Menu

16.5.18

{Resenha} Frida e Trótski: A História de uma paixão secreta


Título Original: Les Amants de Coyoacán
Autor: Gérard de Cortanze
Editora: Planeta
Sinopse: 1937. Perseguidos pelo fascismo e pelas forças stalinistas, Leon Trótski e sua esposa, Natalia Sedova, fogem para o México, onde pedem asilo. Frida Kahlo e Diego Rivera oferecem abrigo aos dois russos, que são então acolhidos não apenas na célebre Casa Azul, mas também no agitado círculo de amigos intelectuais e artistas do casal mexicano. Depois de anos repletos de perigos e conflitos com o governo de seu país, os Trótski enxergam na hospitalidade de Frida e Diego um raio de esperança, a quase certeza de dias melhores.
No entanto, a paz de Leon parece ameaçada pelos encantos e pela extravagância de Frida, mulher brilhante, sensual, livre e em constante ebulição, colocando o escritor em um conflito interno entre o dever e o desejo. A Cidade do México, sempre tão colorida e caótica, equilibrada entre a magia e a loucura, é palco da história desses dois amantes, dispostos a aproveitar cada encontro como se fosse o último. Mas a morte espreita a cada esquina, e os perseguidores do revolucionário russo estão prestes a encontrá-lo. Nessas circunstâncias, o amor pode ser uma urgência, mas a luta, um imperativo.

Não sou muito de ler biografias, já tentei ler algumas e falhei miseravelmente. Mas quando vi a capa desse livro e o tema, a história que ele conta, eu quis arriscar. E que lindo que é!

Admito que não conhecia muito da vida dos dois, embora sejam figuras históricas importantes. Claro que sempre se conhece o básico, se estuda o básico. E a imagem que eu tinha dos dois eram imagens passadas por outras pessoas, tanto que da Frida Kahlo, embora seja dona de muitas cores, eu imaginava como uma mulher triste e amarga, que refletia em suas pinturas suas tristezas. Mas não. Gérard de Cortanze, um dos maiores escritores de autobiografias, me deu uma imagem completamente diferente dessa pessoa tão incrível!

A história começa com a fuga de Trótski e Natalia, em busca de proteção entre os seus. O Governo do México lhes oferecera proteção desde que ele não se envolvesse com política e realizasse pequenos trabalhos, então é claro que o casal, após tantas perdas e perigos, aceitaram a proposta. Aqui para mim já foi uma novidade, não sabia que tinham estado no México! Tenho o costume de pesquisar todas as informações que uma história conta, desde séries baseadas em pessoas reais, a livros. Assim me situo melhor sobre o tempo, pois sabemos que em ambos os veículos não temos a verdade completa - não cabe.

Quem os recebe no porto são Frida Kahlo e Diego Rivera. Ali, já saiu uma faísca entre Frida e Trótski, mas o homem era oferecido, minha gente! Não podia ver um rabo de saia colorido que já corria pra cima!

Ficaram hospedados na Casa Azul, onde o próprio casal artista viveu. Se pesquisar na internet irá encontrar diversas fotos, pois hoje a residência é o museu Frida Kahlo. Foram dias em que Trostki e Natalia viveram em relativa paz, mesmo que cercados da guarda de proteção. Tiveram contato com diversos pensadores e artistas que pertenciam ao círculo de Diego e Frida; sorveram de toda a exuberância da arte e da terra mexicana, todo o calor humano que proporcionam.

Não havia como não se apaixonar por Frida, descrita como o coração e alma de todas as festas. E, no entanto, tão deixada de lado por Diego que não demorava nunca em traí-la com outras mulheres. Vi no casal muito de um cuidado de mãe e filho, embora Diego nunca permitisse que as traições viessem de Frida. 

Leon e Frida mantém seu romance em segredo e é muito bonito de observar. Embora haja suspeita, eles conseguem se afastar ficar juntos. Frida já o deseja desde o primeiro momento, talvez por desafir Diego. Mas se transforma em paixão conforme vão seguindo.


Os diálogos combinam com os personagens, os desafios que acontecem e como lidam são muito interessantes. Acredito que o autor conseguiu transmitir belamente o romance secreto dessas figuras históricas e revolucionárias, como também um amor revolucionário. 

Gostei demais das descrições do autor, das cores e figuras. Cita várias pinturas da Frida e várias passagens de sua vida, ao mesmo tempo que msotra também como foi a passagem de Leon Trótski, suas desavenças e complicações políticas; a presença ferrenha de Diego Rivera e suas contradições.

