Menu

26.4.17

{Evento} XII Bienal Internacional do Livro do Ceará

Chegueeeeeeeeeei negrada!

Oiee amorecos, tudo bom? 💗
Aconteceu aqui em Fortaleza a XII Bienal do Livro e foi incrível!
Vamos conferir os dois dias que fui por lá? Let´s Go!


2º DIA DE BIENAL (15/04/17)

Fui no segundo dia de Bienal, sábado dia 15, pois sabia que não iria encontrar muita coisa se fosse nos últimos dias como eu sempre fazia. Resolvi mudar e não me arrependi. O bom de tudo foi que não choveu, porque quando chove em Fortaleza fique em casa que é melhor rs.

Assim que chegávamos era essa a vista linda, dando aquele friozinho no estômago. Pura expectativa de quais livros teriam na sua listinha e quais outros sensacionais iria encontrar.


O Centro de Eventos do Ceará é enorme!
Climatizado, bem mais organizado esse ano do que das outras Bienais, banheiros limpos e espaçosos. Tudo muito bem feito pro leitor se divertir durante horas (das 09:00 as 22:00).

Esse estande foi só amor gente! Encontrei livros super em conta.
A maioria dos estandes não passava de 20 reais os livros, e procurando com paciência se encontrava muita coisa boa.

O Estande da Selecta Livros e da Saraiva eram as mais caras da Bienal. Realmente não valia a pena nem parar pra olhar os livros, pois eram de 30/40 reais pra cima (preço de livraria).

 Muito livro bom nesses dois estandes, mas no estande do lado tinha de 10/20 reais os mesmos livros. Por isso andei, fucei cada um pra não perder nada.


Na PromoLivros eu praticamente enlouqueci rs. Tinha todos os tipos de livros, desde o infantil, romance, espirita, Star Wars até de Direito.
Com preços variados de 10 a 20 reais.

Um dos melhores estandes da Bienal, sem sombra de dúvidas. Muito livro bom, comprei alguns nesse estande. Teve outros também muito bons como o BookOutlet que comprei vários livros da Nora Roberts a preço de banana! Fazia "lama" os livros dela nesse estande, tinham uns caros, mas nada muito exorbitante.

Olha eu aí negrada! Toda feliz indo pra casa depois de passar em todos os estandes, acabei carregando meus pais para irem comigo. Agradeço todos os dias por ter herdado esse amor pela leitura. 💗

Esses foram os livros que comprei no segundo dia de Bienal:

Comprei na faixa de 10, 20, 25 reais. O "mais caro" de todos foi o Deep lançamento da Universo dos Livros que foi 30 reais. O meu dinheiro foi todo embora nesse estande rs. Precisava completar minhas séries da Christina Lauren, IAN (Irmandade da Adaga Negra) da J.R. Ward e a Série Goddess da P.C. Cast.
Livros baratos também, toda Bienal é o mesmo preço. O que é uma coisa muito boa né?
A pessoa saiu do Centro de Eventos igual pinto no lixo kkk.

 Saldo do primeiro dia de Bienal: 23 livros no total.



PENÚLTIMO DIA DE BIENAL (23/04/17)

No penúltimo dia só fui pro Evento da Universo dos Livros, pois minhas amigas do ARF (Amo Romances Fortaleza) um grupo literário de meninas loucas por romances que participo já há algum tempo, que estavam organizando.

No sábado estava bem mais cheio do que o segundo dia que fui. CHEIO MESMO!
Quanto mais tarde ficava, mais gente chegava.
O Estande da Gracom tinha exposto o Wolverine e o Hulk em tamanho real, super legal! Não tirei foto neles, porque a pessoa já estava morta de tanto andar.

Parece que ele tá gritando né? Fazendo tudo tremer kkk. Fantástico!
Teve momentos em que faziam fila pra tirar fotos com os dois, o estande ficava lotado.

O Evento ia começar as 16:00, mas quem disse que tinha espaço suficiente no Estande da UDL?
As meninas tiveram que procurar um lugar e ficamos no meio do vuco-vuco da Bienal, mas confortáveis.

Suzana apresentando os livros da UDL, e esses eram os livros pro sorteio.

Olha eu ali de blusa cinza, bem compenetrada no que a Suzana dizia rs.

Evento divertido, com boas risadas e debates sobre os livros que seriam sorteados. Sim! Teve cinco livros pra ser sorteado, mas não ganhei nenhum rs.
Voltamos pro estande da editora e tiramos a foto com as meninas que trabalham lá:




Essas foram as minhas comprinhas do penúltimo dia:


Não sei como ainda encontrei algum livro bom, porque sempre deixava pra ir pra Bienal nos últimos dias e nunca tinha nada que prestasse. Dessa vez fui nos segundo dia e no penúltimo e fiquei encantada por ter encontrado tanto livro bom. Viram o tanto de livro da Nora Roberts que consegui encontrar? A pessoa estava que não se aguentava de felicidade, cada livro que eu encontrava eu dava um pulinho e vibrava internamente rs.

