Menu

11.7.15

A Filha do Louco - Megan Shepperd

E quando um livro supera todas as suas expectativas? OH, YEAH, BABY! A Filha do Louco me ganhou no título, me ganhou na foto da capa e me ganhou no primeiro capítulo. Também teria me ganhado na sinopse, caso eu a tivesse lido. Mas não li, então nunca saberemos.

A trama inicia-se no século XIX em Londres, onde Juliet, uma jovem de 16 anos, trabalha como faxineira em uma faculdade de Medicina. Um destino inesperado para alguém que, 6 anos anos antes, levava uma vida sossegada (gostava de sombra e água frescaaaaaa /ritalee) como filha de um renomado médico e professor, o Dr Moreau. Criada para ser uma dama como sua mãe, Juliet teve sua vida virada de cabeça para baixo quando um escândalo envolvendo os experimentos de seu pai veio à tona. Logo em seguida, após o sumiço do pai - dado como morto -, a jovem garota e sua mãe se vêem abandonadas, a mercê de favores da família; mas a gentileza de seus parentes não durou muito tempo. Para selar a sorte de Juliet, sua mãe faleceu dois anos depois e tornar-se faxineira na faculdade onde seu pai lecionava foi a opção que lhe restou para sobreviver naquela cidade que não havia esquecido as atrocidades cometidas pelo seu pai - para sua infelicidade, o nome Moreau estava manchado para sempre.

Na companhia de sua amiga Lucy - a única que não a abandonou após o escândalo - e alguns (estúpidos) estudantes de Medicina, a filha do Louco se vê envolvida numa pequena aventura pela madrugada nos corredores da faculdade onde trabalha. Lá, entre um acontecimento e outro (mistério! acho essa cena iradíssima e não vou estragar a leitura de ninguém), a protagonista tem acesso a um documento que foi de seu pai e, assim, uma dúvida aparece: será que o Dr. Moreau ainda estava vivo? Movida pela esperança de um "sim", Juliet segue as pistas que vão surgindo em seu caminho e encontra Montgomery: um belo jovem loiro, bronzeado e de olhos azuis (GAAAATO!) que um dia já foi apenas um criado em sua casa.

E é aí - ao ver esse rapaz alto, forte, bonito e sensual - que Juliet tem um clique: "Ei! Eu acho que sempre fui afim desse cara!". Sim, o romance é forçado desse jeito; com um estímulo visual desse, até eu posso afirmar que sempre fui apaixonada por ele. Mas vamos em frente.

Montgomery agora é médico e tem como criado Balthazar - um homem deformado e assustador, mas de personalidade gentil. Após insistir um pouco (muito pouco), Juliet consegue fazer com que o jovem médico revele o paradeiro de seu pai: uma ilha isolada pra lá do oceano Pacífico - não em uma cova rasa, como ela pensava até então. Na esperança de reaver o pai e saber de uma vez por todas se ele era mesmo o louco que todos afirmavam que ele era - além de outras questões que perturbavam sua mente -, Juliet, apesar das negativas de Montgomery, acaba embarcando com ele e seu estranho criado em direção à misteriosa ilha onde seu pai se refugiava.

Durante a viagem, os tripulantes da embarcação salvam um náufrago que se encontrava entre a vida e a morte. Desacordado, o rapaz recebe os cuidados de Montgomery e logo reage, mas não de uma maneira amigável. O náufrago, em meio a um delírio que lhe conferia forças extraordinárias, se acalmou ao pôr os olhos em Juliet (amor à primeira vista - romance forçado parte 2). A calmaria não durou muito tempo, apenas o suficiente para que Montgomery tomasse as rédeas da situação.  Dias depois, Juliet, Montgomery e Edward - o náufrago - desembarcam na ilha do doutor Moreau, onde mortes misteriosas e experimentos ainda mais misteriosos acontecem. Let the games begin, MUAHUAHUA!

A leitura é simples e tem um ritmo que me agradou logo no primeiro capítulo. A autora parece ter um alarme em sua mente dizendo "FOCO! MANTENHA O FOCO!", então, para seu mérito, não são encontradas neste livro descrições imensas e enfadonhas. Já que "foco" foi citado, vale dizer que o foco desse livro é disputado pelo triângulo amoroso Montgomery-Juliet-Edward e pelos mistérios da ilha; não gostei disso, preferiria que focassem no suspense da trama, já que não fui convencida por esse romance forçado (digo isso mas tenho meu queridinho do triângulo, haha).

