Menu

22.1.16

Só por Hoje e Para Sempre - Renato Russo





Entre abril e maio de 1993, Renato Russo passou vinte e nove dias internado numa clínica de reabilitação para dependentes químicos no Rio de Janeiro. Durante esse período, o músico seguiu com total dedicação os Doze Passos, programa criado pelos fundadores dos Alcoólicos Anônimos, que incluía um diário e outros exercícios de escrita. É este material inédito que vem à tona depois de mais de vinte anos em Só por hoje e para sempre, graças ao desejo de Renato de ter sua obra publicada postumamente. Entremeando as memórias do líder da Legião Urbana com passagens de autoanálise e um olhar esperançoso para o futuro, este relato oferece a seus fãs, além de valioso documento histórico, um contato íntimo com o artista e um exemplo decisivo de superação.





Como qualquer fã das músicas da Legião Urbana, fiquei entusiasmada com  o lançamento de Só por hoje e para sempre - O diário do recomeço, um conjunto de manuscritos feitos por Renato Russo durante sua estadia na clínica de reabilitação Vila Serena. O nome do livro 

O livro inicia-se com uma pequena - mas marcante - declaração de Giuliano Manfedrini, filho de Renato Russo. Além de falar um pouco sobre a convivência com seu pai, Giuliano afirma que este volume é o primeiro de uma série de livros que reuniram diários, letras, obras de ficção, desenhos e poemas que Renato deixou de legado para seus fãs; espero ansiosamente pela concretização dessa promessa. 

"Desse periodo, guardo uma imagem forte: meu pai sentado à mesa, no sofá ou numa poltrona preenchendo cadernos e cadernos com sua letra miúda e metódica. Um dia, intrigado, perguntei:  "Pai, por que você escreve tanto?". "Porque nos próximos cinquenta anos, Giuliano, as pessoas poderão saber o que eu sinto e penso hoje", respondeu ele."

Ainda nas primeiras paginas, uma nota editorial explica de onde vem o livro: um conjunto de folhas soltas onde Renato escrevia como havia sido seu dia, os sentimentos que sentia, episódios marcantes de sua vida e outras pautas requeridas pelo Doze Passos, o programa criado pelos fundadores dos AA que Renato Russo fez ao passar um mês recluso na clinica de reabilitação Vila Serena. 

A organização do livro foi muito bem executada, mantendo abreviações, estrangeirismos, notas de rodapé e até mesmo desenhos do compositor (vide imagens!). A única ressalva que faço diz respeito à decisão de, para proteger a intimidade de parentes e amigos, trocar nomes por iniciais, o que atrapalhou bastante minha leitura; as letras se embaralham durante o livro e acabam dificultando o entendimento das relações que Renato mantinha (ex: quem é S. mesmo? Ele já apareceu no livro?). Creio que trocar os nomes por codinomes teria sido uma opção mais sensata.




Confesso que, mesmo sendo um livro pequeno,  este foi um dos livros que mais demorei a finalizar em 2015. Trata-se de um mergulho não apenas num dos momentos de recolhimento do compositor e cantor, mas um mergulho em toda sua vida. Relatando seus altos e baixos (muitos, muitos baixos), Renato explica como chegou ao vício, como percebeu que precisava sair dele e o que aconteceu entre um extremo e o outro. 



Além dos relatos do cantor sobre episódios inúmeros de sua vida, Renato também disserta bastante sobre sua personalidade, seus pensamentos sobre ele mesmo e sobre o mundo. Fui surpreendida pela personalidade forte que ele possuía: às vezes fascinante, às vezes intrigante... um cara bem difícil de entender, sem dúvidas. 

"Eu me adoro, eu não gosto é do mundo."

"Posso estar completamente equivocado, mas sinto que minha dependência sempre foi provocada por esse sentimento de ser genial, inteligente e gentil e nunca ter retorno."

