Menu

18.12.15

As Gêmeas - Saskia Sarginson


Capa Comum: 336 páginas
Autora: Saskia Sarginson
Editora: Novo Conceito
Idioma: Português

Sinopse:

As gêmeas Isolte e Viola eram inseparáveis na infância, mas se tornaram mulheres muito diferentes: Isolte tem um emprego glamouroso em uma revista de moda de Londres, namora um fotógrafo e vive em um bairro descolado. Viola, desesperadamente infeliz, luta contra um transtorno alimentar e não faz questão de se ajustar a nenhum grupo. O que pode ter acontecido para levar as gêmeas a seguirem trajetórias tão desencontradas? À medida que as duas jovens começam a reviver os eventos do último verão em família, terríveis segredos do passado vêm à tona – e ameaçam invadir suas vidas adultas.




Conhecem aqueles livros que te convidam a uma leitura meramente porquê a capa é encantadora? Então, sucedeu comigo na ocasião que vislumbrei esse livro As Gêmeas da autora Saskia Sarginson, e aqui estou ponderando sobre uma trama não muito comum de se ler por aí!

O livro descreve a história de Isolte e Viola, gêmeas fieis, que quando crianças foram amigas inseparáveis, detentoras de personalidades reversas, mas quando alcançam à fase adulta seguem por rumos opostos. Isolte namora um fotógrafo bem sucedido e trabalha em uma revista de moda popular. Viola, padece de um grave transtorno alimentar, sofre de anorexia, e a cada dia que passa sua vida está se deteriorando tanto pela terrível doença, como por uma culpa misteriosa que traz consigo e as irmãs voltam a se aproximar justamente por conta da saúde frágil de Viola e suas constantes internações.

As gêmeas cresceram por volta dos anos 70 em uma comunidade hippie e tinham uma mãe chamada Rose totalmente “cuca fresca” que não se importava com regras e moldes da sociedade da época. As coisas começam a sofrer mudanças quando a mãe das gêmeas resolve morar em uma cabana na floresta em Suffolk.

O livro é narrado em terceira pessoa por Isolte e em primeira pessoa por Viola. O início da trama é um tanto quanto confusa, pois enquanto Isolte vive no presente com Flashbacks do passado e carrega consigo fantasmas do seu passado que não a impedem de ter uma vida bem sucedida, Viola é sua antítese, se encontra internada, lembrando, da sua vida quando criança e de sua infância no meio dos campos e florestas. Confesso que esse excesso de feedback e essa mudança de primeira pessoa para terceira pessoa, me deixaram com os cabelos em pé e a leitura arrastada me cansou bastante embora a história fosse interessante. Mas segredo a vocês que fiquei até o final sem saber o que era ou não real.

As circunstâncias do passado vão tomando forma de maneira gradativa, fazendo que minha vontade de descobrir o que realmente tinha acontecido me conduzisse até o fim da história. Digo com convicção que esse é o ponto forte do livro, a maneira como a autora consegue envolver o leitor, nos tornando cativos do mistério que permeiam o livro, afinal as irmãs convivem diariamente com um grande segredo que dita à vida de ambas mesmo que de forma distinta e somente um leitor com zero de curiosidade não levaria a história adiante.

O final do grande mistério que gira em torno do livro é tão rápido e ao mesmo tempo tão infeliz que estou até agora me indagando o motivo da autora ter perdido tanto tempo no começo do livro, para nas partes finais correr com a história e permitir que uma trama que poderia ter sido tão bem trabalhada acabe de forma tão afobada.

[...]Mas são as pessoas que mais amamos que acabamos machucando[...]
Se eu recomendo o livro apesar de ser caótico em alguns momentos? Posso dizer que sim, pois de uma forma ou de outra a história tem tanto drama, suspense e fatos históricos que resulta por nos afetar com toda a carga emocional que ele sustenta.


16.12.15

Diário de uma Garota Normal



"Às vezes eu olho no espelho e não consigo acreditar no que vejo."


