Menu

26.9.15

O Lado Bom da Vida - Matthew Quick

o lado bom da vida

Título: O Lado Bom da Vida

Autor: Matthew Quick

Editora: Intrínseca

Ano: 2013

Páginas: 256

Nota (0 a 5): 5

Pat Peoples, um ex-professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um "tempo separados". Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes da internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher.

4 Motivos para ler O Lado Bom da Vida:

1. O livro é contagiante;
2. é divertido;
3. é lindo e
4. é emocionante!!!

Daí que eu resolvi falar de um livro que  não é tão novo assim nas livrarias, mas que me deixou ótimas impressões quando li, e não podia deixar de compartilhá-lo com vocês: sérioo, nunca li um livro tão rápido em minha vida: 2 dias de muita satisfação.

Nossa, como eu poderia passar o dia falando coisas boas sobre ele! A trama é bem gostosa, você lê e se sente feliz, e vai vivendo tudo que é narrado de uma forma inacreditável. Me pergunto como um romance tão dramático faz a gente se sentir tão otimista em relação à vida.

O protagonista,  é um bipolar explosivo em recuperação. Seu objetivo é melhorar para, assim, ter alguma chance de reconquistar sua  ex esposa, Nikki. Nesse processo, Pat conhece Tiffany, uma viúva que também precisa enfrentar seus próprios demônios, e é isso que irá uni-los (mas não é tudo tão simples). Vamos acompanhar um enredo engraçado, cheio de altos e baixos. O livro é uma espécie de diário, escrito por Pat, que vai nos mostrando em primeira pessoa, seus conflitos, medos e desejos, de forma muito carismática o que faz com que o romance ganhe um toque especial.

Pat nos mostra seus defeitos com muita honestidade, e tenta melhorá-los, pensando, claro, que tudo que ele fizer de bom irá permitir uma reconciliação com sua ex esposa, a qual ele supõe, está apenas dando um tempo no relacionamento, e que quando ele estiver bem, ela voltará para ele, o que não é verdade. Então, Pat vai se moldando e mudando, sendo mais gentil com as pessoas, mais controlado em suas ações. Só que as coisas não são um terço de como ele imagina que são. Acontece que ele continua tendo pequenos surtos e sua memória é cheia de lapsos. Ele não sabe exatamente o motivo da esposa não querer vê-lo, dos pais sempre brigarem por causa dele e dos amigos não citarem nada do que aconteceu enquanto ele esteve em tratamento. Mas ele está determinado a reconquistar a antiga vida, afinal acredita no final feliz e no lado bom da vida.

"Mas vou lhe dizer o mesmo que digo para meus alunos quando se queixam sobre a natureza deprimente da literatura americana: a vida não é um filme de censura livre para fazer com que a pessoa se sinta bem. Muitas vezes a vida real acaba mal, como aconteceu com nosso casamento, Pat. E a literatura tenta documentar essa realidade, mostrando-nos que ainda é possível suportá-la com nobreza."

Conheceremos também a Tiffany que vai aparecer na história não para colocar ordem na vida de Pat, mas para rivirá-la de ponta cabeça, o que no final, não será tão ruim assim. Ela é sarcástica e manipuladora, mas muito divertida. E em pouco tempo vai nos conquistar, por que apesar de tudo, ela tem o coração bom e no fundo, só quer ajudar o Pat, só que do jeito dela, o que faz com as coisas não deem muito certo sempre.

Outro personagem incrível é Jeanie Peoples, a mãe de Pat, ela é pura e ama incondicionalmente o filho. Briga e luta por ele de maneira incondicional, coisa de maizona mesmo. Ela, com certeza, é a parte mais emocionante do livro.

Mas é a superação e o empenho em ser alguém melhor, que faz com que nos encantemos pelo protagonista. E isso também faz com que O Lado Bom da Vida seja de fato Muito Bom, Maravilhoso, sem esquecer é claro das complexas relações humanas em diversos níveis entre as personagens, o que faz  com que a gente sinta as personagens de forma mais humana, com defeitos e qualidades reais, tudo muito a flor da pele, nada equilibrado, pois esse é o lado real da vida.

