Menu

7.12.16

{Resenha}A vida invisível de Eurídice Gusmão


Autora: Martha Batalha
Editora: Companhia das Letras
Sinopse: Rio de Janeiro, anos 1940. Guida Gusmão desaparece da casa dos pais sem deixar notícias, enquanto sua irmã Eurídice se torna uma dona de casa exemplar.
Mas nenhuma das duas parece feliz em suas escolhas.
A trajetória das irmãs Gusmão em muito se assemelha com a de inúmeras mulheres nascidas no Rio de Janeiro no começo do século XX e criadas apenas para serem boas esposas. São as nossas mães, avós e bisavós, invisíveis em maior ou menor grau, que não puderam protagonizar a própria vida, mas que agora são as personagens principais do primeiro romance de Martha Batalha.
Enquanto acompanhamos as desventuras de Guida e Eurídice, somos apresentados a uma gama de figuras fascinantes: Zélia, a vizinha fofoqueira, e seu pai
Álvaro, às voltas com o mau-olhado de um poderoso feiticeiro; Filomena, ex-prostituta que cuida de crianças; Luiz, um dos primeiros milionários da República; e o solteirão Antônio, dono da papelaria da esquina e apaixonado por Eurídice.
Essas múltiplas narrativas envolvem o leitor desde a primeira página, com ritmo e estrutura sólidos. Capaz de falar de temas como violência, marginalização e injustiça com humor, perspicácia e ironia, Marta Batalha é acima de tudo uma excelente contadora de histórias. Uma promessa da nova literatura brasileira que tem como principal compromisso o prazer da leitura.

“O Brasil precisa de uma literatura em que a gente se reconheça” (Martha Batalha)

Esta é a história de muitas mulheres que você conhece. É também a história de mulheres que se inquietaram e não aceitaram a formatação social exigida para a época: a de que as mulheres foram feitas para o casamento, os filhos e as tarefas domésticas. Para o recato e o silêncio, para abafar os desejos e aceitar as imposições. O livro A vida invisível de Eurídice Gusmão é uma volta ao tempo das nossas avós.

A trama se passa em meados do século XX, no bairro de classe média da Tijuca, no Rio de Janeiro. As fofocas da vizinhança não dão trégua. As duas irmãs Gusmão, Eurídice e Guida, representam as únicas opções dadas às mulheres então: submissão ou rebeldia. Mulheres que nasceram no lugar errado, na época errada. A própria autora faz essa referência ao contar: “É um livro sobre esse machismo cotidiano que passa despercebido.”

Eurídice é uma garota inteligente, aplicada, cheia de sonhos. "Porque Eurídice, vejam vocês, era uma mulher brilhante. Se lhe dessem cálculos elaborados ela projetaria pontes. Se lhe dessem um laboratório ela inventaria vacinas. Se lhe dessem páginas brancas ela escreveria clássicos. Mas o que lhe deram foram cuecas sujas, que Eurídice lavou muito rápido e muito bem, sentando-se em seguida no sofá, olhando as unhas e pensando no que deveria pensar."

Guida, a mais velha, rebelde e tão dona de si, vai embora com o namorado, deixando os pais desolados. Mal sabe a moça forte quantas decepções encontraria pela vida: "Aquela era Guida Gusmão, a mulher que nunca olhou para baixo. Guida Gusmão, que não sabia o que era fracasso, e que alimentava as suas forças com as dificuldades de seu caminho."

Com o sumiço da irmã, todo o peso da expectativa dos pais cai sobre os ombros de Eurídice, que já era dada a obediências e passividades. Então, casa-se com Antenor, um homem trabalhador e dedicado. Adaptada à rotina familiar, com dois filhos e uma casa para dar conta, Eurídice procura fazer algo que lhe dê prazer. E encontra nas receitas culinárias uma nova distração, além da possibilidade de dar vazão ao seu talento e ser reconhecida:

“- Olha aqui, Antenor... anotei aqui todas as minhas receitas. Você acha que posso publicar?
- Deixe de besteiras, mulher. Quem compraria um livro feito por uma dona de casa? ”

Não era fácil ser mulher na década de 50... Guida enfrenta muitas dificuldades, perde o contato com a família, mas não sua força. Enquanto Eurídice segue tentando ser útil para si mesma, não só para os que dependem dela. Após a infelicidade com as panelas, se encanta com a costura, monta um atelier às escondidas. Vizinhança ouriçada e outra negativa do marido. Vive dias de solidão e angústia, de vazio existencial. Causa na empregada Das Dores uma preocupação própria da solidariedade feminina. Fica a olhar as estantes... cheias de livros... Bingo!

"Foi numa noite de outubro, quando os escritos de Eurídice já estavam bastante avançados, que ela soltou entre uma e outra garfada a informação que satisfez a curiosidade da família. ‘Estou escrevendo um livro. É sobre a história da invisibilidade’." 

Ela vai na contramão do desencorajamento do marido. Dá voz a tantas mulheres que não foram respeitadas em suas aspirações, a quem não foi permitido cruzar as próprias fronteiras, ir além dos muros domésticos. Quantas se atreveram e foram vítimas de seus companheiros, como ainda hoje acontece? Antenor não é violento com a esposa, permite que ela se divirta com o que ele considera passatempo, mas é daqueles machistas institucionais, que delimitam o espaço da mulher ao alcance de seus domínios:

"Eu preciso de uma mulher dedicada ao lar. É sua responsabilidade me dar paz de espírito pra eu sair e trazer o salário pra casa. Uma boa esposa não arranja projetos paralelos. Uma boa esposa só tem olhos para o marido e os filhos. Eu tenho que ter tranquilidade pra trabalhar, você tem que cuidar das crianças."

Uma pausa para engolir isso... Vai começar um debate feminista aqui.

