Menu

28.2.10

Tithe - Fadas Ousadas e Modernas
Holly Black

Kaye é uma menina de 16 anos que leva uma vida bastante atípica. Junto com sua mãe vive de cidade em cidade enquanto a mãe busca a fama com sua banda de rock. Tanto Kaye quanto Ellen fumam e bebem demais e estão sempre envolvidas com os homens errados. Após ser estranhamente espancada pelo namorado, Ellen e a filha voltam para Nova Jersey, para morar durante algum tempo com a avó da menina. Lá, no lugar onde passou sua infância, Kaye reencontra velhos amigos, tanto seres humanos quanto mitológicos: fadas que a visitavam regularmente e que, depois que ela se tornou adolescente, nunca mais a procuraram, fazendo com que Kaye acabasse por considerar a existência de tais seres como um simples fruto de sua imaginação. Já na primeira noite em Nova Jersey coisas estranhas começam a acontecer. Um cavalo de madeira parece tomar vida e, em meio a uma tempestade, ela encontra um cavaleiro do reino das fadas ferido nas margens de um córrego. Kaye acaba salvando a vida dele e se apaixonando. Nessa mesma noite, seus velhos amigos encantados a procuram, se mostrando mais reais e assustadores do que nunca. Eles lhe revelam que Roiben, o cavaleiro que ela salvara algumas horas antes, é na verdade uma criatura perigosa, responsável pela morte de um de seus antigos amigos mágicos e que viera buscá-la para ser oferecida como sacrifício na Tithe, um ritual onde uma jovem e inocente mortal é sacrificada para aplacar o desejo das rainhas fadas. Entretanto, a notícia mais estranha que revelam a Kaye é que, na verdade, ela também é uma fada e que, graças a um encanto, ela consegue assumir a forma humana. Assim, Kaye deve utilizar-se desse trunfo para escapar da Tithe, tarefa que, infelizmente, terá que realizar sem a ajuda deles. A partir daí, Kaye empenha-se numa luta frenética pela harmonia do reino das fadas e por sua própria vida. Contando apenas com Corny, um velho amigo mortal, ela é obrigada a observar as alterações de seu corpo, que, aos poucos, vai se transformando no de uma fada, aprender a dominar seus novos poderes e ajudar Roiben, que está sobre a maldição de uma das rainhas das fadas, monarca da mais sanguinolenta horda de seres mitológicos. Logo, Kaye e Roiben se tornarão as figuras centrais de uma antiga e mortal guerra entre reinos encantados.

O Tema do Desafio Literário do mês de fevereiro foi Contos de fadas, de todos os temas do desafio o desse mês foi o mais difícil para mim, eu não tinha a miníma ideia do que ler, ja tinha lido Penelope e minhas outras opções não pareciam tão atraentes.

Procurei, procurei...e acabei escolhendo esse. E me Arrependi. Não me levem a mal quem gostou do livro, mas definitivamente não é pra mim, a autora até conseguiu prender minha atenção por algum tempo e eu me obriguei a ir até o final, mas não faz meu genêro.

Confuso demais.

Principalmente pra quem acabou de sair de um bloqueio literário. Espero reler o livro e quem sabe num momento melhor eu possa gostar dele (Duvido muito).

P.S: Fadas Verdes???? hellooo.... verdes são alíeniginas! Alguém prenda essa mulher.
Oráculo de ovos...??????Fala sério...nem merece comentário...

Fevereiro/2010




As Crônicas de Narnia
C.S. Lewis

O tema de fevereiro do desafio literario foi contos de fadas e meu livro escolhido foi as Crônicas de Narnia do C.S Lewis, eu já tinha esse livro a um tempo e aproveitei o desafio para lê-lo. Infelizmente por falta de sorte logo que peguei esse livro para ler entrei em pane, quer dizer entrei em um bloqueio total e sempre que eu pegava o livro para ler acabava deixando de lado por isso só hoje no último dia do mês estou postando minha resenha.

O volume que eu li engloba todos as histórias do autor e devo confessar que gostei de umas mais do que de outras, acredito que fui influenciada pelos filmes, claro que todas as histórias são maravilhosas, C. S Lewis consegue nos envolver e acabamos viajando junto com ele ao mundo de narnia onde conheceremos personagens incriveis, alguns comuns como nós mesmos e outros magicos como o magnifico senhor de Narnia Aslam.

