Menu

12.9.14

Enquanto a Chuva Caía - Christine M.




Sinopse:
“Erik não procura mais a garota dos seus sonhos. Vive em busca de adrenalina e de uma razão para continuar cumprindo tarefas obscuras. Ele sabe que é muito bom no que faz e não vê nada que possa ser melhor do que os seus dias repletos de perigo. O que Erik não esperava é que sua paixão por correr riscos seria a sua ruína. Ameaçado, ele precisa fugir para o exterior e viver disfarçado de cidadão comum, trabalhando como advogado em uma grande empresa. Marina comanda o império da família depois de seu pai ter sucumbido ao mal de Alzheimer. Precisa suportar ver os pais tombarem diante da ação implacável do tempo, enquanto ainda carrega a ferida provocada pela morte do jovem marido. Com o comando das empresas nas mãos, ela percebe que nem todas as atividades da corporação obedecem aos manuais de boa conduta. Quando ambos se encontram, presente e passado se misturam, dando início a um mistério arrebatador que os atrai a uma paixão incontrolável. No entanto, os segredos, cedo ou tarde, virão à tona e os colocarão em lados opostos da balança. Nenhum dos dois é inocente, mas será que eles aceitarão as verdades que tanto se empenham em esconder? É possível construir um futuro mesmo depois de descobrir que nesta história não há mocinha nem herói? ”
 
Tenho certeza que “certos” escritores são “safras” de outras dimensões inteligentes.
E constatei isso quando li o último parágrafo da página 225. Isso me tocou profundamente.
Parabéns para a escritora Christine M., mais uma vez. Como disse numa postagem no meu Facebook, a autora nunca decepciona.
Lendo Enquanto a Chuva Caía, a autora me “pegou” pela maneira criativa, de ter adiante de cada capitulo uma citação belíssima e que sempre me dá o que pensar.
Quer dizer que o leitor ler e tem nas mãos ou no colo, dois livros, um a história e o outro meditação. Ah! E a satisfação de saber que Fernando Anitelli existe (os demais citados no livro eu já conhecia).
“ Basta as penas que eu mesmo sinto de mim. Junto todas, crio asas, viro querubim ”.
Essa beleza está na página 31, em itálico.
Marina e Erik são os personagens principais, seguidos de muitos coadjuvantes. Até aí nenhuma novidade.
Mas nessa história, Erik é um homem dentro dos padrões do maravilhoso, destemido, faz parte de um grupo de extermínio, ou seja, quando há alguém que está enchendo o saco, ou atrapalhando, o Erik dá um jeito, aquele jeito. E com esse tipo de “trabalho”, tem muitas consequências, Erik “tem” que sair do Brasil e “trabalhar” nos EUA.
Ele é um dos bons, vai fazer parte da equipe jurídica de uma grande empresa americana, mas é lá, que ele encontra Marina.
Marina por sua vez é dona de uma empresa gigantesca, linda, carismática, viúva aos 26/27 anos e não sabe como acabar com suas idas ao cemitério todos os dias, para ficar embaixo da arvore e falar ao vento ou com Adam.
É uma pessoa sofrida, que sofreu perdas e teve que presenciar seu pai ser afastado do trabalho por conta do Alzheimer.
E enquanto a história continua, Marina e Erik, cada um com seus desenganos e dores se encontram, se identificam e se descobrem um fazendo parte integrante do outro.
Os trabalhos de Erik geralmente veem em envelopes lacrados e ele fica estarrecido quando um desses chega ao estúdio onde mora. Pois terá que investigar a família e a empresa de Marina.
E então, como nosso herói vai fazer? Desistir? Contar para Marina? Fazer o que sempre faz? E Marina? Como reagirá aos seus sumiços, viagens sem explicação, telefone fora de área?
Só digo uma coisa: vale muito a pena chegar ao final dessa leitura.
Os diálogos entre Marina e Erik são ótimos, fugindo do que você já leu.
Graças à autora o leitor pode conhecer o lado de cada personagem, e isso é mais um ponto a favor. Nos deixa conhecer as reações, conflitos e sentimentos de Marina e Erik no mesmo livro. É simplesmente sensacional!
Recomendo!



