Menu

30.4.16

O QUE ESPERAR DE CAPITÃO AMÉRICA: GUERRA CIVIL


CAPITÃO AMÉRICA: GUERA CIVIL

Direção: Joe Russo, Anthony Russo
Elenco: Chris Evans, Robert Downey Jr., Scarlett Johanson, Martin Freeman, Anthony Mackie, Paul Rudd, Jeremy Renner, Elizabeth Olsen, Sebastian Stan, Daniel Brühl, Tom Holland, Chadwick Boseman, Paul Bettany, Frank Grillo, Emily Vancamp, Don Cheadle, Willian Hurt e Gen Farber. (Ufa!)


ATENÇÃO: SPOILERS FREE! A resenha de hoje é diferente, uma vez que eu ainda não assisti o filme. Minha intenção aqui é apenas trazer para vocês uma visão geral acerca do que trata a tal “Guerra Civil”, uma vez que este longa baseia-se numa saga inteira da Marvel, ou seja, muita informação. Podem ler sem medo que não tem spoilers!

Sinopse

Capitão América: Guerra Civil encontra Steve Rogers liderando o recém-formado time de Vingadores em seus esforços continuados para proteger a humanidade. Mas, depois que um novo incidente envolvendo os Vingadores resulta num dano colateral, a pressão política se levanta para instaurar um sistema de contagem liderado por um órgão governamental para supervisionar e dirigir a equipe.
O novo status que divide os Vingadores, resultando em dois campos: um liderado por Steve Rogers e seu desejo de que os Vingadores permaneçam livres para defender a humanidade sem a interferência do governo; o outro seguindo a surpreendente decisão de Tony Stark em apoio à supervisão e contagem do governo.

Resenha

Olá pessoal! Conforme eu disse mais acima, AINDA NÃO FUI ASSISTIR Capitão América: Guerra Civil. Porém, tendo acompanhado a saga Guerra Civil dos quadrinhos, que se deu entre os anos de 2006 e 2007, tenho muito material sobre o assunto. Decidi então disponibilizar um pouquinho da matéria nesta resenha para você que, como eu, não gosta de chegar no cinema totalmente por fora quando o assunto é HQ na telona. Espero que gostem!

Bom, pra começar, pelo que deu pra depreender dos trailers – aliás, parece que virou moda agora as produtoras liberarem quase todo o enredo nos trailers, de modo que, quando a gente vai ver o filme, parece que a gente tá vendo um trailer, só que mais longo – Capitão América: Guerra Civil tem muito pouco a ver com a saga dos quadrinhos. Vejamos o porquê.

O tema Guerra Civil nos quadrinhos não serve pra designar uma saga propriamente dita, mas uma série de eventos que se desenrolaram por nada menos que 9 publicações e envolveu praticamente TODOS os grupos e subgrupos de heróis e vilões da Marvel, dentre estes podemos citar os Vingadores, Os Novos Vingadores, os X-Men, O Quarteto Fantástico e por aí vai... Como vocês devem estar imaginando, a primeira dificuldade de se transportar essa treta para a telona é essa, pois cada uma dessas marcas, embora pertençam todas à Marvel Comics, têm seus direitos reservados à diferentes produtoras no mercado cinematográfico. Só pra citar um exemplo, para que o Homem Aranha participasse da festa (o cabeça de teia apareceu no último trailer com um maroto “oi pessoal!”, causando verdadeiro frisson entre os fãs) foi necessário um acordo muito bem amarrado entre a Marvel Studios e a Sony Pictures Entertainment, esta última detentora dos direitos sobre o Homem Aranha. Tal acordo inclui o amigo da vizinhança definitivamente no universo Marvel nos cinemas.  

QUAL A CAUSA DA GUERRA? Paralelo entre os quadrinhos e o filme


Na história original dos quadrinhos, depois de uma terrível explosão causada por um grupo de heróis denominados Novos Guerreiros, explosão esta que tirou a vida de centenas de civis (incluindo crianças de uma escola em Stamford), o governo norte americano levanta a questão da responsabilidade sobre os danos colaterais provocados pelos super humanos.

Surge então a ideia da Lei de registro de Super Humanos, que submeteria todos os super heróis ao controle estatal.

Surpreendentemente, Tony Stark (Homem de Ferro) posiciona-se à favor do plano governo, o que leva à insurgência e, posteriormente, fuga do Capitão América (Steve Rogers), que arregimenta outros personagens para lutarem ao seu lado contra à instauração da Lei de Registro. Em contrapartida, Tony Stark parte em busca de seu companheiro de esquadrão, prometendo ao governo americano não só trazê-lo de volta, mas obrigá-lo a concordar com a lei. The treta has been planted ou está plantada a Guerra Civil.

Já no filme, pelo que dá pra perceber dos trailers, o estopim da confusão toda nem é a Lei de Registro, mas sim a lealdade do Capitão América para com seu amigo Bucky Barnes. Quem assistiu ao Capitão Améria 2: O Soldado Invernal lembra-se que um assassino misterioso conhecido como Soldado Invernal é enviado pela H.Y.D.R.A para dar cabo do Capitão. No desenrolar da trama, Capitão América descobre que tal assassino é ninguém menos do que seu amigo de infância e companheiro de guerra Bucky Barnes, que sofreu uma lavagem cerebral e teve seu corpo modificado, transformando-se numa máquina de matar. No fim das contas o Capitão parece fazê-lo lembrar do passado.
Mas não interessa. Por mais que Bucky tenha se lembrado de quem é e não queira mais problemas, é fato que ele causou muito estrago e muitas mortes em sua caçada a Steve Rogers. Agora o governo americano o quer enjaulado e envia o Homem de Ferro para o serviço. Mas o Capitão está disposto a defender o amigo. Esse parece ser o argumento/estopim da Guerra Civil do filme, além, é claro, de todo o estrago causado pelos vingadores, primeiro contra Loki, depois contra Ultron.
Mas, não importa como a Guerra vai começar... O fato é que a briga vai ser boa, com direito à toda pirotecnia dos filmes da Marvel.