Como afirma Giuliano em sua pequena contribuição ao livro, Só por hoje e para sempre serve de inspiração para aqueles que precisam de forças para vencer desafios pessoais; mas além disso, serve para nos lembrar de que nunca é tarde demais para recomeçar e que devemos nos manter firmes na caminhada, nem que seja só por hoje.



Editora: Companhia das Letras
Ano: 2015 
Páginas: 167
ISBN: 978-85-359-2609-5

21.1.16

Vai ver o filme do Esquadrão Suicida? Informe-se antes para não se perder!




"Super heróis não são a resposta para todos os problemas. Às vezes, situações extremas requerem atitudes extremas... Os pessoas extremas. O tipo de pessoas que chamam o infame Belle Reve Prision de casa - super vilões."




Animada pelo lançamento de Esquadrão Suicida, decidi estudar um pouquinho sobre ele para passar para vocês, assim não vamos aos cinemas desinformados, né?! Então segurem-se em suas cadeiras que o post é loooongo!

Esquadrão Suicida (no inglês Suicide Squad) possui o nome oficial de Força Tarefa X (Task Force X). Faz parte do Universo Alternativo da DC Comics e uma equipe de anti-heróis supervilões presos que foram reunidos pela diretora do exército Amanda “The Wall” Waller, com a intenção de enfrentar missões de alto risco para receber redução de pena.
O Esquadrão Suicida que está no filme que será lançado é a segunda equipe. A primeira esteve nos quadrinhos em 1940, fundada por Capt. Richard Rogers Flag Sr., Dr. Hugh Evans, Jess Bright e Karin Grace, em 1940 e apareceu pela primeira vez em The Brave and The Bold #25, no ano de 1959) que reunia criminosos comuns dispostos a lutar por seu país, a soldados durante a Segunda Guerra Mundial.

A segunda formação apareceu pela primeira vez no ano de 1986 em Legends #3 e, ao contrário de suas antigas formações, é composta pelos piores vilões da DC, sob o comando de Amanda Waller, Rick Flag e o veterano da Segunda Guerra Mundial, General Frank Rock.

A equipe é formada por (tcham tcham tcham!!!):


Christopher Weiss (Amarra): Também conhecido por Slipknot, não foi muito famoso na DC. Trabalhou em uma companhia química que desenvolvia produtos para criar cordas mais duráveis (tá, já vi da onde veio o nome Amarra...). Como ser cientista parece que não era suficiente, ele aprendeu a lutar com cordas, aceitou o trabalho de matar um herói e acabou sendo preso (alguma surpresa?).

Não possui nenhum super poder, mas é um assassino super treinado e especialista em cordas (as suas são quase impossíveis de serem partidas)

Será interpretado por Adam Beach.



George Harkness (Capitão Bumerangue/Boomerang): (me intrometendo de novo: antes de continuar lendo, já sabem qual é a arma de escolha dele?!) Sua história, em resumo: um homem que foi um menino muito pobre que tinha bumerangues desde criança e caçava muito bem com eles. Como não conseguiu se virar, usou essa arma australiana (que sabemos que não volta, né gente?) para o crime!


Ele enfrentou o Flash diversas vezes, sendo que possui alguma importância para este personagem. O destaque maior é quando ele se junta ao Esquadrão Suicida. Dono de uma personalidade nada agradável (desprezível, cruel, covarde, racista e aparentemente a lista continua), do tipo que sacrifica (ou mata mesmo, sei lá) pessoas da própria equipe só por curiosidade.

Seus poderes... Bem, sua habilidade excepcional com o Bumerangue né? (texto usado por mim como referência diz que é tipo... tão bom quanto o Arqueiro Verde com o arco, por exemplo) Produz bumerangues especiais, também como o Arqueiro Verde e suas flechas. Meu palpite é que precisavam de um australiano para compor a equipe, de modo que seja um membro de outro país, mas que ainda fale inglês (pra não serem chamados só de americanos, sabe?), aí pegaram o estereótipo australiano: um cara que usa bumerangue pra caçar cangurus! 

Será interpretado por Jai Courtney.