No mais, indico esse livro quantas vezes forem necessárias. É lindo e nem sei explicar exatamente porque. Como já falei, é complexo e nos leva a um caminho doloroso mas ao mesmo tempo feliz, é um final merecido, são experiências ímpares, desmedidas por parte das personagens. Você se vê torcendo por Pat e Tiffany, ansiando que eles terminem juntos. É um romance sem igual, que apesar de abordar o sofrimento de uma mente em conflito, traz sempre o lado bom das coisas, das situações, das pessoas, enfim, o lado bom da vida, e nos mostra que em qualquer situação difícil, devemos olhar mais atentos para o que de fato é bom, e não nos concentrarmos nas coisas ruins e nos afundarmos nelas. É emocionante e imperdível.

“O mundo encontrará várias e várias maneiras de te machucar, mas você vai encontrar uma pessoa que te traga tanta felicidade e que te ame tanto que as feridas do mundo não vão mais te atingir, porque ela te protege, ela te ama, e acima de tudo você ama ela.”

Carla M.


25.9.15

Apocalipse Z (Livro 1) - Manel Loureiro


Edição: 1
Editora: Planeta do Brasil
ISBN: 9788576655343
Ano: 2010
Páginas: 365
Autor: Manel Loureiro
Sinopse:Apocalipse Z - Em uma pequena cidade espanhola, um jovem advogado leva uma vida tranquila e rotineira. Um dia, porém, começa a ouvir notícias sobre um incidente médico ocorrido em um país remoto do Cáucaso. Apesar de aparentemente corriqueiras, as notícias chamam tanto sua atenção que ele resolve registrar suas impressões em um blog. Aos poucos, o que eram apenas acontecimentos incomuns ocorridos em um país distante começam a se espalhar por toda a Europa. Em menos tempo do que poderia supor, o terror se instala. Ruas, bairros e cidades inteiras são tomados por criaturas com um comportamento assustador. Sem nunca ter visto nada parecido e completamente vidrado pela notícia, ele mal se dá conta de que, enquanto acompanha o desenrolar dos fatos de sua casa, a cidade onde mora também está sendo invadida por aquelas bizarras criaturas. Isolado, apenas com seu gato Lúculo e um vizinho, só lhe resta criar uma estratégia de fuga até conseguir encontrar outros sobreviventes. Entretanto, ao conseguir refúgio, ele logo descobrirá que a guerra está apenas começando. 


E ai galera, BAUMCUMEQUETÁ?! o/

Sei que todo mundo anda meio de saco cheio de livros sobre zumbis ultimamente... E para falar a verdade, eu não culpo vocês, já que eu mesma ando de relações meio cortadas com esses seres simpáticos e cheirosos que amam você pelo que você tem por dentro. Mas não fiquem assim amigos, que hoje eu vim trazer a luz no fim do túnel... O sopro de ar fresco para o gênero, se preferirem... Hoje trago para Vocês: “APOCALIPSE Z”! Então continuem lendo que esse aqui vale demais a pena. ;)

Na pequena cidade de Pontevedra na Espanha, vive um jovem advogado que desfruta de uma vida pacifica em sua casa, juntamente com seu gato persa, gordo e laranja, Lúculo. Mas toda a frágil realidade que esse homem conhece está para ruir, quando noticias começam a circular de que um vírus mortal escapou de um laboratório em alguma parte remota do Cáucaso e que está se espalhando gradativamente. Tem inicio então a envolvente historia de luta do advogado e seu gato pela sobrevivência nesse novo mundo desconhecido e hostil.  

E é com essa premissa pra lá de batida que começa a historia de “Apocalipse Z”, do autor Manel Loureiro. Mas não se enganem meus amigos... De batido esse livro só tem mesmo a premissa inicial, porque a narrativa é cheia de reviravoltas, personagens cativantes e situações de deixar vocês com coração na mão de aflição. O livro é contado em primeira pessoa, do ponto de vista do “advogado”, por meio de entradas em blog e anotações em diários. Vocês devem estar entranhando o fato de eu ainda não ter falando o nome do personagem principal e estar me referindo a ele somente como “o advogado”... Mas é assim mesmo que ele se apresenta a nós durante todo o livro. Não sabemos seu verdadeiro nome, apenas que ele costumava viver com seu gato laranja “Lúculo” e que era advogado antes de toda essa confusão dos infernos começar.

