Menu

31.12.16

{Série} Black Mirror





Criador: Charlie Brooker.
Temporadas: 3
Sinopse: Trata-se de uma série de ficção especulativa que expõe, por vezes de forma sombria, o futuro dos seres humanos no tocante às nossas tecnologias atuais e força uma reflexão sobre como nossa realidade pode tornar-se absurdamente caótica por conta dessas mesmas tecnologias.
ATENÇÃO: Contém spoilers (revelações sobre o enredo) referentes à série em questão. Se você ainda não assistiu, prossiga por sua conta e risco.

Resenha

Oi gente! Bem vindos à última resenha dO Menino Que Vê Filmes deste ano (espaço pra vc colocar um adjetivo) de 2016! Um ano marcado por grandes tragédias, turbulências políticas (no nosso caso aqui) e muitas, mas muitas perdas no mundo artístico. Como esse ano foi pra você? Pra mim, 2016 ficará marcado pra sempre e principalmente como o ano em que eu venci o câncer. De forma geral, se você chegou vivo e saudável até o dia de hoje, considere-se um sobrevivente. 

Mas nem tudo é tristeza! 2016 foi também um ano de grandes filmes e séries. Foram tantos e tantas que o “menino” aqui nem teve tempo de acompanhar tudo. Uma das séries de destaque desse ano foi BLACK MIRROR, disponibilizada lindamente pela minha queridíssima e maravilhosa Netflix! Embora a série tenha seu primeiro episódio datado nos idos de 2011, produzido para o canal britânico Endemol, somente agora parece ter caído no gosto dos brasileiros. Sou suspeitíssimo pra falar, já que assisti às 3 temporadas basicamente “numa sentada”, de tão viciante que é.


Mas do que trata BLACK MIRROR? O que faz desta série especial? Bom, pra começar, tudo. Quero dizer, estamos falando de uma série de TV britânica. No ramo da produção de filmes e séries os norte americanos lideram, certo? Nem sempre. Esses britânicos, quando se metem a produzir algo de qualidade, seja para a TV, seja para o cinema, dão baile no pessoal do Tio Sam. Quer exemplo melhor do que Game Of Thrones? Aliás, Pri, prometo que 2017 sai resenha de GOT, tá? Não esqueci do seu pedido ;-)

Mas, voltando ao assunto, você já parou pra pensar sobre os rumos que a nossa vida está tomando, especialmente no que toca à nossa condição de animais sociais? Não é difícil! Basta se questionar sobre algumas coisas básicas, como quantas vezes você saca o smartphone do bolso para checar as suas redes sociais? Qual a relevância de uma “curtida” pra você? Parece exagero temer o que estar por vir? Então vamos avançar alguns poucos passos no futuro e fazer a seguinte pergunta: É plausível que, um dia, as operadoras de crédito analisem o número de curtidas e avaliações positivas nos seu perfis como diferenciais na hora de conseguir um empréstimo ou um financiamento junto ao banco? E mais: E se a instituição financeira em questão analisasse o quão bem avaliadas são as pessoas que te avaliam? Outra: Você consegue imaginar um futuro onde o sistema penal basei-se em castigar criminosos fazendo-os reviver, todos os dias, seus crimes sob a ótica da vítima, tudo isso graças a um simples implante cerebral? Está suficientemente assustado? Pois bem. Esse é o objetivo de BLACK MIRROR.



Ora, o próprio nome da série (Espelho Negro) faz referência a um monitor, seja de um computador ou de um Smartphone. De certa forma, o autor da série enxerga a tecnologia como uma droga, tão viciante e nociva quanto qualquer outra. E não é que ele tem razão?

Formato

BLACK MIRROR tem episódios aleatórios. Cada estória tem um elenco, uma ambientação e até mesmo uma realidade diferente. Dessa forma, não há sequência entre os episódios, de modo que tanto faz por qual episódio começar, não fará diferença.

Episódios e EPISÓDIOS

Diversos sites especializados disponibilizaram listas classificando episódios bons e ruins de BLACK MIRROR. Não concordo muito com tal classificação, já que não encontrei nenhum episódio ruim, por assim dizer. O que há são uns episódios mais movimentados e outros mais monótonos; alguns mais românticos e outros mais trágicos. Mas TODOS igualmente tensos e perturbadores. “Daí vai do gosto do freguês”, como diz o ditado. Mas, se é que posso deixar a minha classificação aqui pra vocês, eu destacaria o episódio 4 da 3ª temporada “San Junipero” como o mais triste, e o episódio especial de natal “White Christmas” como o mais perturbador.

Uma história de amor simulada em San Junipero e...

... O trágico desfecho de White Christmas
Recomendo!

É, recomendo muito. Mas atenção: BLACK MIRROR não é uma série para todo tipo de expectador. Portanto, se você é do tipo impressionável, evite por enquanto. Vá ver algo mais leve, porque de leveza esta série aqui não tem nada! Hahaha

Conclusão

Gente, antes de mais nada quero me desculpar por essa resenha curtinha de hoje, a correria de fim de ano aqui não tá fácil. Mas acho que deu pra resumir bem as minhas impressões sobre a série.

No mais, queria deixar aqui o meu agradecimento especial à minha prima Amanda e à minha queridíssima amiga Priscila (que eu ainda hei de conhecer pessoalmente rsrs), ambas resenhistas aqui do blog, bem como a TODAS as Meninas Que Leem Livros, pela oportunidade de poder contribuir para a página. Conforme eu disse no começo, passei praticamente o ano todo doente e SÓ EU SEI o quanto me fez bem escrever aqui.

Naturalmente, preciso agradecer também a todos vocês, meninos e meninas, que vêm aqui de 15 em 15 dias ler minhas resenhas de filmes. É por vocês que eu trabalho. Amo muito todos vocês!

Enfim, ficam aqui meus votos de que 2017 venha mais leve pra todos nós, e que aprendamos a vibrar positivamente pra ajudar a tirar nosso país dessa nuvem negra pela qual estamos passando. Desejo que sejamos mais irmãos, mais tolerantes uns com os outros. Desejo, por fim, força, a cada um de vocês, para que possamos juntos evoluir na arte de praticar a paz e o bem. Um beijo no coração de cada um de vocês, e um feliz ano novo!

Até o ano que vêm, gente!




30.12.16

{Resenha} A Vampira



Autora: Martina Romero
Editora: Talentos da Literatura Brasileira – Novo Século
Sinopse: "Katherine Miller é uma vampira que foi transformada há mais de três séculos por seu grande amor, Daniele. Depois de oito anos juntos, ele decide abandoná-la para mantê-la segura, já que ao seu lado ela corria perigo. Antes de partir, porém, Daniele promete protegê-la, ainda que de longe, sob qualquer circunstância. Para um vampiro, a palavra é tudo, mas Kath não se convence e, a partir daquele momento, abdica de qualquer sentimento. Agora, trezentos anos depois, sozinha e diante da eternidade, Katherine é uma vampira sem compaixão, que mata sem parar. Para se entreter, ela se matricula na universidade e, logo no primeiro dia de aula, reencontra alguém de seu passado. O choque é enorme. O que ele fazia ali? Mesmo com sede de vingança, Katherine começa a perceber que, apesar de tudo, ainda sentia algo por Daniele. Negando esse sentimento para si mesma, tenta mascará-lo com raiva, mas, aos poucos, começa a ceder. Ele ainda quer protegê-la, pois há um grande perigo à espreita. Para ficarem juntos, porém, ela terá que deixar seu rancor de lado."

“Não podemos mais fugir juntos. Você está correndo riscos assim. Não quero você em perigo.”

Sabe uma situação terrível que poderia ter sido evitada se uma decisão não tivesse sido tomada? 

É isso que resume basicamente a história de Daniel (Daniele) e Katherine (Catarina). 

