Menu

10.4.13

Os Doze - Justin Cronin

 

OS_DOZE_1360859215B

O maior problema em se ter grandes expectativas sobre algo, é que dificilmente a realidade é como você imaginou.

Quando li “A Passagem” em 2010 fiquei estarrecida em saber que a continuação só seria lançada em 2012/2013, mas não havia nada que eu pudesse fazer além de imaginar milhões de possibilidades e caminhos que o autor poderia tomar na criação da sequencia de um dos melhores livros que já tive o prazer de ler. Quando finalmente recebi “Os Doze”, deixei de lado tudo que estava lendo e caí de cabeça na história.

Cinco anos depois de “A Passagem” voltamos a encontrar nossos velhos amigos, muita coisa aconteceu, e aos poucos somos reapresentados a cada um. Comecei a ler achando que o autor iria conduzir a história de uma forma, mas estava totalmente enganada. Novos personagens são inseridos, novas histórias contadas e mesmo que você acha que nada tem ligação com nada, está completamente enganado. No final, ele consegue amarrar as pontas e nos deixa ainda mais curiosos em relação ao que mais pode acontecer.

Demorei a concluir a leitura deste livro, talvez porque a história não estivesse seguindo o rumo que eu queria, ou porque terminar a leitura significasse esperar até 2014/2015 para ter o desfecho final da série, ou ainda, porque em alguns momentos fiquei confusa com a imensidão de informações jogadas em mim, muitas vezes precisava parar e reler algumas partes para chegar ao entendimento necessário para continuar a leitura.

Justin Cronin é mestre em surpreender o leitor, jamais imaginei um final como aquele, se é que posso chamar de final, ainda temos o terceiro livro pela frente. Terminei a leitura com a sensação desagradável de ter sido enganada, minhas ideias e pretensões caídas por terra. Continuo ansiosa em saber o final reservado a cada personagem, mas aguardarei sem criar expectativas alguma, já aprendi que expectativa demais atrapalha minha leitura.

Vocês notaram que não falei quase nada sobre o enredo? Bem, não vou falar mesmo, esse é o tipo de livro que precisa ser lido, relido e finalmente entendido.

Ainda que esse livro não tenha sido tão bom quanto o primeiro, ele ainda é muito bom, despertou em mim diversos sentimentos diferentes. Em alguns momentos eu ria, em outros chorava. Fiquei de luto por vidas desfeitas e sonhos destruídos, fiquei ansiosa nos momentos de perigo e fechei os olhos para não precisar encarar certas verdades, só por isso, Justin Cronin continua sendo um dos melhores autores que já li.

Sinopse

Em A passagem, doze prisioneiros sentenciados à morte foram usados em um experimento militar que buscava criar o soldado invencível. Mas a experiência deu terrivelmente errado. Um vírus inoculado nas cobaias acabou com qualquer resquício de sua humanidade e elas fugiram, matando ou infectando qualquer um que cruzasse seu caminho. Os infectados se tornavam virais obedientes a seu criador, mais um de seus Muitos. No caos que se formou, a única chance de sobrevivência para a espécie humana eram fortificações altamente protegidas. Assim se formou a Primeira Colônia, um reduto a salvo dos virais, mas isolado do resto do mundo. Noventa e dois anos depois, uma andarilha surgiu às portas da Colônia. Era Amy Harper Bellafonte, a Garota de Lugar Nenhum, aquela que iria liderar um grupo de colonos e... Agora, cinco anos após ter cruzado as Terras Escuras em busca de respostas e salvação, seu grupo está separado. Cada um seguiu seu caminho, mas seus destinos logo voltarão a se cruzar, num embate definitivo contra uma ameaça mortal. Fanning, o Zero, aquele que deu origem ao apocalipse, tem planos para refazer o grupo dos Doze e conta com um aliado poderoso, disposto a qualquer coisa em nome da própria imortalidade. Segundo livro da trilogia A passagem, Os Doze nos faz questionar a mente humana, os avanços científicos e a busca do poder que leva a uma certeza sombria de nossa capacidade para o mal. Mas, acima de tudo, ele reforça nossa esperança em uma humanidade que se adapta, sobrevive e não se rende.

Livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/243126


7 comentários:

  1. Um dia tomo coragem e leio A Passagem!
    São tantas impressões maravilhosas que chega a doer olhar para ele na estante e não começar a leitura imediatamente. Vontade não falta, mas me falta TEMPO.

    ADOREI A FORMA QUE VOCÊ ESCREVEU SUA RESENHA, SEM CONTAR NADA MAS MESMO ASSIM, CRIANDO A MAIOR EXPECTATIVA NO LEITOR.
    Ainda leio, um dia...

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ju.
    Estou ansiosa para conferir este livro, mas sem altas expectativas, já que aprendi há muito não ficar assim, porque sempre saio frustrada.
    Preciso comprar, mas ainda esperando uma promoção.
    Você me deixou receosa agora. Será que vou me decepcionar?
    No primeiro, fiquei perplexa e a história ficou permeando minha mente por muito tempo.
    Preciso ler para tirar minhas próprias conclusões.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. oie ju essa é a primeira resenha que leio desse livro e parece ser muito interessante, minha mãe ia gostar!

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li nem tenho o primeiro livro... Mais quando li a sinopse de "Os doze" fiquei super curiosa com a história... vontade de conhecer mais... acho q qdo surgir uma oportunidade comprarei p/ ler.

    ResponderExcluir
  5. Não conheço a escrita desse autor.
    E essa temática não me agrada muito sabe...

    Quando sai o resultado da surpresa de março?

    ResponderExcluir
  6. Terminei de ler Os Doze, e simplesmente adorei, foi surpreendente como se desenrolou a derrota dos Doze, nunca imaginei que poderia ser dessa forma e fico aguardando ansiosa pelo ultimo livro da trilogia, quado acontecera a batalha final entre Amy e o Zero.

    ResponderExcluir
  7. Não despertou muito minha curiosidade. Talvez pq não seja o tipo de leitura ao qual eu estou habituada. Mas parece ser interessante. Se eu conhecesse o primeiro livro talvez gostasse mais desse.

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.