Menu

3.10.15

Resultado - Comentarista Premiado - Setembro


O mês de Setembro já passou e agora é hora de conhecermos o(a) ganhador(a) Comentarista Premiado do referido mês! 
Preparados?


Maisanara F. você foi a grande comentarista premiada do mês de Setembro. Parabéns! Adoramos a sua presença e seus comentários aqui no blog!

Envie seus dados para asmeninasqueleemlivros@gmail.com  e no prazo de 30 dias você irá receber em casa seu kit surpresa!

Até a Próxima. 



2.10.15

Perdão, Leonard Peacock - Matthew Quick

A chave é fazer algo que marque você para sempre na memória das pessoas comuns. Algo que importe.


Título Original: Forgive me, Leonard Peacock
Editora: intrínseca
Sinopse:
Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele vai assassinar o ex-melhor amigo e depois se matar usando a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich.
Talvez no futuro ele conseguisse acreditar que ser diferente é bom, até importante. 
Mas não hoje.
Matthew Quick, autor de O Lado Bom da Vida mais uma vez empresta seu texto sincero e sem meias palavras a uma história sobre as difíceis escolhas com as quais nos deparamos todos os dias e a luz, que, ainda assim sempre brilhará dentro de nós.




É o aniversário de 18 anos de Leonard, cuja mãe - segundo ele mesmo - é alheia a sua criação desde que se tornou uma estilista em New York e começou a namorar um francês. Eles não moram na mesma cidade, então Leonard fica sozinho em sua casa grande parte dos dias. Seu pai fugiu do país por dever dinheiro e está escondido na Venezuela, é um ex-cantor famoso de um hit só que bebia e usava drogas para se manter feliz e também alheio. Nosso novo querido adulto decide se dar de presente a morte de seu antigo melhor amigo, Asher Beal. Um cara típico daqueles babacas do time dos filmes norte-americanos que faz bullying com a mesma frequencia que respira. 

O livro todo retrata apenas o dia do aniversário de Leonard, o qual ele decide que será ele quem dará os presentes de aniversário para seus amigos e sua mãe. O dia se passa com ele entregando os presentes na escola, no metrô... E se lembra de cada detalhe, o que gosta em cada um deles, a história que tiveram juntos. Ele está nostálgico, porque não só no final do dia irá matar Asher Beal, como também irá se matar. 

Sabe quando você começa a ler um livro e sente que tantas frases te traduzem - ou traduzem uma época de sua vida - e aí você começa a marcar os trechos que mais te "saltam" dobrando as orelhas do livro pra não perdê-las e você percebe que marcou mais da metade do livro. Sim, foi exatamente o que aconteceu comigo com "Perdão, Leonard Peacock". Mas não há perdão, o que me deixou confusa. Ninguém se lembra do pobre menino Peacock e me senti enganada. ao contrário de "O Lado Bom da Vida" (do mesmo autor), que há sempre a busca pelo lado positivo, a vida de Leonard parece só afundar cada vez mais! E, no final, ainda nem sequer ligam para ele! Tá, ele tem dois amigos especiais, mas é dolorido ver o quanto o menino se esforça para que se lembrem dele... E todos veem suas atitudes com desconfiança, raiva e tristeza.

É interessante observar como uma fase que já é ruim - escola estadosunidense + adolescência - pode piorar se não tem apoio nenhum. Você simplesmente quer que lhe digam: parabéns, feliz aniversário, cara to com você, conta comigo. Mas tudo o que dizem é: sai, te odeio, você é estranho! Não é de se estranhar que alguém decida matar outra pessoa que lhe causou um dano gigante, tão grande que tudo depois daquilo só piorou e poucas coisas lhe deram prazer, a ponto de um menino se vestir de adulto e ir vigiar os adultos, só pra saber se valia a pena continuar vivo... E não valia!

Só fiquei frustrada pelo fim... porque não esclarece se há perdão ou não... Apenas diz: aguente firme!
Eu recomendo a leitura, li muito rápido pois queria saber se ele conseguiria se dar o presente, se alguém o salvaria... E, no final, não sei se ele foi ou não salvo.

