Menu

19.11.14

Nosferatu - Joe Hill

 

Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem. Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor. E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca... e acaba encontrando Charlie. Mas isso faz muito tempo e Vic, a única criança que já conseguiu escapar, agora é uma adulta que tenta desesperadamente esquecer o que passou. Porém, Charlie Manx só vai descansar quando tiver conseguido se vingar. E ele está atrás de algo muito especial para Vic. Perturbador, fascinante e repleto de reviravoltas carregadas de emoção, a obra-prima fantasmagórica e cruelmente brincalhona de Hill é uma viagem alucinante ao mundo do terror.

Meninos e meninas, subam à bordo do “Espectro” e apertem os cintos... Essa vai ser uma viagem assustadora. 

Vamos começar logo esclarecendo para os desavisados: Joe Hill é o filho de um dos maiores escritores de terror/horror de todos os tempos, Stephen King (pausa para palmas e suspiros apaixonados aqui *-*). Pois é, o grande rei do horror deixou seu herdeiro muito bem encaminhado e parece que o talento para nos assustar corre no sangue da família. Hehehe…

 

Em “Nosferatu”, Joe Hill nos leva a bordo de seu Rolls-Royce envenenado, placa NOS4A2 para uma viagem insólita por mundos inventados e por situações assustadoras e impossíveis. Então esteja já avisado para manter sua mente aberta e uma luz acesa para completar essa viagem.

Nesse livro Joe Hill parece finalmente abraçar o fato de que será sempre comparado ao seu pai e que a melhor reposta para isso, é tirar sarro da situação. Em vários momentos no decorrer do livro, podemos ver referências a outros livros e personagens dele e do próprio pai. “Estrada da noite” (o livro de estreia de Joe Hill) e “O pacto” figuram em algumas passagens do livro. Assim como referências a alguns livros de seu pai, “A coisa” e “Doutor Sono”. 

Joe Hill mais uma vez nos entrega um livro bem desenvolvido que te prende do começo ao fim, com um estilo todo próprio de escrita, mas que tem sim, pitadas da influência do pai. Recomendado para todos os fãs de terror e horror que NÃO tenham problemas com sangue e tripas, palavreado forte e situações desconfortáveis.

Pontos extras para o trabalho de edição que foi muito bem feito pela editora “Arqueiro”. Encontrei apenas alguns erros de português durante o livro e nada mais grave. Vale a pena ressaltar as belas figuras que foram incluídas por todo o livro.

Esteja avisado, uma vez que você suba a bordo do “Espectro” em direção a “terra do natal”, é possível que nunca mais queira voltar.

Abaixo alguns desenhos tirados da net (não do livro) de um dos personagens principais da história, o bom e velho "Charles Talent Manx", seu carro "espectro" e a "terra do natal", para onde ele leva as crianças e onde a infelicidade é proíbida. 


 
 
 
 
Beijos e sonhos terríveis para todos! :*

17.11.14

Colin Fischer - Ashley Edward Miller & Zack Stentz

 

colin-fischer_1.jpg.1000x1353_q85_crop

Colin Fischer é um adolescente de 14 anos bastante intrigante. Ele carrega para todos os cantos seu caderno de capa vermelha, onde faz anotações sobre os acontecimentos que julga interessante. Além disso, ele tem uma lista de cartões faciais, que o ajuda a compreender as expressões das outras pessoas. Colin tem síndrome de Asperger, o que explica muito do seu comportamento peculiar. Não gosta de ser tocado ( tolera quando é avisado), não gosta de azul, organiza suas coisas (pilhas de livros, revistas e brinquedos) com uma lógica que só ele compreende e evita o olhar direto dos outros,o que muitas vezes deixa-o parecendo triste.

Por sua dificuldade de interação social e comportamento diferenciado, Colin sofre bullying de seus colegas de classe. Principalmente de Wayne Connely, que logo em seu primeiro dia no colegial, na escola West Valley, demonstra sua animosidade à Colin. No entanto, há uma reviravolta quando em um intervalo das aulas, uma arma é disparada e Wayne é o principal suspeito. Colin com seu alto QI e incrível percepção, tem convicção de que não foi Wayne o autor do disparo, e tenta inocentá-lo. Inicia-se então, uma investigação onde Colin fica obcecado em descobrir a verdade.

O desenvolvimento do mistério, não tem tantas surpresas assim, e nada de muito instigador. No entanto, há um outro lado da história que é divertida, envolvente e muito fofa. O relacionamento de Colin com seus pais, também é uma maneira de mostrar o comportamento do portador da síndrome de Asperger. O seu jeito impassível, torna alguns momentos engraçados. Eu particularmente, adoro histórias de nerds e fiquei encantada com ele. É um livro breve, de fácil leitura e em algumas partes reflexivo.

A trama envolve outros personagens interessantes, como Danny, o irmão chato e provocador de Colin. Eddie , Cooper e Stan, que fazem parte da turma que o atormentam. E finalmente, Melissa Greer, uma amiga muito especial que excetuando seus pais, parece ser a única a compreendê-lo.

Sinopse

Resolvendo o crime. Uma expressão facial por vez. O ano letivo de Colin Fischer acabou de começar. Ele tem cartões de memorização com expressões faciais legendadas, um desconcertante conhecimento sobre genética e cinema clássico e um caderno surrado e cheio de orelhas, que usa para registrar suas experiências com a MUITO INTERESSANTE população local. Quando um revólver dispara na cantina, interrompendo a festinha de aniversário de uma das garotas, Colin é o único que pode investigar o caso. Está em suas mãos provar que não foi Wayne Connelly, justamente aquele que mais o atormenta, que trouxe a arma para a escola. Afinal de contas, a arma estava suja de glacê, e Wayne não estava com os dedos sujos de glacê…

Livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/374171ED422528

10365956_325255944304732_6205995820296839769_n

Essa resenha foi escrita por Luana Oliveira, colaboradora do blog.

Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100004609879348&fref=ts