Menu

27.12.13

Jardim de Inverno - Kristin Hannah



Título: Jardim de Inverno
Autor(a): Kristin Hannah
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 416
 
Sinopse:
 
Meredith e Nina Whiston são tão diferentes quanto duas irmãs podem ser. Uma ficou em casa para cuidar dos filhos e da família. A outra seguiu seus sonhos e viajou o mundo para tornar-se uma foto jornalista famosa. No entanto, com a doença de seu amado pai, as irmãs encontram-se novamente, agora ao lado de sua fria mãe, Anya, que, mesmo nesta situação, não consegue oferecer qualquer conforto às filhas. A verdade é que Anya tem um motivo muito forte para ser assim distante: uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte esta extraordinária história. Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família… E mudará tudo o que elas pensam que são. ”
 
Resenha
 
“ - Seu pai pensa que não posso lidar com a morte dele.
- E você pode? - Nina perguntou com simplicidade.
- Você ficaria surpresa com o que o coração humano pode suportar. ”
 
Jardim de Inverno conta a estória de uma família, composta de pai, mãe e filhos.
Seria uma família tradicional se a mãe não fosse misteriosa, pra não dizer esquisita, amarga e desprovida de carinho materno.
Como esposa e mulher ela desempenhava seu papel na casa e com o marido.
As filhas sentiam a falta de carinho da mãe e o pai tentava compensar ás filhas e netas o vazio existente.
Anya (de origem russa) tinha o habito de contar estórias, não as convencionais que as crianças gostam de ouvir. Eram estórias sem muita lógica, com príncipe, torre, donzela, mas que prendiam a atenção de quem as escutava, por serem bem contadas.
 
Um dia um ataque cardíaco, levou o esposo de Anya e o pai pede as filhas: “ Depois que eu me for, conheçam sua mãe. ”
Elas sabiam que seria difícil a aproximação, se nunca houvera comunicação entre mãe e filhas. Mas Nina prometeu.
Com a doença e morte do pai, Nina deixara o seu emprego de jornalista fotógrafa e até o seu amor, para dividir com Mereditha tarefa de cuidar da mãe, não porque ela se encontrasse senil.
   “E talvez assim as coisas devessem ser, a forma como a vida se desdobra quando você viveu o suficiente. Alegria e tristeza eram parte do pacote; o truque, talvez, fosse permitir-se sentir tudo, mas agarrar-se à alegria um pouquinho mais, porque nunca se sabe quando um coração forte pode desistir.”
O casamento de Meredith estava em crise, por ela tratar melhor dos cães e da casa e se esquecer do marido Jeff, em não mais fazendo o seu papel de esposa e mulher.
Nina com a promessa feita ao pai, ficou pensando como chegaria à mãe, se nunca houvera dialogo, risos compartilhados, machucados curados com remédio e beijos de mãe.
Nina era inteligente, observadora, e tendo como “aliado” o gosto que a mãe tem de contar estórias, armou uma estratégia; regada a vodca, a bebida preferida de sua mãe.
A persistência e determinação de Nina, destravariam o porquê do comportamento fechado de sua mãe? Valeria à pena “descongelar” os contos de fadas contados pela mãe, para se aproximar? As estórias contadas por Anya seriam reais ou ficção?
Esse livro narra também o outro lado da guerra, que também mata, como a fome, a sede, o frio e as doenças que tudo isso traz.
É uma boa estória, bem contada, com sequência lógica, tem bons diálogos, mas há algo que não flui.
O emocional da parte final é forte. Gostei e recomendo!
“ - Perder o amor é algo terrível - Mamãe disse suavemente -, mas virar as costas para ele é insuportável. Você vai passar o resto da vida repassando isso na sua cabeça? Imaginando se o afastou cedo demais ou com facilidade demais? Ou se vai algum dia amar alguém novamente com tanta profundidade? ”

25.12.13

Feliz Natal!

Oi leitores, tudo bem? Passando para desejar um Natal de paz, amor, saúde e realizações. Espero que a noite de ontem tenha sido cheia de paz, e que o papai Noel tenha deixado vários livros de presente pra vocês.