PERSONAGENS

Conforme eu disse mais cedo, a tal Guerra Civil envolveu um sem número de heróis e vilões do universo Marvel. Nem vou me atrever a enumerar todos aqui. Porém, neste lançamento, além dos heróis que a gente já anda vendo a algum tempo nas telonas, foram trazidos alguns personagens inéditos.

Em outras palavras, além dos já manjados Capitão América (Chris Evans), Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Viúva Negra (Scarlett Johansson), Hawkeye (Jeremy Renner), Homem Aranha (Tom Holland) e War Machine (Don Cheadle), teremos em Guerra Civil os não tão famosinhos Falcão (Anthony Mackie), Homem Formiga (Paul Rudd), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Bucky Barnes/Winter Soldier (Sebastian Stan), Visão (Paul Bettany), além dos INÉDITOS vilões Barão Zemo (Daniel Brühl) e Crossbones (Frank Grillo), além do herói Pantera Negra (Chadwick Boseman).

Dos inéditos, um personagem certamente recebeu maior destaque nos trailers: O Pantera Negra. Mas quem é ele?

Trata-se de T’Challa, príncipe do fictício país africano de Wakanda. Exímio artista marcial, o Pantera tem sua força e agilidade aumentadas quando veste o traje cerimonial da Pantera, que é feito de Vibranium, um material praticamente indestrutível proveniente de um meteorito que caiu em Wakanda (do qual também é feito o escudo do Capitão América) e cuja exploração por Ulysses Klaw (que mais tarde se transformaria no super vilão Garra Sônica) levou à morte de seu pai e rei de seu país.

Vale lembrar que o Pantera Negra deve ganhar seu filme solo em meados do ano que vem. Sou suspeito pra falar, porque acho ele um personagem sensacional!


Bem pessoal, acho que pra quem não assistiu o filme eu já falei até demais hahaha... Mas espero ter cumprido com o propósito de abrir mais uma janelinha em direção a esse universo dos super heróis, que é um tema que eu adoro... Quem aí já assistiu? O que acharam? Sem spoilers, hein?

Até que não existam cidadãos de primeira e segunda, classe de qualquer nação, até que a cor da pele de um homem seja menos significante do que a cor dos seus olhos, haverá guerra! (Bob Marley)


29.4.16

À Flor da Pele - Helena Hunting




Título: À Flor da Pele
Autora: Helena Hunting
Editora: Suma de Letras
Ano: 2015
Páginas: 336


Sinopse: Tudo na tímida Tenley Page intriga o tatuador Hayden Stryker de um modo que ninguém jamais conseguiu: do cabelo longo e esvoaçante com aroma de baunilha até a curva suave do quadril... E o interesse dele só aumenta quando ela pede que ele tatue um desenho incomum em suas costas. Com seu jeito durão, Hayden é tudo que Tenley nunca se atreveu a desejar. A química entre os dois é instantânea e desperta nela o desejo de explorar o corpo escultural que há por baixo de tantas tatuagens. Traumatizada por um passado trágico, Tenley vê em Hayden a chance de um recomeço. No entanto, o que ela não sabe é que ele também tem segredos que o impedem de manter um relacionamento por muito tempo.

Quando os dois mergulham em uma relação excitante e enfim passam a confiar um no outro, lembranças e problemas batem à porta — e talvez nem mesmo a paixão entre eles seja capaz de fazê-los superar seus traumas.


***

A dor emocional nos atravessa de uma maneira intensa, nos rasgando por dentro e nos deixando paralisados na vida. Essas são as piores.

“Todo mundo tem cicatrizes, Tenley. Com sorte, elas permanecem só do lado de fora.” Página 165

Tenley Page aparenta ser apenas uma garota tímida, quieta e inteligente, porém por trás dessa fachada, há muito mais que isso. Tudo o que ela quer é esquecer o passado sombrio e a única maneira que ela encontrou de fugir dele, nem que seja por um tempo, foi se mudando para Chicago, onde ela poderia se concentrar em seu mestrado na Universidade Northwestern. As coisas poderiam ter seguido seu curso, um dia de cada vez, mas o atraente dono do Inked Armon, um estúdio de tatuagem na frente do seu trabalho, acaba por chamar sua atenção. Dificilmente Hayden Stryker passaria despercebido por alguém. Além de lindo, Hayden tem o corpo coberto de tatuagens e dois piercings no canto esquerdo da boca. Um charme! Hayden é tudo o que ela quer e não pode ter.


Hayden fica imensamente intrigado pela bela garota de cabelos longos com aroma de baunilha que trabalha em frente o seu estúdio. Passar despercebida por ele torna-se impossível já que ela trabalha no sebo de sua tia Cassie. A aparente distância que Tenley coloca ao seu redor não faz com que Hayden se afaste e sim queira descobrir o que a deixa tão solitária. Os dois acabam se encontrando bastante. Quer dizer, Hayden acaba sempre passando na loja para vê-la...

