Menu

7.5.16

A Profecia do Pássaro de Fogo - Livro 1



Título Original:The Girl at Midnight

Autora: Melissa Grey

Editora: Seguinte

Ano: 2016

Sinopse:

 No subterrâneo de lugares onde é muito difícil chegar, duas antigas raças travam uma guerra milenar: os Avicen, pessoas com penas no lugar de cabelos e pelos; e os Drakharin, que têm escamas sobre a pele. Ambas possuem magia correndo nas veias, o que os esconde de todos os humanos menos de uma adolescente chamada Echo. 

Echo conheceu os Avicen quando era criança, e desde então eles são sua única família. A pedido de sua tutora, a garota começa uma jornada em busca do pássaro de fogo, uma entidade mítica que, segundo uma velha profecia, é a única forma de acabar com a guerra de vez. Mas Echo precisa encontrar o pássaro antes dos Drakharin, ou então os Avicen podem desaparecer para sempre.


Echo recebeu uma grande missão,encontrar o Pássaro de Fogo,para o bem dos Avicens,a única coisa que chegou perto de uma família para ela,mas como em todo canto sempre tem aquelas pestes agourentas e nesse caso não poderia ser diferente,os arqui-inimigos de Echo: Ruby e Altain.

Com a ajuda de Ala sua tutora,Echo saí em busca do tão famoso Pássaro de Fogo,por ser uma missão secreta,dessa vez ela não poderá contar com seus amigos,Rowan que entrou para a guarda real dos Avicen e Ivy sua melhor amiga,para não coloca-los em perigo,mas uma tragédia acontece e Echo terá que mudar o curso de seus planos e no meio disso cruzando com Caius,Príncipe Dragão Drakharin,que também está a procura do Pássaro de Fogo,e que não está disposto a ceder e para sua infelicidade Echo também não está nem um pouquinho disposta a ceder e lutará com todas as suas forças para seguir em frente com sua missão. 

Mas nem tudo é como esperamos e Echo tem que tomar uma decisão que mudará tudo o que ela pensava...
E é aí que a aventura da nossa marrentinha começa,e uma grande reviravolta acontece que vai deixar o queixo de todo mundo caído.

Leitura leve,apesar de que tem algumas partes que o coração vai parar lá nos pés,super indico esse livro,adoroooo esse gênero e posso dizer que Melissa Grey não me decepcionou :) adorei todos os personagens,e não tem como não se apaixonar por alguns ^^. 
O Pássaro de Fogo é o 1 livro da autora e posso dizer que já me ganhou,mal posso esperar pelo próximo livro da serie previsto pra julho,e até lá ficarei sem unhas de tanta ansiedade aguardando esse lançamento.




 







4.5.16

Aventura na Flipoços 2016 #1





As aventuras na Flipoços 2016 parte 1!

Gente, feira do livro correndo a toda aqui na cidade!

Eu e a Amanda demos uma passadinha lá no dia 2 e já saímos com um monte de novidades e coisinhas lindas e não andamos nem a metade da feira ainda! Infelizmente não podemos participar desde o início por conta de outros compromissos e talz, mas assim que chegamos em Poços de Caldas corremos para lá!



Começamos com uma paradinha para um café gostoso. Claro, porque não havíamos comido e bebido demais no congresso em que estávamos no final de semana... Te contar viu!

Mas o pessoal da Café Caramello Campinas foi tão gente boa conosco e o cheiro do café estava tão dominante que não conseguimos resistir (culpa do meu marido viciado em café que parou por lá enquanto nos esperava resolver as coisas na área de imprensa do evento!) experimentar um pouquinho. E gente, é muito bom! Não deixem de conhecer e experimentar se tiverem a chance! Clique aqui para visitar a página deles!