June Moone (Encantadora/Enchantress): Uma das personagens mais antigas e já apareceu em Supergirl, Lanterna Verde e outros. Ganhou destaque por ser uma das primeiras vilãs da Liga da Justiça Sombria (juro que tentei ler e entender o que é isso para explicar para vocês também, mas a coisa é muito louca e vou perder algum tempo, basta saberem que é uma liga formada pelos personagens mágicos da DC. Mas descobri que também vai virar filme, dirigido por Guillermo del Toro, o que é ótimo!!! Aí então depois eu faço um post sobre essa liga, se tiverem interesse!).

Obteve seus poderes após uma festa à fantasia através de um ser mágico chamado Dzamor, que lhe concede a capacidade de banir energias negativas, aparentemente. Mas como ela era amadora, seu feitiço dá errado e como consequência, ela cria uma segunda personalidade malvadona, sendo uma ameaça até mesmo para os integrantes do Esquadrão.

Bem, ela tem poderes “bonzinhos”, como teletransporte, cura, intangibilidade e muitas coisas coisas (de defesa e de ataque). Suspeita-se que no filme ela tenha poderes diferentes, já que sua aparência não é a mesma dos quadrinhos.

Será interpretada por Cara Delevigne.

Tatsu Yamashiro (Katana): Parece que ela tá com os vilões, já assumiu esse papel algumas vezes mas... Não é uma vilã. Sua história é de um triangulo amoroso (ela e dois irmãos). Ela se casa com um, o outro fica revoltado e vai pra Yakuza e luta com duas espadas, sendo que uma delas é mágica. Se sentindo o fodão, vai e mata o marido da Katana! Aí ela luta com ele, toma as espadas e foge (para as montanhas! –sqn.) e treina com um mestre samurai. Aí ela parte para os EUA para ser uma heroína. Alguém aí, tanto quanto eu quer ler um livro contanto essa história?!

Tá, voltemos.

Seus poderes não são super, mas ela é especialista em artes marciais, arte da espada tem habilidade tática e estratégica (que aprendeu com ninguém menos que Batman, by the way). A espada mágica recebeu o nome de Soultaker, que como o próprio nome diz, toma a alma de quem ela matou e a armazena na lâmina. Tem mais um efeito aí: essa alma pode ser trazida em rituais de reencarnação e ser escravo de quem empunha a espada. Hmmmm....

Será interpretada por Karen Fukuhara.

Rick Flag (sem apelidos dessa vez, huh!): é um nome que aparentemente é passado de pai para filho e neto, mas no filme será usado o Jr.. Trabalha para o governo norte-americano, é instável e não gosta da ideia de trabalhar com criminosos e tem rivalidade com outro membro do Esquadrão. Mesmo odiando a equipe, acaba criando uma lealdade à ela.

É um humano comum, com habilidades militares excelentes, treinado nas Forças Armadas, Táticas de Guerrilha, combate armado e não armado, especialista em Stealth e invasões, eficiente com armas explosivas e de fogo.

Será interpretado por Joel Kinnaman.


Harley Quinn (Arlequina): Vista muitas vezes como a namorada do Coringa, é tão insana quanto ele e talvez uma das preferidas de muitas pessoas. Foi uma estagiária (esses estagiários...) de psiquiatria do Asilo Arkham, tornou-se médica do psicótico mais doido do mundo, o Coringa. Encantada por ele e sua história, enamorou-se.

Perdeu sua licença médica após terem descoberto sua participação na fuga de seu “Pudinzinho” e se tornou vilã após ela mesma escapar do hospital depois de um terremoto.

Acredita-se que ela já era uma maníaca antes de se envolver com o Coringa, ele apenas foi a razão de ter se libertado. Senso assim, ela não tem nenhum superpoder. Apenas uma insanidade tresloucada, inteligência, lábia, força, agilidade, e uma imunidade a venenos que não sei da onde surgiu. Tem várias aparições em Batman, já foi citada em Arrow, e sabe-se que ela e Coringa tem uma filha, Lucy. Por saber que seu pai a mataria, Harley a esconde. Louca e mãe, é isso aí!