Ele, um vampiro de setecentos anos, já com algum poder acumulado, que se apaixonou por uma camponesa cujos pais já estavam planejando um casamento com algum homem de classe baixa, já que nobres nunca se casariam com a filha de camponeses – e Catarina desejava muito mais que um pobre para si mesma. Sorte que um certo dia (sim, dia. Explico depois.), seu caminho se cruzou com o de um rapaz alto, forte, de cabelos meio longos... Um deus romano! Sim, era Daniele, o vampiro.

Cada autor tem sua própria versão destas criaturas míticas, os vampiros. Então não estou aqui para criticar a visão de Martina, já passamos muito desta fase de criticar o que é um vampiro de verdade, né? Porque... Na realidade, vampiros não existem! 

Daniele é um vampiro bom. Não mata, nem gosta de o fazer. Mas também não se alimenta apenas de animais para sobreviver, bebe sangue de humanos e os faz esquecerem do que aconteceu depois. A única coisa que o vi matar de verdade foram Caçadores Originais. E Catarina uma jovem menina doce e boba que se encanta com este homem diferente e ele lhe conta toda a verdade sobre sua raça, afinal deseja passar com ela a eternidade. Apaixonada, Catarina não vê a hora de ter sua vida sugada pelo homem que ama.

Porém, este amor a destrói. Abandona-a depois de poucos anos juntos e a história do livro começa trezentos anos depois, quando agora conhecida como Katherine Miller decide se matricular na faculdade de medicina de New Orleans, cidade onde reside com sua amiga bruxa fantasma Tatia. A bebedora de sangue já diz não ter nenhuma humanidade restante em seu ser, chama a si mesma de monstro, de A Vampira. Afinal, ela mata impiedosamente, gaba-se de ter eliminado todos os Caçadores Originais e de um clã de bruxas que os auxiliava. Mata indiscriminadamente e não liga para nada a não ser si mesma. O abandono do ser amado matou o ser humano que existia dentro dela e ela é feliz assim.

Ou...
“A aula se arrastava, e foi a primeira vez, em séculos – literalmente – que eu sentira o tempo passar. Foi então que ele se virou para mim e sussurrou:
- Nós nos conhecemos de algum lugar?
- Não. – respondi apressada.”
Como vemos na sinopse, ela reencontra uma figura de seu passado, e o timing não poderia ser mais errado: um Caçador Original parece ter sobrevivido ao extermínio e deseja vingança, tanto quanto Kath deseja se vingar de Daniel por tê-la abandonado, mesmo dizendo que iria protegê-la até o fim.

Um Caçador Original não é reconhecido como ser humano, uma vez que ele vive por volta de cento e cinquenta anos. Possui força extra, agilidade também, pelo que pude perceber (corrijam-me se eu estiver errada, pessoas que leram o livro!) e já nascem com o instinto de matar vampiros, então são capazes de senti-los se estão nas proximidades. Este do livro, em particular, parecia o próprio Jason (sim, o cara da máscara de hóquei que pune adolescentes que não estão fazendo sexo seguro!). Não importa onde estivessem, lá estava ele!

Na faculdade, Kath conhece Jessie, um vampiro legal que a faz começar a sentir uma coceirinha dentro de si. E ver que Daniel sente ciúmes é melhor ainda! Enquanto os três fogem, uma ligação se forma entre eles e Kath, embora ainda se chame de monstro, a vampira mais poderosa de todos, ela percebe que sente. E ainda mais quando seu ex não sai de perto, pois ele prometeu protegê-la trezentos anos atrás. E promessas para vampiros não são o mesmo que para humanos, eles não podem quebrá-la de modo algum. É como se a gravidade agisse à favor da promessa. Sim, os vampiros de Romero possui características de vampiros clássicos, como não poder entrar em um lugar sem ser convidado, mas ela também criou novos sinais.
“(...) Ele fizera aquilo comigo porque quisera, não porque os instintos mandavam. Ele fez aquilo porque quis. Para proteger-me ou não, ele partiu meu coração.”
Temos flashes de memória do passado em que nosso casal protagonista vivia junto, que atingem a memória de Katherine conforme sua muralha vai se partindo, com os perigos que ambos dividem. Não vemos a resolução final da trama, mas vemos o que acontece com ambos. 

Admito que no começo não gostei muito, não pareceu uma história que fosse prender a minha atenção. Ainda mais porque vi que a protagonista fica toda fragilizada propositalmente (no nível de desenvolvimento da história), para que Daniele a protegesse. De vampira poderosa supersegura de si, monstruosa e matadora, a uma menina medrosa que precisa de alguém para lhe proteger e sentir-se bem. 

“Como vampiros, não costumamos aproveitar nossos infinitos dias. Os humanos reclamam do pouco tempo de vida que têm, mas, pelo menos, eles desfrutam desses anos limitados. Já nós, não nos importamos tanto com isso, pois saber de nossa imortalidade permite que vivamos sem nos preocuparmos com a morte que se aproxima. Mas... de que adianta a eternidade se não for para viver de verdade?”
A história é muito bem escrita, Martina escreve e descreve as cenas de maneira proveitosa. As páginas do livro são amareladas, o que torna bem confortável ler horas a fio (que foi o que fiz!). Recomendo a leitura!

29.12.16

{Resenha} As Grandes Aventuras de Daniella


Autora: L. L. Alves
Editora: Arwen
Sinopse: Bom, o que eu tenho a dizer sobre esta história maluca que estou prestes a contar? É simples: vocês não vão acreditar. Sério mesmo. Vai parecer loucura, com minha boca suja, dois pés esquerdos, noites inusitadas e quilinhos a mais (muito mais, mas não vamos entrar em detalhes...). Mas vou fazer o quê? É a verdade. E eu vou contar para vocês porque... Sei lá. Na verdade, eu nem devia estar contando, alguns de vocês vão se chocar.
Ainda está aqui? Bom, o risco é todo seu. Prepare-se.
Ah, é verdade, esqueci de me apresentar (típico). Meu nome é Daniella Fagundes, vinte e oito anos, namoro com o Thiago há dois anos e posso dizer que tudo está mais que perfeito! (xi, exagerei agora, né?). Também adoro comer e sou diferente de qualquer outra mulher que já tenha contado sua história para vocês. Por quê? Porque sou uma daquelas mulheres conhecida como gordinha. Sabe como é? Eles não se referem a mim como a sagaz Daniella ou a superconfiante Daniella. Sou apenas a gordinha do grupo. Sempre tem que ter um, não é?
Bom, é isso aí, acho que deu para entender. Afinal, vocês estão prestes a conhecer as minhas aventuras de autoconhecimento e de... Comece a ler, ué. Não quer perder um segundo, quer?


Então, vamos começar com o que me fez ler este livro. Eu sou gorda. E achei muito bom um livro com uma protagonista gorda, aquela coisa de representatividade importa, sabe? Não vemos muitas gordas na literatura e Daniella foi a primeira que encontrei. Se souberem de mais, me avisem que quero muito ler!

Agora, vamos ao que é Gordofobia: 

Gordofobia é o sentimento de medo, não só do individuo gordo, mas da gordura, o medo irracional de se tornar gordo e assim se tornar aquilo que você repele, o medo de se transformar na figura do gordo, isso é lipofobia, a gordofobia vem da lipofobia.
Gordofobia é a repulsa, o nojo, o asco, o sentimento de raiva e  necessidade de afastamento do individuo gordo, da gordura e de tudo que a cerca. (via: Gordaslivres ).

 Então pessoas que estão lendo a resenha, por favor não usem a desculpa “Como uma pessoa gorda pode ser saudável” “bla bla bla”. Somos maduros e adultos demais para essa hipocrisia, okay?

