Menu

29.8.15

Capuleto - Bela Borges


Capuleto de Bela Borges

Sinopse:

" Julieta Capuleto é uma dançarina de um circo famoso. Durante uma viagem a Europa, ela conhece o fotógrafo William, por quem se apaixona perdidamente e se entrega à um romance secreto.
Este romance porém poderá terminar, devido as intervenções de seu pai e seu futuro noivo, Antônio.
Mas Julieta não desiste de seu sonho de ser livre e ela segue sua promessa. Passados quatro anos após, a Grande Guerra, ela ainda acredita na jura de amor que fez a William e espera que algum dia ele volte.
Mas afinal, quem é esse misterioso William pelo qual ela se apaixonou? "


*** 

Quando qualquer leitor se depara com o nome Capuleto, automaticamente se transporta para o século XVI, para os amantes de Verona, Romeu e Julieta. Neste livro o leitor irá sentir as semelhanças.
Julieta vem de pais separados, a mãe ficou na Itália e o pai está na França, possui um grande circo, onde Julieta é a atração principal.
Ela apenas aguenta a vida circense, para ajudar o pai financeiramente.
Julieta gosta de toda a “família” do circo, mas abomina a marcação cerrada de Antônio, que faz parte do espetáculo, é bonito, forte, sem nenhum caráter e para Julieta ele tem todos os defeitos: não possui uma gota de romantismo. Mas seu pai achou por bem e decidiu que ela se casará com Antônio, sem que ela possa questiona-lo.
E para completar o triangulo amoroso, num dos espetáculos, com muitos repórteres e fotógrafos, William está entre eles e fica encantado diante da beleza angelical de Julieta.

Will é fotografo de um jornal é bonito, franzino, usa óculos por causa da miopia, trabalha pra viver, escreve poemas belíssimos e é “totalmente romântico”.
Há muita reciprocidade no sentimento dos dois, descobrindo que foram feitos um para o outro, apesar das adversidades.
Como Antônio é (um mala) a sombra de Julieta, descobre os encontros e o sentimento dos dois. 
Julieta só vê uma saída... fugir com Will, mas algo mais monstruoso que as convenções e o próprio Antônio, separou o casal apaixonado, deixando em suspenso todos os sonhos que sonharam – A guerra.

Quem se livrará do mostro sanguinário? Antônio? William? Os dois? Com quem Julieta terminará? Só lendo pra saber. :)



É uma boa estória, com aspectos do cotidiano familiar.

Gostei muito do efeito positivo que a guerra teve sobre Will, por incrível que pareça. 
Uma leitura que eu recomendo!



Título: Capuleto
Autor(a): Bella Borges
Número de Páginas: 176


28.8.15

Objetos Cortantes - Gillian Flynn



"Você pode me ler. Quer que eu soletre para você? Eu certamente dei a mim mesma uma sentença perpétua."


Título Original: Sharp Objects
Autora: Gillian Flynn
Editora: Intrínseca
Ano: 2006/2015

Sinopse: Uma narrativa tensa e cheia de reviravoltas. Um livro viciante, assombroso e inesquecível. Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.
Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.



Livro de estréia de Gillian Flynn, gostei dele muito mais que do Garota Exemplar. Talvez por identificação. Camille é uma pessoa angustiada. Jornalista que não tem sido a grande promessa que seu editor acreditou que ela seria, não parece ter muitos relacionamentos – seja de amizade ou amorosos – e tem o peso do passado em sua pele. Ficou internada alguns meses em um hospital psiquiátrico por se automutilar, durante a vida toda. Primeiro, precisava escrever compulsivamente, por ter medo de que as palavras fossem embora. Depois, escrevia palavras em sua própria pele. Palavras que para ela faziam algum sentido; palavras que, se você fosse ler, não fariam nenhum sentido juntas. Mas que falavam com ela em separado, dependendo do momento que passava. Eu as imaginava quase brilhando em seu corpo nesses momentos.

