiga, Carlos descobre que Manu está interessada em experimentar o outro lado de sua bissexualidade... Entre confusões, família, amizade e romance, os dois amigos descobrirão muito mais sobre si mesmos do que supunham conhecer, inclusive que os limites de uma grande amizade podem ir além do que imaginam. O canalha do 610 é uma divertida história erótica no mesmo universo do sucesso O safado do 105.

A CASA DA FLORESTA 

O SEGUNDO LIVRO DO CICLO DE AVALON
MARION ZIMMER BRADLEY

FICÇÃO
Páginas 416
Preço R$ 75,90
As origens de Avalon reveladas em mais um best-seller de Marion Zimmer Bradley As brumas de Avalon, clássica releitura do mito arturiano sob a perspectiva feminina, é a obra-prima da autora Marion Zimmer Bradley. Ao longo dos anos após a escrita do primeiro volume, Bradley se dedicou aos demais romances do chamado Ciclo de Avalon, do qual A Casa da Floresta foi o segundo título a ser publicado. Nos primeiros anos do Império Romano nos territórios da Britânia, os druidas e sua religião seguem duramente massacrados e perseguidos pelas legiões de César. Após a destruição da Casa das Mulheres na sagrada ilha de Mona, as sacerdotisas, que juraram proteger os ritos ancestrais de sabedoria, cura e magia consagrados à Deusa, buscam refúgio em um novo santuário: a Casa da Floresta. Mas o amor não obedece às leis dos homens, e Eilan, futura grã-sacerdotisa, se apaixona por um oficial do exército romano. E no coração desse romance proibido, entre o chamado e a paixão, entre a delicadeza do cisne e a força da águia, está a história da formação da lendária ilha de Avalon.

CONTOS PARA GAROTOS QUE SONHAM EM MUDAR O MUNDO

50 HISTÓRIAS INSPIRADORAS DE SUPER-HERÓIS DE CARNE E OSSO
G.L. MARVEL

NÃO FICÇÃO
Páginas 144
Preço R$ 46,90
50 histórias inspiradoras de super-heróis de carne e osso O que Albert Einstein, Beethoven, Ayrton Senna, Leonardo da Vinci e Martin Luther King tinham em comum? Todos foram jovens que não sabiam o que o futuro lhes reservava – assim como é para muitos de nós. Mas esses jovens cresceram e se tornaram verdadeiros modelos, inspirando crianças do mundo todo. Contos para garotos que sonham em mudar o mundo apresenta de forma divertida as histórias de 50 super-heróis de carne e osso para todos que querem fazer diferença no mundo sem precisar de capa e espada. Com Alan Turing, Alberto Santos Dumont, Antoine de Saint-Exupéry, Bill Gates, Charles Darwin, Dalai Lama, Harvey Milk, Isaac Newton, Jacques-Yves Cousteau, John Lennon, Julio Verne, Lionel Messi, Louis Braille, Mahatma Gandhi, Machado de Assis, Nelson Mandela, Stephen Hawking, Steven Spielberg, William Shakespeare e muitos outros!

SEJA MAIS FELIZ

APRENDA A VER A ALEGRIA NAS PEQUENAS COISAS PARA UMA SATISFAÇÃO PERMANENTE TAL
BEN-SHAHAR

NÃO FICÇÃO
Páginas 224
Preço R$ 34,90
Ser feliz não é obra do acaso. Descubra como é possível alcançar a felicidade mais rápido do que imagina Baseado em técnicas e conceitos de psicologia positiva, o especialista em felicidade – isso mesmo – Tal Ben-Shahar apresentará aqui ferramentas para melhorar sua qualidade de vida, a lidar com traumas do passado que podem tirar sua alegria e a entender que enxergar as pequenas conquistas com mais entusiasmo pode trazer de novo a paz de espírito que muitos procuram, mas nunca conseguem encontrar. Milhares de estudantes da Universidade de Harvard já descobriram o segredo da felicidade duradoura nas palestras, aulas e cursos ministrados pelo autor de Seja mais feliz. Entre nessa aula e aprenda a ser mais feliz a partir de atitudes simples, práticas, mas muito sinceras, baseadas em um método científico comprovado.