Como gorda desde a infância, lembro-me de ser chamada de balão da Pepsi, bujão de gás, ser a última a ser escolhida para os jogos, ignorada por professores de educação física, as “tops” da escola rir na cara e apontar seus defeitos. Isso marca uma pessoa e a faz detestar-se. A faz ficar quieta em um canto quando está numa festa, a nunca chegar no carinha o qual está apaixonada há anos. Essas coisas. Então você simplesmente odeia quem é, é a rainha da insegurança a ponto de chorar quando descobre que suas amigas saíram e nem se lembraram de perguntar se você queria ir junto – afinal, você é a gorda. Ninguém quer sua companhia.

Tenho 30 anos. E ainda hoje vejo um carinha aleatório na rua que vende doces vir correndo pra mim com aquele brilho nos olhos de quem tem uma venda garantida: “Quer doce moça?” como se apenas por ser gorda, você deve comer doces a cada minuto, por não conseguir resistir aquela vontade de lhe corrói de comer aquele brigadeiro.

Demorei a me aceitar, a gostar da minha imagem no espelho. A mandar um F**** para quem usa gorda como termo pejorativo, e não uma característica física. Se você ri do termo “Gordo só faz gordice”, por favor, esta resenha é para você criar um pouco de empatia com as pessoas que lhe cercam, okay? Não ria das características físicas de uma pessoa. Ser gordo não é engraçado. A pessoa gorda não existe para sua diversão e prazer. Ninguém existe para sua diversão e prazer, todos somos seres humanos. Não seja um babaca.

Pronto. O que tudo isso tem haver com o livro?


Daniella Fagundes tem 29 anos, é gorda (a imaginei menos gorda que eu) e tem um namorado com o
qual está há dois anos. Ela é formada em administração e o livro começa com ela deixando seu emprego, onde suas duas melhores amigas (Paula e Sabrina) irão continuar trabalhando. Lá, pelo que dá para entender, o chefe é o diabo encarnado. Então quando surge uma nova oportunidade de emprego, Dani a agarra.

Mas essa nova oportunidade não é mole: seu namorado, Thiago, é advogado (de família rica) e está começando uma sociedade de advogados e decide que sua secretária será sua namorada. Claro que Dani fica feliz e ela é toda profissional sobre isso. Só que... Ela é toda atrapalhada. Tipo, ela tropeça demais, soa demais, essas coisas. E tem medo de embaraçar o namorado na frente das pessoas do trabalho.

Daniella tem problema com seu peso, com sua aparência, com a sua gordura. No começo, para mim, foi sofrido ler. Foi meio que uma caricatura de uma pessoa gorda que não consegue fazer nada direito porque seu peso a atrapalha.

 “(...) chegava todo dia atrasada, correndo, derrapando no chão encerado e recebendo os ‘olhares’. Aqueles que apenas Os Grandes recebem. ‘Só podia ser a Daniella’, ‘Só podia ser a gordinha’. Porque nunca somos ‘pessoas acima do peso’. Somos os gordinhos. Como se diminuir a palavra mudasse alguma coisa no sentido.”

E percebe aos poucos que seu namorado sente vergonha dela, a família dele a despreza. E ela tenta conviver com isso, mas é difícil perceber que aquele que você ama, não a ama completamente. Então ela começa com inseguranças que acabam prejudicando tremendamente sua vida.

Devagar, ela vai se descobrindo e encontrando mais pessoas em seu caminho, parecendo correr atrás de tudo o que perdeu por um tempo. Tenta lutar contra o monstro que lhe consome por dentro, mas a imagem em seu espelho, apesar de às vezes lhe desagradar, ainda é seu maior terror.

É claro que coisas engraçadas lhe acontecem, mas eu senti que foi meio que coisas para ser zoada, saber? Então não me agradaram muito.

É escrito no estilo diário, então as palavras meio que marcam o leitor. Achei totalmente degradante a imagem de pessoa gorda que nos é passada no começo do livro, frisa as “banhas”, a “grandeza” essas coisas. Eu pensei que seria um livro completamente comum, sobre a vida de uma pessoa comum, que se ama e é empoderada... E recebi um poço de autodegradação.

No final, mas só no final, ela tem uma epifania e decide mudar. Aceitar-se como é, é o caminho para ser feliz. Amar-se é mais importante que amar o outro.

No final, há uma volta que deixou chateada também, envolvendo Thiago. A vida dela estava muito boa, as coisas indo bem. As mudanças sendo realmente satisfatórias e agradáveis, mas no fim... Só um suspiro para explicar.

Ao mesmo tempo que Daniella tenta mostrar para mãe que seus pensamentos são machistas, que mulher não vive só para agradar seu homem, ela repete as mesmas ações, mas de maneiras diferentes. É cheia de pudores, dá pra ver que, enquanto ela escreve (ela personagem), tem dúvidas se pode colocar cenas obscenas, falar palavrões.  Enfim...

É o começo das protagonistas gordas, espero que mais pessoas utilizem personagens fora do padrão da sociedade para suas histórias. Chega de vampiras gostosonas! Chega de modelos, de homens que só gostam de mulheres saradas! Vamos mostrar que também existimos e somos gostosas!

{Lançamentos} Janeiro: Editora Arqueiro


Que delícia o ano poder começar com tanta coisa boa assim!

A Editora Arqueiro inicia o ano com grandes lançamentos e seguimentos de séries. Tem romance policial, fantasia... E claro, muito romance de época!

Vamos mostrar também algumas coisas que a Arqueiro vai lançar no primeiro semestre e, sério, é de tirar o folêgo!!!

Temos a notícia de que a musa dos romances de época virá ao Brasiiiiiil!!!


Mas falamos disso em outro lugar! Ou estão muito ansiosos? Sei que eu estou!!!

Vamos aos lançamentos de janeiro de 2017!!!

Ninfeias negras

Lançamento: 9.jan
Preço: R$ 44,90
Gênero: Ficção
Formato: 16x23cm
Páginas: 352
ISBN: 978-85-8041-632-9
EAN: 9788580416329
E-book:Preço: R$ 24,99
e-ISBN: 978-85-8041-633-6
Vencedor de cinco prêmios literários, Ninfeias negras foi o romance policial mais premiado da França em seu lançamento.
Giverny é uma cidadezinha mundialmente conhecida, que atrai multidões de turistas todos os anos. Afinal, Claude Monet, um dos maiores nomes do Impressionismo, a imortalizou em seus quadros, com seus jardins, a ponte japonesa e as ninfeias no laguinho.
É nesse cenário que um respeitado médico é encontrado morto, e os investigadores encarregados do crime se veem enredados numa trama em que nada é o que parece à primeira vista. Como numa tela impressionista, as pinceladas da narrativa se confundem para, enfim, darem forma a uma história envolvente de morte e mistério em que cada personagem é um enigma à parte – principalmente as protagonistas.
Três mulheres intensas, ligadas pelo mistério. Uma menina prodígio de 11 anos que sonha ser uma grande pintora. A professora da única escola local, que deseja uma paixão verdadeira e vida nova, mas está presa num casamento sem amor. E, no centro de tudo, uma senhora idosa que observa o mundo do alto de sua janela.