Título Original: The Diary Of A Teenager Girl
Autora: Phoebe Gloeckner
Editora: Faro Editorial
Sinopse: Minnie é uma garota de 15 anos que registra num diário tudo o que sente e acontece em sua vida.
Seu relato é incomum apenas porque ela conta tudo. Não há aqui a sutileza das histórias para meninas, quase sempre romantizadas para parecerem mais leves. A descoberta da sexualidade, o interesse pelos garotos, as novas amizades, tudo é contado de forma tão natural que acaba por revelar como o mundo adulto é cáustico, doloroso e cruel, se visto pelos olhos de uma adolescente que está prestes a entrar nele.
Em Diário de uma garota normal, Phoebe Gloeckner combina uma narrativa poderosa a ilustrações com imagens vívidas, provocando o leitor o tempo todo, com honestidade e humor, apresentando uma personagem que irá se manter para sempre em sua imaginação.

Esta é uma história sobre mulheres, antes de terem crescido.


"Eu sou melhor que você, seu filho da puta."

 Então. Eu não fui uma adolescente normal, se a Minnie for o exemplo de uma adolescente normal.

Calma, vou explicar direitinho!

Minnie é uma menina aparentemente doce, numa fase muito atribulada de sua vida: ela não gosta muito da escola, seus pais são separados e ela raramente vê o pai. Sua mãe se envolve com muitos homens, usa drogas e bebe demais, isso tudo dentro de casa. Ela não tem muita afinidade com a irmã mais nova, são praticamente estranhas (embora em alguns momentos, Gretel mostre preocupação com Minnie, não vemos uma recíproca real).

Um dos amantes de sua mãe vive dando bebida alcoólica para Minnie que está com os hormônios à flor da pele e não é muito difícil imaginar o que acontece entre eles, né? Confusa com seus sentimentos, ela vai caindo cada vez mais num momento de letargia e autodestruição.


Minnie Goetz por "ela mesma"!
Todos sabemos que a adolescência não é nada fácil, ainda mais com uma família desestruturada. Minnie tem um ano turbulento que ela descreve num diário que começou como um projeto escolar. Como é desenhista, também usa o espaço para mostrar com desenhos muitas vezes as coisas que aconteceram, e são realmente bons. Minnie sonha em ser desenhista de revistas em quadrinhos e ama Robert Crumb, mas seu ex-padrasto a desencoraja sempre que pode, pois deseja que a menina siga uma carreira acadêmica mais séria. E, se entendi bem, a mãe da Minnie tem até mestrado. O padrasto é um figurão editorial de revista científica, então daí já dá pra entender porque alguém seguir uma carreira tão “incerta” fica tão perdido ouvindo que seu sonho não lhe dará futuro.

Ela se envolve com muita coisa ruim na busca da formação de sua personalidade e caráter e ninguém lhe ajuda a ir para um caminho contrário. Até que a situação fica extremamente crítica e ela acaba encontrando a si mesma.

É um livro que você lê rapidamente, pois de certo modo é curto e você vai passando pelos dias de Minnie sem parar. E como tem muitos desenhos, fica mais rápido ainda! Queria saber mais o que aconteceu com ela, o livro vai embora muito de repente!

Gostei muito... Li que é o Apanhador no Campo de Centeio para meninas, mas não posso comparar, porque não li esse do Apanhador. Se alguém tiver lido, por favor comente dizendo como é o livro! Agradeço!

 Resenhado por: 





15.12.15

Companhia das Letras Indica!




Sabe que seu amigo secreto gosta de ler, mas não sabe qual livro dar para ele de presente?

SEUS PROBLEMAS ACABARAM!

O Grupo Companhia das Letras criou um jeitinho de te ajudar: os funcionários da Companhia das Letras fizeram uma seleção de livros para facilitar a escolha do presente a ser dado:

Para quem gosta de boa literatura:

 

Para quem gosta de boas histórias:

Resenha
 



Para quem gosta de história:

 

Para quem gosta de música:

 

Para quem gosta de terror:

Resenha
 



Para quem quer agradar os pequenos:

 

Agora, se você quiser algo mais específico para uma pessoa em especial, a Companhia das Letras te ajuda também! Basta ir neste link e seguir as instruções certinho! Só vai precisar passar para o pessoal de lá o nome, o tipo de livro que a pessoa gosta de ler e alguns dos livros favoritos dela.

