Menu

28.12.15

Supernova: A Estrela dos Mortos



"O Lar do Sacrifício:

Não existe sucesso sem dor. Não existe vitória sem perdas.
Para vencer, o que está disposto a sacrificar?"



Autor: Renan Carvalho
Editora: Novas Páginas
Ano: 2015
Sinopse: Após deixar sua cidade natal, Leran está perdido em busca de uma pessoa que possa ajudar sua irmã Luana a controlar seus poderes. Enquanto foge de caçadores colocados em seu encalço, o arqueiro conhecerá novos lugares e aliados para sua jornada. Ao mesmo tempo, Tlavi, a jovem Estrela da Cura, tenta desvendar os mistérios de um criminoso capaz de erguer as forças das trevas no território pacificado do Reino Central. O caminho desses personagens está ligado pelo destino. Será que poderão lutar juntos para descobrir como vencer os novos inimigos? Conseguirá Luana despertar sua verdadeira força? Como Leran agirá diante da evolução dos poderes da irmã? É o que você vai descobrir em Supernova: A Estrela dos Mortos.


"Como irei proteger o mundo se não consigo organizar nem as coisas dentro da minha cabeça?"

É o segundo livro desta série, fiz resenha do primeiro aqui. Devo dizer que este me agradou mais que O Encantador de Flechas, que eu demorei meses pra ter coragem de terminar. A escrita melhorou bastante e não me senti sufocada durante a leitura, dessa vez!

A Estrela dos Mortos se divide em primeira pessoa entre três personagens principais: começamos com Tlavi Hur, uma Estrela da Cura.

Mas o que diabos é uma Estrela, Pri? São pessoas com poderes maiores, jovem padawan. No livro I fomos introduzidos nesta ideia, mas sem muita explicação do que era. Neste, Há toda uma explicação sobre a mitologia do mundo mágico de Supernova e como os poderes foram criados pelos deuses. Gostei bastante, embora algo, que direi mais tarde, tenha me perturbado um bocado.

Enfim, Tlavi é a Estrela da Cura, sempre há uma pessoa poderosa de cada tipo de poder. Ela é capaz de curar as pessoas (nãaaao, sério?) e destruir o mal. É basicamente uma exorcista com magia. Eu não gostei muito dela não, porque é muito arrogante, do tipo que vai até o fim para cumprir sua missão. No começo até achei ela legal, mas depois vi que “nah, nada de especial sobre ela”. E olha que sou fãzona de personagens guerreiras femininas.!  

O segundo personagem a aparecer é Leran Yandel, nada novo com ele. Ele ficou meio que de escanteio neste livro, em sua missão de proteger sua irmã e descobrir mais sobre seus poderes. Eles viajam bastante, mostrando uma variedade maior de cidades, algumas nem tão favoráveis à sua presença. Ele sabe que Luana está ficando cada vez mais distante dele, talvez por estar crescendo, talvez por ser n vezes mais forte. Mas pra mim é só uma menina mimada que não pensa muito nas consequências de seus atos. Não que Leran seja muito diferente.

O terceiro personagem que aparece em terceira pessoa é Gueth, irmão de Tlavi. Gostei

bastante do poder dele: controla o crescimento das plantas. Se tiver sementinhas, em questão de minutos ele faz crescer árvores e qualquer outro tipo de planta. Ele e Tlavi não são muito próximos e há um ressentimento muito grande por algumas razões que não darei spoiler (hehehe!). Ele é um rapaz bondoso, um lutador excelente treinado pelo pai que acaba se metendo em alguns enroscos.


Este livro é beeeem mais sombrio, até porque traz claramente a guerra da LuzxTrevas. Acho isso um pouco maçante, pois o mal nele é meeeesmo mal. Não existe nenhuma razão para que ele tenha se tornado mal. É tipo: ah, nós deuses já temos todos os nossos papéis definidos e você, que é trevas, vai ser o malvadão da morte que só quer destruir tudo!

Eu particularmente não gosto dessas coisas, pois tudo pode ser destrutivo se usado erroneamente. Fogo nos dá calor; descontrolado, destrói tudo. O mesmo para o gelo, para a água... Até mesmo a Luz. Ela cega e pode queimar tanto quanto o fogo. Enfim.

"Nada para ver aqui. Por favor dispersem."

O embate, como disse, é entre luz e trevas. A luz vem representada por Phelgor, o deus bonzinho. Os paladinos lutam usando seu poder (é meio como o Deus cristão)... ele é a fé das pessoas de bem. Shazp é a deusa (pra completar, é um espírito feminino) das trevas, que foi subjugada por Phelgor e mandada para o abismo. Mas o equilíbrio procura seu caminho e nada mais justo que Shazp ter sua Estrela também. E ô bicho é ruim, viu.
A Estrela dos Mortos é capaz de criar zumbis e outras criaturas nojentas. Sério, do tipo MUITO nojentas! Sério, eu no lugar dos heróis teria olhado aquilo... Dado meia volta e: Oh, well. Nothing to do here. E sumiria. Não é meu problema!

Aaah, eu gostei bastante da personagem Minerva. É uma paladina nada carismática, mas que luta pra caramba e ajuda mais que a Tlavi. Ela desrespeita ordens para conseguir proteger um local e chuta bundas de crias asquerosas com classe!


Renan tem um website se vocês quiserem acompanhar as novidades, cliquem aqui que serão redirecionados para ele!

Por: 

1 comentários:

  1. não curto muito esse tipo de trama, não fiquei muito envolvida e nem solicitei!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.