Menu

7.8.15

Eu sou Malala: A história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo Talibã


“Algumas pessoas dizem que não porei mais os pés em meu país, mas acredito firmemente que retornarei. Ser arrancada de uma nação que se ama é algo que não se deseja a ninguém.”

Autoras: Malala Yousafzai com Christina Lamb
Título Original: I am Malala: The Girl Who Stood  Up for Education and Was Shot by the Taliban
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2013
Sinopse: Quando o Talibã tomou controle do vale do Swat, uma menina levantou a voz. Malala Yousafzai recusou-se a permanecer em silêncio e lutou pelo seu direito à educação. Mas em 9 de outubro de 2012, uma terça-feira, ela quase pagou o preço com a vida. 
Malala foi atingida na cabeça por um tiro à queima-roupa dentro do ônibus no qual voltava da escola. Poucos acreditaram que ela sobreviveria.
Mas a recuperação milagrosa de Malala a levou em uma viagem extraordinária de um vale remoto no norte do Paquistão para as salas das Nações Unidas em Nova York. Aos dezesseis anos, ela se tornou um símbolo global de protesto pacífico e a candidata mais jovem da história a receber o Prêmio Nobel da Paz.
Eu sou Malala é a história de uma família exilada pelo terrorismo global, da luta pelo direito à educação feminina e dos obstáculos à valorização da mulher em uma sociedade que valoriza filhos homens. 
O livro acompanha a infância da garota no Paquistão, os primeiros anos de vida escolar, as asperezas da vida numa região marcada pela desigualdade social, as belezas do deserto e as trevas da vida sob o Talibã.
Escrito em parceria com a jornalista britânica Christina Lamb, este livro é uma janela para a singularidade poderosa de uma menina cheia de brio e talento, mas também para um universo religioso e cultural cheio de interdições e particularidades, muitas vezes incompreendido pelo Ocidente. 
“Sentar numa cadeira, ler meus livros rodeada pelos meus amigos é um direito meu”, ela diz numa das últimas passagens do livro. A história de Malala renova a crença na capacidade de uma pessoa de inspirar e modificar o mundo.



A todas as garotas que enfrentam a justiça e foram silenciadas.
Juntas seremos ouvidas.


A história de Malala começa a ser contada no dia em que ela nasceu. Por ser uma menina, todos tiveram pena de sua mãe, uma vez que ter uma menina é sinal de vergonha em seu país. Talvez medo... Quem quer ser mulher em um mundo onde menininhas de treze anos são estupradas e presas por adultério, por não ter nenhum homem que testemunhe a seu favor? Em que simplesmente o dia do nascimento de uma menina é sombrio? Não é seguro ser uma mulher em uma cultura assim. Mas seu pai, Ziauddin, é à frente de seu tempo pelo que ela nos conta o livro todo. Batizou a filha baseando-se em uma heroína do Afeganistão. Aí você pensa... Como um país com uma heroína assim destrata e mata tanto suas mulheres? Homens ruins, simplesmente. Falta de uma educação competente e para tornar um ser humano crítico, que questione qualquer coisa que vá contra a moral e a ética. Os ditadores precisam de pessoas ignorantes e não de questionadores.

O livro é dividido em Prólogo, Antes do Talibã, O Vale da Morte, Três Meninas, Três Balas, Entre a Vida e a Morte e Uma Segunda Vida.  Antes do Talibã conta um pouco sobre a cultura e história paquistanesa através da rotina de Malala, uma criança que cresce em uma escola. Seu pai e seu tio são professores e proprietários de uma escola mista (mas não tem aulas mistas) e envolvidos politicamente, lutando pelo direito a educação.  Seu avô também era uma pessoa extremamente culta, um professor de faculdade. Em uma família assim, não importa se você é rico ou pobre... Você já sabe que seu destino será brilhante com exemplos tão bons.  Se você é uma menina que segue exemplo de grandes homens... Você se torna um risco para a sociedade assim.



