Menu

16.8.16

{Resenha} A Gruta das Orquídeas - Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho




Autor: Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho, ditado pelo Espírito Antônio Carlos
Editora: Petit
Ano: 2007
Sinopse: Estranhas criaturas – em nome do mal – se reúnem na sombria Gruta das Orquídeas. Crimes inexplicáveis são cometidos: uma terrível ameaça ronda as crianças da pequena cidade do interior. Quem será a próxima vítima? Como evitar a morte de outro inocente?
No plano do invisível, Antônio Carlos, ao lado de Mary, um espírito socorrista, empenha-se em ajudar os encarnados a desvendar o sinistro mistério e devolver a paz aos corações aflitos. Mas ele pressente que forças malignas se juntam, com a pior das intenções, para reagir e afastá-los...




Resenha:

A Editora Petit é uma editora especializada em livros espíritas. Entre livros de contos, crescimento espiritual, estudo, meditações e preces, romances, a Editora já está no mercado há muitos anos realizando um trabalho incrível com a edição e a preocupação com a fidedignidade dos relatos sobre a doutrina espírita. A Gruta das Orquídeas é o primeiro livro resenhado dessa nossa parceria e também o primeiro do gênero que eu leio.

Pessoalmente, achei muito interessante a forma como ele é escrito. Romances espíritas caracterizam-se por serem psicografados, ou seja, ditados por um espírito a um médium, que apenas passa a história para o papel.

Intercalados à história de mistério, estão ensinamentos ligados à doutrina espírita, em uma linguagem simples, que permite a compreensão de todas as pessoas. Além disso, Antônio Carlos indica várias referências para quem deseja conhecer melhor esses ensinamentos, principalmente nas obras de Allan Kardec.

Mas vamos à história...

Em uma pequena cidade que o autor denomina Cidade Pitoresca, estão ocorrendo alguns crimes possivelmente ligados a um culto de magia negra (oi?) em que as vítimas são sempre meninos de 7 anos e que tenham 7 letras no nome. A partir daí surge uma preocupação do Senhor Nico, que tem um neto, Nicolas, de 7 anos.

O Senhor Nico é um fazendeiro muito rico e conta com a ajuda de seu sobrinho Fernando para a administração de suas terras. Ele era seu único herdeiro, até que Nicolas veio morar com ele, após a morte de seu pai e a doença terminal de sua mãe. O sonho do Senhor Nico era ensinar a Nicolas tudo sobre a fazenda, e torna-lo o maior herdeiro de seus bens.

Como a polícia não estava conseguindo chegar a lugar nenhum nas investigações sobre os assassinatos, o Senhor Nico contrata um detetive particular, Luck, que era casado com uma “paranormal”, Mara. Mara usava seu dom para ganhar dinheiro, porém foi muito útil nas investigações, visto que tinha um espírito que a acompanhava, chamado Gil.

A história é narrada por Antônio Carlos como se ele fosse um observador, mas também ele e sua companheira Mary tomam atitudes no plano espiritual para ajudar na solução do caso. Na verdade, Mary foi designada para essa tarefa, e pede ajuda de Antonio Carlos. E é muito interessante ver tudo isso acontecendo ao mesmo tempo, imaginando como temos tantas pessoas que já se foram, mas que ainda se importam conosco e com nossas atitudes.

Os homens que participavam do tal culto, por exemplo, entraram nisso meio que por ingenuidade, normalmente devido a problemas financeiros ou amorosos, que pareceram se resolver após o “pacto”. Eram cinco homens, liderados por um sexto, que ninguém sabia quem era, mas que tinha uma voz “não-humana” e sempre aparecia e desaparecia da Gruta sem que ninguém o visse.

Dessa forma, ao mesmo tempo que acontece todo um mistério e uma investigação aqui, no nosso plano, também estão acontecendo muitas coisas no plano dos espíritos. Durante as reuniões do culto na Gruta, havia uma grande concentração de espíritos umbralinos, a maioria homicidas, pois tinham a aura escura. Segundo o espiritismo, para se livrar dessa marca, o espírito precisa se arrepender e trabalhar muito para fazer o bem (seja no plano físico ou espiritual).

Antonio Carlos e Mary ajudaram muitos espíritos “maus” a irem para postos de socorro, onde poderiam começar seu processo de cura e evolução. E também espíritos bons a adquirirem mais conhecimento e estudarem mais para poderem ajudar as pessoas e assim, também evoluírem.

“Logo após a morte do corpo físico, o julgamento sobre nós não é definitivo, porque continuamos a reencarnar e, nessas oportunidades, podemos reparar erros, nos educar, fazer o bem ou continuar imprudentemente cometendo atos indevidos. Vamos caminhando entre provas, expiações, acertos e erros. Normalmente, depois de cada desencarnação, somos nós mesmos que nos julgamos. Ou, então, por reconhecer que erramos, deixamos que os outros, semelhantes a nós, nos julguem. São julgamentos parciais. As escrituras na Bíblia, porém, afirmam que teremos o julgamento final.”

Com tanta ajuda, inclusive do espírito de sua esposa falecida, o Senhor Nico consegue desvendar todo o mistério das mortes dos meninos e também descobrir as identidades dos cinco homens que participavam do culto. O sexto, porém, não foi pego pela polícia. Mas logo o Senhor Nico descobriu da pior maneira possível quem ele era, e seu destino também não foi dos melhores...

Foi uma experiência realmente diferente e gratificante ler um livro espírita. Acredito que todas as religiões nos ensinam a ser pessoas melhores, e foi isso o que mais tirei desse livro. As lições e todo o aprendizado sobre o que acontece com nosso espírito quando somos pessoas boas e o que acontece quando praticamos ações ruins. Além de outros ensinamentos sobre a importância do perdão, da caridade e do bem que fazemos a nós mesmos quando fazemos o bem ao outro. Lindas lições em meio a uma história de crueldade e mistério. Adorei! =)



4 comentários:

  1. Que legal! Eu tenho uma amiga que adora livros espíritas e sempre me recomenda, eu adorei esse daí, vou perguntar se ela tem :)

    Coral,
    Universe for Words

    ResponderExcluir
  2. a capa é linda, um charme a parte! o enredo me agrada!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Sou apaixonada por livros, sempre tem um na minha bolsa e muitos na minha estante (mais do que leio rsrs). Gosto muito de livros espíritas, e me apaixonei por este.. Vou ler com certeza

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Coral... Se sua amiga tiver o livro, aproveite a oportunidade sim... Muitos ensinamentos bacanas...

    Thaila... Realmente, a capa ficou encantadora =)

    Juliana... Tomara que gostee tanto quanto os outros que já leu...

    beijos, meninas!!

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.