Menu

8.1.16

Eu te darei o sol - Jandy Nelson



Título Original: I’ll give you the sun
Autora: Jandy Nelson
Editora: Novo Conceito
Sinopse: Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia.


Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém.



Contado em perspectivas e tempos diferentes, “Eu te darei o sol” é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.


O livro é narrado por Noah e Jude, sempre em anos diferentes de suas vidas. Jude aparece com 16 anos e com toda a bagunça já acontecida. Noah, com 13 anos e caminhando para a bagunça a acontecer.

É difícil falar de um livro que falou tanto com você enquanto lia, vira tipo um segredo entre amigos, sabe? A escrita de Jandy Nelson é maravilhosa e envolvente e, mesmo com as evidências na sua cara, você nunca iria ligar uma coisa à outra, pois ela soube guardar bem o mistério que cercava a vida de Noah e Jude (ou NoaheJude) como Jude se refere aos dois na história.



Os dois protagonistas, Noah e Jude Sweetwine (preciso admitir que adorei esse sobrenome, mas por alguma razão sempre me lembro de porcos quando leio! <o>) são irmãos gêmeos. Do tipo que claramente possuem uma ligação muito forte, pois nem mesmo após do nascimento se separaram por completo. Sabem o que o outro está sentindo, se encostam para sentir e acalmar seus corações, compartilham paixões, ambos são bons com arte.

Mas o amor pela arte veio de sua mãe, Dianna Sweetwine. Especialista e escritora sobre o assunto, ela encoraja os dois filhos a seguirem o caminho artístico e não se sabe muito sobre ela: era uma órfã que pulava de casa lar para casa lar. Aparentemente nunca foi adotada. Casou-se com o papai Sweetwine (caiu minha ficha que o nome dele não foi citado no livro!), um cara que, pelo que notei, era completamente o contrário de Dianna. Noah diz que ela não é definitivamente deste mundo, pois quando ela está presente, tudo melhora e fica com cores incríveis, como a própria primavera.

A vovó Cassandra Sweetwine também é uma presença forte, desde o aparecimento de seu fantasma no carro da mamãe, trazendo para os netos uma mensagem incrível: devem entrar na escola de arte da cidade! Sim, a vovó é uma fantasma, morreu um ano antes dos acontecimentos narrados no livro e deixou Jude com sua forte influência. Ela tinha uma loja, onde mantinha um livro aberto que todos escreviam todas as superstições que conheciam e chamou de bíblia. Jude herdou a biblía e vive a seguindo... Sempre procura resoluções para seus problemas lá, como por exemplo:

Para reverter o destino, fique de pé num descampado, com uma faca apontada na direção do vento.

São crendices populares dos EUA, que todos sabem que não funcionam mas que todos usam. Achei algumas até bem lógicas e usamos outras aqui também, como jogar o sal que cai pelo ombro.

Porém, para Jude, a solução para seus problemas não estão na bíblia da vovó. Ao notar a grande preferência da mãe pelo irmão, a menina começa a mudar seu comportamento. Dianna não entende a razão da filha estar mudando e apenas dificulta as coisas. Noah apenas quer conseguir entrar na escola, mas tem medo que a mãe veja mais talento na irmã do que nele e é aí que a disputa começa.



Algo terrível acontece e as coisas só pioram. Só depois desse momento que Jude consegue também ver o fantasma da avó e desenvolve hipocondria que, quando algum garoto se aproxima dela, ela usa doenças e suas descrições para afastá-los. Para além disso, algo está amaldiçoando suas obras – até a chamam de Calamity Jude! – de modo que é raro alguma se manter inteira.

Enquando a irmã luta para manter-se, Noah luta pelo amor. Uma pessoa aparece em sua vida e o mantém na indecisão, a única pessoa que surgiu e se dispôs a ser amigo do esquisitão da cidade. E apenas ele sabe um segredo muito importante que pode mudar muita coisa... Mas decide trancá-lo dentro de si mesmo e carregá-lo sozinho.
Estranhamente, os irmãos invertem os papéis, após toda essa coisa. Noah torna-se popular e cheio de amigos, enquanto Jude se esconde debaixo de comportamentos bizarros e roupas largas, ficando com o pensamento mágico do irmão. Parece até que trocam de almas, garanto que tem algo sobre isso na bíblia da vovó.

Este é um livro sobre família, amor, sonhos, sobre arriscar-se e recomeçar. Acho que o escolhi muito bem para ser minha última leitura de 2015, pois também é um livro de encerramento... E de recomeços. Espero que gostem dele tanto quanto eu, pois acredito que todos nós às vezes sonhamos de olhos acordados, desejamos saltar de lugares altos esperando que alguém nos socorra, enchemos a cara por causa de alguém ou algo que nos deixa triste.


Acredite em si mesmo e tudo acabará bem, no final.


Resenhado por: 




3 comentários:

  1. achei a trama singela, delicada e um que de triste, tudo em uma combinação harmoniosa!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. No começo achei uma leitura um pouco difícil, mas depois ficou ótimo. É um livro cativante que prende sua atenção do início ao fim.

    ResponderExcluir
  3. No começo achei uma leitura um pouco difícil, mas depois ficou ótimo. É um livro cativante que prende sua atenção do início ao fim.

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.