Hayden também tem um passado sombrio. Alguns monstros que ele tenta esquecer e manter em baixo da cama. Seu tempo com Tenley só mostra o quanto ela também tenta esconder algo sobre si mesma. A partir daí, é inevitável que alguns fantasmas do passado não venham a assombrá-los.

“Algo nele também havia se quebrado, talvez não de forma como em mim, mas ele entendia a perda.”  Página 121

Esse livro é bem intenso. Essa intensidade lembra-me um outro livro lindo que li há um bom tempo. Toda a carga emocional contida nesse livro me deixou arrebatada. Com muito romance, cenas quentes e algumas revelações que nos deixam à flor da pele, esse livro é uma boa pedida para quem busca emoção e sentimento. No fim da leitura, fiquei com um gosto de quero mais na boca. O final me deixou transtornada.



Temos em À Flor da Pele, uma garota com bastante fragilidade emocional, o que a torna dependente de Hayden. Ele se torna o porto seguro ela poder escapar, nem que seja por alguns momentos, de um trauma terrível que lhe aconteceu. Ainda sim, sabemos que para se ter uma melhora em nosso ser, isso deve partir de nós e por nós mesmo.

Temos um pequeno conto de como Tenley e Hadey se conheceram, o Doce Tatuagem. O segundo livro, Marcados Para Sempre, já foi lançado recentemente pela Suma de Letras e estou ansiosa pela leitura. O que espero do segundo livro é uma evolução de Tenley.







28.4.16

Lançamento Ed. Valentina: Delícia Delícia


E a Editora Valentina não para de nos mandar novidades e nós amamos isso!
Com um romance tão fofo quanto um pão de ló, o livro de Donna Kauffman parece ser um atrativo para as moças e moços que gostam de experimentar criações na cozinha (não sei se já disse, mas uma época aí já fui fissurada em fazer cupcakes e em decorá-los, adorava!) e para aquelas e aqueles que gostam de romance. Ou para os que amam os dois, como eu!

Me interessei pelo livro por, além dos doces que amo muito, a mudança de vida que a protagonista realizou, trocando de emprego quando todos desejam a estabilidade, é um tópico muito importante para as pessoas de seus trinta anos pra frente. 


"Quando a extraordinária confeiteira Leilani Trusdale trocou a agitação de Nova York pela pacata e doce Ilha de Sugarberry, não esperava que seu passado a seguisse. Seu antigo chefe, Baxter Dunne ( também conhecido como “Chef Hot Cakes”) o homem que ensinou a ela que o creme compensa, reaparece desejando filmar seu famoso programa de culinária.O problema é que ele escolheu filmar na Cakes By The Cup, a minúscula e aconchegante confeitaria de Leilani. Com seu olhar de brigadeiro de colher e aquele irresistível sotaque britânico -- que faz a moça babar e seu rosto corar como calda de cereja --, ele fez as fofocas de cozinha rolarem soltas. Lani, lá no fundo, só deseja que algumas sejam deliciosamente verdadeiras...


Os amigos estão convencidos de que o ex-chefe é o ingrediente que falta para a definitiva receita de felicidade dela. Porém, Baxter terá que botar a mão na massa se quiser tirar do forno um grande, verdadeiro, quentinho e saboroso amor. 

No Clube do Cupcake, cozinhar é apenas um detalhe. 

Entre altos papos e doces lambidas, amizades crescem como pão quentinho e a vida vai ficando, hummmm, mais saborosa. 

Mas quando é preciso decidir entre a vida que você sempre sonhou e o amor da sua vida, só as melhores amigas, as melhores receitas e uma caixa cheia de Red Velvets podem ajudar. É hora de praticar boloterapia!!!"


Sobre a autora:

Autora best-seller do USA Today, Donna Kauffman foi finalista do prêmio RITA e já recebeu resenha de seus livros nas mais diversas revistas, como a Entertainment Weekly e a Cosmopolitan. Atualmente mora no adorável interior da Virgínia. Donna mantém sempre em estoque ovos, farinha, manteiga e tudo o mais relacionado com cupcakes para suas pesquisas na preparação desta série O Clube do Cupcake.

Se clicarem no gif do livro ali na nossa sidebar, será direcionad@ a um site de compra muito bom para adquirir o livro! Não perca essa chance!



27.4.16

Mr. Mercedes - Stephen King



 "Uma alucinante corrida contra o tempo, em que três heróis improváveis tentam impedir um assassino de acabar com milhares de vidas"


Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Ano: 2016
Sinopse: Ainda é madrugada e, em uma falida cidade do Meio-Oeste, centenas de pessoas fazem fila em uma feira de empregos, desesperadas para conseguir trabalho. De repente, um único carro surge, avançando para a multidão. Encoberto pela neblina até que seja tarde demais para escapar, um Mercedes atropela vários inocentes, antes de recuar e fazer outra investida. Oito pessoas são mortas e várias ficam feridas. O assassino escapa.
Meses depois, o detetive Bill Hodges ainda é atormentado pelo fracasso na resolução do caso e passa os dias em frente à TV, contemplando a ideia de se matar. Ao receber uma carta de alguém que se autodenomina Assassino do Mercedes, Hodges desperta da aposentadoria deprimida, decidido a encontrar o culpado.
Brady Hartsfield mora com a mãe alcoólatra na casa em que nasceu; ele adorou cada segundo da sensação da morte sob o volante do Mercedes, e quer mais. Agora apenas Hodges e seus excêntricos aliados podem capturá-lo antes que ele ataque de novo.
Mr. Mercedes narra uma guerra entre o bem e o mal, e o mergulho de Stephen King na mente obsessiva e psicótica desse assassino é tão arrepiante quanto inesquecível.

