Menu

30.12.15

Como Se Apaixonar - Cecelia Ahern






Edição: 1 
Editora: Novo Conceito 
Ano: 2015 
Páginas: 352
Autora:
Cecelia Ahern

Sinopse: Depois de não conseguir evitar que um homem acabasse com a própria vida, Christine passa a refletir sobre o quanto é importante ser feliz. Por isso, ela desiste de seu casamento sem amor e aplica as técnicas aprendidas em livros de autoajuda para viver melhor.
Adam não está em um momento muito bom, e a única saída que ele encontra para a solução de seus problemas é acabar com sua vida. Mas, para a sorte de Adam, Christine aparece para transformar sua existência, ou pelo menos tentar ajudá-lo.
 

Ela tem duas semanas para fazer com que Adam reveja seus conceitos de felicidade. Será que ele vai voltar a se apaixonar pela própria vida?


***
Esse é o terceiro livro da Cecelia que leio. Um deles tem resenha aqui no blog (aqui). Amei. Achei melhor que P.S: Eu Te Amo. Talvez por ter me apaixonado pelo filme primeiro.



Christine está passando por uma fase difícil: está em processo de divórcio com Barry. O que não é pouca coisa. Barry está em estado de loucura pelo fim do casamento. E de forma bem disforme, ele tenta chamar a atenção de Christine com ligações inconvenientes para os amigos dela.

É no meio dessa situação que Adam acaba aparecendo na vida de Christine. Adam está em um estágio de autodestruição quando ela o encontra. Ele não vê saída a não ser cometer suicídio. Depois de ver um homem atirar na própria cabeça há apenas algumas semanas, ela não aguentaria ver outra pessoa tentar destruir a própria vida de novo. Christine assume a responsabilidade de fazê-lo mudar de ideia sobre cometer suicídio. Caso ela não consiga fazê-lo perceber que a vida dele tem algum sentido, em até duas semanas, no dia de seu aniversário, ele cometerá suicídio. É aí que ela acaba se metendo em algumas situações complicadas com Adam.



Christine tem um vício em livros de autoajuda. Ela tem vários deles em seu escritório. Para cada situação, é provável que ela tenha um livro para ajudar: Como deixar seu marido (sem machucá-lo); Como escrever um romance de sucesso; Dez maneiras de conservar energia, etc. Achei esse fato muito interessante. Ao longo do livro ela vai percebendo que nem toda ajuda vem dos livros.

Os personagens secundários são ótimos. O livro não fica apenas no foco da história de Adam e Christine. Ela nos conta sobre sua família e sua melhor amiga Amelia. As irmãs e o pai de Christine são muito divertidos. Ela é a ovelha negra da família, mas não de forma ruim. Eles se aceitam da maneira que são. Achei isso fofo.

“Você é do time que pensa. – ele disse – Nós somos do time que faz. As meninas são como eu, nós fazemos. Você é como sua mãe, você pensa. Então vá, pense.” Página 80

Não pude deixar de ficar imensamente brava com Christine. Ela é tipo de pessoa que adora consertar a vida das pessoas. Ela passou tanto tempo tentando resolver os problemas de Adam, que se esquece dos próprios problemas que devem ser resolvidos. Ops, não é isso. Ela simplesmente os ignora. Temos vários momentos em que algumas situações que Barry criou acabam por fazê-la passar por grandes constrangimentos e ela simplesmente não faz nada. Além das situações em que ela tenta ajudar Adam e acaba de alguma maneira se machucando também.

“O que havia dado tão errado na minha vida que eu tinha recorrido a ficar do lado de fora de um restaurante e observar uma mulher bonita viver uma vida que eu estava invejando...” Página 199

Christine é tão boazinha. Dá vontade de dar um tapa nela e fazê-la acordar para a vida. Mas quem disse que eu conseguiria fazer isso? E depois que descobri um segredo dela, aí mesmo que não tenho coragem. Ela é o tipo de pessoa que gostaríamos que existisse mais nesse mundo. Mais pessoas como Christine, por favor.

