Menu

18.7.14

Escândalos Privados – Nora Roberts

 

20140205-140324

Deanna Reynolds tinha sua vida planejada: começaria trabalhando em uma pequena emissora de TV em Chicago e, em alguns anos, se tornaria uma famosa apresentadora, comandando seu próprio programa. E ela parece estar no caminho certo, principalmente porque uma estrela da televisão, a geniosa Angela Perkins, decide ser sua mentora. O que Deanna não suspeita, porém, é que Angela não é nada ingênua. Ao se oferecer para ensinar o que sabe à novata, a famosa apresentadora pretende também controlar a ambiciosa e talentosa Deanna. Quando Angela aceita uma grande oportunidade em uma emissora de Nova York, Deanna assume o seu lugar, apresentando, então, seu próprio talk show. Em apenas cinco anos, ela se torna a personalidade número um da TV de Chicago, e as duas acabam virando rivais na concorrência direta pela audiência. Nora Roberts, mais uma vez, consegue juntar todos os elementos de uma grande história: romance, suspense e um cenário fascinante. Os bastidores da TV nunca foram tão envolventes – e assustadores.

 

Não sei se isso acontece só comigo, mas  escrever uma resenha de um livro que eu amei é sempre mais dificil do que de um que eu não gostei. Nunca sei como começar, o que dizer, tenho medo de não conseguir passar o que realmente me impressionou no livro. Perguntei para uma amiga, também blogueira, como eu devia começar, ela disse que eu descrevesse os personagens, isso não me ajudou nem um pouco! Como dizer como o Finn é lindo? O quanto a Angela me assustou e irritou? e A Deanna…o que dizer dela? Acho que pode ser um ponto de partida, então vou tentar começar por aí…

Não é segredo nenhum que o livro começa com a morte de Angêla, essa personagem me fez tremer de raiva, sorte que eu já sabia que ela já estava morta, por que a vontade que tive, foi de  matá-la toda vez que aparecia. Ela era arrogante, usava a infância pobre e sofrida como desculpa para todas as atrocidades que queria fazer. Usava e abusava do poder que a visibilidade da TV lhe dava. O livro começa com a sua morte e retrocede no tempo para nos mostrar como foi em vida. Não é a personagem principal, mas rouba muitas vezes a cena!

Deanna é a mocinha, que no começo do livro achei meio insípida. Certinha demais,  muitas vezes capacho  da Angêla, não se impõe até uma certa parte da história. Com alguns acontecimentos vai mudando um pouco de postura e crescendo tanto profissionalmente, quanto pessoalmente. Começamos ver que tem pulso firme, é ambiciosa, mas tem a capacidade de dosar e reconhecer que não se cresce sozinha. Se apaixona pelo Finn ,  ah! o Finn! ( suspiros apaixonados), mas tem horas que dá vontade de dar uns bons supapos na Dee pra ver se ela sai de cima do muro. Tem um admirador secreto (por falta de palavra melhor) que de tão obcecado começar a cometer crimes em nome do amor que diz sentir por Deanna. Não consegui descobrir a identidade do individuo até quase o final, desconfiei desde sempre, mas certeza, certeza… Só quando a Nora disse com todas as letras .

Agora vamos  falar do  meu mocinho  Finn “Lindo Gostoso Maravilhoso” Riley. Correspondente de guerra (a cara do perigo!), já aterrisa na história causando - literalmente -  O avião que estava sofre uma pane, e tem um pouso forçado e o James bond que há nele continua lindo e fazendo uma série de reportagens ´para quando sair vivo da situação ter o que contar. No passado teve um caso com Angêla, mas se interessa quase que imediatamente por Deanna, faz o possível e o impossível para descobrir quem é o “ admirador-  perseguidor-psicopata” dela, e tenta protegê-la como pode. Tem como não cair arriada os quatro pneus por um cara desses?

Não tem como terminar uma resenha sem “rasgação de seda” para Nora Roberts, Escândalos Privados consegue ser mais um livro de sucesso dessa autora,  que quase sempre consegue dosar de maneira explêndida romance, suspense, drama, personagens de personalidade  forte e mocinhos cativantes.