Minha mãe é conhecida pelas minhas amigas do ARF, por ser viciada em livrinhos de banca.
O que acontece? Quando as meninas não querem mais dão tudo pra minha mãe.
Trouxe 31 livrinhos de banca dados pela Rafinha, a felicidade dela é a coisa mais linda de se ver.

Saldo do penúltimo dia da Bienal: 14 livros e 31 livrinhos de banca (presente pra mamãe).

Saldo Total dos dois dias: 37 livros (sem contar com os de banca).
É ou não é motivo da pessoa ficar eufórica? Primeira Bienal que consigo comprar bons livros e com preços acessíveis. Muito feliz!

Dois dias de Bienal incríveis! E que já venha a próxima.
Fora o cagaço que vou levar dos meus pais por ter gastado mais de 200 reais em livros, foi perfeito rs.
Até a próxima amores. Tchau!


25.4.17

{Resenha} O Lago das Sanguessugas - Desventuras em Série - Livro Terceiro

Autor: Lemony Snicket
Editora: Seguinte
Ano: 2016
Sinopse: Caro leitor,
Se você ainda não leu nada sobre os órfãos Baudelaire, é preciso que antes mesmo de começar a primeira frase deste livro que fique sabendo o seguinte: Violet, Klaus e Sunny são legais e superinteligentes, mas a vida deles, lamento dizer, está repleta de má sorte e infelicidade. Todas as histórias sobre essas três crianças são uma tristeza e uma verdadeira desgraça, e a que você tem nas mãos talvez seja a pior de todas.Se você não tem estômago para engolir uma história que inclui um furacão, uma invenção para sinalizar pedidos de socorro, sanguessugas famintas, caldo frio de pepinos, um horrendo vilão e uma boneca chamada Perfeita Fortuna, é provável que se desespere ao ler este livro.Continuarei a registrar essas histórias trágicas, pois é o que sei fazer. Cabe a você, no entanto, decidir se verdadeiramente será capaz de suportar essa história de horrores.Respeitosamente,Lemony Snicket.


Resenha:
E as tragédias na vida dos irmãos Baudelaire continuam... Acredito que a maior motivação para continuarmos lendo essa série, é a esperança de que os irmãos um dia tenham uma vida feliz, algo que o autor nos alerta constantemente que não vai acontecer.

O livro começa com os irmãos sentados em suas malas no Cais de Dâmocles, após saltar da barca que os levara através do Lago Lacrimoso para irem morar com a tia Josephine, que na verdade era cunhada de uma prima em segundo grau das crianças, e havia acabado de perder o marido.

A casa de tia Josephine ficava no cume de um morro, com algumas partes se prendendo apenas por estruturas metálicas, como patas de aranhas. Ela parecia ser uma pessoa boa, que cuidaria bem deles, não fosse seu medo irracional de praticamente tudo! Além disso, ela tinha verdadeira paixão pela gramática, e fazia questão de corrigi-los o tempo todo.

E como alguém fascinada por gramática, tia Josephine tinha uma biblioteca em sua casa, em formato oval e com uma parede de vidro com uma vista espetacular do Lago Lacrimoso.

Mas, como sempre, alguém apareceria para atrapalhar a nova vida dos irmãos Baudelaire. E o Conde Olaf estava preparando mais um plano para se apoderar de sua fortuna. Ele se disfarçou de Capitão Sham, e se aproximou de tia Josephine para tentar chegar até os órfãos. Mas é claro que eles o reconheceram.

“Quando o disfarce de alguém não é muito bom, pode-se descrevê-lo como um disfarce transparente. Isso não quer dizer que a pessoa esteja usando material (vidro, plástico) transparente. Significa apenas que os outros conseguem ver através do disfarce – ou seja, o disfarce não os engana nem sequer por um instante. Violet não se deixou enganar nem mesmo por um segundo ao erguer os olhos para o homem em quem esbarrara. Ela percebeu na mesma hora que era o Conde Olaf.”

E então mais uma desventura acontece na vida dos Baudelaire, e tia Josephine se suicida, deixando um bilhete cheio de erros de português, algo muito estranho para alguém tão viciada em gramática... Mas claro que as crianças perceberam e decifraram as pistas deixadas pela tia sobre o mistério de seu desaparecimento.

O bilhete dizia que elas deveriam ser adotadas pelo Capitão Sham, e os irmãos tiveram que correr para decifrá-lo e escapar das mãos de Conde Olaf.