Para quem deseja se aproximar dessas personalidades, ver um lado mais humano, Frida e Trótski: A história de uma paixão secreta é essencial. Te guiará por um lado que você não esperava, embora já deva conhecer um pouco de todos os presentes nessa história.


~Livro recebido em parceria com a editora~

15.5.18

13ª Feira Nacional do Livro de Poços de Caldas e Flipoços 2018


Bom dia pessoal!! Sei que ando meio sumidinha, a vida anda muito corrida, as resenhas andam meio atrasadas, mas juro que estou me esforçando para colocar tudo em dia e recuperar o ritmo de leitura, resenhas e postagens.

Mas hoje vim aqui (já com um pouco de atraso) contar para vocês como foi a minha experiência no Flipoços 2018. Gostaria de salientar aqui, que aprendemos que Flipoços é um substantivo masculino, apesar de algumas vezes usarmos como feminino hahahaha O motivo é que Flipoços se refere ao Festival Literário, e não à Feira do Livro. Ou seja, são dois eventos acontecendo juntos na nossa cidade maravilhosa todos os anos.

Crachazinho maroto para acompanharmos tudo de pertinho


Segundo a carta da curadora, Gisele Corrêa Ferreira, “O Flipoços é um festival eclético, diverso, apartidário, temático e aberto a todas as formas de pensamento. Talvez, o único do Brasil com essa abrangência e que tem na literatura sua principal fonte de compreensão dos outros saberes.” Dessa forma, o tema escolhido para o festival 2018 foi “A Literatura e os outros Saberes”, procurando dialogar com filosofia, culturas milenares, saúde e bem-estar, artes plásticas, ciência e tecnologia, diversidades, tendo a literatura como base formadora de todas essas expressões.

Sobre a minha experiência, acredito que foi muito rica e bem-aproveitada, apesar do pouco tempo que tive para me dedicar ao festival esse ano.

O primeiro dia que fui, mal andei pela feira, mas acompanhei um bate-papo leve, descontraído e divertido com o escritor/poeta Lucão, mediado pelo meu amigo músico/poeta Tokinho Carvalho.

Lucão e Tokinho falando sobre poesia
Lucão (se não conhecem, sigam aqui) falou um pouco sobre sua relação com a poesia, seus poetas favoritos e de onde surgiu sua vontade de também se tornar um, como um processo de terapia para vencer a timidez. Eles discutiram essa nova geração de “poetas de internet”, da qual ambos fazem parte, e que vem crescendo cada vez mais. Porém, eles acreditam que não se pode utilizar apenas essa ferramenta, e por isso Lucão resolveu lançar seus poemas em forma de livros e Tokinho de livretos, produzidos por ele mesmo.

Dois Avessos, livro que Lucão está lançando agora em parceria com Fabio Maca, foi produzido de forma independente, como uma forma de celebrar a amizade entre eles, que se consideram “avessos” em sua forma de escrever e pensar. Lucão também contou que seu próximo projeto já está em processo e que está sendo um grande desafio, pois ele decidiu sair de sua zona de conforto e escrever um romance (a previsão é que possamos conferir esse trabalho no final de julho).

Lucão
Tokinho também aproveitou o Flipoços para lançar mais um livreto (algo que se tornou tradição), chamado O Pior Livro do Ano. Não é porque é meu amigo não, mas pensa numa pessoa talentosa, tanto escrevendo, quanto tocando, quanto cantando! Sou fã e não abro mão de comprar todos os livretos e divulgar o trabalho dele sempre por aqui. Inclusive, já rolou até uma entrevista com ele aqui no blog, no Flipoços de 2016 (link aqui). Seu trabalho lindo pode ser conhecido aqui.

Tokinho Carvalho

Marcos DeBrito, Pedro Almeida e Victor Bonini
Tivemos também duas novidades que amamos esse ano. A primeira foi a Quinta-Feira Noir, que destaca autores e obras da Literatura Policial e que vai se tornar uma parte permanente do Festival. (Alguém consegue imaginar minha felicidade quando li isso na programação?).

Para essa primeira edição, o tema “Medo, surpresas e reviravoltas – A Nova Literatura Nacional de Terror e Mistério” foi discutido pelos jovens autores Victor Bonini e Marcos DeBrito, com mediação do Pedro Almeida, Publisher da Faro Editorial. Marcos também é cineasta, e exibiu um de seus curtas metragens de terror que impressionou a todos. Os dois autores esbanjaram simpatia e conhecimento sobre literatura policial e de terror, contando sobre suas influências, seu processo de escrita, e a importância das reviravoltas que surpreendem o leitor ao final do livro.