Meio mundo

Lançamento: 9.jan
Preço: R$ 44,90
Gênero: Ficção
Formato: 16x23cm
Páginas: 368
ISBN: 978-85-8041-641-1
EAN: 9788580416411
E-book:Preço: R$ 24,99
e-ISBN: 978-85-8041-642-8
Thorn Bathu não é uma garota comum. Mesmo tendo sido criada numa sociedade machista, ela vive para lutar e treina arduamente há anos.
Porém, após uma fatalidade, ela é declarada assassina pelo mesmo mestre de armas que deveria prepará-la para as batalhas.
Para fugir à sentença de morte, Thorn se vê obrigada a participar de um esquema do ardiloso pai Yarvi, ministro de Gettland. Ao lado dela se encontra Brand, um guerreiro que odeia matar, mas encara a jornada como uma chance de sustentar a irmã e conquistar o respeito de seu povo.
A missão dos dois é cruzar meio mundo a bordo de um navio e buscar aliados contra o Rei Supremo, que pretende subjugar todo o Mar Despedaçado.
É uma viagem desafiadora, em que Brand precisa provar seu valor e Thorn fará o necessário para honrar a memória do pai e se tornar uma verdadeira guerreira.
Guiando os personagens por caminhos tortuosos em busca de amadurecimento e redenção, Joe Abercrombie mais uma vez nos maravilha com
uma história grandiosa, que se sustenta sozinha por seu vigor, mas também dá continuidade à saga de Gettland e Yarvi. Finalista do prêmio Locus, Meio mundo deixará o leitor na expectativa do desfecho desta série épica.

Ao seu encontro

Lançamento: 9.jan
Preço: R$ 29,90
Gênero: Ficção
Formato: 16x23cm
Páginas: 224
ISBN: 978-85-8041-654-1
EAN: 9788580416541
E-book:Preço: R$ 19,99
e-ISBN: 978-85-8041-655-8
Há apenas alguns meses, um encontro inesperado numa casa em Rosemary Beach se transformou num romance de conto de fadas. Agora Reese está prestes a ir morar com Mase na fazenda dele, no Texas. Com o apoio e o amor da família do namorado e a recente descoberta de que ela mesma tem uma família com a qual contar, Reese pode enfim superar os horrores do passado e se concentrar no futuro promissor que a aguarda.
No entanto, no que depender de Aida, isso não vai acontecer. A beldade loura e Mase foram criados como primos, mas logo fica claro para Reese que o amor da jovem por ele está muito longe do que se deveria ter por um parente.
Ao mesmo tempo que Reese tenta entender a relação dos dois e não se sentir ameaçada, entra em cena Capitão, um estranho que parece estar, convenientemente, em todos os lugares que ela frequenta. Bonito, sensual, misterioso e dono de uma franqueza desconcertante, ele não tem medo de dizer o que pensa de Mase – nem como se sente a respeito de Reese.
Enquanto a competição pelo coração de Mase e de Reese esquenta cada vez mais, algumas perguntas em relação ao passado dela começam a ser enfim respondidas, revelando verdades chocantes que vão mudar para sempre a vida do casal.

Escândalos da primavera

Lançamento: 9.jan
Preço: R$ 34,90
Gênero: Ficção
Formato: 16x23cm
Páginas: 224
ISBN: 978-85-8041-656-5
EAN: 9788580416565
E-book:Preço: R$ 21,00
e-ISBN: 978-85-8041-657-2
Daisy Bowman sempre preferiu um bom livro a qualquer baile. Talvez por isso já esteja na terceira temporada de eventos sociais em Londres sem encontrar um marido. Cansado da solteirice da filha, Thomas Bowman lhe dá um ultimato: se não conseguir arranjar logo um pretendente adequado, ela será forçada a se casar com Matthew Swift, seu braço direito na empresa.
Daisy está horrorizada com a possibilidade de viver para sempre com alguém tão sério e controlador, tão parecido com seu pai. Mas não admitirá a derrota. Com a ajuda de suas amigas, está decidida a se casar com qualquer um, menos o Sr. Swift.
Ela só não contava com o charme inesperado de Matthew nem com a ardente atração que nasce entre os dois. Será que o homem ganancioso de quem se lembrava era apenas fachada e ele na verdade é tão romântico quanto os heróis dos livros que ela lê? Ou, como sua irmã Lillian suspeita, o Sr. Swift é apenas um interesseiro com algum segredo escandaloso muito bem guardado?
Fechando com chave de ouro a série As Quatro Estações do Amor, Escândalos na primavera é um presente para os leitores de Lisa Kleypas, que podem ter certeza de uma coisa: embora as estações do ano sempre terminem, a amizade desse quarteto de amigas é eterna.

O caminho para casa

Lançamento: 9.jan
Preço: R$ 44,90
Gênero: Ficção
Formato: 16x23cm
Páginas: 352
ISBN: 978-85-8041-653-4
EAN: 9788580416534 (novos números)
E-book:Preço: R$ 24,99
e-ISBN: 978-85-8041-100-3
Durante 18 anos, Jude pôs as necessidades dos filhos em primeiro lugar, e o resultado disso é que seus gêmeos, Mia e Zach, são adolescentes felizes. Quando Lexi começa a estudar no mesmo colégio que eles, ninguém em Pine Island é mais receptivo que Jude.
Lexi, uma menina com um passado de sofrimento, criada em lares adotivos temporários, rapidamente se torna a melhor amiga de Mia. E, quando Zach se apaixona por ela, os três se tornam companheiros inseparáveis.
Jude sempre fez o possível para que os filhos não se metessem em encrenca, mas o último ano do ensino médio, com suas festas e descobertas, é uma verdadeira provação. Toda vez que Mia e Zach saem de casa, ela não consegue deixar de se preocupar.
Em uma noite de verão, seus piores pesadelos se concretizam. Uma decisão muda seus destinos, e cada um deles terá que enfrentar as consequências – e encontrar um jeito de esquecer ou coragem para perdoar.

Uma carta de amor

Lançamento: 9.jan
Preço: R$ 34,90
Gênero: Ficção
Formato: 16x23cm
Páginas: 288
ISBN: 978-85-8041-688-6
EAN: 9788580416886 (novos números)
E-book:Preço: R$ 21,00
e-ISBN: 978-85-8041-248-2
Há três anos, a colunista Theresa Osborne se divorciou do marido após ter sido traída por ele. Desde então, não acredita no amor e não se envolveu seriamente com ninguém.
Convencida pela chefe de que precisa de um tempo para si, resolve passar férias em Cape Cod. Lá, Theresa encontra na praia uma garrafa arrolhada com uma folha de papel enrolada dentro.
Ao abri-la, descobre uma mensagem que começa assim: “Minha adorada Catherine, sinto a sua falta, querida, como sempre, mas hoje está sendo especialmente difícil porque o oceano tem cantado para mim, e a canção é a da nossa vida juntos.”
Comovida pelo texto apaixonado, Theresa decide encontrar seu misterioso autor, que assina apenas “Garrett”. Após uma incansável busca, durante a qual descobre novas cartas que mexem cada vez mais com seus sentimentos, Theresa vai procurá-lo em uma cidade litorânea da Carolina do Norte.
Quando o conhece, descobre que há três anos Garrett chora por seu amor perdido, mas também percebe que ele pode estar pronto para se entregar a uma nova história. E, para sua própria surpresa, ela também.

Outlander: O resgate no mar
(livro 3, parte 2)


Lançamento: 9.jan
Preço: R$ 49,90
Gênero: Ficção
Formato: 16x23cm
Páginas: 656
ISBN: 978-85-8041-689-3
EAN: 9788580416893
Novos ISBN e EAN para o livro 3.2 da série Outlander, que passa a ser publicado com logomarca da Arqueiro.Claire Randall finalmente conseguiu voltar no tempo e reencontrar Jamie Fraser na Escócia do século XVIII, mas sua história está longe do final feliz. O casal terá que superar muitos  bstáculos, de fantasmas a perseguições marítimas, mas o principal deles são os vinte anos que se passaram em suas respectivas épocas desde a última vez que se viram.
Se a intensa paixão e o desejo entre eles parecem não ter diminuído nem um pouco, o mesmo não se pode dizer sobre a confiança. Jamie agora é um homem endurecido pelo que aconteceu após a Batalha de Culloden.
Claire, por sua vez, precisa lidar com o segundo casamento de seu amado e suportar a saudade de Brianna, que ficou sozinha no ano de 1968.
A união dos dois será posta à prova quando o sobrinho de Jamie for sequestrado. Juntos, eles precisarão singrar pelos mares e cruzar as Índias Ocidentais para resgatá-lo, provando mais uma vez que nada é capaz de deter uma história de amor que vence as fronteiras do tempo e do espaço.

