Menu

24.11.09



E se fosse Verdade...
Marc Levy

Quando Arthur e Lauren se conheceram, ele era um homem amargo e solitário, devido a uma relação acabada, e ela era... um fantasma! Pelo menos assim parecia, pois invadia a casa de Arthur, desaparecia sem deixar rasto e tinha uma estranha capacidade de atravessar paredes e portas trancadas.

E se Fosse Verdade... é uma história repleta de romantismo e bom humor, ingredientes que cativaram Steven Spielberg, fazendo-o adquirir, por US$ 2 milhões, os direitos do livro para o cinema. A história se passa em São Francisco, em julho de 1996. A jovem e bela Lauren, estudante de medicina, sofre um acidente de carro, entra em coma e vai parar no mesmo hospital onde trabalha. Apesar de seu estado, Lauren consegue, espiritualmente, voltar para o seu antigo apartamento. Lá, encontra Arthur, o arquiteto que é o novo morador do imóvel e a descobre no armário do banheiro ao ir tomar banho. Ele é a única pessoa que consegue vê-la, ouvi-la e senti-la. Inicialmente se recusando a acreditar na história de Lauren, Arthur só fica convencido de toda a verdade quando vai até o hospital e a encontra desacordada. A partir daí, ele vai fazer o impossível para ajudá-la a voltar ao seu estado natural.

Como toda adaptação pro cinema, esta também tem suas diferenças com o livro. A mais gritante é a forma que os dois (livro e filme) terminam. No livro, nem tudo termina tão bonitinho, casal apaixonado, ela lembrando deles juntos... e tal. Marc Levy deixa a história em aberto... o que dá abertura pra o segundo livro : “Encontrar você”


Encontrar Você
Marc Lexy

E se a vida oferecesse a Arthur e a Lauren uma segunda oportunidade de se encontrarem? Saberiam eles correr todos os riscos necessários para o aproveitar?

Marc Levy volta a juntar os protagonistas do seu primeiro romance, E Se Fosse Verdade..., e conduz o leitor numa nova aventura, feita de humor, de imprevistos e de uma visão única do amor."

Não é tão engraçado como o outro. Ri, é verdade, mas não o fiz às gargalhadas. Acho que neste livro, o autor tornou o amor um pouco mais sério, mas ao mesmo tempo abordou outro aspecto do mesmo tema que é a sua imprevisibilidade. Apesar de a imaginação também contar muito num livro como este, todos os dias vemos coincidencias a acontecer mesmo à frente do nosso nariz, e nem temos tempo para reparar nelas. Se lermos o livro, ele fala desses momentos apesar de apenas ela ser a "cega". Também se lhe pode chamar destino, uma coisa bonita que os poetas dizem. Encontros e imprevistos... Falta dizer que este é a tipica história em que os protagonistas têm um final feliz como não podia deixar de ser num romance.


Trechos do livro:

" - O que eu te vou dizer não é fácil de entender, é impossível de admitir, mas se te dignares escutar a nossa história, se quiseres ter confiança em mim, então talvez acabes por acreditar, e é muito importante, porque agora sei que tu és a única pessoa no mundo com quem eu posso partilhar esse segredo."


"É só que quando eu estou sem você é como se eu não existisse..."


“A vida está diante de você e não das suas lembranças”

“Já que não se pode viver tudo, o importante é viver o essencial, e cada um de nós tem o seu essencial”


2 comentários:

  1. Não li os livros e nem vi o filme AINDA. Estão todos na minha lista. Já vi várias resenhas e a história parece ser muito bonita mesmo.

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Cintia,

    Vc está perdendo uma belíssima história. Tanto os livros quanto o filme emocionam, mas sugiro que vc assista primeiro o filme e depois leia os livros, se fizer o contrário vai ficar com a sensação de que falta muita coisa no filme (o que na realidade falta).

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.