Será que nós, adultos, fomos salvos? Estamos esperando a salvação, de algum modo? Você volta para casa ou vai para o seu trabalho, feliz? Está feliz com o lugar onde você está? 

Essas são algumas das reflexões que o livro nos traz. Espero que gostem do livro, tanto quanto eu.


1.10.15

Retalhos - Craig Thompson



retalhos
Reedição: 9
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2015
Páginas: 592
Autora: Craig Thompson
Sinopse: Uma das graphic novels mais premiadas dos últimos tempos, Retalhos é um relato autobiográfico da vida no Meio Oeste americano. Thompson retrata sua própria história, da infância até o início da vida adulta, numa cidadezinha de Wisconsin, no centro dos Estados Unidos, que parece estar sempre coberta pela neve. Seu crescimento é marcado pelo temor a Deus - transmitido por sua família, seu colégio, seu pastor e as trágicas passagens bíblicas que lê -, que se interpõe contra seus desejos, como o de se expressar pelo desenho.
Ao mesmo tempo Thompson descreve a relação com o irmão mais novo, com quem ele dividiu a cama durante toda a infância. Conforme amadurecem, os irmãos se distanciam, episódio narrado com rara sensibilidade pelo autor. 
Com a adolescência, seus desejos se expandem e acabam tomando forma em Raina - uma garota vivaz, de alma poética e impulsiva, quase o oposto total de Thompson - com quem começa a relação que mudará a visão que ele tem da família, de Deus, do futuro e, enfim, do próprio amor. Retalhos traz as dores e as paixões dos melhores romances de formação - mas dentro de uma linguagem gráfica própria e extremamente original.

***

Já faz um tempo que li esse graphic novel. Foi em2013. Agora tive a chance de relê-lo e apreciar mais uma vez essa história incrível.

Retalhos é uma história em quadrinhos maravilhosa. Retrata a vida de um jovem perdido e fechado que viveu situações ruins na infância e adolescência, até finalmente se encontrar. Uma história em que mostra que em certas condições a que somos expostos podem mudar nossas vidas. Bullying, divórcios, deficiência metal, maus-tratos físicos e psicológicos, além da crença em Deus ser alterada de uma forma negativa pelos homens. A religião é ministrada de uma forma opressiva.

image

Craig Thompson é nosso protagonista sem rumo, dividido entre as crenças de sua família e os próprios desejos de como seguir a própria vida. A vida de Thompson é retratada desde a infância até a vida adulta.
Em muitas cenas temos Thompson com seu irmão Phil, a quem ele acredita que deveria ter protegido melhor, já que é o irmão mais velho. Vemos a interação entre eles como na convivência forçada na hora de dormir, já que os dois dividiam a mesma cama.

“’DIVIDÍAMOS’ é o jeito bonitinho de dizer que éramos PRISIONEIROS da mesma cama, já que em casa criança não dava palpite.” Página 10

Em outras cenas, temos ele na escola sendo rejeitado. Pobre, Thompson era sempre excluído das atividades, sejam elas na escola ou do acampamento de inverno da igreja. Um lugar onde a união deveria ser a maior interação desse acampamento, aqueles garotos que foram abençoados por poderem ter mais que outros, são apenas mais do mesmo que Thompson tem no seu dia a dia.

“Mas o acampamento da igreja era um LOCAL SAGRADO, e parecia que as crianças populares eram ABENÇOADAS por Deus com virtudes sociais e atléticas, e que Deus por algum motivo (eu imaginava vários), me olhava com certa frustação.” Página 79

Até o dia em que ele encontra alguém que lhe entende: Raina. Ela trouxe a descoberta do primeiro amor e da sexualidade, ao mesmo tempo em que trouxe inspiração para os desenhos de Craig. Os dois são duas almas perdidas no universo em que habitam. A ligação dos dois é forte e conectiva. Raina está em momento difícil na família e Thompson acaba por ser a sua válvula de escape.

