Menu

17.10.15

Um herói para ela - Lu Piras



Capa Comum: 336 páginas
Autora: Lu Piras
Editora: Novo Conceito
Idioma: Português



Sinopse
Bianca sempre quis ser roteirista de cinema. Para realizar seu sonho, ela sai do Brasil para estudar na famosa New York Film Academy. Em meio às emoções da nova vida na Big Apple, um rapaz misterioso acaba salvando a vida de Bianca em duas situações diferentes. Tudo o que ela sabe é que o seu herói tem no braço uma misteriosa tatuagem. Sem pistas sobre o seu protetor, ela é convidada para um show da banda The Masquerades, cujos componentes escondem os rostos atrás de máscaras. Uma rosa branca cai sobre o seu colo, arremessada pelo vocalista. Decidida a desvendar a identidade do mascarado, Bianca invade o camarim da banda. A surpresa que a aguarda por trás daquela porta poderá mudar o seu destino. Uma história cheia de humor e romance, que fala da importância de acreditar nos nossos sonhos e de persegui-los.

''Um herói para ela'' descreve a história de Bianca, moradora do Rio de Janeiro que sempre aspirou em ser roteirista, mas se limitou em se formar em direito e a trabalhar num esquálido escritório de leilões onde de quebra possuía um chefe que a assediava. Ela é uma jovem insegura com problemas de autoestima e a troca constantemente de namorado fazia parte do seu dia a dia.

Sua mãe incomodada com a vida sem perspectivas da filha pede auxílio ao marido e juntos inscrevem Bianca a uma vaga de bolsa para um curso de roteiro em uma das melhores escolas de cinema dos Estados Unidos, a The New York Film Academy.
Bianca é aprovada e assim se muda temporariamente para Manhattan. Ela escolhe um apartamento no Bronx, e divide o mesmo com mais duas moças, a insuportável russa Natalya e a paulistana Mônica.

Logo no primeiro dia do curso Bianca conhece Paul filho de um importante cineasta que parece se sentir atraído no momento que a vê mesmo tendo a tiracolo uma linda namorada e Bianca também cai de amores por sua beleza de forma instantânea. Não me agradou o falo da escritora não ter colocado nem meia página de diálogo entre eles e ter forçado uma atração tão repentina. Faltou, em minha opinião, uma construção mínima dos personagens e esse meu pensamento se intensificou no decorrer da história.

Em seguida Bianca escolhe um restaurante italiano para fazer uma refeição e conhece Salvatore o garçom boa pinta que a assedia logo quando ela se senta para fazer o pedido... O que Bianca não sabe é que bonitão Salvatore possui um passado funesto, e mesmo apaixonado fará de tudo para coloca-la longe dele. Triste né? Clichê? Demais!

A história até poderia ser legal, com um triângulo amoroso entre o filho do cineasta e o garçom italiano, mas infelizmente a autora não empolgou sua narrativa toda em terceira pessoa me desmotivou com tantos personagens fúteis, tantos fios soltos na história, tanta imaturidade entre os personagens e muita incoerência na história. As cenas de ação que ela tentou introduzir na história foram “trash” e sinceramente não torci por nenhum casal, o que eu queria na verdade era terminar logo o livro.

A capa bem trabalhada e a diagramação perfeita foi o que salvou o livro de um fracasso total. Não recomendo a leitura nem para passar o tempo, não consegui interagir com os personagens embora tivesse tudo para ser um excelente livro, pois o cenário escolhido pela autora é impecável. Se eu leria outro livro da autora? Melhor me fazer essa pergunta outra hora.

[...] Eu aprendi uma coisa na minha longa vida errante, Bianca. Não existe final feliz. Existe o para sempre Aconteça o que acontecer, se o que você sente é verdadeiro, não acaba no final [...]