“Chovia forte, o vento uivava, e uma pequena onda se esparramou sobre um dos flancos, mas, para a surpresa dos órfãos, o barco seguia na direção exata em que eles queriam ir. Se vocês topassem com os três Baudelaire nesse instante, pensariam que a vida deles era pura alegria e felicidade, porque, mesmo estando exaustos e encharcados, e correndo um perigo muito grande, começaram a rir por estar dando tudo certo. Era um tal alívio constatar que finalmente alguma coisa tinha dado certo, que eles riram como se estivessem no circo, e não no meio de um lago, no meio de um furacão, no meio da maior encrenca.”

Porém, nem tudo é tão fácil quanto parece e mais uma vez os Baudelaire tiveram que passar por maus bocados até desmascarar o Conde Olaf e fazer o Sr. Poe acreditar neles. Ainda mais porque o Capitão Sham usava uma perna de pau, na mesma perna em que Conde Olaf tinha a tatuagem do olho que sempre o identificava.

Tanto o livro quanto os episódios da série da Netflix não me prenderam tanto quanto os outros. Achei meio chatos, não sei se também pelo fato dos medos absurdos da tia Josephine (que ficaram mais chatos ainda na série), mas até agora para mim, essa foi a pior parte das desventuras dos órfãos.


Espero que daqui para frente as histórias melhorem, e o destino das crianças também.

24.4.17

{Resenha}Dois Mundos - Tesouro da Tribo de Dana # 1


 Oiee amorecos! 😊


 A leitora que vos fala está ainda entorpecida depois de ler Dois Mundos da autora Simone O. Marques.
Fazia tempo que não lia algo tão bom, pra mim distopia que tem aquela mistura de fadas, deusas, deuses, guerreiros maravilhosos e um mundo totalmente desconhecido fora dos portões onde vivem, Dois Mundos é a combinação perfeita pra uma sucessão de livros incríveis.
Confere a resenha aí negrada!


Dois Mundos - Tesouro da Tribo de Dana # 1 - Simone O. Marques

Sinopse:

Num futuro distópico, Marina é uma jovem brasileira que carrega a força e os poderes de três grandes deusas celtas. Ela é aquela que cria, acolhe e mata. Protegida por guerreiros, perseguida por mortais e desejada por deuses, precisa encontrar os míticos tesouros da Tribo de Dana se quiser salvar o que restou do mundo...
Ano de 2021. A Terra está devastada e poucos são os sobreviventes. No Brasil, grupos se reúnem em pequenas vilas em torno da água potável. O oásis neste caos fica na Chapada dos Veadeiros, na Fazenda Tribo de Dana, onde vive um povo guerreiro que acredita tudo ser parte dos planos da Grande Mãe. Neste paraíso vive Marina. Considerada o avatar de três grandes deusas celtas, precisa lidar com poderes diversos de cura, vida e morte. Ao abrir o véu que separa o mundo de mortais e deuses, a jovem liberta antigas divindades. E dois domínios distintos estão prestes a colidir quando ela descobre que detém nas mãos o destino da humanidade.”


Resenha

Dois Mundos mistura fantasia e distopia, o que só deixa a estória incrível de uma forma inesquecível.
Temos Marina( Pequena Dana/Pequena Deusa) como a protagonista, sendo um avatar onde representava fisicamente uma Deusa Celta chamada Dana. No meio da Chapada dos Veadeiros numa fazenda chamada Tribo de Dana.
O desejo de uma Deusa é atendido com exatidão e precisão, pois ela corria perigo.
O caos havia se instalado em vários lugares do mundo, mortes, destruição e devastação.


Após cincos anos num futuro distópico de 2021, Marina havia atingido a maioridade e morava esse período na fazenda com seus pais, onde teve que se adaptar a um novo estilo de vida, totalmente diferente do que vivia há anos atrás.
Sua realidade agora era outra: carregar a força da Grande Deusa: Dana, a grande mãe; Morrigan, a deusa da guerra e da destruição; e Brigite, a deusa da luz.
Marina não gostava de ser tratada com reverência e de ser chamada de Pequena Deusa, se sentia presa naquele lugar maravilhoso carregando um fardo pesado demais e isso a incomodava. Daí vinha uma teimosia sem tamanho, pois dizia sempre pra si mesma que conseguia se virar sozinha, que não precisava de ninguém há vigiando o tempo todo.

A Pequena Dana era protegida constantemente por quatro guerreiros pessoais dela: Artur, Johnny, Dylan e Brian que foram devidamente treinados para isso.
Marina apelidou seus guerreiros de Os Sombras, pois a seguiam por todos os lugares, isso a irritava e tentava ignora-los ao máximo.


Brian e Artur cresceram e treinaram juntos o que ocasionou em uma amizade forte, o que acarretava de os dois estarem sempre juntos vigiando e protegendo Marina de longe, sem incomoda-la ou chateá-la. O que me deixou encantada pelos dois e não tem como não adora-los. Impossível!

