Menu

22.8.15

Maximum Ride: Projeto Angel – Saga Fugitivos


“É importante estar certo ou é importante fazer o que é certo? É uma das lições mais difíceis de aprender.”




Título Original: Maximum Ride – The Angel Experiment

Autor: James Patterson
Editora: #irado
Ano: 2005/2014


Sinopse: Maximum Ride tem 14 anos. Ela e os seus amigos seriam crianças normais se não tivessem o dom de voar. Para algumas pessoas esse poder seria um sonho, mas, no caso da turma de Max, a vida se transformou em um pesadelo sem fim desde que a perseguição dos Apagadores começou.
Seja em cima das árvores do Central Park, em uma jornada escaldante no deserto da Califórnia ou nas entranhas do metrô de Nova York, Max e sua nova família lutam para compreender por que eles são diferentes de todos os outros seres humanos. A maior dúvida é: eles vão salvar a humanidade ou ajudar a destruí-la?
Impossível ficar indiferente a Max! Sarcástica, corajosa e meio impaciente, ela é a líder mais poderosa e forte que você já conheceu. Ao mesmo tempo em que luta para se proteger e salvar a vida dos seus amigos, Max tenta entender por que tudo tem que ser tão difícil e diferente para eles. 
Se você gosta de ação rápida, dinâmica, daquelas de tirar o fôlego, com vilões que você ama odiar... Este é o seu livro! Uma aventura fantástica e imprevisível, que emociona e desperta a imaginação. 


Para começar, precisei ficar o tempo todo me lembrando de que é um livro para crianças e adolescentes. Para minha mente adulta foi meio que complicado comprar a estória, então entrei em contato com minha criança interior para poder me divertir com o livro e pude até me dar ao luxo de me pegar pensando às vezes “Nossa, que massa!” quando lia alguma cena bem... Massa.


Então... O livro fala sobre crianças mutantes que tiveram genes de aves misturados aos seus quando ainda eram bebês (eles acreditam que foram fertilizados in vitro), num local terrível chamado por eles de Escola (por favor, não associem às nossas escolas, embora para muitos sejam tão terríveis quanto). São seis crianças de seis a quatorze anos: Maximum Ride (a líder cativante que se sente responsável pelos outros, mesmo sendo um bocado egoísta algumas vezes) e Fang (a parte séria do bando) de quatorze anos, Iggy não ficou muito claro a idade dele pra mim, então suponho que seja entre doze e treze anos (é cego, pois os cientistas tentaram melhorar a visão noturna dele e bem, aparentemente não deu certo); Nudge (o alívio cômico da turma, pois fala demais) de onze anos, Gasman (seu nome já diz sua característica principal, né?) de oito anos e Angel, a criança mimada e amada por todos de seis anos. Ela e Gasman são os dois únicos irmãos de sangue.

As seis crianças foram resgatadas ainda pequenas por um cientista da Escola, Jeb, que os levou para uma casa no meio da floresta onde cresceram o tendo como pai. Um pai que os ensinou a serem máquinas de matar estrategistas e se virarem sozinhos.

Como a sinopse diz, todos eles têm super asas e são capazes de voar. Também são super mutantes, com ossos mais finos como os de um pássaro, tem uma musculatura resistente e são mais altos que crianças normais. Se não me engano, Fang chega quase a 1,80m. Porém, apesar disso tudo, seu raciocínio ainda é bem infantil (Angel faz birras, por exemplo).

Apesar de serem especiais, desejam ser crianças comuns. Desejam ter uma família composta por pai, mãe e irmãos, uma família com a qual possam contar, serem cuidados, terem beijos e abraços de boa noite. Amam-se como uma família, como irmãos... Mas ainda assim têm vontade de conhecer suas origens, não caindo na história de fertilização in vitro.

A tranquilidade que vêm vivendo quando Apagadores (crianças também mutantes, tornadas adultas muito rápido após terem seus genes misturados com DNA de lobos e que trabalham para a Escola) surgem em seu reino de paz e levam embora Angel. 