Resenha:

Mais um da série: "autores best-sellers nunca lidos por Amanda, mas que ela tem absoluta certeza de que iria gostar muito". Stephen King é um dos maiores autores do gênero de suspense, tem várias obras adaptadas para filmes e séries de TV e ainda assim eu não havia lido nenhum livro dele.
Fazia tempo que eu tinha esse interesse, mas sem saber por onde começar, visto que ele já lançou mais de 50 livros, alguns que inclusive receberam diversos prêmios. Quando fiquei sabendo do lançamento do Mr. Mercedes, já corri para garantir que eu pudesse ler e resenhar a mais nova obra do escritor.

Agora, o que posso dizer sobre o livro?
Mr. Mercedes é o primeiro livro de uma trilogia, intitulada “Trilogia Bill Hodges”, sugerindo que todas as histórias irão se pautar no detetive protagonista. O autor, conhecido por escrever livros de terror, se aventura em uma história policial, com muito suspense e várias viagens dentro da mente dos personagens.

Desde o começo do livro, o leitor já conhece a identidade, as características psicológicas, a história e o cotidiano do assassino que mexe com a cabeça do detetive aposentado, Bill Hodges. A história se desenrola para que ele consiga descobrir quem é esse assassino que o perturba, intercalando entre tudo o que eles estão pensando e o que esperam das atitudes do outro.

Tudo começa quando Brady Hartsfield, o Assassino do Mercedes, envia uma carta para um Bill Hodges deprimido e com pensamentos suicidas. (E que carta...).

“Ainda revivo os ruídos daquele dia, o som dos ossos sendo esmagados e a forma como o carro sacudiu nos amortecedores quando passou por cima dos corpos."

Claramente, Brady é um sujeito extremamente perturbado, que conta como se sentiu ao roubar o Mercedes da Sra. Olivia Trelawney para atropelar dezenas de pessoas em uma fila de emprego. Ele também relata não sentir necessidade de matar novamente (aham, tá ¬¬), e faz com que Bill se sinta o cara mais fracassado do mundo por ter se aposentado sem solucionar esse caso de seis meses atrás.

Quando decide investigar (por conta própria), Bill chega à irmã de Olivia, Janelle. Olivia havia cometido suicídio, pois se sentia culpada, já que todos acreditavam que ela havia esquecido o carro aberto e com a chave dentro, facilitando o trabalho do assassino. Janelle revela que Olivia também recebeu uma carta de Brady, bastante diferente da recebida por Bill, demonstrando arrependimento, tentando se fazer de vítima. Tudo leva a crer que os dois passaram a se comunicar (através do site de relacionamentos Under Debbie's Blue Umbrella) e que essas conversas serviram como gatilho para o suicídio de Olivia.




Hodges conta com a ajuda de seu vizinho Jerome, de 17 anos, com quem cultivou uma amizade desde que ele começou a cortar sua grama. Depois, Holly, prima de Olivia e Janelle, também passa a ajudá-los na investigação. Apesar de ser um tanto quanto excêntrica para uma mulher de sua idade, ela era muito inteligente e, como Jerome, entendia bastante sobre computadores.

A partir daí, segue uma busca desenfreada pelo assassino, que tem um relacionamento disfuncional com sua mãe, traumas de infância, e tem todos os motivos do mundo para apresentar comportamentos extremamente bizarros, que ele era capaz de disfarçar em seus dois empregos, consertando computadores e dirigindo um caminhão de sorvetes. Mas durante os diálogos de Brady com qualquer pessoa, o autor faz questão de revelar seus pensamentos, que normalmente destoam da forma como está agindo.

“Brady aceita que é doente mental, é claro que é, pessoas normais não jogam um carro em cima de uma multidão de gente nem pensam em matar o presidente dos Estados Unidos em um ataque suicida. Pessoas normais não matam o irmão mais novo. Homens normais não param na frente do quarto da mãe se perguntando se ela está nua.
Mas homens anormais não gostam que outras pessoas saibam que eles são anormais.”

Li algumas críticas negativas a respeito desse livro e do autor, pois seus leitores estão acostumados com histórias de terror e etc. Masssss... Eu adoro policiais, portanto sou suspeita ao dizer que adoreeei o livro, adorei a história, adorei a forma como o Sr. King representou a mente psicopata e pervertida do assassino, adorei a forma como ele escreve e estou ansiosa pelo segundo volume da trilogia, que já está quase chegando aqui no Brasil!! É um livro altamente recomendável, de acordo com os meus critérios... J Quem já leu?? Comentem aquiii! o/





25.4.16

Uma História Incomum Sobre Livros e Magia


"Tudo é mágico - disse. - O céu, as estrelas, o mundo inteiro. É um milagre, se a gente pensar bem."

Título Original: A Tale of Higly Unusual Magic
Autora: Lisa Papademetriou
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Sinopse: Duas meninas encontram um livro mágico e cada uma se vê envolvida numa história que parece ser contada sozinha. 
Kai chega ao Texas para visitar sua tia-avó Lavinia – uma senhora extravagante, durona e fã de hip-hop. Do outro lado do mundo, no Paquistão, Leila deseja ser tratada como uma princesa pela família de seu pai e viver fortes emoções. 
Elas só não fazem ideia de que seus mundos completamente diferentes estão prestes a se chocar graças a um enigmático livro em branco. 
Quando Kai escreve no livro, suas palavras magicamente aparecem no exemplar de Leila. As meninas então percebem que O cadáver excêntrico reage a cada frase acrescentada – não importa se foi inspirada pelo ataque de um chihuahua ou por um mal-entendido com uma cabra – com um trecho da história de amor vivida por Ralph Flabbergast e Edwina Pickle mais de cinquenta anos antes. 
Uma história incomum sobre livros e magia entrelaça essas três perspectivas – de Kai, Leila e Ralph – de uma forma divertida e emocionante. É uma narrativa mágica sobre o destino e os laços invisíveis que nos ligam uns aos outros.


