Menu

18.6.16

{Filme} X-MEN - APOCALYPSE


X-MEN - APOCALYPSE



Direção e Roteiro: Brian Singer. 2016.
Elenco: Jennifer Laurence, Sophie Turner, James McAvoy, Olivia Munn, Michael Fassbender, Oscar Isaac, Alexandra Shipp, Evan Peters, Tye Sheridan, Nicholas Hoult, Hugh Jackman, Kodi Smit-McPhee, Lucas Till, Lana Condor

ATENÇÃO: CONTÉM SPOILERS! Se você ainda não assistiu ao filme, prossiga por sua conta e risco.
Sinopse

Um ser ancestral adormecido de enorme poder conhecido como Em Sabah Nur (Apocalypse), que teria dado origem a todos os mutantes, desperta nos dias atuais com o objetivo de destruir toda a humanidade e construir um novo mundo só com mutantes, onde se tornaria governante supremo. A única esperança da raça humana é o Professor Charles Xavier e sua equipe de jovens (e ainda inexperientes) mutantes.

Resenha

Oi gente! Andei lendo alguns reviews e crítica dos sites especializados e o pessoal não perdoou: quase todo mundo achou X Men – Apocalypse fraco.
Mas, como diria minha mãe (e a de vocês também), eu não sou todo mundo. Confesso que eu mesmo estava com um péssimo pressentimento com relação a esse filme e, de certa forma, eu estava certo: tem alguns furos imperdoáveis. A diferença, pra mim, é que isso não faz do filme DE TODO ruim. Pelo contrário: Apresentou sim um entretenimento de qualidade, cheio de ação e algumas atuações surpreendentes, já que o elenco é, em boa parte, desconhecido do grande público. Mas já vou avisando: como eu previ, escolheram talvez o maior vilão do universo dos X Men e ESTRAGARAM-NO de tal forma que deixou a impressão de que Brian Singer nunca leu sequer um resumo na internet, quanto mais um gibi... Explico já já.

TEMPORALIDADE

Se você é fã da franquia X-Men tenho quase certeza de que você, como eu, desistiu de levar em conta a linha do tempo que conecta as estórias depois de “Dias de Um Futuro Esquecido”... Isso porque os três primeiros filmes perderam a razão de ser depois de X-Men Primeira Classe.


A trama de X-Men Apocalypse se passa quando Jean Gray (Sophie Turner), Cyclope (Tye Sheridan) e o próprio Professor Xavier (James McAvoy – com um exageradíssimo sotaque britânico) são ainda jovens. Para fins de encerramento da nova trilogia, funciona bem, embora não tenha NADA A VER com a história original. MAS, como já disse, linha do tempo é algo que temos que desconsiderar completamente se quisermos nos divertir assistindo esta franquia. Pessoalmente não considero isso um problema, já que nem todo mundo acompanha as HQ’s. Por outro lado, os fãs de quadrinhos vão sair do cinema revoltados...

PERSONAGENS

Já vou começar falando daquele que, na minha opinião e, apesar de aparecer menos do que merecia, roubou a cena: Mercúrio, interpretado pelo ator Evan Peters. Assim como já tinha feito em filmes anteriores da franquia, Mercúrio foi reconstruído para o cinema como um adolescente, debochado e brincalhão, que usa sua super velocidade com a mesma seriedade de quem joga videogame, arrancando risos da plateia quando entra em ação (ou simplesmente conversando, pois seus diálogos são impagáveis.


Interpretando a telepata/telecinestesista Jean Grey temos a lindíssima Sophie Turner, conhecidíssima do pessoal que acompanha a série Game Of Thrones, onde vive a personagem Sansa Stark. Nessa fase, Jean ainda é jovem e um tanto insegura com relação a seus poderes. Também, não é pra menos: Jean carrega dentro de si um poder incomensurável. A ruiva desempenhou bem o papel, levando-se em consideração seu personagem que, como Mercúrio, foi desenhado para esse filme, exclusivamente.



James McAvoy repete o excelente trabalho que já vinha fazendo na pele do Professor Charles Xavier, telepata líder dos X-Men, assim como Michael Fassbender, no papel do mestre do magnetismo, Erich Lensher, mais conhecido como Magneto.


Ocupando ainda posições de destaque estão Tempestade (Alexandra Shipp), Psylocke (Olívia Munn) e Anjo (Ben Hardy), que junto com Magneto compõem os Cavaleiros do Apocalypse, recrutados pelo vilão para auxiliá-lo em seu plano.

Além do Mercúrio, alguns dos alívios cômicos ficam também por conta do Noturno (Kodi Smit-McPhee) que, apesar da aparência assustadora, rende boas risadas, simplesmente por ser um adolescente atrapalhado e ingênuo.


