Menu

27.11.15

O Vilarejo – Raphael Montes

o vilarejo

Edição: 1
Editora: Suma de Letras
Ano: 2015
Páginas: 96
Autora: Raphael Montes

Sinopse: Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.
As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.

***

Comecei a leitura sem expectativas. Não sabia o que exatamente encontrar nesse livro, já que eu não li seu trabalho anterior, o livro Dias Perfeitos.

O horror do livro não vem de nada que seja sobrenatural. Nós temos esse horror em nós e Raphael acaba por utilizar cada um deles de modo extraordinário. Mostra nossa parte da natureza mesquinha e cruel.

O Vilarejo é contado em sete contos. Em cada um, um pecado capital é abordado: gula, inveja, soberba, luxúria, preguiça, ganância e ira. Supostamente, o padre e demonologista, Peter Binsfeld, teria escrito cada conto, em 1589, relacionando cada pecado capital a cada um dos Setes Reis do Inferno, demônios. Eles eram responsáveis por invocar o seu pecado em cada ser humano, semeando a degradação e corrupção do ser. Todos os personagens vão se envolvendo com um deles e a partir daí a natureza egoísta toma conta.

vila

Os contos são curtos e rápidos. Porém isso não interfere em nada na compreensão de cada um. Os personagens são todos do mesmo vilarejo, então algum personagem de um conto pode aparecer em outro. Os contos não estão em ordem cronológica o que não interfere no seu entendimento e permite que possa ser lido em qualquer ordem. No entanto, recomendo que o primeiro e o sétimo contos sejam lidos na ordem estabelecida pelo autor. O impacto será maior...

As imagens foram feitas por Marcelo Damm. Cada traço trás vida a um acontecimentos do horror descrito. As imagens ficaram muito bem feitas. Elas nos trazem a sensação de ser um expectador de cada acontecimento.

Na primeira parte do livro temos o prefácio, ele nos relata como esses contos chegaram às mãos do autor. Foi ali que Raphael Montes me conquistou. Ele foi bastante persistente em identificar a língua no qual os contos foram escritos. A língua desconhecida seria o cimério, uma língua morta há anos. Persistiu até conseguir traduzir os contos. Raphael se apresenta apenas como um mero tradutor dos contos.

image

O autor me conquistou e me enrolou. Fui lendo e acreditando de verdade que os contos relatados realmente aconteceram, ou no mínimo chegaram perto de ser reais. E eu me senti boba por ter sido enganada. Boba, mas satisfeita. A sensação de prazer foi intensa. Incrível como ele me levou a envolver na leitura e me fazer acreditar em cada palavra descrita.

Se eu recomendo? Claro que sim. Leia e se delicie. Ou choque-se.

image

crislane

Crislane Barbosa

http://www.skoob.com.br/usuario/368409


5 comentários:

  1. Oi, Juliana! Foi com este livro que pude conhecer um pouco mais sobre o autor Raphael Montes e apreciar as suas outras obras. O Vilarejo me conquistou, não por ser um livro extremamente elogiado, mas por ser do gênero de terror, estou devendo esta leitura, e por ser construído em contos e ilustrações.
    Blog: Consumidor de Sonhos | consumidordesonhos.blogspot.com.br
    Instagram: Consumidor de Sonhos | CdS

    ResponderExcluir
  2. esse livro foi a consagração do autor pelo que tenho percebido, muitos comentários positivos rodam tanto pela inovação quanto pela construção da trama

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. O livro parece bom, já tentei ganhar ele num sorteio, mas não rolou. Então ainda não tive a oportunidade de conhecer, mas um dia espero ter a experiência, se demorar muito para ter o livro físico vou ler em pdf mesmo (tenho dado um tempo das leituras em pdf porque meus olhos começam a doer).
    Ótima resenha!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Já está na minha lista de livros a ser lidos há algum tempo! Meu gênero favorito, além do suspense, é o terror e esse livro parece ser muito bom. Ainda tem essas imagens para dar mais ênfase à história!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Crislane!

    Penso que vale a pena a comparação entre o Raphael e o Sthepen King, pois ambos conseguem mexer com o leitor com suas histórias de formas incríveis. E é difícil ligar contos diferentes sem usar uma sequência e o Raphael fez isso.
    Aliás, só eu que percebi que o elogio da capa do livro era da Fernanda Torres?

    Um abraço!

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.