Depois do café, começamos nosso tour pela feira. Já de cara vimos umas bolsas lindas do mundo literário e ficamos doidinhas! A loja é a Nerds!, daqui de Poços mesmo mas não conhecia ainda essa linha de bolsas, uma vez que a loja tem artigos completamente inéditos, especializada em camisetas de estampas muito legais. Sempre que vou lá também fico de olho nos jogos de tabuleiro, é muita coisa boa nessa loja. Se quiserem ver um pouco mais dos artigos que o Guilherme (o dono gente nice) entra lá na página da loja e pire com as nerdezas!



Aí é claro que não podia faltar passar em estandes de livros, né? Porque assim... Eu me sentia o tempo todo uma criança correndo para lá e para cá, sem saber onde ir primeiro! Era cada livro que parecia ser legal, cada capa linda – e a Amanda revoltada com a falta de sinopses na capa de trás dos livros!!! – que se comprássemos todos só nessa visitinha teríamos ficado pobres. Nesse primeiro corredor que visitamos existiam as bancas de livros infantis – abarrotadas de crianças, já que fomos no período da tarde e o estado realizou parceria entre a feira e as escolas (acredito que todos os estudantes ganharam vale-livros para usarem na feira, o que achei muito legal) e alguns estandes com livros por R$10,00! Foi ali que decidi gastar meu rico dinheirinho, para começar.



Haviam também alguns autores independentes muito gente boa que conversaram conosco. Também gosto muito desse espaço da feira, onde aqueles autores que estão divulgando a própria obra, seu sonho tão arduamente alcançado, podem conversar com as pessoas sobre suas obras. Até esqueci de pegar os livros que havia separado em um estande porque saí as pressas para conversar com uma das autoras! Sim, porque tenho memória de peixinho dourado e atenção de... Sei lá, borboleta num jardim?

À noite fomos na palestra máster do Prof. Dr. Mário Sérgio Cortella. E que pessoa mais agradável de se ouvir num finzinho de noite legal – Professor, adorei o seu sotaque! Nem precisava do seu professor de matemática lhe salvar na escola!

O tema era seu novo livro, A Era da Curadoria. Mas o jeito com o qual ele guia sua fala transpassa o livro e nos leva a campos de sua própria experiência à Grécia Antiga e seus filósofos... E não é chato! Ele iniciou com uma pequena homenagem a Paulo Freire, o patrono da Educação Brasileira (sabiam disso? Eu não!), pois o mesmo faleceu num dia 2 de maio. Pouco depois, uma frase citada por ele de Darci Ribeiro (um cara com alguns doutorados legais e antigo senador) fez o teatro da Urca (lotado, de cima abaixo e com cadeiras extras) parar para refletir um bocado:

“Fracassei em tudo o que tentei. Meus fracassos são minhas vitórias. Detestaria estar no lugar de quem me venceu.” – Darci Ribeiro

Explicou porque seu livro é da curadoria: para além daqueles que cuidam dos museus, cur quer dizer cuidar. Você cuida de tudo o que se propõe a ser, a fazer, do outro, de si. Falou que a curiosidade também vem da palavra cur, uma vez que se refere a cuidar da capacidade de aprender.

Ele fez uma crítica aos modos de ensinos das escola, a famosa educação bancária que não ensina o aluno de fato. Não observa suas particularidades, apenas ensina como aprendeu a fazer... E muitas vezes não sabe explicar para o aluno a razão de saber em que lugar o carro A a tal velocidade encontrará o carro B a tal velocidade. Apenas responde: um dia você vai saber. E ainda ensinaram as crianças a odiarem os livros, obrigando-as a partir do abstrato para o concreto. Pela obrigação a ler, tal hábito acaba se tornando chato. E as gerações de hoje estão quebrando essa corrente, pois nunca antes os jovens se interessaram tanto por leitura. Aquele que começa com um livro de vampiros pode acabar se tornando um grande filósofo um dia, se o deixarmos se importar com isso.