Victor Bonini
Marcos DeBrito






















A outra novidade foi a Casa Philos, que utilizou o maravilhoso espaço do Museu Histórico e Geográfico da cidade para trazer oficinas, debates e conferências sobre cultura e literatura, integrando diversas áreas de saberes.

Casa Philos - Museu Histórico e Geográfico
Também no espaço do Museu, o Flipoços recebeu a Lab Pub, uma escola de publicação e mercado editorial 100% EAD. Participamos de uma apresentação com o nome de “Afinal, o que faz um editor de livros?”. Durante duas horas, Alessandra Ruiz, editora de aquisição da Sextante, nos deu uma aula sobre tipos de editores e todo o processo do lançamento de um livro desde o início. Foi um encontro muito gostoso, que passou super rápido e nos deixou cheias de vontade de conhecer mais sobre esse mundo editorial. Se você também tiver interesse em se aprofundar e conhecer um pouquinho mais sobre a carreira de editor, dá uma olhadinha no site da Lab Pub aqui.

Alessandra Ruiz - Editora Sextante
Bom galera, tentei resumir um pouquinho do que vi e aproveitei no Flipoços desse ano, que infelizmente não foi tanto quanto gostaria, já que a programação como sempre estava fantástica todos os dias. Quanto à Feira do Livro, entre meus garimpos, acredito que eu tenha batido meu recorde: 18 livros adquiridos! Hahahahaha Eu não tenho controle, eu sou compulsiva! Queria ter tempo para ler todos os livros que compro, pois a lista dos não lidos da minha estante só aumenta! Ano que vem tem mais! Venham conhecer o Flipoços em 2019!


14.5.18

{Flipoços 2018} Retorno de pausa e Flipoços 2018!


E aí pessoas? Sentiram nossa falta? 

Finalmente voltei da minha semaninha de férias, estava precisando de uns dias para aproveitar o Dolce far niente! Mas agora estou de volta, organizando tudo o que deixei de fazer essa semana.

Se nos acompanha no insta (ainda não nos segue? Clica aqui! Tem foto de livro, de dogs lindos e fofos que são os destruidores da casa!, tem muita coisa por lá!) viu que até que não fiquei muito parada, reorganizei minha estante… Duas vezes! Em breve tiro fotos e falo mais sobre o que tem nela, acho que vale a pena! 

E já digo que preciso diminuir minhas compras de livros… Então por favor Amazon, pare de fazer promoções tentadoras para a amiguinha aqui, okay? Não tem mais espaço!!! <o> 
Anyway, tivemos aqui a Flipoços 2018! E eu quase trouxe a feira inteira para casa, tá tudo lá no insta! Teve muita coisa boa e barata na Feira do Livro, comprei muitos livros que desejava por 10 reais só,este ano realmente compensou tudo! 

No primeiro dia da Flipoços já encontrei vários livros que desejava, garimpando pelos stands felizinha. À noite assisti a abertura, onde a realizadora do evento falou sobre as dificuldades e as flores de, por mais um ano, ter concretizado esse evento. A magnitude que ele alcançou é de fato impressionante, uma vez que tem alcançado terras internacionais, com a presença novamente de autores moçambicanos renomados, também chegou a Portugal e New York. 

Os eventos foram variados, muitos autores vieram falar sobre suas novas obras. Não consegui ir em todos este ano, pois estava em processo de saída de férias do trabalho e precisava adiantar um monte de coisas. A Amanda também falará sobre suas impressões do evento ainda esta semana! 

Algo novo e que gostei bastante foi a Quinta-feira Noir, com a presença dos autores Victor Bonini (tem até resenha de um de seus livros aqui!) e Marcos deBrito. Houve a discussão de um curta e também um bate-papo bem legal com os autores, que demonstraram um vasto conhecimento na área de thrillers!

Também houveram curso com o pessoal da Casa Phillos e do LabPub! Consegui ir no curso do LabPub e amei! Fiquei encantada com as meninas que apresentaram um vasto conhecimento sobre suas áreas e também sobre tudo o que há de novo no mundo da internet, inclusive memes! Foram extremamente simpáticas com todo mundo e fiquei desejando ser amiga pessoal delas huahuhauha! Acredito que esses momentos de aprendizado deveriam ser algo fixo agora na Flipoços, pois colocam o público da feira diante de tudo o que está acontecendo no mundo em vias literárias.