“Eu me sentia presa a ele, como uma mãe se sentia em relação ao filho, incapaz de deixá-lo mesmo se eu quisesse naquela hora.” Página 135

Quote favorito:
“Momentos são preciosos; às vezes eles se demoram e, em outras ocasiões, são passageiros, mas, ainda assim, muito pode ser feito durante eles; você pode mudar de ideia, pode salvar uma vida e pode até se apaixonar.”









Crislane Barbosa


http://www.skoob.com.br/usuario/368409





28.12.15

Supernova: A Estrela dos Mortos



"O Lar do Sacrifício:

Não existe sucesso sem dor. Não existe vitória sem perdas.
Para vencer, o que está disposto a sacrificar?"



Autor: Renan Carvalho
Editora: Novas Páginas
Ano: 2015
Sinopse: Após deixar sua cidade natal, Leran está perdido em busca de uma pessoa que possa ajudar sua irmã Luana a controlar seus poderes. Enquanto foge de caçadores colocados em seu encalço, o arqueiro conhecerá novos lugares e aliados para sua jornada. Ao mesmo tempo, Tlavi, a jovem Estrela da Cura, tenta desvendar os mistérios de um criminoso capaz de erguer as forças das trevas no território pacificado do Reino Central. O caminho desses personagens está ligado pelo destino. Será que poderão lutar juntos para descobrir como vencer os novos inimigos? Conseguirá Luana despertar sua verdadeira força? Como Leran agirá diante da evolução dos poderes da irmã? É o que você vai descobrir em Supernova: A Estrela dos Mortos.


"Como irei proteger o mundo se não consigo organizar nem as coisas dentro da minha cabeça?"

É o segundo livro desta série, fiz resenha do primeiro aqui. Devo dizer que este me agradou mais que O Encantador de Flechas, que eu demorei meses pra ter coragem de terminar. A escrita melhorou bastante e não me senti sufocada durante a leitura, dessa vez!

A Estrela dos Mortos se divide em primeira pessoa entre três personagens principais: começamos com Tlavi Hur, uma Estrela da Cura.

Mas o que diabos é uma Estrela, Pri? São pessoas com poderes maiores, jovem padawan. No livro I fomos introduzidos nesta ideia, mas sem muita explicação do que era. Neste, Há toda uma explicação sobre a mitologia do mundo mágico de Supernova e como os poderes foram criados pelos deuses. Gostei bastante, embora algo, que direi mais tarde, tenha me perturbado um bocado.

Enfim, Tlavi é a Estrela da Cura, sempre há uma pessoa poderosa de cada tipo de poder. Ela é capaz de curar as pessoas (nãaaao, sério?) e destruir o mal. É basicamente uma exorcista com magia. Eu não gostei muito dela não, porque é muito arrogante, do tipo que vai até o fim para cumprir sua missão. No começo até achei ela legal, mas depois vi que “nah, nada de especial sobre ela”. E olha que sou fãzona de personagens guerreiras femininas.!  

O segundo personagem a aparecer é Leran Yandel, nada novo com ele. Ele ficou meio que de escanteio neste livro, em sua missão de proteger sua irmã e descobrir mais sobre seus poderes. Eles viajam bastante, mostrando uma variedade maior de cidades, algumas nem tão favoráveis à sua presença. Ele sabe que Luana está ficando cada vez mais distante dele, talvez por estar crescendo, talvez por ser n vezes mais forte. Mas pra mim é só uma menina mimada que não pensa muito nas consequências de seus atos. Não que Leran seja muito diferente.

O terceiro personagem que aparece em terceira pessoa é Gueth, irmão de Tlavi. Gostei

bastante do poder dele: controla o crescimento das plantas. Se tiver sementinhas, em questão de minutos ele faz crescer árvores e qualquer outro tipo de planta. Ele e Tlavi não são muito próximos e há um ressentimento muito grande por algumas razões que não darei spoiler (hehehe!). Ele é um rapaz bondoso, um lutador excelente treinado pelo pai que acaba se metendo em alguns enroscos.


Este livro é beeeem mais sombrio, até porque traz claramente a guerra da LuzxTrevas. Acho isso um pouco maçante, pois o mal nele é meeeesmo mal. Não existe nenhuma razão para que ele tenha se tornado mal. É tipo: ah, nós deuses já temos todos os nossos papéis definidos e você, que é trevas, vai ser o malvadão da morte que só quer destruir tudo!