A desigualdade social também esteve presente, em crítica ao nosso sistema bancário de educação. Você não pode querer que a criança aprenda a escrever encontro consonantal mostrando para ela uma lhama, se ela não mora onde pode ver uma lhama. Antigamente, se uma criança após anos repetindo o mesmo ensino não o aprende, ele não será dado à intelectualidade, às faculdades... E acaba desistindo do estudo, por desestímulo da escola, dos pais, de ver que aquilo não o levara a lugar algum e se contentará a exercer algo menor... Enquanto o estimulado e ensinado de maneira correta poderá ter uma vida melhor que a do primeiro.

Foi muita coisa boa que ele disse para nos fazer pensar... Estamos na era da comunicação, mas raramente nos comunicamos devidamente. Hoje as redes sociais e aplicativos dominam nossos dias, de modo que estamos em grupo... Silenciosos entre nós, mas conversando amigavelmente através de um aplicativo. Até voltamos a usar hieróglifos! :D


A palestra me deu muita coisa para pensar, recomendo demais verem tudo o que puderem do Cortella, não vão se arrepender! Levarei para minha vida o que ouvi dele.





Pois é galeraa.... O que dizer sobre esse evento que eu tanto amo?? Tantos anos acompanhando, que me sinto honrada por fazer essa cobertura e divulgar o evento mais lindo que acontece na cidade mais linda desse Brasil!! 

Em primeiro lugar, gostaria de parabenizar a organização da GSC Eventos, que mais uma vez faz um espetáculo à parte... Já que quase ninguém imagina como deve ser organizar um evento desse porte e fazer dar certo tudo, sem atrasos e sem erros. Parabéns aos organizadores!!! 

Em segundo lugar... Geeeenteeee... Em um dia não dá pra ver nem metadeee do que tem na feira!! E ainda assim, voltei para casa com 4 livros em preços ótimos!!! Muita coisa boa a 10 ou 20 reais... E ainda nem cheguei nos que mais me interessam *.* (todo ano falo que vou guardar dinheiro pra feira, mas isso nunca acontece e eu deixo meu salário do mês por lá...)

Infelizmente, não conseguimos ir todos os dias e acompanhar todas as palestras e bate-papos maravilhosos que estão rolando por lá (porque trabalhamos e temos uma vida fora do mundo dos livros - infelizmente), mas prometemos colocar o mááááximo de informações possíveis sobre o que estamos vendo esse ano...

Sobre o Café Caramello Campinas, suuuuper recomendo!! É um creminho gostoso que você mistura no leite e *.* (não tenho palavras, é muito saboroso!) E tem vários sabores disponíveis, além do tradicional, como rum, amarula, morango, menta e baunilha!! Com opções de tomar quentinho ou gelado!! Muito delícia!! 

Obrigada à loja NERDS pela minha bolsa linda do Peter Pan *.* "Never grow up!"



E os autores independentes que conhecemos são todos sensacionais, simpáticos, fofos, e eu estou ansiosa para ler todos os livros deles e resenhar aqui para vocês!! Livia Fiedler, com o livro A Guardiã do Fogo... Lucas Alvim, com o livro Contorcionismos... E Norbert Heinz, que trouxe vários livros lindos para apresentar aos leitores...









Além disso, também conhecemos a fofa da Marília Rossi, que é daqui da cidade mesmo, e faz um trabalho super legal no formato de Zines!! Além de ter produzido o dela (que também está à venda na feira), ela iria fazer uma oficina para ensinar como fazer um zine!! Achei a ideia fantástica, mas infelizmente eu estava trabalhando no horário da oficina e não pude comparecer... Tenho certeza que foi linda!! *.*