Agora que saber quando a continuação de suas séries preferidas serão lançadas?

Conseguimos essa resposta para você também!!!


E aí, o que acharam do lançamento?
Sério, ansiedade me define aqui, não sei qual escolho para dar início as minhas leituras de 2017!!!
Alguma dica?


28.12.16

{Lançamento} Quarteto Smythe - Smith


AI MEU PARAÍSO DOS LIVROS!!!

Alguém estava esperando uma notícia atropelante dessas?

Eu não estava pronta para isso!


Em Fevereiro de 2017 a Editora Arqueiro irá lançar no Brasil o Quarteto Smythe-Smith, da autora Julia Quinn.

E, sabem o que vai acontecer em março?

Julia Quinn para divulgar esta série!!!

Pode pirar? PODE!


"Os Bridgertons conhecem as Smythe-Smiths. E você?
Com seu estilo inteligente e divertido, Julia Quinn finalmente apresenta ao público o Quarteto Smythe-Smith, o terrivelmente famoso e adoravelmente desafinado grupo musical que conquistou os leitores antes mesmo que as cortinas se abrissem para ele."

AAAAAAh!

Vamos lá conhecer cada obra?


Só isso tá bom ou querem mais?

Mais?

Vamos lá então!!!

Terá um box lindão exclusivo que será lançado no mesmo dia! Serão os quatro livros e brindes exclusivos e eu já estou na fila para conseguir o meu, okay?!


É ou não é lindo?! Estou apaixonada!

Os livros poderão ser comprados separadamente também, é claro!

O que acharam? Já querem, como eu?!

{Resenha} A Colônia



Autor: Ezekiel Boone
Editora: Suma de Letras
Sinopse: Nas profundezas de uma floresta no Peru, uma massa negra devora um turista americano. Em Mineápolis, nos Estados Unidos, um agente do FBI descobre algo terrível ao investigar a queda de um avião. Na Índia, estranhos padrões sísmicos assustam pesquisadores em um laboratório. Na China, o governo deixa uma bomba nuclear cair “acidentalmente” no próprio território. Enquanto todo tipo de incidente bizarro assola o planeta, um pacote misterioso chega em um laboratório em Washington... E algo está tentando escapar dele. O mundo está à beira de um desastre apocalíptico. Uma espécie ancestral, há muito adormecida, finalmente despertou. E a humanidade pode estar com os dias contados.


Algo terrível despertou depois de centenas de anos e está assolando o mundo,uma verdadeira maquina de matar está a solta aterrorizando populações em vários cantos do mundo.

Um grupo de americanos em dias de "folga" no Peru a pedido de um ricaço americano decidem fazer uma trilha,mas o que era pra ser um simples passeio se transformou em um pesadelo quando o guia e algumas garotas foram atacadas por aranhas assassinas,sendo o único sobrevivente desse ataque brutal o ricaço decide encerrar a viagem sem nem olhar pra atrás,mas ele pagará um preço altíssimo por essa "fuga",o avião em que estava é atacado e o dstino cobrou seu preço e ninguém sobreviveu a queda do avião.

Simultaneamente casos similares está ocorrendo um outros lugares do País e do mundo,uma cientista especializada no estudo de aranhas recebe algumas amostras de um casulo calcificado a milhares de anos de um tipo raro de aranhas e  qual a sua surpresa quando esse mesmo casulo começa a eclodir assustando seus colegas,fascinada e ao mesmo tempo chocada por um descuido algumas espécimes conseguem fugir causando desespero nas pessoas.

A Presidente dos EUA está de mãos atadas vendo seus País sofrer ataques sem poder alarmar a população americana,e fazer o melhor que puder para aniquilar esses ataques,mas,mal sabe ela que isso é só o começo e que além de feras assassinas elas são muitos inteligentes e seguem um certo padrão,que se as forças armadas não decodificarem esse padrão será tarde demais 

Confesso que a capa me chamou atenção logo de cara e quando vi do que se tratava da estória já fiquei logo interessada,curti bastante a leitura mas em determinadas partes esperava mais,algumas partes bem desnecessária poderiam ter sido eliminadas e outras ter se destacado mais,mas nada que prejudique a leitura.

Em algumas partes os ataques são bem brutais e você torce pra que os "mocinhos" vençam mais essa,mas mal sabe o leitor que ainda tem muito pano pra manga que será contada no próximo livro e eu já estou roendo as unhas de ansiedade por essa continuação. Pra quem gosta de livros nessa temática super indico esse livro!!!! 

27.12.16

{Resenha} Juntando os pedaços


Título Original: Holding Up The Universe
Autora: Jennifer Niven
Editora: Seguinte
Sinopse: Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus amigos e familiares. Mas ninguém sabe disso — até o dia em que ele encontra a Libby. Libby é nova na escola. Ela passou os últimos anos em casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla improvável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro como ninguém antes tinha feito.

Pessoas, pode conter spoilers, ok?

Não deixe o título te enganar. 

Eu demorei a entender o real sentido da história, passei o dia todo matutando sobre o que havia lido tão avidamente nos dois últimos dias, sobre me sentir triste... E notei que é justamente o contrário! E só percebi isso depois de procurar as músicas que Libby ouve no decorrer de sua estória. Por eu ser uma pessoa melancólica, normalmente uso músicas nostálgicas e calmas, senão tristes, para escrever. Mas a Libby não é assim! Não é nenhum pouco! E só descobri isso ao prestar atenção na música, na primeira música dessa playlist.
“I'm bringing sexy back (yeah)
Eu vou trazer a sensualidade de volta (yeah)
Them motherfuckers don't know how to act (yeah)
Os filhos da puta não sabem como agir (yeah)
Come let me make up for the things you lack (yeah)
Venha cá compensar as coisas que lhe faltam (yeah)
Cause you're burning up I gotta get it fast (yeah)”
Pois você está queimando, eu vou fazer isso fácil (yeah)

Aí ouvi isso (Sexyback, tá na playlist obrigatória ali em cima!) e pronto! Caiu a minha ficha!!! Vamos resenhar e dançar, pois é isso que Libby Strout ama! 

Libby Strout está indo pela primeira vez a escola, em três anos. Está ansiosa, pois suas últimas experiências escolares foram traumatizantes: a menina sofria bullying por sua compleição física: não era magra o suficiente, mesmo não sendo gorda. E nenhum amigo se colocava ao seu lado, então seu pai havia decidido tirá-la da escola e ensiná-la em casa. A morte da mãe pesou incrivelmente em seus ombros juvenis e o medo da morte lhe assombrava. 
“(...) e sinto um vazio no peito que está lá desde que minha mãe morreu. A perda faz isso, nos atinge do nada. Podemos estar no carro ou na aula ou no cinema, rindo e nos divertindo, e de repente é como se alguém enfiasse o dedo na ferida e apertasse com toda a força.”
Para conseguir suportar tudo isso, começou a comer. Afinal, para aguentar o mundo, você precisa ser grande. E Libby ficou grande: precisou ser resgatada de dentro da própria casa seis meses depois, após um ataque de ansiedade e ficou conhecida como A Adolescente Mais Gorda do Mundo, com 226kg acima do peso.

Foi para uma clínica de reabilitação onde, para além de tratar-se fisicamente, precisou também de um grande fortalecimento mental e emocional. E aprendeu que mesmo pessoas que nunca lhe viram na vida, podem lhe odiar por simplesmente ser diferente do padrão. Recebia cartas de pessoas lhe ofendendo, agredindo seu pai, desejando-lhe a morte por ser gorda. Algumas pessoas podem ser simplesmente terríveis, nós sabemos disso.