Título: Enquanto a Chuva Caía
Autor(a): Christine M.
Editora: Novo Conceito (Novas Páginas)
Número de Páginas: 288


10.9.14

A Última Chance - Karen Kingsbury

 

A_LTIMA_CHANCE_1405090363P

Desde o lançamento desse livro fiquei com vontade de lê-lo, primeiro por causa da capa que é linda e  depois pela sinopse que me deu aquela sensação que encanto que somente bons livros conseguem passar.  Esse é um livro que fala muito de Deus, fé, perdão e segundas chances. Os personagens passam por momentos difíceis em menor ou maior grau, e cada um lida de uma forma diferente com sua fé.

Ellie tem 15  anos quando sua família se desfaz, procura consolo em Nolan, seu melhor amigo, que insiste em dizer que um dia eles irão se casar. É Nolan que tem a brilhante ideia de escrevem cartas que só deverão ser abertas depois de 11 anos. Eles não imaginam o que o futuro reserva a cada um, só desejam continuar sua amizade, enterrar as cartas é uma garantia que um dia estarão juntos novamente. Ellie é obrigada a deixar mais que Nolan para trás, sua relação com sua mãe é totalmente destruída, da noite para o dia ela perde tudo. Seu pai agora é a única pessoa em sua vida, mas é uma relação complicada que aos poucos afasta ainda mais Ellie de Deus.

Nolan é apaixonante! Sua vida é perfeita, ele é uma estrela do basquete com grandes chances de um dia se tornar jogador profissional, tem certeza que Ellie é a mulher de sua vida, mas então as coisas começam a dar errado, no espaço de poucos meses perde duas pessoas que ama, mas ainda assim nunca desistiu de Deus. É muito lindo acompanhar o crescimento de Nolan, apesar das dificuldades ele não desiste, durante os últimos onze anos ele tem procurado Ellie, agora é jogador profissional, amado por muitos, mas o vazio deixado por Ellie é parte dele, sua ultima esperança é que ela vá ao encontro que marcaram quando crianças. É impossivel não se encantar por Nolan, ele é sem dúvida meu personagem favorito.

A autora intercala a descrição do livro entre os personagens, curti muito, permite o leitor adentrar a mente e o coração de todos os envolvidos na trama. Cada  personagem é único, suas emoções são perfeitamente descritas, é impossível não se identificar com um ou mais personagens.

É um livro que trata de como Deus age em nossas vidas, mais que isso, fala de nunca perder a fé independente das dificuldades. Acho que muitos leitores ficarão com certo receito ao saber que a escrita é cristã, eu mesma pensava assim, mas aprendi que antes de qualquer julgamento é necessário conhecer. A leitura flui tão rapidamente que terminei em poucas horas, com o coração transbordando de amor e paz, pode parecer bobagem, mas sempre terei um pedacinho desses personagens comigo.

Espero que a editora publique mais livros dessa autora, será um prazer imenso lê-los.

Ellie tem quinze anos e um melhor amigo — e amor — chamado Nolan. Um dia antes de Ellie se mudar para o outro lado do país com o pai, ela e Nolan escrevem cartas um para o outro e as enterram debaixo de um velho carvalho. O plano é se reencontrar no mesmo lugar dali a onze anos para ler o que cada um escreveu — apenas para o improvável caso de eles perderem contato. Agora, conforme a data se aproxima, muita coisa mudou. Ellie abandonou sua fé e luta para criar a filha sozinha. Na correria do dia a dia, ela sempre encontra tempo para ver na TV seu antigo amigo Nolan, hoje um famoso jogador profissional de basquete, cuja fé em Deus é conhecida pela nação inteira. O que poucos sabem é que as perdas que ele sofreu na vida pesam em sua alma. Mesmo com toda fama e sucesso, Nolan se sente sozinho, assombrado pelo vazio que domina seu coração desde que sua melhor amiga foi embora. Tanto para a desiludida Ellie quanto para o intenso Nolan, o reencontro é mais do que uma promessa de adolescência — é a última chance de descobrir se é tarde demais para se entregar ao amor. Em A última chance, Karen Kingsbury nos brinda com uma história sobre perdas dolorosas, o poder da fé e as feridas que somente o amor pode curar.

Livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/401138


9.9.14

Novidades de Setembro – Companhia das Letras & Seguinte.