15.10.15

Intergalática - F. P. Trotta


Intergaláctica

Capa Comum: 275 páginas

Autor: F. P. Trotta

Editora: Livros Ilimitados

Sinopse: 
Uma conspiração para controlar o rumo da mais importante expedição espacial da história da humanidade. 3 de Maio de 2031 – No dia de lançamento da aguardada expedição da NASA para explorar a lua de Júpiter, uma das candidatas para habitar vida extraterrestre, a psiquiatra Amanda Collins acorda de um coma após meses batalhando contra uma meningite aguda. Junto com seus pacientes Stryker, Ripley e sua amiga Lina, eles descobrem que fazem parte de um crescente quebra-cabeça envolvendo uma corporação geopolítica underground chamada A Firma, que planeja sabotar a missão, usufruindo de uma nova tecnologia para saquear a nave e destiná-la para um planeta habitável localizado dezessete anos luz da Terra. O quarteto então inicia uma operação para descobrir a verdade por trás da conspiração, mergulhando de cabeça na maior expedição planetária da história da humanidade

Se você procura um livro com muita ação, aventura e personagens carismáticos esse é o livro certo! F. P. Trotta conseguiu com uma linguagem simples, mas extremamente envolvente me carregar para uma conspiração tão cheia de detalhes e com cenários tão fantásticos que eu não conseguia mais me transportar de volta á realidade. Consegui realmente embarcar em outro universo, repleto de surpresas e muitas aventuras.

A história criada por Trotta é maravilhosa, cheia de elementos, com um mundo repleto de criaturas e com uma ambientação que foi um show a parte. A história começa na Islândia, no ano de 2009 onde Amanda de apenas 9 anos está almoçando com seu pai Oswald, que é um cientista bem famoso. Moçada juro que a descrição do cenário me fez sentir frio!... Acredito que seja uma habilidade toda especial que um autor tenha de te levar com ele para a história, te tornando íntimo dos personagens e fazendo com que você acabe enxergando pela óptica dos mesmos. Acho significativo, excitante e extremamente gratificante quando isso acontece, e muito mais quando o autor é nacional.

Gostei muito da Amanda nossa protagonista, que apesar de ser uma mulher guerreira carregava em si bastante sofrimento, pois seu pai, em um determinado momento acabou por envolvê-la em um experimento e isso a levou a desprezá-lo fortemente o que acabou a afastando do convívio com ele.

Agora Amanda vive escondida do pai e é uma psiquiatra de renome, e enquanto ela esteve em coma, provocado por uma meningite aguda teve uma experiência bem estranha, onde ela não estava mais na terra, na verdade estava em uma zona magnifica nunca explorada, realmente um local inimaginável. Ao sair do coma ela conta esse sonho quase pós-morte para seus pacientes e amigos Ripley e Stryker, bem como Lina e juntos vão tentar entender esse sonho.


Oswald, cada vez mais influente e ambicioso, inventa a cada dia experimentos mais perigosos que possam lhe proporcionar de alguma forma mais prestígio e poder. Amanda fica sabendo que uma expedição a Europa, a lua de Júpiter, está sendo prometida. Amanda também sabe que uma excursão dessa magnitude só pode vir de uma cabeça, seu pai. A partir desse acontecimento ela sabe sem sombras de dúvidas que precisa urgentemente atestar suas teorias sobre essa expedição e assim impossibilitar de uma vez por todas um programa tão malignamente tecido por um homem que pode de uma vez por todas destruir toda a humanidade. Sua vingança contra o pai dela é o ponto inicial da trama galera, mas o livro toma novos ares assim que eles se infiltram na Firma e acontecimentos vertiginosos acontecem... Curiosidade mata einh?

Intergaláctica é o romance de lançamento do autor de F.P. Trotta ao cenário literário nacional. O desfecho da história é algo inimaginável. É um livro de ficção científica complexo, mas que também trata de diversos assuntos como existência de vida extraterrestre, vida após a morte e manipulação de poderosos em nome da ciência, em detrimento de muitos. Nem sequer posso esperar por mais aventuras alucinantes na próxima história!

A capa embora simples tem tudo a ver com a história. Achei as páginas bem diferentes do que costumo ver usualmente, pois elas são bem ásperas e grossas. A fonte é maravilhosa tornando a leitura muito confortável. Agora quanto à revisão o próprio autor informou que o livro cedido para ser resenhado no blog não era uma edição revisada, então não seria justo falar de tais erros encontrados. Enfim, leiam! Pode embarcar de cabeça nessa louca mais apaixonante história de F. P. Trotta.