As demais personagens do livro orbitam em torno das irmãs Gusmão. São pessoas que podemos nomear entre familiares, amigos e conhecidos. A vizinha fofoqueira, o rapaz bem-nascido e sem caráter, o marido machista que não enxerga a própria esposa, o “moço velho” dependente da mãe neurótica, a doméstica explorada no serviço. Tem de tudo.

Duas coisinhas me incomodaram durante a leitura: queria estar nos pensamentos de Eurídice. O recurso da narração em terceira pessoa pode ter dado um afastamento demasiado dos conflitos da personagem. Outra inquietação se deu à falta de resolução de pendências, que estão tão vivas no texto, mas ficam meio que em banho-maria. Ao mesmo tempo, outras coisas adoçam a leitura, como expressões usadas por nossas avós. Entre prós e contras, há muito mais vantagens e conteúdo na leitura, recomendada, com certeza.

O livro traz muitas reflexões (não fosse assim eu não o teria escolhido). Há um momento que demora na vida de Eurídice, quando ela perde o ânimo pela falta de apoio da família, em que passa as tardes olhando para a estante de livros. Há várias menções a este embotamento. Quantas mulheres viveram/vivem todos os seus anos assim? Sem tomar as rédeas da situação, sem coragem de mudar, sem ousar, sem permitir o enfrentamento, a novidade, o rompimento? Falo de mulheres porque este é o foco da narrativa, mas quantas pessoas, em geral, experimentam isso alguma vez? Em outro trecho a autora nos apresenta a “Parte de Eurídice que não queria que Eurídice fosse Eurídice”. Quase beijo a Martha Batalha aqui. Eis um ponto alto em que precisamos parar. Os boicotes, a autossabotagem. Gosto de pensar nisso, algumas pessoas sentem um desconforto, mas adoro cutucar minhas próprias feridas. Martha Batalha mostra como “mulheres que poderiam ter sido” acabam “não sendo”.

É incrível que o livro tenha sido rejeitado pelas editoras brasileiras, sob a alegação de crise. Mas foi amplamente aceito e comprado por editoras estrangeiras. Até filme vai virar ano que vem. E por fim a Companhia das Letras resolveu publicá-lo, em edição caprichada. O livro chega ao mercado com uma força adicional: é um momento de discussão do empoderamento feminino, as redes sociais multiplicando ideias feministas e, aos poucos, a sociedade assimilando os conceitos e a necessidade de debater questões de gênero. Martha Batalha, ao contrário de Eurídice, não é mais invisível.

Recomendadíssimo, e mais ainda, aconselho a discussão do livro em clubes de leitura.

Classificação no Skoob: 5 estrelas

Link do livro no Skoob.




6.12.16

{TAG Literária} TAG do Skoob


Sempre vi os blogueiros respondendo essas TAGs e tive vontade de responder também, mas nunca encontrava tempo. Então minha nova resolução do ano que vem será responder TAGs a pelo menos a cada quinze dias, então por favor, me monitorem!!!

Encontrei diversas legais, em diversos locais diferentes, então decidi começar pela TAG do Skoob, que é uma coisa que sempre tento manter em dia e no momento é uma das fáceis de responder!


1- Quantos livros lidos você tem na sua aba lidos?

Priscila: Hmmm 275 cadastrados. Porém, não são todos... Antes da criação do Skoob eu anotava todos os meus livros lidos em um caderno, lembro que o último número lá era 386, isso próximo de... 2003, acredito. Perdi esse caderno durante alguma das muitas mudanças de casa - e cidade - que fiz! Mas como o que conta é o Skoob - foco, Priscila! - 275 mesmo!

Amanda: Bom, diferente da Pri, antes do Skoob, eu nunca mantive nenhum tipo de controle sobre meus livros lidos, então muitos ficaram perdidos no limbo... Atualmente, no Skoob, tenho 191 lidos :)

2- Qual livro você está lendo agora?

Priscila: Estou lendo dois livros. Sempre tento manter duas leituras, uma no Kindle e um livro físico. Então as duas são:
Kindle: Do Éden à Luxúria, de Ananda V. Estou gostando demais, ótimo livro lançado pela Editora Arwen!
Físico: Juntando os Pedaços, de Jeniffer Niven. Lançamento da Editora Seguinte. Comecei a lê-lo recentemente, então ainda não formei uma opinião certa. Mas o tema muito me interessa e desde que vi resenhas de Por Lugares Incríveis, fiquei com uma tremenda vontade de ler algo desta autora!

Amanda: Eu também sempre tentei ler dois livros ao mesmo tempo, seja um no Kobo e um físico, ou um de literatura e um de psicologia, por exemplo... Mas no momento, o tempo anda tão curto, que não tá dando não... Tenho que focar em um só, pras resenhas hehehehe
Entãooo... O livro do momento é: Último Turno, do Stephen King.

3- Quantos livros tem na sua Aba quero ler?

Priscila: 18... Porque sim.
Mentira, é porque quero ler tantos livros, que se for ficar colocando todos que eu quero ler (tem vários dos que eu quero ler que eu já tenho, também. Só ainda não consegui encaixá-los na minha meta!), vou ficar só colocando livros que quero ler! <o> 


Amanda: Huashuahsuhas Eu coloco todossss que eu quero ler no Skoob, mesmo porque depois eu esqueço que quero ler. Ou esqueço da existência do livro. Enfim... Me organizo melhor assim. Portanto, tenho 500 livros na aba "Quero ler"... Hoje né... Amanhã já não sei rsrs

4- Você está relendo algum livro? Se sim, qual?

Priscila: Não. Porque tenho muitos na minha aba "Quero Ler" 😃😃😃
Mas já reli muitos, é claro. Reli toda a série Harry Potter umas 4 vezes (O Prisioneiro de Azkaban até mais vezes!) Reli... Eclipse uma ou duas vezs também... E O Pequeno Príncipe algumas vezes!