A missão do bando é clara: resgatar Angel, onde quer que ela esteja. Como pássaros, eles têm um senso de direção apurado e viajar pelo mundo se torna fácil quando se tem uma ferramenta assim. 

Há também um manga escrito ilustrado por Narae
Lee pela Yen Press lançado em 2008!
O livro é uma jornada em busca do passado: quem são de verdade, qual a razão de sua existência, quem são seus pais... E também de descobertas, de novos poderes, novos mistérios que surgem a cada nova busca. Há algumas reviravoltas que eu não esperava, embora analisando posteriormente eram bem óbvias. A escrita é jovial, com piadinhas e pegadinhas bem juvenis. A narração vem por parte de Max, embora algumas vezes outras cenas sejam narradas vendo um ou outro agir. Só achei que taaaantos capítulos foram desnecessários: são 134+ epílogo, para menos de 400 páginas!

Creio que seja bem divertido para os jovens, já que pesquisando encontrei que possivelmente será adaptado para um filme, mas sem data ainda. Há uma websérie para ser lançada ainda este ano, mas ainda não temos certeza de nada. A série Fugitivos conta com nove livros, sem data ainda de tradução no Brasil (pelo menos não consegui encontrar):

1. Projeto Angel (The Angel Experiment)
2. School’s out Forever
3. Saving the world and other extreme sports
4. The final warning
5. Max: A Maximum Ride Novel
6. Fang: A Maximum Ride Novel
7. Angel: A Maximum Ride Novel
8. Nevermore
9. Maximum Ride forever

Resenha de:






21.8.15

A Fofa do Terceiro Andar - Cléo Busatto


Capa comum: 144 páginas
Autora: Cléo Busatto
Editora: Galera Júnior (2 de junho de 2015)
Idioma: Português

Sinopse: 

Um livro que traz o tema do bullying através da história da fofa Ana Ana sempre foi uma criança alegre, saudável e... fofa. Ela nunca se incomodou em receber adjetivos, até notar que eles nem sempre serviam para ser legal com alguém. Conforme vai ficando mais velha, por mais que tente manter o sorriso estampado no rosto, os apelidos e implicâncias começam a mexer com ela. O jeito é colocar para fora, nem que seja no caderno. E não é que ajuda? Agora Ana só precisa conseguir aplicar isso na realidade, o que não é tão fácil quanto parece. Primeiro ela tem que descobrir o que realmente a incomoda (e não o que incomoda os outros) e então encontrar maneiras de trazer à tona a Ana confiante que se escondeu dentro dela. E que processo! A adolescência tem um tempo todo próprio, e não é fácil acompanhar. Novos gostos, novas sensações, novo corpo... Ela segue redescobrindo a si e ao mundo. E não faz isso sozinha. Além da Julia, sua amiga de infância, há outra pessoa que chega de mansinho... Francisco não é como os outros garotos que ela já conheceu. Ele enxerga o mundo de forma diferente e começa a ensinar Ana a fazer o mesmo. A focar nos aspectos positivos, a ser gentil com si mesma e, principalmente, a não tentar se encaixar em um molde que não é o seu. Afinal, imagina como seria chato se o mundo fosse visto por todos da mesma forma? 

Livros com temática ligada a assuntos do cotidiano têm se sobressaído nas listas de mais vendidos. Bullying é um assunto que rende cada vez mais espaço nas mídias.


Imagine um livro fininho, mas extraordinário no jogo de palavras e na mensagem que transmite! Assim é A Fofa do Terceiro Andar, da escritora Cléo Busatto.

Essa obra narra à história de Ana Vitta, uma menina fora dos padrões estéticos impostos pela sociedade. Ela é uma garota que está acima do peso, e como consequência a palavra chave é preconceito, seguido de atitudes condescendentes e muito bullying. Ana é insegura, possui apenas uma melhor amiga e vêm de uma família que não possui hábitos alimentares saudáveis e desconta todas as frustações em cima da comida, ou seja, ela se alimenta e sustenta o que a torna tão infeliz, seu corpo! Ana é uma garota muito inteligente, e acompanhar sua evolução foi no mínimo redentor. A história acontece num período de três anos e nesse tempo Ana vai se reinventar e para isso contará com a ajuda valiosa de sua amiga, seu caderno confidente e da chegada de uma pessoa que irá fazer seu coração despertar...