“E mesmo que sua viagem tenha fracassado, ela fez um gesto EVIDENTE de amor. As cartas tinham sido faíscas de ESPERANÇA, mas agora eu tinha uma PROVA.” Página 165

Retalhos é contada com uma mistura do passado e do presente. O quadrinho é cheio de significados. São poéticos. A imagem conta tudo que as palavras não conseguem transmitir. Todos os traços e falas são cheios de lirismo. Os traços que formam as imagens são envolventes e reveladores de sentimentos de Craig.

Para quem não sabe, Retalhos é uma autobiografia do autor. A religião na história é algo quase palpável de tão presente. Craig veio de uma família religiosa muito conservadora, então podemos perceber o quanto isso o fez duvidar de si mesmo e das escolhas que queria fazer, até ocorrer a ruptura para os seus verdadeiros sentimentos.

O autor ganhou vários prêmios com esse livro: três prêmios Harvey (melhor artista, melhor graphic novel original e melhor cartunista), dois prêmios Eisner (melhor graphic novel e melhor escritor/artista), e, em 2005, do prêmio da crítica da Associação Francesa de Críticos e Jornalistas de Quadrinhos.

Para que não curte quadrinhos, acredito que dessa história poderá gostar e apreciar cada linha expressada. Apesar do livro sem bem grosso, a historia flui de maneira ágil. A segunda leitura para mim foi tão gratificante quanto a minha primeira. A história me envolveu de tal maneira que logo que acabei quis começar novamente sua leitura e ver cada imagem novamente.

image






Crislane Barbosa
http://www.skoob.com.br/usuario/368409

30.9.15

Esperança - Mary Jordan e Kevin Sullivan



Capa comum: 368 páginas
Autor: Mary Jordan e Kevin Sullivan
Editora: Paralela
Idioma: Português

Sinopse:
Ariel Castro, um motorista de ônibus escolar, enganou Amanda Berry, Gina DeJesus e Michelle Knight para que entrassem em sua casa, onde as manteve acorrentadas por anos. Ao longo da década seguinte, as garotas sofreram abusos sexuais e psicológicos e foram ameaçadas de morte. Em Esperança, Amanda Berry e Gina DeJesus descrevem uma história de tormenta inimaginável com base em suas memórias e no diário mantido por Amanda. Com a ajuda dos premiados repórteres Mary Jordan e Kevin Sullivan, elas narram a história completa por trás das manchetes - incluindo detalhes nunca antes revelados sobre a vida e motivações de Castro -; um relato assombroso, mas inspirador, de duas mulheres cuja coragem, inocência e fé permitiram que sobrevivessem e voltassem para suas famílias.

Ariel Castro era um homem de meia idade, porto-riquenho e motorista de ônibus escolar. Pai de três filhos era separado de sua ex-esposa. Para os vizinhos ele era apenas um homem amigável que passava horas agradáveis consertando seu carro e cuidando do jardim.
Ariel e Castro e a casa que serviu de cativeiro em Cleveland
Castro atraiu três vítimas em sua Van com a oferta de uma carona. Em dois casos, as vítimas o conheciam porque ele era o pai de um dos seus colegas. Uma vez que as vítimas estavam em seu veículo, Castro as conduzia até sua casa e lá as acorrentava, amordaçava e as violentava repetidamente de três a cinco vezes por dia. Castro batia continuamente nas mulheres, comportamento que se repetiu em todo o cativeiro. Ele sentia prazer mórbido em feri-las e as mantinham prisioneiras nos quartos do andar superior de sua casa.
Corrente e cadeados utilizados para prender as mulheres no cativeiro
Todas as três vítimas eram adolescentes e infelizmente não conseguiram reagir às atrocidades que Castro as impunha. Ele ocultava a presença das três mulheres do restante da vizinhança com músicas em tom alto, o que disfarçava a presença delas e numa marcação cerrada não permitia a presença de ninguém no segundo andar de sua residência onde as mantinham prisioneiras.