Será interpretada por Margot Robie.

Floyd Lawton (Pistoleiro/Deadshot): Aparentemente é um vilão bem conhecido da DC, apareceu pela primeira vez numa revita do Batman em 1950. É um assassino contratado para matar inimigos de supervilões (acho que quem contrata ele deve ser bem incapaz ou não quer sujar suas mãos, né), sendo que o seu alvo na maior parte das vezes é o Batman – mas é claro que ele não consegue né, afinal é o Batman! Nem o Coringa conseguiu!

Pelo jeito é um porra louca, que não se importa em morrer desde que seja de uma maneira muito foda (de novo, sou permitida para falar palavrões?). É um personagem importante, embora não seja o líder do grupo. Se gaba de nunca ter errado um tiro (mentira! Óia o Bátima vivo!) mas é o melhor atirador da DC. Nos quadrinhos tem um olho biônico, no filme não, só um visor em uma máscara. Possui uma mira extraordinária, ótimo em luta desarmada e tem habilidades com dezenas de armas diferentes.

Será interpretado por Will Smith.

Waylon Jones (Crocodilo/Killer Croc): (só eu me lembrei das Crocs…?) É vilão do Batman, não muito conhecido. No original, conta-se que ele nasceu com um problema genético que lhe deu o aspecto de um réptil. Foi criado por uma tia, sofreu abusos e desprezo por parte dela. Resolveu isso a matando e entrou para a vida dos crimes. Foi levando até que decidiu ser o líder dos vilões de Gotham. Coringa e Batman não deixaram, é claro. Sabe-se nos quadrinhos que ele não tem muita ligação com o Esquadrão Suicida, embora tenha feito parte de muitas outras equipes de vilões.

Como é de se esperar, seus poderes tem ligação com os répteis. Instinto e habilidades, é um exímio nadador, tem pele dura como a dos crocodilos, auto cura, imune a venenos, força superior aos humanos comuns, velocidade, reflexo e agilidade melhorados. BTW, também é bom de mira.

Será interpretado por Adewale Akinnuoye-Akibaje.


Chato Santana (El Diablo): (chato huh?) Personagem mais desconhecido e mais novo do Esquadrão, entrou no pós-reboot da DC.


Embora a DC tenha 3 El Diablos (again?), o que está no filme é o 3º, que ganha seus poderes depois de encontrar o primeiro Chato, El Diablo, Lazarus Lane em coma num hospital mas não sei como o a transferência de poderes acontece. Antes de entrar pra equipe, já era um gangster e foi preso por matar inocentes num incêndio.

Seu poder é criar e manipular o fogo. Isso e sua personalidade violenta, o tornam o verdadeiro capeta.

Será interpretado por Jay Hernandez.

Poster \o/





Então, agora estamos todos informados a respeito dos personagens, podemos assistir o filme sem ficar boiando no cinema, como pelo menos eu ia fazer!

Não sou expert em quadrinhos, nem conheço tudo... Sei que meu conhecimento nem chega perto ao dos viciados em Marvel e DC, então sempre gosto de pesquisar... Espero que tenha sido útil para vocês!













fonte/fonte/fonte






20.1.16

A Aposta - Vanessa Bosso

Autora : Vanessa Bosso

Editora: Novo Conceito

Páginas: 286

Uma viagem de formatura. Uma aposta perigosa. Lex, o galinha do colégio, terá apenas sete dias para derreter o congelado coração de Nina, a garota que odeia quem use cuecas. Nina enlouquece quando descobre sobre a grande aposta do ano. E agora ela quer sangue: o sangue de Lex. Em meio a chantagens, intrigas, vinganças, diálogos ácidos, aventuras, romance e momentos hilários, as páginas desse livro entrarão em combustão espontânea. Quem sairá vencedor? Façam suas apostas. O jogo de sedução está prestes a começar


O livro já começa com uma cena ardente,mas no sentido bem ruim da palavra viu,daquelas de deixar uma marca vermelha e ardida por horas na sua pele, e é isso que o Lex ganha logo nas primeiras páginas do livro pela menina novata do Prisma.Para entender melhor
 vamos voltar bem no início antes do tapinha?