Amanda: Não. Não dá tempo gente!! Tenho uns 40 livros novos aqui em casa ser ler... Não posso me dar ao luxo de reler nada rsrs Às vezes, me pego relendo O Pequeno Príncipe, que é meu xodó, ou alguns livros de crônicas, poesias... Mas é raro... Tô tentando focar nos novos mesmo!

5- Quantos livros você já abandonou? Quais?

Priscila: Até hoje, em meus 30 anos de vida, abandonei um único livro: A Batalha do Apocalipse. Mas pretendo retomá-lo um dia!!!

Amanda: No meu skoob tem 6 abandonados. Por diversos motivos. Ou por não ter dado conta no momento que eu tava lendo, ou por ter que priorizar outro livro... Mas pretendo terminar todos eles ainda...

6- Quantas resenhas você tem cadastrada no skoob?

Priscila: 78 resenhas, yay!

Amanda: 19 no Skoob... Teve bom pro primeiro ano né? rsrs Logo tem mais... hehehe

7- Quantos livros avaliados?

Priscila: 275, avaliei todos que eu li!

Amanda: Nossa, to precisando gastar um tempinho nisso... Nunca lembro de avaliar meus livros lidos... 78 avaliados apenas...

8- Quantos livros tem na sua aba favoritos? Cite alguns.

Priscila: Eita que tem 52! E é difícil escolher só alguns, gente!

Clique nos nomes do livros, te leva às resenhas!
Amanda: No Skoob, tenho 29 favoritos... Precisando de atualização também... rsrs Aliás, urgentemente!! Não tenho resenhas deles, mas entre os favoritos estão: 
O Pequeno Príncipe, A trilogia Divergente, As vantagens de ser invisível...

9- Quantos livros tem na sua aba tenho?

Priscila: 212! Tem alguns que não coloquei lá porque pretendo doá-los em breve... Ou trocá-los... Sei lá o que vou fazer ainda!

Amanda: 217! Alguns não estão cadastrados no Skoob e ainda não tive tempo de cadastrar... Então, com certeza, a lista aqui em casa é um pouco maior...

10- E na aba desejados?

Priscila: Só 25. Aqui acontece a mesma coisa do "Quero Ler". Quero tantos que se for colocar todos... Eu fico triste!


Amanda: Mais uma vez, diferente da Pri, não fico triste não... kkkkkk Sempre que penso que quero comprar um livro, dou uma olhada nos desejados... Além do que, é uma ótima opção caso alguém queira me dar um presente, né? rsrs (Ohhh meu niver chegando, galera!!)

11- Tem algum livro emprestado?

Priscila: Tenho 4 livros emprestados! Todos para a mesma pessoa. Sou muito apegada aos meus livros, mas dependendo da pessoa eu empresto!

Amanda: E adivinhem com quem estão os livros emprestados da Priii!! Comigo!! huashuahsa Já li 3 deles e prometo que estão sendo muito bem cuidados e bem armazenados... kkkkkkk
Eu também sou bastante apegada aos meus livros, e tenho certeza que já emprestei alguns que não me lembro mais, e que não foram devolvidos... Fora quando empresto e as pessoas derrubam café, tomam chuva com ele... Enfim... Estou mais seletiva agora...  Tenho 4 emprestados (que ainda me lembre)... Se eu te emprestei um livro, por favor, cuida bem dele, leva seu tempo para ler, mas me devolve, please!!! 


12- Você quer trocar algum livro? Se sim, qual?


Priscila: Tenho 1 só... Alguém quer trocar Vampiro - O Réquiem? 😇

Amanda: Tenho 9 na minha lista de troca... Livros que não gostei tanto, não fazem meu estilo, me decepcionei... Ou enfim... Livros que eu gostaria de trocar por outros do meu interesse... :) 


13- Você tem alguma meta no skoob? Já cumpriu?


Priscila: Tenho a meta de 2015 cumprida e estou no caminho para cumprir a de 2016!

Amanda: Não bati a minha meta de 2015, e sinto que não vou bater a de 2016... Tudo isso porque vivo acrescentando novos livros o tempo todo... E no final do ano me embanano... 


Vi essa tag em outro blog, o Eu Pratico Livroterapia. Deixando aqui para as devidas consultas e referências justas!

Amanda: Genteee, incialmente, esse post era da Priscila... Mas eu não resisti e quis responder também kkkk  Foi quase uma invasão... Se quiserem conferir, tem os links dos nossos Skoobs aqui no blog... :) 

Que acharam da TAG? Podemos continuar com elas?

{Resenha} O Menino no Alto da Montanha





Título: O Menino no Alto da Montanha
Autor: John Boyne
Editora: Seguinte
Sinopse:   Quando fica órfão, Pierrot é obrigado a deixar sua casa em Paris para recomeçar a vida com sua tia Beatrix, governanta de uma mansão no alto das montanhas alemãs.
Porém, essa não é uma época qualquer: estamos em 1936, e a Segunda Guerra Mundial se aproxima. E essa não é uma casa qualquer: seu dono é Adolf Hitler.
Logo Pierrot se torna um dos protegidos do Führer e se junta à Juventude Alemã. Mas o novo mundo que se abre ao garoto fica cada vez mais perigoso, repleto de medo, segredos e traição - e talvez ele nunca consiga escapar.


"Não finja que não sabia o que estava acontecendo aqui - Disse Herta - Você olhos, tem orelhas. E esteve naquele escritório inúmeras vezes, tomando notas. Você ouviu tudo. Sabia de tudo. E também sabe das coisas pelas quais foi responsável. [...] Mas jamais convença a si mesmo de que não sabia. - Ela soltou o rosto dele. - Seria o pior crime de todos." ( Página 205 )


Li rapidamente esse livro, em um dia para ser precisa. Devo dizer que é um dos mais impressionantes que li do autor.

