Menu

5.7.14

Lançamentos de Julho – Editora Arqueiro.

Screenshot_3

LISA KLEYPAS JULHO 2014

Quando herdou o título de lorde Ramsay, Leo Hathaway e sua família passavam por um dos momentos mais difíceis de sua vida. Mas agora as coisas vão bem. Três de suas quatro irmãs já estão casadas, uma preocupação que Leo nunca teve consigo mesmo. Solteiro inveterado, ele tem uma certeza na vida: nunca se casará.
Mas então a família recebe uma carta que pode pôr tudo isso em risco: se Leo não arrumar uma esposa e gerar um herdeiro dentro de um ano, ele perderá o título e a propriedade onde todos vivem.
Solteira e sem pretendentes, a governanta Catherine Marks talvez seja a única salvação da família que a acolheu com tanto carinho. O único problema é que Leo não compartilha do mesmo afeto que suas irmãs têm pela moça.
Para ele, Catherine é uma megerazinha cheia de opinião que fala demais. Apesar de irritá-lo e quase o levar à loucura, ela é a primeira – e única – mulher com quem ele considera se casar.
Catherine, por sua vez, tem uma opinião igualmente negativa a respeito do patrão. Além disso, ela esconde alguns segredos do passado e um deles pode destruir a vida que tão cuidadosamente construiu para si.
Agora Leo e Catherine precisam um do outro, mas para vencer as dificuldades e consertar as coisas eles terão que superar as turras e as diferenças, num romance intenso e sensual que só Lisa Kleypas poderia ter escrito.

Screenshot_1 

NOSFERATU - JULHO 2014

Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem.
Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor.
E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca... e acaba encontrando Charlie.
Mas isso faz muito tempo e Vic, a única criança que já conseguiu escapar, agora é uma adulta que tenta desesperadamente esquecer o que passou. Porém, Charlie Manx só vai descansar quando tiver conseguido se vingar. E ele está atrás de algo muito especial para Vic.
Perturbador, fascinante e repleto de reviravoltas carregadas de emoção, a obra-prima fantasmagórica e cruelmente brincalhona de Hill é uma viagem alucinante ao mundo do terror.

Screenshot_4

Screenshot_5  No parapeito de uma janela de banheiro no 11º andar do First Union Bank, Nate só tem mais um objetivo na vida: reunir a coragem necessária para saltar e acabar com os seus problemas.

De repente, ele ouve tiros dentro do banco e, ao espiar o que está acontecendo, vê uma cena terrível: criminosos mascarados disparando cruelmente em qualquer um que se coloque em seu caminho. Enquanto sustenta o olhar de uma mulher agonizante, Nate toma uma decisão. Lançando mão de seu treinamento militar, ele consegue render e matar todo o grupo, exceto o seu líder. Antes de escapar, o homem deixa claro que ele se arrependerá de seu ato heroico.

Ele está certo. Em poucos dias, Nate é sequestrado pela máfia ucraniana e recebe uma ameaça: precisa voltar ao banco e concluir a tarefa que os bandidos não puderam cumprir. Do contrário, sua ex-mulher – pela qual ainda é apaixonado – e a filha adolescente, que não o reconhece mais como pai, serão brutalmente assassinadas. Enquanto o tempo corre de maneira implacável e o prazo de Nate se aproxima do fim, ele luta não só para salvar as duas da morte, mas também para recuperar sua confiança e seu amor.

Screenshot_7

Screenshot_6 "Confrontado com situações de extremo perigo, Taylor McAden, bombeiro voluntário, expõe-se até ao limiar do perigo. Denise é uma jovem mãe solteira, cujo filho de cinco anos sofre de um inexplicável atraso de desenvolvimento e a quem ela devota a sua vida numa tentativa de o ajudar. Mas o caso vai aproximar estes seres. Numa noite de tremendo temporal, Denise sofre um acidente de automóvel e é Taylor quem vem socorrê-la. Embora muito ferida, a jovem depressa toma consciência de que o filho já não se encontra na sua cadeirinha do banco traseiro.

