Menu

23.10.10

Mentes Roubadas - Roberto Campos

MENTES ROUBADAS – ROBERTO CAMPOS PELLANDA

Nas últimas semanas, doze pessoas foram sequestradas na cidade de São Paulo. As vítimas não sofreram nenhum tipo de violência, não foram roubadas e estiveram desaparecidas por apenas algumas horas.

Um rapaz que sofre de uma forma grave de esquizofrenia catatônica e que há décadas é incapaz de mover ou comunicar-se, desaparece misteriosamente da clínica psiquiátrica de máxima segurança onde estava internado.

Os dois casos estão intimamente ligados e levarão os detetives Paulo Westphalen e Miguel D’Andrea a desnudar uma conspiração que envolve duas grandes corporações multinacionais, a ditadura militar brasileira e, principalmente, um dos projetos mais obscuros da história da agência central de inteligência americana, a CIA.

Mentes roubadas me surpreendeu. Como já disse uma vez, não sou muito fã de literatura brasileira, mas os autores brasileiros que vem surgindo estão quebrando esse meu preconceito.

Com uma narrativa envolvente e cheia de mistérios, mentes roubadas conseguiu prender minha atenção do começo ao fim. Não larguei o livro até o caso ser solucionado e quando enfim minha curiosidade foi satisfeita, eu ainda fiquei pensando numa possível continuação, tipo aqueles filmes que mesmo quando tudo está resolvido você ainda fica com uma pulguinha atrás da orelha, pois é, estou assim até agora. Coisas de minha imaginação extremamente fértil.

O cenário central da história é a cidade de São Paulo. Os detetives Paulo e Miguel são chamados para investigar o desaparecimento de um rapaz esquizofrênico de uma clínica de alto padrão que desapareceu sem deixar nenhuma pista. À medida que os acontecimentos vão se desenrolando, alguns segredos vão sendo revelados e por conseguinte podem ser relacionados com outro caso de desaparecimento que estes já investigavam. O envolvimento da CIA e de duas multinacionais só acrescentam mais suspense num caso estranho e cheio de mistérios que parecem não fazer sentido algum.

Em alguns momentos a história me fez lembrar um livro do Pedro Bandeira (Autor Brazuca que amo!) e que eu li há muito tempo atrás. O livro mostra, de forma sutil, a sociedade atual que se deixa ser controlada pelos meios de comunicações.

Outro detalhe que quero mencionar é o fato de a história toda se desenvolver em uma semana. Aconteceram tantas coisas nesta semana que quando terminei de ler o livro, jurava que tinha se passado um mês. Mas isso não diminuiu em nada o entendimento e desenvolvimento da narrativa. Pelo contrário o autor está de parabéns, pois já li muitos livros em que o autor se perde quando tenta dá uma acelerada na história.

Um agradecimento especial a nossa parceira a Editora Porto de Idéias pela oportunidade que nos concede de ler autores brasileiros tão bons!!!


21.10.10

Coração Apaixonado - Chelsea Cain

CORAÇÃO APAIXONADO – CHELSEA CAIN

"Esta é uma história de amor na medida em que estas duas pessoas têm obsessão uma pela outra. Não é saudável. Não é romântica. Mas há nela uma intimidade que é semelhante ao amor, ou ao que se entende por amor em relacionamentos manipuladores, violentos, terrivelmente conturbados". Chelsea Cain.

Quando uma jovem garota é encontrada morta em Forest Park, Portland, Archie imediatamente relembra da última vez que encontrou um corpo naquele lugar. Isso foi há mais de uma década atrás e era então a primeira vítima da Beleza Mortal. A princípio, o novo assassinato nada tem a ver com Gretchen, que está presa. Mas a investigação começa a tomar novos rumos depois que a repórter Susan Ward descobre a identidade da jovem e a suposta ligação desse crime com importantes figuras do governo. Porém ocorre um imprevisto, o que dá uma nova dimensão ao caso, que está novamente nas mãos de Archie: Gretchen Lowell finalmente escapou da prisão!!!

A essa altura, o detetive já não consegue se concentrar em outra coisa além de sua obsessão por Gretchen, que ele não vê desde que se mudou de volta para a casa onde vivia com a esposa e os filhos. Seus esforços para reconstruir a vida familiar não são mais fortes do que as marcas deixadas pelos dez dias de tortura nas mãos da psicopata.

Em Coração Apaixonado, o detetive precisará, de uma vez por todas, encontrar um meio de eliminar a ameaça que a serial killer representa para a comunidade local, para a sua sanidade e de sua família. Mesmo que para isso seja preciso oferecer a si próprio em sacrifício, o que não seria uma má idéia se isso lhe permitisse saciar a paixão que sente.

Archie está tentando voltar à normalidade, diminuindo o número de remédios que toma, tentando parar as visitas a Gretchen. Mas como eu já havia dito antes a Obsessão dele por ela é tão grande que ele não tenta de fato, ele finge para os outros. Quando Gretchen foge da prisão, Archie fica desesperado achando que nunca mais vai vê-la. Acho que todos que leram o primeiro livro perceberam a tensão sexual que existia entre Gretchen e Archie e nesse segundo livro chegou a um ponto aonde “ou vai ou racha”. E no caso do casal é “vai” mesmo!!!

Archie está cada vez mais perdido em seus devaneios, ora divagando pensando na Gretchen, ora se recriminando. Quando resolve consumar o seu desejo também se recrimina, mas depois esquece e aproveita como ele mesmo disse:

“Nada tinha a perder, se era para ser pecador, que desfrutasse então do pecado”.