No quesito personagens, cabe uma crítica: Exageraram na quantidade. Isso fica claro quando se vê personagens super bacanas tanto nos quadrinhos quanto nas animações para a TV fazendo participações ridiculamente pequenas no filme. Exemplo? A Jubileu, que é uma das personagens que eu adoro, aparece, mas não gera uma explosão sequer... Nem umazinha! Ahhh... O mesmo acontece com o Coronel Stryker, um dos maiores inimigos dos alunos do Professor X, desaparecer tão rápido quanto apareceu E PIOR, sem motivo nenhum... ALIÁS, tinha um motivo para o Stryker aparecer. Ele é o gancho para que um outro “famosinho” apareça... Mas, no fim das contas, ficou aquela sensação de que se esses personagens (inclusive o famosinho) não tivessem aparecido não teria feito a menor diferença.

Outro detalhe que me deixou sem entender nada: O diretor tomou o cuidado de reproduzir alguns dos uniformes clássicos dos heróis. Só que esses uniformes apareceram só nos minutos finais do filme! Tá doidão, Mr. Singer? Eu hein...

COMO ESTRAGAR UM VILÃO, POR BRIAN SINGER

Pra explicar porque eu acho que a caracterização do Apocalypse ficou uma porcaria, tenho que contar um pouco da história original desse vilão que é simplesmente um dos mais poderosos do universo dos X-Men.

Apocalypse, cujo nome verdadeiro é En Sabah Nur (que significa algo como ‘a aparição da luz’) nasceu em meados do século XXX A.C., no Egito. Abandonado por seus pais por ser deformado, foi adotado pelos Sandstormers, uma tribo nômade liderada por Baal, que criou Nur como seu próprio filho.

En Sabah Nur é o primeiro da espécie Homo Superior (que no futuro seriam conhecidos como mutantes) e tem o poder de manipular a estrutura de seus átomos para converter seu corpo em qualquer coisa, incluindo armas de plasma. Possui também a capacidade de aumentar de tamanho. Seus poderes são exponencialmente aumentados com os aparatos vindos do futuro que compõem o seu traje.

Pra terminar esse resumo, En Sabah Nur viaja através das eras, criando diversas realidades alternativas. Em todas elas ele é derrotado, não sem antes causar um considerável estrago tanto para os mutantes quanto para a raça humana. Há, inclusive, uma das realidades, em que todos os X-Men acabam mortos, restando apenas Wolverine, retratado nessa saga como “o Velho Logan”.


Pois bem. O Apocalypse de Brian Singer se parece muitíssimo com a múmia daqueles filmes engraçados com Brendam Fraser, lembram? Ressuscita depois de milênios, junta uma turminha e sai por aí avisando que vai conquistar o mundo... Para, né?

Além do mais, a caracterização ficou péssima. O Apocalypse original se não se parece em nada com os humanos: É enorme. Assim como fizeram com o Hulk, nos Vingadores, Apocalypse bem que poderia ter sido feito de computação gráfica. Mas não. Puseram um cara, um ator que ninguém sabe quem é, para interpretá-lo. Ficou horrível, pra dizer pouco.


Lembra dos poderes que eu citei acima? Só sei que eles existem porque li os quadrinhos e assisti as animações. Se dependesse do diretor desse filme você vai ficar achando que o Apocalypse é um cara azul com uma armadura que sai por aí fazendo as pessoas virarem areia. E não é o caso.

Pra finalizar, não me lembro de ver o Apocalypse morrer em nenhuma mídia. Ele sempre dá um jeito de escapar em sua máquina do tempo pra atormentar em outras eras. Mas ao que parece ele não foi páreo para Brian Singer...

CONCLUSÃO

Apesar de todos os problemas, consegui me divertir bastante assistindo esse filme. Na minha opinão, esse foi o melhor de toda a franquia. Há quem discorde... C’est La Vie!

Até a próxima, gente!









2 comentários:

  1. eu, apesar de curtir o desenho, não acho graça na franquia dos filmes!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Meninas, não sei se você se lembra, mas foi de 16 anos (+ -) atrás, quando o primeiro filme saiu. Nós éramos apenas crianças. A história é interessante porque várias vezes nos perguntamos quem foi o primeiro mutante. Oscar Isaac magnífico, eu realmente gosto deste actor. Aproveito esta oportunidade para dizer que eles vão passar um filme dele, Star Wars 7. Deixo a informação guerra nas estrelas 7 Devo dizer que JJ Abraham eo resto da equipe fez fantasticamente justiça fez tantos anos de espera.

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.