Menu

15.4.16

Espelho dos Deuses: Livro 1 – A Nova Alexandria








Autor: L. S. Moreira
Editora: Giostri
Ano: 2015
Sinopse: O encontro entre a jovem publicitária Renata e Thymos, bastardo de um deus esquecido, inicia uma série de eventos capazes de alterar drasticamente o rumo de um conflito que já dura séculos e reaver os fragmentos de uma guerra há muito perdida no coração de Alexandria, cujas consequências podem determinar a sobrevivência da humanidade… ou o seu fim.







“...Porque você morre. Morre como fenecem as flores e os campos e como não se infinitam os conglomerados dos estelares. Morre como se putrefazem os pontífices e as prostitutas indistintamente, como definha a madrugada para o nascer do sol e como desfalece a tarde para a noite escura, como a virgindade é destruída pela brutalidade da glande, como se esvaece a mocidade contra o tempo e como o próprio tempo morre aqueles como eu! Morre como todo o universo há de se extinguir...”

Sentiram? Ainda preciso fazer a resenha após esse trecho belamente composto – sim, como se compõe uma orquestra, o livro dedilhado pela insanidade e estabilidade ferrenha daqueles que brincam com a busca da obra perfeita – pelo autor que desenha um misto de mitos que todos conhecemos – ou nem tanto – entrelaçando-os a nossa própria cultura esquecida no passado.

Em Espelho dos Deuses, o autor nos leva a um mundo que pode muito bem existir. Muitos de nós conhecem as teorias diversas de múltiplos universos que funcionam paralelamente ao que estamos conscientes agora e Moreira nos leva adiante dentro deles, utilizando artefatos místicos chamados de “Espelhos”. Cada “Outro Lado” possui sua própria particularidade e seus seres viventes, seus Deuses responsáveis pela continuidade da vida e equilíbrio.

Através de Thymos e Renata, somos brutalmente jogados nessa descoberta sem chance de defesa. Iniciando na maravilhosa Amazônia, nos ensinando sobre as deidades que não conhecemos – e fazem parte da cultura natal de nosso país, senti vergonha de conhecer tanto sobre as estrangeiras e nada da que vivemos – e do que são capazes. Embora perdida no esquecimento dos brasileiros, eles estão bem vivos na literatura deste autor que tão bem utilizou-se deles em sua história.

Renata, uma jovem de 24 anos nascida e residente em Manaus é apenas mais um rosto na multidão – uma Ovelha – que desconhece tudo o que se esconde por trás de sua vida banal, embora o tempo todo tenha exposto à sua frente tudo o que o deus da “Grande Mídia” joga em nossos colos e muda nossos comportamentos inconscientemente – somos ou não escravos de uma mídia? – e tem retirado de seus olhos o véu que nos separa deste do outro mundo: o conhecimento de sua existência.

Thymos é um renegado, um bastardo que em pequeno foi levado para essa realidade, filho de um deus. Carrega em suas costas o feito que nenhum outro de seu tipo conseguiu – e que não vou contar aqui, HAHAHA! – que, em seu retorno a esse “mundo” após um longo tempo de ausência, tem como missão aproximar-se de nossa jovem protagonista – entre tanto outros protagonistas – e indiretamente descobrir com ela a seu lado qual a intenção do interesse que existe atrás de sua vida – de Renata.

Em uma missão ensandecida que nos leva à Colômbia, onde um xamã cafajeste chamado Douglas nos é apresentado para conquistar nossos corações e pisoteá-los – é um mulherengo, afinal das contas – é um mortal que, na minha opinião, não fica abaixo dos imortais que nos são apresentados e é um verdadeiro pária... Se não fosse seu “pequeno” problema com os narcotraficantes! É até risível, mas nem tanto... Porque o líder deles, Nuñez, é tão louco quanto qualquer um dos que conhecem a realidade: sonha em encontrar El Dorado!

Eu não pude evitar!!! <o>
Ele se junta à equipe e acaba indo com eles até o fim, mesmo sem saber exatamente o que aguarda a ele e os seus.

Cada um dos personagens (exceto Renata) dançou com o desconhecido em algum momento de suas vidas ou vive com ele.

O livro é uma viagem pelo tempo: no mesmo momento em que estamos vivendo a memória de infância de Marksmann, um atirador de elite – um assecla dos deuses – estamos com ele apontando sua Dragunov na nuca de seu próximo alvo.

E é isso o tempo todo: um livro com ação em seu começo, meio e fim, sem nos dar nenhum momento de paz. Sempre tem algo importante acontecendo com alguém em algum lugar do mundo!

Moreira nos mostra toda uma... Hierarquia de pessoas que trabalham para os deuses e as nomeia de acordo com sua importância para a deidade. São tantos personagens e tantos papéis que só mesmo lendo você se inteira de todos eles e saberá do que estou falando.

A escrita é excelente, cheia de detalhes que faltam em muitas obras. Deixo claro que não tem anda a perder para o George R. R. Martin e suas Crônicas de Gelo e Fogo. E como tal, a tortura e sede de sangue está presente naqueles que são os inimigos, impiedosos como foram seus originais que já conhecemos.

Há uma técnica e um estudo por trás de tudo o que está no livro, fazendo uso não apenas de história, mas como também física, química e outras coisas que confundem nossas cabeças mas que ali fazem muito sentido.

É uma obra que você não pode perder, não havia lido nada que seguisse essa linha – do modo que o autor nos coloca – até hoje. Não vejo a hora de ler a continuação, pois o final foi arrasador – como todo o livro antes do fim.


Leitura recomendadíssima!

Pronto, pronto! Agora vou lá ver a animação de novo. Licença.


1 comentários:

  1. não sou de ler suspenses, mas achei interessante a proposta da autora em trazer os mistérios até o final
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.