É um livro extremamente interessante, pois para além dos crimes, há uma análise da sociedade a partir de Wind Gap, a cidade natal de Camille e para onde ela precisa ir. Uma cidade feita de aparências, onde os ricos sempre são ricos (especialmente fazendeiros) e os pobres sempre ficarão pobres. Simplesmente por não terem coragem de deixar a cidade e tentar a vida em outro lugar. Se você é feio e pobre, sofrerá bullying na escola por essa razão, pelas meninas ricas e bonitas. Então todos crescem e aqueles que sofreram bullying e continuaram na cidade trabalham para os ricos, como seus criados. E sempre serão lembrados que são inferiores, mesmo que não sejam. Ela não entende como algumas pessoas simplesmente se contentam com isso.

Há também, neste livro, a questão do feminismo. Por exemplo, uma menininha morreu. Um menino viu uma mulher levando a desaparecida embora e ninguém dá atenção ao que ele diz. Simplesmente porque ninguém acredita que uma mulher cometeria um crime! Uma mulher é fraca demais para sequestrar ou matar alguém, ainda mais uma criança! Ainda mais porque né, tem o instinto materno, toda mulher quer ser mãe! Ou... Se uma menina transa com quatro caras ao mesmo tempo numa festa, é considerado estupro, e não que a menina quis ficar naquela situação. Vi isso também quando uma das antigas amigas de escola de Camille estão reunidas e uma começa a chorar porque voltou à trabalhar. Achou que isso poderia preencher seu tempo, ajudá-la a ter mais alguma personalidade mas se arrependeu demais. Elas disseram que tudo bem, não precisava trabalhar só porque as feministas diziam que era bom ser independente! Você deve ficar em casa cuidando das crianças e tomando seu Martini enquanto vê tv, se quiser! Elas não entendem que você é mulher e pode fazer o que quiser da sua vida, ora bolas!

Há também o quanto você se submete para fazer o outro gostar de você. Especialmente pensando nas relações pessoa-parceiro(a). Quantas vezes você já se deixou fazer algo apenas para agradar seu(a) parceiro(a)? Seja de sexo a algo que você não estava muito afim de fazer. Isso pode dar a falsa sensação de controle da situação: eu faço porque faço tal pessoa feliz, tenho controle sobre a felicidade dela. Pelo menos, para mim isso é falso.

“... Às vezes acho que a doença mora dentro de toda mulher, esperando o melhor momento para florescer. Conheci muitas mulheres doentes. Mulheres com dores crônicas, com doenças sempre em evolução. Mulheres com quadros. Os homens, claro, quebram os ossos, têm dores nas costas, passam por uma cirurgia ou duas, tiram as amídalas, inserem próteses plásticas. Mulheres são consumidas. Não surpreende, considerando apenas o volume de tráfego que o corpo da mulher experimenta. Absorventes internos e espéculos. Paus, dedos, vibradores e mais, entre as pernas, por trás, na boca. Homens adoram colocar coisas dentro das mulheres, não? Pepinos, bananas e garrafas, um colar de pérolas, uma caneta hidrográfica, um punho...”

Anular-se pela felicidade e prazer do Outro deixa qualquer pessoa doente.

Há um grave conflito familiar no livro, pois Camille nunca se deu bem com a mãe, que nunca demonstrou nenhum carinho e cuidado para com a filha. Isso também é parte central do enredo que não vou me prolongar muito senão acaba todo o mistério. Apenas digo uma coisa: A família é (quase) sempre a raiz de todos os problemas do ser humano.

Adorei a leitura deste livro, diferente do Garota Exemplar. Há muitas outras coisas a serem tiradas dele proveitosamente, mas deixarei que vocês leiam e comentem aqui comigo depois!