Bom, narrado em terceira pessoa, o livro nos apresenta Pierrot, um menino de cinco anos, filho de uma francesa com um alemão. O tempo do livro é logo após a Primeira Grande Guerra, foi como se eu tivesse lido uma continuação de “Fique Onde Está e Então Corra”, pois muitas coisas abordadas nessa outra história foram faladas.

O pai de Pierrot não ficou bem no pós guerra, fato que acabou o fazendo ser expulso de casa, mais tarde morre terrivelmente.

Vivendo com a mãe, o menino costumava conversar com seu amigo, Anshel, que nascerá semanas mais tarde a Pierrot. Percebendo pelo nome, Anshel era judeu, surdo e queria ser escritor.



Os amigos tinham linguagem própria que haviam criado, chamavam-se de cão e raposa. Anshel a raposa, por ser inteligente, Pierrot o cachorro, por ser fiel e bondoso.

Mas as circunstâncias mudam para Pierrot quando sua mãe também falece, apesar de a mãe de Anshel tê-lo recolhido, não possuía condições de cuidar dele, mandando-o então para um orfanato.
Após alguns meses no orfanato, vai a casa no alta na montanha, onde sua tia, Beatrix, mora. E como a sinopse disse, a casa de férias de Hitler – acho que isso não devia estar na sinopse, por ser um fato surpreendente.

Então sim, posso dizer que a história começa. Forçado a mudar o nome e a esquecer a vida anterior, Pierrot, que se torna Pieter, convive com soldados e com Fuhrer em pessoa. O mais surpreendente: o líder nazista adora o menino.


Acompanhamos a mudança do menino com o passar dos anos, como o poder muda sua personalidade e como o leitor passa a odiar as escolhas do personagem.

Com características marcantes e emocionantes, “O Menino no Alto da Montanha”, vem a ser, na minha opinião, um dos melhores e surpreendentes romances  desse autor.

5.12.16

{Lançamento} O Homem de São Peterburgo




Lançamento: 07/11/2016
Título Original: The man from St. Peterburg
Número de Páginas: 336 PÁGINAS
ISBN: 9788580416350
EAN: 9788580416350
Preço: R$ 44.90

“Um thriller histórico delicioso, atraente, insinuante e bem contado.” – Chicago Tribune
“Incrivelmente plausível. Um dos melhores romances de Follett.” – Time


A história pode estar prestes a mudar. 1914: a Alemanha se prepara para a guerra e os Aliados começam a construir suas defesas. Ambos os lados precisam da Rússia, que enfrenta graves problemas internos e vive na iminência de uma revolução. Na Inglaterra, Winston Churchill arquiteta uma negociação secreta com o príncipe Aleksei Orlov, visando a um acordo com os russos.
No entanto, o anarquista Feliks Kschessinsky, um homem sem nada a perder, está disposto a tudo para impedir que seu país envie milhões de rapazes para os campos de batalha de uma guerra que nem sequer compreendem. Para isso, ele se infiltra na Inglaterra com a intenção de assassinar o príncipe e, assim, frustrar a aliança entre russos e britânicos.

Um mestre da manipulação, Feliks tem várias armas a seu dispor, mas precisa enfrentar toda a força policial inglesa, um brilhante e influente lorde e o próprio Winston Churchill. Esse poderio reunido conseguiria aniquilar qualquer homem no mundo – mas será capaz de deter o homem de São Petersburgo?

Costurando com maestria a narrativa ficcional à colcha da História, mais uma vez Ken Follett fala sobre assuntos universais, como paixões perdidas e reencontradas, amores e traições, ao mesmo tempo que oferece uma visão precisa sobre os acontecimentos que mudaram o mundo para sempre.


“O homem de São Petersburgo tem um ritmo impecável, ação, intriga, violência e paixão. Um romance que diverte, instrui e satisfaz plenamente.” – Publishers Weekly
“Uma história maravilhosa em que não faltam assassinatos, incêndios criminosos, traições, torturas, amor e luxúria.” – New York Daily News

Na iminência da Primeira Guerra Mundial, a Inglaterra precisa garantir o auxílio da Rússia, e o sobrinho do czar Nicolau II está de viagem marcada a Londres para cuidar de negociações navais secretas com lorde Walden, um estrategista respeitado pelo rei que conhece a fundo o território russo.

Mas há outras pessoas interessadas na chegada do príncipe Aleksei: a lha úni- ca de Walden, Charlotte, uma jovem obstinada, idealista e com uma consciência social emergente; Basil omson, o cabeça do Serviço Especial da Scotland Yard; e, acima de todos, Feliks Kschessinsky, um cruel e destemido anarquista.

Enquanto as negociações secretas avançam, o destino dessas pessoas se torna inevitavelmente enredado. E, ao mesmo tempo que a Europa se prepara para a catástrofe da guerra, a tragédia pessoal de Walden caminha para um ponto irreversível.


Sobre o Autor:




Ken Follett irrompeu no cenário da literatura aos 27 anos, com O buraco da agulha, thriller premiado que chegou ao topo das listas de mais vendidos em vários países. Depois de outros sucessos do gênero, surpreendeu a todos com Os pilares da terra, um romance sobre a construção de uma catedral na Idade Média que até hoje, mais de 20 anos após seu lançamento, continua encantando o público mundo afora. Pela Arqueiro, publicou também a trilogia “O Século”, além de Um lugar chamado liberdade e As espiãs do Dia D. Suas obras já venderam mais de 150 milhões de exemplares no mundo. O autor vive na Inglaterra com a mulher, Barbara Follett.