Lex  e seus amigos adoram uma boa aposta,e acredite eles apostam por tudo e qualquer coisa, e numa dessas junto com seu melhor amigo Gancho eles apostaram  envolvendo a aluna nova,dai já dá pra ter uma ideia do ocorrido né?! Lex é o colírio do colégio e todas as garotas suspiram por ele..ops quase todas as garotas..
Nina é a aluna nova,determinada,explosiva e aparentemente fria ela não perdoa ninguém que usar uma cueca,junto com suas amigas Laís e Nathalia elas ela mostrará que ninguém se mete com elas sem sofrer as consequências. E não podemos esquecer de Barbara a patricinha malvada mais odiada do colégio Prisma.

Logo de cara Lex se dá mal em se meter numa aposta envolvendo Nina e vão parar os dois na sala do diretor o que não é muito bom pra eles e pro resto dos alunos pois a grande viagem tão aguardada por eles para comemorarem a formatura está ameaçada,depois de levarem uma super bronca e ficarem sob supervisão do diretor e dos professores. Chega a tão aguardada viagem a Ilha Inamorata uma semana de puro descanso ou é isso que todos pensam... E como sempre há várias apostas e mais uma vez envolvendo Nina e Lex e dessa vez criada por eles mesmo..Isso mesmo que vocês leram!! Se Lex conseguir seduzir Nina e faze-la se apaixonar por ele nessa viagem ela paga a ele uma quantia que ele tanto precisa e é aí que a aventura começa e claro que a Barbara Kibs vai tentar de tudo para sabotar essa aposta. Mas como tudo na vida vai uma hora volta né?!

Pra falar a verdade achei esse livro bem bobinho,e esperava bem mais,bem mais mesmo e por isso fiquei um pouco decepcionada com isso,é uma leitura suave e bem leve de leitura bem fluida mas tem algo na escrita dessa autora que não colou pra mim,e pra não diz que eu não gostei de nada gostei das amigas da Nina e do finalzinho quando elas dão o troco na Kibs mas é só!!! Bom..se não deu certo pra mim não significa que não vai dar pra vocês,leiam e me digam o que acharam  :)




Anne Viana

19.1.16

Lançamentos literários de janeiro - Companhia das Letras


Alguém aí já viu os lançamentos mara da Companhia das Letras? Eu estou simplesmente apaixonada e quero todos, como faz?


Coroa Cruel - Victoria Aveyard*



Duas mulheres - uma vermelha e uma prateada - contam sua história e revelam seus segredos. Em “Canção da rainha”, você terá acesso ao diário da nobre prateada Coriane Jacos, que se torna a primeira esposa do rei Tiberias VI e dá à luz o príncipe herdeiro, Cal - tudo isso enquanto luta para sobreviver em meio às intrigas da corte. Já em “Cicatrizes de aço”, você terá uma visão de dentro da Guarda Escarlate a partir da perspectiva de Diana Farley, uma das líderes da rebelião vermelha, que tenta expandir o movimento para Norta - e acaba encontrando Mare Barrow pelo caminho.

O livro traz, ainda, um mapa de Norta e um trecho exclusivo de Espada de vidro, o segundo volume da série A Rainha Vermelha.
*obrigada a quem me alertou sobre a autora de nome errado <o> fiz correndo antes de ir trabalhar e nem notei!

A Sereia - Kiera Cass



Uma menina misteriosa.
O garoto de seus sonhos.
A Água entre eles.

Anos atrás, Kahlen foi salva de um naufrágio pela própria Água. Para pagar sua dívida, a garota se tornou uma sereia e, durante cem anos, vai precisar usar sua voz para atrair pessoas até o mar e afogá-las. Kahlen está decidida a cumprir sua sentença à risca, até que ela conhece Akinli. Lindo, carinhoso e gentil, o garoto é tudo com que Kahlen sempre sonhou. Apesar de não poderem conversar — pois a voz da sereia é fatal —, logo surge uma conexão intensa entre os dois. É contra as regras se apaixonar por um humano, e se a Água descobrir, a sereia será obrigada a abandoná-lo para sempre. Mas pela primeira vez em muitos anos de obediência, Kahlen está determinada a seguir seu coração.