Resenha de:





27.8.15

Nunca me esqueça - Lara Corrêa

Capa comum: 322 páginas

Autora: Lara Corrêa

Editora: Chiado, lançamento Maio 2015

Sinopse:
Júlia acorda radiante após sonhar com um passarinho ligado a boa sorte. Por mais que esperasse por coisas boas naquele dia, ela não poderia imaginar que toparia com Tadeu, um desconhecido tão lindo quanto um artista de Hollywood. Mas, se o passarinho prometia boa sorte, por que ela havia passado uma vergonha daquele tamanho na frente do Tadeu?
Decidida a superar a má impressão que havia deixado no primeiro contato com o rapaz, Júlia não descansa até mostrar para ele como ela realmente é. Nesse percurso acaba nutrindo sentimentos por ele e ele, por ela! Mas, havia um problema: Tadeu morava em outra cidade e já estava de partida.
Júlia precisa encarar suas dúvidas e incertezas para poder decidir se vale a pena nutrir tais sentimentos apesar da distância.
Nunca Me Esqueça é uma história cheia de humor e romance, que fala da importância do amor  apesar da distância, do tempo ou de qualquer outro obstáculo.

Júlia, morena, olhos e cabelos negros, estudante do curso de Educação Física, experimentou um sonho encantador com um pássaro chamado lavadeira – de – Deus, que de acordo com sua avó representava uma promessa de que coisas boas viriam no futuro daqueles que o viam. Portanto quando ela sonhou com tal pássaro soube que acontecimentos agradáveis estavam por vir.  

No mesmo dia do sonho revelador, Júlia está com as amigas Amanda, Cibele e Camila almoçando num restaurante da Universidade quando contemplam uma movimentação fora do habitual de pessoas. Eram estudantes que estavam participando de um congresso do curso de Administração. No decorrer do almoço, dois dos três rapazes que estavam sentados numa mesa ao lado começaram a olhar para elas com insistência e um deles, chamado Hugo acabou por se apresentar e assim iniciaram um bate papo descontraído. Eles eram do Campus de Campina Grande em João Pessoa e estavam no último período do curso e vieram apresentar trabalhos no congresso. O terceiro garoto despertou a atenção de Júlia. Mesmo de costas para o grupo e imerso numa extenso diálogo ao celular, não participou da conversa, mas nem por isso deixou de despertar a atenção da garota.  Quando o almoço chegou ao fim e ao se despedirem finalmente ele largou o celular, levantando-se finalmente para cumprimentar a todos, deixou nossa estudante Júlia boquiaberta. Ele era simplesmente lindo, um Deus grego...

Tadeu, estudante de Administração, 1,85 m, cabelos castanhos claros, olhos cor de mel e com duas covinhas lindas no rosto também se encanta por Júlia e a atração entre os dois é imediata. Mesmo com o pouco tempo que restava, afinal eles teriam poucos dias antes de retornarem a sua cidade Campina Grande, marcaram de sair todos juntos a fim de se conhecerem melhor e desfrutarem um passeio agradável pela cidade. Mesmo com Tadeu se mostrando interessado o tempo todo Júlia não conseguia encarar uma relação mais séria com ele, tendo em vista que eles eram de cidades diferentes e mesmo que essa distância implicasse em apenas duas horas de viajem ela estava descrente que o relacionamento desse certo.

Sei que para muitos isso não seria um problema, mas fruto de pais separados justamente pelo pai viajar muito a trabalho ela não queria cometer o mesmo erro. Mas quem disse que o coração obedece ao cérebro? Eles acabam se envolvendo e telefonemas, mensagens, e-mails começam a fazer parte da rotina do casal tão apaixonado.

A relação dos dois é linda! Tadeu sempre muito apaixonado e Júlia se descobrindo com uma mulher capaz de amar, já que ela sempre foi muito reservada em relação a expor seus verdadeiros sentimentos. A mãe de Júlia dona Sílvia é uma excelente conselheira e junto com sua melhor amiga Amanda conseguem segurar bem os temores e inseguranças de Júlia.

O relacionamento de ambos vai a mil maravilhosas, Tadeu sempre atencioso se agarra aos feriados para ficar perto de Júlia, a sua família é agradável e Dona Rebeca a mãe de Tadeu junto sua irmã Luiza acolhem super bem quando Júlia vai passar um feriado na casa do namorado. E foi nesse mesmo fim de semana que o relacionamento de ambos sofreu um baque... Parece que nem todo o passado de Tadeu estava tão distante assim, algo estava acontecendo e parecia que ia conseguir afastar o jovem casal... Será que os medos de Júlia não eram tão infundados assim? Será que eles iriam vencer todas as barreiras e conseguirem finalmente ficar juntos?... Leiam, não sou eu que vou estragar a surpresa né?