O livro foi montado a partir da compilação de diversas postagens retiradas do blog do próprio autor, onde ele narrava em primeira pessoa, os acontecimentos e relatos ocorridos durante uma fictícia infecção mundial de um vírus desconhecido, que acabava por ter consequências catastróficas. Durante meses as entradas no blog foram postadas e acabaram virando um fenômeno entre os fãs do gênero pela internet. As postagens retiradas do blog foram agrupadas e organizadas e deram origem a essa maravilha do terror moderno, da qual estou falando para vocês hoje (sem falar nas duas continuações).

Segundo livro
Terceiro livro
Recomendo o livro fortemente para todos os fãs do terror e para todas as pessoas que gostam de uma boa leitura, porque o livro simplesmente flui! Toda a narrativa é extremamente realista e por isso se torna muitoooo assustadora. Varias vezes me peguei aflita e sem conseguir soltar o livro ate saber o que aconteceria na próxima pagina. O fato de ter um gato no livro também me deixou bastante tensa... Eu amo gatos, mas atá eu tenho de admitir que eles não são lá de muita serventia durante um apocalipse zumbi.  Imagine você tentando defender seus couros de um bando de comedores não mortos de carne, enquanto tem de levar o seu gato a tiracolo... Pois é, tensooooooo! o_O

Então é isso amigos, espero que  tenham gostado e resolvam conferir essa belezinha. Beijo grande e tenham sonhos terríveis. 

***





Escrito por Mary Zombie, colaboradora do blog. http://www.skoob.com.br/usuario/45011

24.9.15

Zac & Mia - A.J. Betts


Capa comum: 288 páginas
Autor: A.J. Betts
Editora: Novo Conceito (24 de agosto de 2015)
Idioma: Português

Sinopse:

A última pessoa que Zac esperava encontrar em seu quarto de hospital era uma garota como Mia - bonita, irritante, mal-humorada e com um gosto musical duvidoso. No mundo real, ele nunca poderia ser amigo de uma pessoa como ela. Mas no hospital as regras são diferentes. Uma batida na parede do seu quarto se transforma em uma amizade surpreendente. Será que Mia precisa de Zac? Será que Zac precisa de Mia? Será que eles precisam tanto um do outro? Contada sob a perspectiva de ambos, Zac e Mia é a história tocante de dois adolescentes comuns em circunstâncias extraordinárias.





Zac & Mia escrita por A.J. Betts é uma história extremamente bem estruturada e escrita. Posso garantir a vocês que dá pra ler sem medo de ficar deprimido ou chorando pelos cantos, afinal o tema é meláncolico, pois discorre sobre dois adolescentes que têm câncer.

Zac já está em tratamento contra o câncer acerca de 10 meses, que o acaba tornando “familiar” no interior da ala de oncologia, embora ele só tenha 17 anos. Ele vai precisar de um transplante de medula óssea e para isso terá que passar longos 35 dias internado. No geral Zac é tudo de bom, um rapaz maravilhoso, embora eu ache que a realidade foi um pouco esteriotiapada. Seu autocontrole e senso de humor são um tanto quanto inédito e ele brinca sobre ser alemão já que o transplante de medula óssea se tornou possível após ter encontrado um doador na Alemanha. Mas infelizmente para o nosso mocinho nem tudo são flores. Ele também se enfurece e se aborrece com a marcação colada da mãe e finalmente por ter recebido um prêmio, não por ser merecedor, mas pelo motivo de possuir câncer.

