Menu

13.9.13

Novidades de Setembro – Editora Arqueiro.

Livrai-nos do Mal

A vida de Shaw se resumia a seu trabalho como agente secreto, até que ele se apaixonou por Anna. Porém, seus planos de casamento são arruinados quando ela morre em um atentado. Ainda de luto, ele aceita uma missão para driblar a dor da perda.Aparentemente, o novo inimigo de Shaw é apenas um magnata bem-sucedido. Mas, por trás de seu império, Evan Waller esconde uma operação de tráfico de mulheres. Buscando aumentar sua fortuna, ele começa a investir em um negócio que pode matar milhões de pessoas. Para impedi-lo de disseminar o terror, Shaw é mandado à região da Provence, onde o empresário passará as férias. É ali que seu caminho se cruza com o de Reggie Campion, uma jovem sedutora que está a serviço de um grupo de justiceiros. Treinada para matar, ela quer livrar o mundo de mais um genocida. Seu alvo é Fedir Kuchin, um ucraniano que fugiu para o Canadá e começou uma nova vida sob o nome de Evan Waller. Sem saber que caçam a mesma pessoa, Shaw e Reggie tentam descobrir a identidade um do outro e travam uma batalha de charme e astúcia que os levará a uma atração indesejada. Lutando para não cair em tentação, os dois se veem diante de um adversário ardiloso, que não será vencido com facilidade. Neste segundo livro da série de Shaw, David Baldacci constrói uma trama bem elaborada que revela o mal à espreita dentro de cada pessoa.

Lições do Desejo

Atraente, sutil e tentador, lorde Elliot Rothwell é um homem acostumado a fazer sucesso entre as mulheres e a conseguir tudo o que deseja delas. Mas isso não se aplica a Phaedra Blair. A brilhante e exótica editora não parece disposta a ceder a seu pedido e cancelar a publicação das memórias de um membro do Parlamento que podem manchar o nome da nobre família Rothwell. A pedido de seu irmão mais velho, o marquês de Easterbrook, Elliot vai a Nápoles para negociar com Phaedra. Historiador de renome e autor de livros respeitados, tudo indica que ele seja a pessoa ideal para a tarefa. Porém, em vez de encontrar a bela mulher descansando à beira do mar Tirreno, Elliot descobre que ela está presa por causa de uma acusação injusta. Graças ao prestígio da família, o nobre consegue libertá-la, mas também se torna responsável por ela até voltarem à Inglaterra. Percorrendo juntos uma das regiões mais belas e românticas da Europa, eles vão descobrir que discordam de quase tudo o que o outro pensa ou faz – exceto o que fazem juntos na cama. E, nessa aula de prazer, será cada vez mais difícil saber qual dos dois tem mais a ensinar.

Dançando Sobre Cacos de Vidro

Lucy Houston e Mickey Chandler não deveriam se apaixonar. Os dois sofrem de doenças genéticas: Lucy tem um histórico familiar de câncer de mama muito agressivo e Mickey, um grave transtorno bipolar. No entanto, quando seus caminhos se cruzam, é impossível negar a atração entre eles.
Contrariando toda a lógica que indicava que sua história não teria futuro, eles se casam e firmam – por escrito – um compromisso para fazer o relacionamento dar certo. Mickey promete tomar os remédios. Lucy promete não culpá-lo pelas coisas que ele não pode controlar. Mickey será sempre honesto. Lucy será paciente.
Como em qualquer relação, eles têm dias bons e dias ruins – alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passar adiante sua herança genética.
Porém, em seu 11° aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado. De uma hora para outra todas as regras são jogadas pela janela e eles terão que redescobrir o verdadeiro significado do amor.
Dançando sobre cacos de vidro é a história de um amor inspirador que supera todos os obstáculos para se tornar possível.

 


12.9.13

Arte Audiovisual : Persuasão


A maioria dos nossos leitores vem aqui buscar indicações e saber nossa opinião sobre certos livros. Nossa paixão pela palavra escrita, nos une e nos mantém informados sobre todo o universo literário. Meus maiores e melhores amigos foram conquistados através de um grupo de livros. Ah! Os livros! Meus amigos de infância e da adolescência. Quem já não teve aquele amor platônico na adolescência… aquele alguém impossível? Enquanto os das minhas amiguinhas eram seus professores ou pessoas inalcansáveis, o meu era de papel e me amava da mesma forma que eu a ele. Sempre foram de grande importância na minha história, mas dividem espaço com uma outra paixão: Os Filmes! A arte audiovisual me fascina! Nada mais belo do que ver as palavras que antes eram só lidas, transformadas em algo com voz e rosto. Amo as adaptações de livros, embora os livros quase sempre sejam melhores, amo as novas histórias, novos romances, novos dramas. E gostaria muito de dedicar um espaço aqui no blog para compartilhar minha paixão. Vamos começar nossa coluna “ A Arte Audiovisual” com um clássico?


Persuasão.


Escrito por volta de 1816 pela escritora britânica Jane Austen. Seu título original é Persuasion, foi o último romance completo escrito por ela e é uma obra póstuma, só foi lançado em 1818, sendo que Jane faleceu em 18 de julho de 1817.
O livro foi adaptado pelo menos umas quatro vezes:
1960: Persuasion, minissérie da BBC estrelando Daphne Slater como Anne e Paul Daneman como Capitão Wentworth.
jafilmp1960

Não assisti essa versão, de acordo com o shmoop.com esta foi a  primeira adaptação de uma minissérie da BBC, e possívelmente  foi destruída quando a BBC limpou seus armários na década de 1970.