88065_gg

Aos 34 anos, David Menasche foi diagnosticado com câncer no cérebro. Seis anos depois, sofreu uma grave convulsão que tirou parte de sua visão, memória, mobilidade e - talvez a mais trágica de todas as perdas - sua capacidade de ensinar. Impossibilitado de continuar dando aulas, o professor decidiu interromper com os tratamentos recomendados pelos médicos e montou um plano audacioso: atravessar os Estados Unidos para contemplar o oceano Pacífico antes de perder totalmente a visão, usando o tempo que lhe restava para encontrar antigos alunos e perguntar a eles do que se lembravam do tempo em que passaram juntos. Ele havia sido importante? Tinha feito alguma diferença? Minha lista de prioridades é uma história real, ainda em construção. Um livro sobre pequenas epifanias, que se debruça com coragem sobre os temas mais complexos de nossa existência, nos fazendo refletir a cada página sobre o que realmente importa nesta vida.

Sem título

Livro

Imagine uma Nova York em que animais selvagens vivem soltos no Central Park, a Grand Central Station virou um enorme mercado… e há gangues inimigas por toda a parte. É nesse cenário que vivem Jeff e Donna, dois jovens sobreviventes da propagação de um vírus que dizimou toda a humanidade, menos os adolescentes.

Forçados a deixar para trás a segurança de sua tribo para encontrar pistas que possam trazer respostas sobre o que aconteceu, Jeff, Donna e mais três amigos terão de desbravar um mundo totalmente novo. Enquanto isso, Jeff tenta criar coragem para se declarar para Donna, e a garota luta para entender seus próprios sentimentos - afinal, conforme os dias passam, a adolescência vai ficando para trás e a Doença está cada vez mais próxima.
* Chris Weitz foi diretor dos filmes “Um grande garoto”, “Lua nova” e “A bússola de ouro”.

MENTIROSOS (1)

Na família Sinclair, ninguém é carente, criminoso, viciado ou fracassado. Mas talvez isso seja mentira.

Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em  decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano eles passam as férias de verão numa ilha particular. Cadence — neta primogênita e principal herdeira —, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos. Cadence admira Gat por suas convicções políticas e, conforme os anos passam, a amizade com aquele garoto intenso evolui para algo mais.

Mas tudo desmorona durante o verão de seus quinze anos, quando Cadence sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido... até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.

Mentirosos é um suspense moderno e sofisticado, impossível de largar até que todos seus mistérios sejam desvendados. Ao mesmo tempo, a prosa lírica e o estilo seco e denso o fará mergulhar de cabeça no mundo dos Sinclair e nas crescentes angústias de Cadence — para então vir à tona completamente impactado.

Lagos, anos 1990. Enquanto Ifemelu e Obinze vivem o idílio do primeiro amor, a Nigéria enfrenta tempos sombrios sob um governo militar. Em busca de alternativas às universidades nacionais, paralisadas por sucessivas greves, a jovem Ifemelu muda-se para os Estados Unidos. Ao mesmo tempo em que se destaca no meio acadêmico, ela se depara pela primeira vez com a questão racial e com as agruras da vida de imigrante.

Quinze anos mais tarde, Ifemelu é uma blogueira aclamada nos Estados Unidos, mas o tempo e o sucesso não atenuaram o apego à sua terra natal, tampouco anularam sua ligação com Obinze. Quando ela volta para a Nigéria, terá de encontrar seu lugar num país muito diferente do que deixou e na vida de seu companheiro de adolescência.


8.9.14

Desafio - C.J. Redwine

DESAFIO_1401364099P

Sinopse: No interior das muralhas de Baalboden, à sombra do brutal Comandante da cidade, Rachel Adams guarda um segredo. Enquanto as outras garotas fazem vestidos e obedecem a seus Protetores, Rachel é capaz de sobreviver nas florestas e de manejar uma espada com destreza. Quando seu pai, Jared, é declarado morto em uma missão, o Comandante designa para Rachel um novo Protetor: Logan, o aprendiz de seu pai, o mesmo rapaz a quem Rachel declarou o seu amor há dois anos, e o mesmo que a rejeitou. Com nada além da forte convicção de que seu pai está vivo, Rachel decide fugir e encontrá-lo por conta própria. Mas uma traição contra o Comandante tem um preço alto, e o destino que a aguarda nas Terras Ermas pode destruí-la.