Fiquei encantada com a protagonista (tirando a parte do amo-fulano-mas-quando-estou-com-cicrano-tudo-fica-confuso, porque quando ela entrava nesse dilema, só me restava cruzar os dedos e esperar esse momento passar). Por curiosidade, li algumas opiniões de outras leitoras sobre Juliet e fiquei triste com o que encontrei. Juliet é descrita como fraca, passiva, decepcionante às vezes. Discordo completamente do que li. Numa época onde mostrar os tornozelos era quase pornográfico, onde uma garota estudar ciências era impensável, a filha do Dr Moreau está bem a frente do seu tempo. Muitas vezes no livro, ela abaixa a cabeça e acata as ordens alheias sem discutir, depois faz exatamente o contrário do que lhe foi imposto; uma solução que muito me agrada, já que se ela fosse TOTALMENTE rebelde, a trama seria ainda mais forçada (e no quesito forçação de barra, esse triângulo amoroso já basta).

Os outros personagens também me cativaram. De modo geral, os personagens principais não são nada lineares; gosto disso porque ler um livro onde todos são totalmente bons ou totalmente maus é, no mínimo, enfadonho e previsível. Não posso dizer o mesmo sobre os personagens secundários, mas isto é perdoável já que, né, eles são secundários.

Depois de ler o livro, fui angariar algumas informações sobre ele e:
1 - O livro é baseado em um clássico: A Ilha do Doutor Moreau, de HG Wells. Clássico este que eu nunca li, então não sei o quanto A Filha do Louco tirou de inspiração dele. Mas pretendo ler e, quando o fizer, volto aqui para contar.
2 - A Ilha do Doutor Moreau ganhou um filme, então talvez eu não leia o livro.
3 - O livro é o primeiro volume de uma série de três livros. Isso explica o desfecho...
4 - O próximo volume da série será baseado em O Médico e o Monstro, de Robert Louis. O que dizer desse livro que eu nunca li mas só pelo título já adoro pakas?
5 - A Filha do Louco também parece ter se inspirado em Crepúsculo e em Frankestein, mas são apenas boatos.


Comecei esta resenha pensando "esse-é-o-melhor-livro-do-ano" (vide primeiro parágrafo kkk socorro!) mas, agora, só posso dizer que é um livro bom que quase foi estragado por um triângulo amoroso mal-feito. Mesmo não sendo o romance, ainda acho que está melhor que muitos que já vi, porque ele pelo menos dispensa as melosidades usuais - e eu detesto melosidades com todas minhas forças.

Se você gosta da combinação suspense + triângulo amoroso (eu adoro, confesso), recomendo a leitura. Mas se você gosta de um romance bem elaborado, cheio de idas e vindas, com muitas frases inspiradoras... corra. Corra muito.

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 978-85-8163-154-7
Ano: 2014
Páginas: 416

10.7.15

Eu Estive Aqui - Gayle Forman


..." E vê que todas aquelas coisas que achava tão importante que fossem ditas, na verdade, não eram. Simplesmente não valia a pena dizê-las."

Título Original: I Was Here
Autora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Sinopse: Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?

A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos. 

Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida. 

Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.


" - Essa era Meg - concluo. - Ela era capaz de fazer qualquer coisa. De ajudar qualquer pessoa.
Alice fica em silêncio, digerindo o que acabou de ouvir.
- Menos a si mesma."



Sempre quis ler os livros de Gayle Forman e sempre perdi as oportunidades de tê-los. Esse eu não poderia deixar passar. Apenas vi a adaptação cinematográfica de Se eu ficar e gostei bastante, então quis arriscar a leitura deste livro.

E não me arrependi nenhum pouco de escolhê-lo para ser o primeiro que li desta autora. Sinceramente, com as tramas que são colocadas diante de Cody após a morte de sua melhor amiga, Meg, alguém que ela classificou como "Sua Melhor Parte".

"Tudo o que mata a esperança é um pecado"
Cody é uma jovem de 18 anos, que não foi para a faculdade como planejado por não ter dinheiro e sua mãe, Tricia (que não aceita ser chamada de mãe) não querer mais dívidas nas suas costas, uma mãe emocionalmente ausente. Seu pai nunca foi presente, talvez sequer saiba de sua existência. Após terminar a escola, Cody se vira fazendo faxinas, porque sua mãe não quer mais sustentá-la.