Sua família, por sua narração, é cercada pela honra, onde cada um aprende com seus erros. Sua mãe é alguém que não tem nenhuma educação, mas preza pela educação de cada pessoa, pedindo a seu marido que dê vagas em sua escola para meninas que não têm condição de pagar. E ainda tentaram fechar sua escola, chamando-a de harém por permitir que meninas frequentassem as aulas.

Vemos no livro a transformação de um país de extrema beleza e cultura, transformado em um campo de guerra e dominação com a chegada dos Talibãs vindos do Afeganistão. Aqueles que se erguiam contra o governo, eram torturados e mortos. O pai de Malala se preocupava com sua família, que também corria risco quando ele, como figura política, se pronunciava contra a dominação (alguém se familiariza com essa realidade, povo que tá falando de volta de ditadura no Brasil?) da ignorância, uma vez que queriam impor os estudos do Islã como queriam (com aquelas regras absurdas e burca, limite de roupas pra homens e tudo mais) e não como o corão realmente é.




Quando decidiram tirar as meninas da escola, para Malala foi como se tirasse o melhor dela. Era dedicada em seus estudos, se destacava em tudo. Era ótima em oratória... E sem isso, o que restava de Malala? Sua luta começou quando um jornalista amigo de seu pai pediu que escolhesse uma aluna para relatar como era o dia a dia de uma garota do Paquistão em um diário na internet. É claro que seria segredo... E Malala se ofereceu. Foi assim que começou sua luta pelo direito de estudar. Ia para a escola escondida com outras alunas, sem um uniforme que as identificasse como estudantes.
Foi através de sua luta pelos direitos ao estudo ao lado de seu pai que Malala se tornou um alvo.

Eu, enquanto lia, sempre me pegava pensando: e como eu nunca soube dessas coisas? Como eu seguia minha vida aqui normalmente e lá pessoas morriam assim? Me senti em uma outra dimensão... Vi na tv o enterro de Benazir Bhutto na época e para mim não significou nada. Mas para eles, era uma chance de mudança que foi perdida.

É incrível ler esse livro e ver o quão longe uma luta pode chegar. Dá vontade de agarrar uma bandeira pelos direitos e ir até o fim. Ver uma menina tão jovem estar em um lugar de conquistas é maravilhoso.  Recomendo a leitura para livrar-se de preconceitos e também para educar-se, afinal, é por isso que essa jovem luta. Estude, eduque-se... Cresça. E lute pelo seu direito, pelo direito de todos.

Não há como falar mais da história contada por este livro... É preciso lê-lo para saber a importância da bravura que Malala retrata... Um livro.

Abaixo, segue o discurso de Malala na Onu:



 E um vídeo no qual meninas do mundo todo reproduziram-no:



Resenhado por:


5.8.15

Tocando as Estrelas - Rebecca Seler

 

TOCANDO_AS_ESTRELAS_1430231049447105SK1430231049B

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
Ano: 2015
Páginas: 224
Autora: Rebecca Seler

Sinopse: Quando Paige Townsen deixa de ser uma simples aluna do ensino médio para se tornar uma celebridade, sua vida muda do dia para a noite. Em menos de um mês, ela troca as ruas da sua cidade natal por um set de filmagem no Havaí e agora está conhecendo melhor um dos homens mais sexies do planeta segundo a revista People. Tudo estaria perfeito se o problemático astro Jordan Wilder não fincasse o pé em uma das pontas desse triângulo cinematográfico. E Paige começa a acreditar que a vida, pelo menos para ela, imita a arte.

***

Quem poderia imaginar que um teste fosse provocar uma reviravolta enorme?

