Menu

28.8.09


AMANTE ETERNO
J. R. Ward
(Irmandade da Adaga Negra 02)

Nas ruas do Cadwell em Nova York se mantêm uma sangrenta luta entre duas bandas, duas raças: A Irmandade e seus caçadores e assassinos. A Irmandade é composta por seis vampiros e guerreiros que arriscam sua vida pelo amparo e sobrevivência de sua raça, perseguida e dizimada o que a colocou em uma perigosa situação, a população de vampiros tem diminuído alarmantemente.Dentro da irmandade da Adaga Negra, Rhage é o vampiro com o apetite mais forte. Ele é o melhor lutador, a forma mais rápida para agir em seu impulsos, e o amante mais voraz, pois dentro dele arde uma feroz maldição lançada pela Virgem Escriba. Possuído por este lado negro, Rhage teme as ocasiões em que o seu interior é tomado pelo dragão, tornando-o um perigo para todos em volta dele.Mary Luz, é uma sobrevivente de muitas dificuldades, é inconscientemente atirada para o mundo dos vampiros. Com uma doença grave que coloca em risco sua vida, Mary não está a procura do amor. Sua fé em milagres foi perdida há anos. Mas quando a atração animal que Rhage sente por ela se transforma em algo mais emocional, ele percebe que tem que tomar conta dela..sozinho. E, enquanto a caça continua, Mary briga desesperadamente para ganhar a vida eterna com seu amor...

Ai ...tô chorando até agora...o livro é maravilhoso...no primeiro livro devo confessar que não me liguei muito no Rhage...mas ele conseguiu me cativar completamente...
Rhage é belíssimo..tanto que seus irmão o apelidaram de hollywood... Olha só os atributos do rapaz: Loiro, Alto, Forte e Olhos Azuis...ai..ai..ai..[eu quero um!!!!] ele foi amaldiçoado pela virgem escriba (nesse livro ela conseguiu que eu a odiasse) ...Carrega uma besta dentro de si e ainda falta quase um século pra acabar... Quando está dominado pela besta nem seus irmãos podem segurá-lo... As únicas formas que ele encontrou de controlar a besta foi o sexo e as brigas...e ele é viciado...
Mary é uma batalhadora...sua vida não foi fácil...depois de perder a mãe que tinha distrofia muscular,descobriu que tinha leucemia...agora ela descobriu que o cancer voltou...ela entra no mundo dos vampiros meio que por acaso(tá tudo bem nem tão por acaso já que a vizinha dela é uma vampira)...john é um garoto que vivi ligando pra mary(ela trabalha num centro de telemarketing de auto-ajuda)e um dia vai até sua casa...Bela(a vizinha) descobre que ele é um vampiro...daí em diante se contar mais alguma coisa vou escrever o livro...
Os sacrificios que Rhage faz pela Mary faz dele um homem sem igual...e olha que não são poucos...e a Mary também mostra que tem fibra e coragem...

ROMÂNTICO, SEXY E VICIANTE...

Atenção que fique devidamente registrado:
Rhage é Meu!!!! quem tiver de olho pode e tirando a bundinha do banco de reserva...pq eu não divido nada... Só MEU...
ninguém tasca a mão... ai ai hein!!!


27.8.09

A cor púrpura
Alice Walker

O livro narra a comovente trajetória de uma mulher negra na racista América do início do século passado. A Cor Púrpura é um romance feminista sobre a força e dignidade do espírito humano. Aline Walker foi vencedora do Prêmio Pulitzer em 1983. O livro é narrado em primeira pessoa e tem uma linguagem bastante peculiar de uma “quase analfabeta”. Vale a pena!

Este livro é emocionante!

Eu já havia visto o filmes há alguns anos e ele me marcou, é um filme forte, que nos faz pensar no quanto a vida pode ser difícil para algumas pessoas. Ler o livro foi uma experiência diferente de ver o filme, pois agora eu era a Celi, uma menina mulher que não teve oportunidade de ser criança. Neste livro você irá conhecer a história de vida não apenas da Celi, apesar dela ser o personagem principal.

Durante todo o livro você fica na expectativa das coisas acontecerem de forma a terminarem felizes, mas o final desse livro me fez pensar na realidade da minha própria vida e de que alguns finais apesar de não ser como desejamos que fossem ainda assim podem ser incrivelmente belos.

O Filme.




Sinopse
Georgia, 1909. Em uma pequena cidade Celie (Whoopi Goldberg), uma jovem com apenas 14 anos que foi violentada pelo pai, se torna mãe de duas crianças. Além de perder a capacidade de procriar, Celie imediatamente é separada dos filhos e da única pessoa no mundo que a ama, sua irmã, e é doada a "Mister" (Danny Glover), que a trata simultaneamente como escrava e companheira. Grande parte da brutalidade de Mister provêm por alimentar uma forte paixão por Shug Avery (Margaret Avery), uma sensual cantora de blues. Celie fica muito solitária e compartilha sua tristeza em cartas (a única forma de manter a sanidade em um mundo onde poucos a ouvem), primeiramente com Deus e depois com a irmã Nettie (Akosua Busia), missionária na África. Mas quando Shug, aliada à forte Sofia (Oprah Winfrey), esposa de Harpo (Willard E. Pugh), filho de Mister, entram na sua vida, Celie revela seu espírito brilhante, ganhando consciência do seu valor e das possibilidades que o mundo lhe oferece.

Informações Técnicas
Título no Brasil: A Cor Púrpura
Título Original: The Color Purple
País de Origem: EUA
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 156 minutos
Ano de Lançamento: 1985
Direção: Steven Spielberg


- Recebeu 11 indicações ao Oscar, nas seguintes categorias: Melhor Filme, Melhor Atriz (Whoopi Goldberg), Melhor Atriz Coadjuvante (Oprah Winfrey e Margaret Avery), Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia, Melhor Figurino, Melhor Maquiagem, Melhor Trilha Sonora, Melhor Canção Original ("Miss Celie's Blues") e Melhor Roteiro Adaptado.
- Ganhou o Globo de Ouro de Melhor Atriz - Drama (Whoopi Goldberg), além de ser indicado em outras 4 categorias: Melhor Filme - Drama, Melhor Diretor, Melhor Atriz Coadjuvante (Oprah Winfrey) e Melhor Trilha Sonora. - Recebeu uma indicação ao BAFTA, na categoria de Melhor Roteiro Adaptado.

A Concubina do sheik

Nadia Aidan


Quando Reyna é selecionada como uma das várias honradas mulheres a serem apresentada ao sheik Asad no oferecimento anual para seu harém, a beleza cheia de espírito foge.

O sheik envia Salim, seu filho mais velho e chefe de seu exército, para trazer Reyna de volta. Mas quando Salim coloca os olhos em Reyna percebe que não poderá obedecer às ordens do pai porque sabe que o espírito dela seria esmagado se ele a levasse de volta ao pai dele.

Reyna se descobre capturada por Salim como sua prisioneira e concubina. Ela luta contra ele a cada oportunidade, tentando apagar a paixão entre eles e o calor que surge dentro de seu corpo com um só olhar, uma única carícia dele.


Esse livro é curtinho, cerca de 34 páginas, deixa a gente com gostinho de quero mais, apesar da capa "angelical" o livro é mais no estilo Elloras Cave e recomendo para quem gosta de uma leitura quente.


Eu me apaixonei por Salim, desde o inicio ele faz o impossivel para proteger e ficar com Reyna, até mesmo trair o proprio pai. Reyna é uma Guerreira, uma mulher acostumada a lutar pelo que deseja e decide que é preferivel a morte a fazer parte do harém do Sheik Asad, claro que ela encontrou uma alternativa muito melhor...