"Ralph também acreditava em magia e ansiava por ela, embora sentisse medo. Era por isso que aprendera truques e nunca tirava o frasco do bolso - queria se aproximar o máximo possível da magia, mas sem tocá-la de fato."

Se me perguntarem: “Pri, qual foi o melhor livro que você leu esse ano, até agora?”

Eu responderia: “Uma história incomum sobre livros e magia”.

Por quê?

Sabe o que todo autor sente quando está preso a um livro? Aquela sensação gostosa de estar em uma realidade diferente ou na companhia de alguém que sabe mesmo contar uma história, de modo que seus olhos nem piscam enquanto você ouve e ainda diz: “Uau!”? É o que Lisa Papademetriou lhe oferece neste livro.

As personagens são apaixonantes, delicadas... Cuidadosamente pensadas para se parecer com qualquer um de nós, leitores. Primeiro somos apresentados a Lavínia – uma velha senhora, tia avó distante de Kai – e já digo: quando chegar aos meus 87 anos, quero ser como ela: calçando All Star, falando tudo o que me vier à mente sem me preocupar muito com o que os outros vão achar, com uma casa legal e que todos vão achar esquisita. É uma alma doce que tenta ao máximo fazer o bem sem olhar a quem. Realmente me vejo como ela nessa idade... Adoraria. Porém ainda me vejo como uma velha resmungona (admito que resmungo muito, infelizmente).

Kai é uma adolescente meio dramática que perdeu algo importante e se sente muito culpada por isso. Toca violino e é insegura quanto a se apresentar para as pessoas, embora aparentemente seja boa. Foi para a casa de Lavínia para passar um tempo longe da mãe e das coisas ruins que estavam acontecendo. No quarto que lhe é destinado, encontra-se um livro belo, de capa dura e escrita rebuscada, parecendo ter anos de existência. Ao abrí-lo, está apenas um nome escrito: Ralph Flabbergast.

Leila é uma jovem de ascendência paquistanesa que vive nos EUA. É a sombra de sua irmã mais nova que é brilhante, Nadia. No que sua irmã viaja para o Quênia como intercâmbio escolar, Leila vai para a casa dos tios como “consolação”. Ela não ia para o Paquistão desde que era criança e sua avó a via como uma princesa, então estar numa casa em que as pessoas, embora sejam educadas, não fazem muita questão de sua presença ou suas vontades, lhe incomodou bastante. É leitora viciada em uma série chamada “Irmãs Amada”, aparentemente histórias de suspense investigativo infanto-juvenil e a jovem compara tudo o que faz ao que as duas irmãs fariam. Como gosta de ler, a biblioteca da casa a deixou fascinada e ela também encontrou um livro belo, de capa dura e escrita rebuscada...

O Cadáver Excêntrico.

Quais as chances de duas jovens em lugares tão distantes do mundo, lerem o mesmo livro, em momentos especiais de suas vidas? Garanto que são muitas né? Mas e um livro que, quando você escreve... A história se molda para acoplar suas frases?  Um livro... Mágico?

Kai conhece Doodle, uma jovem lepidopterologista. Eu também não sabia o que era: uma estudiosa

em borboletas. Constroem uma amizade sólida na busca de um único tipo de borboleta, a mariposa celeste. Ela é azul e está sumida na sua cidade e quer encontrar uma para a feira de ciência do município.

Leila se vê numa estranha amizade com Samir, seu primo pouco tempo mais velho que ela e também um leitor assíduo que lhe ajuda a sair de problemas que acaba criando. Mamoo também é uma personalidade importante, de início uma pessoa estranha, mas você acaba se apegando a ele também.
Conforme as duas vão escrevendo pequenas frases no livro em branco, a história vai se desenrolando e mostrando uma ligação inimaginável, sem deixar o leitor saber se é verdade ou não.

A autora conversa com o leitor, contando pequenos segredos dos personagens, o que achei o máximo. Me senti falando com uma amiga enquanto juntas vemos um filme o qual a cada nova cena nos pega de surpresa. Senti amor e carinho em cada palavra escrita, tanto que no final eu abracei o livro como se ele fosse um amigo muito querido. E me foi, começando com um segredo que a autora nos conta em suas palavras iniciais.

"'Temos que fazer uma escolha todos os dias', sua mãe sempre dizia. 'Ser melhor ou ser pior. Qual é a sua?'"

O Cadáver Excêntrico é uma brincadeira: um jogador começa uma história em um papel, deixa apenas a última linha visível para o próximo jogador, que continua a história. Por isso que se diz que Leila e Kai escrevem e respondem uma à outra... Um jogo que teve origem com Ralph Flabbergast e Edwina Pickle, jovens que também possuem vez na história de Lisa.

A capa é uma obra de arte, mesclando as duas cidades nos desenhos e foi o que mais me atraiu. A borboleta azul me intimidou, mas só porque tenho fobia a borboletas. Para vocês verem, mesmo com todo o meu medo desse bichinho inocente, eu ainda abracei o livro!!! Quer recomendação maior?

Não percam a leitura desse livro, se tiverem a chance. Deixem-se levar pela magia que acontece com O Cadáver Excêntrico!