Paige Townsen sempre quis ser atriz. Estava sempre atuando em várias peças de teatro da comunidade, mas nada grande. Com três irmãos mais velhos, Paige nunca teve incentivo para sua carreira além do básico. Agora ela tem a chance de fazer um teste na própria cidade, em Portland, para um filme de fama nacional. Quando Paige faz o teste para o filme Locked, o livro best-seller do momento, não imaginava que sua vida ia virar de pernas para o ar.

“Quando revelaram na coletiva de impressa quem faria August, a mídia logo caiu em cima, pelo fato de eu ser uma desconhecida. E caiu com tudo.” Página 29

Paige, não só consegue estar no filme, como vai vier a protagonista August. Tanto no livro quanto no filme, a personagem August faz parte de um triângulo amoroso com os personagens Noah e Ed. Agora Paige está em Wailea, uma das cidades praianas de Maui, Havaí, para as gravações. Um dos lugares mais lindo do mundo. E ela ainda vai contracenar com uma das estrelas jovens de Hollywood, Rainer Devon. Cabelos dourados e meio bagunçados, olhos azuis e um corpo lindo. Ele é o sonho de várias adolescentes.

Rainer viverá o personagem Noah, um rapaz com descendência sobrenatural. Charmoso e sempre com um sorriso no rosto, ele está sempre de bom humor, conversa com todos e procura deixar Paige o mais a vontade possível com as filmagens. Rainer e Paige acabam se aproximando aos poucos, se conhecendo.

“Sua pele alisa a minha. Estou imaginando coisas ou os dedos dele ficam ali mais tempo do o normal?” Página 53

Tudo está correndo bem entre os dois até o outro par romântico de August, Ed, ser escolhido: Jordan Wilder. Ele e Rainer não se dão bem por conta de um desentendimento do passado. Jordan não tem uma boa fama, mas isso não o impede de ser um ótimo ator. Porém, algo nele de imediato mexe com Paige, ela não sabe dizer se por medo ou outra coisa.

Alguma coisa faz meu corpo enrijecer, como se toda a pele tivesse, subitamente, ficado pequena demais.” Página 73

1-3

Além de lidar com o estresse das filmagens, Paige tem que lidar com segredos e sentimentos conflitantes por dois jovens. Paige acaba descobrindo que o ditado “a vida imita a arte” se aplica muito bem a ela. Entre erros e acertos, Paige terá que tomar decisões com muita cautela. Sua vida agora é pública e todos querem saber tudo sobre ela.

Um livro bem leve e fofo, mas sem muita profundidade. Fala do drama adolescente de se descobrir e se apaixonar numa fase onde tudo pode se tornar uma bola de neve. O que me incomodou não foi o tema, eu adoro romances bem bobos e clichês, mas sim o modo superficial de como a história foi abordada. Alguns acontecimentos foram sendo deixados de lado para dar mais ênfase a outros. De qualquer forma, o livro veio com uma proposta e ela foi cumprida com sucesso. :D

“Tocando as Estrelas” é o primeiro livro da trilogia Famous in Love. O segundo livro já tem título “Truly, Madly, Famously”, ainda sem previsão de lançamento aqui no Brasil. Já o terceiro livro tem previsão de lançamento para ano que vem nos EUA, mas ainda sem capa e sinopse. Aguardando ansiosa os próximos livros!

A ABC Family anunciou em março que a trilogia terá adaptação! Paige será interpretada pela atriz Bella Thorne, a Rock da antiga série Shake It Up, do Disney Channel. Ainda não foi divulgada a data de lançamento, nem quem irá interpretar os personagens de Jordan e Rainer

1-6

 

0

 

 

       Resenha escrita por Crislane Barbosa, colabora do blog.   
             http://www.skoob.com.br/usuario/368409


3.8.15

O Príncipe dos Canalhas – Loretta Chase

PRINCIPE_DOS_CANALHAS_1425605374417031SK1425605374B
 

SBN-10: 8580413990
Ano: 2015 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Arqueiro


O Príncipe dos Canalhas - Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent...
Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu.
Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.
Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.