Taylor irá até ao fim de uma angustiante noite de buscas para o encontrar. Foram tecidas as primeiras malhas que os irão unir - o pequeno Kyle desabrocha ao calor da ternura daquele homem. Denise abandona-se à alegria de um amor nascente. Mas Taylor tem em si cicatrizes antigas, que o não deixam manter compromissos de longa duração.

Nicholas Sparks, esse talentoso contador de histórias, intervém com a sua magia redentora e a sua inigualável capacidade de aprofundar a complexidade das relações e dos afetos."

Para ver os demais lançamentos de Julho é só clicar na imagem abaixo.

JULHO 2014


3.7.14

O Cavaleiro de Bronze - Livro 01 - Paullina Simons


A Segunda Guerra Mundial ainda não havia alcançado a cidade de Leningrado, onde as duas irmãs Tatiana e Dasha Metanova viviam, dividindo um pequeno cômodo com seu irmão, seus pais e avós. Tudo muda quando as tropas de Hitler atacam a União Soviética e ameaçam invadir a grande, mas decadente, cidade. Fome, desespero e medo tomam conta de Leningrado, durante o terrível inverno no qual a cidade foi submetida ao cerco alemão. No entanto, a luz do amor é sempre capaz de iluminar a mais profunda escuridão. Tatiana conhece Alexander, um jovem e corajoso oficial do Exército Vermelho. O rapaz, forte, confiante e guardando um passado misterioso e problemático, e sente-se atraído por Tatiana - e ela por ele. O amor impossível de Tatiana e Alexander ameaça agora dividir a família Metanova. E que segredo é esse que se esconde no passado do soldado, tão devastador quanto a própria guerra?
Bom quando li várias resenhas a respeito de O Cavaleiro de Bronze  não pensei duas vezes e pedi esse livro para resenhar, só não contava que poderia não gostar da leitura. Ok, já podem me julgar porque acho que fui a única na face da terra a não gostar desse romance, mas vou tentar me justificar no decorrer dessa resenha antes que cause um alvoroço por ser diferente de todos que já leram e amaram esse livro.
A história de Tatiana, Tania, Tanechka, ou seja lá como queiram chamá-la, acontece na União Soviética no auge da II Guerra Mundial. A garota com apenas 17 anos ainda vive como uma adolescente inocente com sua grande família em um pequeno cômodo de um condomínio popular. Sua vida muda completamente quando seu irmão gêmeo Pasha vai às pressas para um acampamento na intenção de fugir de um conflito iminente entres os alemães de Hitler e os soviéticos de Stalin.
Em meio a tudo isso Tatiana (que é assim que a chamo, até porque esse nome é repetido nove de dez vezes em uma única frase),  conhece um capitão do exercito vermelho, Alexander. A garota até então não entende o que sente por ele, pois como disse anteriormente ela ainda era uma adolescente inocente. Mas quando começa a despertar algo, ela tem que frear seus sentimentos, pois sua irmã Dasha é apaixonada por seu capitão e já se encontrava com ele, bem antes de Tatiana o conhecer. Acima de seu sentimento, ela é leal ao sentimento da irmã e decide não alimentar nenhuma esperança por esse amor impossível.
E a medida que a leitura vai fluindo (quer dizer comigo não fluiu tão facilmente porque demorei mais de um mês para terminar), somos envolvidos com o terror da Guerra, apesar de ser uma ficção a autora consegue nos mostrar em suas páginas o sofrimento, a miséria e a aflição daquele momento. O romance é morno, não conseguiu me cativar e me pegar de jeito. Sei que para época os costumes eram esses e tudo era muito lento, mas caramba achei muito cansativo. E sem falar que a quantidade de vezes que o nome da protagonista é repetido em uma única frase, me deixava impaciente ao extremo.
Bom, para quem ama romances históricos bem adocicados e com um drama daqueles, O Cavaleiro de Bronze  é uma boa pedida. Não que eu não curta esse tipo de romance, mas gosto dos mais apimentados e pena que esse não conseguiu me conquistar para que pudesse dar uma chance a sua sequência, o que não vai ser o caso.
 
 
 
Espero que tenham gostado e até a próxima!!!


1.7.14

Cinco Anos de Blog. Promoção de Aniversário.

Há 05 anos nascia o blog As Meninas que leem livros e durante todo esse tempo tivemos o prazer de dividir com amigos e seguidores o nosso amor pela leitura. E para comemorar essa data tão especial decidimos junto dos nossos parceiros fazer algumas promoções esse mês. Teremos sorteios super especiais de livro para todos os gostos, vocês não vão ficar de fora né!

Então pegue sua fatia do bolo e venha comemorar com a gente!

10489123_10202187638191998_1621992634_n

Para participar preencha o formulário:

a Rafflecopter giveaway

 

10515035_10202187971560332_793242944_n

Para participar preencha o formulário:

a Rafflecopter giveaway

10488836_10202191877137969_6955017_n

Para participar preencha o formulário:

a Rafflecopter giveaway

 

10515788_10202193062447601_1519839459_o

Para participar preencha o formulário:

a Rafflecopter giveaway

 

10501209_10202192278708008_11734713_n

Para participar preencha o formulário:

a Rafflecopter giveaway

 

ATENÇÃO

- O concurso é recreativo, não estando vinculado a marcas, compras e vendas de serviços.
- O sorteio é válido até 31/07/2014.
- O contato será feito via e-mail.

- Se os sorteados não tiverem seguido as regras obrigatórias corretamente ou não entrar em contato dentro de três dias após o recebimento do e-mail, novo sorteio será realizado.
- As despesas de envio são por conta e responsabilidade dos blog e das editoras participantes, que tem o prazo de um mês para enviá-los após o resultado do sorteio.
- O blog não se responsabilizam por desvios e/ou extravios ocorridos pelos correios.
- Regras sujeitas a alterações sem aviso prévio!


30.6.14

A Invenção das Asas - Sue Monk Kidd

A_INVENCAO_DAS_ASAS_1387406955P

 

Edição: 1
Editora: Paralela
ISBN: 9788565530484
Ano: 2014
Páginas: 328

Em sua terceira obra, Sue Monk Kidd, cujo primeiro livro ficou por mais de cem semanas na lista de mais vendidos do New York Times, conta a história de duas mulheres do século XIX que enfrentam preconceitos da sociedade em busca da liberdade. Sue Monk Kidd apresenta uma obra-prima de esperança, ousadia e busca pela liberdade. Inspirado pela figura histórica de Sarah Grimke, o romance começa no 11º aniversário da menina, quando é presenteada com uma escrava: Hetty “Encrenca” Grimke, que tem apenas dez anos. Acompanhamos a jornada das duas ao longo dos 35 anos seguintes. Ambas desejam uma vida própria e juntas questionam as regras da sociedade em que vivem.

A Invenção das asas é um romance que comove, apaixona e aproxima o leitor do drama da escravidão. Fatos e personagens históricos são inseridos na ficção para recontar a história das irmãs Grimké, abolicionistas e feministas norte-americanas do século XIX. Lutando corajosamente pela liberdade dos escravos, as duas mulheres também empreenderam uma batalha contra a desigualdade de gênero.

Tendo como cenário a cidade de Charleston, no sul dos Estados Unidos, início do século XIX, a narrativa alterna os capítulos com as vozes de Sarah Grimké e Hetty ‘Encrenca’, respectivamente sinhazinha e escrava. Ao longo de mais de trinta anos acompanhamos a luta dessas mulheres, desde a infância, quando ‘Encrenca’ é dada para Sarah como presente de aniversário, para servir-lhe de companhia. A recusa de Sarah em apropriar-se da garota inicia a luta que travará até o fim de seus dias.

Sob a perspectiva de Sarah, a autora fala da eminente abolicionista que reivindicou mais que a libertação dos escravos: queria uma sociedade justa e a pacifica convivência entre brancos e negros, homens e mulheres. Ainda menina, horrorizada com as punições impostas aos escravos, demonstra claro interesse pela área jurídica, influenciada pelo pai (juiz conceituado), sonhando ser advogada. Coisa impossível para a época, quando as mulheres não tinham outro destino que não fosse um bom casamento, a criação dos filhos e os cuidados com a casa e a criadagem.

