Menu

20.7.16

{Resenha} Três Coisas Sobre Você





Título Original: Tell me three things
Autora: Julie Buxbaum
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Sinopse: Setecentos e trinta e três dias depois da morte da minha mãe, 45 dias após o meu pai fugir para se encontrar com uma estranha que ele conheceu pela internet, 30 dias depois de a gente se mudar para a Califórnia e apenas sete dias após começar o primeiro ano do ensino médio numa escola nova onde conheço aproximadamente ninguém, chega um e-mail. Deveria ser no mínimo esquisito, uma mensagem anônima aparecer do nada na minha caixa de entrada, assinada com o bizarro nome Alguém Ninguém. Só que nos últimos tempos a minha vida tem estado tão irreconhecível que nada mais parece chocante.







“Foi necessário esperar até agora – 733 dias inteiros me sentindo o oposto de uma pessoa normal – para que eu aprendesse esta importante lição de vida: é possível ficar imune à esquisitice.”

Este é um livro para almas solitárias. Jovens que se sentem sozinhos no mundo mesmo quando estão cercados por uma multidão. Irão se identificar com Jessie, uma jovem de  16 anos que vivia em Chicago mesmo após a morte de sua mãe. Tinha lá seus amigos, sua melhor amiga Scarlet – a melhor de todas as amigas, a garota forte com a qual Jessie sempre poderia contar. E tudo isso ficou para trás quando seu pai encontrou Rachel na internet e só contou à filha quando já estavam casados e prontos para se mudar para Los Angeles.

Rachel é muito rica. Figurona de Los Angeles. E o pai de Jessie é apenas um farmacêutico que está desempregado em Los Angeles e por isso o filho de Rachel o chama de Golpista. Theo deve ser da mesma idade ou um ano mais velho que Jessie e não aceita o relacionamento tanto quanto ela mesma.

E, por conta disso, não conversa com a menina na escola e nem sequer em casa.  O que é um problema pois ela saiu de uma escola pública para uma escola caríssima com alunos que escalam montanhas, constroem escolas ou são estagiários de empresas-sonho. E ela apenas trabalhou numa casa de sucos em suas férias! Todas as garotas são Barbies e ela é jovem normal de cabelo preto e camisa de flanela. E justamente por sua aparência e aspecto de quem não se importa com elas é que começa o bullying.

Sem fazer amigos, um pai que está sendo completamente relapso, um “irmão” que preferia que ela estivesse longe dali, Jessie se sente sozinha e sem ter para onde correr. É nesse momento que recebe um e-mail estranho, de alguém desconhecido que assina Alguém Ninguém. O mais engraçado das trocas de e-mail são os títulos, então quando forem ler, não se esqueçam de prestar atenção nisso. Enfim, Alguém Ninguém (NA) oferece a Jessie sua ajuda para que ela consiga sobreviver ao ensino médio, mas não quer que ela saiba quem é a pessoa por trás das mensagens.

Para quem teve um amigo virtual – ou ainda tem – sabe o quanto esses apoios distantes podem ser importantes em momentos nos quais estamos fragilizados. Na minha época de chat era difícil ter acesso as fotos e tudo o mais, então era mesmo no escuro. Palavras que te auxiliam a encarar seus problemas, mesmo quando você acredita não ter mais forças. O anonimato te protege e te ajuda a agir de modo mais corajoso, você diz coisas que pessoalmente nunca seria capaz de dizer.

“Nunca perguntei a ela. Por quê? Uma das piores coisas em relação a morte é lembrar de todas as perguntas que a gente não fez, de todas as vezes em que, idiotamente, a gente presumiu que teria todo tempo do mundo.”

Jessie ainda está em luto pela perda precoce da mãe, pois não resolveu todos os assuntos que tinha.

Também, como poderia...? Nunca sabemos quando vamos perder alguém importante. Por isso aprendi que não se deve perder tempo, se tem desejo de fazer algo e tiver a disponibilidade, faça. Eu tinha a disponibilidade de terminar de ler este livro em uma noite... E então o fiz. A protagonista está de luto, principalmente, por tudo o que perdeu: o pai, os amigos, o trabalho...

AN lhe dá diversas dicas sobre a escola e ela também encontra trabalho em uma livraria! O livro veio para mim embaladinho, com um adesivo da Atenção, Lombadas! E não entendi... Aí lendo o livro eu entendi e achei muito legal da parte da editora!

Enfim, voltando ao livro: ela deseja ser aceita e a partir de dicas de NA ela faz novas amizades e também através de um trabalho de inglês. Mas ainda não sabe quem é AN e logo todos seus amigos estão criando teorias sobre quem ele possa ser. Ela se sente dividida sobre quem quer que ele seja e começa a identificar algumas possibilidades.

Rachel deseja que Jessie se sinta parte da família, embora não saiba como o fazer. Em uma viagem a Chicago, ela descobre que a distância não machuca só ela...

“(...)Todos somos versões melhores de nós mesmos quando temos tempo de bolar o texto perfeito.”


O livro é um aprendizado imenso, muitas pessoas da minha idade e também mais novas vão se identificar com isso. Eu mesma, por exemplo, prefiro muito mais escrever como eu me sinto do que dizer. Sei que o que sou na internet é apenas uma faceta que desenvolvi. Mas, quando era adolescente, eu preferia aquela pessoa do que quem eu era de verdade. Aprendi aos poucos a me desenvolver fora da internet, a me demonstrar de verdade. E vemos essa evolução na Jessie, quando ela começa a confrontar a si mesma e aqueles que lhe fazem mal.



Leitura recomendadíssima, você vai ler direto e nem vai notar o quão rápido vai chegar na leitura do livro!



1 comentários:

  1. é um livro que me chamou a atenção pelo extenso marketing em cima dele!
    fiquei curiosa!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.