Menu

2.2.10

Seduzindo a Mr. Bridgerton
Familia Bridgerton 04

Durante toda a vida, Penélope Featherington foi uma presença quase invisível a que todos conhecem, mas ninguém põe atenção. Foi a todos os bailes da aristocracia de Londres, cada vez mais acostumada ao papel de moça calada, a quem ninguém tira para dançar a não ser pela insistência de alguma piedosa dama. Em seus vinte e oito anos, resignara-se a ser uma solteirona destinada a passar os dias cuidando de sua mãe. Mas de repente, um bom dia, começa a descobrir a força que pulsa em seu interior. Uma força que surpreende a todos, especialmente a Colin Bridgerton, o solteiro mais cobiçado da cidade, que durante toda sua vida considerou Penélope como uma irmã pequena. Mas como sempre acontece, quando se desata uma força longo tempo adormecida as consequências podem ser imprevisíveis.

Nos três primeiros livros da Saga da Família Bridgerton, Penélope e Colin já dão o ar da graça, ela sempre mencionada como o patinho feio e ele o solteirão mais cobiçado da época. A junção deste casal resultou um livro muito cativante. Adoro livros de patinhos feios, que viram cisnes e tal... neste a autora fugiu um pouquinho do clichê da garota dar uma reviravolta e ficar linda. A transformação dela se dá apenas nos “olhos apaixonados” do Colin, depois de anos, ele começa a vê-la totalmente diferente e descobre uma beleza muito profunda. Não posso deixar de comentar que a maior fofoqueira de Plantão dos anos de 1813 a 1824 é descoberta. Consegui sobreviver à curiosidade, juro que passei maus bocados tentando adivinhar quem era Lady Whistledown. Posso contar aqui quem é ? Posso? Posso?

Hum... acho melhor não. Vou deixar vocês curiosos como eu fiquei.

Vai ser meu exercício para obter controle emocional. Kkk

Deixo aqui só um pouquinho do livro:

..."E então compreendeu que Daphne tinha razão. Seu amor não foi como um raio caído do céu. Começou com um sorriso, uma palavra, um olhar brincalhão. Com cada segundo passado em presença dela, foi aumentando até chegar a esse momento, em que de repente soube.
Amava-a."
“Agarrou-lhe o rosto entre as mãos, olhando-a como se fosse a criatura mais maravilhosa que tivesse pisado na Terra.
-Amo-o -sussurrou ela-. Amei-o anos e anos.
-Sei -disse ele, surpreendendo-se a si mesmo.
Sabia, pensou, mas talvez separasse isso de sua mente porque seu amor o fazia sentir-se incômodo. É difícil ser amado por uma jovem decente e boa quando não corresponde a seu amor. Não podia deixá-la de lado porque gostava dela e não teria podido perdoar-se caso lhe pisoteasse as emoções. E não podia paquerar com ela, por esses mesmos motivos.
E portanto se dizia que o que ela sentia não era amor. Era-lhe mais fácil tentar convencer-se de que ela estava simplesmente encarrapichada com ele, que não entendia o que era o verdadeiro amor (como se ele o tivesse sabido!), e que finalmente encontraria outro e se estabeleceria em uma vida feliz e satisfeita.
Ao chegar a esse pensamento, que ela poderia haver-se casado com outro, ficou quase paralisado pelo medo. Estavam deitados lado a lado e ela o estava olhando com o coração nos olhos toda seu rosto vibrante de felicidade e satisfação, como se por fim se sentisse livre, por ter dito as palavras. E notou que em sua expressão não havia nenhum traço de espera. Não lhe havia dito que o amava com o fim de ouvir sua resposta.
Nem sequer esperava sua resposta.
Havia-lhe dito que o amava simplesmente porque quis. Porque isso era o que sentia.
-Eu também a amo -sussurrou, e apertou os lábios sobre os e ela em um intenso beijo.
Depois se afastou um pouco para lhe ver a reação.
Penelope o olhou um longo momento em silêncio. Finalmente engoliu em seco, de modo estranho, convulsivo, e disse:
-Não tem por que dizer isso só porque eu o disse.
-Sei - respondeu ele sorrindo.
Ela se limitou a olhá-lo, dilatando os olhos, o único movimento de seu rosto.
-E você também sabe isso - disse ele docemente-. Acaba de dizer que me conhece melhor que a si mesma. E sabe que eu nunca teria dito essas palavras se não as dissesse a sério.
E então aí, nua na cama dele, envolta em seus braços, Penelope compreendeu que sim sabia. Colin não mentia, não mentia em nada importante, e não podia imaginar-se nada mais importante que o momento que estavam compartilhando.
Ele a amava. Isso não era algo que tivesse esperado, nem algo que se permitia reconhecer jamais, e entretanto aí estava, como um resplandecente milagre em seu coração.
-Tem certeza?-perguntou.
Ele assentiu, estreitando-a mais em seus braços.
-Compreendi-o esta noite, quando lhe pedi que ficasse.
-Como...?
Não pôde acabar a pergunta, porque nem sequer sabia qual era a pergunta. Como sabia que a amava? Como ocorreu? Como o fazia sentir-se? Mas ele deve ter entendido que não sabia como formular a pergunta, porque respondeu:
-Não sei. Não sei quando, não sei como e, para ser sincero, não me importa. Mas sei que é certo; amo-a, e me detesto por não ter visto seu verdadeiro ser em todos estes anos.
-Colin, não - suplicou ela-. Nada de recriminações. Nada de pesares. Não esta noite. Mas ele sorriu, lhe colocando um dedo sobre os lábios para silenciar sua súplica.
-Não acredito que tenha mudado - disse-, ao menos não muito. Mas então um dia percebi de que via algo diferente quando a olhava. -encolheu os ombros-. Talvez mudei. Talvez cresci.
Colocou-lhe um dedo nos lábios, silenciando-o tal como fizera ele com ela.
-Talvez eu cresci também.
-Amo-a - disse ele, inclinando-se para beijá-la.”

5 comentários:

  1. Obaaa...

    Parece bem divertido esse livro..

    Boa semanaaa... bjinhus ;)

    ResponderExcluir
  2. Gostei! Eles só poderiam fazer uma capa mais atrativa, esse eu não compraria pela capa com certeza, mas o livro parece ser bom!
    beijo meninas!

    ResponderExcluir
  3. Leninha, eu concordo com você. A capa deixa a desejar, mas com certeza vou colocar essa serie na minha lista de leituras.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. kkk
    Eu que achei a capa tão meiga!!!
    Meio infanto-juvenil, acho que estou precisando amadurecer. rsrs

    ResponderExcluir
  5. Este livro (apesar da capa), é ótimo no início da série eu tava louca pra saber com quem Colin ia ficar, ele parecia o mais difícil da família...
    Penélope apesar de ñ ser fisicamente adequada para ele, com o decorrer da história se torna a mulher ideal para Colin.
    E lady Whistledown eu jurava que era Eloise!! me surpreendeu...
    Adorei o Blog, Bjão...

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.