Menu

5.1.16

Gemêos: Memórias - Allen Shawn

Gêmeos – Memórias

Autor: Allen Shawn

Capa comum: 248 páginas

Editora: Companhia das Letras

Idioma: Português

Como lidar com o indecifrável mistério de uma irmã autista e o fato de ela ter sido apartada da vida familiar de forma abrupta, numa época em que pouco se sabia sobre esse tipo de condição? De que forma um trauma silenciado pode influenciar o desenvolvimento da personalidade — e dos medos — de uma pessoa? Após a morte dos pais, o músico e compositor Allen Shawn faz uma descida ao seu inferno pessoal neste segundo livro de memórias, no qual examina a realidade do autismo e o percurso da relação com sua irmã gêmea, Mary, que desde os oito anos vive em instituições para pessoas com necessidades especiais. Um relato corajoso e sensível sobre o sofrimento e as escolhas que essa limitação impõe a uma família.


Essa resenha é particularmente complicada para mim. Como mãe de dois filhos autistas não consigo compreender a decisão de pais que abandonam seus filhos autistas, seja pela falta de informação, seja pelo simples preconceito. Se faz necessário que as famílias com caso de autismo devam receber obrigatoriamente apoio psicológico, pois apenas com familiares bem informados e unidos uma criança com autismo tem grande oportunidade de se desenvolver se maneira correta e repleta de amor.

Gêmeos não é apenas uma simples história de vida de Allen Shawn. É um livro que serve como base para qualquer ser humano que enfrenta perdas significativas em sua vida. Este é a mola mestra nesse livro emocionante escrito de maneira tão envolvente por Shawn, que foi separado de maneira abrupta e irremediável de sua irmã gêmea autista, aos oito anos de idade, quando seus pais desistiram de cuidar dela em casa.

Allen Shawn
Shawn dedica um capítulo inteiro ao tema do autismo, que era o diagnóstico de Maria. A escrita utilizada por ele é aberta e genuína. Para um assunto de tão magnitude, além de partir o coração e também uma história de superação, pois não se trata apenas de memórias, vai muito mais além de simples recordações. Para alguns leitores, apenas uma leitura de fim de tarde, para outros uma fonte de apoio e informação e por assim dizer um alivio a tantas dificuldades que só quem tem um deficiente em casa sabe das dificuldades, medos e inseguranças.


Se indico a leitura? Posso dizer verdadeiramente que sim. Qualquer ser humano, que busca a compreensão, alento e por assim dizer a resposta sincera de seus particulares sentimentos de perda, independente da razão, vão se beneficiar desse relato tão pungente de Allen Shawn.



2 comentários:

  1. Nadya... que tema forte. Para quem convive e sente na pele o preconceito das pessoas, as dificuldades diárias mas também as conquistas comemoradas, o livro é um alento. Saber que outras pessoas enfrentam com dignidade e superam os desafios. Outros sofrem profundamente, sem saber lidar... enfim. Difícil julgar. Melhor compreender cada razão, ainda que não se justifique o abandono.
    Filhos especiais são para mães ainda mais especiais. Para mães fortes, que descobrirão todo o potencial da expressão do amor. Amor muitas vezes sem resposta, quandono grau de autismo é mais severo. Mas como somos algo mais que esse corpo físico, como transcendemos aos formatos de agora, alguma resposta existe para essa condição. O mais importante é vivenciar tudo que o amor pode oferecer, carinho, cuidado, doar-se.
    Adorei a indicação, vai pra minha lista.

    ResponderExcluir
  2. achei a trama bem forte, crianças especiais dão lições de vida e fazem dos que os cercam mais fortes também, fico imaginando como era anos atrás, quando o preconceito era tão grande incluindo da familia, que tratava como se fossem bichos, retardados mesmos, sabe?
    isso é cruel! Parabéns pela resenha e tenho certeza de que você é uma super mãe para suas crianças!

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.