13.10.15

Trilogia Millenium de Stieg Larsson

Título: Os homens que não amavam as mulheres – Millenium 1
Nº de páginas: 524

Título: A menina que brincava com fogo - Millenium 2
Nº de páginas: 608

Título: A rainha do castelo de ar - Millenium 3
Nº de páginas: 688 

Autor: Stieg Larsson
Editora: Companhia das Letras
Nota (0 a 5) : 5


Há um tempo venho lendo uma trilogia chamada Millenium de Stieg Larsson e somente agora terminei o terceiro livro, por isso decidi resenhá-los aqui para vocês.
Conheci os romances de Larsson através do filme de David Fincher, que foi estrelado por ninguém mais ninguém menos que Daniel Craig, o atual James Bond. O Longa tem o mesmo nome do romance: Millenium - Os homens que não amavam as mulheres (Livro 1). O filme é MA RA VI LHO SO!, o que me levou a ler os livros, e não me arrependi.

Protagonistas do filme

Como são três livros, vou falar bem pouco de cada um, e em seguida falar minha opinião sobre eles...
No primeiro livro que se chama Os Homens que não Amavam as Mulheres (o meu preferido), temos uma história intrigante, onde os personagem passam por problemas que a sociedade atual enfrenta: corrupção, jogo de poder e violência e em meio a tudo isso, vamos conhecer a dupla de protagonistas da trilogia: Lisbeth Salander, uma hacker de personalidade bastante complexa, e Mikael Blomkvist, um jornalista investigativo que não mede esforços para fazer o que julga correto, e preparem-se porque é impossivel não se apaixonar por eles. O fato é que o caminho dos dois se cruzam numa investigação de um misterioso desaparecimento de uma moça chamada Harriet Vanger, e é sério, a investigação do caso é magnífica. Pois, se tratando de suspense, Larsson realmente sabe o que faz: O livro te prende do inicio ao fim, e é cheio de reviravoltas, já que Harriet some num espaço fechado, levando a todos acreditarem que se trata de assassinato, porém nenhum nunca corpo foi encontrado e cabe a Mikael investigar o caso, já que ele se encontra afastado da revista Millenium devido a um escândalo político, o qual ele tentou desvendar sem nenhum êxito. E é Lisbeth a única pessoa que pode ajudá-lo. Não vou mais me prolongar, a verdade é que este livro é imperdivel.

 “O alvoroço em torno do romance é plenamente justificado. Seu desempenho é excelente em todos os quesitos - personagem, história, atmosfera." - The Times
Em A menina que Brincava com Fogo, o segundo livro da trilogia, nos aprofundaremos na conturbada vida de Lisbeth que é uma personagem única, diferente de qualquer coisa que tenhamos lido anteriormente, pois não existe a menor possibilidade de você já haver conhecido uma personagem como a Lisbeth Salander na literatura. Dessa vez, a hacker está sendo acusada de triplo assassinato e mesmo tendo o país inteiro a sua caça, pois, todas as pistas deixadas, só a incriminam, porém, Mikael Blomkvist, que conheceu todos os demônios de Salandere sabe até onde a moça é capaz de chegar, se nega acreditar em sua culpa e faz o possível para ajudar a moça. E o mais empolgante é que inconscientemente você passa o romance inteiro torcendo por um romance entre Mikael e Salander.... Diferente do livro anterior, este, não acaba quando chega ao fim das páginas, já que é somente no terceiro livro que saberemos onde essa engenhosa trama vai parar. Assim, um livro é sequencia do outro. e foi isso que me incomodou, pois ao juntar os dois romances, Larsson parece nos apresentar um livro de 1300 páginas o que para mim foi enfadonho.