Eu particularmente não gosto dessas coisas, pois tudo pode ser destrutivo se usado erroneamente. Fogo nos dá calor; descontrolado, destrói tudo. O mesmo para o gelo, para a água... Até mesmo a Luz. Ela cega e pode queimar tanto quanto o fogo. Enfim.

"Nada para ver aqui. Por favor dispersem."

O embate, como disse, é entre luz e trevas. A luz vem representada por Phelgor, o deus bonzinho. Os paladinos lutam usando seu poder (é meio como o Deus cristão)... ele é a fé das pessoas de bem. Shazp é a deusa (pra completar, é um espírito feminino) das trevas, que foi subjugada por Phelgor e mandada para o abismo. Mas o equilíbrio procura seu caminho e nada mais justo que Shazp ter sua Estrela também. E ô bicho é ruim, viu.
A Estrela dos Mortos é capaz de criar zumbis e outras criaturas nojentas. Sério, do tipo MUITO nojentas! Sério, eu no lugar dos heróis teria olhado aquilo... Dado meia volta e: Oh, well. Nothing to do here. E sumiria. Não é meu problema!

Aaah, eu gostei bastante da personagem Minerva. É uma paladina nada carismática, mas que luta pra caramba e ajuda mais que a Tlavi. Ela desrespeita ordens para conseguir proteger um local e chuta bundas de crias asquerosas com classe!


Renan tem um website se vocês quiserem acompanhar as novidades, cliquem aqui que serão redirecionados para ele!

Por: 

26.12.15

Resenha - Depois do que aconteceu (Livro 1) - Juliana Parrini

Depois do que aconteceu (Livro 1)
Autora: Juliana Parrini 
Editora: Suma de Letras
Páginas: 344
O vazio deixado por Alex está sempre comigo e isso é bom. Bom porque essa dor me dá a certeza de que a sua existência em minha vida foi real. E o mais difícil nessa batalha que se estende dia após dia é ficar longe de quem você mais queria estar perto. Isabel passou o último ano fugindo. Depois do que aconteceu, ela não acredita que conseguirá voltar a ser feliz. O que não esperava era que o destino colocaria Daniel Clark em seu caminho. A atração entre os dois é imediata e irreversível: ao voltar para casa, a carioca Isabel não será capaz de esquecer os encantadores olhos azuis daquele cara que conheceu por acaso em plena Avenida Paulista. A partir desse dia, a tristeza de Isabel perde espaço para uma paixão que mudará sua vida. Ficar presa ao passado vale mesmo a pena? Ou é preciso seguir em frente e dar uma segunda chance ao amor?
 Voltando a ativa galera e com uma resenha de um livro nacional, Depois do que aconteceu da autora Juliana Parrini. Vamos conhecer uma jovem fotografa chamada Isabel, que está passando por uma fase amorosa bem tumultuada. Ela tinha um relacionamento amoroso com Alex seu ex-noivo, relacionamento esse que durou treze anos e por fim ele acabou por abandoná-la. A separação se deu á quase um ano atrás e ela ainda sofre bastante com esse término. Isabel vive do trabalho para casa, não sai mais com os amigos e a depressão a consome.
Isabel sabe que precisa sair desse mar de sofrimento, simplesmente já deu e ela precisa se reerguer. Ela mora no Rio e seu pai que mora em Petrópolis viaja para São Paulo e a nossa fotografa decide ir junto com o pai passar o final de semana em Sampa. A viagem é o pontapé inicial para uma nova vida e finalmente Isabel decide reagir e sair da mesmice. Ela dá uma mudada no visual e pelo menos externamente ela é uma mulher transformada.
Andando pelas ruas de São Paulo ela se depara com Daniel Clark um americano que mora no Brasil já á alguns anos. Ao se esbarrarem ela leva um tombo e tem sua câmera destruída. Mas ter sua câmera destruída não foi nada comparado ao lindo estranho que de longe, é o homem mais gato que Isabel já conheceu e ela se encanta por ele logo de cara, e adivinhem só? O belo rapaz também se encanta por nossa protagonista e aí é só love, os pombinhos protagonizam momentos pra lá de tirar o fôlego! Além de gato o rapaz é um perfeito cavalheiro... Mais do que perfeito concordam?
[...] Não há mais o que negar. Estou completamente fascinada, deslumbrada, enfeitiçada, louca... Estou completamente apaixonada. Onde fui me meter? [...]
Ela volta para o Rio de Janeiro e Daniel fica quase uma semana sem dar notícias e ela começa a ficar bem desconfiada... Mas ele simplesmente aparece no Rio de Janeiro afirmando seus sentimentos e que ela não foi apenas mais uma noite em sua vida... Mas nossa mocinha é bem indecisa e fica naquela de quero o Daniel ou espero pelo Alex... Enfim ela decide ficar com Daniel (confesso que estava torcendo por ele), mas muita coisa acontece impedindo dos pombinhos ficarem juntos. A vida realmente lhe prega uma senhora peça, lhe entregando a única pessoa que ela não pode ter e que conseguiu após tanto tempo extrair alguma emoção verdadeira em sua vida.
[...] Não quero você pela metade. Quero você por inteiro, da mesma forma que eu sou inteiramente seu [...]