Cléo Busatto tem uma forma de escrever bastante acessível o que torna a leitura bastante clara e flui rapidamente. A proposta do livro é adolescente, mas a relevância por trás de cada linha amolda-se a cada pessoa independente da idade. Cléo aborda um problema de ordem mundial, o bullying, que pode ocorrer em quase todo e qualquer ambiente no qual haja relacionamento pessoal, tais como ambiente familiar, social, escolar, universidade e trabalho. Ainda existe uma firme disposição das escolas de não aceitarem a ocorrência do bullying dentro do seu ambiente escolar, tornando-se assim coautores dessa prática opressora. Para o agressor é sinônimo de poder, para quem sofre o bullying só resta sentimentos de medo, solidão, ansiedade e impotência. Ana sofria esse tipo de agressão diariamente na escola, ou seja, era constante alvo de apelidos pejorativos criados com um único propósito: a humilhação.
[...] Foi então que comecei a entender o uso e o significado do superlativo. Por exemplo, balofa, para quando se quer dizer exageradamente gorda. Aos 10 anos entendi o que é ironia: “Se ela saltar, a piscina esvazia”. Aos 12, já sabia o que era metáfora: “Gorda como uma baleia”. Confesso, não gostei [...]
A Fofa do Terceiro Andar é um verdadeiro tapa na cara da sociedade. Era pra se tornar leitura obrigatória na escola e ser alvo de debate nas salas de aula. Seria uma excelente ferramenta de exploração para junto com os alunos traçar metas, debater e encontrar meios de agir de forma eficaz para lidar com o problema de maneira definitiva.

A capa é uma massagem de delicadeza para os olhos. O livro é narrado em primeira pessoa pela Ana, as páginas são amareladas, letras excelentes para ler e capítulos curtos, enfim um livro de qualidade apreciável em todos os sentidos. Leitura mais do que recomendada!
[...] Quando olho para trás, percebo que caminhei um bocado. Eu me dou conta de que já carrego muitas histórias na minha mochilinha da vida. Umas tristes, outras alegres. Se tivéssemos uma bola de cristal para prever o futuro, a vida não seria tão encantadora e instigante. Quando nos entregamos ao imprevisível, a existência fica com cara de caixinha de surpresa [...]


20.8.15

Não Pare! - Livro 1 - FML Pepper


Não Pare! – Volume 1
Capa comum: 280 páginas
Autora: FML Pepper
Editora: Valentina; Edição: 1ª (19 de maio de 2015)
Idioma: Português

Sinopse:

Nina Scott não suportava mais a vida nômade e solitária que sua mãe, Stela, a obrigava a ter. Mudar de cidade ou de país a cada piscar de olhos, conviver com tantas perguntas que a consumiam, assombrada por mistérios de um passado guardado a sete chaves. Agora, aos 16 anos, a garota das estranhas pupilas exigia respostas. E, para sua péssima sorte, elas já estavam a caminho! Quando Stela decide ficar em Nova York, Nina acredita que seu sonho de ter uma vida normal vai se tornar realidade. Finalmente terminará o ano letivo em um mesmo colégio, poderá fazer amigos sem ter que abandoná-los em seguida, viver um grande amor, amadurecer, criar raízes... Enfim, curtir a adolescência. Mas o “normal” está muito longe da vida de Nina! Perdida no olho de um furacão de mortes e inexplicáveis acidentes, tendo que esconder os terríveis fatos da mãe paranoica, Nina começa a desconfiar da própria sanidade mental, de tudo e de todos. O que explicaria os paralisantes calafrios, a perda de visão e de memória que experimentava sempre que alguém morria ao seu redor? O que ela teria a ver com os bizarros e sobrenaturais acontecimentos? Estariam eles interligados?