Jack estava assistindo ao momento de seu resgate. Ninguém nem mesmo acreditava que haviam pessoas vivendo na casa de Libby e seu pai. Mas ele, ao contrário de todos, não riu quando a menina foi içada, não a ofendeu. Lhe desejou melhoras, com todo seu coração. E esse é Jack Masselin: um coração de ouro numa personalidade de merda (descrito por ele mesmo, ok?). Não se lembra desde quando tem prosopagnosia, mas a oculta de todos que conhece, assumindo algumas formas de sobrevivência quando se encontra em grupos de amigos e na escola, até mesmo em casa. 

Ninguém sabe... Exceto Libby, pois ao tomar uma atitude terrível com a justificativa de que seria pior se outra pessoa fizesse, explicou tudo sobre ele, para ela. Apesar de ficar com muita raiva, ela tenta entender as razões do menino.
“As pessoas fazem merdas por vários motivos. Às vezes, são simplesmente pessoas escrotas. Às vezes, outras pessoas fizeram merda com elas e, apesar de não perceberem, tratam os outros como foram tratadas. Às vezes fazem merda porque estão com medo. Às vezes escolhem fazer merda com os outros antes que façam merda com elas. É uma autodefesa de merda. – Isso eu conheço bem. – Quem fez merda com você?”
Apesar de ter perdido muito do peso, Libby é gorda. E continua sendo a garota mais gorda, pelo menos da escola, então escolhe tomar decisões antes que façam coisas com ela e é simplesmente incrível o banho de autoestima e brilho que essa garota dá. Tem todo o motivo para se abalar novamente, mas ela escolhe brilhar, ela escolhe dançar e girar, sambando na cara daqueles que querem lhe colocar para baixo apenas para se sentirem bem consigo mesmos. Que deixam cartas em seu armário com frases como “Ninguém gosta de você.”, ou postam em sua foto comentário como: “Emagreça sua puta gorda” ou “Se eu fosse gorda assim, ia querer me matar.”

O castigo que ambos recebem da diretora acaba permitindo a eles uma convivência maior, que não seria permitida se Jack estivesse em um grupo grande, já que possui a dificuldade de reconhecer as pessoas. O professor Levine, responsável pela Roda de Conversa é uma criatura maravilhosa e sensível o suficiente para permitir que todos os alunos ali mostrem o seu melhor para si mesmos.

Jack, para além de seu problema neurológico, também está com problemas familiares: seus pais já não se comportam muito como um casal e seu irmão mais novo amante de Jackson 5, Dusty, é excêntrico e está sofrendo merdas na escola também, então dá grandes lições para o leitor – e para seu irmão mais velho, especialmente. Jack se tornou bom em enxergar as peças para formar um todo, então é um excelente construtor. Sua família é dona de uma fábrica de brinquedos, então ama inventar coisas novas e lidar com os negócios da família.
“Se eu quiser usar bolsa, vou usar. Não vou deixar de fazer isso porque os outros podem não gostar.”
Eu me senti triste ao terminar o livro, mas mais porque muitas vezes eu não consigo ter a força que Libby tem para lidar com todas as merdas que jogam em cima dela. Sua coragem e sua força em suas batalhas são inspiradoras, mesmo que ela só esteja fazendo para si mesma, uma vez que “A gente não pode lutar as batalhas das outras pessoas, por mais que dê vontade.”. Apesar de toda a ansiedade, o medo, ela consegue ficar diante de todos e não se importar com as coisas ruins, afinal depois de tudo o que ela passou, as pessoas da escola são insignificantes. Basta agir antes que eles ajam e não saberão mais como reagir e só restará a reflexão sobre seus atos.

Juntos, Libby e Jack vão descobrindo como lidar com todas as merdas que causam ou a que são submetidos. Que sozinhos não vão conseguir, mas junto daqueles que os amam podem enfrentar qualquer multidão. Que o que nos torna perfeitos são os pequenos pedaços de nós mesmos que juntamos em nosso dia a dia. 

Todos os personagens são explorados ao máximo, nos trazendo pequenas reflexões sobre vários julgamentos que fazemos às pessoas ao nosso redor. Aquela líder de torcida pode ser terrível por ter algo dentro dela que ela não aceita e reflete no outro sua raiva por si mesma, por exemplo. Seu amigo engraçado pode ser engraçado para tentar não deixar a raiva, ou tristeza ou angústia lhe corroer. Nem tudo o que vemos é verdadeiramente aquilo.

Amei ler este livro, amei que este fosse o primeiro livro da Jennifer que li. Os capítulos são divididos em dias ou horas, sob a perspectiva de Libby e Jack, como sentiram cada coisa que passaram, juntos ou separados. Ver o romance se formando me fez vibrar a cada página, e foi estranho eu me dar conta de que às vezes me peguei pensando de forma negativa, como quando há um bilhete que pode fazer com Libby odeie Jack se caísse nas mãos dela. Eu pensava: “Alá, quer ver que ela vai achar e vão brigar e aí acabou-se tudo. Fim.” Me fez refletir meu lado negativo, especialmente agora refletindo sobre a história toda e analisando meus sentimentos em relação à ela. 

Aprendi que eu sou eu mesma. E me amo por isto, a ponto de rir de mim mesma e me sentir bem, pois eu sei quem eu sou e não sou o que as pessoas querem que eu seja. Esta são a Libby e o Jack. 

E vou deixar aqui a música que representa isso perfeitamente!


Espero que amem esta história tanto quanto eu amei!



Nota no Skoob: 5 estrelas.

26.12.16

{Resenha} A Verdade e Outras Mentiras



Autor: Sascha Arango
Editora: Suma de Letras
Sinopse: Henry Hayden parece um cara legal. Um autor famoso, mas humilde. Um marido devoto, embora pudesse ter a mulher que quisesse. Um amigo generoso. Alguém admirável. Mas Henry Hayden é uma mentira, uma máscara. Seu passado é um segredo, e seus planos mais ainda. Ninguém além dele e da esposa sabem que é ela quem escreve os livros que o deixaram famoso. Mas quando a amante aparece grávida, Hayden vê sua vida tão cuidadosamente construída em risco, e na tentativa de encontrar uma solução definitiva para o problema, comete um erro terrível. Agora, não só a polícia está atrás de Hayden, como seu passado também tenta alcançá-lo. Costurando mentiras, verdades e meias-verdades em uma tentativa de sobreviver, ele monta uma história complexa que talvez seja sua única chance de escapar da beira do abismo.

Henry Hayden tem uma vida muito boa. Seu trabalho é escrever livros e ganha muito bem para isso. Tem uma esposa agradável que não lhe perturba e gosta de coisas simples. Uma vida perfeita! Quem olha de fora vê Henry como um homem bonito, humilde e reservado. No entanto, apenas ele sabe o que se passa em sua mente.

Henry Hayden não é o que parece. Sua vida inteira é uma mentira muito bem escondida. Ele não só tem um passado misterioso que nem mesmo sua esposa sabe, como e quem realmente escreve seus romances best-seller na verdade é sua esposa Martha.

Cada passo é bem calculado para que sua vida bem construída continue a lhe agradar, mas quando sua amante e agente literária Betty aparece grávida, ele sabe que seu castelo de cartas está prestes a desmoronar. Entretanto, Henry acaba comentando um grave erro e contorná-lo não iria ser tão fácil assim.

Narrado em terceira pessoa, temos vários pontos de vista, mas com foco principal em Henry. A edição do livro está modesta, com apenas a capa chamando a atenção do leitor. Essa capa condiz muito com a história, mas eu prefiro a capa da Editorial Presença que parece bem mais sombria. O livro tem uma linguagem um pouco arrastada, mas nada que não dêem para superar com suas poucas páginas.