Chelsea revelou algumas coisas sobre o relacionamento do casal que só deixava “subentendido” no primeiro livro.

A resolução dos crimes nesse livro é tão dinâmica que você se pega voltando às páginas e se perguntando se entendeu realmente o que estava escrito. O Final é eletrizante!!!!

Este é o segundo livro da Trilogia de Archie e Gretchen, depois de terminar a leitura do livro passei o resto do dia pensando qual será o desfecho desse caso! Sério já imaginei vários finais, mas com certeza a Chelsea vai surpreender a todo mundo mais uma vez.

Espero ansiosa pela chegada de Coração Maligno.


Fazendo meu Filme – A estréia de Fani – Paula Pimenta

image

Fazendo meu Filme – A estréia de Fani.

Paula Pimenta

Tudo muda na vida de Fani quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio e morar um ano em outro país. As reveladoras conversas por telefone ou MSN e os constantes bilhetinhos durante a aula passam a ter outro assunto: a viagem que se aproxima.
"Fazendo meu filme" nos apresenta o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em um outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades.

Eu comprei esse livro em abril quando a Paula veio a Bienal do livro no Ceará, mas somente ontem tirei da estante para ler. Não sei dizer por que demorei tanto para ler, pois ele tem uma capa linda e sua sinopse me chamou atenção desde o início. Tenho como regra não me forçar a ler livro nenhum, coloco todos estante e todo dia olho para eles até que o dia certo chega e tenho que tirar da estante e devorar.

Fazendo meu filme me levou de volta aos meus tempos de colégio, me fez lembrar de pessoas que fizeram parte dessa fase tão importante da minha vida e que por um motivo ou outro seguiram caminhos diferentes do meu. Esse livro me emocionou, irritou, divertiu e me deixou só um pouquinho triste, afinal fiquei com saudades de um tempo maravilhoso.

Fani tem 16 anos e dois grandes amigos. Gabi é uma garota muito original e a melhor amiga que Fani poderia desejar, Leo é um amigo como poucos que temos na vida, presente, gentil, protetor e muito bonito. Fani tem sua rotina alterada depois que decide fazer uma prova de intercâmbio, se ela passar irá passar um ano estudando fora do país e longe de seus amigos. Leo começa a agir estranho e Fani não tem idéia do motivo, mas Gabi irá fazer de tudo para abrir os olhos de certa menina.

Esse livro me fez lembrar momentos maravilhosos e por isso agradeço a Paula por ter escrito um livro tão especial. Recomendo para todas as idades e tenho certeza que todos irão amar, assim como eu.

Logo irei ler a continuação e tenho certeza que vou adorar! A Paula está lançando o terceiro livro da série e em dezembro virá até Fortaleza, com certeza irei comprar o livro, agora que conheci a Fani me sinto como se fossemos amigas.

Abaixo a capa dos outros livros da Paula.

                           image image


20.10.10

Reencontro Mortal – J.D. ROBB

Reencontro Mortal 

J.D. ROBB (Nora Roberts)

Exatamente às 19h30, Walter Pettibone chegou em casa e encontrou mais de cem amigos e familiares que gritaram em uníssono: “Surpresa!”. Era seu aniversário. Embora há várias semanas ele já suspeitasse de que uma festa estava sendo organizada, a verdadeira surpresa ainda estava por vir. Às 20h45, uma ruiva com olhos cor de esmeralda lhe entregou uma taça de champanhe. Um único gole do líquido borbulhante o fez cair morto.
O nome da mulher era Julie Dockport. Ninguém na festa a conhecia, mas a detetive Eve Dallas lembrava perfeitamente quem ela era. Eve fora a responsável por colocar Julie atrás das grades há quase dez anos. Agora, apesar de ter sido libertada por bom comportamento, ela definitivamente não está bem-intencionada. E, ao que tudo indica, quer se ver mais uma vez frente a frente com a tenente Dallas, num reencontro que nenhuma das duas... jamais esquecerá.

Desde que tive o prazer de descobrir essa série sempre fico ansiosa para ler as continuações. Esse é o décimo quarto livro da chamada série mortal da autora Nora Roberts que escreve com o pseudônimo J.D RoBB.

O que mais me agrada nessa série é a continuidade da relação entre o casal Eve e Roarke. Em cada livro somos apresentados a uma nova nuance da relação dos dois. Tanto Eve quanto Roarke são personagens fortes e ativos então o que não falta nessa série e principalmente nesse livro são discussões acirradas entre duas cabeças duras que mais que qualquer coisa se amam muito.

Neste livro não temos suspense sobre quem é a assassina. Após sair da prisão ela só tem um objetivo: Destruir Eve Dallas e sabe que a melhor forma de fazer isso é matando o amor da sua vida. A parte policial do livro é fantástica, tão bem construída e detalhada que é impossível largar o livro até chegar ao fim.

Quando a Barbara do blog In Death me disse que esse é um dos melhores entre os trinta e sete que compõe a série (até agora)  fiquei ainda mais ansiosa para ler, após ter lido tenho que concordar com ela.

Agora fica a ansiedade para o próximo livro que infelizmente ainda não tem previsão de lançamento (rezando para sair ainda esse ano), mas assim que sair irei comprar em seguida.

Se você gosta de romance policial e ainda não conhece essa série não sabe o que está perdendo.

Nota 1000.