Só conheço uma forma de começar essa resenha, com uma pergunta: CARA QUE HISTÓRIA É ESSA? Juro galera, eu já tinha uma ideia que o livro era bom, já tinha lido comentários satisfatórios a respeito da obra da autora brasileira FML Pepper, mas nunca imaginei que fosse de tirar o fôlego. Não conseguia parar de ler e quando tive forçadamente que tirar uma pausa por conta do trabalho à história ficava martelando na minha cabeça. A minha hora de almoço foi destinada a devorar o livro. E o melhor de tudo é saber que esse é apenas o primeiro livro da Trilogia Não Pare!

Nina Scott de apenas 16 anos, vive quase como uma nômade com a sua mãe Stela. Elas vivem se deslocando para vários países, o que não estabelecia um significado lógico para Nina. Ela se sentia sozinha, não conseguia fazer amigos ou terminar o ano em uma escola devida a essas mudanças repentinas. Sua mãe nunca dava uma explicação plausível para tantas mudanças, seu pai ela não conhecia, ela era “azarada” ao extremo e tinha um defeito de nascença, suas córneas eram semelhantes à de um réptil o que a forçava a usar lentes de contato para ocultar o inconveniente de ser diferente das outras pessoas.

Mais uma vez elas teriam que mudar, pois Stela literalmente “pira” quando elas estão numa Praça em Amsterdã e Nina quase morre ao ser atingida por uma das facas de um exibicionista que mostrava sua habilidade com facas em uma demonstração de rua. E quando no outro dia o mesmo artista de rua aparece assassinado as coisas ficam realmente enigmáticas. Dessa vez o destino de ambas será Nova York, e com essa mudança surge uma promessa de sua mãe que não haveria mudança tão cedo.
[...] Pessoas surgem do nada e, de repente, resolvem me atacar...” Que tipo de ligação haveria entre mim e estes bizarros acontecimentos? A resposta viria ao meu encontro, e não era nada boa [...]
Nesse tempo que elas estão em Nova York novos incidentes surgem, mas Nina a todo custo os esconde da mãe, pois ela sabia que se a mãe ficasse sabendo mais uma vez do que estava se passando elas sairiam correndo feito loucas da cidade. Nina consegue um emprego e até fazer amizades, mas infelizmente a onda de azar da nossa protagonista não consegue abandoná-la, outros acontecimentos inexplicáveis acontecem e todos eles tem um denominador comum, a sua morte.

Na escola junto com Nina, mais quatro novatos entram, uma garota loira de cabelos curtos e espetados, um garoto ruivo de porte atlético, um rapaz alto e loiro, chamado Kevin que por sorte a tinha salvo de ser atropela e um rapaz por quem ela antipatizou e sentia arrepios quando o via, Richard era seu nome, dono de uma beleza rude, cheio de cicatrizes era o dono dos mais lindos olhos azuis turquesa que Nina já tinha visto.
[...] Tudo nele era lindo, exuberante. Definitivamente, eu estava flertando com a Morte! [...]
Mortes sem explicações, assassinatos, acontecimentos sinistros, lapsos de memória, perseguições, incertezas, perguntas sem respostas, novas dimensões, suspense e por que não, um romance nada ortodoxo fazem parte dessa trama tão bem elaborada. A narrativa cheia de aventuras te torna cativo da história e é impossível você ficar inerte e não dar pulos na cadeira.
[...] “Não era para eu sentir nada” Queima tudo. Só quando estou perto de você é que sinto essa febre abaixar, essa dor acalmar. Como se você fosse a minha cura, o meu remédio [...]
FML Pepper realizou um trabalho primoroso, uma corrida instigante para o leitor tentar decifrar e chegar à frente dos acontecimentos. Torci, falei mal, briguei, ri e me apaixonei completamente pela narrativa. Foi uma surpresa extremamente satisfatória se deparar com uma narrativa tão fascinante, cheia de aventuras, personagens consistentes e uma história de arrancar o fôlego.