23.4.16

Lançamentos de Abril da Companhia das Letras!



Companhia das Letras e todos os Selos tem lançamentos incríveis este mês, ficou até difícil escolher por qual começar. Os que mais me interessei foram “A rebelde do deserto” (rebeldia e histórias no deserto, adoro!) e “A Estrada Jellicoe”, achei que a capa ficou muito atraente (sim, eu julgo o livro pela capa também u.u)
Mas vamos, vamos! Vou mostrar os lançamentos tops da Companhia das letras esse mês para vocês!

A rebelde do deserto 
vol. 1 
Alwyn Hamilton

Título Original: Rebel of the Sands
Lançamento: 20/04

O destino do deserto está nas mãos de Amani Al’Hiza — uma garota feita de fogo e pólvora, com o dedo sempre no gatilho.

O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher.
Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele.
 Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por lhe revelar o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.


Na estrada Jellicoe 
Melina Marchetta


Título Original: On the Jellicoe Road
Lançamento: 27/04

Uma história lírica e comovente, com personagens complexos e uma trama em que nada é o que parece.

 A pequena cidade de Jellicoe, na Austrália, vive uma guerra territorial travada entre três grupos: os estudantes do internato, os adolescentes da cidade e os alunos de uma escola militar que acampa na região uma vez por ano. Taylor é líder de um dos dormitórios do internato e foi escolhida para representar seus colegas nessa disputa.
Mas a garota não precisa apenas liderar negociações: ela vai ter que enfrentar seu passado misterioso e criar coragem para finalmente tentar compreender por que foi abandonada pela mãe na estrada Jellicoe quando era criança. Hannah, a única adulta em quem Taylor confia e que poderia ajudar, desaparece repentinamente — e a pista sobre seu paradeiro é um manuscrito que narra a história de cinco crianças que viveram em Jellicoe dezoito anos atrás… 


Maré congelada
A queda dos reinos, vol. 4 

Morgan Rhodes


Título Original: Frozen Tides
Lançamento: 28/04

Nos três reinos de Mítica, a magia estava esquecida desde tempos imemoriais. Depois de séculos de uma paz mantida a muito custo, certa agitação começa a emergir. Enquanto os governantes lutam cegamente pelo poder, seus súditos têm suas vidas brutalmente transformadas com a eclosão repentina da guerra. É assim que o destino de quatro jovens - três herdeiros e um rebelde - acabam interligados para sempre.
Cleo, Jonas, Lucia e Magnus vão ter de lutar, cada um à sua maneira, em um mundo revirado pela guerra, onde imperam traições inesperadas, assassinatos brutais, alianças secretas e paixões arrebatadoras.
Volume 1 – A queda dos reinos
Volume 2 – A primeira rebelde
Volume 3 – A ascensão das trevas





 
De volta ao jogo
RezendeEvil, vol. 2

RezendeEvil

Lançamento: 20/04

Rezendeevil mergulha em uma nova aventura para salvar o mundo virtual que criou no jogo Minecraft

Pedro Afonso, mais conhecido como RezendeEvil, tem um canal no YouTube onde divide com os amigos sua atividade favorita: criar histórias e mundos diferentes no universo de Minecraft.
Só que Pedro descobriu que o mundo que vê da tela do computador é muito mais real do que poderia imaginar! Depois de acordar um dia dentro do jogo e conhecer o próprio avatar, o Rezende virtual, ele agora mal pode esperar pela próxima aventura.
Desta vez, porém, ao se ver no mundo quadrado que adora, Pedro não reconhece muita coisa. Onde está? De quem é aquela mansão mal-assombrada que vê à distância? E onde estão seus amigos?
É hora de mergulhar em uma nova aventura para salvar o mundo que criou. Mais uma vez, Pedro e Rezende precisam se unir, pois um vilão de olhos brilhantes ameaça a vida de todos, e apenas o Herói Duplo poderá derrotá-lo.
Volume 1 – Dois mundos, um herói

O cisne e o chacal
Na companhia de assassinos, vol. 3

J . A. Redmerski

Lançamento: 22/04


No livro 3 da série Na companhia de assassinos, Fredrik irá descobrir que o amor é um jogo perverso

Fredrik Gustavsson nunca considerou a possibilidade de se apaixonar — certamente nenhuma mulher entenderia seu estilo de vida sombrio e sangrento. Até que encontra Seraphina, uma mulher tão perversa e sedenta de sangue quanto ele. Eles passam dois anos juntos, em uma relação obscura e cheia de luxúria.
Então Seraphina desaparece.
Seis anos depois, Fredrik ainda tenta descobrir onde está a mulher que virou seu mundo de cabeça para baixo. Quando está próximo de descobrir seu paradeiro, ele conhece Cassia, a única pessoa capaz de lhe dar a informação que tanto deseja. Mas Cassia está ferida após escapar de um incêndio, e não se lembra de nada.
Fredrik não tem escolha a não ser manter a mulher por perto, porém, depois de um ano convivendo com seu jeito delicado e piedoso, ele se descobre em uma batalha interna entre o que sente por Seraphina e o que sente por Cassia.
Porque ele sabe que, para manter o amor de uma, a outra deve morrer.
Volume 1 – A morte de Sarai
Volume 2 – O retorno de Izabel