Lara Corrêa, a autora de Nunca me Esqueça escreveu um trama bem atual e jovem. Confesso que gostei muito de acompanhar o amor de Tadeu e Júlia. A história que se passa em sua maioria em João Pessoa é tão bem descrita que me senti sendo transportada pela cidade. Conheci pela descrição da autora os pontos turísticos, as praias e até consegui sentir o cheirinho do escondidinho de carne do sol.

Achei a leitura rápida, envolvente e torci muito para o amadurecimento emocional da protagonista. Foi lindo ver a união da família, dos amigos, a maneira como eles conseguiam driblar a distância e o tempo para sempre no decorrer do dia terem um momento deles, nem que fosse para enviar uma letra de uma música por e-mail e como eles eram esforçados e conseguiam manter o foco nos estudos e trabalho mesmo com toda a vontade que todo jovem casal possui de estarem sempre juntos.

A diagramação do livro é linda, as folhas amareladas e a fonte agradável convidam a todos para uma leitura sensível recheada de trechos de músicas. Recomendo a leitura para todos que creem que o amor vence qualquer barreira para aqueles que se permitem acreditar e lutar pelos seus sonhos. 



26.8.15

A Grande Caçada - Dan Smith


caçada


Edição: 1
Editora: Seguinte
Ano: 2015
Páginas: 272
Autora: Dan Smith

Sinopse: Num vilarejo remoto além do círculo polar, todos os meninos devem passar por um ritual de caça em seu décimo terceiro aniversário, simbolizando a entrada na vida adulta. Agora é a vez de Oskari enfrentar uma noite sozinho na floresta - um desafio bem assustador, considerando que ele não é muito forte e o arco cerimonial é grande demais para seu tamanho. Mas os desafios estão só começando... Logo o garoto acaba envolvido numa outra caçada, completamente inesperada: terroristas violentos estão atrás do presidente dos Estados Unidos, cujo avião caiu naquela mesma mata. Será que Oskari terá coragem e inteligência suficientes para salvar o presidente e a si mesmo? Um garoto de treze anos precisa provar sua coragem ajudando um dos homens mais poderosos do mundo a escapar de um inimigo mortal.


***
Um garoto magrinho e nada forte. Um presidente todo sujo e só com um sapato no pé. O que vai acontecer?

Em um vilarejo isolado da Finlândia, os meninos passam por algumas provações para chegar à vida adulta. Aos cinco anos, eles pulam em uma cachoeira no lago Tuonela juntos com os pais. Em um lugar onde você tem que aprender desde cedo o que fazer para sobreviver, as provações são fundamentais para ser forte.

caçada 1

Na véspera de seus 13 anos, para se tornar um homem de verdade, os meninos passam por um Teste. Vão para a floresta em torno do monte Akka, com flechas e o arco cerimonial, e devem caçar e trazer o animal que a floresta lhes oferecer. Porém, cada animal tem seu próprio significado, assim mostrando que tipo de homens eles são. Eles têm apenas uma noite e um dia para caçar. Esse é um antigo ritual para simbolizar o início da vida adulta.

“Um menino entra na floresta, mas é um homem que retorna.” Página 35

Agora é a vez de nosso pequeno Oskari entrar na floresta e caçar. Ele sempre foi considerado fraco e pequeno, apesar de estar sempre treinando para ser tão forte quanto seu pai. Tapio, pai de Oskari, é um dos melhores caçadores da aldeia. Ele trouxe a cabeça de um urso de seu Teste, simbolizando força e coragem. Oskari carrega a responsabilidade de ser tão bom caçador quanto seu pai. Viver no estigma de seu pai apenas trás mais aflição para provar que ele pode sim ser forte. Ele sabe que não tem muitas chances.