Tirei várias fotos e selecionei algumas para vocês verem um pouquinho de como foi!




 

























E é claro que esse tanto de autores bons que estiveram eu não poderia perder a chance de conseguir autógrafos nos livros deles, não é? E melhor ainda... Teremos sorteio! Então fique ligado que em breve teremos sorteios aqui no blog!!!

7.5.18

{O menino que vê filmes} Vingadores: Guerra Infinita



Direção: Anthony Russo, Joe Russo
Elenco: Robert Downey Jr, Chris Pratt, Josh Brolin, Chris Evans, Chris Hemsworth, Scarlet Johansson, Benedict Cumberbatch, Tom Holland, Elizabeth Olsen, Karen Gillan, Zoe Saldaña, Mark Ruffalo, Vin Diesel, David Bautista, Paul Bettany, Sebastian Stan, Pom Klementieff, Benedict Wong, Tom Hiddleston, Danay Gurira, Benicio Del Toro, Anthony Mackie, Peter Dinklage, Terry Notary, Chadwick Boseman, Bradley Cooper, Idris Elba, Letícia Wright, Don Cheadle, Gwyneth Paltrow.

ATENÇÃO: ALERTA DE SPOILER! Se você ainda não assistiu ao filme em questão neste post, prossiga por sua conta e risco.

Oi gente! PARA TUDO! Já foi assistir VINGADORES - GUERRA INFINITA? Não? Como assim, pessoas? Eu não sou daqueles que alimenta a guerrinha DC vs Marvel, mas gente... VINGADORES veio pra arrebentar e pra FECHAR 2018 PARA BALANÇO, já que acho muito, mas muito difícil que outro filme do gênero consiga superá-lo esse ano.

A receita era simples, mas a aposta foi alta. Os irmãos Russo trouxeram para as telonas nada menos que um dos vilões mais lazarentos do universo Marvel: Thanos! Trata-se nada menos do que o TITAN LOUCO, o chefão mais difícil de matar. E como se não bastasse, Thanos tem um plano nada ortodoxo para salvar o planeta da extinção: matar metade de seus habitantes. Simples assim! Ora, parafraseando o economista britânico Thomas Malthus, "a população cresce em progressão geométrica enquanto a produção de alimentos cresce em progressão aritmética". Fácil de resolver pois, segundo a lógica de Thanos, basta matar metade da galera! rsrs

Claro que os VINGADORES vão impedí-lo. Ou pelo menos vão tentar...

O FIO DA MEADA

Para entender perfeitamente GUERRA INFINITA é preciso ter assistido TODOS os outros filmes (e até algumas séries) da franquia. Caso você tenha deixado algum de fora (confira a lista completa aqui) não significa que não vá se divertir, mas vai boiar em alguns momentos, sobretudo no final.

Então, para uma melhor experiência, recomendo que você tenha assistido (na medida do possível) os outros filmes da franquia, começando lá em CAPITÃO AMÉRICA - O PRIMEIRO VINGADOR, de 2011 (sei que esse não foi o primeiro filme na ordem de lançamento, mas é onde começa a história do grupo). Aliás, nesse primeiro filme do Capitão América tem um personagem que é CHAVE para entender o final de GUERRA INFINITA ;-)


A título de informação, GUERRA INFINITA começa exatamente após os eventos de THOR - RAGNAROK.

O TITAN LOUCO


Thanos é, de longe, o vilão mais poderoso que os vingadores já enfrentaram, tanto nos quadrinhos quanto no cinema.

Filho de Mentor, governante da lua Titã, Thanos sempre fora rejeitado por seus pares por conta de sua aparência grotesca. Não demorou para que começasse a usar o grande poder com que nascera para objetivos malignos.

Porém, a maior das maldades cometidas por Thanos talvez tenha sido motivada por amor. Isso mesmo! Thanos sempre fora apaixonado por ninguém menos do que a entidade conhecida como SENHORA MORTE e seu objetivo principal ao perseguir as seis jóias do infinito era cortejá-la com nada menos que um genocídio galático.

Fora isso tudo, destaque especial para a computação gráfica que transformou o ator Josh Brolin no gigante Thanos. Nenhuma expressão do ator foi perdida, um trabalho realmente impressionante!