Já Meg, vinha de uma família tradicional. Pais presentes, carinhosos e que faziam das tripas coração pelos filhos e por Meg, inseriram Cody em sua família. Férias, jantares, acampamentos... Tudo. E ela parte para a faculdade, como as duas haviam planejado desde o começo, a mesma cidade, a mesma faculdade. Mas Meg vai embora sem levar sua amiga. Cody e Meg eram conhecidas e chamadas de Unha e Carne, por serem inseparáveis. Pelo que podemos ver, Meg era sempre a rainha da festa, aquela que movimentava qualquer lugar que fosse e conseguia qualquer coisa que queria. Já Cody era apenas a sua fiel seguidora, aquela que ficava em segundo lugar na dupla, sentindo-se apenas feliz em poder participar daquele brilho.

E, aparentemente por escolha, ela morre.

"Você tinha uma pilha de pedras, as limpou até ficarem bonitas
e fez um colar. Meg tinha jóias e se enforcou com elas."
Para Cody, é como se o próprio sol se apagasse. O sentimento de Cody a corrói por dentro afinal, Meg era sua melhor amiga e ela não sabia o que estava se passando com a amiga. Que tipo de pessoa deixa isso acontecer?

Os fatos são que as duas já não estavam mais unidas, por ciúmes e raiva da protagonista do livro. Meg sempre tinha o que queria e Cody não, o que a fez se afastar ressentida da amiga e só soube dela quando a mesma já estava morta.

Havia planejado a própria morte e ninguém sabia a razão.

Programou o computador para mandar mensagens de adeus após sua morte e, por essa mensagem,
Scottie (irmão mais novo de Meg) levanta suspeitas de que não poderia ser simplesmente um suicidio. Cody, com isso em mente e munida do computador de sua falecida amiga e um amigo Hacker de Seattle, ela descobre que existe uma rede de apoio aos suicidas, o tipo que estimula que a pessoa se mate.

Cody entra nesse mundo, em busca daquilo que estimulou sua amiga a escolher esse caminho, descobrindo muitas coisas sobre ela e mais de si mesma. Afinal, quando perdemos uma parte nossa, precisamos seguir em frente...

É um livro que pode servir tanto para jovens quanto para adultos, pois é uma viagem ao mundo da depressão e a devastação que ela causa da vida de cada um: pais, irmãos, amigos... Foi baseado na história de Suzy Gonzales, uma adolescente que também tirou a própria vida. Gayle Forman oferece muitos dados sobre essa doença em seu livro e criou Cody pensando: e se as pessoas que se matam pensassem no impacto que sua morte causaria naqueles que mais ama?

"Você vai passar por isso. Eu sei que pode parecer que nao, mas
você vai."
Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) a depressão afeta cerca de 340 milhões de pessoas e causa 850 mil suicídios por ano em todo o mundo. No Brasil, são cerca de 13 milhões de depressivos (fonte). E, para além disso, o Brasil é o oitavo país do mundo com maior número de suicidios e esta é a maior causa de morte entre os jovens, atrás de acidentes e violência (fonte). É algo grave e silencioso, pois há o medo do descrédito naquilo que sentem. Por isso, evitam contar o que sentem para os outros.

Há dias ruins para todo mundo... E você não pode deixá-lo dominar seus pensamentos, nem sua vida. Conte sempre para alguém, há alguém que irá lhe ouvir e lhe ajudar. Se você conhece alguém que apresenta alguns sintomas da depressão (tristeza e choro repentino, ansiedade, fadiga, insônia, falta de motivação, falta de apetite, sentimento de culpa e alguns outros) não exite, não diminua sua dor... Converse com ela e a ajude, ela precisa de sua força para conseguir retomar a própria.

Aqui estão alguns sites que consegui encontrar de Grupos de Apoio para suicidas e depressivos:


Um vídeo bonitinho sobre depressão:
Eu tinha um cachorro preto, seu nome era Depressão


Resenha por:

9.7.15

Novidades de Julho - Editora Gente e Única.

Oi pessoal, tudo bem? Estamos no mês de Julho, o que significa férias!! Pelo menos dos estudos, porque do trabalho férias é uma lembrança distante. Vou aproveitar e apresentar para vocês as novidades de Julho da Editora Gente e Única. 

