Menu

8.11.13

Trilogia Peça-me o que quiser ( Pídeme lo que quieras) – Megan Maxwell

Trilogia_Er_tica_Pe_a_me_o_que_quiser
Sinopse:
Peça-me o que quiser ( Pídeme lo que quieras)
Primeiro volume de uma trilogia, Peça-me o que quiser, da escritora espanhola Megan Maxwell, é um romance sobre desejo, paixão e erotismo sem limites.  Com tempero latino e uma abordagem excitante, a autora conta a história da secretária espanhola Judith Flores e seu chefe, o alemão Eric Zimmerman, também conhecido como Iceman: um homem muito sério e com os olhos azuis mais intensos e sexies que ela já viu. Recém-chegado ao comando da empresa Müller, antes dirigida por seu pai, Eric tem uma atração instantânea pelo jeito divertido de Judith e exigirá que ela o acompanhe nas viagens de trabalho pela Espanha. Mesmo sabendo que está se metendo numa situação arriscada, a ideia de estar ao lado de Iceman é irresistível. Com ele, a jovem viverá experiências sexuais até então inimagináveis, em um universo de fantasias eróticas pouco convencionais. Conciliando sexo e romantismo na medida exata, Peça-me o que quiser é uma história de amor cheia de encontros e desencontros, na qual os jogos eróticos, o voyeurismo e o desejo de ultrapassar todos os limites do prazer são os grandes protagonistas.
Peça-me o que quiser agora e sempre (Pídeme lo que quieras ahora y siempre)
Decidida a se afastar para sempre de Eric Zimmerman, Judith pede demissão da empresa Müller. Para se recuperar, decide se refugiar por um tempo em Jerez, com seu pai. Desesperado com a partida de Judith , Eric vai atrás de seu amor. Ela resiste o quanto pode, mas a atração entre eles continua forte, e as fantasias sexuais mais vivas do que nunca. Em Peça-me o que quiser agora e sempre, Judith terá que tomar a decisão mais difícil de sua vida. O que ela realmente quer? Viver sua paixão é tudo o que importa?
Peça-me o que quiser ou deixe-me (Pídeme lo que quieras o déjame)
No último volume da trilogia, os protagonistas lutam para preservar sua relação. Judith está adorando ter o Iceman só para ela, e os jogos eróticos dele continuam lhe dando prazer; Eric se sente o homem mais feliz do mundo e não pode imaginar sua vida sem seu grande amor. Mas os ciúmes e a superproteção do alemão são motivos de constantes brigas — Judith já não está tão certa sobre o futuro da relação. Com Peça-me o que quiser ou deixe-me, Megan Maxwell conclui uma das sagas eróticas mais populares da Espanha
****
Uns amam, outros odeiam!!
É meus caros colegas cá estou pra falar da tão polêmica trilogia Peça-me o que quiser, capaz de despertar amor em alguns e o mais ferrenho ódio em outros. Devo confessar que eu me enquadro lindamente na última categoria. Então vamos começar logo os trabalhos!!