Mia acaba de ser diagnosticada com um câncer na perna e precisa começar o quanto antes com a quimioterapia. Ela é uma moça muito bonita e está inconformada e com muita raiva porque está prestes a perder seu lindo cabelo e com certeza ficará com cicatrizes. Ela está escondendo de todos os amigos sua condição, e apenas sua mãe e seu namorado sabem a verdade. No entanto, esse namorado que parecia tão amoroso e compreensivo acaba por se revelar inapto de lidar com a doença de Mia. Inconformada com sua condição destrata médicos, enfermeiros e sua pobre mãe. Ela é colocada num quarto ao lado do de Zac e para afugentar a mãe ela acaba por colocar o som nas alturas e após tentativas estoicas de ignorar toda aquela barulheira Zac finalmente se irrita e acaba batendo na parede a fim de que o “vizinho” pare com aquele alvoroço.

Com algumas batidas na parede, Zac instaura uma linha de diálogo com o seu novo vizinho que ele acaba por descobrir ser uma menina. Os dois acabam por se conectarem de maneira contínua através de mensagens de texto e facebook pelas madrugadas, onde são capazes de serem honestos e verdadeiros revelando sonhos e pensamentos inconfessáveis.  A conexão entre os dois é narrada de forma extremamente delicada e simpática.
[...] Há tanta coisa que ela ainda não compreende: que fica melhor; que não é culpa dos médicos. 'Não lute’, eu quero dizer. 'Não puxe a alavanca da Saída de Emergência. Tome as pílulas e aproveite o passeio como der.' Eu queria poder dizer isso a ela. Eu queria poder dizer a ela quanta sorte tem [...]
O livro de Betts é uma história de adolescentes que embora diferentes em idéias e concepções, conseguem criar uma conexão entre si. A base do romance não é apenas o câncer, é sobre o poder da amizade e como conseguimos superar as dificuldades que a vida nos impõe.

A história começa com capítulos da perspectiva de Zac, em seguida capítulos alternados entre Zac e Mia, e termina com capítulos do ponto de vista de Mia.

Achei a narrativa muito envolvente. Não cheguei a chorar rios como pensei que faria, mas se você der uma chance á história descobrirá uma narrativa calorosa, alegre e dois personagens inesquecíveis.

As folhas são amareladas, a diagramação simples e a fonte tem o tamanho certinho para uma leitura agradável. A capa até agora não consegui entender o que tem a ver com a história... Mas nada que tire o brilhantismo da mesma. Recomendo a todos a leitura!
[...] Percebo agora o que é coragem. Coragem é ficar parada, apesar de querer correr. Coragem é se plantar no lugar e encarar coisas que assustam. (...) É abrir os olhos e encarar o medo até ele recuar [...]

23.9.15

Rainha de Copas - Colleen Oakes


"É triste,Dinah pensou enquanto olhava para o alto, seu capuz caindo para trás da nuca, que loucura e genialidade tenham sempre se misturado neste quarto."

Título original: Queen of Hearts -The Crown
Autor: Colleen Oakes
Editora: Universo dos Livros
Ano: 2014
Sinopse: Como princesa de um palácio no País das Maravilhas e futura Rainha de Copas, os dias de Dinah são uma monotonia sem fim. São muitos chás, tortas e uma série de humilhações causadas pelo Rei de Copas, seu pai. O momento mais esperado de seus dias é quando é visitada por Wardley, seu melhor amigo de infância, o futuro Cavaleiro de Copas – e o amor de sua vida.

Quando a coroação de Dinah se aproxima, uma sequência de eventos sangrentos sugere que algo errado está acontecendo nos extravagantes salões do palácio. A princesa terá de desvendar esses mistérios antes que ela perca a cabeça para um inimigo sagaz e sem rosto.

Personagens conhecidos como o Gato de Cheshire, o Coelho Branco e o Chapeleiro Maluco fazem parte da narrativa que encantará os leitores com uma nova perspectiva do País das Maravilhas, criado por Lewis Carroll.


Dinah foi um pouco inspirada na Rainha de Copas da Disney

Primeiro livro da Série Rainha de Copas, não esperava me prender tanto à estória quanto me prendi. A leitura é simples e quase musical, segue um ritmo gostoso que não fica exaustivo conforme as horas de leitura passam e você só deseja ler mais um capítulo, sem parar.