Então finalmente chegamos no terceiro e último livro da trilogia com A rainha do Castelo de Ar,  e lá pelas trinta e poucas páginas tudo vai ficando chato... pelo menos para mim foi assim. E acredito que o que explica isso é também o fato de o enredo ter se tornado mais complexo, com mais personagens e muito mais intriga. Dos três, esse foi o que eu menos gostei, mas isso é meramente classificativo.  Neste ainda estaremos esperando o esclarecimento dos três assassinatos, e mesmo que já saibamos a verdade, Lisbeth continua sendo acusada pela polícia. E estaremos frustados, pois não rolou nada entre ela e Mikael, sem falar de como foi chato esperar ela se recuperar num leito de hospital, enquanto seu pai (isso mesmo! o homem que vinha destruindo a vida dela desde criança) tenta matá-la.
Mas para ser sincera, qualquer um dos livros da trilogia Millenium é interessante e apresenta tramas diferentes do que estamos acostumados a encontrar por aí. Pessoalmente posso dizer que é um mistério como nenhum outro que eu já tenha lido.
“Recomendo ao leitor se fechar durante um fim de semana munido de litros de café e alguns suprimentos, para se deliciar com a trilogia Millennium." - Rolling Stone
Também não posso deixar de falar do autor Stieg Larsson que foi um brilhante jornalista e grande ativista político muito respeitado na Suécia, morreu subitamente em 2004, aos cinqüenta anos, vítima de enfarte, e não pôde desfrutar do sucesso estrondoso de sua obra, o que é uma pena.
Stieg Larsson

"O problema com Larsson é que, se a gente se aventura e entra na história, está perdido: não tem mais como largar o livro. Talvez seja porque os protagonistas são animados por uma paixão que é muito parecida com a que motiva a curiosidade (grande ou pequena) de todos nós: os dois, o jornalista bem-sucedido e a adorável jovem hacker (punk de corpo e espírito), são indivíduos sem família (ou quase), decididos a desvendar, justamente, um segredo de família." - Contardo Calligaris

Espero que eu tenha conseguido passar um pouco do muito que são as obras de Larsson, e apesar de alguns baixos, eu indico sim a leitura dessa trilogia, uma literatura rica e prazerosa. Vale a pena ler!


Carla M. 

12.10.15

Eu Fico Loko - Christian Figueiredo

Capa Comum: 160 páginas
Autor: Christian Figueiredo de Caldas
Editora: Novo Conceito
Selo: Novas Páginas (9 de fevereiro de 2015)
Idioma: Português

Sinopse:

Ele só precisou de uma câmera, muita criatividade e um pouco de coragem para criar um dos vlogs mais acessados do YouTube. O Eu Fico Loko é recordista absoluto de views e inscrições, com mais de 1 milhão e 500 mil assinantes. Para os entendedores, o Christian hoje é um vlogger e um youtuber dos mais bombados. Mas na verdade ele é apenas um cara que gosta de escrever e que transformou o papel em vídeo. Todos os dias, milhões de jovens procuram pelo Christian em suas redes sociais para saber o que ele está pensando. O porquê desse sucesso fora do normal você vai descobrir neste livro.




Eu fico loko é um livro de estreia de Christian Figueiredo, um prodígio global no You Tube, onde ele soma uma média hoje, de mais de dois milhões de seguidores. É um livro de crônicas aonde ele vêm narrando eventos que se passaram na sua infância e adolescência. No livro você lê sobre tudo, infância, adolescência, amor platônico, bullying, primeiro beijo, amigos, festinhas, sua primeira vez. Moçada, pra falar com exatidão eu me diverti além da conta com esse livro. Foi a melhor coisa que eu poderia ter lido logo cedinho de manhã. Acabei por acordar a família de tanto que gargalhei. Tive a impressão muitas vezes que eu não estava lendo, mas estava desfrutando de um bate papo descontraído com esse menino tão simples e carismático.


Não sou mais uma adolescente e já faz um booooooooooom tempo que ingressei na fase adulta, mas me vi relembrando acontecimentos da minha juventude e constatando que todas essas “loucuras” fazem parte do nosso crescimento e amadurecimento, e o quanto é maravilhoso essa momento na nossa história, mas que infelizmente, muitos jovens estão extirpando esse conhecimento, essas experiências por viverem numa busca incessante de satisfações ilusórias.


Prescrevo a todos o livro. É leve, descontraído, com uma linguagem muito simples e divertida. Gostei bastante de conhecer um pouco mais do Christian, de saber que ele foi um adolescente tímido que não curtia bebidas e badalações. Ele gostava mesmo era ficar em casa, assistindo filme e comendo pipoca com refrigerante (minha alma gêmea).


A Editora Novo Conceito vem dando um espetáculo nas diagramações dos seus livros e está aqui não ficou atrás,  está maravilhosa, jovem e inovadora. O livro vem com fontes em tamanhos diversos, dando destaque às frases marcantes e traz também muitas fotos da vida do Christian tornando a leitura mais fluída se isso ainda é possível. 


