Menu

8.7.16

O Herdeiro Mago - As Crônicas do Herdeiro #2



Título Original: The Wizard Heir
Autora: Cinda Williams Chima
Editora: Farol Literário
Ano: 2009
Sinopse: Seph McCauley, de 16 anos, passou os últimos três anos sendo expulso de escolas. O problema não é a atitude dele, mas o rastro de desastres mágicos. Seph é um mago, órfão e não treinado, e seus poderes estão crescendo e fugindo de seu controle. Quando ele acha que finalmente será treinado em magia e iniciado na ordem secreta dos magos, descobre que o treinamento tem um alto preço... Será que Seph terá forças para sobreviver a uma guerra de feiticeiros?









O segundo livro d’As Crônicas do Herdeiro, O Herdeiro Mago, é bem mais... Obscuro, sombrio, que o primeiro livro (resenha aqui), na minha opinião. Torturante, até.

Seph – Joseph McCauley – é um menino jovem, dezesseis anos apenas e passou por tanta coisa...
O livro logo no começo nos leva a uma figura já conhecida – D’Orsay, o mago-líder dos Jogos – em busca de uma figura que ainda não conhecemos. Sabe-se apenas que ele, desde o resultado dos Jogos no livro do Guerreiro, tem agido na surdina contra os magos.

Somos, logo em seguida, arremessados em direção a Seph, um menino criado pela babá francesa católica. Um menino jovem, que ainda não aprendeu muito da vida, superprotegido e amado por Genevive, sua responsável desde que consegue se lembrar, sabe apenas que seus pais morreram em um acidente há muito tempo atrás. É gentil – para um mago – embora se aproveite de seu poder para algumas coisas – especialmente com as garotas. É mal de mago. – é inteligente e sociável, mas nota-se uma solidão em seu interior que pode ser destrutiva.

Sem nenhum guia, o garoto é levado por seu tutor de uma escola à outra, sem analisar de fato quais são os desejos de Seph. E, nos últimos dois anos, ele tem mudado muito de escola. Não por ser irresponsável, mas sim por ser um mago e não possuir ninguém com quem contar.

Após um terrível acidente – e o encontro inesperado com uma personagem já odiosamente conhecida – o adolescente foi transferido para uma escola particular, onde vê que pode finalmente conseguir o que tanto deseja... Mas tudo se torna um pesadelo.

“Uma fileira de vasos chineses estava alinhada em uma estante sobre a escrivaninha de Leicester. Eles começaram a vibrar até que, um por um, implodiram como alvos numa galeria de tiro.”

Vê na escola a chance de tornar-se um mago treinado, sem deixar que tudo ao seu redor se exploda. Mas aquele ditado: Quando a esmola é demais, o santo desconfia, é levada à sério aqui. Joseph é torturado emocional, psicológica e fisicamente para atingir objetivos que não são seus. Perde pessoas que lhe são importantes e não vê chance de escapatória. É terrível tudo, do começo ao fim.



O vilão é um canalha. Machista, racista, opressor e dominador. Ama o poder e faz o que está ao seu alcance para mantê-lo, sem importar com quem está em seu caminho. Dá para vê-lo até dizer: bandido bom é bandido morto, muito utilizado pelos famosos “cidadãos de bem”. Pois é isso que ele aparenta ser: alguém preocupado com a sociedade, mas só pensa em si mesmo , o cara que fura-fila na cara dura, que não devolve troco! Não mede esforços nem baixas. O que ele puder tirar você, ele tira das maneiras mais terríveis (é tipo... Ramsay Snow Bolton, gente!).

Jack está de volta neste livro, mas não como principal. Ele está diferente, mais maduro e afastado. Ellen também, está mais concentrada e dona de si (não que ela não fosse, mas no livro anterior tinha alguns poréns né). Vários outros personagens aparecem, alguns com revelações de tremer o forninho.
A história segue um ritmo bom, nos dá algumas surpresas, algumas coisas são fáceis de prever. E isso não estraga a história, você fica deveras aliviado por saber que a coisa pode melhorar.


Até agora, de longe, meu livro favorito d’As Crônicas do Herdeiro!



1 comentários:

  1. oi flor, apesar dos seus comentários confesso que não é uma trama que me atraia!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.