Agora se vocês ficaram curiosos, o jeito é ler o livro né moçada? Muita coisa vai acontecer, mas vale a pena dar uma conferida na história. A narrativa tem um toque de drama, e garanto que vocês vão gostar de acompanhar a história graciosa e ao mesmo tempo amarga de Isabel. Ela é uma mulher que amadurece bastante em toda a trama e procura conquistar um amanhã através de uma nova paixão sem contanto esquecer o que aconteceu no passado e trazendo esses momentos de sofrimento como aprendizado para o presente. Infelizmente não posso dizer mais nada senão estrago todo o mistério que envolve a história. Apenas peço que leiam... O final é diferente, embora eu não tenha conseguido aceitar de cara o desfecho estou muito ansiosa pelo segundo livro Antes que aconteça.


24.12.15

Jessica Jones!





“Se você atirar em mim, eu vou tirar a bala da minha jaqueta de couro de quatro mil dólares, arruinada... E vou enfiá-la na sua bunda com meu dedinho. E qual de nós duas você acha que vai sentir mais dor?” – Jessica Jones

Estava eu na minha vida rotineira quando uma boa parte das pessoas ao meu redor (tá, do meu Facebook) começaram a falar muito de Jessica Jones. Aí fui pesquisar um pouquinho, vi que a tal da Jessica é interpretada pela Krysten Ritter, que já vi em algumas séries e filmes que admito não terem chamado muito minha atenção... Aí vi que o seriado é baseado nos quadrinhos da Marvel e aí já me animei um pouquinho.

Não sou aquela super fã de quadrinhos, mas tenho gostado dos filmes que vem sendo lançados. Então resolvi dar uma chance ao seriado e comecei a assistir. E confesso: é sério, tá bom demais! Assisti apenas quatro episódios até o momento, mas já me tornei fã. Jessica é a garota anti-herói, vive bêbada, tem valores de justiça ligeiramente distorcidos (costuma fazer ela mesma as coisas) e sabe que não vai conseguir resolver os problemas do mundo, mas isso não a impede de pelo menos resolver o que lhe cabe.


Ainda não vi muito de sua história, apenas que ela tem uma super força, mas não é indestrutível. É uma investigadora particular freelancer que alguns dos contratantes tem meio receio de chamar por seus métodos escusos de conseguir as informações solicitadas. Mas todos sabem que ela é a melhor.

O vilão da série se chama Kilgrave – um manipulador mental. Jessica foi controlada por ele no passado e ainda sofre as consequências disso no futuro. E, apesar de ambos terem super poderes, podemos pensar no quanto às vezes somos manipulados por outras pessoas, especialmente aqueles que acreditamos que gostam de nós, mas na verdade só querem nos usar.

