Menu

28.5.10

Amante Eterno – J.R Ward

Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre os vampiros e seus carrascos os redutores. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Possuído por uma besta letal, Rhage é o membro mais perigoso da Irmandade da Adaga Negra. Dentro da Irmandade, Rhage é o vampiro de apetites mais vorazes. É o melhor lutador, o mais rápido a reagir, baseado em seus instintos, e o amante mais voraz, porque em seu interior arde uma feroz maldição lançada pela Virgem Escriba. Possuído por esse lado sombrio, Rhage teme constantemente que o dragão dentro de si seja liberado, convertendo-o num perigo letal para todos à sua volta. Mary Luce, uma sobrevivente de muitas adversidades, entra de maneira involuntária no universo dos vampiros, contando apenas com a proteção de Rhage. Concentrada em combater sua própria maldição, potencialmente mortal, Mary não está em busca de amor e perdeu sua fé em milagres tempos atrás. Mas quando a intensa atração animal de Rhage se transforma em algo mais emocional, ele sabe que Mary precisa ser sua e de mais ninguém. E enquanto os inimigos fecham o cerco, Mary luta desesperadamente para alcançar a vida eterna com aquele que ama...

Posso dizer, sem sombra de dúvida, que este foi o livro mais romântico que li em toda minha carreira de Leitora Compulsiva. Não sou fã de livros sobrenaturais seja Vampiresco ou não. A maioria das vezes me frustro com os autores que falam sobre esse tema, alguns viajam tanto que se perdem no caminho. Mas a Série da Adaga Negra mudou bastante minha opinião, não senti a impaciência que me é comum neste tipo de leitura. Só consegui ver amor, paixão, carinho e respeito. A violência que existe ficou em segundo plano, quase invisível na minha imaginação. Principalmente no segundo livro da série - Amante Eterno, o Rhage é tão magnifico, sem falar na beleza física dele, mas o interior dele.. . mesmo com a besta dentro dele, me fez sentir o carinho que ele tem pela Mary, desde a primeira vez que a viu. Ela é outra também foi uma personagem que me cativou (Adoro livros e filmes onde um dos mocinhos são doentes, tem o risco de morrer e tal).

Não posso deixar de colocar uns trechos que me fez ficar totalmente apaixonada pelo Rhage:

"... - Sim, Tohr. Posso te pedir um favor?
- Qualquer coisa, meu Irmão.
- Poderia não...me falar sobre as mulheres? - Rhage suspirou. - A verdade é que odeio, de verdade, o que faço.
Ele pensou em parar ali, mas de repente as palavras saíam e não podia calar-se.
- Odeio o anonimato disso, odeio a forma em que o peito dói depois. Odeio os aromas sobre meu corpo e em meu cabelo quando chego em casa. Mas sobre tudo, odeio o fato de que vou ter que voltar a fazê-lo outra vez por que se não o fizer, poderia chegar a fazer mal a algum de vocês ou a algum inocente. - Ele exalou o ar pela boca. - E aquelas duas irmãs lhe impressionam tanto? Olhe, esse é o caso. Só recolho às que não se importam nem um pouco com os quem estão, por que o contrário não é justo. Essas duas garotas do bar comprovaram meu relógio, meu cilindro e calcularam que era um maldito troféu. Transar foi algo tão íntimo como o é um acidente de trânsito E esta noite? Você chegará na casa com Wellsie. Eu irei para casa sozinho. Assim como ontem. Assim como eu fiz antes de ontem. Sair com vadias não é diversão para mim e isto está me matando durante anos, por isso por favor o deixa descansar, ok?
Houve um longo silêncio.
- Jesus...eu sinto muito. Eu não sabia. Não tinha nem idéia...
- Sim, ah... - Ele realmente tinha que parar essa conversa.
- Olhe, tenho que ir. Tenho que…ir. Mais tarde.
- Não, espere, Rhage."

" ...- Olhe, meu senhor, Mary é ...diferente de mim. Não pretendo que o entenda. Tudo o que sei, é que ela faz palpitar meu peito de uma maneira que não posso ignorar...infernos, que não quero ignorar. Então a idéia de abandoná-la à mercê da Sociedade não é simplesmente uma opção. No que se refere a ela, cada instinto protetor que tenho me aflige e não posso afastar dessa merda. Nem sequer pela Irmandade."

"...- Não me apaixonarei por você. - Disse ela. - Não posso me permitir isso. Não quero.
- Está bem. Amarei-te o suficiente para os dois. - Ele se inundou nela, enchendo suas profundidades.
- Você não me conhece. - Beliscou-lhe o ombro e depois lhe lambeu a clavícula. O sabor de sua pele fez que sua língua cantasse, que aquele aroma especial se condensasse em sua boca.
- Sim, eu te conheço. - Ele se retirou, seus olhos considerando-a com a convicção e a claridade de um animal. - Sei que me manteve a salvo quando o sol esteve alto e eu me encontrava indefeso contra isso. Sei que se preocupou por mim mesmo quando teve medo. Alimentou-me de sua cozinha. Sei que é uma guerreira, uma sobrevivente, uma wahlker. E sei que o som de seu voz é o mais precioso que já escutei. - Ele a beijou suavemente. - Sei tudo sobre você e tudo o que vejo é lindo. Tudo o que vejo é meu.
- Não sou tua. - Sussurrou ela.
O rechaço não o desconcertou.
- Bom. Se não posso tê-la, então tome. Pegue tudo de mim, uma pequena parte, tudo o que quiser. Mas por favor, tome algo."

Lindo, Lindo, Lindo!

2 comentários:

  1. Olá!
    Eu estou apaixonada por essa série. Rhage é maravilhoso, me fez suspirar da primeira a última página.
    Parabéns pela resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Ahh esse livro!
    é maravilhoso mesmo, a série é maravilhosa...

    O Rhage é meu brother favorito *-*

    amo ele <3

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.