4.12.16

{Resenha+Promoção} O primeiro dia do resto da nossa vida


Autor: Kate Eberlen
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Sinopse: Tess sonha em ir para a universidade. Gus mal pode esperar para fugir do controle da família e descobrir sozinho o que realmente quer ser. Por um dia, nas férias, os caminhos desses dois jovens de 18 anos se cruzam antes que os dois retornem para casa e vejam que a vida nem sempre acontece como o planejado.
Ao longo dos dezesseis anos seguintes, traçando rumos diferentes, cada um vai descobrir os prazeres da juventude, enfrentar problemas familiares e encarar as dificuldades da vida adulta. Separados pela distância e pelo destino, tudo indica que é impossível que um dia eles se conheçam de verdade... ou será que não?O primeiro dia do resto da nossa vida narra duas trajetórias que se entrelaçam sem de fato se tocarem, fazendo o leitor se divertir, se emocionar e torcer o tempo todo por um encontro que pode nunca acontecer.


Resenha:

“Tess e Gus foram feitos um para o outro, só que eles não se encontraram ainda, e pode ser que nunca se encontrem...”

Começo essa resenha me retratando com as histórias de amor. Mil perdões por afirmar não ser uma fã. Estou apaixonada pela história e pela escrita de Kate Eberlen. Que delicadeza, que atenção aos detalhes, aos sentimentos e sensações dos personagens, aos locais escolhidos para a ambientação. Que livro mais lindoo!!!

Com a leitura desse livro, eu senti como se pudesse estar dentro dessa história, como se eu pudesse estar vivendo as dores de cada personagem. E apesar de cada dor, cada situação triste, ainda consegui pensar que eu gostaria de viver uma história de amor como a deles.

A autora conta a história de Tess e de Gus durante 16 anos das vidas deles. Os dois são ingleses, e se esbarram na Itália quando tinham acabado de completar 18 anos e sonhavam com a universidade. Depois disso, inúmeras coincidências os aproximam e os afastam nos anos seguintes, e eles continuam vivendo suas vidas sem nem imaginar que já estavam destinados a ficar juntos.

Tess teve que adiar o sonho da universidade, pois com a morte de sua mãe devido a um câncer, ela assumiu muito cedo a responsabilidade de cuidar de sua irmãzinha, Hope, que descobriram ser portadora da Síndrome de Asperger, que é um transtorno do espectro autista, mas de grau leve. Hope apresentava algumas dificuldades na socialização, porém era muito inteligente e tinha muito interesse por tudo relacionado à música.

“- Não é que eu não consiga me virar – confessei a ela baixinho – É só que sinto saudade de encontrar você em casa quando chego da escola porque a casa parece vazia demais. Sinto falta de conversar com você na cozinha e também de não conversar porque nós duas estamos prestando atenção em uma conversa alheia. Eu simplesmente sinto muitas saudades, mãe! Não é a mesma coisa sem você aqui...”

Gus também viveu um luto bem cedo, com a perda do irmão em um acidente de esqui, pelo qual ele se sente culpado durante todos esses anos, o que gerou dificuldades no relacionamento com os pais, já que Ross era o filho preferido. Gus foi estudar medicina, para agradar os pais, mas nunca teve certeza do que realmente queria fazer da vida.

“Eles deviam saber que eu não teria conseguido impedi-lo, mas precisavam culpar alguém e não podiam culpar Ross, porque ele, claramente, iria morrer. E aqueles que morrem jovens sempre viram heróis ou santos.”

Ambos tiveram relacionamentos amorosos que os deixaram felizes por anos, mas sempre sentiram que faltava algo, e no fim havia sempre uma decepção esperando no lugar do “felizes para sempre”.

Gus estava em um relacionamento sério com Lucy, mas acaba se envolvendo com a antiga namorada do irmão, Charlotte, que engravida e eles acabam se casando. Porém o relacionamento esfria, e após duas filhas, Charlotte revela que vai deixá-lo para se casar com um cara bem mais velho (e bem mais rico).

Tess quase se casou com Dave, um cara super legal, mas que acabou a trocando por sua melhor amiga, Doll, momento do livro em que eu também me senti traída, e odiei Doll quase até o final da história. Massss, se Tess perdoou, quem sou eu para guardar rancor né?

Tess ainda luta com a possibilidade de desenvolver um câncer assim como a mãe, pois descobre que a condição era genética, e começa a ponderar sobre dever ou não fazer uma cirurgia antes que apareça algum tumor, o que a deixa extremamente ansiosa e preocupada. Se algo acontecesse com ela, quem iria cuidar de Hope?

“Sabia que, quando você apresenta uma mutação nos genes BRCA1 ou BRCA2 – meu caso, Jane estava explicando, era no BRCA2 -, você tem duas escolhas. Pode optar por uma cirurgia preventiva. Primeiro, a mastectomia bilateral, depois a remoção dos ovários, levando a uma menopausa precoce. Ou pode escolher a vigilância, o que significa fazer uma mamografia e uma ressonância magnética todos os anos para poder agir depressa se algo aparecer.”

No final das contas, tanto Gus quanto Tess conseguem se libertar do passado e ir atrás da vida e da profissão com que sempre sonharam, mas que foram impedidos de alguma forma. E o destino agiu com perfeição para que tudo ocorresse quando os dois estivessem realmente preparados para viverem suas vidas como desejavam.

Uma história de encontros, desencontros e reencontros, acompanhados de uma belíssima paisagem e a descoberta de um amor que chegou na hora certa! Obrigada Kate Eberlen, por me fazer compreender que não odeio romances, apenas percebi que eles têm a forma correta de serem contados, e depois desse, acho até que acredito em histórias de amor!


Promoção das Meninas!!!

Quer ganhar este livro para chamar de seu?

Em parceria com a Editora Arqueiro, vamos sortear o livro O primeiro dia do resto da nossa vida!