O livro me deixou ansiosa pelos próximos filmes, espero que sejam feitos filmes de todas as histórias.


O livro é composto pelas seguintes histórias:


  • O sobrinho do Mago.
  • O leão, a feiticeira e o Guarda-roupa.
  • O cavalo e seu menino.
  • Príncipe Caspian.
  • A Viagem do Peregrino da Alvorada.
  • A cadeira de Prata.
  • A Última Batalha.
Um livro mágico que nos leva a um mundo incrível.

Fevereiro/2010.

27.2.10

Missão MacKenzie
Linda Howard


Esse livro faz parte de uma serie "Os MacKenzie" e esté é o segundo livro.

Tal como o pai, o piloto de combate Joe Mackenzie era tão indomável quanto o vento. Uma vida pacata não fazia parte de seus planos e não lhe passava pela cabeça desistir de um desafio e a bela especialista em laser Caroline Evans era o maior deles. Caroline era brilhante, linda e determinada a manter uma distância segura de quem quer que fosse. Joe, no entanto, tinha outra missão em mente... e estava pronto para enfrentá-la sem demora.

Linda Howard é uma autora maravilhosa e é sempre um prazer ler os livros dela, em particular esse livro me cativou desde o inicio. Joe é tudo que uma mulher sonha, Cerca de 1,90 de altura, um corpo fantástico, uma mente aguçada e ainda é dominante nas horas certas (ai, que calor) Pensando melhor vou me retificar: Joe é tudo que eu queria. Caroline é uma mulher com um alto Q.I que nunca teve oportunidade de ter uma infância e juventude "normal" e por isso irá contar com o professor mais gato da área para ensiná-la uma ou outra coisinha sobre a relação entre um homem e uma mulher (sortuda ela)!

Minha nota para esse livro é com certeza um merecido 10.

Amante Sombrio - JR Ward

Amante Sombrio
J.R Ward

Nas sombras da noite, em Caldwell (Nova Iorque) se desenrola uma sórdida e cruel guerra entre os vampiros e seus carrascos. A Irmandade e seus caçadores e os assassinos. E existe uma Irmandade Secreta de seis vampiros guerreiros, os defensores de toda a sua raça. Nenhum deles deseja aniquilar a seus inimigos com tanta ânsia como Wrath, o campeão da Irmandade da Adaga Negra. Wrath, o vampiro de raça mais pura dos que povoam a terra, tem uma dívida pendente com aqueles que, há séculos, mataram seus pais. Quando morre um de seus mais fiéis guerreiros, deixando órfã uma jovem mestiça, ignorante de sua herança e seu destino, não resta a ele outra saída senão levar a bela jovem para o mundo dos não mortos. Traída pela debilidade de seu corpo, Beth Randall se vê impotente para resistir aos avanços desse desconhecido, incrivelmente atraente, que a visita toda a noite, envolto nas sombras. Suas histórias sobre a Irmandade a aterrorizam e a fascinam... E seu simples toque provoca chispas de um fogo que pode acabar consumindo a ambos.

Livro muitoooo bom. Você se apaixona pelo vampiro durão, príncipe e cego (ou quase) Wrath. Acho maravilhoso a forma como a escritora consegue escrever um cara durão, gigante (literalmente) e tão sensível. Carinhoso. O homem dos sonhos das mulheres. Como já se fala há muito tempo os brutos também amam rsrsrs. Wrath personifica isso. A série é viciante. Já temos esse livro publicado e no Brasil e esperamos com ansiedade os outros. Como não agüentei esperar já estou lendo em espanhol rsrsrs. E vocês?!?!

