Menu

21.9.16

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo



Título: Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo
Editora: Seguinte
Autor: Benjamin Alire Sáenz
Sinopse:  Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão. Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.


Opinião: Devo começar dizendo que foi um livro que lutei para ler devagar, para que não acabasse depressa.

Temos como principal, Aristóteles, ou Ari como gosta de ser chamado. Vemos o mundo do livro através de seus olhos e de seus sentimentos.

Sentimentos é uma palavra que descreve perfeitamente esse livro, é carregado de sentimentos e emoções.


Ari não sabe bem como se expressar ou como viver, relata a si mesmo como “nasci um pouco atrasado”, suas irmãs são mais velhas e já possuem suas próprias famílias e seu irmão mais velho, Bernardo, se encontra na cadeia e parece que nunca existiu. O personagem em questão está sempre questionando a si mesmo. Até que conhece Dante.

“Minha mãe e meu pai deram as mãos. Imaginei como era – como era segurar a mão de alguém. Aposto que as vezes é possível desvendar todos os mistérios do universo na mão de uma pessoa.” (Página 156)

Dante é o oposto de Ari, é filho único e ama os pais, é louco por eles. Ambos vivem uma amizade improvável, já que são tão diferentes. Costuma descrever Ari como uma cadeira de balanço vazia e solitária.

“Dante era engraçado, focado e impetuoso. Quer dizer, podia ser impetuoso. E não tinha nenhuma maldade. Eu não entendia como alguém podia viver em um mundo mau e não absorver um pouco de maldade. Como um cara era capaz de viver sem um pouco de maldade?” (Página 28)

Passaram todo um verão juntos, com diversos acontecimentos, até que Dante vai para outra cidade devido ao trabalho do pai, mas retornaria no outro verão.

Nesse tempo separados, Ari encontra amizade de duas outras meninas, mesmo que não admita e um amor que não dá certo. Além de trocar cartas com Dante.

Devo dizer que nessa parte, em determinada carta, Dante diz ter beijado uma menina. E isso me irritou um pouco, para alguém que gosta de formar casais entre pessoas do mesmo sexo, uma garota aparecer e atrapalhar é um grande incomodo. Mas então em outra carta Dante revela que prefere beijar rapazes, isso me sossegou (risos).



Depois de certo tempo, Dante retorna à El  Paso, onde Ari vive. E conhece um certo rapaz, onde acaba ficando com ele. Um episódio anterior com um beijo entre Dante e Ari, Ari afirma que isso não funciona para ele.

“Outro segredo do Universo: às vezes a dor era como uma tempestade que vinha do nada. A mais clara manhã de verão podia acabar em temporal. Podia acabar em raios e trovões.” (Página 287)

A narrativa é simples e sentimental, com um “Q” de quero mais. E demonstra a descoberta e aceitação de si mesmo dos dois garotos.

Mostra também diversos problemas da sociedade “LGBT”, aceitação da família e agressão a esse público.

Um livro recomendável para todas as idades, para que compreendam que o amor vem de diversas formas.



1 comentários:

  1. a trama é interessante a aborda um tema atual relevante, curti
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.