As três mulheres pouco tinham conhecimento uma da outra, ocasionada pelo próprio isolamento imposto a elas por seu raptor e a total incapacidade de locomoção uma vez que elas eram mantidas acorrentadas. As janelas da residência foram lacradas e as portas só abriam por fora e não possuiam trincos.
Um dos quartos da casa de Ariel Castro

Para elas eram negadas necessidades básicas como uso de banheiro, elas usavam latas de lixo como latrinas em seus próprios quartos. Além da flagelação física e psicológica, a alimentação precária restrita a uma vez ao dia e a base de fast food a debilitaram rapidamente e sofriam de calor e frio.

Michelle Knight, a primeira raptada engravidou no cativeiro seis vezes, mas abortou em todas as gestações pelos recorrentes casos de espancamentos. Já sua segunda vítima Amanda Berry lhe foi concedida o nascimento da criança. Ela deu à luz a uma menina chamada Jocelyn. A terceira vítima foi Gina DeJesus.

A maior parte deste livro vem de diários de Amanda Berry, raptada em 21 de Abril de 2013 com apenas 16 anos, e ela surge como uma grande guerreira, a mais forte das três que conseguiu manter-se sã pelos 10 anos de cativeiro. Sempre guiada pela fé e amor que tinha pela família, foi capaz de seguir em frente sem nunca ter perdido a esperança. Instruia sua filha no cativeiro e tentava oferecer um “lar” normal a Jocelyn. Amanda foi quem conseguiu fugir em seis de maio de 2013 e com a ajuda do vizinho chamou a polícia.

Gina DeJesus tinha apenas 14 anos quando foi sequestrada, e no cativeiro padecia emocionalmente quando começou a se mutilar para aliviar tanta tristeza. Já perto de sua libertação, ela tinha grandes dificuldades em sair da cama tamanha sua depressão e desespero.

Gina DeJesus
Michelle Knight é pouco mencionada no livro tendo em vista que resolveu escrever sua própria biografia além de ser motivada pelo próprio Castro que semeava a discórdia entre elas, Michelle não se dava bem com Amanda. Uma tática de uma mente doentia que as afastava para que elas não pudessem se rebelar contra ele.

Michelle Knight
A narrativa do livro é dramática e mesmo ele estando morto é notável a presença do medo em boa parte dos relatos como se de alguma maneira ele ainda pudesse fazer algum mal a elas, embora eu acredite que o mal já tenha sido feito ao longo dos anos.

Castro foi um psicopata que usou o pretexto do abuso sexual e físico na infância para se fazer de vítima. Para mim não são atos que possam ser simplificados, dignos de arrependimento ou redenção. Como pode uma pessoa perversamente planejar, sequestar, violentar física e emocionalmente três pessoas e depois querer pousar de bom moço? Em nenhum momento consegui sentir empatia, compaixão ou pena. Meus sentimentos se resumiam a revolta cega e uma grande vontade de vingança.

Só consegui respirar de forma controlada quando a fuga do cativeiro aconteceu de maneira heróica por parte da Amanda que aproveitando-se da saída de Castro e do descuido por não deixá-la algemada, ela passou a gritar e esmurrar a porta pedindo socorro, sendo resgatada por vizinhos e solicitando a vinda da polícia. É um relato muito forte e ainda martela na minha cabeça. Se eu recomendo a leitura? Forte e revoltante, o livro é para quem tem estômago de aço, mas acredito que falar sobre as experiências traumáticas pelas quais passamos é um processo importante para suportar o que ocorreu e também para superar.
Amanda Berry, sua irmã e sua filha Jocelyn Berry


Amanda Berry, Gina DeJesus e Michelle Knight

Ariel Castro foi condenado à prisão perpétua, sem direito a liberdade condicional, no dia 1º de agosto. Ele foi condenado pelos crimes de sequestro das três mulheres, estupro e também por homicídio agravado - por ter forçado uma delas a abortar.