Título: Incrível
Autor: Sara Benincasa
Selo: Única Editora
ISBN: 978-85-67028-67-5
Páginas: 256
Gênero: Ficção/ Jovem adulto

Eram olhos repletos de esperança, esperança irracional, espantosa e, às vezes, até irritante. Esperança de que, de alguma forma, tudo daria certo, mesmo quando estava claro que seu sonho lhe escapava como areia por entre os dedos de uma criança. Naomi Rye simplesmente odeia quando chega o verão e ela é obrigada a ficar com sua mãe socialite em East Hampton. Afinal, ela definitivamente não pertence àquele mundo de glamour e adolescentes mimados. No entanto, tudo pode ser diferente neste verão, pois a casa vizinha foi alugada pela linda e misteriosa Jacinta Trimalchio, que sabe como impressionar com suas festas suntuosas e selvagens e, claro, seu badalado blog Incrivel.com. Jacinta tem as próprias razões para se aproximar de Naomi: Delilah Fairweather. O envolvimento dessas garotas poderá culminar em grandes tragédias, e o mundo de riqueza e esbanjação cuidadosamente construído por aqueles jovens ricos poderá cair em pedaços. Naomi agora precisa decidir se está disposta a ser puxada por essa vida que por tantos anos rejeitou, ou se enfim cederá aos encantos da misteriosa e fascinante vizinha.
Inspirada no clássico O grande Gatsby, Sara Benincasa traz todo drama, glamour e romance com um toque moderno (e escandaloso)!


Título: Tudo o que você precisa saber para ser promovido

Autor: Geoffrey James
Selo: Gente
ISBN: 978-85-452-0037-6
Tradutor: Leonardo Abramowicz
Páginas: 256
Gênero: Negócios/ Carreira

Os 49 segredos que vão salvar sua pele no trabalho e fazer você se destacar de verdade!

Para ser contratado, promovido, respeitado e para não sentir como se nunca soubesse o que realmente está acontecendo ou o que seu chefe quer de você, é preciso descobrir os atalhos que o levam a dar a resposta certa, não importa a pergunta.
Para ajudá-lo nesse grande desafio, Geoffrey James, autor reconhecido internacionalmente por sua visão prática sobre o mundo profissional, revela os passos para que você supere suas maiores dificuldades! 



Título: O que vale é a intenção
Autora: Mallika Chopra
Selo: Gente
ISBN: 978-85-452-0038-3
Páginas: 224
Gênero: Autoajuda Tradutora: Sandra Martha Dolinsky

Intenções não são meramente objetivos. Elas vêm da alma, de algum lugar profundo dentro de nós, onde temos clareza acerca de nossos desejos sinceros de felicidade, aceitação, saúde e amor.
Todos nós, em dado momento da vida, nos sentimos soterrados pela rotina e pelas responsabilidades. Lidar com o trabalho, cuidar dos filhos, nutrir um relacionamento, gerir a casa... É tanta coisa a fazer em tão pouco tempo que nos esquecemos de prestar atenção em como estamos de fato vivendo.
Mallika Chopra quer mudar esse cenário. Por isso, trabalha incentivando homens e mulheres a buscarem mais propósito para si. Nesta tocante narrativa, repleta de altos e baixos e de amor e compaixão, ela nos conduz pelos seis passos para uma vida em que nossas intenções enfim se concretizam.





Título: Tudo o que você precisa saber sobre mitologia
Autor: Kathleen Sears
Selo: Gente
ISBN: 978-85-452-0039-0
Tradutor: Leonardo Abramowicz
Páginas: 256
Gênero: Mitologia/ Coleção/ Autoajuda Coleção: Tudo o que você precisa saber


Quem nunca se interessou por mitologia que atire a primeira flecha... ops, pedra! A verdade, porém, é que a gente acaba se perdendo entre tantos mitos, tantos deuses e deusas e monstros, tantos nomes e acontecimentos. E vários pontos ficam meio sem resposta na nossa cabeça.

Navegue por capítulos dedicados a cada imortal e mortal da mitologia antiga, grega e romana, e descubra os pontos em que os mitos se encontram. Não importa se quer saber por curiosidade ou se quer arrasar mostrando seus conhecimentos em conversas por aí: Tudo o que você precisa saber sobre mitologia tem o que você precisa saber!

