Menu

17.12.16

{O menino que vê filmes} Reine Sobre Mim



Direção e Roteiro: Mike Binder, 2007.
Elenco: Adam Sandler, Don Cheadle, Mike Binder, Liv Tyler, Jada Pinkett Smith, Saffron Burrows, Donald Sutherland, Melinda Dillion, Robert KleinSinopse: Uma tragédia familiar marca para sempre a vida de Charlie Fineman (Adam Sandler), um homem devastado pela perda de toda a sua família durante os conhecidos atentados de 11 de setembro de 2001, nos EUA. Porém, quis o destino que ele reencontrasse por acaso um antigo colega de faculdade, Alan Johnson (Don Cheadle), um dentista de Nova York que enfrenta problemas em sua carreira. Esse encontro mudará a vida de ambos.

ATENÇÃO: Contém spoilers (revelações sobre o enredo) referentes ao filme em questão. Se você ainda não assistiu, prossiga por sua conta e risco.

Resenha

Oi gente! Hoje escolhi trazer pra vocês um pouco sobre um dos meus filmes favoritos, Reine Sobre Mim, um drama já antigo, lá de 2007, com os sensacionais Adam Sandler e Don Cheadle.

O filme trata de temas comuns à maioria das pessoas, tais como a morte, a perda, tragédias, traumas e recomeços. Porém, Reine Sobre Mim retrata também, de uma forma simples e realista, a capacidade humana de ajudar aos seus semelhantes sem necessariamente esperar uma contrapartida.

Quem na vida já achou que não fosse sobreviver a uma grande perda, uma dor profunda? Quem nunca estendeu a mão para ajudar um amigo? E quem nunca precisou de uma força pra continuar?

O fato é que, quando menos se espera, a vida proporciona encontros capazes de abalar as estruturas das vidas dos envolvidos para mostrar que enquanto há vida, há esperança.

Ambientação: As cicatrizes deixadas na cidade de NY

Eu havia acabado de registrar meu ponto no Hospital Escola, meu local de trabalho nos idos de 2001. Manhã ensolarada, 11 de setembro. No caminho da entrada até a minha sala fui notando algo estranho: os corredores estavam vazios. Nada normal, para o horário. Quase chegando no meu setor, descobri onde todos estavam: na sala da administração. Era o único local do bloco administrativo que tinha um televisor. Todos estavam lá, em silêncio, olhando pra TV. Obviamente eu também queria saber o que estava acontecendo. “Bom dia!” eu disse, mas recebi de volta um sonoro “shhhhhhh!”. Um avião havia batido contra uma das torres do World Trade Center, que agora estava em chamas. Enquanto eu pensava o que poderia ter sido (um acidente, provavelmente), outro avião chocou-se contra a segunda torre. Fiquei atônito. Era um ataque terrorista.

Contei essa pequena história para ilustrar o quanto foi traumático para o mundo todo do que aconteceu nos EUA naquela manhã de 2001. Incontáveis vidas se perderam naquele dia. A história oficial (sei que há outras teorias) dá conta de que terroristas suicidas tomaram o controle de aviões comerciais e, ato contínuo, jogaram propositadamente as aeronaves contra as torres gêmeas, que representavam um dos maiores centros de comércio mundial e eram um símbolo americano.


Como toda tragédia dessa magnitude, além das vítimas, os que ficam se vem na obrigação de continuar com a vida, tendo que lidar com a perda traumática de seus entes queridos. Mas nem todos conseguem sozinhos, e na cidade de Nova York há um homem, entre tantos, que vaga por aí precisando de ajuda, mesmo sem saber. É nesse cenário que conheceremos Charlie Fineman.

Uma antiga amizade

Quem o vê circulando pelas ruas de Nova York, pilotando seu patinete motorizado, pode confundi-lo com um adolescente. Mas trata-se de Charlie Fineman, um homem de meia idade marcado por uma tragédia, e cuja rotina resume-se a idas a bares, terapeutas, discos de vinil e vídeo game.


De outro lado está Alan Johnson, um dentista um tanto quanto acomodado com sua posição, embora não esconda sua frustração profissional, uma vez que seus sócios no consultório não o tratam com igualdade. Alan acha que isso acontece pelo fato dele ser negro. Alan não tem muitos amigos, motivo pelo qual se lembra com nostalgia de seus tempos de faculdade.


Numa manhã qualquer, no trânsito abarrotado de NY, Alan reconhece Charlie, seu antigo colega de classe na faculdade de odontologia, e não consegue esconder a emoção daquele encontro. Charlie representava para Alan uma conexão com um passado do qual ele sentia muita falta. Porém, Charlie mal o reconhece, se afastando. Alan Percebe que há algo de errado com seu antigo amigo, popondo-se a ajudá-lo de alguma forma.

O que era apenas uma tentativa de ajudar um velho amigo torna-se uma obcessão para Alan, que aos poucos vai descobrindo, no convívio com seu atormentado amigo, que ele próprio também está em busca de ajuda.


Conforme vai descortinando a história de Charlie, Alan percebe que o mesmo precisa, mais do que atenção, de ajuda psiquiátrica que o ajude a superar seu trauma. É quando entra em cena a belíssima Dra. Angela Oakhurst (Liv Tyler), que possui um consultório médico no mesmo prédio de Alan, e que se dispõe a ajudá-lo em sua empreitada.

Trilha Sonora

A trilha sonora é uma parte importantíssima do longa. O próprio título do filme faz alusão à canção Love, Reign Over Me, da banda britânica The Who?, que no final do filme é interpretada de maneira espetacular pelo Pearl Jam, num cover gravado exclusivamente para o filme.


O filme conta também com outros clássicos como Out In The Street e Drive All Night de Bruce Springsteen, Simple Man de Graham Nash.

Conclusão

Conforme disse no começo, este filme está entre os meus preferidos de todos os tempos. Porém, eu não poderia deixar de fazer um comentário: Este pra mim é o ÚNICO filme em que Adam Sandler “atuou” de verdade. Como comediante eu sempre o achei muito sem graça e muito pouco versátil, já que seus personagens nos filmes de comédia são todos iguais (na minha opinião, obviamente). Reine Sobre Mim o fez revelar um talento para o drama que realmente me surpreendeu! Assim, recomendo esse filme a todos vocês que gostam de uma estória bonita, mas não muito melosa e, claro, regada a muito Rock n’ Roll!

Até a próxima, gente! E um FELIZ NATAL a todos!

1 comentários:

  1. não conhecia o filme, mas o achei interessante, delicado e bem realista, pois é baseado numa tragédia real e sempre em algum momento temos dificuldade nas carreiras
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.