A diagramação da Editora Valentina está linda, a capa é maravilhosa, páginas amareladas, fontes gostosas de ler e realmente sou só elogios para o conjunto da obra. Leitura 1000% recomendada! Você não será capaz de parar!







19.8.15

Segredos de uma noite de Verão - Lisa Kleypas

 

segredos

Edição: 1
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Páginas: 288
Autora: Lisa Kleypas

Sinopse: Segredos de Uma Noite de Verão - Apesar de sua beleza e de seus modos encantadores, Annabelle Peyton nunca foi tirada para dançar nos eventos da sociedade londrina. Como qualquer moça de sua idade, ela mantém as esperanças de encontrar alguém, mas, sem um dote para oferecer e vendo a família em situação difícil, amor é um luxo ao qual não pode se dar.
Certa noite, em um dos bailes da temporada, conhece outras três moças também cansadas de ver o tempo passar sem ninguém para dividir sua vida. Juntas, as quatro dão início a um plano: usar todo o seu charme e sua astúcia feminina para encontrar um marido para cada, começando por Annabelle.
No entanto, o admirador mais intrigante e persistente de Annabelle, o rico e poderoso Simon Hunt, não parece ter interesse em levá-la ao altar – apenas a prazeres irresistíveis em seu quarto. A jovem está decidida a rejeitar essa proposta, só que é cada vez mais difícil resistir à sedução do rapaz.  As amigas se esforçam para encontrar um pretendente mais apropriado para ela. Mas a tarefa se complica depois que, numa noite de verão, Annabelle se entrega aos beijos tentadores de Simon... e descobre que o amor é um jogo perigoso.
No primeiro livro da série As Quatro Estações do Amor, Annabelle sai em busca de um marido, mas encontra amizades verdadeiras e desejos intensos que ela jamais poderia imaginar.

***

Na primeira cena do livro já temos o confronto, digo, o encontro entre os protagonistas. E não podia ser de modo mais embaraçoso.

“- Você... Você não deveria me olhar desse jeito.

Cortesmente, ele sussurrou em resposta:

- Com você aqui, não consigo olhar para mais nada.” Página 13

Numa sociedade extremamente preconceituosa e machista, as mulheres dependem dos homens para ter uma vida boa e digna. Se você não nasce em uma família com um título, provavelmente não será a primeira opção de um homem para casar. Ou se a família não tem um título e a moça não possui um dote, as chances de casar são praticamente nulas.

É caso da senhorita Annabelle Peyton. Uma moça linda, mas sem dote, sem dinheiro para ter uma vida digna e chegando as 25 anos faz com que ela não seja uma boa opção para esposa. Considerando que boa esposa naquela época seria uma moça com dinheiro.

Annabelle tem lindos olhos azuis e cabelos castanhos dourados. Ela acaba chamando a atenção de muitos homens, mas nenhum quer tê-la como esposa. E essa será sua última temporada. Sem muitas opções de sustento, ela não quer nem pensar no que terá que fazer para sustentar a mãe e o irmão mais novo. Até que surgem três moças na mesma situação de virarem solteironas como ela. Ao contrário de Annabelle, as três tem dinheiro, porém não são muito jeitosas com os homens: Elise Jenner, Lillian e Daisy Bowman.

Depois de cansarem de esperar que algum homem se aproximasse e as convidassem para dançar, e quem sabe assim virar um pretendente a futuro marido, elas decidem se unir e ir à caça de um. Nada convencional, mas situações desesperadas merecem medidas desesperadas.

[...] precisamos fazer um pacto para ajudar umas às outras a encontrar um marido. Se os homens não vierem atrás de nós, iremos atrás deles. [...] Página 23 e 24

Como Annabelle é a mais velha e a que mais precisa, as moças decidem que ela será a primeira a encontrar um marido. O problema é que um certo senhor, está muito interessado em Annabelle e o interesse é apenas carnal.