Para participar:

Curtir a página da Editora Arqueiro
Curtir a página do blog As meninas que leem livros;
Curtir e compartilhar em modo público a postagem do sorteio:
Seguir o Blog via Google Friend Connect (clicar em seguir no menu ali do lado!)
Clicar em "Quero Participar" no link do sorteio: Link
Residir em território nacional;

O sorteio acontecerá no dia 20 de dezembro de 2016 (já é um ótimo presente de Natal, hein?) e a ganhadora ou ganhador deverá nos mandar seu endereço através do email asmeninasqueleemlivros@gmail.com. Após o contato, lhe enviaremos o livro em até 3 dias úteis!

Não deixe de seguir todos os passos!

Boa sorte!

3.12.16

{O menino que vê filmes} Animais Fantásticos e Onde Habitam



Direção: David Yates
Elenco: Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Colin Farrel, Ezra Miller, Dan Fogler, Alison Sudol, John Voight, Carmen Ejogo, Samantha Morton, Jenn Murray, Faith Wood-Blagrove, Johnny Depp, Ron Pearlman
Sinopse: A cidade de Nova York tem sido atormentada por um estranho fenômeno, que tem apavorado os não-mágicos e colocado em risco a harmonia entre o nosso mundo e a ordem dos bruxos. A confusão só aumenta com a chegada do excêntrico Magizoologista Newt Scamander e sua maleta mágica, cheia dos mais estranhos, maravilhosos e, por que não dizer, FANTÁSTICOS animais?

ATENÇÃO: Contém spoilers (revelações sobre o enredo) referentes ao filme em questão. Se você ainda não assistiu, prossiga por sua conta e risco.

Resenha

Oi gente! Vim hoje falar pra vocês sobre esse maravilhoso longa, ANIMAIS FANTÁSTICOS E ONDE HABITAM, que para mim é simplesmente o melhor filme do ano, até agora. Isso mesmo que vocês leram! Não tem pra Vingadores – Guerra Civil, Batman vs Superman e nem mesmo para o incrível Lar das Crianças Peculiares (todos excelentes filmes que a gente viu por aqui esse ano). Animais Fantásticos superou todas as minhas expectativas! Absolutamente TUDO nesse filme prende a atenção do começo ao fim! O elenco, os efeitos especiais, as reviravoltas, cada detalhe foi pensado na medida e conduzido com maestria por David Yates.

Animais Fantásticos e Onde Habitam faz referência direta ao universo de Harry Potter. Tudo e todos têm alguma relação com Hogwarts, a escola do Professor Dumbledore. O próprio protagonista, Newt Scamander (Eddie Redmaine) teria sido expulso da escola de bruxos, por colocar em risco a vida de colegas, em decorrência de suas pesquisas no campo da Magizoologia – a ciência que estuda os chamados animais fantásticos.

Eddie Redmaine, ganhador do Oscar de melhor ator por "A Teoria de Tudo", na pele de Newt Scamander
Embora as intenções de Scamander sejam nobres (seu trabalho consiste na catalogação, estudo e proteção dos animais fantásticos), não é raro vê-lo metido em situações caóticas, devido à própria natureza dos seres que estuda.

Nessa parte da estória, o jovem Newt vem da Inglaterra à Nova York com o objetivo de devolver um de seus animais a seu habitat natural, nos EUA.
Porém, ao chegar, escuta com atenção os relatos de uma família de fanáticos religiosos, que dão conta da aparição de um velho conhecido de Scamander na cidade: Um Obscurus – criatura de sombra e maldade, que se apossa de jovens e crianças, consumindo-as por completo.
Para piorar ainda mais a situação, assim que Newt desembarca em Nova York, o mais sapeca da sua coleção de animais, o Pelúcio, uma criaturinha parecida com um ornitorrinco e totalmente cleptomaníaca quando se trata de objetos brilhantes, escapa da maleta mágica.


Os sensacionais coadjuvantes

Logo que começam as confusões, Newt Scamander acidentalmente esbarra no simpático Jacob (Dan Fogler), um padeiro que está tentando, sem muito sucesso, conseguir um empréstimo para abrir sua própria padaria. Jacob acaba testemunhando alguns eventos mágicos e precisa urgentemente ser “obliviado” (ter as memórias recentes apagadas). Acontece que ele acaba sendo de grande utilidade para Scamander na busca por seus animais fantásticos, razão pela qual ele entra de cabeça na aventura. Espontâneo e engraçado, Jacob arrancou risadas da plateia durante todo o filme.


No encalço de Newt, está a tímida e atrapalhada Porpetina Goldstein, uma jovem bruxa que está tentando de tudo para recuperar seu emprego na MACUSA, uma espécie de agência governamental secreta que cuida dos interesses dos bruxos nos EUA. A pesonagem acaba se juntando a Scamander e Jacob na procura pelos animais da maleta. Mais tarde, a irmã de Porpetina, a bela leitora de mentes Queenie, junta-se ao trio, desenvolvendo um núcleo cômico junto a Jacob, que acaba se tornando seu par romântico.


Partindo para outro núcleo, grata foi a minha surpresa quando dei de cara com Ezra Miller, interpretando o jovem Credence, um menino pertencente a um grupo de fanáticos anti-bruxos que prega a caça às bruxas nas ruas de Nova York. Ezra já apareceu aqui nas nossas resenhas na pele do polêmico Kevin em Precisamos Falar Sobre o Kevin. Trata-se de um ator de primeiríssima grandeza, apesar da pouca idade. Miller interpretará também o super herói Flash, no longa da Liga da Justiça, que sai em 2017.


No desenrolar da trama, descobrimos que há a suspeita por parte dos bruxos de que o temido bruxo Gellert Gindenwald, que escapou da prisão, tenha vindo refugiar-se na cidade de Nova York. Para investigar o caso entra em cena o bruxo Percival Graves (Colin Farrell), que passa a desconfiar das intenções de Scamander.