Estudei um pouco da história da Jessica nos quadrinhos, vi que ela estudou com o Peter

Parker e até tinha uma quedinha por ele! No decorrer de sua trajetória, leva uma surra do Iron Man e do Visão, fica em coma, Jean Grey a auxilia, mais pra frente ela até recebe um convite para ser parte da S.H.I.E.L.D. e dos Avengers, mas não aceita(No seriado ela chega a citar o Capitão América!)! Só depois de se aposentar como heroína é que ela monta o Alias Investigation.




Estou curtindo bastante a série, que é lançada pelo Netflix. Fez tanto sucesso que a empresa vai adiantar o lançamento da segunda temporada em dois meses, sendo esperada então para setembro de 2016. A razão disso aparentemente é por conta do lançamento do filme do Doutor Estranho, pois a série fará algumas correlações ao filme.


Luke Cage (que também está em Jessica Jones) também terá uma série própria em 2016 e Demolidor volta com a segunda temporada em março. (fonte: Notícia das Sagas)


Por: 


23.12.15

After - Depois da Promessa - After # 5 - Anna Todd


After - Depois da Promessa - After # 5 - Anna Todd

Sinopse:

Bem quando Hardin acreditava já ter enfrentado todos os fantasmas de seu passado, um terrível segredo sobre seus pais é revelado, despertando os seus piores demônios internos.
Tessa sabe que só ela tem o poder de aliviar todos os sentimentos de raiva, traição e confusão que afligem seu amado badboy. Só ela sabe como salvá-lo de seu ciclo autodestrutivo. Mas dessa vez ela não pode. Porque, quando menos espera, sua vida é para sempre alterada por uma tragédia.

Hardin e Tessa prometem lutar com todas as suas forças para que o destino não os separe para sempre. Mas o que acontecerá quando suas forças chegarem ao fim? Depois da promessa... qual será o desfecho dessa história?”

Resenha

“Mesmo em meio a inevitável tragédia que era o nosso relacionamento, eu não retiraria nada dele. Eu não faria de novo, mas não me arrependo de nenhum momento que passei com ele.”

Sou uma fã leiga pra falar sobre essa série que só me surpreende a cada livro. E o final da série não me decepcionou.
É um livro marcante, viciante e inesquecível.
Anna Todd é muito detalhista e rica em expressões ficando fácil acompanhar todas as cenas.

“Tudo que eu faço é porque eu amo você. Mesmo as coisas estúpidas.”

Nesse quinto e último livro Tessa e Hardin são jovens que se amam demais.
A princípio Hardin não sabe viver esse amor por conta da bagagem emocional destrutiva que o acompanha. Mas apesar do desgaste emocional que sempre acompanhou os dois e os familiares também, há muito amor entre eles e o amor verdadeiro, modela, remodela, tudo vence. Mas foi preciso que os anos passassem e eles separados de comum acordo, sentissem que queriam mudar, precisavam mudar, para que aquele sonho que “apareceu” depois do acontecimento desastroso em Londres, os fizesse crescer emocionalmente.


“Não me importa como nem por quê. Se você me quiser de qualquer jeito que seja, não precisa explicar. Já sou seu.”

Será que com toda essa gama de decepções, muito ódio, comportamento inqualificável, instabilidade de um acaba e começa por parte de Hardin, esse “amor” sobreviverá, a mais outros problemas que aparecer no decorrer dos anos?
Os primeiros oito meses foram de loucura, decepções imperdoáveis, muito ódio. E Tessa aguentará isso com todo seu despreparo para aquela vida e apenas dezoito anos?

“Eu queria que você pudesse ficar comigo para sempre.”“Tessa disse isso apoiada no meu peito. É o que eu queria ouvir. É o que eu precisava ouvir, para sempre.”

Haverá alguém ou algum fato que determinará um desfecho favorável ou não ao impasse do casal Hardin e Tessa?
Leia esse livro e a série toda que valerá a pena. Se for possível você só larga no fim.

“Quando Tessa era minha, ela sempre dormia em paz. Ela era minha ancora, meu conforto a noite, lutando contra meus demônios quando eu estava fraco demais, distraído demais por minha auto-piedade, para ajuda-la a lutar contra eles.”


Título: After - Depois da Promessa - After # 5
Autor (a): Anna Todd
Editora: Paralela
Número de Páginas: 448


22.12.15

Millenium



Pera pera peraí!