8.7.15

As Pontes de Madison - Robert James Waller


Se você é um romântico de carteirinha ou acredita em amor à primeira vista, encontro de almas, ou tudo isso junto, então é candidato à leitura do saboroso As Pontes de Madison (Única, 192 páginas). É uma história de amor avassaladora, decisiva para o casal, uma ponte entre os sonhos do passado e a realidade que terão que enfrentar.
Francesca Johnson é uma italiana quarentona, vive com o marido e os filhos adolescentes no Condado de Madison, Iowa. Dona de casa e mãe dedicada, ela deixou os próprios sonhos de lado para se dedicar exclusivamente à família.
Robert Kincaid é um cinquentão, fotógrafo da National Geographic, que chega à cidade para fotografar as famosas pontes cobertas de Madison. Em busca de informações, chega à casa dos Johnson e dá-se o encontro:
"A mulher saiu da varanda e foi em sua direção. Ele desceu da picape e olhou para ela. Olhou melhor. E, depois, com mais atenção. Ela era encantadora, ou havia sido, ou poderia voltar a ser. Logo, ele passou a ter aquela falta de jeito que o dominava sempre que estava perto de mulheres por quem se sentia atraído, mesmo que de leve."
O escritor teria recebido os diários de Francesca após sua morte, pelos herdeiros que gostariam de contar a belíssima história de amor que desconheciam até então. Mas por que reabrir as janelas do passado e revelar ao mundo momentos tão íntimos, que poderiam abalar a família Johnson e macular a imagem da mãe exemplar que fora Francesca?
"Palavras dão sensações físicas, não têm apenas significado..."
Para o escritor, com um tesouro desse quilate nas mãos, Gabriel García Marquez elucida: “O escritor escreve seu livro para tentar explicar a si mesmo o que está além de sua compreensão.”
Robert é a possibilidade de aventura, de viver o que se quer, de estar onde se deseja, de não ter raízes. Tudo o que Francesca não tem. Francesca é a presença doce e constante, aquela que está sempre à espera, a segurança de um lar. Tudo o que Robert precisa.
"Por que ela e Richard não viviam assim? Ela sabia que, em parte, era a inércia da rotina prolongada. Todos os casamentos e relacionamentos estão suscetíveis a isso. A rotina traz a previsibilidade e esta traz seus confortos próprios; também tinha ciência disso. (...) Entretanto, mais coisa acontecia. Previsibilidade é uma coisa, medo de mudar é outra. E Richard tinha medo de qualquer mudança no casamento. E não queria falar a respeito. Não queria falar, principalmente, sobre sexo. O erotismo, de alguma forma, era um negócio perigoso e impróprio para seu modo de pensar."
Eles viveram quatro dias intensos, permeados por muitas conversas e revelações. Jantaram juntos, dançaram, fizeram amor. E foram ainda além: desnudaram suas almas, abriram seus corações. Tiveram, enfim, aquele encontro decisivo que procuramos na vida. E agora, como poderiam ficar juntos? Robert era livre, mas Francesca não:
"Eles desistiram do pretexto de dançar e os braços dela o enlaçaram no pescoço. Ele levou a mão esquerda à cintura dela, às costas, enquanto a outra afagava seu pescoço, seu rosto e seu cabelo. Thomas Wolfe falava do 'fantasma da velha avidez'. O fantasma havia remexido Francesca Johnson por dentro. Por dentro dos dois."
Sobre a leitura, cabe listar alguns olhares: para uns, soará forte a traição de Francesca. Outros entenderão a frustração que ela carrega por viver uma relação monótona e sem paixão. Mas saberá aproveitar melhor o leitor que enxergar que o protagonista do livro é o amor. Um amor que resiste ao tempo, que alimenta dois corações solitários, que sabe exatamente onde deve permanecer, é algo sagrado, intocável, tão deles que só se revela após a morte de Francesca. Por isso conduz os amantes por toda uma vida.
"Em um mundo cada vez mais endurecido, sobrevivemos todos com nossas próprias carapaças de sensibilidades encobertas. Em que ponto a grande paixão termina e a insipidez se inicia, não sei. Contudo, nossa tendência para debochar da possibilidade da primeira e rotular envolvimentos genuínos e profundos com mero sentimentalismo dificulta a entrada no reino da delicadeza, necessária para entender a história de Francesca Johnson e Robert Kincaid."
 Considero o conflito dos personagens o que há melhor no livro. A briga interior, especialmente de Francesca, para compreender a extensão do que sente, tentando separar uma paixão momentânea - a lustrar seus dias embotados – do sentimento genuíno, que começa a reconhecer. E a difícil escolha que terá que fazer entre a família e o amor pelo qual ansiou por toda a vida. Eles se aproximaram de maneira irreversível, única, nas palavras de Robert: “essa certeza só se tem uma vez na vida”.
"O paradoxo é: se não fosse por Robert Kincaid, não sei se teria ficado na fazenda, todos esses anos. Em nossos quatro dias juntos, ele me deu uma vida inteira, um universo, e transformou minhas partes fracionadas em um todo. Nunca deixei de pensar nele, nem por um instante. Até quando ele não estava em minha mente consciente, podia senti-lo, em algum lugar. Ele sempre esteve ali."
Que história de amor linda, não é? É o meu filme preferido, já revi tantas vezes! Por isso pedi o livro: pelo efeito que o filme teve sobre mim. Mas preciso confessar que, apesar do romance inesquecível, este é um daqueles raros casos onde o filme fica melhor que o livro. A leitura é boa, mas tudo parece ainda maior e melhor quando Meryl Streep e Clint Eastwood, nos papéis principais, em maravilhosa sintonia, colocam na tela o algo a mais que faltou ao texto. Fatalmente fui influenciada pela alta carga emotiva que o filme havia despertado e que me conduziu ao livro... Então, na falta da poesia dos olhares, da hesitação das palavras não ditas, do movimento dos personagens em cena, acho que não encontrei tamanha força na leitura. Se tivesse cumprido o caminho inverso, tenho certeza que estaria bem mais satisfeita.
Devo dizer que a cena do carro, sob a chuva, é de arrasar o coração! É angustiante, lágrimas estão previstas, é um legítimo grand finale. Se você não leu o livro ou não viu o filme ainda, sugiro que leia primeiro e depois permita-se, numa tarde gostosa, pipoca e lencinhos, vibrar (e morrer de amor) com o filme.
"E, como o grande caçador antigo que viajara longas distâncias e agora avistava as luzes das fogueiras de seu lar, sua solidão havia se dissipado. Enfim. Enfim. Ele tinha chegado tão longe... tão longe. E ele estava deitado sobre ela, perfeitamente formado e inalteradamente completo era seu amor por ela. Enfim."
 Link do livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/as-pontes-de-madison-465ed499044.html

