Menu

24.9.09




Zoya
Danielle Steel


Este livro, escrito no ano de 1988 por Danielle Steel, retrata a vida da jovem condessa Zoya Konstantinovna Ossupov, prima do Czar Nicolau da Rússia. O livro começa com referências aos bons e saudosos momentos vividos pelas duas famílias, que, com o descontentamento da população russa, se vêm obrigados a permanecer nos seus palácios, embora os homens sintam que devem cumprir o seu dever e lutar contra o que está mal. É neste cenário que a Revolução Russa estala, em 1917, e tanto a família real, como a família de Zoya morrem, havendo apenas uma escassa esperança de sobrevivência para Zoya, a sua avó e o seu fiel empregado. Sendo obrigados a fugir do seu país natal, trazem algumas "pequenas riquezas" escondidas e o essencial para viverem, e partem para Paris em busca de uma nova vida. De um momento para o outro, passam de uma vida de ostentação e riqueza para uma vida de pobreza e desconforto, praticamente sem dinheiro nenhum. Zoya, sentindo que tem o dever da cuidar da avó, arranja trabalho como bailarina no Diaghilev''''s Ballet Russo, indo contra todas as aspirações da avó para o seu futuro. É então, numa visita após um bem sucedido espectáculo de ballet, que Zoya conhece um soldado americano estacionado em Paris e apaixona-se por ele. Terminantemente contra esta relação foi a sua avó, que achava que ela não devia sair com pessoas de fora da sua classes social, tentando sempre arranjar-lhe um par. Algum tempo passa, sempre com o sabor das agruras da guerra nas suas vidas e algumas separações entre os dois amantes, que Zoya sofre um duro golpe: a sua avó morre. Sempre ao seu lado está Clayton Andrews, o soldado americano, que depois do final da I Guerra Mundial a toma como sua noiva e casam-se. Deste modo, partem para a América, onde são muito felizes e têm tudo, não precisando de passar quaisquer necessidades, pois o Clayton era rico. Mas mais uma vez, no ano de 1929, a sua vida e o seu mundo mudaram. Dá-se a Depressão na bolsa e Clayton incapaz de sobreviver à perda de todos os seus bens e de olhar nos olhos da sua mulher, decide suicidar-se, deixando duas crianças ao encargo de Zoya. Volta, então, a passar por graves necessidades, mas agora não pode pensar só nela, tem que pensar igualmente nos filhos. Ela luta contra a depressão e a II Guerra Mundial e, mais tarde, apaixona-se por Simon Hirsch, um comerciante de roupas. A vida começa a sorrir de novo... tem a sua própria loja, onde ajuda os clientes com as suas acertadas opiniões e consegue voltar a ter uma vida estável. Por todos ostes momentos houve sempre uma peça que a acompanhou: um ovo, uma memória irrefutável do seu passado.

Curiosidades:

Em 1995 foi lançada, nos Estados Unidos, a minissérie baseada neste livro.


A atriz Jeniffer Garner (Elektra) teve seu primeiro papel na televisão nesta minissérie, ela interpretou o papel da filha de Zoya (Melissa Gilbert).


23.9.09


Eu sempre gostei das músicas do Bon Jovi, creio que tenha sido influência do meu tio e por isso obrigada tio... Mas voltando ao assunto quero dividir com vocês um clipe novo dele, meninas é muito lindo, tanto a melodia, quanto a letra e principalmente ele. O Bon Jovi não daria um ótimo mocinho de romances?? Para quem já leu Segredos da Nora Roberts pode visualizar melhor o que estou dizendo.

Espero que vocês apreciem...


Tradução:

Olá de novo, somos você e eu
Como sempre costumava ser
Bebendo vinho, passando o tempo
Tentando resolver os mistérios da vida

Como vai a sua vida?
Já faz algum tempo
Deus, como é bom te ver sorrindo
Eu vejo você pegando as chaves
Procurando uma razão para não ir embora

Se você não sabe se deve ficar
Se você não diz o que está pensando
Querida, apenas respire!
Não há outro lugar em que deveríamos estar hoje

Você quer tornar este momento memorável?

Eu peguei esta velha fotografia
Olhe quanto cabelo nós tínhamos
É triste e agradável te ver sorrindo
Seu telefone está tocando
Eu não quero perguntar

Se você se for agora, eu entenderei
Se você ficar, ei, eu tenho um plano
Nós tornaremos este momento memorável
Você quer roubar um pedaço do tempo?
Você pode cantar a melodia para mim
E eu posso compôr algumas frases

Você quer tornar este momento memorável?

Se você não sabe se deve ficar
Se você não diz o que está pensando
Querida, apenas respire
Não há outro lugar em que deveríamos estar

Você quer tornar memorável?
Você quer roubar um pedaço do tempo?
Você pode cantar a melodia para mim
E eu posso compôr algumas frases

Você quer tornar este momento memorável?




21.9.09


Uma História de Amor-Erich Segal
"Que se pode dizer de uma moça de vinte e cinco anos que morreu?Que era bela.Que Gostava de Mozart e Bach.E dos Beatles."Assim começa uma das mais apaixonantes história dos últimos anos e que tem emocionado milhões de leitores em todo o mundo.A comovente história de amor entre Oliver e Jenny:pura,divertida,patética,revela nos jovens apaixonados uma ternura profunda e cativante.Oliver Barrett IV, um estudante de Direito de Harvard, conhece Jenny Cavilleri, uma estudande de música de Radcliffe. Um rápido envolvimento surge entre eles, sendo que logo decidem se casar. No entanto, Oliver Barrett III , o pai do jovem, que é um multimilionário, não aceita tal união e deserda o filho. Algum tempo depois de casados ela não consegue engravidar e, ao fazer alguns exames, se constata que Jenny está muito doente.
Primeiro quero agradecer a nossa amiga Érika que me indicou e emprestou o livro.

LINDO!!!!!
Sinceramente não sei o que mais me cativou na história,é de um certo modo boba mas é maravilhosa. Simples e divertida,o foco é todo no casal nos sonhos e no fim trágico. Acho que não preciso dizer que chorei rios de lágrimas...e ainda estou um pouco jururu...

Destaque para os seguintes trechos
atenção contém spoiler:
-Escute,Jenny,se você tem tanta certeza que eu não valho nada,por que foi que me forçou a lhe pagar um café?
-Gosto do seu Físico

-Fque sabendo que não o amo...
-Não o amo porque o amo demais,Oliver.

-Amar é jamais ter de pedir perdão.
-Fiz então o que nunca tinha feito na presença e muito menos nos braços dele.Chorei.

Sem palavras...é amor demais.