Um relatório do Departamento de Reabilitação e Correção de Ohio de outubro do ano passado sugere que Castro pode ter morrido de auto - asfixia erótica - quando a pessoa alcança satisfação sexual por meio de asfixia até a perda de consciência. Castro estava na prisão havia poucas semanas. As calças e a cueca do sequestrador estavam abaixadas quando ele foi encontrado morto, em 3 de setembro de 2013, em sua cela. Ele tinha um lençol enrolado em seu pescoço e preso na dobradiça da janela, segundo investigadores.



29.9.15

A Verdadeira Bela - Li Mendi

Capa comum: 159 páginas
Autora: Li Mendi
Editora: Highlands
Sinopse:
Nicole está prestes a entrar para uma agência de publicidade famosa e lá enfrentará o conflito entre a auto-imagem e a visão distorcida dos seus colegas a seu respeito. A pressão psicológica que acontece com bullying nas redes sociais será vencida por um grande amor, que surge para fortalecê-la e protegê-la de todos os preconceitos. Fernando é admirado por seu dinheiro e poder, mas, no fundo, luta contra uma secreta baixa auto-estima. Com medo da própria imagem que forma no olhar do outro, ele se critica e se fecha. Até que um dia seu caminho se choca com o de Nicole e os dois aprendem juntos que o amor não é cego. Ele vê com clareza o que nem todos veem: a verdadeira beleza completa do ser amado. Com muito bom humor, este livro irá tomá-lo do começo ao fim e envolvê-lo em uma estória que fala de um homem tentando entender o seu passado e de uma garota lutando pelo seu futuro. De repente, os dois se veem um de frente para o outro e descobrem a essência de um amor eterno.

A Verdadeira Bela, livro da nossa querida parceira Li Mendi é um livro versátil. Do romance a grandes risadas você conhece o mundo de Nicole, nossa protagonista que é formada em publicidade pela UFRJ e acredita estar no dia mais importante de sua vida, afinal ela irá participar uma entrevista para a empresa de publicidade dos seus sonhos, a True-B.
Justamente por ser um dia tão decisivo ela está oscilando entre o nervosismo e picos de distração. Decidida a almoçar no shopping antes de sua entrevista ela acaba criando uma confusão deliciosa. Ela esbarra em um homem e a bandeja com todo seu delicioso strogonoff cria asas e resolve se esparramar na camisa do mesmo, que diga-se de passagem era pra lá de gato! E o tal gato era um gentleman, pois além de pagar pelo estrago que ela fez comprando uma nova camisa ainda a convida para um almoço pra lá de excêntrico.
Nic é muito natural e fala pelos cotovelos o que torna o momento do almoço extremamente agradável para o Deus grego sentado a sua frente, que mesmo com toda sua tagarelice só consegue descobrir seu nome, que era Fernando, que ele estava falando ao celular com uma tal de Linda e era pai de trigêmeos.  Ele por sua vez está adorando a companhia de Nic que é altiva e responde de maneira bastante autêntica e brincalhona uma falsa entrevista que ele faz a ela caso ela pudesse ser realmente sincera e pudesse fornecer apenas verdadeiras respostas ao seu entrevistador. O que a nossa agradável Nic não sabe é que Fernando é o dono da True-B.
Como era de se esperar, no momento da entrevista Nic fica transtornada por saber da verdade, mas apesar de alguns impasses ela acaba sendo contratada como assessora pessoal de Fernando. No decorrer da história a forte ligação que eles sentem desde o início é reforçada com a construção diária do relacionamento. Li Mendi estruturou de forma única a história trazendo veracidade e consistência aos personagens.
Nic é dona de uma personalidade forte, decidida, altiva e claro muito alegre. Já Fernando além de inteligente, rico, educado, esforçado é dono de uma beleza rústica e tem um problema de baixa estima que o faz acreditar não ser atraente aos olhos de uma mulher tão linda e admirável como Nic, ou seja vai fluir muito mais que uma história de amor, vai rolar crescimento pessoal, aceitação, mudanças e claro desencontros hilariantes.
[...] Não se coloca a quem se ama abaixo, que seja preciso subjulgar, nem acima, para ter medo. Ficamos lado a lado, como parceiros! [...]
A narrativa é feita em primeira pessoa pelo Fernando e pela Nicole. A capa do livro é fofa, porém como as letras são pequenas e as páginas branquinhas acabam forçando um pouco a vista, mas que compensa com a linda e espirituosa história.
A história é realmente cativante e acabei lendo em poucas horas devido ao ritmo leve e envolvente. Leitura 100% recomendada. Confesso que estou com vontade de ler novamente. Minha única aspiração é que o chick lit criado pela autora fosse mais estendida por que foi realmente muito prazeroso passar esses momentos com um casal tão apaixonante.
Li Mendi tem vários livros online publicados galera e o bom de tudo totalmente free. Ou seja, você pode ler no seu computador, celular ou tablete. Para  ler os livros no Wattpad (clique aqui) ou fazer download em PDF no site da autora (clique aqui). Mas caso você não resista e queira realizar umas comprinhas vou dar uma forcinha (clique aqui). Divirtam-se!