11.10.15

Filhos da Senzala - Silvânia Dias

Filhos da Senzala

Capa comum: 260 páginas

Autora: Silvânia Dias

Editora: Schoba

Sinopse:
Ele era branco, jovem e livre. Ela, uma belíssima parda, provocante e sedutora que nasceu escrava na Fazenda Cantareira, de propriedade do temido e impiedoso Capitão Bartolomeu Moutinho Esteves. Por intenso amor a ela, o ingênuo rapaz vendeu 12 anos da sua experiência ao diabólico fazendeiro e mergulhou no abismo sombrio e brutal do cativeiro, tornando-se o principal personagem de um sórdido drama.

O livro Filhos da Senzala de Silvânia Dias se passa por volta dos anos 1800, um tempo bem penoso onde à escravidão existia. Vamos conhecer a vida de Francisco, um homem branco que se encontra completamente apaixonado pela escrava Eugênia. A autora escreveu uma história de excelente enredo e nos mostra a vida de Francisco e o flagelo que virou sua vida por conta desse amor. Embora os protagonistas sejam o ponto forte da trama, Silvânia soube intercalar na narrativa outros personagens secundários que foram muito bem construídos e igualmente bem utilizados de forma inteligente no livro.

Francisco morava com a família, composta por seu pai, sua mãe e o irmão gêmeo Cassiano na Fazenda dos Suplícios. Sua mãe acabou por falecer de forma brusca e imerso em sua dor ele resolve sair de casa sem rumo ou destino certo. Após de dias andando a esmo Francisco conhece Augusto Campos, um viajante que realizava algumas atividades pra Fazenda Cantareira. Eles acabam por ser tornarem bons amigos e juntos vão para a fazenda do temido e asqueroso Capitão Bartolomeu Moutinho Neves, um verdadeiro traste em forma de gente.
[...] Moderação era uma palavra que o Capitão não conhecia, e todos sabiam disso. Frio, avarento, rancoroso e vingativo, ele adquiriu fama, fortuna e respeito, impostos pelo império do medo. Os processos criminais a que ele respondia na justiça eram muitos, mas suas ferozes ameaças contra juízes, advogados e testemunhas acabavam por transformar as acusações em um amontoado de processos arquivados [...]
Extremamente inescrupuloso, ele força Francisco a trabalhar como escravo pra ele por 12 anos em sua fazenda. Francisco infelizmente se apaixonou pela escrava Eugênia e esse era o preço a pagar para que ambos casassem e ao término desse período os pombinhos pudessem ser livres, afinal a negra Eugênia seria alforriada. Francisco só nunca concebeu que 12 anos de escravidão fosse um preço alto demais e que teria sido mais interessante vender sua pobre alma ao diabo do que fazer um acordo com o capitão Bartolomeu.
[...] Desde que a viu pela primeira vez, Francisco ficou enfeitiçado! Por dias a presença da parda parecia um espectro a assombrar seus pensamentos, e sua inquietude atordoada consumiu completamente sua paz [...]
O que era pra ser uma linda história de amor virou um martírio sem fim para Francisco. Acompanhar a história foi muito emocionante e até revoltante em muitas partes. É muito duro você acompanhar tanto sofrimento, provações, violência e crueldades a que os escravos eram severamente impostos. Sei que até hoje existe escravidão, uma escravidão mais velada, e que muitos ainda passam por tamanha desumanidade e sofrimento, mas quando você consegue chegar a fundo na história parece que tudo toma uma dimensão maior e realmente é de partir qualquer coração. 
[...] No entanto, apesar de toda miséria e das atrocidades que estava vivendo, não havia nada que ele pudesse fazer. Enquanto estivesse cumprindo os penosos 12 anos de trabalho, teria de se sujeitar às condições bárbaras que lhe eram impostas [...]

O livro tem uma linda diagramação e uma revisão foi realizada de maneira impecável, realmente foi uma excelente surpresa. A leitura narrada em terceira pessoa possui uma trama que te escraviza e a escrita consegue acorrentar e sensibilizar o leitor. Leitura mais do que recomendada!