Menu

18.8.09

Êxtase Mortal

No ano de 2056, a forma mais popular de entretenimento são os poderosos jogos de realidade virtual. Através deles, qualquer pessoa é capaz de ingressar facilmente em um mundo fantástico repleto de prazeres e perigos. A vantagem é que não há riscos; é tudo uma grande brincadeira, uma mera simulação. Ou, pelo menos, era isso o que todos pensavam até um brilhante engenheiro aparecer morto. Em 'Êxtase mortal', o quarto livro da famosa série de romances policiais futuristas que Nora Roberts escreve sob o pseudônimo de J.D. Robb, Eve Dallas - detetive do Departamento de Homicídios da Cidade de Nova York - descobre que essa morte é apenas uma das peças de um caso muito mais intrincado do que aparenta.


Falar sobre Êxtase Mortal é difícil. Ele é um livro mediano, nem tão bom ,nem tão ruim. As melhores partes são a lua de mel da Eve (aquele Roarke é tudo de bom e mais um pouco....ai, ai, ai) e as cenas de sexo que estão espalhadas ao longo do livro. Amei uma cena de uma festa na casa deles (não vou contar porque não sou estraga-prazeres. Ops! até que as vezes sou, mas não hoje) . Só uma dica: O Roarke consegue ficar mais lindo quando perde o controle.

1 comentários:

  1. concordo plenamente thalita...terminei ontem de ler êstase mortal....as cenas são de tirar o folêgo de qualquer pessoa...ai meu Deus será que existe mais desse exemplar de homem no mundo...eu querooooohhhh....

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.