Puxando um pouco a brasa para a minha sardinha, não posso deixar de dar destaque para meu querido (e feioso) Ron Pearlman, um dos protagonistas da minha série favorita, Sons Of Anarchy. Aqui ele aparece como Gnarlak, um contrabandista do submundo mágico de Nova York.

Uma surpresa escondida no finalzinho

A reação foi geral... a sala toda foi tomada por um “Ohhhhhhh”... hahaha... Mas é óbvio que eu não vou contar aqui qual foi a surpresa. Quem já foi, sabe o que eu estou falando. Quem ainda não foi, está esperando o que?


Conclusão

Eis que quase no finalzinho de 2016, David Yates vem nos brindar com esse que se tornará outro clássico da queridíssima J.K. Rowling, e que promete continuações no futuro, já que a tal surpresa do fim do filme não foi colocada lá em vão, acredito eu. Não sei quanto a vocês, mas eu vou esperar ansiosamente...

Até a próxima, gente!

2.12.16

{Dica de Leitura} Matheus Peleteiro


A Dica de Leitura aqui do blog é voltada para a divulgação de autores nacionais!

O autor de hoje é o Matheus Peleteiro!

Conheça suas obras:

Mundo Cão

Editora: Talentos da Literatura Brasileira
Ano: 2015
Unindo elementos de literatura marginal com sentimentos altruístas, surge Mundo Cão, que narra, em primeira pessoa, a história de Pedro Contino, um jovem que so­fre desde cedo por conta das peripécias da vida, e, por mais que busque o melhor, vê, em sua sombra, o caos. Morador da favela Roda Vida, Pedro poderia ter traçado qualquer caminho, mas a vida escolheu um em especial. Mesmo em meio à ausência de recursos, é apresentado à literatura por um vizinho mais velho, e, por conta dela, cria uma importante consciência social. Guiado por músicas e livros, ele logo percebe como tudo funciona. Indigna-se e, amargamente, percebe que não tem poder para realizar uma mudança no mundo…
O caos já faz parte dele, envolvendo-se com drogas, álcool, e, para completar, com as mais belas e loucas mulheres. 
Onde adquirir:

Notas de um Megalomaníaco Minimalista


Editora: Giostri
Ano: 2016
Uma novela, um romance, uma história de amor, ou um simples debate existencialista de caráter profundo e linguagem popular. São estas algumas das maneiras as quais pode ser denominada essa obra, que, na verdade, é muito mais que uma história, um relato, um desabafo.
Uma história contada por um rapaz que discute sobre tudo o que teme e lhe agrada, um relato sobre os seus egoísmos e suas formas de buscar a grandeza nas coisas mais simples, um desabafo aos ouvidos de uma moça que sorri e esbanja estilo enquanto tudo que deseja é perpetuar aquele momento.
Notas de um megalomaníaco minimalista é uma manifestação do autor em torno das aflições contemporâneas e das suas próprias também. Ou, talvez, apenas um singelo registro do conjunto de inquietações de um mundo globalizado, sob a face de um rapaz e uma moça num dia ensolarado frente ao mar.
Onde Adquirir:

Ambos os livros também podem ser adquiridos no Facebook.

Sobre o autor 

Matheus Peleteiro nasceu em Salvador, Bahia, em 1995. Acadêmico da área de direito, escritor, poeta e contista, em 2015 publicou seu primeiro romance Mundo Cão, e, em
2016, a sua novela Notas de um Megalomaníaco Minimalista.
O escritor também faz parte do coletivo Sapiens Marginalis, onde poetas de todo o Brasil divulgam seus trabalhos através das redes sociais.
Matheus iniciou seus escritos na internet, utilizando o nome Espirituoso e Trágico. E em dezembro dá um grande passo à frente abordando temas contemporâneos com o seu primeiro livro de poemas, intutulado "Tudo que arde em minha garganta sem voz".

Através de seus livros, Matheus tenta retratar, através de uma linguagem universal, os medos, anseios e o período em que vivemos. Se utilizando do humor, e da sátira, como os escritores que lhee serviram de referência. Em Mundo Cão (editora Novo Século, 168 págs), há a tentativa de retratar o cenário político e musical, apresentando personagens adolescentes que se tornam adultos cedo, através de uma narrativa que mistura amor, ódio, sangue, e humor. Já em Notas de um Megalomaníaco (editora Giostri, 82 págs), o romance paira, e através de reflexões de dois personagens e até referencias a seriados e filmes, o autor tenta trazer questionamentos que todos fazemos em determinados momentos nos dias de hoje.

Matheus afirma que o seu principal foco é trazer, através de uma narrativa com boa fluidez, e através de uma linguagem atual, um cenário em que nos identifiquemos, para que seus leitores possam ler hoje ou no futuro, e sentir de forma profunda o que nós sentimos hoje.
Matheus Peleteiro nas Redes:

Skoob
Facebook
Instagram

Se deseja ser divulgado pelo blog, assim como o Matheus, entre em contato conosco através do email: asmeninasqueleemlivros@gmail.com que lhe daremos toda a atenção! <3

1.12.16

{Lançamentos} Novembro: Editora Arwen


A Editora Arwen nos traz este mês lançamentos em diversos gêneros literários e as capas estão uma obra de arte à parte!

Ao clicar no título de cada livro, você será redirecionado à página de cada um deles, onde você também poderá ver mais informações e adquirí-lo!

Confira abaixo todos os lançamentos:


Gênero: Romance / Drama
Ano: 2016
Idioma: Português
Páginas: 132
ISBN: 978-85-68255-72-8
Acabamento: Brochura
Sinopse: A Beleza de um Cacto é uma novela de drama que nos apresenta a história de Amanda, uma jovem que conheceu muito cedo o inferno na terra e, apesar de ser inteligente e ter um temperamento forte, terá que enfrentar traumas do passado e medos do presente na esperança de que, com isso, possa salvar seu futuro. Contará, mesmo que não esperando, com a ajuda de Pedro, um rapaz que aprendeu com a vida que nem tudo é o que parece ser.
Não se trata de mais um romance onde tudo é colorido, tampouco é um livro de autoajuda, embora possa marcar sua vida. Aos que resolverem se aventurar por estas páginas, sejam bem-vindos.