Classificação: 4 estrelas



                 Resenha escrita por Manuh Hitz, colabora do blog.
Meu link do Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/596865




6.7.15

Três semanas com meu irmão - Nicholas Sparks e Micah Sparks


"- Eu disse para o papai que ele não ia me bater com aquilo - explicou Micah.
- E ele bateu?
- Não, ele não me alcançou. E depois não conseguiu me encontrar.
Sorri e pensei: 'Eu sabia que você ia conseguir.'"

Autores: Nicholas Sparks e Micah Sparks
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Sinopse: Nicholas Sparks já vendeu mais de 100 milhões de livros no mundo. 
Três semanas com meu irmão é um relato pessoal do autor escrito em parceria com seu irmão mais velho, Micah Sparks. 
Uma rara oportunidade para os leitores conhecerem Nicholas Sparks de perto e as experiências pessoais que inspiraram muitas de suas histórias. 
Em janeiro de 2003, Nicholas Sparks e seu irmão mais velho, Micah, partiram numa viagem de três semanas ao redor do mundo. Das ruínas da Guatemala aos passeios de trenó na Noruega, passando pelo Taj Mahal, na Índia, e pelos templos do Camboja, os dois mergulharam numa jornada que fortaleceria os laços dos únicos sobreviventes da família Sparks. 
Com prazos apertados para publicar seus livros e sem muita inspiração para escrevê-los, Nicholas pensou que aquela seria uma ótima oportunidade para relaxar e se aproximar mais do irmão, a quem quase não via por conta da distância que os separava. 
O relato inclui não só o dia a dia de Nicholas e Micah nessa aventura exótica como também a emocionante história do bem-sucedido autor de romances como O melhor de mim, Uma longa jornada e O casamento. 
Permeado de fotografias, o livro resgata as lembranças da infância – as dificuldades financeiras, os sonhos de que a mãe teve que abdicar para criar os três filhos e o método dela para mantê-los unidos – e da vida adulta – as primeiras namoradas, o início da própria família e as tragédias que testaram sua fé. Também inclui os acontecimentos que levaram à publicação do primeiro best-seller de Nicholas. 
Com humor e sensibilidade, os irmãos Sparks abrem sua vida, revelam suas origens e compartilham verdades surpreendentes sobre perda, amor e esperança.