A autora teve uma criatividade ímpar ao pensar nas razões que deixaram a Rainha de Copas, no livro chamada Dinah (se não me engano é o nome da gata da Alice, não é?), má. Um pai opressor, uma vida distante dos súditos do reino cercada apenas das histórias que seus tutores lhe ensinaram. Filha mais velha de um casamento infeliz, perdeu a mãe ainda jovem. Aprendeu a temer o pai ao invés de amá-lo, um rei que mantém oculta a tirania de seu governo com entretenimentos banais.

Coleen criou até mesmo o sistema de “castas” das cartas, com cada naipe sendo responsável por uma tarefa: Copas são os governantes e os guardas reais; Paus são representantes da justiça; Ouros são aqueles que cuidam do tesouro e Espadas são o exército durão, ex-ladrões, assassinos, mercenários e toda a escória que o rei contrata para lutar ao seu lado. São eles quem controlam as Torres Negras, as prisões divididas em sete torres de acordo com cada crime cometido.  Há lendas terríveis sobre o lugar. A autora também apresentou outros locais do mundo, o que deixou bem interessante pensar sobre a política de Wonderland.

Ao ler, você nota que vários personagens são as versões humanas de cada personagem dos livros de Carrol. Fiquei curiosa pra saber mais sobre Cheshire, aqui um conselheiro do Rei. Há todo um cuidado com suas personalidades e cargos, de modo que fica fácil reconhece-los mesmo nesta versão da estória baseada nos livros de Lewis Carrol.
Enfim, gostei bastante. Não é aquele livro que te ensina sobre a vida, mas dá uma lição que muitos de nós leitores conhecemos: Todos tem uma história, até mesmo aqueles que carregam o ódio em seus corações.

"Eu tenho lutado minha vida toda, apenas não sabia."

Capa original
Resenhado por:

E, para não perder o costume...


 


22.9.15

Toque de Poder - Dani Wade e Maisey Yates


Toque de Poder - Dani Wade e Maisey Yates

Sinopse:

Paixão Sob Medida – Dani Wade


Ele é o chefe, e terá o que deseja.
Ziara Divan batalhou muito até alcançar uma posição de destaque no ateliê mais requisitado de Atlanta. Mas quando seu novo chefe, Sloan Creighton, começa a seduzi-la apenas para provar que tem o poder, ela sabe que não pode permitir que ele avance. Ziara não pretendia ter sucesso no mundo corporativo passando pela cama do chefe... Ainda que ele fosse irresistível. Contudo, Sloan não desistiria até conseguir o que deseja. Ao colocar seu plano em ação, descobre um segredo do passado de Ziara que ameaça transformar tudo em cinzas.”


Sinfonia de Sedução – Maisey Yates


Ela jamais fora beijada...
O mundo se colocara aos pés de Noelle, um prodígio ao piano, até ela cair em desgraça... Desamparada, sua única opção é aceitar a proposta do bilionário Ethan Grey. Ele não pensa em amor, e sim em vingança! Basta Noelle assinar a certidão de casamento e tudo estará resolvido. Até então, ela apenas sentira amor pela música, mas seu corpo queima de desejo pelo toque habilidoso do marido. E as tentativas inocentes de sedução de Noelle ameaçam cada vez mais a resistência de Ethan. Porém, Noelle teme que ele nunca a veja como uma mulher, e sim apenas como uma peça de seu jogo de poder... “


Paixão Sob Medida – Dani Wade

Ziara Divan é assistente executiva em treinamento na Empresa Eternity Design.
Não gostava das investidas de flerte do enteado de sua chefe Vivian, e tentava ao máximo se manter afastada dele. Um homem sedutor demais para se resistir. Esse é Sloan Creighton.
Por mais que quisesse se ver livre de Sloan, sua chafe não pensava o mesmo. Ela terá que trabalhar por 3 meses ao lado dele como seu novo chefe! Querendo ou não.

Sloan só quer Ziara por um único proposito: destruir a confiança e lealdade para com Vivian e conseguir aumentar e alavancar a empresa com novas ideias, sair da tradição que está afundando a empresa de seu falecido pai.
Mas Ziara se deixará seduzir por Sloan colocando sua lucidez e emprego em risco?