Brian a observava de longe, mas sempre atento aos seus passos e decisões, em minha opinião era o guerreiro mais dedicado por motivos que ele até então desconhecia.
A Pequena Dana contava com a ajuda de druidas, sacerdotisa, guerreiros treinados para qualquer situação e Pedro, O Oráculo que também será uma peça importante.


A teimosia dela ainda a colocaria em muitos apuros, o que não foi diferente nos eventos que ocasionou Brian, Artur e Marina a caírem numa caverna desconhecida embaixo do Sídhe (local onde se guardava os mortos/portal para o Outro Mundo), ficando presos sem saber como sair dali.
Marina tinha visões e numa dessas o presságio não era nada animador, pois o avatar da Deusa Dana teria que encontrar os tesouros de sua tribo ou as pessoas que amava morreriam e nada sobraria na fazenda...tudo seria destruído.
Pedro teria que voltar a fazenda para contar algo muito estranho que havia visto, e a mensagem que recebeu era de extrema importância para o povo de Dana.
Tudo se tornava perigoso demais, sentimentos conflitantes e decisões precisavam ser tomadas de imediato.


Pedro em um dos sonhos com Marina é avisado de que ela corre perigo e vai ao encontro dela, mas a ajuda que lhe foi dada por seu tio não estava em seus planos. Ninguém poderia saber a localidade da fazenda e ele teria em alguma hora despistar seu primo e capangas do tio.
Só não contava com a aparição de uma menina maltrapilha, suja e amedrontada no seu caminho. Liban era alguém especial e importante naquele momento.
Merlin é inteligente e parece sentir tudo ao seu redor, carinhoso e receptivo com Pedro desde o primeira vez.


Simone O. Marques nos leva a um mundo cheio de encanto, magia e perigos desconhecidos.
Dois Mundos me lembrou muito a Série Fadas da Aprilynne Pike, uma das melhores leituras sobre distopia que já li em meus trinta e um anos.
Onde a protagonista era uma fada chamada Laurel e tinha um destino selado e vivia entre dois mundos, no caso de Marina sendo um avatar o peso e o perigo de carregar três Deusas com personalidades diferentes e também viver entre dois mundos as deixam bem parecidas nesses quesitos, com guerreiros para protegê-las e sendo irresistíveis. 

Tamani (guerreiro elfo de Laurel) e Brian (guerreiro de Marina) são parecidos por amar suas protegidas e não medir esforços para protegê-las.
A autora intercala a estória em dois cenários, um na terra (o que sobrou dela) e um no outro mundo.
Durante a leitura me peguei muitas vezes dentro da estória, por lugares desconhecidos e fascinantes, sendo presa na leitura do começo ao fim.


Dois Mundos é regado de muitas aventuras, e a autora soube conduzir a estória de uma forma excepcional.
Fiquei realmente entorpecida depois de finalizar a leitura, e me perguntando como que uma autora termina o livro daquele jeito! S-E-N-H-O-R!
Fiquei lendo da mesma forma que se come um delicioso chocolate... Apreciando, me deliciando com as cenas, com o romance que ali crescia e um possível triângulo amoroso que vai se formando. Desde já sou #TeamBrian, porque não tem como não torcer por ele.


Marina junto com as três Deusas.
Na figura acima, as deusas estão na seguinte ordem: Morrigan é a Anciã (a guerra, a morte, a experiência), Dana é a Mãe (a criação, o cuidado), Brigite é a donzela (a virgem, a pureza) e Marina é a que está de azul de corpo inteiro. 


Sim, a pessoa estava tão fissurada na leitura que levava o livro pra todo lugar.
Nada melhor do que comer aquele açaí com tudo que tem direito, acompanhada de uma estória de tirar o fôlego.


Dois Mundos é brilhante, majestoso, incrível e absolutamente fantástico.
Eu só posso agora esperar a Editora Butterfly publicar a continuação, com muita ansiedade e expectativa.
Simone me conquistou com sua escrita direta e bem desenvolvida, o que acaba conectando o leitor durante a trama.


É excepcional o enredo e me encantei pela afeição de forma doce e respeitosa de Brian com Marina. Só amor esses dois. 💗💗
Quem adora esse gênero não pode deixar de ler, vai se surpreender como aconteceu comigo.
A autora revelou que a série será composta de cinco livros, e o meu desespero pra esperar cada um ser lançado vai ser grande. #Misericórdia


Acabei indo atrás de outros livros da autora e comprei a Saga As Filhas de Dana. As capas são sensacionais e eu preciso de mais da escrita de Simone, realmente fiquei encantada. #VireiFã


Confere aí o Book trailer:


Então é isso amores!
Anotem essa dica de leitura porque é pica das galáxias.
Tchau!


Título: Dois Mundos
Autor (a): Simone O. Marques
Editora: Butterfly
Número de Páginas: 256