Menu

30.6.16

{Lançamento} Editora Alfaguara em Junho!





Valeria Luiselli

Lançamento: 21/06

Uma narrativa engraçada e comovente sobre como as histórias que inventamos moldam a nossa vida e nossa identidade.

Gustavo Sánchez Sánchez, mais conhecido como “Estrada”, tem uma missão: quer trocar todos os seus dentes. Ele possui algumas habilidades que podem ajudar nessa empreitada, como imitar Janis Joplin e decifrar biscoitos da sorte chineses. Além disso, ele é o melhor leiloeiro do mundo — mesmo que ninguém saiba disso, já que ele é muito discreto. Enquanto estuda o ofício com o grande mestre Oklahoma, Estrada viaja o mundo aperfeiçoando seu talento e nos mostra como o valor da arte e a nossa própria identidade podem ser construídos.

Escrito com maestria e inventividade, A história dos meus dentes é um rompante espirituoso e elegante sobre nossa relação com o mundo dos objetos e suas histórias.



Sinceramente, a sinopse me pareceu vir de um livro hilário! Fiquei com muita vontade de conhecer o Sr. Sánchez Sánchez na busca de sua nova dentadura enquanto viaja por todo o mundo. Deve conhecer figuras ainda melhores que ele!



29.6.16

O Herdeiro Guerreiro - As Crônicas do Herdeiro #1

o herdeiro guerreiro


o herdeiro guerreiroTítulo Original: The Warrior Heir
Série: As Crônicas do Herdeiro
Autora: Cinda Chima Williams
Editora: Farol Literário
Ano: 2008
Sinopse: Jack tinha 16 anos e, a não ser pela cicatriz no peito e o remédio que tomava todos os dias, era um garoto normal. Até que se esquece de tomar o remédio e logo descobre a verdade: Jack é um dos últimos guerreiros Weirlind, uma sociedade secreta que está em guerra pelo poder, e terá de lutar para se defender de seu destino.
Jack segurou com cuidado o punho da espada e a desembainhou, notando que o punho cabia em sua mão sem escorregar. A espada criou uma luz própria ao emergir, uma chama prateada que correu ao longo da lâmina. Tinha dois gumes, e o metal parecia ondulado de um jeito que indicava que havia sido dobrado e redobrado em reforço. Como Jack sabia disso, ele mesmo não saberia dizer. Após um século enterrada, não tinha nenhum traço de ferrugem. Parecia pronta pra ser usada. Will e Fitch, atraídos pela luz, olharam por cima do ombro de Jack.
- Sinistro - murmurou Fitch.
- Não - disse Jack. - Não tem nada de sinistro.
Jack ergueu a arma em frente ao corpo com as duas mãos e soube que ela pertencia a ele, embora houvesse sido forjada muito antes de ele ter nascido. Era mais leve do que imaginara, mais leve do que seria de esperar, considerando-se o tamanho dela.
- Sombra Assassina - sussurrou Jack, como se a arma falasse com ele.
E o poder na lâmina correu-lhe para as mãos e subiu-lhe pelos braços como se, de alguma maneira, a espada o estivesse segurando.




Primeiro livro das Crônicas do Herdeiro, O Herdeiro Guerreiro nos apresenta ao mundo criado por Cinda Chima Williams: um mundo onde existem magos, feiticeiros, guerreiros... Misturado ao mundo tal qual o conhecemos. Isso quer dizer que Jack Swift é um jovem adolescente de 16 anos que está no ensino médio, que tem problemas com os populares da escola e só quer entrar para o time de futebol (e não é o americano, é o que eles chamam de soccer!). Sua mãe, Becka, é uma advogada brilhante e protege o filho com unhas e dentes, tentando também deixá-lo responsável por cuidar de si mesmo.

O livro começa com uma história há mais de cem anos atrás, através da perspectiva de Lee e sua família. Eu fiquei meio confusa com o prólogo porque lembree que o nome do protagonista não era Lee... Mas aí veio o primeiro capítulo e entendi o que estava acontecendo, então tuuuudo bem!

“(...) Magia não é uma ferramenta para ser usada de maneira imprudente ou insensata. Precisa ser domada por um intelecto forte o bastante para mantê-la sobre o controle.”