Uma história de solidão - John Boyne



Autor de O menino do pijama listrado, John Boyne aborda com muita delicadeza o tema dos abusos sexuais na Igreja católica.

Primogênito de um lar disfuncional na Irlanda, o inocente Odran Yates vai estudar em um colégio que prepara garotos para a vida eclesiástica. Ao relatar sua jornada, da ingenuidade dos primeiros anos de colégio à descoberta dos segredos mais bem guardados da Igreja, Odran descreve uma Irlanda cheia de contradições e ódio por trás de uma fachada de bons costumes.
Enquanto lida com as implicações de seu trabalho e o sofrimento das pessoas que ama, o padre Odran se convence de que era inocente demais para entender o que acontecia ao seu redor e tenta fazer um acerto de contas com a própria consciência.
Ao narrar a história desses dois personagens, John Boyne traça o panorama de uma sociedade sufocada pelos ditames do catolicismo e do regime doutrinário das escolas, desvelando com muita habilidade o segredo mais bem guardado da Igreja.



Relações Perigosas - Chordelos de Laclos


Durante alguns meses, um grupo peculiar da nobreza francesa troca cartas secretamente. No centro da intriga está o libertino visconde de Valmont, que tenta conquistar a presidenta de Tourvel, e a dissimulada marquesa de Merteuil, suposta confidente da jovem Cécile, a quem ela tenta convencer a se entregar a outro homem antes de se casar. 
Lançado com grande sucesso na época, As relações perigosas teve vinte edições esgotadas apenas no primeiro ano de sua publicação. O livro ficou ainda mais popular depois de várias adaptações para o cinema, protagonizadas por estrelas hollywoodianas como Jeanne Moreau, Glenn Close e John Malkovich. E também boa parte do sucesso do romance deve-se ao fato de a história explorar com muita inteligência os caminhos obscuros do desejo. Esta edição, com tradução de Dorothée de Bruchard, traz uma introdução da editora inglesa Helen Constantine.



Capitães da Areia - Jorge Amado


Desde o seu lançamento, em 1937, Capitães da Areia causou escândalo: inúmeros exemplares do livro foram queimados em praça pública, por determinação do Estado Novo. Ao longo de sete décadas a narrativa não perdeu viço nem atualidade, pelo contrário: a vida urbana dos meninos pobres e infratores ganhou contornos trágicos e urgentes.

Várias gerações de brasileiros sofreram o impacto e a sedução desses meninos que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. Verdadeiro romance de formação, o livro nos torna íntimos de suas pequenas criaturas, cada uma delas com suas carências e suas ambições: do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca. Com a força envolvente da sua prosa, Jorge Amado nos aproxima desses garotos e nos contagia com seu intenso desejo de liberdade.





Outro Cantos - Mária Valéria Rezende


Novo livro da vencedora do Prêmio Jabuti 2015 de melhor romance traz uma narrativa comovente sobre passado e futuro.

Numa travessia de ônibus pela noite, Maria, uma mulher que dedicou a vida à educação de base, entrelaça passado e presente para recompor uma longa jornada que nem mesmo a distância do tempo pode romper. Em uma escrita fluida, conhecemos personagens cativantes de diversos lugares do mundo e memórias que desfiam uma série de impossíveis amores, dos quais Maria guarda lembranças escondidas numa “caixinha dos patuás posta em sossego lá no fundo do baú”.
Com sutileza e domínio da narrativa, Maria Valéria Rezende vai compondo um retrato emocionante dessa mulher determinada, que sacrifica a própria vida em troca de algo maior. Outros cantos é um romance magistral, sobre as viagens movidas a sonhos.


