Menu

14.12.15

Resenha - Perdido em Marte - Andy Weir

Perdido em Marte

Capa comum: 336 páginas

Autor: Andy Weir

Editora: Arqueiro; Edição: 1ª (4 de setembro de 2015)

Idioma: Português

Sinopse:

“Não consegui largar este livro! É a rara combinação de uma ótima trama original, personagens incrivelmente reais e uma precisão técnica fascinante. É como um episódio de MacGyver na Ilha misteriosa.” – Astronauta Chris Hadfield, comandante da Estação Espacial Internacional e autor de An Astronaut’s Guide to Life on Earth .
Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho.
Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente.
Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate.
Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico – e um senso de humor inabalável –, ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência.
Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a NASA e, quem sabe, sair vivo de lá.
Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.

Resenha:

O livro Perdido em Marte, escrito por Andy Weir é simplesmente fantástico. Um herói em uma posição desanimadora que se esforça para sobreviver num ambiente extremamente inóspito e implacável é o chamariz dessa obra. Mark Watney, um biólogo e astronauta, que por conta do acaso e infortúnio, foi deixado para morrer em Marte por sua equipe. Eles estavam em uma missão de exploração científica onde deveriam passar um mês e pouco, quando no sexto dia acontece um acidente e todos da equipe acreditam que Mark Watney faleceu nesse episódio. Eles vão embora e deixam o corpo de Mark para trás.
[...] Estou ferrado. Essa é a minha opinião abalizada. Ferrado. Seis dias após o início daqueles que deveriam ser os dois meses mais importantes da minha vida, tudo se tornou um pesadelo [...]
Mark ao acordar sozinho e ferido em Marte, tem que achar uma maneira de revelar aos outros que está vivo, enquanto tenta desesperadamente descobrir como sobreviver por tanto tempo quanto possível, na expectativa que a NASA possa encontrar uma maneira de levá-lo de volta para casa.

[...] Foi uma sequência ridícula de acontecimentos que quase me fez morrer, e uma sequência ainda mais ridícula que me fez sobreviver [...]
A luta pela vida é grande, pois tem todo o problema de comida e de comunicação, já que devido ao acidente a base ficou sem comunicabilidade. Ele com uma logística impressionante constata que a alimentação que era para durar um mês, com sabedoria poderia durar cerca de um ano. O grande problema é que a próxima expedição só voltaria em 4 anos. Que perrengue hein? A maior parte dessa aventura inimaginável é contada através de um diário de bordo onde ele narra suas dificuldades e vitórias dia após dia. Fiquei boba com a inteligência e sagacidade de Mark Watney, realmente MacGyver comeu poeira...
[...] Então, esta é a situação: estou perdido em Marte. Não tenho como me comunicar com a Hermes nem com a Terra. Todos acham que estou morto. Estou em um Hab projetado para durar 31 dias. Se o oxigenador quebrar, vou sufocar. Se o reaproveitador de água quebrar, vou morrer de sede. Se o Hab se romper, vou explodir. Se nada disso acontecer, vou ficar sem alimento e acabar morrendo de fome. Então, é isso mesmo. Estou ferrado [...]
O livro é muito interessante mesmo, a maioria dos desafios que enfrenta Watney são extremamentes bem contados, ou seja, o livro é bem minucioso galera e vamos ter uma verdadeira aula de química. Mas não pensem que o livro é chato, nada disso, com uma narrativa bem humorada e otimista é impossível não gostar da história! Se preparem! Enfim um livro mais do que recomendado!

1 comentários:

  1. deve ser muito doido começar essa exploração por Marte junto com o personagem, uma adrenalina do começo ao fim!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.