***

Esse livro está na lista dos introcáveis, e pensei em colocar na lista dos não emprestáveis, de preferência intocável também, ia colocá-lo em um quadro, para as amigas que visitarem minha casa nova só apreciá-lo de longe, mas mudei ideia depois de perceber que o que é bom tem que ser compartilhado, espalhado aos “quatro ventos”.

Deixando os exageros de lado, deu para perceber quanto ele me conquistou, não é? Não posso dizer que foi o melhor livro desse ano, por que li alguns que me deixou apaixonada (todos da Arqueiro, diga-se de passagem) tanto quanto ele, mas realmente achei um dos melhores.

Lorde Belzebu é Sebastian Ballister, marquês de Dain, o apelido não foi lhe dado à toa. Rejeitado pelo pai, enviado para um colégio onde os outros garotos faziam da sua vida um inferno, Sebastian aprendeu a se defender da melhor forma possível: Virou o “Diabo em pessoa”, depravado, imoral, arrogante, perigoso… O que ninguém sabe é que por trás desse monte de adjetivos ele é apenas um homem que achou um jeito de sobreviver na selva humana.

Jessica não se amedronta com as facetas escandalosas de lorde Belzebu, só quer que seu irmão desmiolado, pare de gastar o que tem e o que não tem nas noitadas que Sebastian dá. Inteligente para os negócios e apaixonada por antiguidades, sonha em ter sua loja e ficar independente e com isso não precisar de um marido para sustentá-la, o que já é um grande escândalo para sua família. Não se deixa abater por mexericos e tem um maior carinho pela avó, que é totalmente liberal pra época e pra idade, senti uma certa falta da vó da metade pro fim do livro, me divertia com ela.

O relacionamento dos dois é explosivo, do tipo “bateu, levou”, tanto Jessica como Sebastian são difíceis de aceitar que se apaixonaram  e transformam  alguns mal-entendidos em um turbilhão de problemas, mas nada que atrapalhe um Felizes para Sempre.

Capa linda, diagramação perfeita. Super recomendo!

2.8.15

Parceria - Kelly Cortez

Olá pessoal!
Hoje estou muito feliz em anunciar a mais nova escritora parceira no blog a Kelly Cortez, escritora do livro O Farol do Porto da Paz. Vem saber um pouco mais! 








Kelly Cortez nasceu em Mossoró, Rio Grande do Norte, cidade que visita frequentemente. É estudante de Psicologia e mora atualmente em Fortaleza com o marido e um casal de filhos. O Farol do Porto da Paz é seu primeiro livro.

O livro já se encontra comigo, a própria autora entregou em mãos, não é fofo? Então em breve resenha rolando no ar!








O Farol do Porto da Paz

Sinopse:

Toninho e sua família moram diante de um belo cenário litorâneo brasileiro: o Farol de Touros, no Rio Grande do Norte. Diante dele, a família Paiva vive momentos angustiantes e marcantes inesquecíveis para o menino doce e sonhador. Mesmo contra as aspirações do pai, que pertencia à Marinha e desejava o mesmo futuro para o filho Toninho parte do litoral nordestino para ser um grande correspondente internacional. Já formado, Tonny Paiva cobre os primeiros ataques no Iraque como um reconhecido profissional. Ao se deparar com inúmeros acontecimentos em meio à guerra, o audacioso jornalista revê seus conceitos e relembra de sua infância, o que impactará em suas atuais decisões.


Obrigada Kelly por confiar no blog para resenhar o seu livro, pela atenção e por ter aceito a parceria, te desejo muito sucesso na sua vida profissional e pessoal!













1.8.15

Comentarista Premiado - Agosto

Olá moçada!
O comentarista premiado é mensal.
Cumpra as regras e participe!





Quanto mais comentar, mais chances você tem de ganhar!
O kit sempre será surpresa! Será informado no dia do resultado!
Excelentes comentários!