26.2.10

Uma Cama para Três
Carmem Reid

Bella Browning é atraente, bem-sucedida e ambiciosa. Trabalha como uma louca, é dura na queda e é apaixonada por Don, o marido jornalista (embora ela nem sempre ande tão na linha quanto deveria). Entretanto, lá no fundinho de seu coração, ela sente que algo está faltando ao casal... e esse algo é um bebê. Don anda aterrorizado com essa possibilidade, mas, afinal de contas, se Bella é uma grande consultora, capaz de transformar megaempresas... então, ela vai dar conta do recado! Vai? Vai mesmo?!? Entre crises matinais de enjôo, hormônios fora de controle e alguns, digamos, "passos em falso" com o delicioso e atraente Chris, seu colega de trabalho, ela descobrirá rapidamente como será difícil interpretar o papel da perfeita mãe moderna e workaholic, e ainda conservar o sex appeal de uma deusa grega. Mas Bella é uma mulher de muitos talentos e não está nada a fim de ser derrotada.
Don se descobre diante do filho Markie, Bella percebe que a super mulher de antes agora é uma mãe dedicada que precisa arranjar uma forma de ganhar dinheiro sem prejudicar a criação do filho. Problemas da vida moderna que o casal conseguirá resolver de forma brilhante, apesar dos contratempos. Problemas que se transformarão em muito mais felicidade e amor.

No começo achei a Bella volúvel demais, o Don sem graça demais, até o Markie nascer a história estava quase "Um pé no saco". Mas aí o neném nasceu, a confusão começou e me vi com o mesmo dilema da Bella ( como conciliar trabalho, marido, filho e você mesma de uma hora pra outra?).Quando entendi que a autora só queria mostrar como uma familia pode mudar e amadurecer e aprender com seus erros, e que ter um filho não é tão facil como todos pensam... eu me apaixonei pelo livro. No finalzinho da história Don deixa de ser um chato de galochas e se transforma num...principe encantado? nem tanto, mas vamos dizer que ele fica um pouquinho mais encantador.
Posso dizer, sem dúvida nenhuma, que o livro é maravilhoso, mas confesso que em algumas partes quase desisto de um dia ser mãe, e olha que esse é um dos meus maiores sonhos. Portanto se vc é muito influenciável, está gravida ou deseja um dia ter um filho... não leia este livro! O lado bonito da maternidade passa bem longe deste enredo. rsrs

24.2.10

Destino Tentador - Nora Roberts

Destino TentadorDestino Tentador
Nora Roberts
Os MacGregors II

Na defesa do amor, todos os argumentos são válidos...

O advogado Caine MacGregor tem a reputação de ser um demônio no tribunal... e insuperável na cama. Seu maior desafio é domar a geniosa Diana Blade, e libertar a mulher apaixonada que existe dentro dela. Quando Diana aceita a proposta de trabalhar com ele em seu escritório, está a um passo de se tomar mais do que sua sócia nos negócios...

Será Caine capaz de convencê-la a arriscar tudo pelo amor de um MacGregor?

Eu tenho total fascinação pelos livros da Nora e por isso tudo que encontro dela eu leio e mesmo tendo uma pilha de livros para ler, se encontro um livro dela que ainda não li ele passa direto pela fila, no ultimo encontro do Adoro Romances em Fortaleza (Minha comunidade do Orkut) eu trouxe vários livros da serie dos MacGregors para ler e este foi o escolhido da vez, ele é o segundo livro e conta a história do irresistível Caine e da oprimida Diana, como eu não li essa serie na ordem certa eu já tinha lido pedaços da história desse casal em outros livros da serie e fiquei muito curiosa para saber como aconteceu à história desses dois, O Caine é o típico mocinho da Nora (Para quem não sabe de 9 entre 10 dos livros dela, o mocinho sempre se apaixona primeiro) Acho que é por isso que ela é minha escritora favorita...rs. A sinopse desse livro descreve bem como se desenvolve a história e se eu falar mais vou acabar contando mais do que devo.

Recomendo a leitura desse livro e se possível na ordem, é maravilhoso saber como os outros casais estão e a cada livro dessa serie nos sentimos mais parte da família MacGregor.

23.2.10


 O Coração de uma Bridgerton
Família Bridgerton 06

Em toda vida há um ponto decisivo. Um momento tão tremendo, súbito e impressionante, que a pessoa sabe que sua vida jamais será igual. Para Michael Stirling, o libertino mais infame de Londres, esse momento chegou na primeira vez que pôs os olhos em Francesca Bridgerton.



Depois de uma vida de perseguir mulheres, de sorrir astutamente quando elas o perseguiam, de permitir-se ser apanhado mas nunca deixar que seu coração se comprometesse, necessitou somente de um olhar em Francesca Bridgerton e se apaixonou tão rápido e definitivamente que foi um milagre que pudesse permanecer de pé.

Desgraçadamente para Michael, o sobrenome de Francesca seguiria sendo Bridgerton durante só trinta e seis horas mais, já que a ocasião dessa reunião era, infelizmente, um jantar para celebrar suas iminentes bodas com seu primo.