Para poder viver:
A jornada de uma garota norte-coreana para a liberdade

Yeonmi Park e Maryanne Vollers



Título Original: In order to live: A north-korean girl's journey to freedom

Lançamento: 18/03


Yeonmi Park não sonhava com a liberdade quando fugiu da Coreia do Norte. Ela nem sequer conhecia o significado dessa palavra. Tudo o que sabia era que fugir era a única maneira de sobreviver. Se ela e sua família ficassem na terra natal, todos morreriam - de fome, adoentados ou mesmo executados.
Park cresceu achando normal que seus vizinhos desaparecessem de repente. Acostumou-se a ingerir plantas selvagens na falta de comida. Acreditava que o líder de seu país era capaz de ler seus pensamentos.
Aos treze anos, quando a fome e a prisão do pai tornaram a vida impossível, Yeonmi deixou a Coreia da Norte. Era o começo de um périplo que a levaria pelo submundo chinês de traficantes e contrabandistas de pessoas, a uma travessia pela China através do deserto de Gobi até a Mongólia, à entrada na Coreia do Sul e, enfim, à liberdade.
Neste livro, Yeonmi conta essa história impressionante pela primeira vez. Uma história repleta de coragem, dignidade - e até humor.
Para poder viver é um testamento da perseverança do espírito humano. Até que ponto estamos dispostos a sofrer em nome da liberdade? Poucas vezes a resposta foi dada de modo tão eloquente.



Foe

J. M. Coetzee


Lançamento: 08/04

Neste clássico da literatura contemporânea, publicado originalmente em 1986, o prêmio Nobel J.M. Coetzee reinventa a história de Robinson Crusoé.
No início do século XVIII, Susan Barton se vê à deriva após o navio em que viajava ser palco de um motim de marinheiros. Ao desembarcar em uma ilha deserta, encontra abrigo ao lado de seus únicos habitantes: um homem chamado Cruso e seu escravo Sexta-feira. Cruso é um sujeito irascível, preguiçoso e autoritário: perdeu interesse em fugir da ilha ou mesmo em rememorar os eventos que marcaram sua chegada àquele lugar. Sexta-feira, por sua vez, não pode falar: teve a língua cortada, não se sabe se por proprietários de escravos ou pelo próprio Cruso. Depois de um ano, eles são resgatados por um navio que rumava para a Inglaterra, mas apenas Susan e Sexta feira sobrevivem à viagem a Bristol. Determinada a contar sua história, ela busca um famoso escritor de seu tempo, Daniel Foe, na esperança de que ele escreva um livro sobre sua experiência na ilha. Mas com a morte de Cruso e a incapacidade de articulação de Sexta-feira, a tarefa se mostra mais difícil do que pensava. Vaidoso, Foe insiste em adaptar a narrativa a seus caprichos. Susan, por sua vez, tem de convencê-lo de que sua versão é melhor e luta para manter viva a memória de um passado do qual permanece como única testemunha - ou ao menos a única capaz de transformar aquela experiência em linguagem. Traiçoeiro, elegante e inesperadamente lírico, Foe é uma das obras de construção mais complexa na carreira de um mestre absoluto da literatura.



A vida invisível de Eurídice Gusmão

Martha Batalha


Lançamento: 20/04

Rio de Janeiro, anos 1940. Guida Gusmão desaparece da casa dos pais sem deixar notícias, enquanto sua irmã Eurídice se torna uma dona de casa exemplar.
Mas nenhuma das duas parece feliz em suas escolhas.
A trajetória das irmãs Gusmão em muito se assemelha com a de inúmeras mulheres nascidas no Rio de Janeiro no começo do século XX e criadas apenas para serem boas esposas. São as nossas mães, avós e bisavós, invisíveis em maior ou menor grau, que não puderam protagonizar a própria vida, mas que agora são as personagens principais do primeiro romance de Martha Batalha.
Enquanto acompanhamos as desventuras de Guida e Eurídice, somos apresentados a uma gama de figuras fascinantes: Zélia, a vizinha fofoqueira, e seu pai
Álvaro, às voltas com o mau-olhado de um poderoso feiticeiro; Filomena, ex-prostituta que cuida de crianças; Luiz, um dos primeiros milionários da República; e o solteirão Antônio, dono da papelaria da esquina e apaixonado por Eurídice.
Essas múltiplas narrativas envolvem o leitor desde a primeira página, com ritmo e estrutura sólidos. Capaz de falar de temas como violência, marginalização e injustiça com humor, perspicácia e ironia, Marta Batalha é acima de tudo uma excelente contadora de histórias. Uma promessa da nova literatura brasileira que tem como principal compromisso o prazer da leitura.



Voltar para casa

Toni Morrison


Título Original: Home
Lançamento: 29/04


“Vamos, meu irmão. Vamos voltar para casa.”

Frank Money volta da Guerra da Coreia com mais do que cicatrizes visíveis em seu corpo. Veterano como tantos outros, vive em profundo conflito com seus fantasmas, perturbado pela enorme culpa de ser um sobrevivente e pelas atrocidades que cometeu. Ao se deparar com um país racista e segregado, ele reluta em voltar à sua cidade natal na Geórgia, onde deixou dolorosas memórias de infância e a pessoa que lhe é mais querida, a irmã Ycidra.
Ci sobreviveu como pôde aos anos de ausência do irmão, numa sociedade machista e opressiva em que as mulheres não têm vez, são sistematicamente abandonadas pelos maridos e muitas vezes mutiladas sem piedade. Ainda que não seja um soldado, é com imperativos que a menina foi criada:
“Amarre o sapato, largue essa boneca de trapo e pegue a vassoura descruze as pernas vá tirar as ervas daninhas daquele jardim endireite as costas não me responda”. O ambiente nos Estados Unidos dos anos 1950 é tão hostil - que não se diferencia muito de um campo de batalha -, especialmente para uma mulher.
Nesse mundo desfigurado, ao se reencontrarem no caminho de volta para casa, os irmãos poderão enfim ressignificar seu passado e voltar a ver com esperança o futuro. Afinal, o que é o lar, senão o lugar onde estão os nossos afetos? É no retorno à casa e no amor fraterno que Frank poderá entender sua experiência traumática na guerra e reencontrar uma força que já não acreditava ter.
Uma das mais celebradas romancistas dos Estados Unidos, a Nobel de literatura Toni Morrison expande seu olhar sobre a história norte-americana do século XX com esta narrativa de violência, amor e redenção.