Agora vamos aos livros... Por favor, alguém me explica o motivo, causa, razão de não se usar mais colocar a sinopse atrás do livro???? Por que as editoras fazem isso gente??? Não faz sentido eu ter que abrir o livro para ler a sinopse!!! Ae eles colocam um pedaço de um capítulo (que pode conter spoilers) que não nos faz entender nada sobre a história, ou então opiniões de pessoas importantes (ou desconhecidos) achando que só isso vai me fazer comprar o livro... NÃO VAI!!! Editoras, duas coisas me fazem ter interesse por um livro... Em primeiro lugar a capa... (Sim, eu julgo o livro pela capa, acho que tem que ter capa bonita e atraente sim... Trabalho das editoras uai!) Em segundo lugar... A SINOPSE!!!! Genteee, como vou comprar um livro sem saber do que se trata?? Eu tenho meus gêneros de preferência e não é qualquer coisa que me agrada... Quero saber sim que tipo de história me aguarda!! Massss, para isso, agora tenho que abrir o livro e ler a sinopse na orelha!! Não faz sentidoooo!!! #revoltada #desabafo #jápassou

Quanto ao Cortella, lindo, divo, fofo, mestre... Sem palavras!! Não consigo descrever o que sinto ao ver suas palestras... Fico imaginando como seria ser aluna dele na escola, quando adolescente... O quanto eu teria me encantado pelas aulas e pelas suas ideias... Acho esse cara fantástico!! E por favor, se você não o conhece, assista a pelo menos UMA de suas palestras no Youtube e me diga o que achou... Garanto que você não vai querer piscar ;) Enfimm... Esse foi um dos livros que comprei nesse dia... "A Era da Curadoria - O que importa é saber o que importa!" Mais um autógrafo para unir aos outros dois livros autografados por ele em 2014... Em cada livro, Cortella autografa com apenas uma palavra... Uma palavra específica que define toda aquela obra em sua concepção... Esses são os que tenho aqui... (Tenho mais um, mas é em parceria com o Clovis de Barros Filho, que veio ano passado, então o autógrafo do livro é dele...) São todos livros curtinhos e com preço razoável, que devem ser lidos e relidos eternamente, pois estamos em constante aprendizado...


Cortella e eu (magrinha) em 2014... Admiração!!


 Resumindo tudoo... Feira linda, livros lindos, Cortella lindo... Demos um marcador de livro do blog para o Cortella e ele até tirou foto com ele!! *.* É muito fofo, não é?? Seguimos aprendendo todos os dias que "O que importa é saber o que importa!" 










2.5.16

Espada de Vidro



Título Original: Glass Sword
Série: A Rainha Vermelha, vol. 2
Autora: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Ano: 2016
Sinopse: Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar.
O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.
Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.



 “Encolho o corpo e sangro sozinha, por dentro, onde ninguém pode ver.”

Mare Barrow apresenta uma mudança incrível neste livro, que começa exatamente onde o A Rainha Vermelha terminou. O tempo todo em que lia, consegui sentir a angústia na qual nossa protagonista vermelha colocou a si mesma.

Digo colocou a si mesma por uma simples razão: ela escolheu roubar Cal naquela noite e esse gesto
mudou toda sua vida. Os acontecimentos em Espada de Vidro nos traz as consequências das atitudes tomadas por Mare: o resultado de confiar no príncipe Maven, o resultado de abraçar a solidão como caminho, o resultado de juntar-se a Guarda Escarlate, o resultado de escolher salvar ou sacrificar.

Após ser resgatada junto de outros vermelhos e Cal, ela se vê em uma ilha comandada por um comandante linha dura, que te faz desgostar dele logo nos primeiros instantes. Ele não confia na sanguenova e deixa isso bem claro, colocando aquele que representa tudo o Mare foi, contra ela.

Nesta ilha, vemos um pouco mais do trabalho da Guarda, rostos que já nos são familiares e outros completamente novos. Descobrimos um aliado inesperado auxiliando os vermelhos, as pessoas de uma região que vemos muito no Coroa Cruel (então quem leu, sabe de onde estou falando!).

“O vermelho escorre sobre o prateado, e ambos se misturam numa cor mais escura.”

Determinada a encontrar todos aqueles que são como ela e Shade, Mare e seu pequeno grupo aliado partem em uma missão suicida. Mais uma vez, suas escolhas a fazem se quebrar mais um pouco ao deixar para trás aqueles que acredita amar.