Sinfonia de Sedução – Maisey Yates

Noelle Birch perdeu tudo! Absolutamente tudo!
Somente o que lhe restou depois de seu acidente foi sua antiga mansão e nada mais.
O medo de perder seu único lar só se intensifica com a chegada de um homem estranho, mas muito sedutor.

Ethan Grey é um homem enigmático, com um plano em mente que incluía em todos os aspectos Noelle e sua mansão.
Era a chave para que sua tão sonhada vingança finalmente se concretizasse.
Ele não mediria esforços para concluir e conseguir o que queria.


As duas estórias são muito boas de se ler, e o casal de cada uma delas tem algo em comum: nunca sentiram o que realmente o amor traz na vida de uma pessoa. Seja amor de mãe/pai ou de algo realmente verdadeiro entre um homem e uma mulher. Um amor tão forte, que ultrapassa o desejo de vingança e até mesmo o desejo de se conseguir algo sem pensar nas consequências.
Adorei as duas estórias. Nunca tinha lido nada dessas autoras, mas curti a forma de escrever e os diálogos. Recomendo.


 Título: Toque de Poder – 2 Histórias
Autor (a): Dani Wade e Maisey Yates
Editora: Harlequin
Número de Páginas: 320


21.9.15

No centro da terceira fileira - G. C. Neves


Olá moçada!
Hoje anunciando mais uma parceria e 
realizando a resenha da obra! 
Confiram comigo!














G.C. Neves, natural de Vitória-ES, saiu de casa aos 21 anos para estudar no Rio de Janeiro, onde se formou e vive atualmente com sua esposa. Trabalha no serviço público federal e dedica-se a escrever pequenos textos, um dos quais resultou na obra No centro da terceira fileira. 







No Centro da Terceira Fileira

Capa comum: 273 páginas

Autor: G. C. Neves

Editora: Chiado
















Sinopse:

No Centro da Terceira Fileira - Você conseguiria imaginar o que a pessoa ao lado está vivenciando? Alguma pessoa já conseguiu dominar os seus sentimentos e as suas atitudes? Você já fez isso com alguém? Até que ponto a brutalidade de um homem pode ser dominada pela simplicidade de uma mulher? Beleza, um corpo esbelto ou popularidade seriam pontos fortes ou sinais de fraqueza? Quem está em vantagem no jogo da sedução?

Perguntas como essas são respondidas nesta obra, que aborda as coisas simples desses confrontos cotidianos, de maneira crua e por muitas vezes obsceno. Descaso, confiança, amor, sedução e sexo são coisas tão banais e tão presentes em nossas vidas que, quando fogem ao nosso controle, nos perguntamos onde erramos. Contudo, na verdade, sem querer, permitimos que elas estivessem sempre a nossa frente.

Vou logo alertando, não se angustiem quando alcançarem o final da história, o livro tem sequência moçada e já tem nome hein? Ao Centro da Terceira Fileira será a continuação mais do que esperada dessa grande obra. Ufa!... Afinal que final bombástico foi aquele? Estou me remoendo por dentro e sinceramente esse com certeza foi um dos livros mais cheios de reviravoltas que tive o imenso prazer de ler esse ano.

No Centro da Terceira fileira conhecemos Rob, um rapaz alto, musculoso, atraente, extremamente estudioso e meticuloso. Rob nem sempre tinha sido um bom estudante, inclusive tinha reprovado o segundo ano do ensino médio, mas por sua prima ser médica e ser bem vista na família decidiu se dedicar aos estudos e tentar Medicina. De segunda a sexta ele frequenta um cursinho e sua rotina de estudos é exaustiva, o que ele leva bem a sério. Ele está tão compenetrado em sua rotina casa e estudo que nem se dá conta das pessoas ao seu entorno. Sentado no centro da terceira fileira que enunciava ele ser o melhor lugar da sala para sentar e prestar atenção à explicação dos professores, ele um dia é abordado por Isabel, conhecida por Bel que solicita para que ele guarde seu lugar na sala já que ele chegava cedo e ela às vezes se atrasava por conta do ônibus. Rob com extrema rudeza se nega a realizar o favor e a partir dessa negativa seu mundo vira de cabeça para baixo.