A cada página eu não sabia o que esperar de Henry. Ele parecia improvisar, o que fazer a cada cena e isso me deixava chocada com sua frieza, mas com o charme a seu favor, ele acabava contornando aqueles que estavam atrás dele. Um fato bem positivo era que não tinha como prever o que ele ia fazer em seguida, deixando o leitor surpreso.

É uma história bem perturbadora sobre a mente humana. Henry parece ser um cara sem compaixão, mas tem alguns lapsos de bondade ao longo do livro. Porém, isso não me enganou! Ele é extremamente ardiloso com uma mente brilhante para contornar as dificuldades que aparecem em seu caminho. Como o autor é um roteirista bastante famoso na Alemanha e já ganhou prêmios em suas produções, não chega a ser surpresa que o livro tenha sido escrito com brilhantismos e sagacidade.

A Verdade e Outras Mentiras é para aqueles que gostam de um thriller psicológico escrito de modo perturbador, onde você sai pensando: como ele conseguiu contornar isso?



24.12.16

{Resenha} Ilusões Pesadas





Autor: Sacha Sperling
Editora: Companhia das Letras
Sinopse:  Um garoto que mal completou quinze anos já se sente vivido o bastante para contar sua vida, em especial tudo que se passou com ele um ano antes, numa fase de profunda crise existencial. E ele tem mesmo o que contar, começando por suas explorações sexuais com garotas e com um garoto de sua idade, o pasoliniano Augustin, que tem um pé na delinquência e virá a ser seu primeiro grande amor. Não faltam as epifanias nem sempre luminosas, obtidas às custas de muito álcool e drogas, desde maconha até cocaí-na, passando por anfetaminas e calmantes de farmácia.


“O Boulevard sujo onde caminham os jovens de olhos avermelhados. Independência, mãos nos bolsos. Quando forem dormir será dia. Quando a noite cair já estaremos longe. (...) Os jovens de olhos avermelhados estancaram.Por um instante, podemos sentir o peso do mundo sobre os ombros.” (Página 82)
“Ilusões Pesadas” faz jus ao nome que recebeu. O livro nos apresenta Sacha, um garoto que seguia a vida nos trilhos, dedicado na escola e companheiro da mãe. Tudo isso muda quando conhece Augustin.

A narrativa em primeira pessoa nos faz entrar na pele da personagem, toda sua tristeza e angústia nos são transmitidos. É um livro realmente pesado.

Ao longo dos capítulos percebemos a mudança de Sacha, algumas bebidas, festas, drogas, coisas que jovens usam para esconderem o vazio e a verdade dentro de si.

“Porque você não tem nenhum  desejo que possa te transportar a outro lugar. Nenhum objetivo. Seus prazeres são tréguas, fáceis e rápidas. Você tem tudo e, no entanto, você se vê pouco a pouco com o coração vazio e a cabeça cheia de imagens violentas, as únicas capazes de fazer você se lembrar que está vivo.” ( Página 91)

A brusca mudança de Sacha afeta a todos e a ele mesmo, principalmente. Ele percebe que mudou, se sente desconfortável e não se reconhece mais, e mesmo sabendo de tudo isso, se vê incapaz de voltar ao que era. Está preso à Augustin, o cara pelo qual se apaixonou e o qual não pode ter.

Sua vida se torna drogas e sexo, sem distinção ou preferencia. A cada capítulo que passa, mais e mais Sacha se perde e se lamenta, e o leitor sofre com ele. E nada, nem mesmo psicólogos podem mudar sua condição, pois no fundo ele não tem a motivação para isso.

“E, no entanto, você não parece se dar conta de todos esses cortes no meu braço. Eles estão aí por isso mesmo. Eu sufoco. Ninguém reage. É esse o problema, quando a gente berra em silêncio. Gostaria que esses pedaços de pele fatiados, que esses litros de álcool ingeridos, que toda maconha transformada em fumaça falassem por mim.” (Página 157)

Apesar de pesada, a história consegue prender, fazendo o leitor ansiar pelo final, por um final bom para Sacha. E devo dizer que o final me surpreendeu, deixando alguns assuntos em abertos e outros que já eram esperados.

Recomendo que leiam o livro com calma, parando um pouco para respirar, tomar algo e voltar à leitura, por que Sacha irá te obrigar a isso.

23.12.16

{Indicação} Livros de Presente


Está fazendo suas últimas compras de natal e não sabe o que comprar para aqueles que você deseja presentear?


Todos sabem que livro é um presente excelente, então pedi para As Meninas contarem qual foi o melhor livro que elas leram esse ano para dar uma ideia de presente para você, jovem padawan em pânico que não sabe com o que presentear!

Vamos lá!

Amanda recomendou...

O Lar da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares, de Ransom Riggs.
Livro da Leya/Intrínseca.
Sinopse: Jacob Portman cresceu ouvindo as histórias fantásticas que o avô, Abe, contava. Na época da Segunda Guerra Mundial, o avô havia morado numa ilha remota, num casarão que funcionava como abrigo para crianças. Lá, Abe convivera com uma menina que levitava, uma garota que produzia fogo com as mãos, um menino invisível... Entretanto, todas essas histórias foram perdendo o encanto à medida que Jacob crescia. Até que, aos dezesseis anos, tudo volta à tona para se provar real.
Abalado com a morte misteriosa do avô, Jacob decide ir à tal ilha para tentar entender as últimas palavras de Abe: "Encontre a ave. Na fenda. Do outro lado do túmulo do velho." Ele encontra o casarão em ruínas, mas, ao passar por um túnel subterrâneo, o menino se vê em outra época, décadas atrás: em 3 setembro de 1940. Nesse lugar protegido no tempo, ele conhece crianças com habilidades peculiares e encontra as respostas para todas as suas perguntas. Mas o fascínio inicial logo se transforma em uma luta para sobreviver e salvar a vida de seus novos amigos.
Viagens no tempo, mulheres que se transformam em aves, crianças com dons inusitados e monstros à espreita. Bem-vindo ao lar da srta. Peregrine para crianças peculiares, um fascinante mundo novo pronto para ser descoberto.
"Eu indico o Lar da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares... foi o melhor livro q li esse ano, pois mistura fantasia, aventura e nos ensina a nunca deixar de acreditar..." - Amanda
A Aryanna recomendou...

Lobo Por Lobo, de Ryan Graudin.
Livro da Editora Seguinte.
Sinopse: Era uma vez, em outra época, uma garota que vivia no reino da morte.
O Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial, e a Alemanha e o Japão estão no comando. Para comemorar a Grande Vitória, todo ano eles organizam o Tour do Eixo: uma corrida de motocicletas através das antigas Europa e Ásia. O vencedor, além de fama e dinheiro, ganha um encontro com o recluso Adolf Hitler durante o Baile da Vitória.
Yael é uma adolescente que fugiu de um campo de concentração, e os cinco lobos tatuados em seu braço são um lembrete das pessoas queridas que perdeu. Agora ela faz parte da resistência e tem uma missão: ganhar a corrida e matar Hitler. Mas será que Yael terá o sangue frio necessário para permanecer fiel à missão?
"Indico Lobo por Lobo; além de ser ambientado no pós-guerra, coisa que eu adoro, é uma obra completa em todos os sentidos.
Tem história, tem superação, tem drama, tem romance, tem ação, tem tudo. E nesse "tudo" podemos incluir uma leitura envolvente e um final, no mínimo, surpreendente. Em resumo, é um livro bem versátil, feito para agradar vários públicos - ou seja, é o presente perfeito, haha." - Aryanna

A Crislane recomendou para vocês...