Mas isso foi então e agora Michael é o conde e Francesca é livre, mas ainda ela pensa nele como nada mais que seu estimado amigo e confidente. Michael não se atreve a lhe falar de seu amor até uma perigosa noite, quando ela caminhou inocentemente a seus braços e a paixão se demostrou ser mais forte que o pior dos segredos.

De todos os filhos de Violet Bridgerton, Francesca foi a mais apagada, não quis dizer que fosse feia ou sem graça, apenas aparecia esporadicamente nos primeiros livros, alguns comentários isolados sobre seu casamento e depois sobre a morte de seu marido. Achei o começo desse livro muito romântico e trágico, pra não acabar com a tradição, chorei horrores com a morte do Jhon (acho que devo ser a maior consumidora de lenços de papel do mundo! choro por tudo e sempre preciso tê-los por perto). A continuação da leitura, sem chororô desta vez, se deu mais devagar, o romance não deslanchava, era um vai e vem de personagens fugindo dos sentimentos e indo parar em outro país (Michel parte de Londres para a Índia, quando ele volta, Francesca vai pra Escócia... Quando ele vai atrás dela na Escócia ela corre pra casa da mãe ... em Londres.... ufa. Haja cavalos! Ainda ficam nesse leva e traz por um tempão. Parece que fui influenciada pela enrolação do tempo, passei quase um mês pra terminar de ler, e quase desisto no meio... Teria me arrependido, deixando de lado todos os “não te amo” e “não te quero”, o romance fica perfeito! Michael, apaixonado desde sempre por Francesca, assume o controle e a história fica caliente e muito, muito interessante, principalmente quando eles estão na cama. Ai...ai..ai... que calor!


22.2.10


Niki é uma garota de 17 anos que gosta de curtir a vida ao lado de seus amigos, indo a clubes e festas. Alex é um publicitário de sucesso, de 37 anos, que, após ser abandonado por sua namorada, possui uma vida social restrita aos seus velhos amigos. Em uma movimentada manhã, Niki bate com sua moto no carro de Alessandro e este incidente marca o início de uma virada na vida de ambos.

Assisti esse filme ontem e adorei, não posso dizer que é o melhor filme que já vi, mas ele me atraiu pela simplicidade, se é que posso dizer isso. Alessandro é um homem com uma carreira de sucesso, um lindo apartamento e dinheiro de sobra que acabou de ser abandonado por sua noiva e Nikki é uma garota linda, muito romântica e que ao conhecer Alessandro não mede esforços para seduzi-lo, mesmo que não precise de tanto esforço assim. A polemica do filme é em cima da questão da diferença de idade, até que ponto uma diferença de 20 anos pode ajudar ou atrapalhar? Às vezes damos tanta atenção a quesito idade, cor, sexo ou qualquer outro tipo do chamado não convencional que às vezes esquecemos que o que realmente importa é a felicidade. Em alguns momentos a meu ver a Nikki foi mais madura que o próprio Alessandro, mas não posso culpá-lo de tudo, afinal ser adulto é esquecer que às vezes o caminho mais fácil está bem na nossa frente.

Recomendo esse filme e claro o Livro que estou louca para ler, se gostei do filme, tenho certeza absoluta que amarei o livro!

18.2.10


Paixões Perigosas
Barbara Delinsky

Após a morte de sua mãe adotiva, Chelsea Kane, trinta e seis anos, é consumida pela necessidade de descobrir a sua herança biológica. Fazendo uma pausa na sua carreira de arquitetura bem-sucedida, ela chega na cidade de New Hampshire, onde ela nasceu, determinada a descobrir a verdade, sua única pista uma chave de prata manchada.
Uma de suas primeiras descobertas, porém, é algo completamente inesperado: o irresistivelmente atraente Judd Street. Estimulado pelo amor e pela resolução, Chelsea lentamente começa a desvendar o mistério sombrio de seu passado. Mas quando ela começa a ficar centímetros mais perto da verdade, percebe que alguém está a tentando impedi-la, primeiro por assustá-la, então, tentando feri-la. O perigo aumenta até que uma noite terrível quando todos os segredos são expostos.



Não tenho muita intimidade com os livros  da Barbara, já li alguns, mas passaram tão batido que nem me lembro os titúlos. Paixões Perigosas me surpreendeu logo de cara, quem diria que eu iria gostar do mocinho que é um Capataz (essa palavra me lembra homens rudes e analfabetos, não sei porque). Bom, deixando meus "pre"conceitos de lado, o Judd é tudo de mais moderno. Tá, o romance dele e da Chelsea não prendeu muito minha atenção, em compensação o mistério envolvendo o nascimento de Chelsea foi outra história. Tenho que confessar que no meio do livro parei fui para as últimas páginas e li antes de mais nada, o pior que não adiantou de nada,  fiquei mais curiosa ainda pra saber como a autora tinha levado a história até aquele desfecho, tive que retornar de onde parei.  Grande trapaceira eu sou!!! Leio o final, volto tudo de novo e ainda conto que andei trapaceando. rsrs

11.2.10

A esposa Perfeita
Lynsay Sands


Grã-Bretanha, Idade Média

Uma mulher muito especial...

Quem olhasse para Avelyn não diria que ela estava tão ansiosa, apavorada mesmo. Esperava impressionar seu noivo no dia do casamento, mas qual seria a reação de Paen quando descobrisse que ela não era a mulher esguia e bem-feita de corpo com a qual ele certamente desejava se casar?

Paen Gerville sonhava com uma mulher voluptuosa e ardente, em cujos braços ele encontrasse refúgio e prazer depois de uma vida solitária dedicada às batalhas. No princípio, sua noiva não parecia prometer tais delícias, com as roupas discretas que lhe escondiam o corpo, e com a aparente fragilidade e timidez. Entretanto, ao vê-la de camisola na noite de núpcias, a imagem que Paen tinha de Avelyn mudou da água para o vinho... e ele sorriu, sedutor, antecipando as surpresas que o aguardavam nos braços daquela mulher, que era nada menos do que a esposa perfeita...

Nas minhas andanças pelos sebos eu encontrei esse livro e sua sinopse me chamou atenção, logo o separei para levar para casa e tenho que dizer a vocês eu adorei... Fazia certo tempo que eu não lia nada de banca, quanto mais clássico histórico, não sei se vocês já passaram por isso, mas eu sou de temporadas, temporada que só leio livros de livraria, temporada que só leio livros de banca e claro temporadas que não leio nada, essa ultima sempre dura pouco tempo, mas quando ela bate não tem quem faça eu ler nada, bem mas ultimamente estou numa fase de ler romances de banca e esse livro vai ficar marcado, por que eu ri muito lendo , ria tanto que algumas vezes minha mãe perguntava o que eu estava fazendo..rsrs

Avelyn tem um grande complexo com seu corpo e peso e sempre foi alvo de provocações por parte de seus primos e isso agravou ainda mais seus problemas de auto estima, ela está noiva e tem um temor secreto que seu noivo não irá gostar dela e claro se negar a casar, claro que o nosso mocinho esperto adora o corpo e todo o resto da sua futura esposa, mas convencê-la disso é que é o desafio.

Um livro super divertido, com pitadas de erotismo.
Recomendo!


Sombra da Lua - Nora Roberts.

Sombra da Lua
Nora Roberts


Numa cidade dominada pelo medo, uma figura solitária vestida de preto caminha pela noite, determinada a livrar a metrópole do pesadelo do crime. Nem balas, nem formalidades legais poderão impedir Nemesis de cumprir sua missão. Afinal, ele não é homem comum… e nada poderá detê-lo! A jovem e idealista procuradora Deborah O’Roarke representa a lei contra o crime. Os métodos pouco ortodoxos de Nemesis não a agradam, embora esse estranho justiceiro provoque nela um desejo obscuro… algo tão misterioso e inalcançável quanto o lado oculto da lua. Mas Deborah não imagina o quanto Nemesis está perto dela… Bem ao alcance dos olhos… e do coração!

Eu praticamente devorei esse livro, não que eu não devore a maioria dos livros que leio, mas esse eu simplesmente não conseguia parar de ler. Não temos grandes misterios quanto a identidade do Nemesis ou seu alter ego, o conflito nessa história é sobre aceitar os lados escuros de cada um e aprender a conviver com isso. Nemesis tem um dom(muito interessante) e o usa em beneficio de muitas pessoas, mas não pense que ele é um simples heroi, acredito que muito do que ele faz se baseia em vingança , em contrapartida a Nemesis que não acredita na "justiça dos homens" temos a idealista Deborah que acredita que apenas a justiça pode e deve punir. Então como duas pessoas que pensam tão diferente podem ficar juntas?

Na verdade é bem simples só precisarão deixar o coração os guiar.

8.2.10

Blogagem coletiva "Não ao Plágio"


A blogosfera literária unida vem através desta blogagem coletiva mostrar seu repúdio a aqueles que se utilizam dos textos alheios para se projetar na web.

O mundo virtual dos blogs é um espaço livre, de compartilhamento de ideias e opiniões, mas essa liberdade também deve ser norteada pelos princípios da ética e da camaradagem.

Infelizmente a ética e a camaradagem não têm sido respeitadas por algumas pessoas. Nos últimos dias tivemos conhecimento de que um dos blogs dedicados a falar sobre o universo dos livros o "Nossos Romances", foi quase que totalmente copiado. A proprietária (e nós também) vimos que além do layout do blog, vários textos foram simplesmente transplantados de um blog para o outro. A confirmação do plágio se deu a partir da comprovação que as mesmas resenhas publicadas no blog Nossos Romances, estavam publicadas aqui.








As blogueiras têm consciência de quando os textos estão inseridos na internet, há possibilidade de menções e cópias, mas o que não é admitido é ter os nossos textos copiados, sem a nossa autorização ou, pelo menos, um aviso de que o texto será reproduzido. A falta desse aviso é compreendido pelas blogueiras como uma simples cópia com o intuito de aproveitar-se da audiência e/ou sucesso alheio.

O caso do blog Nossos Romances que teve seu template e textos copiados, chegou a tal ponto que até o domínio .com.br foi registrado. A ação é considerada como plágio e a blogosfera literária repudia, abomina e em conjunto vai denunciar essa atitude.

3.2.10

A Sir Phillip com amor
Família Bridgerton 05

É possível apaixonar-se por alguém a quem não se viu nunca? Eloise e Phillip estão a ponto de descobri-lo. Ela, a pequena da família Bridgerton, vai a casa dele quando, depois de um ano de amizade por carta, recebe sua surpreendente oferta de matrimônio. Eloise está disposta a acabar com seu celibato, mas seu sonhado pretendente não encaixa com a imagem do homem que a espera: não só é rude e introvertido, muito diferente dos cavalheiros londrinos com quem está acostumada, mas sim - algo que esqueceu de mencionar em suas cartas- tem duas crianças de oito anos que, desde a morte de sua mãe, converteram-se em autênticos diabos. Mas Eloise é uma Bridgerton, e não se rende facilmente: não se criou com sete irmãos para deixar-se vencer agora por dois pequenos malcriados. Phillip, por sua parte, somente queria uma esposa e uma mãe para seus filhos, mas a aparição de Eloise lhe promete muito mais: um futuro cheio de paixão e emoções... e o final da vida tranqüila e sossegada que, até recentemente, confundia com a felicidade.

Esta escritora tem um jeito muito bem-humorado de escrever e há cenas engraçadas. Mas é uma historia delicada também. Apaixonei-me pelo mocinho.
É do tipo que gosto. E ele fica muito bom com a influência da mocinha, que sabe das coisas.
Chorei um bocado lendo este livro - Tá! eu choro com qualquer coisa , eu sei, mas a autora deu uma sensibilidade muito grande aos personagens. Uma história familiar, sem vilões e bruxas pra infernizar, só sentimentos contraditórios e pessoas orgulhosas. Adoro livros que expõe os sentimentos tanto da mocinha quanto do mocinho, a autora fez isso neste livro o que muito me agradou.
No livro anterior ( Seduzindo a Mr. Bridgerton) Eloise aparece como uma garota bisbilhoteira, engraçada, muito amiga de Penelope ( mocinha do referido livro) e que adora escrever cartas. E não podia conhecer Sir Phillip de outra forma a não ser pelas "benditas" cartas, o que vai gerar confusões e cenas engraçadas.