Descobrimos com Jack (o livro é em terceira pessoa, mas te engana com uma primeira pessoa na visão de Jack) sobre os Weir: são aqueles que possuem dons, divididos em castas: guerreiros, magos, encantadores, feiticeiros e adivinhos; porém a supremacia é dos magos. São eles quem mandam nos outros, que são considerados inferiores. Há uma guerra entre duas casas: Rosas Vermelhas e Rosas Brancas (York e Lancaster, a Guerra das Rosas aconteceu de verdade na história da Inglaterra) mas, para sangue mago não ser desperdiçado, apenas os guerreiros, que são a classe mais inferior, lutam no que chama de Jogo.

“-Claro, está ótimo. – disse ele, o sabor do remédio prolongando-se na parte de trás da língua. Tinha um gosto de velhas tristezas, velhos arrependimentos. Esfregou os olhos com os dedos, assaltado por uma misteriosa sensação de perda.”

Jack nasceu com uma doença grave e a única coisa que mostrava isso era a cicatriz em fora de estrela. Cresceu sem saber nada sobre o mundo mágico, até que, após um acidente durante um jogo de futebol, ele lança longe um parceiro do time. A única coisa anormal (além disso) em seu dia, foi a ausência de sua medicação, a qual ele esqueceu de tomar pela primeira vez em sua vida. E sentiu-se bem, como nunca antes havia se sentido.

Depois disso, sua tia Linda fica mais próxima, investigando o que estava acontecendo com o sobrinho. Ela é quem lhe explica o que está acontecendo e que ele é um guerreiro. Isso causa um impacto enorme em sua vida, pois ser guerreiro não é um bom sinal.

(...)“O mundo vai tentar transformar você em outra pessoa. Não deixe. É o melhor conselho que qualquer um pode dar à você.”

Guerreiros são caçados pelas casas para lutarem em seu Jogo: depois de tantos anos sendo mortos nessa disputa, existem poucos deles no mundo ainda vivos e são caçados como espécie rara. Preocupada com a segurança do sobrinho, ela pede para Leander Hastings treiná-lo nas artes do guerreiro. Ela confia nele para isso, já que o mago não concorda com o atual sistema que ordena o mundo Weirlind.

Em meio à tudo isso, Jack ainda acha tempo para se apaixonar por Ellen, uma menina que veio de fora da cidade e que é esportista: não faz parte de nenhum grupinho da escola e aparentemente nem tem paciência para isso. Ela se mostra forte em suas opiniões, embora não apareça tanto quanto eu gostaria.

É uma história repleta de reviravoltas e com descobertas que te deixam boquiaberto. A coisa toda de Herdeiro surge de modo especial – não é a toa que na capa existe uma espada, né? Não vou contar muito sobre porque senão tiro a surpresa de vocês quando forem ler.


Estou gostando muito das Crônicas do Herdeiro, é bem melhor do que imaginei que seria.



28.6.16

{Lançamentos} Junho na Companhia das Letras!


Acredito que todos os livros deste mês da Companhia das Letras são interessantíssimos! Mas gostie mais das sinopses de Pureza, de Minhas Duas Filhas (fora que a capa está lindona!) e A Guerra Não tem Rosto de Mulher (é muito bom ver que nem só de homens são feitas as guerras, como a história pinta).


Jonathan Franzen
Título Original: Purity
Lançamento: 25/05

A jovem Pip Tyler não sabe quem é. Ela sabe que seu nome verdadeiro é Purity, que está atolada em dívidas, que está dividindo um apartamento com anarquistas e que a sua relação com a mãe vai de mal a pior. Coisas que ela não sabe: quem é seu pai, por que a mãe a força a uma vida reclusa, por que tem um nome inventado e como ela vai fazer para levar uma vida normal. Um breve encontro com um ativista alemão leva Pip à América do Sul para um estágio numa organização que contrabandeia segredos do mundo inteiro - inclusive sobre sua misteriosa origem. Pureza é uma história sobre idealismo juvenil, lealdade e assassinato. O mais ousado e profundo trabalho de um dos grandes romancistas de nosso tempo.




Misha Glenny

Título Original: Nemesis
Lançamento: 14/06

A história do líder do tráfico de drogas da Rocinha contada a partir de um intenso trabalho jornalístico. 

O dono do morro é a história impressionante de um homem comum forçado a tomar uma decisão que transformaria sua vida. Como Antonio Francisco Bonfim Lopes, um jovem pai trabalhador, se transformou em Nem, o líder do tráfico de drogas na Rocinha? 

