Menu

17.1.14

Adeus à Inocência - Drusilla Campbell

 

ADEUS_A_INOCENCIA_1379513087P

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581632766
Ano: 2013
Páginas: 272

Faz um tempo que li esse livro, mas achei melhor “assentar” as ideias antes de resenhar. Quando li a sinopse fiquei muito interessada em ler, pois trata de um tema controverso e complicado.

Madora acaba indo embora com Willis, acha que será mais feliz com ele, afinal não consegue se entender com a mãe que percebe que Willis não é exatamente quem transparece. Infelizmente Madora é facilmente manipulada, seu desejo de aceitação a impede de enxergar Willis como ele realmente é, em alguns momentos fiquei nervosa e irritada com a cegueira de Madora, que só começa a mudar quando faz amizade com o esperto Django, que sem dúvida é o personagem mais interessante do livro. Django acabou de ser tornar órfão, seus pais sempre lhe deram tudo, tanto no aspecto material quanto no emocional, morar com sua tia solteirona está longe de ser o que deseja, mas aos poucos as coisas vão mudando. Willis é completamente doente, já no começo do livro percebemos que tudo está errado com ele, sua fixação por se tornar médico e seu passado “corrompido” são os culpados pelas crimes cometidos.

Gostei da autora nos permitir conhecer profundamente cada personagem, seus sentimentos são bem descritos, o que permite o leitor ter sentimentos ambíguos. Infelizmente não curti muito o final, foi totalmente diferente do que imaginei, o que acabou me decepcionando. Precisava de mais algumas páginas para finalizar da forma correta.

No geral é um livro interessante, mas não entrou para a lista de inesquecíveis.

Sinopse

Madora tinha 17 anos quando Willis a “resgatou”. Distante da família e dos amigos, eles fugiram juntos e, por cinco anos, viveram sozinhos, em quase total isolamento, no meio do deserto da Califórnia. Até que ele sequestrou e aprisionou uma adolescente, não muito diferente do que Madora mesmo era, há alguns anos... Então, quando todas as crenças e esperanças de Madora pareciam sem sentido — e o pavor de estar vivendo ao lado de um maníaco começava a fazê-la acordar —, Django, um garoto solitário, que não tinha mais nada a perder depois da morte trágica de seus pais, entrou em sua vida para trazê-la de volta à realidade. Quem sabe, juntos, Django, Madora e seu cachorro Foo consigam vislumbrar alguma cor por trás do vasto deserto que ajudou a apagar suas vidas?

Livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/347176


16.1.14

Prêmio Bang - Literatura Fantástica

 

Para os apaixonados por literátura fantástica, essa é a sua chance de participar do primeiro prêmio Bang, que está sendo realizado pela editora Saída de Emergência.

Para participar é muito fácil! Na lateral esquerda do blog, incluímos o link de inscrição, só clicar, preencher as informações e pronto!

Boa sorte!


12.1.14

Uma Prova de Amor- Emily Giffin

UMA_PROVA_DE_AMOR_1374238982P

A princípio, foi uma mudança sutil, como costumam ser as mudanças nos relacionamentos; fica difícil saber quando de fato começou.

Primeiro vem o amor, depois vem o casamento e depois… os filhos. Não é assim? Não para Claudia Parr. A bem-sucedida editora de Nova York não pretende ser mãe, e até desistiu de encontrar alguém que aceite esta sua escolha, mas, então, ela conhece Ben. O amor dos dois parece ideal. Ben é o marido perfeito: amoroso, companheiro e — assim como Claudia — também não quer crianças. No entanto, o inesperado acontece: um dos dois muda de ideia a respeito dos filhos. E, agora, o que será do casamento dos sonhos?

Hi Guys... Cá estou eu mais uma vez pra falar da maravilhosa Emily Giffin, já vou dizendo que não, não poupo rasgação de seda e elogios pra essa mulher porque ela merece, não canso de falar o quanto a escrita dela me surpreende, o quanto ela flui mesmo quando tem uma carga dramática.

Já sabemos que a Emily é uma autora que adora escrever sobre relacionamentos, não apenas sobre relacionamentos entre um casal, mas todos os relacionamentos que fazem parte da vida dos personagens que ela compõe. Nesse livro temos a Claudia e o Ben como personagens principais, a meu ver muito mais a Claudia, o livro bate bem na questão do que somos capazes de fazer para sustentar um relacionamento, de qualquer natureza, além de trazer opiniões diversas sobre a maternidade.

Claudia nunca quis ter filhos, ela quer alguém na vida dela, mas não quer ter filhos, quando conhece Ben e descobre que ele também tem a mesma opinião que ela sobre crianças é definitivamente o universo a favor dela. Porém, quando um casal de amigos anuncia a chegada de um bebê, Ben começa a pensar na possibilidade de ter filhos, ele acha que talvez eles estejam perdendo alguma coisa importante na vida ao abandonar a ideia de crianças. Começa então, acho que um dos momentos mais sofridos do livro,  um embate entre o casal, porque é inegável o amor que eles têm, mas agora um já não quer o mesmo que o outro, e aí o que fazer nessa situação??

O casal ainda tenta permanecer juntos apesar das circunstâncias, em alguns momentos fiquei com muita dó do Ben, ele praticamente implora a Claudia pra pensar no assunto, diz que se ela tiver um filho deles a vida dela pode permanecer a mesma, que ele faria tudo pra que ela pudesse seguir com os planos dela. Fiquei com muita raiva da Claudia nessa hora.

Enfim os dois se separaram e a Claudia vai viver com uma amiga, ela acaba recebendo conselhos de todos os lados, mas está firme na convicção de que não quer ter filhos, apesar de um amigo plantar uma semente na cabeça dela de que ela poderia tentar. Ela começa a sair com outro cara, e viver uma vida pós-Ben. Começamos a ver o relacionamento dela com as irmãs, o pai e a mãe. Os personagens secundários desse livro dariam bons livros, os dramas nos relacionamentos das irmãs da Claudia vão de encontro ao que Claudia vive, o que vai fazer com que ela comece a avaliar sua perspectiva e suas decisões sobre sua vida com Ben.

É interessante ver como as pessoas no livro enxergam a Claudia, porque sempre vemos os livros pela visão das pessoas que anseiam por um filho, e nesse vemos como Claudia encara uma sociedade que a “julga” por não querer o convencional. Enfim super recomendo o livro, já avisando que quem espera ver um romance fofinho deve repensar a leitura do livro.

 

assinatura_2[5]