d794a69d
Bom, estava eu lá em um dia de tédio reclamando pras amigas da falta de coisas interessantes pra ler, que queria alguma coisa diferente, alguma leitura HOT HOT HOT. Quando Camila Rocha, minha queridíssima companhia daquela tarde, me empresta o livro ‘Peça-me o que quiser’ que ela tinha acabado de receber na Saraiva. Claro que eu aceitei de boa!!!
Pausa para a reação quando a louca aqui pegou o livro e leu a sinopse:
ansioso-gif-bcq
Mas foi só começar os primeiros capítulos que eu percebi que toda a expectativa foi em vão, achei tudo muito mais do mesmo, corrigindo a mocinha e o mocinho eram mais do mesmo, o tema em si não. Quer dizer como já tinha lido alguns outros livros que descrevem cenas de Swing nada foi assim uma grande novidade, mas achei legal a iniciativa da Editora Suma trazer um livro adulto sem abordar o tema BDSM.
Ao terminar ‘Peça-me o que quiser’ fiquei sem saber se tinha gostado ou não, o livro na falta de uma palavra melhor ficou classificado como “sei lá”. E como burrice e idiotice pouca é bobagem, a lerda aqui vai atrás dos livros em espanhol pra ler (desenterrei o dicionário e caprichei no portunhol), porque precisava saber se a coisa continuava sem nexo nos outros livros. E sim caros colegas, is the same shit!!
Beyonce-Gif-beyonce-26277022-480-270
Como em sã consciência uma autora consegue criar uma mocinha tão infantil, tão imatura, estúpida, capacho e volátil me foge a cabeça, já vi muita mocinha em YA e NA mais madura que a dessa trilogia, sem contar que esse Sr. Iceman é um tremendo FDP, cheio de escrotisse que faz dessa Judith a mulher mais sem amor próprio e dignidade que existiu na humanidade. Sério tem momentos em ‘Peça-me o que quiser’ que o cara trata a mulher como o lixo do mundo e ela lá feito besta mendigando a atenção dele.
Alguns acontecimentos do primeiro livro me fizeram desejar com todo o meu coração me atirar numa ponte, ou atirar o livro da amiga da ponte (mas, claro que eu não fiz. Tenho amor à vida tá Cams!) acho que estou mal acostumada com as autoras que realmente escrevem bem o gênero erótico como Maya Banks, Cherise Sinclair e Lora Leigh.
Achei o cúmulo do absurdo algumas cenas, o primeiro jantar do casal é uma delas, sem contar que a premissa básica em qualquer jogo sexual em minha opinião foi totalmente aniquilada na cena em que outra mulher faz sexo oral na Judith sem ela saber. Ok ok ... ela falou que topava tudo menos sado, mas pelo amor de dadá quando se quer colocar um terceiro na história acho que se deve ao parceiro pelo menos a cortesia do aviso. O são, seguro e consensual sumiu completamente aí pra mim.
Como disse antes o cara é mega estúpido nos livros, uma hora trata a mulher bem, outra trata mal pra cacete, faz chantagens emocionais dignas de dramas mexicanos, e os dois ficam num namora e termina sem fim em todos os livros. A mocinha simplesmente não tem personalidade, não sabe dizer não, não sabe nem arranjar um motivo plausível pra brigar (se bem que só o fato do cara respirar já é motivo pra catástrofe pra mim), é pior que criança birrenta.
tumblr_lfna2ldtqk1qbyiqg


Damon no aproves!!
Aí não bastasse todo esse melodrama de quinta do primeiro livro, o casal continua brigando como nunca no ‘Peça-me o que quiser agora e sempre’, aliás, eles brigam como se não houvesse amanhã, acredito que os dois sofrem de um caso sério de falta do que fazer nesse relacionamento deles. E o ponto alto do livro é que a mocinha que antes mal podia falar de sexo sem ficar com vergonha no segundo livro já vira da bagaceira total e quem quer sair sendo oferecida pra todo mundo agora é ela. (é nessas horas que dá vontade de dizer: Judith mulher, te preserva!!!) Sério a mulher virou a gata top do sucesso e não quer mais só um trio, ou uma troca de casal, nanananinanão, ela agora quer o mundo todo fazendo sexo com ela e o Iceman.
Quando começou a cena da orgia, meu cérebro deu uma pane muito séria.
2yozuvk
Enfim cheguei em ‘Peça-me o que quiser ou deixe-me’, ah caro colega o terceiro livro, eu ri, eu ri muito no terceiro livro simplesmente porque a autora conseguiu fazer uma merda, mas uma merda tão grande que nem com reza braba dava jeito. A melhor cena de todas rola ao som de Sex Bom do Tom Jones, quando li a cena fiquei me perguntando o que se passa na cabeça de uma pessoa que escreve uma cena erótica ao som dessa música. Não me leve a mau, AMO Sir Tom Jones, mas essa música não, pelo amor de Deus!! O livro conseguiu superar o quesito insensatez nos diálogos, a Judith depois que engravida pira de vez e fica mais imatura que nos livros anteriores (se é que isso é possível) e lógicos a culpa de tudo é dos hormônios. E continua o ciclo sem fim de Judith e Iceman sexo-briga-sexo-briga-faz tudo o que eu mando Judith- sexo- briga.
Já ouvi muita gente reclamando das palavras chulas que a autora utilizou, e não vi nada demais não, nada que eu já não tenha lido. O mais complicado mesmo foi minha linda cabecinha entender o lance da troca de casal e das orgias. Mas enfim cada um gosta do que quer e não cabe a mim ficar aqui julgando ninguém, se lhe faz feliz o mundo que se foda. O que realmente me incomodou nos livros foi a falta de senso da autora nos diálogos, nas cenas, na composição dos personagens. A série toda é tão sei lá, tão “no sense” que me dá até vontade de chorar ao lembrar que eu podia ter gastado minhas horas lendo outra coisa muito mais interessante.
Nunca fiquei tão feliz por terminar uma série, não aguentava mais tanto drama por nada, Megan Maxwell agora só com uma indicação muito boa, porque eu não sou nem obrigada!
gif-lady-gaga