Junto com Isabel que ele gentilmente intitula de “loira magrela peituda”, Rob conhece mais três colegas que ele apelida de o quarteto desástrico, e juntas essas quatro mulheres irão tirar Rob do foco, fazendo com que suas prioridades mudem de foco e ele comece a tomar decisões nem sempre correlatas com seus interesses.

A obra que Gustavo C. Neves criou me deixou completamente cativa. Sabem aqueles livros chicletes? Aquela obra que você quer terminar para tentar vislumbrar o desfecho mas ao mesmo tempo teme que ele acabe? O autor conseguiu construir uma história do cotidiano de muitos jovens, mas em uma ótica totalmente atípica onde paixão, amor, desejo, ódio, sedução, drama, mentiras e incertezas se interlaçam e se completam de maneira única.

Realmente fiquei muito impressionada com o livro e recomendo a todos os leitores. Senti a juventude se fazendo presente mais uma vez, passando de uma leitora comum a uma personagem, pois parecia que eu estava presente de segunda a sexta em uma cadeira atrás da de Rob, podendo ouvir, refletir e interagir junto com os personagens, que por sinais foram muito bem construídos pelo autor.

Achei a edição simples, mas gostosa de ler com suas folhas amareladas e fontes agradáveis à vista. Agradeço a oportunidade de ler No Centro da Terceira Fileira, cedido gentilmente pelo autor para ser lido, resenhando e apreciado e espero ansiosamente a continuação da história.









Redes sociais do autor G. C. Neves

Twitter: @nocentro3F

Instagram: @nc3f

Contato: nc3f@outlook.com 




20.9.15

Belleville - Felipe Colbert


Não entendo por qual crise de consciência eu estava passando mas, no momento em que vi este livro, achei a capa magnífica! Simples, fofa, misteriosa, simples de novo! E foi assim que, como sempre, escolhi o livro pela capa. Dispensei sinopse, resenha, resumo, spoiler. Confiei no meu instinto predador para leitura (isso soou ridículo, eu sei) que até hoje não me abandonou. Até hoje.

Tudo começa com Lucius, um jovem rapaz que vai iniciar a faculdade em Campos do Jordão e aluga uma casa antiga, nos arredores da cidade, a fim de passar os 5 anos do curso.


Pausa: achei isso bem bacana! Um escritor brasileiro que fala sobre o Brasil, WOW! Leio poucas obras de autores brasileiros, confesso, mas raramente encontro um que não queira ter ares estrangeiros; achei a postura do autor super bacana. Mas, voltando à trama..


Logo nos primeiros dias na casa, Lucius nota uma pequena construção de madeira que, posteriormente, ele descobre tratar-se de uma montanha-russa. Além disso, numa pequena "busca" pelo casarão, Lucius encontra (1) uma foto dentro de um livro (o primeiro livro que ele pega na biblioteca, diga-se de passagem). Na foto, temos uma jovem e bela garota com uma caixa que (2) ele deduz que estava sendo enterrada e, com um instinto de caçador, (3) Lucius encontra a bendita caixa.


Observação da resenhista: temos aqui as 3 primeiras das inúmeras coincidências inverossímeis do livro. Tudo tem limite, gente.


Dentro da tal caixa, havia uma carta escrita 50 anos antes e endereçada para o futuro morador. A carta, assinada por Annabelle, conta a história de Belleville, a montanha-russa nos fundos da casa que seu pai tentou construir como presente para ela, mas faleceu antes de realizar o sonho. Então, em tom de súplica, Annabelle pede para que o futuro morador realize o sonho que nem ela nem o pai conseguiram realizar: finalizar a construção de Belleville. Lucius, tocado pela história mas, por questões financeiras, impossibilitado de atender o pedido, decide colocar uma nova carta na caixa reforçando o pedido de Annabelle e justificando porque ele mesmo não finalizaria a montanha-russa.