Vocês estão sabendo que haverão mais dois livros da série Millenium?! A Garota na Teia de Aranha bateu mais de 200 mil cópias vendidas, o que pra mim confirma que o David Lagercrantz está fazendo um ótimo trabalho em prosseguir com o trabalho do Stieg Larsson.

Ambos ainda não receberam títulos, mas possuem previsão para o quinto sair em 2017 e o sexto talvez em 2019.

A Garota na Teia de Aranha foi lançado em agosto e liderou o ranking de vendas, saindo só quando Grey, da E. L. James lançou (também né gente, tem mais mulher apaixonada pelo Christian do que pela Lisbeth. Eu sou pelo dois <3).

Para além dos livros, li um boato por aí que a Sony vai continuar a lançar a versão americana da série, mas fiquei triste em saber que vão juntar o A Garota que Brincava com fogo e a Rainha do Castelo de Ar em um só. O terceiro filme ficará por conta do livro escrito pelo David Lagercrantz.

Agora animei, hein!

Por:


21.12.15

Black Para Sempre - Sandi Lynn





Edição: 1 
Editora: Valentina
Ano: 2015 
Páginas: 256
Autora:
Sandi Lynn

Sinopse: O primeiro livro gira em torno de Ellery, que sempre imaginou que seu futuro estaria ao lado de seu namorado perfeito e seus felizes para sempre estava garantido. Entretanto, quando ele faz suas malas e pede espaço, ela vê seu mundo ruir e decide focar somente em suas pinturas e desistir de relacionamentos, até que em uma noite ajuda um homem completamente bêbado a chegar a sua casa em segurança. Um homem que logo estará disposto a brigar por um futuro ao lado de Ellery e apoiá-la quando seu mundo estilhaçar novamente.



***
Olhando a lista de livros da Valentina me deparei com Black Para Sempre. Já sabia que ia ser um daqueles romances água com açúcar, mas eu curto mesmo assim.

Ellery está passando por um momento complicado: acabou de ser largada pelo namorado. Os dois ficaram juntos por quatros anos. Mudaram-se para Nova York, por conta do trabalho que ele arranjou depois de ambos se formarem na faculdade. Agora Ellery está sozinha. Ela detesta a solidão. Para aplacar a solidão ela se joga de cabeça no que mais gosta de fazer: pintar.

Ela é uma artista, e precisa entregar três quadros para a galeria onde trabalha. Em comemoração a entrega dos quadros, ela e sua melhor amiga Peyton, vão a uma boate. Lá Ellery encontra por acaso o senhor Black e ele está em uma situação de embriaguez. Ela o ajuda a chegar sã e salvo em casa, mas nem desconfia que ele seja um dos solteiros mais ricos e cobiçados da alta sociedade.


Com um passado que o assombra, Black quer manter distância de relacionamentos sérios. Mas não resiste ao charme de Ellery e os dois acabam por se tornar amigos. Apenas amigos. Isso é o que eles acham que vai ser.

Achei maravilhoso o fato de a autora ter inserido uma amizade entre Ellery e Black antes de fazer os dois se envolverem de forma amorosa. Leva um bom número de páginas para os dois se envolverem de verdade. Isso deixa a relação deles mais verdadeira.

“- NÃO, NÃO! Não foi o que quis dizer, Ellery. – Ele tentou se explicar. – Como amiga.
Esbocei um sorriso ao ver a dificuldade que ele tivera para dizer isso.
- Quer saber se podemos sair como amigos, como eu e Peyton?” Página 46

Ellery é o tipo de mulher que não leva desaforo para casa. Acho hilário como ela reage quando está com ciúmes de Black. E a reação dele é sempre a melhor. Ele fica imensamente fofo quando está envergonhado.

“Vi que ele estava com os olhos colados em mim, em pânico, se perguntando o que eu estava pensando. Fui até a mesa e dei um tapa no ombro da garçonete.” Página 199
Não posso deixar de destacar um ponto que me irritou bastante sobre Ellery: ela é irritante. Em várias situações, ao invés de enfrentar o problema, ela grita e depois foge. Temos um motivo escondido aí. Um segredo a ser revelado, mas mesmo assim. Ela é uma mulher tão decidida e forte que não precisava fugir TODAS às vezes.