As vezes a gente esquece o real significado do Natal, o que não é difícil de acontecer em um mundo tão comercial como o nosso, mas espero que tirem alguns minutos desse dia para pensar em algo que pode melhorar, não só em você, mas no mundo. Dizem que a força do pensamento move o mundo, sendo assim, vamos desejar com muita força.


23.12.13

Arte Audiovisual: Se houver amanhã

1986_if_tomorrow_comes_se_houver_amanha_sidney_sheldonif_tomorrow_comes_dvd_cover_copy_3MV5BMjA5MTUyNDA1OV5BMl5BanBnXkFtZTcwOTc1OTU0NA@@._V1._SX353_SY500_

Você já deve ter lido ou escutado  falar do Sidney Sheldon, escritor norte-americano consagrado, roterista de cinema e televisão. Publicou 18 romances, 250 roteiros para a televisão, 06 peças para a Broadway e 25 filmes. É o autor da série televisiva “ Jeannie é um gênio”, apresentada entre 1965 a 1970.

Dos romances  do Sidney Sheldon publicados no Brasil o meu preferido sempre foi “Se Houver amanhã”. 

Crimes perfeitos, como o roubo de um quadro de Goya do Museu do prado, são um desafio pára Tracy Whitney. Mas ela não é uma ladra qualquer: para vingar-se dos homens que a colocaram injustamente na prisão, Tracy torna-se uma especialista em aplicar golpes em empresários inescrupulosos. De Nova Orleans a Londres, passando por Paris, Biarritz, Madri e Amsterdam, ela desafia a Interpol com uma série de ações ousadas, tendo como rival apenas Jeff Stevens, um irresistível trambiqueiro.

Você sabia que existe uma minissérie?

Lançada em 1986, a minissérie com o título original If Tomorrow Comes, foi dividida em 3 episódios de aproximadamente uma hora e meia cada um, traz no elenco nomes como Madolyn Smith Osborne, Tom Berenger, David Keith e Lian Neeson. 

6c1d08502c62e3169f42d754f39bcce0_jpg_640x480_upscale_q90jeff_stevenss_david-keith-5images

O que mais amei na série foi ela ser bastante fiel ao livro, que é um dos meus preferidos.

Tracy é uma moça trabalhadora, sonhadora, tem um noivo rico que vai contra a família para casar com ela. A história começa com a mãe  de Tracy cometendo suícido por ter sido enganada por um charlatão e por causa disso perdendo toda a sua empresa. Quando Tracy descobre a causa da morte da mãe, decide enfrentar a pessoa causadora de todo sofrimento e cai numa armadilha: é presa por um roubo que não cometeu, é condenada a  ficar presa mais tempo do que realmente  a pena deveria ter, perde o emprego num banco, o noivo e mais outras coisas importantes. Quando consegue reduzir sua pena e volta à sociedade é discriminada, todas as portas estão fechadas, não consegue emprego, o noivo continua sem acreditar em sua inocência e ela jura vingança para quem armou para ela e para sua mãe. Aí começa a parte legal da história, ela se vinga de maneira inteligente e como não consegue trabalho e precisa se sustentar faz da “fama sua cama”. Começa a roubar de pessoas de caráter duvidoso, e rouba com maestria. Adoro as cenas dos assaltos, cada um mais interessante que o outro. Consegue “patrocínio” de um  Magnata, conhece um trapaceiro e se apaixona por ele, é procurada pela Interpol, FBI …  A  série é eletrizante! Você passa o tempo todo torcendo por ela e pelo Jeff.  O figurino é um show à parte, você se sente transportado para aquela época, onde os cabelos eram volumosos, roupa justa com cintura marcada e cintos enormes. Tudo muito espalhafatoso. Ah! apesar da participação ser pequena, ver o Lian Neeson novinho, não tem preço! Vale a pena conferir.

Você poderá encontrar a série no youtube, imagem não é perfeita, mas venhamos e convenhamos que o filme é antigo.