1971: Persuasion, minissérie da BBC estrelando Anne Firbank como Anne e Bryan Marshall como Capitão Wentworth.

MV5BMjU0NDQ1OTMzOF5BMl5BanBnXkFtZTcwMjczODUyMQ@@._V1_SY317_CR5,0,214,317_


Nunca vi esta versão a até agora não encontrei nenhuma informação de sites ou locadora que tenham essa minissérie disponível. No youtube e em alguns sites é possivel assistí-lo em inglês e sem legendas



1995: Persuasion, filme feito para TV (realizado pela Sony Pictures Classics), estrelando Amanda Root como Anne e Ciarán Hinds como Capitão Wentworth.
Persuasion
Terceira adaptação feita  sobre o livro e a primeira para a TV, arrecadou cerca de $5,462,325 nos Estados Unidos e nunca chegou nas telinhas Tupiniquins. Particularmente, só ouvi falar desse filme esses dias e corri para vê-lo. Não achei uma versão tão boa quanto a de 2007 ( tenha calma! Falo já dessa), mas não é de todo ruim. Até por que para estragar uma história da Jane tem que ser uma película mediocre ao extremo.  Não vou catalogar a diferença entre livro e suas versões cinematograficas, por que não sou muito boa em prestar atenção nesses detalhes, não sendo um disparate tão grande eu vou gostar. Minha maior dificuldade aqui foi aceitar a escolha dos atores principais e a falta de mostrar, através dos olhos, aquela paixão enrustida que acho que nestes personagens, especificamente,  é obrigatório. E o final, que não vou contar, destoou bastante de todas as versões conhecidas e a licença poética deixou a desejar.
2007: Persuasion, filme feito para TV, filmado em Bath em setembro de 2006 pela ITV1, com Sally Hawkins como Anne, Rupert Penry-Jones como Capitão Wentworth.


Vamos falar da quarta e última versão realizada que é também a minha   queridinha. Todo o carisma que faltou aos atores da versão de 1995, veio parar na de 2007. Sally Hawkins e Rupert Penry-Jones, encarnam Anne e o Capitão Wentworth divinamente bem. O amor e o ressentimento guardado por 08 anos saltam aos olhos. Diferentemente da versão de 1995 onde Anne “entra muda e sai calada” , neste ela consegue expressar em palavras todo amor que ficou guardado e o beijo de reconciliação é a cena mais comovente e sensível do filme.
Persuasão recebeu uma nomeação para Melhor Drama no 2007 Prix Itália. Por sua interpretação de Anne Elliot, Hawkins foi nomeada Melhor Atriz no Royal Society Television Awards e ganhou o melhor desempenho por uma atriz em um prêmio de Cinema e Televisão no Festival de Televisão de Monte-Carlo.  Penry-Jones foi  nomeado para Melhor Performance de um Ator em Cinema e Televisão.
E você conhece alguma outra versão? Já assistiu alguma das citadas? Tem algum filme para sugerir para a minha coluna? Deixe seu comentário, vai ser de grande valia.
Fonte: Wikipedia

10.9.13

Liberta-me - Tahereh Mafi

LIBERTAME_1363575158P

Liberta-me é o segundo livro da série, vou começar dizendo que supera muito o primeiro. Enquanto em “Estilhaça-me” somos introduzido aos costumes condizente com a realidade vivida por Juliette, nesse nos aprofundamos na história. Somos apresentados a novos personagens, revemos velhos amigos e damos de cara pela primeira vez com o “grande” inimigo.

No começo fiquei irritada com Juliette e sua mania de isolação, claro que a moça tem seus motivos, mas juro que tinha vontade de gritar boas verdades, quem sabe assim ela perceberia que para ser feliz é necessário coragem e confiança. A autora conseguiu criar personagens complexos, envolventes e dúbios, afinal em alguns momentos a divisão entre certo e errado não são facilmente discernidas.

Adam ficou em segundo plano na história, ainda que esteja presente em quase todos os momentos, Juliette terá que lidar com muitos mais que Adam, ela precisa decidir se está disposta a lutar de verdade pela liberdade. As cenas de ação são poucas, mas intensas. Quando ela começa a descobrir a totalidade de seus poderes, somos surpreendidos com o quanto ela é capaz. O legal é que a autora misturou vários poderes, tornando Juliette a maior arma dessa guerra, mas o psicológico da garota é sua maior fraqueza.

Eu prometi a mim mesma que não falaria de Warner, mas gente, eu não consigo me segurar! Suspirei muito em algumas cenas, sem falar quando perdi totalmente o fôlego, a tensão entre esses dois personagens é palpável no decorrer do livro, tive a sensação que as páginas pegariam fogo em alguns momentos. Eu sei que não gosto de triângulos amorosos, mas também não me decidi com quem devo ficar, ops, Juliette deve ficar.

Agora fica a ansiedade pelo próximo volume, espero que seja publicado rapidamente, não vejo a hora de reencontrar velhos amigos/inimigos.

Sinopse

Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi. Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette. Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor. A bela escrita de Tahereh Mafi está de volta ainda mais vigorosa e extasiante.

Livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/309872