A partir de uma série de entrevistas na prisão de segurança máxima onde o criminoso cumpre sentença, Misha Glenny narra a ascensão e a queda do traficante, assim como a tragédia de uma cidade. 

Da inundação do Rio de Janeiro pela cocaína nos anos 1980 à situação atual que embaralha voto, armas, política, polícia e bandidagem, a apuração impecável de Misha Glenny revela cada peça de um complicado quebra-cabeça.

Teté Ribeiro

Lançamento: 24/06

Uma história comovente sobre os desafios e o desejo de ser mãe. Um belo retrato sobre ser mulher no mundo contemporâneo

Após quase uma década lutando contra a infertilidade, a jornalista Teté Ribeiro tomou uma decisão ousada: ter filhos por meio de uma barriga de aluguel na Índia. Minhas duas meninas é o relato de seu périplo até essa decisão — e dos detalhes que marcaram a sua experiência. 

A relação com a mãe indiana, o dia a dia logo após o nascimento das gêmeas, as particularidades da clínica e os dilemas de ser mãe sem passar pela experiência de dar à luz são alguns dos pontos presentes neste relato comovente. Em parte livro de memórias, em parte retrato de geração, mas também reportagem exemplar, Minhas duas meninas é uma radiografia dos dilemas da mulher contemporânea.


Uma temporada no escuro
Minha luta, vol. 4
Karl Ove Knausgård 


No quarto volume da série de ficção autobiográfica Minha Luta, Karl Ove Knausgård narra o inverno que passou perto do Círculo Polar Ártico, investindo na escrita e na perda da virgindade. 

Karl Ove Knausgård está com dezoito anos quando parte para uma vila no norte da Noruega a fim de dar aulas a adolescentes. Sua intenção é juntar algum dinheiro para viajar e investir na incipiente atividade de escritor. No começo tudo corre bem, mas quando o escuro toma conta dos dias de inverno, a vida começa a se complicar. A escrita de Karl Ove para de fluir, e suas empreitadas para perder a virgindade fracassam. 

Com o alto consumo de álcool ele se aproxima da sombra do pai alcóolatra e resgata a temática do primeiro livro da série Minha Luta, A morte do pai. Como a narrativa não segue ordem cronológica, este volume — um dos mais arrebatadores — pode ser lido de forma independente.
Volume 1 – A morte do pai
Volume 2 – Um outro amor

Volume 3 – A ilha da infância

Svetlana Aleksiévitch

Título Original: War's Unwomanly Face
Lançamento: 20/06

Uma história ainda pouco conhecida, contada pelas próprias personagens: as incríveis aventuras das soldadas soviéticas que lutaram durante a Segunda Guerra Mundial.

A história das guerras costuma ser contada sob o ponto de vista masculino: soldados e generais, algozes e libertadores. Trata-se, porém, de um equívoco e de uma injustiça. Se em muitos conflitos as mulheres ficaram na retaguarda, em outros estiveram na linha de frente.

É esse capítulo de bravura feminina que Svetlana Aleksiévitch reconstrói neste livro absolutamente apaixonante e forte. Quase um milhão de mulheres lutaram no Exército Vermelho durante a Segunda Guerra Mundial, mas a sua história nunca foi contada. Svetlana Alexiévitch deixa que as vozes dessas mulheres ressoem de forma angustiante e arrebatadora, em memórias que evocam frio, fome, violência sexual e a sombra onipresente da morte.


Para mais informações sobre os lançamentos, basta clicar no título de cada livro que será redirecionado à página dedicada dos mesmos!




26.6.16

{Lançamento} As Aventuras de Daniel



Já pensou como seria um reino só de vampiros? Pois conheça Vampirolândia: um lugar onde a odontopediatria é tão importante quanto a Família Real Vampírica. 

É o novo lançamento de Literatura Infanto-Juvenil da nossa parceira Young!

As autoras Fernanda Chazam Briones e Bárbara Cotrin nos trazem a aventura de Daniel na Vampirolândia! 

É um livro ilustrado com atividades para as crianças (e crianças de alma também, como eu!), como desenhos para colorir, caça-palavras e claro, uma incrível história.

Dentro você também vai encontrar uma agenda do dentinho para sua criança!

Acredito que seja um bom livro para que as crianças percam o medo de ir ao dentista!