"Sonhos são sempre devastadores quando não se realizam. Mas são os sonhos simples que costumam parecer mais dolorosos, pois eles parecem tão pessoais, tão razoáveis, tão possíveis... A pessoa está sempre perto para alcançá-lo, mas nunca perto o bastante para agarrá-lo, e isso é de partir o coração."

Vixi que sinopse grande, né? Mas vamos lá!

Afirmo antes de tudo que nunca havia lido um livro sequer do Nicholas Sparks. Simplesmente não me atraíam e nem mesmo assisti nenhuma adaptação cinematográfica de suas obras.

Decidi ler este por esta razão.

Creio que, por ser algo de sua vida real, não teria um tema que me seria enfadonho, então comecei a lê-lo e fiquei tocada pelos acontecimentos narrados por ele e seu irmão. Não sei exatamente o quanto Micah participou do processo de escrita, mas pelo final, parece que mais uma vez ele salvou o irmão mais novo de uma enrascada!

O livro conta sobre uma viagem ao redor do mundo - que eles chamam o tempo todo de "A viagem de nossas vidas" - realizada pelos irmãos Nicholas e Micah que, embora tenham suas vidas corridas. cotidiano repleto de atividades - casa, família, trabalho - e deixam tudo para trás em uma nova aventura.

É interessante pois em meio a viagem propriamente dita, há também a viagem ao passado dos dois,


Desde a infância pobre, a mãe feliz por ter a vida de dona de casa e o pai emocionalmente ausente por causa do ter que trabalhar vários turnos para conseguir o mínimo de sustento na casa afinal, eram três filhos para serem cuidados: Micah, o mais velho, Nicholas e Danah a caçula, que sempre tinha concessões por "ser uma garota".

Seus pais lhes ensinaram o amor fraterno. Micah sempre foi o responsável pelos irmãos mais novos, tornando-se adulto precocemente. Era o filho que se destacava, sempre se saía melhor com amigos, era mais popular, mais bonito, mais tudo... Já Nicholas tentava se destacar em tudo, mostrar-se tão bom quanto o irmão mas sempre se via como desmerecido do amor e atenção dos pais. Danah eles disseram ser a cópia exata da mãe, repleta de amor e compaixão. Me pareceu uma boa família para se crescer, apesar deles dizerem o tempo todo tambpem que seus pais, apesar de criá-los muito bem, eram malucos.

Passeamos com os irmãos pelo mundo, refletindo sobre a vida. Há muito do que nos faz pensar em cada relato descrito, pequenas filosofias de vida. Passeamos pelos ganhos - como o primeiro milhão de cada um - e pelas perdas de ambos. Perda repentina da mãe idolatrada e amada, perda repentina do pai e a perda de esperança na salvação da irmã. Passamos por vários livros escritos citados durante o decorrer da vida de Nicholas, homenageando as pessoas que fizeram parte dela com suas histórias, inspirando-se em suas lutas. Provavelmente uma maneira de mantê-las vivas de algum modo em suas memorias, como suas vidas poderiam ter sido se não tivessem acabado tão cedo.

Conta como é a vida com seu filho Ryan, um menino que possui um transtorno ainda não identificado por nenhum médico e como é sua luta diária para que a criança possa ter uma vida segura. Ele sempre fala do quanto sua esposa, Cathy, é importante em sua vida e quão excelente ela é. 
Há também no livro uma questão religiosa, pois os irmãos foram criados na religião católica. Nicholas sempre um bom católico, não sabe porque suas vidas são permeadas de dor e intimamente divaga sobre a razão de tanto sofrimento dado por Deus e Micah perdeu sua fé junto da perda da irmã. 

É um livro bonito que vai de encontro ao outro, da reafirmação do amor fraterno e como a presença é importante na vida de ambos que, apesar de toda a dor sentida, a união dos dois nunca foi mais forte. 