Alex Camargo 


Gênero: Romance / Auto-ajuda
Ano: 2016
Idioma: Português
Páginas: 168
ISBN: 978-85-68255-75-0
Acabamento: Brochura
Sinopse: Neste livro, falaremos de alguns dos temas mais abordados e questionados há séculos. Perguntas que, na maioria das vezes, não possuem respostas e que afligem a cabeça do homem. Em Quem é Você?, encontramos as respostas para questões como: qual é o nosso objetivo na Terra? O famoso inferno e os seus demônios realmente existem? E o karma? E muitas outras questões. O autor nos dá as respostas de sua alma, do seu “EU” conectado ao Criador.
Quem é Você? mostra que nada na vida acontece a menos que queiramos. Você pensa, deseja e sua alma produz!

Joyce Santalme


Gênero: Aventura / Mitológica
Ano: 2016
Idioma: Português
Páginas: 167
ISBN: 978-85-68255-76-0
Acabamento: Brochura
Sinopse: Daniela cresceu longe da mãe, sendo criada apenas pelo pai, um homem que procurava suprir a ausência com presentes caros e viagens. Cansada de tudo isso, decide assumir as rédeas de sua vida e, nesse processo, conhece Thálasso.
Thálasso é um amigo sem igual, um jovem com o poder de acalmá-la, fazendo as coisas parecerem muito mais fáceis do que ela sequer poderia imaginar antes dele. Porém, até que ponto esse sentimento é apenas amizade? Daniela prefere arriscar descobrir a resposta para essa pergunta e assim parte para a Grécia com Thálasso, em uma viagem cheia de beleza, romance e mistérios que vai mudar toda a sua vida.

Lilly Belmount


Gênero: Romance
Ano: 2016
Idioma: Português
Páginas: 238
ISBN: 978-85-68255-77-0
Acabamento: Brochura
Sinopse: O que é um amor puro e verdadeiro? É ser sincero ao estar ao lado de quem se ama profundamente? É mudar por ele na esperança de tornar o seu mundo mais colorido?
Amar é arriscar tudo para fazer alguém feliz.
Jared e Cindy, com certeza, se amam. Mas será que isso é o bastante? Para descobrir, eles terão que ultrapassar muitos obstáculos. Juntos, eles descobrirão que estar ao lado de quem se ama pode ser uma grande aventura para se autodescobrir e que o amor tudo pode superar.

Wesnen Tellurian


Gênero: Fantástico
Ano: 2016
Idioma: Português
Páginas: 615
ISBN: 978-85-68255-79-2
Acabamento: Brochura
Sinopse: Existe um lugar mágico, superabundado por seres com poderes especiais, onde o equilíbrio da natureza é regido por quatro relíquias mágicas – as quatro esferas eólicas.
Uma imperatriz, unida com seu pai nefasto, deseja as quatro esferas para levantar seu império sobre os quatro cantos do mundo e obter imortalidade e onipotência, mas, de acordo com a lenda, a reunião destas esferas terá como consequência um desequilíbrio devastador sobre a natureza que poderá levar toda a alma vivente à extinção.
Até onde você iria por aquilo que ama? Éolo está disposto a tudo. Ele cruzará dimensões, lugares sombrios e amaldiçoados, enfrentando quem for preciso, deflagrando o maior embate da história entre seres mágicos para “garantir” a sobrevivência do planeta e de seus entes queridos.
Tente imaginar todos os monstros viventes do planeta em um só combate... Isso vai acontecer, é o que a lenda garante. Será que Volátil irá sobreviver?

Tatiane Durães

Gênero: Fantasia
Ano: 2015
Idioma: Português
Páginas: 428
ISBN: 978-85-68255-80-2
Acabamento: Brochura
Sinopse: Tayara decidiu enfrentar os erros de sua vida passada e acabou sendo levada através de Arcantatys pelos acontecimentos e consequências de suas escolhas. As sombras começam a espreitá-la. Uma terrível vilã, em busca de poder, entrará em seu caminho de forma inusitada e Tayara terá seus limites testados ao descobrir segredos do seu passado.
Traições e batalhas pairam em sua trajetória. Diante de uma sombria realidade que pode confundi-la, ela terá que fazer difíceis escolhas para proteger a quem ama. Em As Faces da Sombra, Tayara terá que confrontar o seu maior medo. A batalha final está se aproximando e ninguém sabe de qual lado ela estará.

Carine Raposo

Título: Olhar de Fogo
Autor: Carine Raposo
Gênero: Romance / Fantasia
Ano: 2016
Idioma: Português
Páginas: 206
ISBN: 978-85-68255-78-3
Acabamento: Brochura
Após ter sua casa invadida na manhã de Halloween, Hannah decide seguir o novo vizinho misterioso até sua mansão. Hipnotizada pelo desejo de desvendar os segredos por trás daqueles olhos de fogo, ela entra. Só não imaginava que essa escolha a faria descobrir muito mais do que gostaria. Pois há algo errado come la. Um ritual terá início. Planos macabros entrarão em ação. E, em três noites, seu passado se revelará de maneira cruel.
O tempo e a verdade serão seus maiores inimigos. Hannah nunca deixou o medo lhe servir de conselheiro. Nessa noite, ela se arrependeu.
ENTRE, E SEJA BEM-VINDO À MANSÃO, MAS NÃO ESQUEÇA: TOME MUITO CUIDADO COM SEUS OLHOS...
Hannah não seguiu meu conselho, e acabou pagando caro por isso.