Todo seu

Crossfire, vol. 5

Sylvia Day


Título Original: One with you
Lançamento: 28/03

"Gideon Cross. A coisa mais fácil que já fiz foi me apaixonar por ele. Aconteceu instantaneamente, de forma completa e irrevogável.
Nosso casamento foi um sonho realizado. Mantê-lo é a maior batalha da minha vida. O amor transforma. Para nós, é um refúgio e também a pior tempestade.
Duas almas danificadas que se entrelaçaram. Nossos votos foram apenas o começo. Lutar por esse casamento pode nos libertar… ou nos separar de vez."
Sedutor e comovente, Todo seu é a quinta e última parte da saga Crossfire, uma história de amor que cativou milhões de leitores ao redor do mundo.
Volume 1 – Toda sua
Volume 2 – Profundamente sua
Volume 3 – Para sempre sua
Volume 4 – Somente sua




A caderneta vermelha

Antoine Laurain


Lançamento: 29/04

Neste romance encantador, as charmosas ruas de Paris são palco de duas vidas unidas pelo acaso – e por uma caderneta perdida

Caminhando pelas ruas de Paris em uma manhã tranquila, o livreiro Laurent Letellier encontra uma bolsa feminina abandonada. Não há nada em seu interior que indique a quem ela pertence – nenhum documento, endereço, celular ou informações de contato. A bolsa contém, no entanto, uma série de outros objetos. Entre eles, uma curiosa caderneta vermelha repleta de anotações, ideias e pensamentos que revelam a Laurent uma pessoa que ele certamente adoraria conhecer.

Decidido a encontrar a dona da bolsa, mas tendo à sua disposição pouquíssimas pistas que possam ajudá-lo, Laurent se vê diante de um dilema: como encontrar uma mulher, cujo nome ele desconhece, em uma cidade de milhões de habitantes?


Qual será a escolha de vocês, para começar?



22.4.16

Before - A História de Hardin Antes de Tessa (After #6) – Anna Todd




Before - A História de Hardin Antes de Tessa (After #6) – Anna Todd
Sinopse:

“Antes de Tessa, Hardin era um jovem rude e, às vezes, cruel. O que será que fez com que ele se tornasse esse bad boy tão revoltado? E o que se passava em sua cabeça naqueles primeiros momentos com Tessa, a menina irritantemente certinha de quem ele não conseguia ficar longe? Contado sob o ponto de vista de Hardin e de outros personagens da série, Before acompanha de perto esse complexo e cativante personagem, desde seus problemas de infância até sua turbulenta juventude. O livro traz também passagens inéditas do romance de Tessa e Hardin e revela, ao fim, o futuro desse casal intenso que conquistou o coração de leitores no mundo inteiro!”

Resenha

"Ele achava que antes estava bem.Estava se virando bem antes de cometer o lindo erro de permitir que ela se tornasse seu mundo."

Em principio Hardin quando pequeno, entre seus sonhos de ser policial ou professor.
Ele se julgava sem aptidões, mas já sabia que gostava de ler, isso se devia ao hábito de Vance sempre presenteá-lo.
Mostra a mudança brusca de comportamento de seus pais. Mas o que o marcou terrivelmente e por muito tempo, foi o que ele presenciou com o que aconteceu com sua mãe, sozinho com ela em casa, se sentindo impotente pra ajudar sua mãe. Seu pai havia desaparecido e ele não lamentou este último fato.
Não tinha mais emoção, tornou-se impiedoso e sem freios.

Tomou muitas decisões erradas e caminhos tortuosos que sua mãe no desespero o mandou para morar com o pai. Na faculdade encontrou outros, formou sua turma e aquele comportamento abominável voltou acompanhado pelo álcool. Continuou o mesmo Hardin de quando saiu de Londres: frio, destrutivo.
Hardin fez muitas maldades, e enquanto o anjo salvador não entrava em sua vida ele continuava.
 "Arrastei Tessa comigo pelo inferno, mas estamos aqui. Depois de tudo, criamos nossa própria versão do paraíso." 
Tessa era o anjo transformador, capaz de ultrapassar a tormenta, o ciclone de emoções e comportamentos negativos, que era a vida de Hardin.
Entre o antes Tessa e com Tessa, há textos dos personagens que povoam, dramatizam e dão vida a série.
É como ler “achatadamente” os livros anteriores. Na viagem literária, fatos não são contados e nos fazem recordar dos livros anteriores. Mas poderia deixar de ser: “mais um livro cativante, viciante e inesquecível”, como já disse na resenha que fiz de After – Depois da Promessa.
Mas... o último paragrafo deste livro fez meu coração disparar.
Parabéns a autora pela sensibilidade.




Sempre que termino algum livro da Série After, e lembro que tenho que esperar não sei quanto tempo pra sair a versão do Landon é assim que eu me sinto:






Título: Before - (After #6)
Autor (a): Anna Todd
Editora: Paralela
Número de Páginas: 304