“Eu não era o melhor caçador da aldeia. Não era nem o melhor caçador da minha idade. Eu era um caso perdido.” Página 8

Quando sai do Território das Caveiras, Oskari já imaginava que ia ter uma noite muito difícil, mas ele não imaginava que as coisas poderiam ficar mais complicadas do que já estavam. Depois de ter o primeiro contratempo para chegar ao local onde poderia haver cervos, ele não contava que alguns homens pudessem atrapalhar sua caça. Ou melhor dizendo, eles tinham sua própria caçada em vista.

caçada 2

Enquanto percorre a floresta tentando chegar ao local, Oskari é surpreendido no meio caminho por visitantes indesejados: terroristas. Eles estão perseguindo nada mais nada menos que o presidente dos EUA: Alan Wilson Moore. Bill para os íntimos. Como o presidente dos EUA foi parar em uma floresta isolada na Finlândia?

Depois que o Teste começa, não temos muitos momentos de sossego. Oskari está sempre em movimento. Sempre pensando em um plano para proteger a si mesmo e ao presidente.
Apesar do livro ser bem rápido e conciso, Dan Smith soube passar tudo o que estava acontecendo na visão de Oskari. Bastante dinâmico, o livro é uma excelente pedida uma tarde de aventura e ação sem sair de casa. E ainda temos as lições que Oskari e Bill nos ensinam: amizade, companheirismo, altruísmo, coragem e autoconhecimento. Os dois precisam estar unidos para enfrentar um inimigo feroz e implacável.

O livro veio a partir do roteiro de Jalmari Helander e Petri Jokiranta para o filme Big Game. E depois veio a virar o livro com a escrita do autor Dan Smith. Com uma história bem dinâmica e com o ator de peso Samuel L. Jackson no elenco, não tem como o filme não ser bom. Temos ainda nosso pequeno Oskari sendo interpretado pelo finlandês Onni Tommila.

caçada 3

O filme foi lançado mundialmente em setembro de 2014. Com certeza depois de ter lido esse livro, ficarei de olho em seu futuro lançamento no Brasil. Assistam a um dos trailers:

0

  

  Resenha escrita por Crislane Barbosa, colabora do blog.   
         http://www.skoob.com.br/usuario/368409

25.8.15

Da Saga OUTLANDER - A Viajante do Tempo - Diana Gabaldon



Livro: Outlander - A Viajante do Tempo
Título original: Outlander
Autor (a): Diana Gabaldon
Editora: Saída de Emergência (relançamento)
Páginas: 800
Nota (0 a 5): 


Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros. Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?




É impossível não se apaixonar por este livro, ele é lindo, a narrativa é muito envolvente, apesar de extensa: são 800 páginas, mas você simplesmente não cansa. Ler a obra de Gabaldon é como escutar um relato de quem esteve, de verdade, na Escócia de 1743.  E não para por aí, a saga conta com 8 títulos, ou seja, tem muita história pela frente, o que é muito bom, já que você cria uma ligação muito muito forte com os personagens, por serem extremamente reais e profundos. Crédito total à escrita maravilhosa e bem fundamentada de Gabaldon.

O livro traz um lindo romance histórico/de época e se passa nada mais, nada menos que nas belas e românticas highlands escocesas. Gente pensa comigo: romance, Escócia, aventura, mistério, fatos históricos, fantasia, amor (daqueles quentes: Sim, há muito erotismo – sem vulgaridade), personagens muito bem construídos... bom, eu poderia passar o dia citando tanta coisa incrível num único livro, mas já dá para ver o quanto é rico o enredo de Diana Gabaldon e como agrada a todos os gostos, por ter um pouco de tudo.

A verdade é que é difícil falar desse livro, por sua multiplicidade, mas vou tentar dar o meu melhor.