28.9.15

Supernova: O Encantador de Flechas - Renan Carvalho

Supernova: explosões ocorridas há bilhões de anos. Levaram à destruição os trÊs astros mais poderosos do universo: Praga, Tormenta e Caos.

Autor: Renan Carvalho
Editora: Novo Século
Sinopse: Imersa em uma ditadura ideológica, a isolada cidade de Acigam sofre com a ameaça da guerra civil. De um lado, a Guilda, um grupo que usa os ensinamentos da Ciência das Energias para exigir os direitos da população. Do outro, um governo tirano, com soldados especialistas em aniquilar magos, nome vulgar dado aos praticantes de tal ciência.
No meio desse conflito vive Leran, um garoto prestes a se formar na escola e não sabe qual futuro pode ter em uma cidade como Acigam. Após o envolvimento dos membros de sua família na rebelião, ele percebe que também está fadado a participar da guerra e vive uma aventura alucinante para descobrir mais sobre a misteriosa ciência que permite encantar objetos com a energia dos elementos. Leran deverá conciliar suas preocupações com a irmã mais nova e o medo de ser capturado pelos terríveis silenciadores.
Usando uma narrativa dinâmica e envolvente, Supernova promete entreter o leitor com muita ação, suspense e reviravoltas incríveis.



Olha, a premissa do livro é boa. 

Uma cidade sitiada pelo governo, matando todo mundo que suspeitam serem magos - e ninguém da população se importa. Tipo a ditadura que tivemos por aqui, sabe? Um monarca ausente, uma rainha louca por poder, um grupo de pessoas que não tem nada a perder e que acredita que foram salvos por um maluco do governo e o seguem cegamente para terem sua própria vingança por terem um passado de perdas por causa de magos. 

Em Acigam (leiam a palavra ao contrário), a ideia de controladores de elementos naturais é aterradora. Praticam ocultos, passam seus ensinamentos escondidos, em porões de lojas de comerciantes, porões de suas casas... Ignoram a existência. Quando descobertos, o exército dá um jeito de matar e diz que foi um acidente. Isso no começo, depois nem fazem mais questão de esconder.

Lá dentro, tem uma família pobre, cujo filho mais velho (Leran) é proibido de ter contato com o avô por sua mãe, acha que o velhote seria má influência. O pai da família foi morto em um acidente misterioso... Que sabemos que não é tão misterioso assim. Por fim, Leran se descobre com poderes e sua irmã descobre da pior maneira possível que ela também é uma controladora.

Leran conhece uma mocinha por acidente, se apaixona... e, depois de um ou outro fato, já se suspeita que tem algo errado nessa situação. As reviravoltas são clichês, típicas para os livros do gênero, não senti empatia por nenhum dos personagens. Não há muito aprofundamento ou aproveitamento deles no decorrer dos capítulos, embora ele tenha dedicado alguns capítulos para a história passada de uma das personagens, enquanto outras passam completamente batidas.