“Ah é, Ellery, vai fugir? – Ele agitou a mão. – Ora, por que não? É a sua especialidade, mesmo.” Página 224

Um livro que você lê praticamente em uma sentada. Apesar do segredo de Ellery, ser algo bem sério e, infelizmente, recorrente nos dias de hoje, o livro não passa de uma leitura fácil e despretensiosa. Para quem curte um romance leve, essa é uma boa pedida.

Temos mais dois livros depois desse. Não tenho pretensão de ler. Para Sempre Black é um livro gostoso de ler, mas, sinceramente, não tem por que ter uma continuação. O final do livro é realmente um final, pelo menos para mim.







Crislane Barbosa
http://www.skoob.com.br/usuario/368409






18.12.15

As Gêmeas - Saskia Sarginson


Capa Comum: 336 páginas
Autora: Saskia Sarginson
Editora: Novo Conceito
Idioma: Português

Sinopse:

As gêmeas Isolte e Viola eram inseparáveis na infância, mas se tornaram mulheres muito diferentes: Isolte tem um emprego glamouroso em uma revista de moda de Londres, namora um fotógrafo e vive em um bairro descolado. Viola, desesperadamente infeliz, luta contra um transtorno alimentar e não faz questão de se ajustar a nenhum grupo. O que pode ter acontecido para levar as gêmeas a seguirem trajetórias tão desencontradas? À medida que as duas jovens começam a reviver os eventos do último verão em família, terríveis segredos do passado vêm à tona – e ameaçam invadir suas vidas adultas.




Conhecem aqueles livros que te convidam a uma leitura meramente porquê a capa é encantadora? Então, sucedeu comigo na ocasião que vislumbrei esse livro As Gêmeas da autora Saskia Sarginson, e aqui estou ponderando sobre uma trama não muito comum de se ler por aí!

O livro descreve a história de Isolte e Viola, gêmeas fieis, que quando crianças foram amigas inseparáveis, detentoras de personalidades reversas, mas quando alcançam à fase adulta seguem por rumos opostos. Isolte namora um fotógrafo bem sucedido e trabalha em uma revista de moda popular. Viola, padece de um grave transtorno alimentar, sofre de anorexia, e a cada dia que passa sua vida está se deteriorando tanto pela terrível doença, como por uma culpa misteriosa que traz consigo e as irmãs voltam a se aproximar justamente por conta da saúde frágil de Viola e suas constantes internações.

As gêmeas cresceram por volta dos anos 70 em uma comunidade hippie e tinham uma mãe chamada Rose totalmente “cuca fresca” que não se importava com regras e moldes da sociedade da época. As coisas começam a sofrer mudanças quando a mãe das gêmeas resolve morar em uma cabana na floresta em Suffolk.

O livro é narrado em terceira pessoa por Isolte e em primeira pessoa por Viola. O início da trama é um tanto quanto confusa, pois enquanto Isolte vive no presente com Flashbacks do passado e carrega consigo fantasmas do seu passado que não a impedem de ter uma vida bem sucedida, Viola é sua antítese, se encontra internada, lembrando, da sua vida quando criança e de sua infância no meio dos campos e florestas. Confesso que esse excesso de feedback e essa mudança de primeira pessoa para terceira pessoa, me deixaram com os cabelos em pé e a leitura arrastada me cansou bastante embora a história fosse interessante. Mas segredo a vocês que fiquei até o final sem saber o que era ou não real.

As circunstâncias do passado vão tomando forma de maneira gradativa, fazendo que minha vontade de descobrir o que realmente tinha acontecido me conduzisse até o fim da história. Digo com convicção que esse é o ponto forte do livro, a maneira como a autora consegue envolver o leitor, nos tornando cativos do mistério que permeiam o livro, afinal as irmãs convivem diariamente com um grande segredo que dita à vida de ambas mesmo que de forma distinta e somente um leitor com zero de curiosidade não levaria a história adiante.