AS JÓIAS E A MANOPLA DO INFINITO


A Jóias do Infinito são seres senscientes (singularidades) convertidos em forma de gemas, cada uma delas representando um aspecto do universo. São elas: 

Espaço (azul), que permite a viajem através do espaço (teletransporte);
Tempo (verde), que permite manipular ou viajar no tempo;
Realidade (vermelha) que permite manipular a realidade, destorcendo-a ou criando ilusões;
Poder (roxa), que representa realização de desejos;
Mente (amarela), que aumenta a capacidade mental de seu portador a níveis celestiais e 
Alma (laranja), que retira, aprisiona ou manipula almas dos vivos e dos mortos.

Usadas isoladamente as jóias já são extremamente poderosas. Mas o uso da 6 pedras em conjunto torna seu portador onipresente e onisciente, como uma espécie de deus.

Para portar simultaneamente as 6 jóias, Thanos projetou uma manopla e obrigou Brokk, um dos deuses ferreiros de Asgard, a construí-la no interior da mesma estrela morta onde outrora teria sido forjado o Mjölnir (martelo de Thor).

THOR, O DONO DA BOLA

Se Thor, personagem de Chris Hemsworth, não teve tanta projeção nos longas anteriores de que participou, em GUERRA INFINITA ele foi a forra e se tornou um dos seres mais poderosos do universo.

Em outras palavras, se nos outros filmes era o Hulk que aparecia de última hora para resolver a situação, desta vez é Thor que "chega chegando" em Wakanda, onde a batalha final contra Thanos está sendo travada, portando sua nova arma, o machado Storm-breaker, que ao que parece é ainda mais poderoso que o Mjölnir, que fora destruído por Ella em THOR - RAGNAROK. Aliás, não vá pro cinema esperando ver o Hulk quebrando tudo, como de costume (só uma dica).

O FINAL

Gente... quem não saiu do cinema que nem aquela GIF do John Travolta levanta a mão!


Mas sério... foi um daqueles finais a la Lord Of The Rings, que acaba mas não termina, e deixa um zilhão de dúvidas no ar...

Tem-se falado muita coisa sobre o que teria acontecido com os heróis que literalmente viraram pó (junto com metade da humanidade). Mas duas teorias merecem destaque. Vamos a elas:

1 - Thanos não é o primeiro ser da galáxia a desejar reunir as Jóias do Infinito. Outros tentaram antes, incluindo o Caveira Vermelha, o vilão de CAPITÃO AMÉRICA - O PRIMEIRO VINGADOR.
Quem assistiu se lembra que o Caveira se desintegrou no final das contas, tal como os heróis.

Quando Thanos chega a Vollmir junto com Gamora para encontrar a Jóia da Alma, encontram ninguém menos que o Caveira Vermelha, que revela ter sido transportado para aquele planeta ao tentar possuir uma das jóias.

Portanto, segundo esta teoria (que segue mais a linha dos quadrinhos), os que se desintegraram não teriam morrido, mas sido transportados para um universo dentro da jóia da alma. 

2 - Metade da humanidade (incluindo alguns vingadores) MORRERAM, o que levaria os quatro vingadores originais (Thor, Hulk, Homem de Ferro e Capitão América) a um confronto com Thanos numa próxima sequência para obter a manopla e, teoricamente, desfazer os atos do tirano usando as jóias.


Em qualquer das teorias vale lembrar do comportamento do Dr. Estranho, que diz ter previsto um único cenário (entre outros milhões) onde os vingadores derrotariam Thanos e, logo após ter feito essa revelação, entrega ao Titã louco a jóia do tempo, mesmo tendo dito anteriormente que preferia deixar qualquer dos vingadores morrerem a entregar a jóia. Parece que ele sabia o que estava fazendo...

PÓS-CRÉDITOS

Na cena pós-créditos, Nick Fury consegue contatar (antes de se desintegrar) ninguém menos que a Capitã Marvel!
A você virou fanzoca da Mulher-Maravilha nos últimos tempos, um aviso: Prepare-se para trocar de heroína.

Isso porque, se a Capitã for reproduzida de forma fiel aos quadrinhos, vai fazer a princesa de Temyscera parecer um nada...

Capitã Marvel, ou Carol Danvers, como é conhecida, é uma piloto da força aérea que foi exposta à radiação alienígena da raça dos Kree, transformando-a em uma das mulheres mais poderosas do universo.

Carol, ao que parece, chega com tudo na próxima continuação dos Vingadores. E não está pra brincadeira.

CONCLUSÃO

Conforme eu disse no começo, GUERRA INFINITA entregou muito mais do que minhas expectativas exigiam. o final dessa história promete!
Até a próxima, gente!