Gostei especialmente da carta que ela deixa para sua filha recém- nascida, me lembrou muito da minha mãe, que fazia poesias para mim desde quando soube que me esperava:

"Há tantas coisas que espero lhe ensinar, pequena. E espero fazê-lo pregando com o exemplo, mas também sinto a necessidade de pô-lo por escrito. É minha mania, uma que espero que descubra e lhe pareça engraçada quando ler esta carta.
Seja forte.
Seja aplicada.
Seja conscienciosa. E isso nunca se consegue escolhendo o caminho fácil. Exceto claro, quando o caminho já seja fácil por si. Às vezes, acontece. Em tal caso, não busque um novo mais complicado. Só os mártires vão procurar os problemas de maneira deliberada.
Queira seus irmãos. Já tem dois e, se Deus quiser, virão mais. Queira-os muito, porque levam seu sangue e quando duvidar ou tenha problemas, eles serão os que estarão a seu lado.
Ria. Ri muito e com vontade. E, quando as circunstâncias peçam silêncio, converte a risada em sorriso.
Não se conforme. Descobre o que quer e persegue-o. E se não souber o que quer, tenha paciência. Todas as respostas chegarão ao seu devido tempo e verá que seus desejos estiveram diante de você todo o tempo.
E recorda, recorda sempre que tem um pai e uma mãe que se querem e que lhe querem.
Agora mesmo está um pouco nervosa. Seu pai está fazendo uns ruídos muito estranhos e se não for à cama em seguida se vai zangar.
Bem-vinda ao mundo, pequena. Estamos todos encantados de conhecê-la."

Por que ela pode
Bridie Clark

Claire Truman passou cinco anos em uma grande editora como editora-assistente,esticando seu salário o máximo que podia para sobreviver. No entanto, sua vida está prestes a mudar miraculosamente. Após o trágico fim de um relacionamento,ela é arrastada pela melhor amiga para a inauguração de uma galeria, onde esbarra com o homem de seus sonhos da época da faculdade: Randall Cox.

Quando Vivian Grant, a tirana do mundo editorial, a chama na manhã seguinte, Claire se vê em um novo emprego, ganhando o triplo do salário anterior. Infelizmente a nova chefe é pior do que as fofocas do mercado a levam a imaginar. Telefonemas no meio da madrugada, pedidos impossíveis a qualquer momento do dia, explosões de raiva. Vivian a entulha de trabalho...e insultos. Agora que o trabalho de Claire exige cada vez mais, será que Randall continuará a ser seu príncipe encantado?

Achei bem bacana esse livro, quem nunca se viu no lugar de Claire querendo "matar" rsrs seu chefe tirano. Mostra um lado do meio editoral que eu desconhecia e para quem é aficcionado por livros eis uma excelente sugestão de ver como as coisas funcionam. Interessante também vermos que "aquele" príncipe encantando pode não ser tão encantado como achávamos ao princípio, e que a nossa felicidade pode estar ao nosso lado e não estamos vendo.

2.2.10

Seduzindo a Mr. Bridgerton
Familia Bridgerton 04

Durante toda a vida, Penélope Featherington foi uma presença quase invisível a que todos conhecem, mas ninguém põe atenção. Foi a todos os bailes da aristocracia de Londres, cada vez mais acostumada ao papel de moça calada, a quem ninguém tira para dançar a não ser pela insistência de alguma piedosa dama. Em seus vinte e oito anos, resignara-se a ser uma solteirona destinada a passar os dias cuidando de sua mãe. Mas de repente, um bom dia, começa a descobrir a força que pulsa em seu interior. Uma força que surpreende a todos, especialmente a Colin Bridgerton, o solteiro mais cobiçado da cidade, que durante toda sua vida considerou Penélope como uma irmã pequena. Mas como sempre acontece, quando se desata uma força longo tempo adormecida as consequências podem ser imprevisíveis.

Nos três primeiros livros da Saga da Família Bridgerton, Penélope e Colin já dão o ar da graça, ela sempre mencionada como o patinho feio e ele o solteirão mais cobiçado da época. A junção deste casal resultou um livro muito cativante. Adoro livros de patinhos feios, que viram cisnes e tal... neste a autora fugiu um pouquinho do clichê da garota dar uma reviravolta e ficar linda. A transformação dela se dá apenas nos “olhos apaixonados” do Colin, depois de anos, ele começa a vê-la totalmente diferente e descobre uma beleza muito profunda. Não posso deixar de comentar que a maior fofoqueira de Plantão dos anos de 1813 a 1824 é descoberta. Consegui sobreviver à curiosidade, juro que passei maus bocados tentando adivinhar quem era Lady Whistledown. Posso contar aqui quem é ? Posso? Posso?