Bom, o livro é narrado por Claire Randall (no ano de 1945), uma inglesa de 27 anos, casada com Frank Randall, um renomado professor universitário. Ambos serviram à II Guerra Mundial, na qual foi enfermeira. Então, após anos separados, eles partem para uma segunda lua de mel a fim de se reconectarem.  E o destino é Inverness, nas Highlands do norte da Escócia. Lá enquanto Frank procura saber mais sobre sua árvore genealógica, Clarie, segue perambulando pela pacata cidade, e assim se encontra com um misterioso círculo de pedras em uma colina chamada Craigh na Dun – uma espécie de Stonehenge fictícia. E é aí que a vida dela muda drasticamente!
”A verdade é que nada se movia, nada mudava, nada parecia acontecer e, ainda assim, eu experimentava uma sensação de terror tão grande que perdi completamente a noção de quem ou o quê eu era, de onde me encontrava. Estava no âmago do caos e nenhuma força física ou mental era útil contra isso.”
Assim, Clarie atravessa uma das pedras, passando por uma espécie de fenda no tempo e surgindo no mesmo lugar no qual estava, com as mesmas roupas: só que  200 anos antes. Uma perigosa época (1743), já que a Coroa britânica e os Clãs Escoceses estão em constantes batalhas. E adivinhem: ela é encontrada pelo Capitão Jack Randall, ancestral de seu marido, e praticamente idêntico a ele, porém, Randall não é nada confiável e nada parecido com seu Frank. Sua sorte(ou não) foi ser salva por um dos escoceses do Clã Mackenzie, que – na dúvida entre ela ser uma prostituta, uma espiã ou uma bruxa – acabam por levá-la como refém para o Castelo Leoch.
No caminho, ela cuida dos ferimentos de um jovem chamado Jamie Fraser.  A ligação entre os dois fica clara rapidamente, mas não se engane, não é um tipo de “Amor a primeira vista”, e mesmo Jamie conquistando rapidamente seu o afeto, Claire continua focada em voltar para casa, para seu marido que ficou em 1945.
Mas diante das reviravoltas, para não ser entregue à Coroa Inglesa e correndo o risco de ser enforcada por acusação de espionagem, ela se vê obrigada (literalmente) a casar com Jamie. E mais tarde ela precisará decidir o que fará, quando se vê dividida entre uma paixão arrebatadora e um antigo, e seguro, amor.
"– Não incomoda você que eu não seja mais virgem? – ele hesitou por um momento antes de responder.– Bem, não. – ele falou devagar. – Desde que não importe que eu seja. – ele sorriu a minha expressão de queixo caído e voltou para a porta. – Acredito que pelo menos um de nós deveria saber o que está fazendo."
Pode parecer estranho, ela amar seu marido, casar com outro homem e ficar perdidamente apaixonada por ele, mas não dá para jugá-la por isso, e quando você lê, você vai compreendendo suas atitudes, pois, ela tenta de tudo para voltar ao seu tempo, mas além de ser prisioneira, ela ainda nem conseguiu assimilar toda essa mudança de tempo. Por esse e outros motivos, esse deixa de ser um romance convencional e chato. Dessa forma, nós vamos nos apaixonando cada vez mais pelo casal (Claire e Jamie), pois, é impossível não se comover  com o amor incondicional que Jamie sente por Claire. É lindo. E somente esse amor para deixarmos de lado o fato de ela ter se entregado a outro homem, mesmo estando casada.
Mas o romance não termina aí, em meio a tudo isso vão acontecer conflitos, do tipo: lutas, fugas, mortes, Claire acusada de bruxaria, resgates emocionantes, enfim, muita, mas muita ação.




Vale falar que recentemente, a saga ganhou uma série de TV no canal Starz e foi encomendado 16 episódios para a primeira temporada (que conta a história do primeiro livro). Tive o prazer de ver a primeira temporada e mesmo possuindo diferenças do enredo, o que já é esperado, a essência do livro não foi afetada, o que faz a série ser tão boa quanto o romance. O elenco conta com Caitriona Balfe, que interpreta Claire, e Sam Heughan, nosso Jamie, e eles são atores excelentes, de fato incorporaram os personagens, sem falar que os dois possuem uma química brilhante.




Contudo, Outlander é uma viagem histórica, cultural, cruel, sensível, irreverente e devastadora de uma Escócia encantadora, mas que escondia coisas impiedosas, é impossível não se perder em suas páginas e viajar no tempo junto com Claire. Vale muito apena ler este maravilhoso romance!