Sobre as Autoras:



Fernanda Chazan Briones

Também conhecida pelo pseudônimo "Tia Fê", a paulistana é escritora, roteirista e tradutora. Trabalha com e para minileitores. É também autora dos livros "Histórias de Terror Para Crianças" e "Na Cidade da Fúria", além de criadora dos famosos livros personalizados da Tia Fê.

Site: www.chazanbriones.com


Bárbara Cotrin

Paulistana, nascida em 1981, formada em odontologia em 2008 pela Unicastelo e pós-graduanda em odontopediatria pela APCD-IESP. Atualmente atende crianças e adultos em São Paulo, na clínica Soares Odontologia Integrada.

E-mail: barbaracotrin@gmail.com




24.6.16

Sedução da Seda (As Modistas #1) - Loretta Chase + Sorteio!




Sedução da Seda (As Modistas #1) - Loretta Chase

Sinopse:

Talentosa e ambiciosa, a modista Marcelline Noirot é a mais velha das três irmãs proprietárias de um refinado ateliê londrino. E só mesmo seu requinte impecável pode salvar a dama mais malvestida da cidade: lady Clara Fairfax, futura noiva do duque de Clevedon.

Tornar-se a modista de lady Clara significa prestígio instantâneo. Mas, para alcançar esse objetivo, Marcelline primeiro deve convencer o próprio Clevedon, um homem cuja fama de imoralidade é quase tão grande quanto sua fortuna.
O duque se considera um especialista na arte da sedução, mas madame Noirot também tem suas cartas na manga e não hesitará em usá-las. Contudo, o que se inicia como um flerte por interesse pode se tornar uma paixão ardente. E Londres talvez seja pequena demais para conter essas chamas.
Primeiro livro da série As Modistas, Sedução da seda é como um vestido minuciosamente desenhado por Loretta Chase: de cores suaves e românticas em alguns trechos, mas adornado com os detalhes perfeitos para seduzir.”


Resenha
Elas tinham sangue azul, só a metade e a outra metade era tão suja que trocaram o nome de família.
A herança de Tia Emma, passada para suas 3 sobrinhas, que por necessidade, se tornaram exímias costureiras. Mas Marcelline, Sophia e Leonie não eram só costureiras, elas tinham o dom que transformar tecidos, rendas e bicos em algo que enlouqueciam as mulheres.

Marcelline tinha o sonho e também a capacidade de se tornar a “maior costureira do mundo”. Mas para que isso acontecesse teriam que contar com a boa vontade da aristocracia, invadindo sua loja e encomendando vestidos e exovais.
Cada uma na sua especialidade, as 3 irmãs (e uma sobrinha de 6 anos, mas com cabeça de 30), desempenhavam habilmente seus “papeis”.


E para trazer a primeira aristocrata ao Maison Noirot, teriam que engendrar um plano infalível, que seria cair nas graças do Duque Clevedon, que por sua vez estava comprometido com Lady Clara.
O plano foi executado com maestria por Marcelline, mas o tiro saiu pela culatra.
E é lindo ver o “estrago” que esse “tiro” causou. São situações embaraçosas e hilárias entre Clevedon e Marcelline.

Apesar de amá-lo, Marcelline o “empurra” para Lady Clara, que por sua vez encomendará vestidos e mais vestidos, “pagos” pelo duque.
Era essa a estratégia. Atirando o Duque e acertar em Lady Clara.
Mas será que para Marcelline vai bastar?

Maravilhoso! Amo livros de época, tem aquela magia dos vestidos, da linguagem, dos modos... tudo é lindo e encantador.
O livro é maravilhosamente escrito, com ótimos diálogos e enredo bem desenrolado. Parabéns a Loretta. Já ansiosa pelas continuações.




Série As Modistas - Loretta Chase


 Série com capas divinas e cheias de encanto e segredos que cada uma das irmãs guarda.
Fico babando nessas capas.


Essa serie já contem 4 livros publicados nos EUA inclusive, o 4º livro da serie é o novo livro da autora publicado, que fala justamente de Lady Clara Fairfax. Estava quebrando a cabeça pra saber de quem seria a história do 4º livro rs.
Agora me diga se esse gênero literário não e o melhor de todos? Diga! Diga! Né não?


