Menu

26.1.15

Indo Longe Demais – Tina Seskis

download (1)

Será que fugir é a melhor opção?

Por qual motivo uma jovem mulher, bem casada e feliz, com um filhinho pequeno, fugiria da família em busca de outra vida? É esta a pergunta angustiante que vai atormentar o leitor durante a leitura de Indo Longe Demais (Record, 308 páginas), livro de estreia de Tina Seskis, um thriller surpreendente e que prende até a última página.

Emily Coleman, advogada, tinha uma boa vida ao lado do marido Ben e a chegada do filhinho só aumentou a felicidade da família. Certo dia resolve largar tudo e todos, fugir, recomeçar a vida bem longe de Manchester. Há uma razão para este desatino, mas ela encontrará muitos desafios. O maior? Tentar esquecer. O tempo todo Emily tenta esquecer tudo que deixou para trás, o passado que a atormenta. E nessa tentativa suas piores companhias são a memória e a culpa.

O livro já começa na pressão: Emily resolve assumir uma nova identidade, seu primeiro nome, Catherine, pelo qual não é conhecida, e o sobrenome de solteira, Brown. Sem precisar mudar os documentos, segue para Londres e encontra um quarto numa casa caindo aos pedaços, onde dividirá espaço com pessoas completamente diferentes de sua realidade. Mas um anjo, que atende pelo sugestivo nome de Angel, acolhe a nova moradora. Então a nova vida de Emily – agora Cat – começa a ganhar forma: consegue emprego como recepcionista, faz alguns amigos, tenta levar uma vida normal. Mas jamais contará seu segredo.

Simon tenta se aproximar da atormentada Cat:

- Você estava prestes a me contar seu segredo naquela hora, não estava, Cat? O que era? Você ainda pode me contar. Tenho certeza de que posso ajudar.

Olho para ele com tristeza, pois sei que ele não pode ajudar, ninguém pode. Também sei que voltei da beirada do precipício, que isso pertence à minha vida passada e que agora nunca mais vou contar, enquanto eu viver.

O livro se divide em quatro partes bem definidas e cronológicas. A narrativa alterna o momento presente, em primeira pessoa na voz de Cat, e eventos passados, em terceira pessoa, que abrangem todos os personagens envolvidos diretamente com Emily/Cat. Achei que a autora deu um panorama perfeito para a história. Examinamos os personagens, seus erros e sentimentos mais íntimos, além da ordem dos fatos marcantes. Caroline é a irmã gêmea problemática, invejosa, provocativa, que desperta boa dose de antipatia. Ben é o marido fofo, companheiro leal, compreensivo e perfeito. Frances, a mãe das gêmeas, parece anulada, mas é uma mulher forte e provará isso. O pai, Andrews, é o tipo que enfia os pés pelas mãos, insatisfeito e covardão. Angel é a boa amiga e estará sempre presente.

Fico impressionada por ela (Angel) não tentar consertar as coisas para mim, apenas me aceitar, com defeitos e em carne viva, como eu sou.

Gostei logo de Emily. É uma mulher tranquila e sempre tentou manter uma proximidade civilizada com a péssima irmã, Caroline, a malvada. A autora esmiúça toda a vida de Emily/Cat, desde o nascimento das gêmeas até o momento decisivo que dividirá sua vida. Só na terceira parte é revelado o que aconteceu para Emily abandonar tudo e tornar-se Cat. Ela se envolve com álcool e drogas, na tentativa de se tornar diferente da Emily do passado e, principalmente, para anestesiar a dor...

(...) tive uma semana inteira para me organizar e, apesar de à noite minha alma ainda gritar no escuro por meu garoto, pela forma como o abandonei, como o perdi, ainda estou estranhamente orgulhosa das minhas conquistas.

O momento tão esperado é impactante! Ao descobrir, perdoei Emily, senti sua dor e desespero. Não esperava. Fiz inúmeras conjecturas, mas não achei que a coisa fosse pior do que eu poderia imaginar.

O texto é instigante, poucos livros me seguraram tanto assim. Os conflitos familiares são bem trabalhados, os personagens são humanos e falíveis, como nós. A trama é costurada com cuidado para manter a tensão e o mistério. Aconselho muita atenção aos detalhes, pode ser que o leitor descubra o que não consegui, consiga ver nas entrelinhas as pistas que a autora dá. A surpresa foi, para mim, paralisante e dolorosamente cruel.

O desfecho me pareceu coerente, gostei, mas desconfio que não agradará a todos. Depois de tanto drama e sofrimento, numa história onde as coisas são tão reais e cruas, há quem prefira que a tragédia se consolide. No outro extremo, os que torcem pelo happy end. Como sou aberta a finais que, acima de tudo, me convençam, adorei fechar a última página convicta de que o final é bem provável, é possível.

Esta história mexeu comigo, permanecendo depois da leitura acabada. Remoí as dores de Emily/Cat. Por duas razões que não poderei contar aqui – seriam spoilers – fui atingida pela autora. Ponto para ela! Adorei sua estreia e mal posso esperar pelo próximo lançamento. Gostei muito do livro e dei as cinco estrelinhas do Skoob.

Uma expressão citada pela protagonista define bem toda a loucura que experimenta, para sobreviver ao trauma: em carne viva. Você pode esconder um segredo, mas jamais conseguirá esquecê-lo.

(Quem já leu e/ou quiser saber as minhas razões, contate-me pelo Facebook ou Skoob, deixarei meus links no final da resenha).

Livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livros/indo-longe-demais/414801ed471020

10431528_457140047755038_7827353751796892210_n_thumb[4]

 

Meu link do Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/596865

Meu Facebook: https://www.facebook.com/manu.hitz.7


10 comentários:

  1. apesar dos seus comentários elogiosos não posso deixar de dar uma torcidinha de nariz, não curti tanto a premissa quanto imaginei mesmo curiosa ainda tenho um pé atrás, Emily me pareceu bem doente à principio
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Manuh , como sempre suas resenhas me instigando, haha assim minha pilha fica infinita . Beijão ^. ^

    ResponderExcluir
  3. Manuh, thriller psicológico é comigo mesmo. Adoro! Sem dúvida vai para minha lista de desejados. Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  4. Oi Manuh!
    Esse ano quero ler mais Thriller psicológicos, ano passado só ficava namorando os lançamentos e esse ano quero ler mais, sua resenha me deixou muito curiosa, e fico imaginando mil coisas que levaram Emilly a tal decisão. Espero ler em breve e parabéns pela resenha!!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. uauuuuuu... que delícia de resenha, este livro é a minha cara, totalmente minha cara. dramas psicológicos com ou sem thriller valem noites insones. nem preciso falar que estou tremendamente curioso. sou pai e sei o quanto é dolorido me separar dos filhos, agora sendo mãe a coisa deve ser bem mais em baixo. o quanto de dor é preciso para que deixemos tudo pra trás, inclusive um filho? é isso que estou me perguntando. e claro, finais inusitados é tudo de bom, porque a vida nem sempre termina num happy end, é preciso coerência. alguns fins não justificam o enredo, deixam-me desgostoso. parece não ser o caso deste livro né? "em carne viva" me chamou a atenção, porque a dor é insuportável (e a curiosidade também). é claro que quero ler este livro, acho até que você faz de propósito, coloca uma resenha dessas pra deixar a gente salivando. 5 estrelas, ebaaaaa! se você considerou o livro assim, já se tornou obrigatório!

    ResponderExcluir
  6. Oi Manuh, como sempre uma ótima resenha.
    Estou com o livro aqui, mas ainda não me animei para a leitura.
    Acho que não faz muito o meu estilo, mas qualquer hora dessas terei que pegar... kkkkkkkkk
    Beijokas e ótima quarta-feira.
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi, Manu! Quando você vai cansar de escrever tão bem e me deixar sempre tão curiosa para conhecer os livros que lê? Sério, é injusto!
    Não conhecia o livro, mas me amarrei nessa questão de suspense, dor e mistério. Fiquei interessada em saber o que deu nessa mulher para abandonar a família assim e assumir uma nova identidade. Deve ser algo bem forte, né?

    Um beijo, sua linda!
    Doce Sabor dos Livros - Aguardo a sua visita!

    ResponderExcluir
  8. Manuh, eu te confesso que folheei esse livro, cheguei a ler o final, mas não entendi nada, o que é totalmente justificavel.

    Adorei sua resenha, me intrigou o mistério por trás do abandono familiar. Eu confesso que esse é um assunto que me incomoda bastante.

    Sua resenha como sempre é maravilhosa!

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Manuh!
    A história me pareceu impactante, fiquei mega curiosa após ler essa resenha, sobretudo sobre o motivo que fez Emily abandonar o filho e para saber o que aconteceu no final.
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  10. Olá!! Adorei a resenha! Já tinha visto o livro, mas não havia me interessado em um primeiro momento... Mas confesso que fiquei curiosa =D

    Beijos
    albumdeleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.