E olha que eram amigos-irmãos desde que eram bebês. 

Quem sabe agora eu não caçe mais livros do Nicholas Sparks para ler, uma vez que aprendi mais sobre ele e suas razões para se manter escrevendo.

E eu aprendi que:

"O que você quer e o que você tem costumam ser duas coisas completamente diferentes."

E também:

"Ninguém nunca disse que a vida é justa."

Mas, sempre saberei que:

"Ei, a vida é sua."

Resenha de:


5.7.15

Parceria - Escritora Nazarethe Fonseca

Olá meus amigos aficionados pela leitura, hoje venho aqui para apresentar a mais nova parceira do blog: A Escritora Nazarethe Fonseca. Vamos conhecer um pouquinho mais sobre ela?

Biografia: 
Nazarethe Fonseca (1973, São Luís, Maranhão) é uma escritora brasileira. Autora dos livros da série Alma e Sangue, que inicia com O Despertar do Vampiro e continua com O Império dos Vampiros e Kara e Kmam, O Pacto dos Vampiros e A Rainha dos Vampiros.

Recentemente lançou o primeiro livro de sua nova saga Pandora, Controle Sobrenatural: A Queda. Publicou também contos em varias coletânias. Começou a escrever aos quinze anos de idade. Atualmente mora em  Natal, Rio Grande do Norte.

Série Alma e Sangue - 5 livros, Editora Aleph:
- O Despertar do Vampiro
- O Império dos Vampiros
- Kara e Kmam, Segredos de Alma e Sangue
- O Pacto dos Vampiros
- A Rainha dos Vampiros

E-Books, Contos, Editora Draco, Alaúde, Estronho, Avec Editora:
- Coleção Imaginários, Névoa de Sangue - Terror
- Amores proibidos, O Rosa e o Negro - YA
- A boca de Ícaro – Erótico
- O Olho que tudo Vê – Livro, Terror.
- Miss. Dragonfly: E a Máquina dos Sonhos - Independente.
- Coleção Sobrenatural: Vampiros – Conto – Olho por Olho- Terror.

Coletâneas de Contos:
- Anno Domini – O Preço da Vingança
- Nécropolis Bruxaria, A Ciranda dos Desejos, Editora Alaúde
- Anjos Rebeldes, Na Terra Como no Céu, Universo Editorial
- Sociedade das Sombras, Contos Sobrenaturais, A Escolha – Terror
- Depois do Fim – Sociedade Sombria.
- Coleção Sobrenatural: Vampiros – Conto – Olho por Olho- Terror.

Giz Editorial
Série
Livro I - Pandora Controle Sobrenatural, A Queda.

A ser lançado em Setembro, na XVII Bienal do Livro Rio 2015: 
Editora Planeta
Dom Pedro I Vampiro


Imagens dos Livros e Sinopses:








































































Seu novo sucesso, A Queda, já se
encontra em minhas mãos e em breve
será resenhado aqui no blog!
Sinopse:
A QUEDA
Coleção: PANDORA CONTROLE SOBRENATURAL

Zoe Lessa e outros detetives da agência de Controle Sobrenatural Pandora lutam para manter incógnita a presença do sobrenatural na cidade de Sacramento, reduto de todos os tipos de criaturas. Mas a rotina da agente é quebrada pela chegada de Alex Olivares, veterano colecionador de êxitos. O clima entre eles não é dos melhores, mas juntos, terão que solucionar uma série de suicídios suspeitos e terão que passar por cima das diferenças para salvar a próxima vítima. Caliel chegou a Sacramento em busca de uma antiga ordem de guerreiros, defensores dos mortais, os Arcanos. O que ele não desconfia é que uma intrincada profecia prediz a queda de um jovem Nefilim, que trará dor e morte sobre tudo e todos. Tentado por anjos caídos e convocado por anjos, Caliel hesita entre a luz e as trevas. Agora a corrida é contra o tempo, a transformação é inevitável, os inimigos são muitos e o cerco está se fechando. Todos serão levados ao limite, segredos serão revelados, poderes descobertos. Zoe Lessa, Alex Olivares e Caliel terão que unir forças para enfrentar velhos inimigos e sobreviver à queda.

Tem cheirinho de livro novo vindo por aí!