***

Olá! Meu nome é Crislane e serei resenhista colaboradora do blog. De vez em quando apareço por aqui. ;)

Meu gênero favorito é distopia. Então quando tenho a oportunidade de ler algum livro desse gênero, leio com muito gosto! Para quem não sabe o que é Distopia, é um gênero que retrata um futuro onde a sociedade sofreu drásticas mudanças em seu meio social, depois de algum acontecimento. As distopias são geralmente caracterizadas pelo totalitarismo, autoritarismo, onde o governo oprime controla a sociedade. Nela é inserida uma tecnologia usada como forma de controle.

Desafio é uma distopia diferente das que já li. Distopia medieval, não sei se essa categoria é correta, mas com os elementos inseridos na história, resolvi classificá-la assim. Apesar de ser futurista ainda existem elementos, como: carroças, vestidos, espadas, mulheres não podendo andar sozinhas nas ruas sem estarem acompanhadas, o mundo desse livro tem sua própria tecnologia. Não tão avançada, mas ainda sim se faz presente.

image

A história se passa em torno de 50 anos depois de que as cidades foram destruídas por uma criatura feroz, o Maldito. Um monstro escamoso que lança chamas a qualquer um que cruzar o seu caminho. As cidades agora são cercadas por muralhas, o Maldito não ousa entrar nelas.

Nossa protagonista, Rachel mora na cidade de Boalboden, e essa é governada pelo Comandante James. Um homem temido, que protege a cidade com mãos de ferro. Rachel é mais que uma simples garota ansiosa pelo casamento. Forte e destemida, é assim que a vejo. Essas são características tão fortes em Rachel que, embora seu pai, Jared, o mensageiro, é declarado morto por não ter retornado de sua viagem depois de meses, ela ainda não acredita em sua morte. Ela sabe que o pai deve estar em algum lugar da Terra Ermas, a floresta que cobre a cidade. Com a declaração de morte de seu pai, Rachel se vê sem um Protetor. Rachel acredita que quem será o seu novo Protetor será Oliver, um amigo de confiança de seu pai. Com o testamento de seu pai nas mãos do Comandante, Rachel descobre que um certo rapaz será seu novo Protetor. Logan. #suspiro. O aprendiz de seu pai. Um rapaz que ela odeia... Ou ama?

“Ela me olha com uma expressão de absoluto desprezo, puxa o braço até conseguir soltá-lo e olha para o Comandante.” Página 14

Logan é um inventor. Apesar de ser aprendiz de mensageiro, o que ele mais gosta de fazer é inventar coisas. E um dia pretende fugir da cidade. Órfão, foi acolhido por Jared e Oliver. Logan é imensamente grato aos dois e aceita cuidar de Rachel até ela ter idade para casar. Logan também não acredita na morte de Jared e pretende encontrá-lo usando uma de suas invenções.

Dois jovens que mal sabem o que lhes esperam no mundo lá fora. Depois de uma tentativa frustrada de escapar, Rachel se vê envolvida em uma trama política que pretende mudar seu mundo. E aqueles que ama podem sofrer as consequências de seus atos. Em busca de seu pai e de algo que ele escondeu, Rachel descobre que o Comandante é mais que revela ser.

“– E não vou tolerar uma reles menina falando desse jeito comigo como se estivéssemos no mesmo patamar. Você está viva porque eu permito que esteja. Nunca se esqueça disso.”  Página 16

Esse livro tem aventura do começo ao fim. É tanta reviravolta, que era difícil para de ler para comer, dormir, trabalhar, etc. Uma coisa que não gostei tanto foi à presença do amor entre nossos protagonistas. Achei um tanto dramático demais. Fofo, mas dramático. E o que adorei foi a autora ter colocado o livro em duas visões, tanto de Rachel quanto de Logan. Assim quando os dois estivessem separados, estaríamos a par dos acontecimentos.

Desafio é o primeiro livro da Trilogia Desafio. O segundo e terceiro livros, Deception e Deliverance, já foi lançados lá fora. Ainda temos um prequel dessa trilogia, Outcast. Os três ainda sem previsão de lançamento para o Brasil.

image

Amor, traição, amizade, vingança, sangue, confiança. Tudo isso pode ser encontrado nesse livro.Não me aguento de curiosidade de ler o próximo livro.;)

image

 

 

Crislane Barbosa

http://www.skoob.com.br/usuario/368409