“Eu não sabia explicar à época como uma árvore mora dentro de sua semente ou como eu de repente soube que do mesmo modo enigmático algo vivia dentro de mim - a mulher que eu me tornaria -, mas eu parecia saber subitamente quem ela era.” (Sarah, p. 24)

Hetty ‘Encrenca’ - cuja alcunha é seu ‘nome de escrava’ - é uma personagem cativante, que transita entre a dor e a esperança. Ao lado da mãe, a escrava e exímia costureira Charlotte, alimenta o sonho da liberdade enquanto realiza pequenos atos de rebeldia, como escape e vingança contra as exigências e crueldades da Sinhá Mary Grimké.

“Minha mamã era esperta. Não aprendeu a ler e escrever como eu. Tudo que ela sabia vinha do pouco de misericórdia que ela encontrou na vida.” (Hetty 'Encrenca', p. 9)

Com a impossibilidade de emancipar a escrava e tendo-a como dama de companhia, Sarah decide tratá-la da melhor forma, como a uma amiga. Liberta-a, então, da ignorância: com os poucos livros a que tem acesso, ensina Hetty a ler e discutir ideias, contrariando a lei que proibia a alfabetização dos escravos. Até que a esperta ‘Encrenca’ é descoberta escrevendo e Sarah é castigada com a interdição da vasta biblioteca do pai, único interesse e passatempo da garota. Não poderia ser pior.

Enfrentando uma gagueira de origem emocional sempre que precisa impor sua opinião, Sarah decide incutir na irmã mais nova, Angelina (Nina), suas convicções sobre a libertação dos escravos. Juntas, Sarah e Nina combatem preconceitos, enfrentam seus pais, irmãos e a sociedade escravagista do Sul. Recusam casamentos que as fariam bem aceitas na sociedade - e o que era esperado das mulheres, obviamente. Seguem para o Norte dos EUA, onde encontram espaço para reivindicar suas posições políticas e sociais, auxiliadas pelos apoiadores das novas ideias abolicionistas. Sarah e Nina não desistem de suas lutas em favor do que pensam. Poderiam muito bem permanecer quietas e obedientes, mas encaram a ira da sociedade e a perseguição religiosa.

Sarah, Nina e Hetty ‘Encrenca’ batalham o quanto podem, cada vez mais rebeldes, cada uma à sua maneira. Sarah é mais polida e comedida e, ao longo do tempo, amadurece e fica mais segura para mudar o jogo. Nina é atrevida e impulsiva, fala o que vem à cabeça e recusa-se, terminantemente, a ser domada pelos costumes e regras da sociedade da época. À ‘Encrenca’ cabe lutar (em segredo e perigosamente) pelos sonhos que acalentou com a mãe: o de comprar sua liberdade ou fugir, em último caso.

“Havia tanto no mundo para ter e não ter.” ('Hetty' Encrenca, p. 37)

Unindo as pontas dos extremos, a autora insere o leitor numa visão privilegiada dos sentimentos, pensamentos e argumentos das protagonistas Sarah e Hetty ‘Encrenca’. Embora tenha uma vida abastada e cheia de facilidades, a sinhazinha é refém das escolhas que não fez. A certa altura, ‘Encrenca’ pressiona sua ‘dona’: “Eu sou presa pelo corpo mas você é presa pela mente”. É uma frase que resume metade do livro.

A Invenção das Asas é um livro que rapta o leitor para uma viagem no tempo, em descrições perfeitas de uma época de medo, lutas, dor e preconceito. Um romance sinestésico, que exprime as sensações, a temperatura e os cheiros que cercam todos os personagens. Uma trama histórica, cujas personagens de fato existiram, delineadas com sensibilidade pela talentosa Sue Monk Kidd. É, ainda, um resgate documentado numa escrita irretocável, que apresenta aos leitores a coragem dessas mulheres que viraram o mundo de ponta-cabeça. Creio que todos deveriam conhecer esta história.

Livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/363447-a-invencao-das-asas

10431528_457140047755038_7827353751796892210_n

***

Essa resenha foi escrita por Manuh Hitz, colaboradora do blog.

Facebook: https://www.facebook.com/manu.hitz.7?fref=ufi