P.S: Se você por alguma razão desconhecida apesar de tudo o que eu falei ainda quiser ler os livros só vai encontrar nas livrarias brazucas os livros 1 e 2 da trilogia. O livro 3 está previsto para ser lançado em Janeiro de 2014.
P.P.S: Uma coisa muito boa na série são as músicas que a autora cita. Pra não dizer que não gostei de nada.
assinatura_2

6.11.13

Dançando Sobre Cacos de Vidro – Ka Hancock

 

DANCANDO_SOBRE_CACOS_DE_VIDRO_1377552383P

Sinopse:

Lucy Houston e Mickey Chandler não deveriam se apaixonar. Os dois sofrem de doenças genéticas: Lucy tem um histórico familiar de câncer de mama muito agressivo e Mickey, um grave transtorno bipolar. No entanto, quando seus caminhos se cruzam, é impossível negar a atração entre eles.
Contrariando toda a lógica que indicava que sua história não teria futuro, eles se casam e firmam – por escrito – um compromisso para fazer o relacionamento dar certo. Mickey promete tomar os remédios. Lucy promete não culpá-lo pelas coisas que ele não pode controlar. Mickey será sempre honesto. Lucy será paciente.
Como em qualquer relação, eles têm dias bons e dias ruins – alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passar adiante sua herança genética.
Porém, em seu 11° aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado. De uma hora para outra todas as regras são jogadas pela janela e eles terão que redescobrir o verdadeiro significado do amor.
Dançando sobre cacos de vidro é a história de um amor inspirador que supera todos os obstáculos para se tornar possível.

Sabe aqueles livros que te toca de uma forma especial? Foi exatamente o que aconteceu comigo ao ler Dançando Sobre Cacos de Vidro. Em seu livro de estreia, Ka Hancock conseguiu transcrever em apenas 336 páginas uma linda e emocionante  história de amor. Mesmo com todos os problemas apresentados pelos personagens principais: Mickey e Lucy.

Mickey sofre de uma doença mental, transtorno bipolar.  Essa doença faz com que seu humor seja instável e lhe obriga a ficar internado em uma ala psiquiátrica de um hospital, porém quando está “são”, leva uma vida normal e nela ele é  empresário bem sucedido de casas noturnas e exerce seu lado humorista de stand up.

Lucy, uma jovem guerreira , que com apenas 5 anos perdeu o pai em um assalto e aos 17 a mãe, que foi vítima de câncer, não só ela como também sua avó e tia. Ela e as irmãs (Lilly e Priss) carregam em seu DNA grandes chances de desenvolver essa terrível doença.

Mickey e Lucy, se conhecem no aniversário de 21 anos dela e apesar da resistência inicial dele em se envolver, com medo de que a machuque devido sua enfermidade. Porém Lucy, como falei antes é guerreira e não desiste de viver o grande amor de sua vida e nesse momento começamos a testemunhar uma linda, mas ao mesmo tempo conturbada, história de amor. A aceitação dos problemas um do outro torna ainda mais emocionante cada página.

O que mais me impressionou nesse livro foi que conseguimos amar todos os personagens, principalmente o nosso lindo e problemático casal. Já vou logo avisando que comecei a derramar lágrimas logo no início e não pára até o final dele.

Senti uma afeição mais que especial por Lucy, pois sua força e luta me fez relembrar a mesma sensação que tive quando passei por uma perda muito grande em minha vida e o quão difícil é ter um futuro incerto, de não saber que em uma situação complicada não podemos mudar o destino e sim aceitar, por mais que doa e que a perda de quem amamos infelizmente não depende de nós.

Esse livro simplesmente tocou minha alma, o que faz acreditar que a autora buscou inspiração em uma história real, não sei ao certo, mas o nível de emoção que essa história nos passa, me faz acreditar que sim.