O final do grande mistério que gira em torno do livro é tão rápido e ao mesmo tempo tão infeliz que estou até agora me indagando o motivo da autora ter perdido tanto tempo no começo do livro, para nas partes finais correr com a história e permitir que uma trama que poderia ter sido tão bem trabalhada acabe de forma tão afobada.

[...]Mas são as pessoas que mais amamos que acabamos machucando[...]
Se eu recomendo o livro apesar de ser caótico em alguns momentos? Posso dizer que sim, pois de uma forma ou de outra a história tem tanto drama, suspense e fatos históricos que resulta por nos afetar com toda a carga emocional que ele sustenta.


16.12.15

Diário de uma Garota Normal



"Às vezes eu olho no espelho e não consigo acreditar no que vejo."


Título Original: The Diary Of A Teenager Girl
Autora: Phoebe Gloeckner
Editora: Faro Editorial
Sinopse: Minnie é uma garota de 15 anos que registra num diário tudo o que sente e acontece em sua vida.
Seu relato é incomum apenas porque ela conta tudo. Não há aqui a sutileza das histórias para meninas, quase sempre romantizadas para parecerem mais leves. A descoberta da sexualidade, o interesse pelos garotos, as novas amizades, tudo é contado de forma tão natural que acaba por revelar como o mundo adulto é cáustico, doloroso e cruel, se visto pelos olhos de uma adolescente que está prestes a entrar nele.
Em Diário de uma garota normal, Phoebe Gloeckner combina uma narrativa poderosa a ilustrações com imagens vívidas, provocando o leitor o tempo todo, com honestidade e humor, apresentando uma personagem que irá se manter para sempre em sua imaginação.

Esta é uma história sobre mulheres, antes de terem crescido.


"Eu sou melhor que você, seu filho da puta."

 Então. Eu não fui uma adolescente normal, se a Minnie for o exemplo de uma adolescente normal.

Calma, vou explicar direitinho!

Minnie é uma menina aparentemente doce, numa fase muito atribulada de sua vida: ela não gosta muito da escola, seus pais são separados e ela raramente vê o pai. Sua mãe se envolve com muitos homens, usa drogas e bebe demais, isso tudo dentro de casa. Ela não tem muita afinidade com a irmã mais nova, são praticamente estranhas (embora em alguns momentos, Gretel mostre preocupação com Minnie, não vemos uma recíproca real).

Um dos amantes de sua mãe vive dando bebida alcoólica para Minnie que está com os hormônios à flor da pele e não é muito difícil imaginar o que acontece entre eles, né? Confusa com seus sentimentos, ela vai caindo cada vez mais num momento de letargia e autodestruição.


Minnie Goetz por "ela mesma"!
Todos sabemos que a adolescência não é nada fácil, ainda mais com uma família desestruturada. Minnie tem um ano turbulento que ela descreve num diário que começou como um projeto escolar. Como é desenhista, também usa o espaço para mostrar com desenhos muitas vezes as coisas que aconteceram, e são realmente bons. Minnie sonha em ser desenhista de revistas em quadrinhos e ama Robert Crumb, mas seu ex-padrasto a desencoraja sempre que pode, pois deseja que a menina siga uma carreira acadêmica mais séria. E, se entendi bem, a mãe da Minnie tem até mestrado. O padrasto é um figurão editorial de revista científica, então daí já dá pra entender porque alguém seguir uma carreira tão “incerta” fica tão perdido ouvindo que seu sonho não lhe dará futuro.

Ela se envolve com muita coisa ruim na busca da formação de sua personalidade e caráter e ninguém lhe ajuda a ir para um caminho contrário. Até que a situação fica extremamente crítica e ela acaba encontrando a si mesma.

É um livro que você lê rapidamente, pois de certo modo é curto e você vai passando pelos dias de Minnie sem parar. E como tem muitos desenhos, fica mais rápido ainda! Queria saber mais o que aconteceu com ela, o livro vai embora muito de repente!

Gostei muito... Li que é o Apanhador no Campo de Centeio para meninas, mas não posso comparar, porque não li esse do Apanhador. Se alguém tiver lido, por favor comente dizendo como é o livro! Agradeço!

 Resenhado por: