Menu

20.5.15

Vermelho como o sangue - Salla Simukka

A maneira mais fácil de não ter problemas na vida é se intrometer o mínimo possível.


Título Original: As red as blood
Autora: Salla Simukka
Editora: Novo Conceito
Sinopse: No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue.
Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos.
Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios.
Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma.

É um livro que se lê rápido e distrai. Sim, eu to começando assim mesmo porque tô tentando passar o que senti lendo esse livro. Sei que é adolescente, que está fazendo sucesso... Mas talvez seja apenas pela agitação constante e exagerada da história, que foi chamada de releitura do conto de Branca de Neve. Por isso me interessou, sou viciada nos contos de fadas, como já mencionei aqui então tento ler tudo o que é associado a eles.

Assumo que eu, Priscila, me decepcionei, pois não vi nada de Branca de Neve.

Lumikki Andersson é uma adolescente de 17 anos cujos pais deram a ela o nome de Branca de Neve (em finlândes fica isso aí, aparentemente) e que lhe deram a permissão de morar sozinha para cursar o ensino médio em outra cidade. A jovem é uma adolescente apática: sua kitnet não tem nenhuma decoração, não mostra nenhum estilo em particular a não ser a total ausência dele. É uma menina desconfiada: não usa nada que lhe dê algum cheiro, não usa roupas que chamam atenção. Não tem amizades nem inimizades, é alguém de presença indiferente na vida dos outros, assim como a presença dos outros lhe é indiferente (a não ser as moças que usam perfumes... essas ela não gosta nenhum pouco!). Analisa todas as situações pelas quais passa, sendo uma pessoa diferente em cada uma delas. No decorrer da história, eu decidi que a menina é uma camaleoa: expert em disfarces.

A história é policial: ela, em sua fuga do meio das pessoas, vai meditar na sala de fotografia da escola antes da aula e descobre penduradas um bom montante de euros pendurados para secar... E sai, pensando no que fazer. Denunciar pro diretor, chamar a polícia... Fica viajando olhando pela janela a neve lá fora... Quando decide dar mais uma olhadinha e vê um colega desabalado vindo da direção da sala de fotografia com uma mochila que não é o estilo dele. Ela junta um mais um e o segue... Esse é o início de sua aventura.

Ela tem... Lemas que ela segue, como aquele que coloquei lá em cima. Lemas para lhe manterem longe de problemas e ela quebra todos, se enfiando de cabeça nessa história do dinheiro e sua origem. É uma jovem durona, admito... Pelo que foi explicado, ela tem esse comportamento por Bullying sofrido durante todo o ensino fundamental, até que ela encarou suas agressoras de frente.

Lumikki segue traficantes, policiais, vai a uma festa black tie de pessoas poderosas do crime... E sempre, sempre passa despercebida. É uma mestre dos magos, minha gente! O estilo da história me lembrou um pouco - tá, muito - a saga Milleniumm e sua protagonista Lisbeth Salander. Mas achei bem exagerado todas as qualidades investigativas de Lumikki em uma adolescente que nunca teve nenhum aprendizado em especial a não ser o que aprendera para se esquivar do Bullying.

É um livro rápido, de escrita simples... Pode agradar a várias pessoas por ser policial investigativo. Não tem muitas reviravoltas, mas distrai um pouco. O li em 24 horas por querer saber como terminava - e também para terminar logo, admito.

O livro vem com um marca páginas legal, cujo verso é espelhado e um folheto falando dos outros livros de Salla Simukka.
O livro foi traduzido para diversos outros países. Na Finlândia, a capa do livro é a mesma que do Brasil.

5 comentários:

  1. Eu fiquei muito interessada e o mérito é da sua excelente resenha.
    Parabéns,
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oooh fico feliz que minha resenha tenha lhe estimulado a ler *-* muito obrigada por isso!

    ResponderExcluir
  3. não consigo me sentir atraida pela trama da história, simplesmente tem algo nela que não me chama a atenção
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Estou lendo e minha opinião é que o livro é chatinho e não estou vendo nada de Branca de Neve também, para completar tem essa personagem Lumikki que é insuportável e considera-se inteligente e superior, menosprezando todos os outros como se fosse uma massa bestificada... Achei-a insuportável, cada a humanidade dessa personagem? Ela se acha melhor que todos, que nojentinha...

    xoxo
    Mila F.
    @camila_marcia
    www.delivroemlivro.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Achei o mesmo, Camila! É muito apelativa e bem irreal, a existência da Lumikki

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.