Menu

12.10.16

{Resenha} Memórias de Um Amigo Imaginário







Título: Memórias de Um Amigo Imaginário
Autor: Matthew Dicks
Editora: ID
Sinopse: Enquanto Max acreditar em mim, eu existo. Posso precisar da imaginação do Max para existir, mas tenho os meus pensamentos, as minhas ideias e a minha vida, tudo isso separado dele.”





Opinião: O livro nos apresenta a história pelo ponto de vista de Budo, o amigo imaginário de Max Delaney. Max é um garoto diferente, quando algo muda em sua rotina, Budo o descreve como “ele fica empacado”, com empacado ele quer dizer que Max trava em um lugar apertando os pulsos e hiperventilando. Quando era criança, Max imaginou Budo como alguém que seria mais inteligente que ele próprio e o ajudaria sempre que precisasse, o que faz de Budo um amigo imaginário diferente dos outros.



Budo, apesar de precisar de seu dono, Max, tem a liberdade de sair explorando lugares sozinho.

Ao longo da história conhecemos mais e mais amigos imaginários apaixonantes, além dos imaginários, ao passear por seus lugares favoritos à noite, Budo mostra seus amigos humanos, que apesar de não conseguirem vê-lo, o amigo imaginário os ama.

Uma história que no começo parece apenas uma rotina comum se transforma, seu amigo Max se coloca em grande perigo. E cabe ao seu amigo imaginário ajuda-lo.

A narrativa é envolvedora, nos coloca no lugar de Budo, o que ele sente e o que ele vê. Em suas aventuras ao hospital infantil, ele encontra outros amigos imaginários, onde melhor para encontrar amigos imaginários do que em um hospital infantil cheio de crianças solitárias?  Além desse hospital, em um outro, no hospital de adultos, ele encontra Oswald, o único amigo imaginário de um adulto.

Lendo a história de Oswald, meu personagem favorito em todo o livro, me lembrei dos meus. É engraçado mas em ate pouco tempo eu tinha amigos imaginários também, mas diferentemente dos do livro, eu imaginei os meus com vidas a parte, então mesmo que eu os esquecesse, talvez continuem por aí, vez ou outra me lembro deles e converso com eles, afinal, me fizeram companhia por anos, com anos, quero dizer que até provavelmente dois anos atrás eu ainda falava com eles e os via. É  engraçado isso de “ver”, realmente eu não os via, mas acreditava que estavam lá me escutando e respondendo. 


Enfim, Memórias de Um Amigo Imaginário é surpreendente, inovador e mágico. Com certeza um dos melhores livros que já li. E um dos quais me arrependo de ter acabado tão depressa.

Leiam e tirem suas próprias conclusões!





2 comentários:

  1. gostei bastante da proposta, é legal ver o outro lado!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Adorei! Ótima resenha!

    Abraços,

    Dalvan Linhares.

    http://www.literatudotextos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.