Carla M.

24.8.15

Na pele de uma jihadista - Anna Erelle

Edição: 1
Editora: Paralela
ISBN: 9788565530965
Ano: 2015
Páginas: 208
Autor: Anna Erelle


Sinopse: Na Pele de Uma Jihadista - A história real de uma jornalista recrutada pelo Estado Islâmico.

A jovem e frágil Mélodie, recém convertida ao islamismo, conhece, num chat de Facebook, Bilel, integrante de alto escalão do Estado Islâmico e braço direito de Abu Bakr al-Baghdadi, um dos terroristas mais perigosos do mundo. Após somente dois dias de conversas por Skype, ele já se declara "apaixonado". Mais do que isso: pede Mélodie em casamento, instigando-a a juntar-se a ele na Síria para viverem juntos uma vida idílica, repleta de riquezas materiais e espirituais. Mas o que Bilel não sabe é que Mélodie não existe fora do mundo virtual. Ela é, na verdade, Anna Erelle, uma jovem repórter parisiense que investiga as redes de recrutamento de grupos terroristas e suas propagandas digitais.


O livro conta a historia de “Anna” (nome fictício), uma jornalista francesa que por meio da internet, consegue adentrar uma das mais elusivas e violentas organizações do mundo, o EI (estado islâmico). “Anna” cria a persona virtual de “Melodie”, uma jovem francesa, submissa, muçulmana convertida, que inicia um relacionamento virtual com uns dos homens mais importantes por trás da organização EI. Por meio dessas conversas, “Melodie” consegue descobrir mais sobre o esquema de recrutamento usado pela organização, que anualmente alicia milhares de jovens por todo mundo a se juntarem a luta e irem para localidades distantes, onde podem se preparar para morrer sob as graças de Allah por uma causa “maior”.

De uma leitura bem fluida e com poucas páginas o livro praticamente se lê sozinho. Apesar disso tenho de admitir que não foi uma leitura realmente marcante. Ainda mais se você como eu, já tiver lido livros mais complexos e que se aprofundam mais nos tópicos tratados pela autora. Em alguns momentos fiquei meio perdida com os acontecimentos da história e acabei tendo de voltar à leitura e conferir de novo alguns trechos para tentar me situar no que estava acontecendo.

A jornalista e autora do livro lançou seu trabalho sob o pseudônimo de “Anna Erelle” e ate hoje vive em reclusão e sobe a constante ameaça de organizações terroristas. Esse fato só confere mais força a obra, como um ato de coragem e de alerta aos acontecimentos que se desdobram diariamente naquele lado do mundo. De qualquer modo é um livro recomendado para pessoas que querem uma introdução bem rápida sobre os conflitos travados na Síria e seus impactos em toda a sociedade.

Gif aleatório para descontrair. hehehe :3

Por hoje é isso pessoal, beijo grande ate à próxima. o/ 
***





Escrito por Mary Zombie, colaboradora do blog. http://www.skoob.com.br/usuario/45011

23.8.15

Entre o Amor e a Paixão - Lesley Pearse


Entre o Amor e a Paixão - Lesley Pearse

Sinopse:

“ Uma mulher dividida entre o compromisso e o calor de um relacionamento passado.”

“ No início da Primeira Guerra, Jimmy, o marido de Belle Reilly, é levado para as trincheiras mortais do norte da França e Belle percebe que não pode ficar de braços cruzados quando tantos estão sacrificando suas vidas. Armada de coragem e boa vontade, ela se torna voluntária como motorista da Cruz Vermelha, também na França.
Então, enquanto cumpre seu dever humanitário, um trágico acidente lhe coloca frente a frente com Etienne — o homem que fez parte de seu passado e a quem nunca esqueceu completamente.
Dividida entre a paixão proibida por Etienne e a lealdade e o amor por Jimmy, Belle encontra-se em uma situação impossível. A confusão de seus sentimentos, misturada à escuridão da mais brutal das guerras, a levará a sucumbir para sempre, ou a força da vida será maior e a conduzirá, finalmente, à verdadeira felicidade? ”