Ela sabe que Maven, agora o rei de Norta, sabe de seu objetivo e também possui o importante artefato que ela tem em mãos. A cada sanguenovo resgatado ou visitado, ela sente sobre suas costas o olhar de seu antigo confidente e amor.


E ela se tortura com o sangue que é derramado por sua causa, guardando para si toda a dor que sente. Escolhe a solidão, o frio, o medo... E sabemos no que tais coisas pode transformar uma pessoa. A cada novo passo que a jovem sanguenovo dá, mais ela é abraçada pela escuridão que assoma seu coração. A assistimos afastar todos aqueles que a amam, acredita que todos podem lhe trair. Sente-se traída e que traiu mais vezes do que pode contar. O medo é recorrente neste segundo volume d’A Rainha Vermelha, é o que rege a história. Medo de falhar, medo de conseguir, medo de perder a fé.

“Quero tanto parar. Quero tanto ficar quieta, sem me matar nem matar ninguém. Mas é impossível. Preciso seguir em frente. Preciso me machucar para me salvar, preciso machucar os outros para salvar outros.”

Em sua busca, Mare e Cal (o príncipe caído que não sabe mais onde é seu lugar) encontram pessoas com poderes ainda mais fortes que muitos dos prateados. Porém, não possuem treinamento nenhum, muitos deles sequer controlam. E nessa parte senti meio que estava vendo diante de mim o professor Xavier e sua escola para crianças especiais (não me batam!!!), uma vez que ela e Cal os ajudam a treinar seus poderes e Farley auxilia-os nas artes da guerra e da luta. Assistem a evolução de cada um, formando um pequeno exército. Mas Mare sabe que estão despreparados para sua guerra e, ainda assim, escolhe aqueles que lhe auxiliarão em sua busca maior.

É desesperador, desesperançoso, angustiante e frenético. Tudo acontece muito rápido, sem tempo nenhum de descanço, uma vez que quanto mais Mare demora a resgatar as pessoas, mais pessoas morrem.

Assistí-la pouco a pouco transformar-se em um monstro, escolher isso para si, é terrível. Você percebe os erros e o caminho para o qual ela está seguindo e não sabe como reagir. É realmente envolvente a escrita da autora, a ponto de você sofrer junto com quem está ao lado da jovem e tenta resgatá-la da cela de diamante na qual ela encerrou seu coração. Não há mais salvação.

Estou ansiosa para ler o próximo volume, já sabendo que deve me fazer sofrer mais ainda! Mas ainda quero ver o Maven levando um soco na fuça, a se quero...!



1.5.16

Lançamento: As Improváveis Aventuras de Mabel Jones


Aí vocês me perguntam: Pri, vocês não indicam leituras infantis?
E eu respondo: Indicamos siiiim <3

A Companhia das Letrinhas (o selo infantil da Companhia das Letras) tem uma novidade este mês:


As Improváveis Aventuras de Mabel Jones - Will Mabbitt

Leia se tiver coragem!

Sequestrada, Mabel Jones é forçada a servir a tripulação mais estranha já vista, a bordo do navio Verme Selvagem. Idryss Ebenezer Split é um lobo odioso e capitão do navio, e não vai deixá-la em paz até que ela ajude os piratas na busca por um tesouro. Em sua viagem, Mabel passa pelo Pau de Sebo da Morte Certeira, pela barriga de uma baleia e por uma cripta subterrânea caindo aos pedaços. E ela faz tudo isso… de pijama!

É muito legal ver uma menina como protagonista de um livro de ação infantil, uma jovem marrenta entre piratas! É um livro ilustrado, o primeiro de uma série escrita por Will Mabbit e ilustrado por Ross Collins.

Indicado para crianças de 9 a 13 anos - e adultinhos com gostinho por literatura infantil também, ora bolas!