Menu

2.7.15

A Lista - Cecelia Ahern


Capa comum: 384 páginas
Autora: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito (24 de abril de 2015)
Idioma: Português
Sinopse:

Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente.
Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira.
Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.

A profissão de Kitty Logan parecia estar indo bem até que ela cometeu um erro. Ela acusou Colin Maguire de estupro em plena rede nacional sem uma verificação mais profunda da veracidade de tal comunicação.  A acusação acabou sendo uma inverdade, e a emissora foi punida, tendo que pagar uma alta quantia de indenização. A carreira de Kitty foi destruída junto com a sua credibilidade, a emissora a suspendeu, sua família está desolada, e realmente sua existência não está fácil. Como se sua vida não pudesse ficar pior, ela teve de enfrentar a perda de sua melhor amiga – Constance, a mulher que lhe ensinou tudo o que sabia - que estava morrendo de câncer.

Kitty vai fazer uma visita a sua amiga no hospital e Constance diz a ela que possui em sua casa em envelope cujo conteúdo é o tema para uma das melhores matérias a ser escrita, ela tinha uma história e que com essa história ela poderia ter a chance que necessitava para recomeçar a sua vida e reerguer sua carreira. Infelizmente antes que Kitty pudesse falar com ela novamente Constance morreu. Ela ficou com uma lista de cem nomes e sem pista alguma do que deveria fazer, não existe idicações da história e não há detalhes - apenas os cem nomes, cada um dos quais poderia ser qualquer um, em qualquer lugar. Antes que ela sabia o que estava acontecendo Kitty tinha se comprometido a escrever a história de Constance, ela iria honrar com o último desejo de sua amiga mesmo que sua vida estivesse destruída e ela estivesse na eminência de perder seu apartamento.

[...] As pessoas raramente sabem o que querem; só ficam sabendo depois do fato [...]

Se você está procurando um romance de chick-lit, com certeza esse não é o livro certo para você. Confesso que fiquei apreensiva com a leitura, pois Cecelia Ahern mudou nessa história sua forma de abordagem em relação aos outros livros que tinha lida da autora. Para começar, você provavelmente não vai estar nada interessada em Kitty. Eu a achei muito egocêntrica e somente com a morte da melhor amiga é que figura que ela começa a despertar para além do seu umbigo e percebe o que realmente importa na vida. E ela vai ter que enfrentar muitas adversidades antes de conseguir o que deseja. O romance está lá, mas não é a assinatura marcante, a história gira ao redor dos cem nomes.

Não é difícil adivinhar a conexão entre os nomes, mas não é isso o que realmente interessa na narrativa. O importante são as histórias individuais contadas pelas pessoas que Kitty consegue entrar em contato. Há uma ampla escala de idades e pessoas de todas as esferas da vida, mas em falar com seus contatos Kitty gradualmente chega a perceber mais sobre sua própria vida e finalmente consegue se descobir. Não posso dizer que foi o melhor livro que li, mas é um livro de descobertas pessoais e com certeza traz uma mensagem bonita de que cada pessoa é um ser único e especial.

[...] Todo indivíduo em qualquer parte do mundo tem uma história para contar. Talvez pensemos que somos pessoas comuns, que nossa vida é entediante porque não estamos fazendo nada de extraordinário nem estampando as capas dos jornais, tampouco suas manchetes, nem ganhando prêmios memoráveis. Mas a verdade é que todos nós fazemos coisas fascinantes, admiráveis e das quais deveríamos sentir orgulho [...]


4 comentários:

  1. eu ja li, mas sabe aquela história que te marca que você não consegue expressar bem em palavras?
    se pararmos pra analisar é um enredo mais simples, mas talvez o mais significativo da autora, ao trabalhar essa lista interminável de histórias ela nos mostra como cada um é especial! me peguei chorando em alguns momentos, rindo em outros, mas com certeza é um livro que recomendo!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Nadya, gosto dos livros da Cecelia, mas este eu ainda não li, apesar de já estar namorando o enredo.
    Bjs,Rose.

    ResponderExcluir
  3. Fabrica dos Convites vale a pena ler sim. Um pouco diferente dos livros autores mas possui um próprio encanto.

    ResponderExcluir
  4. Thaila muito bom quando nos identificamos com o livro! Feliz em saber que você se emocionou tanto. Gosto muito quando a história nos prende e nos leva com ela. Beijos!

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.