Senhor Simon Hurt é quase tudo que uma moça poderia pedir. Quase. Apesar de muito rico e lindo, ele não possui título algum. Filho de açougueiro, Simon fez fortuna investindo em vários ramos da indústria. Ele é apenas um plebeu no meio aristocrático. Ele só é aceito nesse meio apenas por ter boas relações comerciais com alguns desses. Ele também detesta toda a pompa que os nobres mostram e não mede palavras para dizer o que pensa a qualquer um. Sempre tão direto, seus modos são um tanto grosseiros. Apesar de não gostar dos aristocratas, Simon ficou encantado por Annabelle desde a primeira vez que a viu. E desde então tenta persuadi-la a ser sua amante, lhe oferecendo tudo o que desejar.

No decorrer do livro, vemos a transformação que os dois protagonistas sofrem. A própria Annabelle tinha seus próprios preconceitos contra aqueles que não eram do meio aristocrático.

“Pela sua experiência, o trabalho não era um assunto sobre o qual os homens gostavam de discutir, até porque o mero conceito de trabalhar para ganhar a vida era uma característica distintiva das classes mais baixas.” Página 159

E Simon se mostra muito mais do que sarcástico e libertino. Em um dado momento do livro, ele se mostra solidário e protetor. Um homem que sempre se mostrou tão calculistas em suas ações, de repente se transforma.

lisa

Para mim, Lisa é a diva dos romances de época. Seus romances são sempre cheios de momentos divertidos e mocinhas a frente de seu tempo. Elas são sempre cheias de opiniões e atitudes, mas sofrem preconceitos, sejam ricas ou pobres. Além do romance, vemos os laços femininos de amizade surgindo. Achei belamente desenvolvido a amizade das quatro solteironas. Lisa ainda nos insere em um momento de transformação da sociedade londrina.

O livro está situado entre 1841 a 1843, em plena Primeira Etapa da Revolução Industrial na cidade de Londres. A sociedade é cheia de segundas intenções. Naquela época, o título era muito mais importante que o dinheiro. A classe média trabalhadora estava em ascensão e ainda assim os aristocratas não os aceitavam muito bem. Muitos eram chamados a bailes aristocráticos pelo simples fato de terem alguns pequenos negócios com alguns nobres do círculo social ou serem amigos de algum outro nobre. Porém, era tudo uma simples fachada. Por trás, homens e mulheres nobres falavam de modo esnobe sobre todos.

Segredos de uma noite de verão é o primeiro livro da série de livros As Quatro Estações do Amor. Os próximos livros serão sobre as outras três solteironas. E claro, nesse primeiro livro já tenho noção de quem será o próximo casal. Posso dizer com certeza que me renderá ainda mais gargalhadas. ;)

lisa 2

0

    Resenha escrita por Crislane Barbosa, colabora do blog.   
         http://www.skoob.com.br/usuario/368409


18.8.15

Primeiro Post: Carla M.


Olá Meninas que leem/amam/são loucas por livros! Sou a nova resenhista do blog e Isso é algo para ser comemorado e vocês já vão saber por quê.
Mas primeiro preciso me apresentar...
“cofcof”

Sou Carla M., tenho 23 anos, pernambucana, bibliotecária formada em Letras, movida por literatura e claro, apaixonada por livros. Bem, não restam dúvidas de que é aqui o lugar onde devo estar.

Assim, sigo agradecendo demais à Juliana que me recebeu com muito carinho e receptividade em seu blog, muito bem-vinda é como estou me sentindo. Também não posso deixar de acentuar que estou (para não deixar o velho clichê de lado) realizando um sonho, em saber que o que eu escrevo estará sendo lido, compartilhado e apreciado por outras pessoas, já que Escrever é parte da minha essência, faz ser o que sou, e tudo se torna ainda mais perfeito quando escrevo sobre o que amo, nesse caso, os livros. Por isso, não podia estar mais feliz e empolgada com essa nova página em minha vida.

No mais, entro aqui com os pés descalços e trazendo nas mãos apenas coisas boas para acrescentar Às Meninas que Leem Livros, assim,  desejo que vocês queridas/queridos leitoras/leitores, gostem do meu trabalho e se deliciem com os próximos posts.


