Menu

7.9.15

Soldier: leal até o fim - Sam Angus


Capa comum: 256 páginas
Autor: Sam Angus
Editora: Novo Conceito; Edição: 1ª (6 de julho de 2015)
Idioma: Português

Sinopse:

Baseado em fatos históricos e relatos reais sobre a atuação de corajosos animais durante a Primeira Guerra Mundial.
Uma história de amor e bravura, para quem gosta de animais. Misturando fatos históricos e drama, livro foi baseado nos cães que trabalharam com os soldados aliados durante a Primeira Guerra Mundial. 
Quando Tom Ryder é convocado para lutar na Primeira Guerra Mundial, não imagina o quanto o seu irmão mais novo, Stanley, sentirá sua falta. A única alegria do garoto são os filhotes de Rocket, a cadela premiada que é o orgulho da família. Porém, ao descobrir que Rocket teve filhotes mestiços, o pai de Stanley fica furioso e ameaça afogar os cãezinhos. 
Inconformado e desejando reencontrar Tom, Stanley foge de casa. Mentindo a idade, consegue se alistar no exército britânico. Somente o amor incondicional pelos animais será capaz de fazê-lo sobreviver à brutalidade e à frieza dos campos de batalha.

    Soldier: leal até o fim é uma narrativa fantástica e em meio a tantos lançamentos no mercado, ler uma história dessas é de fato uma experiência muito agradável. Fazia tempos que uma leitura não me sensibilizava a ponto de me fazer sorrir e chorar. A escrita é tão concreta e pungente, que acabei me transportando para o lado dos personagens, sentindo, compadecendo, vivenciado o dia a dia de cada um deles.

    E é em meio a Primeira Guerra Mundial, no ano de 1917 que o enredo acontece. Uma história dramática de amor, renúncia e destruição.  Stanley Ryder é um garoto de 14 anos, cujo pai Da, mudou de forma abrupta depois da morte de sua esposa Ma, transmutando de um renomado treinador de cavalos e cães de corrida, para um homem emocionalmente deformado, onde a apatia e insensibilidade afastava a cada dia seu filho do seu convívio. Para Stanley, com a ida do seu irmão Tom que tinha se recrutado no exercito inglês e tinha ido lutar na 1° Guerra Mundial as coisas só tinham se complicado ainda mais. Para Stanley só uma coisa não tinha mudado para pior, a querida cachorra Rocket, uma premiada cadela de raça ainda estava com ele. Mas infelizmente nada parecia caminhar de forma correta e um dia Rocket escapa de casa e retorna prenha de uma ninhada de cães mestiços.

   Stanley espera desejosamente pelo nascimento dos filhotinhos, mas seu pai Da tem pensamentos de se livrar de todos assim que nascerem, pois cães de raça não definida de nada valeriam para a família, pelo ao contrário trariam apenas prejuízos, já que em tempos de guerra todos aqueles que possuíssem cães teriam que pagar uma espécie de licença para criar os mesmos. Dessa maneira, não querendo ter prejuízo, os cães são entregues por Da para um grupo de Ciganos, menos um cãozinho branco por quem Stanley tinha simpatizado e até colocará o nome nele de Soldier, em homenagem ao seu irmão Tom. Embora Da, visse que o filho gostava do cachorro ameaçava constantemente afogar o mesmo no lago.

   Um dia quando Stanley acordou e não encontrou Soldier ele admitiu que o pai finalmente tinha cumprido com o prometido e afogado o cãozinho, assim profundamente magoado com Da, Stanley decide fugir de casa e dessa maneira ele se alista no exército. Mesmo mentindo sobre a  idade consegue ir pra guerra, onde ele acredita que poderá encontrar e finalmente trazer Tom pra casa.  Apesar da sua juventude Stanley consegue um cargo valoroso, ele passa a treinar cães para serem mensageiros, cães responsáveis por levarem notícias, mesmo através de tiros e bombardeios em época que linhas de comunicação foram arruinadas.
"Os cães são quatro vezes mais rápidos do que os seres humanos. Eles conseguem atravessar as crateras de bomba alagadas e os canais. Eles conseguem encontrar seu caminho durante a noite e correr muito rápido, tanto de dia quanto à noite. Não têm medo de cruzar essas crateras. E podem pôr em prática seu instinto de direção apenas uma semana depois de chegar a uma nova área, escolhendo um cheiro individual e passando a segui-lo, apesar dos milhares de cheiros concomitantes, através de um terreno que é intransponível para o cavalo, o homem ou a máquina."
    Por intermédio de uma prosa sublime, a escritora Sam Angus dá vida a guerra de trincheiras e os horrores encarados por homens em frente aos campos de batalha. Seus personagens descritos de maneira inesquecível transmitem bravura até mesmo através do horror que só uma guerra pode remeter. Stanley encontra não apenas guerra e destruição, ele acaba conseguindo uma nova família entre os soldados e finalmente pelas próprias circunstâncias começa a entender melhor o comportamento de seu próprio pai, de como um homem pode se transformar por meio da dor, através da perda.
"A cada momento que se passava, a cada visão que passava defronte de seus olhos, seu medo crescia."
    Amei o livro, e fiquei tomada pela história desde a primeira página. Recomendo a leitura para toda e qualquer pessoa, apenas aviso que lágrimas serão inevitáveis, pois garanto a você que esse livro tem habilidade nata de nos provocar emoções fortes e reais.
"O cão deve querer estar com você. Se ele quiser estar com você, então ele será leal, corajoso e honrado. Não só isso: ele vai ser impulsionado como se por uma espécie de magnetismo, atravessando em meio às bombas, através de furacões de fogo e de campos com tanques se deslocando, pelo desejo de estar com você. Se ele amar você, vai correr para casa, para você, mesmo através de nevascas de estilhaços de ferro."
A seguir três imagens que retirei da internet. Créditos para http://www.museudeimagens.com.br/caes-mensageiros-guerra/

Cão mensageiro fotografado no exato momento em que salta trincheira alemã, durante a Primeira Guerra Mundial. Fotografia: Museu Imperial da Guerra, Londres, Inglaterra.
Canil central francês, Primeira Guerra Mundial. Fotografia: autor desconhecido.





5 comentários:

  1. eu tenho uma relação de afeto com todos os bichos,mas em especial por cachorros que são os anjos de 4 patas que Deus manda então o livro tem um apelo especial pra mim
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoro os animais! Mais que companheiros!

      Excluir
  2. Estou querendo muito ler o livro. Na verdade nem sabia do que o livro falava especificamente, apenas que o foco são os cães e, como os amo, fiquei querendo ler!! Depois de saber que a história foi baseada em fatos reais agora sim que preciso ler, e urgentemente!!!! Sei que vou chorar muito, rsrsrs! Com certeza vou ler.
    Bjus.

    ResponderExcluir
  3. Nadya!
    Tive oportunidade de ler esse livro também e me emocionei demais, um drama muito comovente.
    Adoro livros ambientados nas guerras e com esse não foi diferente.
    “O passado não reconhece o seu lugar: está sempre presente...”(Mario Quintana)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.