Assim, a história tem uma premissa boa, poderia ser melhor. Acho que sou chata demais... A história demora um pouco a evoluir, a escrita é maçante... Demorei 2 anos pra lê-lo, porque não dei conta de terminar quando comecei. O escritor se esforça para trazer a emoção que precisa ao livro, mas falta ainda alguma coisa...

Espero que o próximo mostre um autor mais maduro, assim como personagens mais maduros e bem estruturados.

Supernova é relançado atualmente pela Editora Novo Conceito.

27.9.15

A Garota Certa - Livro 05 - Ali Cronin


A Garota Certa - Garota <3 Garoto - Livro 05 - Ali Cronin

Sinopse:

“ Para Ollie, sexo sempre foi sinônimo de diversão, e namorar sério era algo assustador. Durante muito tempo seu estilo de vida funcionou, mas aos poucos começou a sentir um vazio cada vez maior - e nem imaginava que a solução estava bem ao seu lado. Desde o jardim de infância, Sarah era sua melhor amiga. Depois que ela sofreu sua primeira grande decepção amorosa, eles ficaram ainda mais próximos, e a turma inteira percebia que estava rolando um clima...Só faltava admitir. Mas manter um relacionamento para valer significaria compartilhar as aflições que Ollie estava acostumado a guardar a sete chaves. Suas angústias iam desde as mudanças de humor repentinas da mãe, que passava da depressão ao êxtase num piscar de olhos, até o descaso completo do pai. Isso sem falar em um problema de saúde que ele escondia até dos melhores amigos...Ollie precisava descobrir um jeito de enfrentar essa situação sem magoar a si mesmo - e sem machucar a garota com quem mais se importava.”

***

Venho acompanhando essa série já desde o dia em que o primeiro livro foi lançado, e simplesmente adoro. Vamos ao que interessa né? rs.
Ollie é um garoto que gosta de sexo desde os 14 anos, mas de uma maneira sem compromisso e sem pieguismo.
Se as parceiras aceitam “suas regras” tudo bem, se não nada feito. Tem pavor de se apaixonar.
O pai é músico, sem muito envolvimento familiar, a mãe tem o humor instável, dependendo da presença do marido, para sair ou cair na depressão.
Mas Ollie não contava com o que Sarah estava despertando nele. De mansinho eles faziam um grupo animado na escola e na socialização. Uma amizade muito forte já há bastante tempo. Foi na festa dos seus 18 anos, com sua mãe acamada em crise e o pai viajando, (só pra não sair da rotina) num bar, cantando karaokê com Sarah, que “aquela” coisa diferente, aconteceu e o incomodou.

E descobriu o que já suspeitava – sempre amara Sarah, – sempre. Depois de um fim de semana romântico e intenso, Ollie viu que não podia arrastar Sarah para o seu caos: uma mãe bipolar sempre em crise, um pai sempre ausente e ele com sua própria “parcela” do caos, que não deixava ninguém tomar conhecimento. Então toma a decisão de terminar tudo com Sarah, em consequência disso seus amigos passam a evita-lo. E sua vida se torna um não viver: em casa com a mãe entre crises de euforia e desespero, na escola ignorado por todos e particularmente o diagnostico de sua medica não ajudou em nada. Ollie só tem como “amiga” a música como companheira, para aliviar um pouco todo esse tormento em que vem vivendo. Como esse quadro se reverterá?

Essa história é bastante humana, onde o filho protege a mãe, cuidando, segurando as suas crises. O pai sendo uma presença incerta, Ollie não pode contar com ele. A família de ambos os lados são “distantes” física e emocionalmente. Também passa para o leitor as peripécias de alguém que “tem” que conviver com um grande problema, bipolaridade, e não deixa que a vida perca o seu fluxo normal.
É uma boa estória, de desencontros, decepções, aceitação e perdão.


Título: A Garota Certa - Garota <3 Garoto - Livro 05
Autor (a): Ali Cronin
Editora: Seguinte
Número de Páginas: 296