Resenha
" Homens podem ser bem estúpidos e muitas vezes atacam quem mais deveriam tratar com carinho. "

Belle finalmente tinha tudo o que uma mulher desejava. Um marido carinhoso, amoroso e bondoso como Jimmy Reilly, sua independência numa época em que mulheres não tinham direito de se “pronunciarem” em nada, possuía sua tão sonhada chapelaria, que fazia muito sucesso entre as damas ricas de Londres. Vivendo ao lado de sua querida Mog e seu marido Gath (tio de Jimmy).
Os dois casais se mudaram para Blackheath, lá abrindo um Pub chamado Railway, administrado pelos dois homens da casa. A mudança serviu para deixar o passado tão doloroso para trás. Mas nem tudo são flores... A guerra contra a Alemanha estava declarada!

“ Você acha que não é nada ajudar a salvar a vida dos soldados? - Belle soltou um suspiro. - Para mim, é muito mais gratificante do que fazer chapéus para mulheres vazias que tem mais dinheiro do que bom senso. ”

Londres se movimentou alistando seus homens para lutar a favor de seu país. Jimmy se alistou ao exercito britânico, para o desespero de Belle.
Desde a ida para a guerra os acontecimentos ruins e bons surgiram na vida já tão sofrida de nossa mocinha.  Mas ela é uma mulher forte, cheia de energia e corajosa.
Belle é um exemplo de mulher a ser seguido, por sua determinação e força para vencer as dificuldades que possam e sempre aparecem em seu caminho.

Numa dessas, aparece inesperadamente na vida de nossa mocinha Miranda Forbes – Alton, uma garota de beleza e elegância, precisando de ajuda, se tornando alguém essencial uma na vida da outra. A aparição inesperada de Etienne Carrera, novamente na vida de Belle começa a confundir seus sentimentos.
" - Por que você simplesmente não foi para casa depois que foi ferido?- O que há em casa para um aleijado como eu? - Ele deu de ombros. - Ninguém vai me dar emprego, minha mãe não quer outra boca para alimentar, não com a casa cheia de crianças, e meus amigos estão todos aqui.Eles haviam se alistado para escapar da pobreza, aos ambientes cruéis e a falta de oportunidades. Infelizmente, uma grande parte dos feridos retornaria amargurada para casa, para uma vida ainda pior do que antes.No entanto, Belle também tinha falado com homens que achavam que o exército tinha melhorado sua sorte na vida. Refeições regulares e exercícios de musculação durante o treinamento haviam transformado rapazes magricelas em homens. "

Depois de perdas e violência, Belle cansada de não fazer nada para ajudar os militares feridos na França, ela se alista junto com sua amiga Miranda como voluntaria no The Royal Herbert Military Hospital, como auxiliar de enfermagem.

Logo as duas partem para a França, mas não imaginam que a guerra mudaria para sempre suas vidas, sua maneira de pensar e agir.
O coração de Belle se divide entre sua paixão do passado com Etienne e seu casamento com Jimmy. Com a guerra chegando ao fim, o que Belle decidirá sobre seu futuro tão incerto? O destino poderá ser traiçoeiro, mas conseguirá ser feliz um dia mesmo depois de tantas tragédias?
“ - Como pode ser errado quando encontrei a garota que amo, por puro acaso, em um país devastado pela guerra? Eu poderia ser morto na próxima batalha, Jimmy também. Devemos aproveitar o que temo agora. Não sabemos o que o amanhã trará. ” - Etienne

A autora Lesley Pearse detalha a Guerra na França de um jeito inegavelmente realista e comovente. A descrição da vida nos campos de batalha é tão real que para nós leitores parece que estamos vivendo aquele horror sangrento.
Recomendo muito Belle e Entre o Amor e a Paixão. São estórias surpreendentes e completamente apaixonantes.



Título: Entre o Amor e a Paixão - Belle - Livro 2
Autora: Lesley Pearse
Editora: Novo Conceito
Páginas: 512