Beijos, Beijos.
Carla M.
Ansiosa e feliz com esse novo começo.



17.8.15

Beleza Perdida - Amy Harmon


Beleza Perdida

Capa comum: 332 páginas

Autora: Amy Harmon

Editora: Verus (29 de maio de 2015)

Idioma: Português

Sinopse:

Ambrose Young é lindo — alto e musculoso, com cabelos que chegam aos ombros e olhos penetrantes. O tipo de beleza que poderia figurar na capa de um romance, e Fern Taylor saberia, pois devora esse tipo de livro desde os treze anos. Mas, por ele ser tão bonito, Fern nunca imaginou que poderia ter Ambrose... Até tudo na vida dele mudar. Beleza perdida é a história de uma cidadezinha aonde cinco jovens vão para a guerra e apenas um retorna. É uma história sobre perdas — perda coletiva, perda individual, perda da beleza, perda de vidas, perda de identidade, mas também ganhos incalculáveis. É um conto sobre o amor inabalável de uma garota por um guerreiro ferido. Este é um livro profundo e emocionante sobre a amizade que supera a tristeza, sobre o heroísmo que desafia as definições comuns, além de uma releitura moderna de A Bela e a Fera, que nos faz descobrir que há tanto beleza quanto ferocidade em todos nós.

      Julguem-me, mas simplesmente me apaixonei pela sinopse desse livro. A capa é tão profunda que eu precisava me afogar em suas páginas com urgência! E quando finalmente eu o tive simplesmente não consegui para de ler. Continuei achando a capa divida, mas a sinopse não faz jus ao livro.  A profundidade dos personagens, a beleza da escrita, e a sabedoria nascida de tragédias me cativaram de forma tão completa que o livro está entre umas das grandes revelações de 2015.

     O dia 11 de Setembro de 2011 marcou todo um mando, trouxe marcas profundas, cicatrizes poderosas a toda a nação americana e nesse contexto Ambrose Young se sente compelido a contribuir de alguma forma, mesmo ele morando numa pequena cidade, ele instiga seus amigos a se alistarem, e dessa maneira os cinco amigos vão à guerra para honrar o seu país e infelizmente apenas um volta para casa vivo. Ambrose regressa, embora seu único desejo fosse ter morrido junto com os demais. Ele retorna ferido de forma permanente, com seu rosto deformado, sua alma quebrada e a culpa que sente é tão forte que o consome de uma forma devastadora fazendo com que ele se esconda do mundo. Ele um dia já fora bonito, forte e posso dizer que era o sonho de consumo de qualquer garota.

      Fern Taylor tinha sido apaixonada por Ambrose desde os seus 10 anos de idade. O problema era que ele mal sabia que ela existia. Ele era atleta e o mais desejado da escola e ela era apenas uma menina tímida e facilmente esquecível. Quando ele retorna da guerra e ela o encontra devastado ela tenta de todas as maneiras penetrar no coração de um Ambrose arruinado, mostrando a ele que a beleza exterior é apenas uma visão superficial. Fern vai mostrar que um amor imaculado e inabalável pode erguer mesmo o mais marcado dos homens, seja esse trauma no corpo ou na alma a trazê-lo de volta à vida. Fern vai mostrar que há sempre uma fresta de esperança e que toda pessoa tem direito a uma nova oportunidade, a uma segunda chance.
[...] Não é amor, o amor que muda quando encontra mudança, que se move e remove com desamor, oh, não, o amor é marca eterna, que enfrenta tempestades e não se abala. [...]
      Este não é um livro feliz, não é um conto de fadas, muitos o comparam com uma releitura moderna da história da Bela e a Fera, mas afirmo que é muito mais profundo do que isso. O livro me fez chorar, a escrita de Amy Harmon é simples, mas poderosa e eficientemente capaz de abalar os nervos. A diagramação do livro é linda, a fonte excelente de ler, páginas grossinhas e levemente amareladas. Se eu recomendo a leitura? Acho que você nem precisa perguntar!