E as capas americanas não são tão deslumbrantes e lindas como as  que serão publicadas pela Arqueiro. Sem comparação negrada!
 Agora quem nunca leu, nunca ouviu falar ou nunca se interessou em conhecer, só digo uma coisa:




Corre atrás do prejuízo e começa com Julia Quinn, Lisa Kleypas, Nora Roberts e claro, Loretta Chase. Cola nessas D.I.V.A.S que é sucesso!
Aí é só as TOPS  supremas e melhores escritoras de histórias de época. 
Tá esperando o que criatura?
#MinhaOpinião



Título: Sedução da Seda (As Modistas #1)
Autor (a): Loretta Chase
Editora: Arqueiro

Número de Páginas: 288



Agora depois dessa resenha mara da Lauri, é claro que... TEM SORTEIO NÉ GENTEM!!!
Em parceria com a Editora Arqueiro, um(a) sortuda(o) seguidora(o) do blog vai poder ganhar uma cópia do livro que será enviada pela própria editora!



Requisitinhos básicos para ganhar:

- Residir em território nacional brasileiríssimo
- Curtir a página do blog: As meninas que leem livros
- Curtir a página da Editora Arqueiro
- Curtir e compartilhar o post da Promoção em Modo Público!
- Clicar em "Quero Participar" dentro do link da promoção: Link

Data do sorteio: 22 de julho de 2016!

Viu como é fácil participar? Não pode perder né!



A Caderneta Vermelha


Título Original: La Femme au carnet rouge
Autor: Antoine Laurain
Editora: Alfaguara
Ano: 2016
Sinopse: Caminhando pelas ruas de Paris em uma manhã tranquila, o livreiro Laurent Letellier encontra uma bolsa feminina abandonada. Não há nada em seu interior que indique a quem ela pertence — nenhum documento, endereço, celular ou informações de contato. A bolsa contém, no entanto, uma série de outros objetos. Entre eles, uma curiosa caderneta vermelha repleta de anotações, ideias e pensamentos que revelam a Laurent uma pessoa que ele certamente adoraria conhecer. Decidido a encontrar a dona da bolsa, mas tendo à sua disposição pouquíssimas pistas que possam ajudá-lo, Laurent se vê diante de um dilema: como encontrar uma mulher, cujo nome ele desconhece, em uma cidade de milhões de habitantes?


Ah, Paris! Ah, o amor! Um festival de suspiros durante toda a leitura do leve e apaixonante A Caderneta Vermelha (Alfaguara, 135 páginas). Precisava de um livro que me tirasse da ressaca literária depois de uma leitura densa (na verdade, uma sequência de). Melhor ainda foi ser conduzida pelas esquinas de uma cidade carregada de significados, que me devolveu um calor na alma. Escolhi o livro pela proposta de diversão e encontrei uma companhia adorável, uma vontade de não terminar a história, de me mudar para Paris!

Tudo começa quando Laure tem a bolsa roubada em um assalto, que a deixou machucada. Laurent encontra a bolsa abandonada, com quase todos os pertences dentro, exceto o celular e a carteira, que identificariam sua dona. Ele é um livreiro sensível, encanta-se pelo conteúdo da bolsa, especialmente pela caderneta vermelha cheinha de anotações. Não demora muito a procurar pela mulher que vai se apresentando fascinante... Mas Dominique está na vida de Laurent:

"Dominique não perdoa Laurent. A bolsa feminina no armário e aquela história mal contada... desconfiança feminina que não está tão equivocada, pois Laurent está encantado com a caderneta e tentando descobrir algo sobre a dona da bolsa lilás."

Na caderneta, entre algumas anotações desinibidas, Laure parece ser uma mulher intensa. E faz duas listas interessantes: “eu gosto” e “tenho medo”. Fiquei pensando em fazer as minhas também... É por elas, além dos objetos ali guardados, que o nosso curioso detetive vai começar a idealizar aquela mulher:

"As pedrinhas, o espelho, a nécessaire de maquiagem, as chaves e sua plaquinha em hieróglifos, a Periscope, o caderninho de pensamentos, o livro de bolso de Modiano, a esferográfica Montblanc, a presilha de cabelos com a flor azul, a receita de moleja de vitela, o saquinho de balas de alcaçuz. Pegou uma. Não iria conseguir mais nada. A busca se encerrava ali. Sem o sobrenome, aquilo nunca avançaria."

Um livro de Patrick Modiano com uma dedicatória é uma boa pista para começar. E um encontro com o Nobel de Literatura (2014) se dá, afinal, estamos em Paris, terra do escritor célebre! Como Laurent é livreiro, acaba armando a situação, que desenrolará o primeiro fio que deverá conduzi-lo a Laure:

"Um primeiro nome, e agora um rosto e algo mais: cabelos castanhos até os ombros, tez pálida, olhos muito claros, talvez cinza-azulados, bonita, um lindo sorriso, um sinal à direita do lábio superior. Não é muito alta. Mas nenhum sobrenome, nada."

Enquanto isso, onde está Laure? O que estará fazendo, por que não prestou queixa do roubo? Essa parte me fez lembrar dois filmes divertidos e muito fofos, mas não posso revelá-los aqui, seria um spoiler maldoso (posso recomendá-los depois, são ótimos!):

"Tenho medo quando não compreendo. Não compreendo por que estou aqui. Tenho medo quando não sei onde estou, e não sei onde estou. Não sei “quando” estou. Tenho medo quando William fala comigo e eu não posso responder."

Laurent não está só. Tem a ajuda da filha adolescente e descolada. E como Paris inspira os amantes – Laurent já está praticamente obcecado na busca de sua musa – as coisas vão acontecendo favoravelmente, portas vão se abrindo, o autor criou um caminho fácil de trilhar, digno de um filme romântico de sessão da tarde. Por falar nisso, o livro vai virar filme!!!

Se você achasse a minha bolsa, será que conseguiria traçar meu perfil apenas através dos objetos que carrego e umas poucas anotações? Não pude deixar de pensar também nisso. Você perceberia que gosto de ler, pois encontraria um livro. Tem também maquiagem, escova e presilhas de cabelo, creme para as mãos e uma miniatura de perfume (hahaha, sempre cheirosa), um bloquinho com caneta (como me identifiquei com Laure!), notas fiscais soltas (ou perdidas), chaves, espelho, lixa de unhas, óculos, um par de brincos... O que pensaria sobre mim? (Deixe-me feliz respondendo nos comentários).

Tem tanta coisa boa nessas páginas! Se você está enfrentando um friozinho bom, calce as meias, prepare um chocolate quente e leve A Caderneta para ler sob as cobertas, numa tarde de domingo. Ou se, como eu, está numa terra cheia de sol e calor, um chá geladinho e uma rede para ter horas de sorriso no rosto e torcer para que Laurent encontre Laure. O livro não é tão previsível como pode parecer, o desenrolar é inteligente e bem escrito, os (poucos) personagens são adoráveis, bem delineados. A descrição de Paris transporta o leitor para suas cores e cheiros. E a sensação de fé na vida e no amor vai permanecer com você durante um bom tempo ainda, depois de fechada a última página. Leia sem pretensão ou expectativa e permita-se preencher de coisas positivas e de um acalanto que há um bom tempo eu já não encontrava em livros por aí.

Link no Skoob: https://www.skoob.com.br/livro/572126ED572826
Classificação: 5 estrelas




22.6.16

{Lançamento} O Caminho das Estrelas




A Petit Editora nos traz este mês um livro muito especial: O Caminho das Estrelas, escrito por Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho :




O caminho das estrelas, novo romance do Espírito Antônio Carlos, psicografado por Vera Lúcia de Carvalho Marinzeck, conta a história de Lenita, que desencarna ainda adolescente por causa de um câncer. Ao acordar na ala dos jovens no hospital da colônia Aprendiz do Amor, perdida entre as lembranças da vida encarnada, lembra-se de sua mãe lhe dizendo: “Filha, quando você morrer, irá para o céu morar numa estrela...”. Mas agora, na realidade da nova existência, busca compreender sua condição. O começo é difícil, pois seus familiares se desesperam e choram, afetando-a de forma negativa. Tudo muda quando os familiares de Lenita recebem um importante auxílio: o livro Violetas na janela. Após a leitura, eles passam a agir de modo diferente, enviando-lhe vibrações positivas. Ela pode, então, sentir-se tranquila.


LANÇAMENTO DO MÊS 

Mais uma vez o Espírito Antônio Carlos nos surpreende com sua habilidade em nos aproximar dos personagens. Em O Caminho das estrelas ele apresenta a história de Lenita e sua evolução espiritual. Após desencarnar em decorrência de um câncer, ela passa por dificuldades na adaptação à nova existência, agravada pelos lamentos da família. Quando seus familiares recebem o livro Violetas na janela, do Espírito Patrícia, passam a entender essa mudança de planos, o que provoca neles tranquilidade, e, consequentemente, passam a emanar boas vibrações a Lenita. Feliz com essa mudança de padrão mental da família, a jovem vai à colônia de estudos onde Patrícia trabalha para conhecê-la e agradecer-lhe a dádiva alcançada. Ao ver a colônia ao longe, e sua luminosidade, parecendo uma estrela, imediatamente se recorda da mãe, que, brincando, lhe dizia que uma estrela seria sua morada.
Sobre a autora: Nasceu na cidade de São Sebastião do Paraíso, estado de Minas Gerais. Médium dedicada à psicografia, casada e mãe de três filhos, trabalha, profissionalmente, ao lado do marido. Reconciliação foi sua primeira obra psicografada, em 1989, de autoria do Espírito Antônio Carlos, e lançada pela Petit Editora em 1990. Vera Lúcia já psicografou mais de 50 obras, ultrapassando a marca de mais de 5 milhões de exemplares vendidos, entre eles o best-seller Violetas na janela, do Espírito Patrícia. Outros títulos de Patrícia, psicografados por Vera, são Vivendo no mundo dos espíritos; A Casa do Escritor e O voo da gaivota.

Saiba mais em: www.petit.com.br




O Acordo - Elle Kennedy


Edição: 1

Autor:

Editora: Paralela

Ano: 2016

Páginas: 360
Tocante, profundo, engraçado, sexy... ''O Acordo" é um romance que vai te encantar e surpreender a cada página.
 
Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha.
 
Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo.


Em O Acordo passamos a conhecer duas pessoas totalmente diferentes uma da outra mas que ao mesmo tempo são muito parecidas,Hanna é uma estudante de música que a alguns anos passou por um trauma que marcou sua vida,e que aos poucos vem superando com a ajuda de seus pais e de sua melhor amiga com quem divide uma apartamento no campus da universidade.

Garret é aquele carinha que toda garota sonha,é gato,gostosinho,educado e capitão do time de hóquei da universidade,seu único objetivo é conseguir se formar e fazer parte da liga nacional de hóquei,filho de um grande ex-jogador Garret sente ainda mais a pressão em se destacar e ser o melhor,mas para isso acontecer ele tem que passar em todas as matérias com boas notas,do contrário ele pode ser suspenso dos jogos.

Em um dia normal na aula de filosofia e ética,Hanna consegue a nota máxima sendo uma das poucas a passar na matéria,já não podemos dizer o mesmo de Garret que zerou na prova,o que o deixa desesperado,como quase todos os alunos se deram mal da prova a cruela devil oops professora resolveu(diga-se de passagem foi pressionada) a aplicar outra prova,e aí começa o desespero de Garret pra passar nessa prova. E é ai que a Hanna entra em cena,sabendo que ela gabaritou a prova,Garret implora a Hanna que o ajude e lhe dê aulas,e como de cara ela não foi com a cara dele ela se nega veementemente,sacando que ela tem uma quedinha por um certo jogador de futebol americano Garret faz um acordo com ela,em troca das aulas ele a ajuda a enfim conquistar o coração de Justin,mesmo relutante de início Hanna aceita o acordo e é aí que  vários desenrolares acabam acontecendo.

A Estória é super fluída a autora não enrola e rapidinho a leitura chega no fim,gostei muito do desenrolar e desenvolvimento dos personagens,e logo de cara você já se apaixona por Garret,não consegui ter empatia pela Hanna,gostei bastante dos amigos de time de Garret,não são de se jogar fora,meio galinhas mas são legais... E sinto que os dois vão passar por alguma provação nos próximos volumes e já estou com o coração na mão só em imaginar.
Leitura super recomendada!!!!!!






 



 





21.6.16

{Lançamento} Quadrinhos na Cia. em Junho!




Sou fã de quadrinhos e gosto muito do André Dahmer, suas tirinhas sempre fazem boas criticas ao nosso sistema. 
Persépolis não é lançamento, mas o livro foi escolhido pela Emma Watson em seu Clube da Leitura esta mês, é bom marcá-lo por aqui também!



André Dahmer


Lançamento: 24/05

Difícil definir os anos 1910. Na esteira das revoluções tecnológicas da virada do século, o ruído ampliou-se e a dispersão tomou conta. Todavia, a torrente de informações e opiniões não assusta André Dahmer. Na verdade, é desse caldo que ele tira algumas de suas melhores histórias. Quadrinhos dos anos 10 tem uma receita simples: três ou quatro quadros em sequência, contendo a mais dolorosa e mordaz crítica à vida moderna.

O humor dessas páginas nasce da mesma angústia que sentimos diante das complicações contemporâneas que o autor tenta destrinchar. Mas as tiras não são pesadas e duras: pelo contrário, são tão engraçadas quanto os absurdos do dia a dia. Um riso meio doído, mas um riso mesmo assim.




PERSÉPOLIS (COMPLETO)


Marjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita - apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa.
Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares.
Em Persépolis, o pop encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor se infiltra no drama - e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar.




Marcados Para Sempre - Helena Hunting



Edição: 1
Autora: Helena Hunting
Editora: Suma de Letras
Ano: 2016
Páginas: 312
Sinopse: Depois de perder Tenley, o tatuador Hayden Stryker volta a ser atormentado por seu passado traumático, e suas noites são tumultuadas por pesadelos sobre a morte dos pais. A única maneira que encontra para ficar em paz é indo atrás da mulher que ama. Tenley acha que não merece uma segunda chance, mas precisa deixar de lado toda a culpa que sente, se quiser um futuro com Hayden. Apesar da intensa atração física, os dois têm que lutar para esquecer o passado e reconstruir sua relação, ainda tão frágil. Nesta continuação de À flor da pele, Hayden e Tenley precisam ultrapassar enormes barreiras emocionais e encontrar na vida o mesmo tipo de sintonia perfeita que têm na cama. Marcados para sempre é a emocionante história de dois jovens desesperados para dar e receber amor, mas com medo das marcas que esse tipo de sentimento pode deixar.

***

A resenha pode conter spoiler do livro anterior, À Flor da Pele.

No final de À Flor da Pele, Tenley vai embora de Chicago com Trey, seu ex-cunhado, pois algumas pendências em Arden Hills precisam ser resolvidas antes que ela finalmente possa seguir em frente. Trey a não deixará em paz até que ele possa ficar com tudo que Connor deixou para ela. Porém a saída de Tenley pareceu mais uma fuga do que uma simples ida para seu antigo lar.

Hayden fica desolado com a fuga de Tenley e tudo o que ele sofreu com o assassinato dos pais volta com força total. Os pesadelos sobre aquela noite que mudou sua vida retornam ainda mais intensos e agora com o acréscimo da presença de Tenley neles. Os amigos e seus tios tentam persuadi-lo para procurar um terapeuta, já que ele nunca fez uma consulta depois do assassinato dos pais.



“Desde que Tenley tinha ido embora, o sono era ardiloso. Eu conseguia dormir por três, talvez quatro horas antes de os pesadelos começarem. [...] Eu nunca conseguia voltar a dormir. Os pesadelos eram vívidos demais.” Página 21

A maneira como Hayden acabou descobrindo sobre o passado de Tenley, a fez acreditar que não o merece de verdade, porém ela ainda quer tentar. Quando Tenley finalmente volta para Chicago, ela quer uma segunda chance com ele. Porém, ela sabe que Hayden está muito abalado com o que aconteceu. Dessa vez, ele é que precisa de sua ajuda para superar os medos, principalmente quando os pesadelos trazem algumas dúvidas sobre a noite do assassinato dos pais dele. Algumas peças voltam a mente de Hayden e ele quer descobrir a verdade.


Aqui vemos uma Tenley mais forte e decidida. Bem diferente da garota boba e quieta do primeiro livro. A intromissão de Trey em sua vida foi o bastante para que ela finalmente pudesse fazer suas próprias escolhas e poder se livrar de vez de Trey de uma vez por todas

A intensidade e drama que tinham no primeiro livro continuam em Marcados Para Sempre. Aqui ficamos mais próximos dos problemas de Hayden. Conhecemos melhor sua história, todo o sofrimento que passou com o assassinato dos pais quando tinha apenas dezessete anos. Nossos protagonistas, Tenley e Hayden, conversam muito mais sobre o passado de cada um e assim eles podem finalmente conhecerem um ao outro de modo mais profundo. Agora eles podem estar mais próximos da superação de tudo, mas para isso eles devem estar dispostos a enfrentar todos os obstáculos, mesmo que algumas verdades sejam extremamente dolorosas.



“O amor era isso: essa necessidade implacável e esmagadora de alguém que fazia todo o resto desaparecer.” Página 247