Achei a iniciativa hiper bacana, pois eu, amante de livros, não ganho livros das pessoas simplesmente porque elas não sabem que livro me dar! T-T

Agora não tem mais desculpa, aquele seu amigo amante de livros vai se dar bem nesse natal! Lembrando que o Companhia Indica vai só até o dia 21 de dezembro, então corra!



Por: 
                                 

14.12.15

Resenha - Perdido em Marte - Andy Weir

Perdido em Marte

Capa comum: 336 páginas

Autor: Andy Weir

Editora: Arqueiro; Edição: 1ª (4 de setembro de 2015)

Idioma: Português

Sinopse:

“Não consegui largar este livro! É a rara combinação de uma ótima trama original, personagens incrivelmente reais e uma precisão técnica fascinante. É como um episódio de MacGyver na Ilha misteriosa.” – Astronauta Chris Hadfield, comandante da Estação Espacial Internacional e autor de An Astronaut’s Guide to Life on Earth .
Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho.
Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente.
Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate.
Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico – e um senso de humor inabalável –, ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência.
Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a NASA e, quem sabe, sair vivo de lá.
Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.

Resenha:

O livro Perdido em Marte, escrito por Andy Weir é simplesmente fantástico. Um herói em uma posição desanimadora que se esforça para sobreviver num ambiente extremamente inóspito e implacável é o chamariz dessa obra. Mark Watney, um biólogo e astronauta, que por conta do acaso e infortúnio, foi deixado para morrer em Marte por sua equipe. Eles estavam em uma missão de exploração científica onde deveriam passar um mês e pouco, quando no sexto dia acontece um acidente e todos da equipe acreditam que Mark Watney faleceu nesse episódio. Eles vão embora e deixam o corpo de Mark para trás.
[...] Estou ferrado. Essa é a minha opinião abalizada. Ferrado. Seis dias após o início daqueles que deveriam ser os dois meses mais importantes da minha vida, tudo se tornou um pesadelo [...]
Mark ao acordar sozinho e ferido em Marte, tem que achar uma maneira de revelar aos outros que está vivo, enquanto tenta desesperadamente descobrir como sobreviver por tanto tempo quanto possível, na expectativa que a NASA possa encontrar uma maneira de levá-lo de volta para casa.

[...] Foi uma sequência ridícula de acontecimentos que quase me fez morrer, e uma sequência ainda mais ridícula que me fez sobreviver [...]
A luta pela vida é grande, pois tem todo o problema de comida e de comunicação, já que devido ao acidente a base ficou sem comunicabilidade. Ele com uma logística impressionante constata que a alimentação que era para durar um mês, com sabedoria poderia durar cerca de um ano. O grande problema é que a próxima expedição só voltaria em 4 anos. Que perrengue hein? A maior parte dessa aventura inimaginável é contada através de um diário de bordo onde ele narra suas dificuldades e vitórias dia após dia. Fiquei boba com a inteligência e sagacidade de Mark Watney, realmente MacGyver comeu poeira...
[...] Então, esta é a situação: estou perdido em Marte. Não tenho como me comunicar com a Hermes nem com a Terra. Todos acham que estou morto. Estou em um Hab projetado para durar 31 dias. Se o oxigenador quebrar, vou sufocar. Se o reaproveitador de água quebrar, vou morrer de sede. Se o Hab se romper, vou explodir. Se nada disso acontecer, vou ficar sem alimento e acabar morrendo de fome. Então, é isso mesmo. Estou ferrado [...]
O livro é muito interessante mesmo, a maioria dos desafios que enfrenta Watney são extremamentes bem contados, ou seja, o livro é bem minucioso galera e vamos ter uma verdadeira aula de química. Mas não pensem que o livro é chato, nada disso, com uma narrativa bem humorada e otimista é impossível não gostar da história! Se preparem! Enfim um livro mais do que recomendado!