Menu

19.1.18

{2017} Livros lidos!


Muito bem, sem mais delongas... Os meus livros lidos de 2017!

Não li tanto quanto gostaria no ano que findou, procrastinei demais, dormi demais, assisti demais. Não, não me arrependo do tempo gasto com séries não, gostei de todas que eu vi!

Aliás, tenho até um pouco de arrependimento de algumas coisas e que gostaria de encontrar tempo para fazer: quero jogar mais coisas, assistir mais coisas... Quero escrever mais, mas a procrastinação não me deixou muito. Na verdade acho que nem foi a procrastinação, foi vontade de fazer outras coisas... Aí eu acabava não fazendo nenhuma delas, huahuhauh!


Então, 2017 eu li um total de 50 livros. Os gêneros foram bem diversificados, gostei da maioria deles. O que não gostei foi ter comprado tantos e ter lido muito pouco deles! Então estou pensando em fazer uma #tbr e ler pelo menos dos meus livros comprados por mês! Não sei se vou conseguir seguir isso, mas vou me esforçar!

Vamos lá, esses foram os meus livros lidos:


Vou listar os melhores e os piores e as razões, tá? Tipo um... top 3.

Mas não é que o livro foi pioooor. É só que menos gostei. Então não fique triste se um livro que você gosta veio parar nessa lista, ok? É só meu gosto particular!


É sério, eu acho que esse foi o livro revelação para mim, ainda mais que fui com muito preconceito pra cima dele: “Que tipo de livro tem um personagem que chama Chuvisco?” Pois é, mordi minha língua e estou aqui recomendando ele para todo mundo! Política e heroísmo se combinaram nessa leitura lindamente!

Sensível e emotivo, vemos um pai, uma avó e o fantasma de um neto serem capazes de mudar vidas e ainda serem capazes de sonhar. Lindo de verdade.

3º O jardim das borboletas, de Dot Hutchison (em breve resenha!)
Suspense dos bons, definitivamente o melhor do gênero lido em 2017. Uma adolescente que passa por algo inimaginável pela maior parte das pessoas e é tudo o que vou falar, leiam a resenha depois!

Agora os ruins... Não está em ordem do que menos gostei para o que mais gostei, ok?

Uma reunião de contos diversos para celebrar a amizade. Gostei mesmo de um conto só, mas ele está aqui porque não gosto muito de contos e a maioria não me convenceu.

2º Virando o jogo do amor, de Jenny Rugeroni (em breve resenha!!!)
Terrível. Dicas de autoestima feminina muito erradas, na minha humilde opinião.


Acho que foram apenas esses dois que eu não gostei...

Algo que quero melhorar para 2018 é de fato ler mais do que compro. Até agora estou indo bem, já li um dos que comprei o ano passado... faltam só mais uns 110... huahuahua!
Bem, é isso aí! Ainda irei contar para vocês quais leituras que eu tenho que eu vou fazer neste ano, okay?

E vocês, quais foram os seus melhores e seus piores? Deixem aí nos comentários para eu conhecer!!!

Até pessoas!

18.1.18

{Resenha} Fúria Domada - Guerreiras # 2


Oie amores. C-H-E-G-U-E-I!


Estou um pouco adoentada, então hoje o papo vai ser rápido, pois não consigo ficar muito tempo sentada. 😐
Então confere aí a resenha!

*livro cedido pela editora

Sinopse:

Gillian é conhecida entre os membros de seu clã como a Desafiadora por seu caráter indomável sua principal qualidade e também sua grande maldição. Apaixonou-se por Niall na infância e viveu com ele uma bela história de amor, interrompida quando o rapaz partiu para lutar junto ao rei da Escócia sem dizer adeus. Gillian jurou que nunca o perdoaria. Tão teimoso e orgulhoso quanto sua amada, Niall está de volta, mas não é mais o mesmo homem, disposto a qualquer coisa para reconquistá-la. Agora que se reencontraram, nenhum dos dois quer dar o braço a torcer. Mas a paixão do passado os domina novamente. Até quando eles serão capazes de resistir?”

Resenha


Esse drama se passa no ano de 1348, onde o casal que protagoniza está estória é Gillian e Niall. Ambos escoceses, guerreiros, sim porque Gillian sabe manejar uma espada como qualquer guerreiro barbado.
Nesse segundo livro da Série Guerreiros, o casal ficou num impasse, era casar ou defender a Escócia, a mando do Rei.
Como o convite era irrecusável, Niall foi com outros gigantes defender seu Rei, seu país, suas terras e tudo que estivessem nelas.
Só que Gillian não gostou, à segunda semana do casamento e um “bilhete” de Niall, ela passou a desprezar todos os pretendentes que surgiram no grande período que durou a guerra.
A guerra finalmente acabou, com a vitória dos “Highlanders”, mas nem tudo foi glória.
Gillian não aceitou as desculpas de Niall e simplesmente o ignorou por anos.
Mas no aniversário de vinte e seis anos de Gillian, havia um acordo infeliz, entre seu pai e o pai de Ruarke, onde ela teria que se casar com ele. Um homem nanico, com cara de rato e hálito fétido.


Essa noticia pegou todos do castelo de surpresa e Gillian, se desesperava, procurando uma saída, para tal infortúnio.
Será que haverá uma saída?
E Niall, como recebeu a noticia? O que ele fará?
Haverá casamento ou guerra?

É uma boa estória, com cenários extraordinários que dá vontade, que o “túnel do tempo” exista, para sermos teletransportados para lá. Mas como todo livro descritivo, histórico, com o passar das páginas fica um pouco monótono.
As emboscadas, os sequestros, são frequentes e tudo se passa no mesmo local, na mesma época, no mesmo ambiente que o primeiro livro.
Apesar de ter sido um pouco monótono, eu simplesmente amei Gillian e Niall.
Um casal completamente diferente, ela muito esquentada, respondona, com uma personalidade forte, que deixou muitas vezes Niall em apuros.
Uma estória muito boa, ansiosa pela continuação.
Por hoje é só amores. Até a próxima. Tchau!


Título: Fúria Domada - Guerreiras # 2
Autor (a): Megan Maxwell
Editora: Essência
Número de Páginas: 368

17.1.18

{Resenha} O Inquisidor

Autor: Catherine Jinks
Editora: Contexto
Ano: 2017
Sinopse: Em 1318, padre Augustin, um novo inquisidor, chega a Lazet, na França, disposto a rever processos antigos do Santo Ofício. Pouco tempo depois é brutalmente assassinado e seu subalterno, padre Bernard, é encarregado da investigação. No entanto, ao tentar proteger quatro mulheres, ele próprio se torna suspeito por seus pares. Acusado de assassinato e perseguido como herege, Bernard terá que lutar por sua vida e a de suas protegidas.
As violências praticadas em nome da religião, o intrincado jogo de interesses dos poderosos, o fanatismo, a caça às bruxas e as relações marcadas por luxúria, amor e traição fazem deste romance histórico uma narrativa arrebatadora e – por que não? – terrivelmente atual. 

Resenha:

O Inquisidor é uma romance histórico que se passa na França do século XIV, mostrando o lado mais escuro da Inquisição, as questões hierárquicas dentro da Igreja e as crenças mais absurdas que eram usadas nos julgamentos de heresia.

Padre Bernard trabalhava com o Santo Ofício investigando e identificando os “inimigos da Igreja”, os “defensores da doutrina herética” em Lazet, na França. Em um dado momento, ele solicita ajuda nesta tarefa, e então padre Augustin é enviado para Lazet, onde ficou menos de três meses antes de ser assassinado.

Padre Augustin desconfiava de tudo e de todos, até mesmo do próprio padre Bernard e seu possível envolvimento com pessoas hereges. Isso porque padre Bernard fazia o possível para ter boas relações com o povo de Lazet, pois assim ficava mais fácil se manter informado sobre tudo o que acontecia na cidade.

Como superior, padre Augustin parecia querer questionar o trabalho de seu antecessor, padre Jacques, solicitando todos os seus registros para analisar, encontrando assim quatro suspeitos identificados como subornadores de padre Jacques, além de prender toda a população de uma aldeia, após um homem ter acusado quase todos os seus habitantes de heresia.

Após aumentar consideravelmente o volume de trabalho de padre Bernard, padre Augustin é brutalmente assassinado durante uma viagem, quando os corpos dele e de seus companheiros são esquartejados e espalhados pelo bosque para dificultar a identificação de todos.

“O senhor deve ter ouvido falar, sem dúvida, que padre Augustin e seus guarda-costas foram feitos em pedaços. Talvez o senhor não atine totalmente, porém, que, quando emprego a expressão “feitos em pedaços”, não estou usando uma hipérbole, mas uma descrição literal e precisa do estado das vítimas. Seus corpos haviam sido divididos em pequenas porções espalhadas como sementes, não sobrara nem um pedaço da roupa deles. O translatio que poderia ser empregado ao estado dos defuntos é o de uma cripta pilhada – ou talvez até do Vale dos Ossos –, só que esses ossos não estavam limpos e secos. Estavam cobertos de sangue e carne pútrida e, sob um manto de moscas, clamavam aos céus por vingança.”

E assim começa a investigação imposta a padre Bernard, para descobrir o que aconteceu com seu superior. Durante esse processo, ele descobre que as viagens misteriosas de padre Augustin para Casseras estavam relacionadas a quatro mulheres que viviam lá, que escondem segredos que podem comprometê-las como hereges, se mal interpretadas, e que também comprometiam o próprio padre Augustin.

Johanna, uma viúva com “voz de uma freira e olhos de um juiz”, muito bonita, postura firme, apesar das roupas simples e mãos sujas, cuja presença de alguma forma impressionou padre Bernard. Vitália, uma velha senhora, bastante doente, que já ficava apenas na cama. Alcaya, amiga da família, adorava ler e tinha alguns livros curiosos que chamaram a atenção do padre. E finalmente, Babilônia, a jovem filha de Johanna.

Segundo Johanna, as visitas de padre Augustin se deviam a uma disputa de propriedade à qual ela estava envolvida e o padre a estaria aconselhando. Mas padre Augustin teria deixado um documento em que dizia que Babilônia estaria possuída por um demônio, e padre Bernard, como um bom inquisidor, precisava saber se isso seria verdade, e o que descobriu foi algo muito mais chocante sobre padre Augustin.

“Em resposta a meu interrogatório, delicado, mas persistente, ela revelou que a filha, uma moça doce e linda, nunca esteve “muito bem”. Mesmo quando criança, tinha pesadelos, ataques súbitos de cólera, períodos de letargia anormais. Os sermões severos faziam que chorasse de maneira incontrolável e mutilasse a própria carne. Aos 12 anos, ela havia tido uma “visão de diabos”, e gritava toda vez que seu primo se aproximava dela, dizendo que ele estava cercado por um “halo escuro”. Seus problemas pioraram com o passar dos anos: ela caía no chão, cuspindo e gritando e mordendo a língua. Às vezes, se sentava nos cantos, balançando-se para a frente e para trás, falando de maneira incoerente; às vezes gritava sem parar, sem razão aparente.”

As pessoas tinham medo de Babilônia, achavam que ela realmente estava tomada por um demônio, jogavam pedras e cuspiam nela na rua quando estava em crise (porque acredito que a jovem sofria de algum transtorno mental, obviamente, inclusive tinha convulsões que a faziam morder a língua), mas Alcaya acreditava que ela era especial, próxima a Deus, e era a única que conseguia acalmá-la.

Padre Bernard se envolve com as mulheres tanto quanto padre Augustin se envolveu anteriormente, e ele mesmo passa a ser acusado de heresia pelo novo padre que chega para substituir Augustin, (na minha opinião ainda mais doido), Pierre-Julien Fauré, que achava que todo mundo estava envolvido com magia, todo mundo era bruxo ou bruxa, e toda a sua pesquisa se baseava nesse assunto.

“Então perguntei a mim mesmo: foi isso que encontrei na colina? O nada? Eu tinha a sensação de ter encontrado o amor, e todos sabemos que Deus é amor. Mas que tipo de amor? E se eu tivesse realmente experimentado o amor de Deus, então, talvez, por eu tê-lo experimentado (porque acredito que estava consciente de meu próprio ser o tempo todo), não fiquei amorfo, formado e transformado de verdade na uniformidade divina que nos faz uno com Deus. Eu estava tão confuso!”

O livro foi escrito na forma de uma carta redigida por padre Bernard, buscando sua absolvição com os maiores superiores da Igreja da época, como uma confissão, em que conta sua versão de toda a história, incluindo seus erros, acertos, pensamentos, tudo muito rico em detalhes.

“Reverendo padre, eu lhe contei tudo o que há para contar. Contei-lhe uma história sangrenta de morte e de corrupção, mas esses pecados não foram meus. Embora eu tenha pecado contra meus votos de castidade e de obediência, não pequei contra a Igreja Santa e Apostólica. Ainda assim meus inimigos me censuram sempre; eles são corruptos e falam maldosamente; a violência os cobre como uma roupa. Eles buscam minha alma, porque a maldade está em sua morada.”

Com sua narrativa, podemos imaginar com todos os detalhes e imagens como eram realizadas as inquisições pela Igreja, a corrupção que sempre existiu dentro da instituição, os postos hierárquicos e o autoritarismo extremo presente o tempo todo, a provável falta de conhecimento dos transtornos mentais, que se transformavam em demônios, levando tantas pessoas à morte por uma heresia que na grande maioria das vezes era apenas falta de conhecimento e discernimento dos inquisidores.

O começo do livro foi um pouco arrastado para mim, mas quando começa a real investigação e as revelações começam a aparecer, a leitura me prendeu bem mais, me deixando bastante curiosa em relação ao desfecho. Para quem gosta de romances históricos, investigações, conhecer mais sobre a Igreja Católica e sua história da época da Inquisição, e principalmente para que tem estômago forte para lidar com corrupção, injustiças, e as maiores doidices cometidas por estes inquisidores, essa história tem tudo para te agradar também!


“Tentei me convencer de que essa seria a melhor solução. O amor era uma espécie de loucura – uma doença que passaria. Há um tempo para amar, e um tempo para odiar. O que eu ganharia em abandonar o trabalho de toda uma vida por uma mulher que eu mal conhecia? Por um amor que era tanto angústia quanto felicidade?”

16.1.18

{Resenha} A Poção Perdida - Diário de Uma Garota Alquimista #02


Oie amores. C-H-E-G-U-E-I!


Resenha prontinha da continuação de A Poção Secreta, que novamente prendeu minha atenção.
Confere aí!


*livro cedido pela editora

Sinopse:

“Depois de vencer a Caçada Selvagem, salvando a Princesa Evelyn, a vida de Sam Kemi mudou completamente! Com uma avalanche de entrevistas na TV, o trabalho na loja de poções da família e os preparativos para acompanhar a Princesa – sua nova melhor amiga – numa grande viagem internacional, tudo parece estar indo muito bem, até que de repente não está mais...Alguém adulterou a mente do avô de Sam para tentar descobrir a fórmula da Aqua Vitae, uma poção capaz de curar qualquer doença e que estava perdida entre as páginas de um antigo diário da família Kemi. Sem suas memórias e precioso conhecimento, seu avô está cada vez mais perdido e confuso. E, conforme o tempo passa, seu estado só vai piorando. Agora, Sam precisa encontrar a receita perdida da poção mais poderosa do mundo, aquela que as pessoas matariam para pôr as mãos, e também tentar trazer as memórias do seu avô de volta. Trocando vestidos, príncipes e palácios por dragões, centauros e cavernas, Sam começa a aventura mais importante e perigosa de sua vida – na qual tudo pode acontecer!”

Resenha

No primeiro livro dessa série, Sam Kemi, passa por momentos difíceis e desesperantes, vence a Caçada Selvagem, resolve o problema da Princesa Evelyn e da família real e do país. Vendo uma mudança satisfatória na loja da família Kemi, que recebe muitas pessoas o que era almejado pela família durante muito tempo.
Sua amizade com a Princesa Evelyn se torna mais forte e seu namorado Zain é um fofo e carinhoso. 

Agora no segundo livro da série, Sam tem a responsabilidade passada por seu avô, de encontrar o diário perdido da família Kemi, antes que cai em mãos erradas.
Neste diário tem a receita da porção que cura todos os males – a Aqua Vitae.

Agora Sam tem uma outra missão tão tenebrosa quanto a anterior. Só que dessa vez, a família Kemi, seu prestigio, seu nome no rol dos alquimistas do reino, está comprometida, pois “alguém” adulterou a mente de seu avô Ostanes, com duas principais finalidades: impedir que a família de Sam não encontre o diário com a formula da poção mágica que tudo cura.


E o que é pior, se “alguém” se apossar indevidamente da receita, isso será o caos para o reino e o fim do avô de Sam, que só piora.
Numa viagem com seus amigos, não será uma jornada fácil, ainda mais se tiver “alguém” no encalço lutando contra e tentando pegar o diário.
Sam encontrará o tal diário com a formula que cura todos os males? Será a única que está atrás do diário?
A bruxa Emília, que estava presa até então quer o diário, mas para que e para quem?
Ah! Adorei todas as poções das últimas páginas do livro.
Para quem gosta de mistérios, seres e coisas estranhas, poções e feitiços está série é um prato cheio.
A criatividade da autora precisa ser lida, pois vai além da sua/nossa imaginação.



Parabéns a Editora Jangada pela diagramação, por não ter trocado a capa original, ficou ainda mais linda que a do primeiro livro. A diagramação ficou ótima de ler a qualquer hora do dia, sem doer a vista. 💗
Deixo vocês com a porção que eu adorei entre todas as que Sam deixou nas últimas páginas do livro.






2) COLA-MEMÓRIA
Misture raiz de valeriana com veneno roxo e viscoso de perereca, alecrim e uma pitada de leite de magnésio. Prepare a poção perfeita para ajudar a memorizar a matéria das provas finais. Proceda com cautela: over-doses podem ser perigosas.

Por hoje é só amores. 
Até a próxima.Tchau!


Título: A Poção Perdida - Diário de Uma Garota Alquimista #02
Autor (a): Amy Alward
Editora: Jangada
Número de Páginas: 448

{Resenha} kurt Seyit e Shura



Título Original: kurt Seyit ve Şura
Autora: Nermin Bezmen
Editora: Pedrazul
Sinopse: O livro que inspirou uma fascinante série de TV, agora exibida pela Netflix, e que continua a encantar milhões de telespectadores no mundo todo.
Um best-seller instantâneo desde o seu lançamento em 1992, o romance Kurt Seyit & Shura, de Nermin Bezmen, é um clássico da literatura turca contemporânea, um drama romântico que tem como cenário a decadência do Império Russo e a Primeira Guerra Mundial. Bezmen nos conta a história de um casal que vive um amor proibido à medida foge da onda de devastação causada pela Revolução Bolchevique. Neta de Kurt Seyit, O Lobo, um dos amantes que procurou refúgio no já enfraquecido Império Otomano, a autora relata a história real até então traduzida para doze línguas.
Kurt Seyit é o filho de um nobre abastado da Criméia é um elegante primeiro tenente da Guarda Imperial. Ferido no front dos Cárpatos e, mais tarde, procurado pelos bolcheviques, ele faz uma fuga ousada através do Mar Negro. Orgulhoso para aceitar o pagamento por um carregamento de armas que ele entrega aos nacionalistas, Seyit enfrenta anos de luta para começar uma nova vida na República Turca que surge das cinzas do Império Otomano decadente. Tudo o que ele tem é a sua dignidade e o seu amor.
Shura é a linda e inocente menina, encantada pela música de Tchaikovsky e pelas luzes brilhantes de Moscou, que se apaixona por Seyit quando tem apenas quinze anos. Uma vítima em potencial na mira dos bolcheviques devido à riqueza e a posição social de sua família, ela está determinada a seguir seu coração e acompanhar Seyit na sua perigosa fuga pelo Mar Negro.
“Você sente frio quando está sozinho. Este é um sentimento que conheço muito bem.”
Assisti apenas ao primeiro episódio da série, bem antes do livro ser lançado pela Pedrazul. Havia me interessado pela ambientação russa, uma vez que não li (ou assisti) muita coisa sobre e foi uma agradável surpresa quando recebemos o livro para resenha!

Vamos primeiro para a ambientação, não é? A história começa na Rússia de 1916, em Petrogrado. Kurt Seyit Eminoff é um soldado em tudo o que a palavra engloba, bem como a encarnação do próprio “herói”. É durão, forte, resistente, desbravador, amante. E como tem amantes, de todos os gostos! Nascido em uma família rica tradicional da Crimeia (com tradições turcas/muçulmanas), ele é um dos guardas do Kremlin e agraciado pelo czar Nicolau II, assim como seu pai foi antes dele. 

Durante uma festa, ele conhece Shura: a jovem filha de um aristocrata russo que está sendo apresentada a alta sociedade de Petrogrado pela primeira vez. Sura (já falei que ela é jovem? Muito jovem) é doce e inocente, insegura em sua própria pele. É claro que um soldado com Seyit iria atrair seu amor à primeira vista. Os dois decidem se entregar ao amor logo na primeira cruzada de olhares e ela se entrega ao amado.
“- Então, quem tem razão: nós ou os japoneses? – Perguntou Seyit.
- Filho, a guerra significa que, não importa qual a sua causa, os dois lados acreditam que estão certos. Somente a história mostrará quem tem razão.”
Porém, ele precisa partir para a guerra dali a poucos dias. A Primeira Guerra Mundial bate às portas da Russia. Vemos nesse período o quão os amigos são importantes e o quanto os amantes desejam um ao outro, sem saber notícias um do outro.

A autora conta também uma parte da infância de Seyit, desde o romance de seus pais até sua ida para a escola militar; como conheceu Petro: seu melhor amigo durante o período estudantil e que o apresenta aos encantos femininos. A cultura e a tradição é muito viva na família Eminoff, seu pai viu no filho mais velho (embora tenha uma menina mais velha) o líder que poderia manter sua família unida mesmo na desventura e decidiu investir nele todo o potencial. 

Depois da guerra, o casal se reencontra. Mas o perigo vem novamente buscá-los, trazendo um inimigo inesperado que está disposto a tudo para acabar com a vida abastada e a própria vida de Shura e Seyit, bem como de todos os seus amigos. 

A Revolução Russa, causada por Lenin interfere na vida de toda aristocracia, mudando todo o regime político da Russia que acabou por se tornar a União Soviética (até 1991 a Russia era um país socialista). O casal foge para a Crimeia, acreditando que o pai de Seyit irá acolhê-lo por causa de toda a mudança no país. Mas como eu disse, a família é tradicionalista e Seyit deve se casar com uma mulher turca e não uma russa, pois as mesmas são só “para se divertir”, segundo o Eminoff pai.

Em desespero e depois de muitas aventuras, o casal foge para o outro lado do Mar Negro, para Istambul. A cultura muda enormemente, mas não o amor dos dois. A calmaria vem aos poucos e a desesperança em relação ao retorno ao país natal ou encontrarem suas famílias perdidas. Também seu estilo de vida precisa mudar: horas de trabalho exaustivo para poderem sobreviver, até que a vida de ambos entra nos eixos. Até que tudo se desestabiliza novamente.


Um desentendimento os faz sofrer e repensar a vida, depois de anos juntos. Depois de tantas perdas e lágrimas derramadas, depois de pequenas conquistas comemoradas e um ter salvo a vida do outro e vice-versa. Eu soltei um sonoro “P****!” quando vi o que estavam prestes a fazer, porque não acreditei naquilo. Séeerio! 

A história de kurt Seyit e Shura é real e a autora fez uma busca minuciosa na vida de seus antepassados para poder escrever a história romântica de seus bisavós. No final do livro vemos até mesmo fotos dos dois e suas famílias, muito interessante.

Simplesmente encantador. Shura amadurece muito no decorrer de sua vida (a parte narrada, pelo menos) e vemos sua independência aflorar com as dificuldades que acaba enfrentando. Seyit, apesar de ser durão, é um homem muito emotivo: e isso pode ser bom e ruim, dependendo da emoção que o domina. A narração é focada em Seyit a todo momento, vemos muito pouco da família da russa – o que deixou algumas pontas soltas e talvez até meio fora de sentido em alguns aspectos. Todos os personagens são marcantes, cada um com características que nos fazem amá-los ou odiá-los. 

A edição está muito bonita, páginas amarelas e fonte pequena. Não gosto muito de fonte pequena, pois parece que a leitura não rende. Demorei a ler o livro justamente por causa disso... E também demorei a me envolver com a história, admito. Andou para mim depois da morte do czar (que me lembrei de Downton Abbey...), aí consegui manter um ritmo bom de leitura. 

A capa utilizada pela editora foi retirada do seriado disponível na Netflix, que pretendo continuar assistindo. Mas só pelo primeiro episódio em comparação ao livro, já vi algumas mudanças. Deixo abaixo o trailer!


~Recebido em parceria com a Editora Pedrazul~

15.1.18

{Lançamentos} Janeiro: Planeta de Livros Brasil

Vamos conferir os lançamentos da Editora Planeta? Tem Cortella em capa dura! <3 Tive o prazer de encontrá-lo e assistir uma palestra ministrada por ele, é muito bom!

A SORTE SEGUE A CORAGEM! 

OPORTUNIDADES, COMPETÊNCIAS E TEMPOS DE VIDA
MARIO SERGIO CORTELLA

NÃO FICÇÃO 
Palavras-chave: Filosofia; Autodesenvolvimento; Comportamento
Páginas: 192
Preço: R$ 34,90
Seu sucesso ou seu fracasso só depende de você! Todo mundo já usou algumas dessas justificativas para o insucesso: “Eu tento, tento e não funciona”; “não tenho sorte”; “não dou pro negócio”; “por mais que eu ande, não saio do lugar”; “não fico fazendo marketing pessoal”. Em A sorte segue a coragem! Oportunidades, competências e tempos de vida, o professor Mario Sergio Cortella afirma que não se pode atribuir o sucesso ou o fracasso a forças externas. Em vinte capítulos, o autor de Por que fazemos o que fazemos?, um dos maiores best-sellers brasileiros dos últimos anos, discute comportamentos comuns a todos e aponta caminhos para que cada um cultive a própria sorte. Confira os tópicos abordados neste livro:
Êxitos e fracassos: será o destino?
O destino me persegue?
A ocasião faz o padrão...
A pessoa certa no lugar certo, na hora certa Coragem não é impulsividade!
Sorte, iniciativa e ética A hora é agora!
Casualidades oportunas...
E quando a hora não é agora?
Planejar, escolher, abdicar
Tecnologia, ocupação e tédio ausente
Estoque de conhecimento, partilha e humildade
Pensar sobre mim, pensar minhas razões
Tempo: aproveitar para não perder!
Tempo livre, competência e inventividade
O tempo passa mais depressa?
Gerações, convivência e oportunidade recíproca
O tempo passa; e nós?
Decrepitudes, senilidades, vitalidades!
Finitudes infinitas, infinitudes finitas

SÃO SEBASTIÃO 

O MÁRTIR QUE DESAFIOU O IMPERADOR AO SE DECLARAR SOLDADO DE CRISTO
PADRE JEFERSON MENGALI


NÃO FICÇÃOPalavras-chave: Catolicismo; Santos; Cristianismo
Páginas: 208
Preço: R$ 29,90
A saga dos Santos Guerreiros continua “Antes de ser Oficial do Imperador, sou Soldado de Cristo”. Essa foi a frase de coragem e bravura de São Sebastião que deu início ao seu martírio. Mesmo alvejado pelas flechas do exército de Diocleciano, o hoje Santo Católico não sucumbiu. Sua vida é, até hoje, exemplo de perseverança e resiliência. Neste livro, Padre Jeferson conta toda a trajetória de São Sebastião e aplica à vida cotidiana e moderna conceitos que podem melhorar todos os pontos de sua vida. A partir deste grande exemplo, seja forte, perseverante e não desista de seus sonhos, mesmo que seja atingido por flechas todos os dias! 

50 IDEIAS DE ASTRONOMIA QUE VOCÊ PRECISA CONHECER 

GILES SPARROW

NÃO FICÇÃOPalavras-chave: Astronomia - obras populares; Curiosidades e maravilhas
Páginas: 216
Preço: R$ 36,90
Tudo sobre os mistérios do cosmos e as belezas do infinito Para o astrofísico Neil deGrasse Tyson, “o sistema solar deveria ser visto como nosso quintal, não como uma sequência de destinos que percorremos, um de cada vez”. Refletir sobre suas palavras requer o conhecimento de importantes conceitos da astronomia, imprescindíveis para a compreensão da natureza e variedade do nosso Universo. Por esse motivo, 50 ideias de astronomia que você precisa conhecer é leitura obrigatória a todos que desejam compreender os maiores mistérios do cosmos. Em 50 ensaios concisos e bastante elucidativos, o autor Giles Sparrow aborda teorias discutidas há séculos, ao mesmo tempo que reflete sobre temas espantosamente modernos. Definindo os termos essenciais da astronomia e as descobertas-chave dessa ciência, este livro examina o ciclo de vida das estrelas, a formação dos planetas, a estrutura das galáxias e os enigmas da matéria escura e do multiverso – questões que certamente deixarão você ainda mais envolvido pelos mistérios do Universo e pelas belezas do infinito.

DE RECIFE A MANHATTAN 

OS JUDEUS QUE FUNDARAM NOVA YORK 
DANIELA LÉVY

NÃO FICÇÃO Palavras-chave: História mundial; Judeus no Brasil; Judeus
Páginas: 256
Preço: R$ 41,90
Uma fantástica e desconhecida aventura Foi uma verdadeira epopeia. Em 1654, 23 judeus, entre homens, mulheres e crianças, deixaram a cidade do Recife em busca de uma nova terra. Após 24 anos de domínio holandês, Portugal recuperou a colônia da região de Pernambuco, expulsando os holandeses e judeus que lá haviam se estabelecido. A bordo do navio Valk, os judeus sonhavam em voltar para a terra natal. Uma tempestade desviou-os do caminho e o navio acabou sendo saqueado por piratas espanhóis. O grupo foi socorrido por uma fragata francesa que lutou contra os piratas e resgatou a tripulação. Como tinham outro rumo, os franceses deixaram o grupo na Jamaica, então colônia espanhola. Depois de ficarem presos por algum tempo, os judeus foram libertados graças à intervenção do governo holandês. Por motivos financeiros, acabaram seguindo para um destino mais próximo do que a Europa: a colônia holandesa de Nova Amsterdã. Assim começa a participação dos judeus que saíram do Brasil e acabaram ajudando na formação de Manhattan, antes chamada de Nova Amsterdã. O grupo foi o primeiro formar uma comunidade judaica na América do Norte. Passados os primeiros anos de adaptação, eles colaboraram com o desenvolvimento, então incipiente, do comércio, com a organização inicial do mercado financeiro, a construção de modernos hospitais, a luta pela emancipação política, a formação de renomadas universidades e centros culturais. Os judeus do Brasil contribuíram muito para que Nova York fosse hoje a capital do mundo. Tanto é que a cidade ergueu um monumento aos chamados Jewish Pilgrim Fathers. Esta história fascinante e pouco conhecida é narrada em detalhes neste livro, que contém também mapas e imagens que ilustram essa aventura. 

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL

SANTIAGO FARRELL

NÃO FICÇÃOPalavras-chave: Primeira Guerra Mundial; Curiosidades; História mundial
Páginas: 240
Preço: R$ 37,90
Uma nova coleção, concisa e rica em detalhes Alguns a consideram um conflito inevitável. Outros, uma guerra desnecessária. Fato é que a chamada “Grande Guerra” foi um marco decisivo para a historiografia do século XX. É desse conflito, responsável pela morte de milhares de pessoas, que derivam o comunismo, o fascismo, as perseguições nazistas, assim como a desestabilização do Oriente Médio e a ascensão dos Estados Unidos da América como grande potência. Mas como a Europa, que apresentava um progresso científico, civilizatório, cultural e econômico sem precedentes na época, sucumbiu a uma guerra tão selvagem? Em Tudo o que você precisa saber sobre a Primeira Guerra Mundial, o jornalista e professor Santiago Farrell analisa com rigor e sensibilidade episódios excepcionais, e outros até mesmo desconhecidos, cuidadosamente selecionados e que surpreenderão os leitores mais exigentes, proporcionando um estudo minucioso desse evento. Entenda como a barbárie que durou quatro anos, mobilizou 65 milhões de soldados em campos de batalha nos cinco continentes, matou 20 milhões de pessoas, entre civis e militares, destruiu três impérios e teve histórias incríveis – como a do soldado inglês que poupou a vida de um jovem Hitler – mudou para sempre o curso da humanidade.

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE PSICANÁLISE 

SILVIA ONS

NÃO FICÇÃOPalavras-chave: Psicanálise; Curiosidades
Páginas: 288
Preço: R$ 39,90
Uma nova coleção, concisa e rica em detalhes “Impossível reunir em um livro tudo o que precisamos saber sobre psicanálise”. É esse o alerta que a psicanalista Silvia Ons faz ao leitor no prólogo deste livro. E não sem motivo. Tamanha é a complexidade do tema que nem uma centena de livros dariam conta do “tudo”, mesmo porque, defende a autora, “tudo” não combina com a psicanálise. Lacan, cita ela, dizia que o analista deveria reinventar a psicanálise todos os dias. Mas isso não impediu a autora de reunir, neste volume, um compêndio bastante abrangente dos principais conceitos psicanalíticos, apresentados com grande clareza e síntese e contextualizados na história. Entenda como se desenvolveu a psicanálise, pelas mãos de Freud, como se lapidaram os conceitos do insconsciente, transferência e pulsão, como podem ser entendidas as diferentes classes de neuroses, a psicose e a paranoia. Ons dedica capítulos especiais a temas ligados à sexualidade, detalhando, por exemplo, como Freud mudou a maneira de encarar a homossexualidade, e esmiuçando os notáveis complexos de Édipo e de castração. Com quadros explicativos, glossário e bibliografia, este livro expõe com clareza e rigor os conceitos essenciais de um saber que é fundamental para o desenvolvimento humano. 

PALÁCIO DE MENTIRAS

ERIN WATT

FICÇÃOPalavras-chave: Ficção Americana; Young Adult
Páginas: 384
Preço: R$ 39,90
O aguardado desfecho da série The Royals De inimigos mortais a aliados improváveis, dois adolescentes tentam proteger tudo o que mais importa para eles. Ella Harper foi capaz de superar cada um dos obstáculos que surgiram em seu caminho. Forte e resiliente, ela está disposta a fazer o que for preciso para defender as pessoas que ama. Mas lidar com o retorno do pai desaparecido e com o namorado cuja vida está por um fio pode ser demais para a jovem. Reed Royal tem um temperamento afiado e punhos ágeis. Mas sua habilidade para resolver problemas com violência já não é mais o bastante. Se ele quiser salvar a si mesmo e a sua garota, ele terá que superar o passado e sua reputação manchada. Ella precisa ser forte para lidar com os Royal... isso se Reed não destruir sua própria família antes.

365 REFLEXÕES PARA VIVER O AGORA 

MENSAGENS INSPIRADORAS PARA O DESPERTAR
FLAVIA MELISSA


NÃO FICÇÃO
Palavras-chave: Técnicas de autoajuda; Reflexões diárias
Páginas: 384
Preço: R$ 26,90
Um livro verdadeiramente transformador! Sabe o que está faltando de verdade na sua vida? Você! Toda dificuldade é uma oportunidade de reencontro consigo mesmo. A sua felicidade está no aqui e agora. “Cada dia é único e esconde em si infinitas possibilidades”. É exatamente isso que a psicóloga e educadora emocional Flavia Melissa propõe neste livro repleto de frases, pensamentos, reflexões e desafios para você viver o agora. Colocado em prática, este livro é verdadeiramente transformador e vai ajudá-lo a se desenvolver e ser uma pessoa mais feliz. É uma oportunidade de reconexão com sua essência adormecida e com o despertar para a sua melhor versão. 

SEU UNIVERSO INTERIOR

VOCÊ É A HISTÓRIA DA HUMANIDADE
KRISHNAMURTI

NÃO FICÇÃOPalavras-chave: Budismo; Vida espiritual; Meditação - Budismo
Páginas: 256
Preço: R$ 39,90
Livro inédito de Krishnamurti Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), Krishnamurti não falou publicamente nos Estados Unidos; ele viveu tranquilamente em Ojai, Califórnia. As pessoas o procuravam para dialogar sobre muitos temas da época, ou sobre seus próprios dilemas pessoais. Seus problemas eram humanos universais, e asseveravam a afirmação de Krishnamurti: “Você é o mundo”. Conforme Krishnamurti desenrolava os fios emaranhados dos pensamentos e sentimentos das pessoas, revelava-se o núcleo ou fonte de uma preocupação, sem adornos e sem culpa.

 SEMPRE FAÇO TUDO ERRADO QUANDO ESTOU FELIZ 

TIRINHAS SENTIMENTAIS PARA TODO TIPO DE BAD 
RAQUEL SEGAL

NÃO FICÇÃOPalavras-chave Quadrinhos; Sentimentos; Motivação
Páginas 160
Preço R$ 29,90
Criadora do Aquele Eita, página do Facebook com mais de 900 mil seguidores Ansiedade. Paranoias. Medos. Frustrações. Amor. Sonhos. Desilusões. Expectativas. Aquela vontade louca de desistir de tudo. Recomeçar. Desistir de novo. Sentir-se inteiro. Vazio. Transbordar. Se perder. Pode parecer, mas você não está sozinho... Em Sempre faço tudo errado quando estou feliz, Raquel Segal, criadora do Aquele Eita, fala de emoções reais, dessas que a gente só conta para o travesseiro. É impossível não se impactar com seu traço revelador e, ao mesmo tempo, transformador.

A BATALHA DE ARDENAS

A ÚLTIMA CARTADA DE HITLER 
ANTONY BEEVOR

NÃO FICÇÃOPalavras-chave Hitler; Segunda Guerra Mundial; História Mundial
Páginas 568
Preço R$ 99,90
Um ato de desespero que quase deu certo Nas primeiras horas do dia 16 de dezembro de 1944, Hitler lançou sua última grande ofensiva contra os Aliados na região da floresta de Ardenas, na Bélgica. Era uma batalha crucial para os alemães que pretendiam dividir as tropas britânicas e americanas e forçar um acordo de paz com os aliados ocidentais. “Um ato de desespero do Führer”, afirmou um de seus principais comandantes. Surpreendidos naquela manhã de muita neve e frio extremo, parte dos soldados se rendeu e outra, retrocedeu. O sucesso inicial dos alemães e o contra-ataque dos Aliados nas sete semanas seguintes são contados de forma magistral por Antony Beevor, um dos mais importantes historiadores contemporâneos. Envolvendo mais de um milhão de homens, praticamente metade de americanos, a batalha de Ardenas se tornou a mais importante do front ocidental da Segunda Guerra Mundial – e decisiva para a derrota final de Hitler.