E essa carta escrita por Lucius vai parar onde? Geograficamente falando, a carta continua no mesmo lugar. Mas, historicamente falando, a carta vai acabar nas mãos de Annabelle, 50 anos antes! WOW! Inicialmente, Annabelle acha que se trata de uma brincadeira de mau gosto e escreve uma carta em resposta ao atrevido que zombou do sonho de seu pai. É aí em que a jovem garota e Lucius começam a se corresponder através do tempo. A troca de cartas, que começa com hostilidade, evolui para uma troca de confidências e de consolos.


Com essa troca de cartas, um amor singelo surge (fofo de verdade, gente! <3). Mas, como o livro precisa de um clímax, em um belo dia, aparece na porta da casa de Annabelle, sem avisar, Lino, um tio com quem ela não tinha contato há anos. Alegando ter o direito e dever legal de cuidar de Annabelle e de toda a herança que seu pai havia deixado, Tio Lino instala-se na casa. Em poucos dias, a natureza de Lino se revela e a jovem sobrinha sofre com isso. Trancada no próprio quarto, com medo dos horrores que a aguardavam no momento em que o tio chegasse em casa, Annabelle teme sobre seu futuro.


A narração alterna entre o ponto de vista de Annabelle e o de Lucius, mas não há um padrão. Em ritmo lento, a trama se desenrola e confesso que muitas vezes me peguei olhando se estava perto de acabar o livro. As últimas páginas têm um ritmo mais agradável mas, mesmo assim, não me prenderam por completo, já que é possível prever o fim da história nas primeiras 60 páginas.


Em resumo, é um livro que carece de profundidade em inúmeros aspectos. Os personagens são lineares e, consequentemente, previsíveis, enfadonhos e sem nenhum conflito de personalidade - essa história de personagem 100% bonzinho ou 100% do mal eu só aceito em filme da Barbie. Além do mais, inúmeros personagens são estereotipados: o que dizer do professor de física com seus óculos fundo de garrafa sendo definido como nerd e estranho? Ainda temos Brandon e os "cones" da faculdade que mais parecem aqueles adolescentes de filme colegial onde apurrinhar calouros é super comum. Não vou nem comentar a maldade injustificada de Tio Lino; dizer que ele voltou transtornado da Guerra não é suficiente. Pareceu-me que ele era ruim só por hobby, ao estilo de rainha má de conto infantil.


Além dos personagens surreais, vindos diretamente de uma música de Sandy e Júnior (uma história de amoooor, de aventura e de magia... <3), a trama em si é bem... estranha. Acho que a intenção foi ser bem bolada e inédita, mas ficou só estranha mesmo. Para mim, essa mistura de viagem no tempo + montanha-russa + amo- à-quinta-carta não poderia dar certo.


O autor parece ter se inspirado na história de A Casa do Lago mas, infelizmente, essas viagens no tempo não "colaram". Fica difícil fazer esse comentário sem (1) ficar confuso ou (2) sem dar spoiler, mas fico com a segunda opção (spoiler não, mamãe!). No fim do livro, o autor diz que, embora "inúmeras" viagens no tempo tenham sido realizadas, isso em nada alterou o presente. E, céusssss, todos nós sabemos que isso é impossível! O princípio básico de qualquer trama com viagens no tempo é de que: qualquer alteração no passado repercute no presente e/ou no futuro! Não vou dizer a que alteração me refiro mas, quem ler/leu vai entender.Sei que é chato criticar o trabalho de alguém assim, sei mesmo; afinal, esse é o único livro do Felipe Colbert que eu leio e toda a carreira dele não pode ser resumida a apenas uma obra. Mas o espaço está aqui para isso, para tecermos críticas, sejam elas positivas ou negativas - mas sempre construtivas. Vi outras opiniões acerca do livro e a grande maioria das pessoas teve uma impressão muito boa do livro. Não há opiniões certas nem opiniões erradas, há apenas pontos de vista diferentes. Logo, não posso dizer aqui "não leia esse livro! é horrível!"; posso apenas dizer que EU não recomendo, mas há quem recomende. Então, leia outras resenhas e veja se o estilo de leitura lhe agrada.

Edição: 1
Editora: Novo conceito
Ano: 2014
Páginas: 304
ISBN: 9788581634111