E é lógico que indico a leitura, amei o livro e espero que gostem também.

Até a próxima!!!

Image and video hosting by TinyPic

4.11.13

Se Você fosse Minha - Bella Andre

SE_VOCE_FOSSE_MINHA_1374151311P

Zach, o mais arredio dos Sullivan, é mecânico e corredor de pistas de alta velocidade. Suas únicas preocupações são: como gastar seu dinheiro e com que mulher passar a próxima noite… Até que ele recebe a difícil tarefa de cuidar do filhote de yorkshire de seu irmão por duas semanas — um total contratempo para um homem como ele. Mas Zach não tem como negar este favor a Gabe e, muito a contragosto, acaba aceitando cuidar de Ternurinha, a cachorrinha que, para piorar, é um terror e certamente precisa de treinamento. Heather Linsey não acreditava que teria de treinar o filhote do arrogante Zach Sullivan. De todos os homens que já conhecera, Zach era o mais atrevido. Palavras como arrogante, esnobe, pretensioso cabiam especialmente bem no mecânico da família Sullivan. Além disso, a beleza e o charme de Zach eram desconcertantes e a atração entre eles, inevitável… Heather estava francamente disposta a negar esse trabalho, mas teve que pensar duas vezes antes de recusar, pois fora indicada por uma grande amiga. De qualquer forma, ela sabia que podia controlar as investidas de Zach Sullivan, caso ele se mostrasse desrespeitoso. O que ela não sabia é que sua rejeição ia despertar os mais profundos e obstinados desejos no mecânico…

*

Zach é um dos meus personagens favoritos da série por ser alguém complexo. Ao mesmo tempo em que sabe ser um cara “descolado”, também tem um lado arredio provocado pela perda do pai. Além, claro, de ser a cópia fiel de seu progenitor.

Também é um misto de sensualidade, beleza, inteligência, versatilidade, destemor, audácia, carinho e luxúria, que deixa qualquer mulher interessada e disposta a qualquer coisa para estar ao seu lado, menos a cautelosa Heather que pressente o perigo de se entregar ao desejo que os une e tenta com unhas e dentes resistir... Sem muito sucesso.

Acredito que esta linda história tem duas finalidades: encantar o leitor a cada linha escrita e, acima de tudo, mostrar que quando as coisas têm que acontecer, elas acontecem no tempo certo, e nem adianta fugir, o amor quando pede passagem, vem avassalador e incapaz de ser ignorado mesmo entre duas pessoas possuidoras de traumas viscerais, que vêm tudo aquilo de relacionamento a dois como algo que não é para eles.

Nenhum dos dois queria um envolvimento sério, permanente. Nenhum dos dois queria se apaixonar, mas as coisas acontecem de uma forma tão linda, tão natural, e os dois assim como os cães pivôs da união dão tão certo, que me peguei no meio do livro querendo que ele não acabasse. Sabem quando você sente aquele pesar de estar próximo do final? E aí comecei a ler muito lentamente, uma dó tão grande de ter que terminar de ler que quase me deprimiu...

E Heather é frágil e forte ao mesmo tempo. Mesmo com os problemas familiares que a impelem a resistir a todo e qualquer envolvimento amoroso, quando ela percebe que a sua plenitude está ligada ao bem-estar que Zach lhe proporciona, seja antecipando suas necessidades ou até mesmo doando um carro caríssimo para abraçar a sua causa, ela torna-se alguém valente, é lindo de se ver a transformação que ambos causam um no outro.

E assim, espero que um dia surja em meu caminho alguém tão cativante quanto Zach Sullivan!

Hasta La vista!


3.11.13

Editora Wish

 

logowish

“Wish é a palavra em inglês que significa desejo. Escolhemos essa palavra tão significativa porque traduz exatamente o anseio por viajar dentro dos livros. É o desejo do leitor, do autor, e da editora. Todos juntos formamos a Wish, nascida dos sonhos de fazer parte da literatura.

Fundada em 2013, a Wish foi inicialmente planejada como um projeto diferenciado e moderno para os livros.”

Seu primeiro lançamento é um tanto diferente, apesar de adorar os contos de fadas da disney, fiquei curiosa para saber a verdadeira história.

capafacebook

Para saber mais sobre a editora e seus lançamentos acessem: http://www.editorawish.com.br/