14.7.14

A Vida do Livreiro - A.J. Fikry

A_VIDA_DO_LIVREIRO_AJ_FIKRY_1399580293P

Edição: 1
Editora: Paralela
ISBN: 9788565530668
Ano: 2014
Páginas: 192
Tradutor: Flavia Yacubian

Uma carta de amor para o mundo dos livros “Livrarias atraem o tipo certo de gente”. É o que descobre A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo. Aos poucos, A. J. reencontra a felicidade e sua livraria volta a alegrar a pequena Alice Island. Um romance engraçado, delicado e comovente, que lembra a todos por que adoramos ler e por que nos apaixonamos.

O que parecia apenas uma leitura divertida, a princípio, revelou-se uma história muito gostosa e envolvente, com boa dose de drama e mistério, mas sem perder a leveza. A autora Gabrielle Zevin criou personagens empáticos, engraçados e que conquistam, definitivamente, o leitor.

A.J. Fikry é um viúvo solitário, um livreiro ranzinza, dono da única livraria da ilha em que mora. A monotonia de seus dias é preenchida pela saudade da esposa – que movimentava a vida da cidade com eventos literários na livraria -, a preferência pelos livros clássicos e a rabugice com os representantes de editoras. Seu sonho de aposentadoria é a venda do raríssimo livro Tamerlane, que guarda em casa numa redoma com segredo. Até que o livro é roubado e A.J. precisa contar com o dedicado policial Lambiase para resolver o problema.

Um dia, ao voltar da corrida, A.J. Fikry encontra uma garotinha de dois anos abandonada na livraria, com um bilhete da mãe e um pedido irresistível. A partir desse encontro, a pequena Maya vai mudar não só a caótica vida do livreiro, mas também de toda a comunidade da ilha e da endividada Island Books.

Comecei a leitura sem expectativas, o tema é curioso: a vida de um amante de livros que tomou a paixão por profissão. A narrativa é leve, os personagens são bem construídos e todos eles, sem exceção, têm participação importante na trama. Estão ali para contar uma boa história. E que história, caro leitor! Gabrielle Zevin compõe uma atmosfera de aconchego na Island Books, insere segredos, tensão e drama de um jeito sutil, enquanto cativa o leitor com as dificuldades que A.J. enfrenta.

Com várias citações e referências a livros, alguns conhecidos e outros que merecem a verificação, a leitura é um deleite para os apaixonados por literatura. Cada capítulo começa com uma observação de A.J. sobre algum livro ou conto, cujo conteúdo estará nas entrelinhas das páginas seguintes.

“Mas também acho que minha nova reação está relacionada com a necessidade de encontrarmos histórias no momento certo de nossas vidas. Lembre, Maya: as coisas que nos tocam aos vinte não são necessariamente as que nos tocam aos quarenta, e vice-versa. Isso é verdade para livros e para a vida.” (A. J. Fikry, p. 37)

Há uma personagem deliciosamente carismática: Amelia, a doce e estabanada representante da Editora Pterodactyl. Mal recebida por A.J. na primeira visita à loja, aos poucos cresce entre eles o interesse, a saudade e, por fim, a paixão.

Os anos passam, Maya desenvolve um nítido talento literário, a livraria incrementa as vendas e atrai muitos leitores em encontros do Clube do Livro, aumentando a ligação entre esses personagens tão peculiares e queridos – entre si e também com o leitor. Então a autora faz pesar uma vez mais a mão do destino... E comove.

A Vida do Livreiro A.J. Fikry é uma história que celebra o amor pelos livros, numa conversa metalinguística que fala principalmente de encontros, da vida que muda a toda hora e não pede licença. Do quanto precisamos viver intensamente o momento presente (clichê?) e de como nossas ligações afetivas são determinantes. Acredite: ao terminar o livro, leitor, você sentirá uma leveza, um calor na alma.

Livro no Skoob:  http://www.skoob.com.br/livro/388622-a-vida-do-livreiro-aj-fikry

10431528_457140047755038_7827353751796892210_n


Essa resenha foi escrita por Manuh Hitz, colaboradora do blog.

Facebook: https://www.facebook.com/manu.hitz.7?fref=ufi