18.1.16

A Magia do Sangue, livro 3, Nora Roberts



Sempre que uma série da Nora Roberts é anunciada por alguma editora meu coração dá pulos e mais pulos de alegria. Magia do Sague é o terceiro e ultimo volume da série Primos O'Dwyer publicada pela editora Arqueiro.

Não vou exagerar e dizer que são os melhores que já li. Já tive a oportunidade e o prazer de ler quase todos os livros da “Diva” Nora Roberts e sei que ela é capaz de escrever livros inesquecíveis.
Essa é uma série que encanta pela linda história de fundo, pelos sentimentos de amor, amizade e fé que permeiam essas páginas. Durante a leitura me peguei em vários momentos desejando fazer parte desse circulo, não somente pela magia abundante, como também pelos atos de generosidade e compaixão realizados a todo momento.

Branna O'Dwyer e Finbar Burke sempre foram apaixonados. Descobriram o amor juntos, mas eram jovens demais para enfrentar de frente as dificuldades que a vida e um  bruxo poderoso pôs em seus caminhos. Nos livros anteriores conhecemos um pouco da história e se torna previsível que seriam eles os personagens responsaveis por concluir essa história. Confesso que aguardei ansiosa por esse desenlace, principalmente porque adoro magia.

Eu gostei muito da forma que a autora escolheu para concluir a história. Claro que gostaria de um epilogo de umas  cinquenta páginas, seria maravilhoso saber que surpresas a vida reservou para esses amigos bruxos. Quem sabe um dia ela decide escrever um pequeno conto, da mesma forma que fez com a trilogia do coração.

Nem preciso recomendar, né?!

Vou deixar o links das resenhas dos livros anteriores, assim que ainda não leu, pode saber um pouco mais sobre os outros livros. . (É importante que os livros sejam lidos na ordem de publicação)


Sinopse

Há muitos anos, Branna O’Dwyer entregou seu amor a Finbar Burke. No entanto, o romance durou pouco. Uma maldição ligada ao sangue de suas famílias os proibiu de ficar juntos.

Branna tentou preencher esse vazio com amigos e familiares, mas sabe que, sem Fin, sua vida nunca estará completa. Ele, por sua vez, passou os últimos doze anos viajando pelo mundo, focado exclusivamente no trabalho.
Atormentados pela forte atração que nem a distância pôde aplacar, nenhum dos dois acha que um dia se entregará de novo ao amor.

Entretanto, em meio às sombras que ameaçam destruir tudo o que eles consideram mais precioso, esse relacionamento sem futuro pode ser também a última esperança que lhes resta.


17.1.16

Nós para sempre - Trilogia Forever, livro 3 - Sandy Lynn


Diante de desafios inesperados, o que será mais forte: o temperamento que os afasta ou o amor que os une?

Terceiro livro da Trilogia Forever já está sendo preparado,está vindo aí... Mas ainda não tem uma data certa. Aguentem mais um pouquinho!!!

Enquanto isso, confiram a sinopse!!!

Sinopse: Realizando um sonho que ambos acreditavam ser impossível, Ellery e Connor agora são três: chegou Julia, que nasceu para ser a grande alegria dos pais. Quando tudo corre bem para a nova família – Connor está prestes a ampliar a Black Enterprises e Ellery é convidada a expor na inauguração de uma galeria em Chicago –, duas bombas explodem na sua vida: Ashlyn acusa Connor no tribunal de tê-la torturado psicologicamente e arruinado sua sanidade, ameaçando destruir a reputação dele para sempre. Furiosa, Ellery resolve ter uma “conversinha” com Ashlyn – naturalmente, sem contar nada a Connor. E quando ela começa a receber torpedos indecentes de um homem misterioso, é a vez de Connor ficar uma fera e tentar resolver o assunto “à sua maneira” – e o resultado é a crise mais grave que o casamento dos dois já enfrentou...

A Trilogia Forever já vendeu mais de meio milhão de e-books. Confira as capas dos volumes anteriores da trilogia: Black para Sempre e Você para Sempre.


Por: