Menu

2.7.16

{Filme} Meu nome não é Johnny


MEU NOME NÃO É JOHNNY



Direção: Mauro Lima, 2008.
Elenco: Selton Mello, Cléo Pires, Julia Lemertz, Giulio Lopes, Ângelo Paes Leme, Gillray Coutinho, Flávio Pardal, Tammy di Calafiori,

ATENÇÃO: CONTÉM SPOILERS! Se você ainda não assistiu ao filme, prossiga por sua conta e risco.
Sinopse

Meu Nome Não É Johnny é um filme brasileiro de 2008, do gênero drama, dirigido por Mauro Lima, que conta a história verídica de João Guilherme Estrella, um jovem da classe média carioca que, meio que por acidente, se torna um dos maiores traficantes da Zona Sul do Rio. Foi baseado em um livro homônimo de Guilherme Fiuza.

Resenha

Oi gente! Já assistiram MEU NOME NÃO É JOHNNY? Esse drama de 2008 é baseado nas aventuras vividas por João Guilherme Estrella, um típico jovem da Zona Sul do Rio de Janeiro.

Trata-se de como um cara se meteu (meio que sem querer) com o tráfico de cocaína. Digo, meio que sem querer porque João, tendo ido um dia comprar uma quantidade da droga pra repassar aos seus amigos, por pura curtição, não se deu conta de que tal prática constituia o crime previsto no Código Penal Brasileiro e, depois disso, segundo ele próprio, “as coisas foram acontecendo”.

Muito embora trate-se de uma história triste, que obviamente não acaba bem para João e para aqueles ao seu redor, o filme garante boas risadas, suspense e ação.



TEMPORALIDADE

A história se desenrola durante os anos 90. O rock nacional ainda resiste, e as boates da Zona Sul do Rio estão lotadas de jovens à procura de diversão e adrenalina.
Nosso protagonista prefere festas em sua própria casa, um confortável apartamento que ele divide com seu pai depois da separação.

PERSONAGENS

João Estrella (Selton Mello) é o típico figuraça. Gente fina, gosta de receber os amigos em sua casa em festinhas regadas a álcool e drogas. Numa dessas noites, um amigo chega trazendo o produto que todos esperavam: um papelote de cocaína. Porém, o rapaz reclama que anda difícil de conseguir a droga e todos percebem que ele na verdade tem medo do traficante conhecido como Taínha. João, descolado que é, se oferece para, dali por diante, fazer o intermédio entre o traficante e a galera. E é aí que o rapaz adentra no mundo alucinado do comércio de drogas ilícitas.


Em meio a esse turbilhão, João Estrella conhece a bela Sofia (Cléo Pires), por quem se apaixona instantaneamente. Sofia é a típica gatinha carioca. Bonita e cheia de atitude, ela também se apaixona por João, muito por conta da aventura que ele proporcionava. Mas aos poucos ela dá sinais de estar cansada daquela vida cheia de altos e baixos e, tão logo João começa a se dar mal, ela se afasta.


Em suas empreitadas, João Estrella acaba obviamente esbarrando com a polícia. Aqui destacamos a dupla de policiais tipicamente corruptos Oswaldo (Orã Figueiredo) e Wanderley (Hossen Minussi), que em dado momento da trama aparecem pra chantagear João, revelando o lado podre da polícia.

João se vê obrigado a mudar de fornecedor várias vezes. Se um de seus fornecedores merece destaque aqui é a Dona Marly (Eva Todor), uma senhora idosa que poderia bem ser a vovozinha de qualquer um de nós. Simpática e delicada, Dona Marly passa os dias fazendo Ambrosia (um delicioso doce de origem grega) e vendendo cocaína entre um docinho e outro. Uma fofura! Em tempo: Até um escrivão judicial, em dado momento, torna-se fornecedor de João Estrella em dado momento, repassando-lhe o produto dentro do fórum... =o


Acontece que João vai ficando conhecido. Sua fama vai se espalhando pela Créme de la Créme da noite carioca, atraindo a atenção de grandes traficantes como Nellore (André di Biasi), que lhe propõe uma parceria milionária, e Felipe (Charly Braun), que introduz João no tráfico internacional de drogas.

Com uma vida tão arriscada e nada cuidadoso, João Estrella acaba preso pela Polícia Federal. Na carceragem, João entende o destino certo de suas atividades...

Nesse ponto da história, entra em cena o advogado Dr. Renato (Gillray Coutinho), que fará o possível para ajudar João, e a Dra. Marilena Soares (Cássia Kiss), uma juíza de Direito que combate o tráfico de drogas com mãos de ferro, e que decidirá do destino do nosso inconsequente (e por vezes ingênuo) anti-herói.



COWBOY FORA DA LEI

João Estrella, como já dissemos, entrou para o mundo do tráfico sem perceber. Depois de uma compra de drogas, as circunstâncias o levaram a outra, e mais outra, de forma que ele foi gostando da “brincadeira”, já que ele próprio acabou viciado no produto que vendia e, quando percebeu, sua vida resumia-se num círculo vicioso que envolvia comprar cocaína, usar, vender o restante, comprar mais, usar mais, vender mais e assim por diante.

Desta forma, o que movia João Estrella não era o lucro, como um traficante de drogas comum. O que levava João a querer desafiar cada vez mais o sistema era sua sede de curtição, de ser ovacionado por seus “amigos” como o rei da noite na Zona Sul, patrocinando bandas e festas sem fim em sua própria casa.

Numa dessas empreitadas, João aceita entrar na Europa com grande quantidade de cocaína pura escondida nas roupas. Mas João ignora o perigo. Encara a aventura como uma lua de mel para ele e sua amada Sofia, torrando lá mesmo quase todo o dinheiro que recebeu pelo transporte da droga.


Porém, numa segunda tentativa de cruzar o Atlântico carregado de cocaína, João acaba preso durante a embalagem da droga, num apartamento no Rio de Janeiro, junto com dois amigos que o ajudavam na tarefa.

O mundo de João Estrella já tinha desmoronado, mas sua situação piora quando, durante o encarceramento, sua amada Sofia o deixa.


A João agora restam algumas alternativas, nenhuma boa necessariamente: Ou ele nega ser dono da droga e deixa seus amigos levarem a culpa pela posse, diminuindo assim a sua pena, ou ele assume ser dono da droga, livrando seus amigos da cadeia e pagando pelo crime de tráfico internacional de drogas.


Nesse momento, entra em cena a figura decisiva da Juíza Marilena Soares (Cássia Kiss). Muito embora ela seja considerada linha dura e, a princípio, conduza o caso de João com mãos de ferro, o desenrolar dos fatos e a sinceridade de João diante de todos os erros cometidos a leva a pensar se a solução para ele seria mesmo a pena máxima.

Sua decisão final foi considerada inovadora para o sistema penal brasileiro e, até hoje, é referência na reintegração de jovens na sociedade.

Mas, como de costume, não vou contar o final hehehe...
  

CONCLUSÃO

MEU NOME NÃO É JOHNNY é uma lição de vida. Mas acima de tudo é uma lição sobre como o caminho das drogas pode ser destrutivo, mesmo quando se é uma boa pessoa. Quem tiver sensibilidade para assistir sem preconceitos vai gostar com toda certeza.


Até a próxima, gente!



30.6.16

{Lançamento} Editora Alfaguara em Junho!





Valeria Luiselli

Lançamento: 21/06

Uma narrativa engraçada e comovente sobre como as histórias que inventamos moldam a nossa vida e nossa identidade.

Gustavo Sánchez Sánchez, mais conhecido como “Estrada”, tem uma missão: quer trocar todos os seus dentes. Ele possui algumas habilidades que podem ajudar nessa empreitada, como imitar Janis Joplin e decifrar biscoitos da sorte chineses. Além disso, ele é o melhor leiloeiro do mundo — mesmo que ninguém saiba disso, já que ele é muito discreto. Enquanto estuda o ofício com o grande mestre Oklahoma, Estrada viaja o mundo aperfeiçoando seu talento e nos mostra como o valor da arte e a nossa própria identidade podem ser construídos.

Escrito com maestria e inventividade, A história dos meus dentes é um rompante espirituoso e elegante sobre nossa relação com o mundo dos objetos e suas histórias.



Sinceramente, a sinopse me pareceu vir de um livro hilário! Fiquei com muita vontade de conhecer o Sr. Sánchez Sánchez na busca de sua nova dentadura enquanto viaja por todo o mundo. Deve conhecer figuras ainda melhores que ele!



29.6.16

O Herdeiro Guerreiro - As Crônicas do Herdeiro #1

o herdeiro guerreiro


o herdeiro guerreiroTítulo Original: The Warrior Heir
Série: As Crônicas do Herdeiro
Autora: Cinda Chima Williams
Editora: Farol Literário
Ano: 2008
Sinopse: Jack tinha 16 anos e, a não ser pela cicatriz no peito e o remédio que tomava todos os dias, era um garoto normal. Até que se esquece de tomar o remédio e logo descobre a verdade: Jack é um dos últimos guerreiros Weirlind, uma sociedade secreta que está em guerra pelo poder, e terá de lutar para se defender de seu destino.
Jack segurou com cuidado o punho da espada e a desembainhou, notando que o punho cabia em sua mão sem escorregar. A espada criou uma luz própria ao emergir, uma chama prateada que correu ao longo da lâmina. Tinha dois gumes, e o metal parecia ondulado de um jeito que indicava que havia sido dobrado e redobrado em reforço. Como Jack sabia disso, ele mesmo não saberia dizer. Após um século enterrada, não tinha nenhum traço de ferrugem. Parecia pronta pra ser usada. Will e Fitch, atraídos pela luz, olharam por cima do ombro de Jack.
- Sinistro - murmurou Fitch.
- Não - disse Jack. - Não tem nada de sinistro.
Jack ergueu a arma em frente ao corpo com as duas mãos e soube que ela pertencia a ele, embora houvesse sido forjada muito antes de ele ter nascido. Era mais leve do que imaginara, mais leve do que seria de esperar, considerando-se o tamanho dela.
- Sombra Assassina - sussurrou Jack, como se a arma falasse com ele.
E o poder na lâmina correu-lhe para as mãos e subiu-lhe pelos braços como se, de alguma maneira, a espada o estivesse segurando.




Primeiro livro das Crônicas do Herdeiro, O Herdeiro Guerreiro nos apresenta ao mundo criado por Cinda Chima Williams: um mundo onde existem magos, feiticeiros, guerreiros... Misturado ao mundo tal qual o conhecemos. Isso quer dizer que Jack Swift é um jovem adolescente de 16 anos que está no ensino médio, que tem problemas com os populares da escola e só quer entrar para o time de futebol (e não é o americano, é o que eles chamam de soccer!). Sua mãe, Becka, é uma advogada brilhante e protege o filho com unhas e dentes, tentando também deixá-lo responsável por cuidar de si mesmo.

O livro começa com uma história há mais de cem anos atrás, através da perspectiva de Lee e sua família. Eu fiquei meio confusa com o prólogo porque lembree que o nome do protagonista não era Lee... Mas aí veio o primeiro capítulo e entendi o que estava acontecendo, então tuuuudo bem!

“(...) Magia não é uma ferramenta para ser usada de maneira imprudente ou insensata. Precisa ser domada por um intelecto forte o bastante para mantê-la sobre o controle.”

Descobrimos com Jack (o livro é em terceira pessoa, mas te engana com uma primeira pessoa na visão de Jack) sobre os Weir: são aqueles que possuem dons, divididos em castas: guerreiros, magos, encantadores, feiticeiros e adivinhos; porém a supremacia é dos magos. São eles quem mandam nos outros, que são considerados inferiores. Há uma guerra entre duas casas: Rosas Vermelhas e Rosas Brancas (York e Lancaster, a Guerra das Rosas aconteceu de verdade na história da Inglaterra) mas, para sangue mago não ser desperdiçado, apenas os guerreiros, que são a classe mais inferior, lutam no que chama de Jogo.

“-Claro, está ótimo. – disse ele, o sabor do remédio prolongando-se na parte de trás da língua. Tinha um gosto de velhas tristezas, velhos arrependimentos. Esfregou os olhos com os dedos, assaltado por uma misteriosa sensação de perda.”

Jack nasceu com uma doença grave e a única coisa que mostrava isso era a cicatriz em fora de estrela. Cresceu sem saber nada sobre o mundo mágico, até que, após um acidente durante um jogo de futebol, ele lança longe um parceiro do time. A única coisa anormal (além disso) em seu dia, foi a ausência de sua medicação, a qual ele esqueceu de tomar pela primeira vez em sua vida. E sentiu-se bem, como nunca antes havia se sentido.

Depois disso, sua tia Linda fica mais próxima, investigando o que estava acontecendo com o sobrinho. Ela é quem lhe explica o que está acontecendo e que ele é um guerreiro. Isso causa um impacto enorme em sua vida, pois ser guerreiro não é um bom sinal.

(...)“O mundo vai tentar transformar você em outra pessoa. Não deixe. É o melhor conselho que qualquer um pode dar à você.”

Guerreiros são caçados pelas casas para lutarem em seu Jogo: depois de tantos anos sendo mortos nessa disputa, existem poucos deles no mundo ainda vivos e são caçados como espécie rara. Preocupada com a segurança do sobrinho, ela pede para Leander Hastings treiná-lo nas artes do guerreiro. Ela confia nele para isso, já que o mago não concorda com o atual sistema que ordena o mundo Weirlind.

Em meio à tudo isso, Jack ainda acha tempo para se apaixonar por Ellen, uma menina que veio de fora da cidade e que é esportista: não faz parte de nenhum grupinho da escola e aparentemente nem tem paciência para isso. Ela se mostra forte em suas opiniões, embora não apareça tanto quanto eu gostaria.

É uma história repleta de reviravoltas e com descobertas que te deixam boquiaberto. A coisa toda de Herdeiro surge de modo especial – não é a toa que na capa existe uma espada, né? Não vou contar muito sobre porque senão tiro a surpresa de vocês quando forem ler.


Estou gostando muito das Crônicas do Herdeiro, é bem melhor do que imaginei que seria.



28.6.16

{Lançamentos} Junho na Companhia das Letras!


Acredito que todos os livros deste mês da Companhia das Letras são interessantíssimos! Mas gostie mais das sinopses de Pureza, de Minhas Duas Filhas (fora que a capa está lindona!) e A Guerra Não tem Rosto de Mulher (é muito bom ver que nem só de homens são feitas as guerras, como a história pinta).


Jonathan Franzen
Título Original: Purity
Lançamento: 25/05

A jovem Pip Tyler não sabe quem é. Ela sabe que seu nome verdadeiro é Purity, que está atolada em dívidas, que está dividindo um apartamento com anarquistas e que a sua relação com a mãe vai de mal a pior. Coisas que ela não sabe: quem é seu pai, por que a mãe a força a uma vida reclusa, por que tem um nome inventado e como ela vai fazer para levar uma vida normal. Um breve encontro com um ativista alemão leva Pip à América do Sul para um estágio numa organização que contrabandeia segredos do mundo inteiro - inclusive sobre sua misteriosa origem. Pureza é uma história sobre idealismo juvenil, lealdade e assassinato. O mais ousado e profundo trabalho de um dos grandes romancistas de nosso tempo.




Misha Glenny

Título Original: Nemesis
Lançamento: 14/06

A história do líder do tráfico de drogas da Rocinha contada a partir de um intenso trabalho jornalístico. 

O dono do morro é a história impressionante de um homem comum forçado a tomar uma decisão que transformaria sua vida. Como Antonio Francisco Bonfim Lopes, um jovem pai trabalhador, se transformou em Nem, o líder do tráfico de drogas na Rocinha? 

A partir de uma série de entrevistas na prisão de segurança máxima onde o criminoso cumpre sentença, Misha Glenny narra a ascensão e a queda do traficante, assim como a tragédia de uma cidade. 

Da inundação do Rio de Janeiro pela cocaína nos anos 1980 à situação atual que embaralha voto, armas, política, polícia e bandidagem, a apuração impecável de Misha Glenny revela cada peça de um complicado quebra-cabeça.

Teté Ribeiro

Lançamento: 24/06

Uma história comovente sobre os desafios e o desejo de ser mãe. Um belo retrato sobre ser mulher no mundo contemporâneo

Após quase uma década lutando contra a infertilidade, a jornalista Teté Ribeiro tomou uma decisão ousada: ter filhos por meio de uma barriga de aluguel na Índia. Minhas duas meninas é o relato de seu périplo até essa decisão — e dos detalhes que marcaram a sua experiência. 

A relação com a mãe indiana, o dia a dia logo após o nascimento das gêmeas, as particularidades da clínica e os dilemas de ser mãe sem passar pela experiência de dar à luz são alguns dos pontos presentes neste relato comovente. Em parte livro de memórias, em parte retrato de geração, mas também reportagem exemplar, Minhas duas meninas é uma radiografia dos dilemas da mulher contemporânea.


Uma temporada no escuro
Minha luta, vol. 4
Karl Ove Knausgård 


No quarto volume da série de ficção autobiográfica Minha Luta, Karl Ove Knausgård narra o inverno que passou perto do Círculo Polar Ártico, investindo na escrita e na perda da virgindade. 

Karl Ove Knausgård está com dezoito anos quando parte para uma vila no norte da Noruega a fim de dar aulas a adolescentes. Sua intenção é juntar algum dinheiro para viajar e investir na incipiente atividade de escritor. No começo tudo corre bem, mas quando o escuro toma conta dos dias de inverno, a vida começa a se complicar. A escrita de Karl Ove para de fluir, e suas empreitadas para perder a virgindade fracassam. 

Com o alto consumo de álcool ele se aproxima da sombra do pai alcóolatra e resgata a temática do primeiro livro da série Minha Luta, A morte do pai. Como a narrativa não segue ordem cronológica, este volume — um dos mais arrebatadores — pode ser lido de forma independente.
Volume 1 – A morte do pai
Volume 2 – Um outro amor

Volume 3 – A ilha da infância

Svetlana Aleksiévitch

Título Original: War's Unwomanly Face
Lançamento: 20/06

Uma história ainda pouco conhecida, contada pelas próprias personagens: as incríveis aventuras das soldadas soviéticas que lutaram durante a Segunda Guerra Mundial.

A história das guerras costuma ser contada sob o ponto de vista masculino: soldados e generais, algozes e libertadores. Trata-se, porém, de um equívoco e de uma injustiça. Se em muitos conflitos as mulheres ficaram na retaguarda, em outros estiveram na linha de frente.

É esse capítulo de bravura feminina que Svetlana Aleksiévitch reconstrói neste livro absolutamente apaixonante e forte. Quase um milhão de mulheres lutaram no Exército Vermelho durante a Segunda Guerra Mundial, mas a sua história nunca foi contada. Svetlana Alexiévitch deixa que as vozes dessas mulheres ressoem de forma angustiante e arrebatadora, em memórias que evocam frio, fome, violência sexual e a sombra onipresente da morte.


Para mais informações sobre os lançamentos, basta clicar no título de cada livro que será redirecionado à página dedicada dos mesmos!




26.6.16

{Lançamento} As Aventuras de Daniel



Já pensou como seria um reino só de vampiros? Pois conheça Vampirolândia: um lugar onde a odontopediatria é tão importante quanto a Família Real Vampírica. 

É o novo lançamento de Literatura Infanto-Juvenil da nossa parceira Young!

As autoras Fernanda Chazam Briones e Bárbara Cotrin nos trazem a aventura de Daniel na Vampirolândia! 

É um livro ilustrado com atividades para as crianças (e crianças de alma também, como eu!), como desenhos para colorir, caça-palavras e claro, uma incrível história.

Dentro você também vai encontrar uma agenda do dentinho para sua criança!

Acredito que seja um bom livro para que as crianças percam o medo de ir ao dentista!

Sobre as Autoras:



Fernanda Chazan Briones

Também conhecida pelo pseudônimo "Tia Fê", a paulistana é escritora, roteirista e tradutora. Trabalha com e para minileitores. É também autora dos livros "Histórias de Terror Para Crianças" e "Na Cidade da Fúria", além de criadora dos famosos livros personalizados da Tia Fê.

Site: www.chazanbriones.com


Bárbara Cotrin

Paulistana, nascida em 1981, formada em odontologia em 2008 pela Unicastelo e pós-graduanda em odontopediatria pela APCD-IESP. Atualmente atende crianças e adultos em São Paulo, na clínica Soares Odontologia Integrada.

E-mail: barbaracotrin@gmail.com