Hum... acho melhor não. Vou deixar vocês curiosos como eu fiquei.

Vai ser meu exercício para obter controle emocional. Kkk

Deixo aqui só um pouquinho do livro:

..."E então compreendeu que Daphne tinha razão. Seu amor não foi como um raio caído do céu. Começou com um sorriso, uma palavra, um olhar brincalhão. Com cada segundo passado em presença dela, foi aumentando até chegar a esse momento, em que de repente soube.
Amava-a."
“Agarrou-lhe o rosto entre as mãos, olhando-a como se fosse a criatura mais maravilhosa que tivesse pisado na Terra.
-Amo-o -sussurrou ela-. Amei-o anos e anos.
-Sei -disse ele, surpreendendo-se a si mesmo.
Sabia, pensou, mas talvez separasse isso de sua mente porque seu amor o fazia sentir-se incômodo. É difícil ser amado por uma jovem decente e boa quando não corresponde a seu amor. Não podia deixá-la de lado porque gostava dela e não teria podido perdoar-se caso lhe pisoteasse as emoções. E não podia paquerar com ela, por esses mesmos motivos.
E portanto se dizia que o que ela sentia não era amor. Era-lhe mais fácil tentar convencer-se de que ela estava simplesmente encarrapichada com ele, que não entendia o que era o verdadeiro amor (como se ele o tivesse sabido!), e que finalmente encontraria outro e se estabeleceria em uma vida feliz e satisfeita.
Ao chegar a esse pensamento, que ela poderia haver-se casado com outro, ficou quase paralisado pelo medo. Estavam deitados lado a lado e ela o estava olhando com o coração nos olhos toda seu rosto vibrante de felicidade e satisfação, como se por fim se sentisse livre, por ter dito as palavras. E notou que em sua expressão não havia nenhum traço de espera. Não lhe havia dito que o amava com o fim de ouvir sua resposta.
Nem sequer esperava sua resposta.
Havia-lhe dito que o amava simplesmente porque quis. Porque isso era o que sentia.
-Eu também a amo -sussurrou, e apertou os lábios sobre os e ela em um intenso beijo.
Depois se afastou um pouco para lhe ver a reação.
Penelope o olhou um longo momento em silêncio. Finalmente engoliu em seco, de modo estranho, convulsivo, e disse:
-Não tem por que dizer isso só porque eu o disse.
-Sei - respondeu ele sorrindo.
Ela se limitou a olhá-lo, dilatando os olhos, o único movimento de seu rosto.
-E você também sabe isso - disse ele docemente-. Acaba de dizer que me conhece melhor que a si mesma. E sabe que eu nunca teria dito essas palavras se não as dissesse a sério.
E então aí, nua na cama dele, envolta em seus braços, Penelope compreendeu que sim sabia. Colin não mentia, não mentia em nada importante, e não podia imaginar-se nada mais importante que o momento que estavam compartilhando.
Ele a amava. Isso não era algo que tivesse esperado, nem algo que se permitia reconhecer jamais, e entretanto aí estava, como um resplandecente milagre em seu coração.
-Tem certeza?-perguntou.
Ele assentiu, estreitando-a mais em seus braços.
-Compreendi-o esta noite, quando lhe pedi que ficasse.
-Como...?
Não pôde acabar a pergunta, porque nem sequer sabia qual era a pergunta. Como sabia que a amava? Como ocorreu? Como o fazia sentir-se? Mas ele deve ter entendido que não sabia como formular a pergunta, porque respondeu:
-Não sei. Não sei quando, não sei como e, para ser sincero, não me importa. Mas sei que é certo; amo-a, e me detesto por não ter visto seu verdadeiro ser em todos estes anos.
-Colin, não - suplicou ela-. Nada de recriminações. Nada de pesares. Não esta noite. Mas ele sorriu, lhe colocando um dedo sobre os lábios para silenciar sua súplica.
-Não acredito que tenha mudado - disse-, ao menos não muito. Mas então um dia percebi de que via algo diferente quando a olhava. -encolheu os ombros-. Talvez mudei. Talvez cresci.
Colocou-lhe um dedo nos lábios, silenciando-o tal como fizera ele com ela.
-Talvez eu cresci também.
-Amo-a - disse ele, inclinando-se para beijá-la.”