A Guerra do Velho, de John Scalzi. 
Livro da Editora Aleph.
Sinopse: A humanidade finalmente chegou à era das viagens interestelares. A má notícia é que há poucos planetas habitáveis disponíveis – e muitos alienígenas lutando por eles. Para proteger a Terra e também conquistar novos territórios, a raça humana conta com tecnologias inovadoras e com a habilidade e a disposição das FCD - Forças Coloniais de Defesa. Mas, para se alistar, é necessário ter mais de 75 anos. John Perry vai aceitar esse desafio, e ele tem apenas uma vaga ideia do que pode esperar.

"Que livro massa! Estava com receio, mas o mesmo tempo com muita vontade de descobrir esse mundo novo. Não me decepcionei. Scalzi escreve muito bem. Dosa muito bem humor e sangue. Nosso protagonista não é chato, nem de longe. Suas tiradas e jeito descontraído só deixaram a história provocante e fácil de se ler. Com certeza, se a Editora Aleph publicar a sequência, vou querer ler." - Crislane

A Lauri manda uma série...

Perdida, de Carina Rissi.
Da Editora Verus.
Sinopse: A série best-seller Perdida conta a história de uma garota moderna que vai parar no século dezenove, no qual vive aventuras, confusões e uma apaixonante história de amor. Este box exclusivo do Submarino é composto pelos livros Perdida, Encontrada, Destinado e Prometida.
Perdida: Um amor que ultrapassa as barreiras do tempo
Sofia vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam.
Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa - ou se isso sequer é possível Com a ajuda do prestativo - e lindo - Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...
Encontrada: À espera do felizes para sempre
Sofia está de volta ao século dezenove e mais que animada para começar a viver o seu final feliz ao lado de Ian Clarke. No entanto, em meio à loucura dos preparativos para o casamento, ela percebe que se tornar a sra. Clarke não vai ser tão simples quanto imaginava. As confusões encontram a garota antes mesmo de ela chegar ao altar - e uma tia intrometida que quer atrapalhar o relacionamento é apenas uma delas. Além disso, coisas estranhas estão acontecendo na vila. Ian parece estar enfrentando alguns problemas que prefere não dividir com a noiva.
Destinado: As memórias secretas do Sr. Clarke
Ian Clarke é um homem de sorte e sabe muito bem disso. Ele encontrou a felicidade que tanto almejava ao lado de sua amada (e complicada) Sofia. Entretanto sua felicidade começa a ruir no baile de aniversário de sua irmã, Elisa. Ian assiste, impotente, enquanto sua vida perfeita se transforma em uma terrível catástrofe. A noite é desastrosa, e Elisa, a menina que ele jurou proteger, se torna alvo de um escândalo.
Mas o pior ainda está por vir. Um assunto do passado, um pesadelo que há muito o persegue, retorna para assombrá-lo. Aterrorizado com a possibilidade de perder Sofia outra vez, Ian segue seu coração na tentativa de proteger a mulher que ama, sem se importar com as consequências.
Prometida: Uma longa jornada para casa
Elisa Clarke está prometida a alguém que a despreza tanto que preferiu viver em outro continente. Mas o que ela não sabe é que seu noivo está a caminho do Brasil. Agora, Elisa terá de enfrentar o homem cujo coração um dia se viu forçada a partir. Segredos, mágoas do passado, intrigas e uma arrebatadora paixão colocarão em perigo não apenas os sentimentos do casal, mas a vida de ambos."
"Indico a serie Perdida da Carina Rissi. O primeiro livro é o "carro chefe", pois tem o mesmo nome da série. Sofia é uma garota da cidade, que curte tecnologia, ama seus amigos e curte a vida. Só que o destino lhe reservava algo surpreendente, que mudaria sua visão sobre tudo ao seu redor. A série tem tudo aquilo que prende o leitor do começo ao fim: personagens encantadores, comédia, romance, descobertas, um pouco de tensão, e o melhor de tudo: Amor. De todas as formas que se possa imaginar! Cada livro tem a sua importância e a sua marca no leitor, e dentre todos os livros da série Perdida, o 03 livro é um dos meus prediletos. Pois é a versão de Ian Clarke, a autora nos deixa a par de seus pensamentos, aflições, medo, amor... nos fazendo ama-lo ainda mais." - Lauri

O Lucas recomendou um filme!





Batman v. Superman
Sinopse: Temendo as descontroladas ações de um super-herói quase Deus, o forte e formidável vigilante de Gotham City assume o papel do reverenciado salvador de Metrópolis, enquanto o mundo discute para decidir qual tipo de herói que realmente precisa. E enquanto Batman e Superman estão em guerra, uma nova ameaça surge rapidamente, colocando a humanidade em um perigo nunca antes conhecido.




A Manuh recomendou logo toda uma série!!!


Tetralogia Napolitanas, de Elena Ferrante.
Da Editora Bandeira Azul. (os três primeiros)
Sinopse: A Série Napolitana, formada por quatro romances, conta a história de duas amigas ao longo de suas vidas. O primeiro, 'A Amiga Genial', é narrado pela personagem Elena Greco e cobre da infância aos 16 anos. As meninas se conhecem em uma vizinhança pobre de Nápoles, na década de 1950. Elena, a menina mais inteligente da turma, tem sua vida transformada quando a família do sapateiro Cerullo chega ao bairro e Raffaella, uma criança magra, mal comportada e selvagem, se torna o centro das atenções. Essa menina, tão diferente de Elena, exerce uma atração irresistível sobre ela.As duas se unem, competem, brigam, fazem planos. Em um bairro marcado pela violência, pelos gritos e agressões dos adultos e pelo o medo constante, as meninas sonham com um futuro melhor. Ir embora, conhecer o mundo, escrever livros. Os estudos parecem a melhor opção para que as duas não terminem como suas mães entristecidas pela pobreza, cansadas, cheias de filhos. No entanto, quando as duas terminam a quinta série, a família Greco decide apoiar os estudos de Elena, enquanto os Cerrulo não investem na educação de Raffaella.
As duas seguem caminhos diferentes. Elena se dedica à escola e Raffaella se une ao irmão Rino para convencer seu pai a modernizar sua loja. Com a chegada da adolescência, as duas começam a chamar a atenção dos rapazes da vizinhança. Outras preocupações tornam-se parte da rotina: ser reconhecida pela beleza, conseguir um namorado, manter-se virgem até encontrar um bom candidato a marido. 
Mais que um romance sobre a intensidade e complexa dinâmica da amizade feminina, Ferrante aborda as mudanças na Itália no pós-guerra e as transformações pelas quais as vidas das mulheres passaram durante a segunda metade do século XX. Sua prosa clara e fluída evoca o sentimento de descoberta que povoa a infância e cria uma tensão que captura o leitor.
"Indico toda a série napolitana, da Elena Ferrante. O primeiro, A Amiga Genial, vai abrir o apetite do leitor para esta saga apaixonante sobre a amizade de duas mulheres, que começa ainda nos tempos de escola, na periferia de Nápoles, na metade do século XX. São muitos temas abordados, como a questão da mulher, a violência doméstica, dentre outros, mas sobretudo o poder de uma amizade que traz reflexos para as duas partes. Melhor leitura do ano, sem dúvidas." - Manuh

A Nicoli recomendou...


Memórias de um Amigo Imaginário, de Matthew Dicks.
Da Editora ID.
Sinopse: “Enquanto Max acreditar em mim, eu existo. Posso precisar da imaginação do Max para existir, mas tenho os meus pensamentos, as minhas ideias e a minha vida, tudo isso separado dele.” “Max não gosta de gente da mesma forma que as outras crianças gostam. Ele gosta das pessoas, mas bem de longe. Quanto mais afastado alguém ficar de Max, mais ele vai gostar dessa pessoa.” “Nós dois não gostamos da Sra. Patterson, mas ultimamente ela e Max estão estranhamente próximos. Isso não é normal, muito menos para alguém como o meu amigo. Ele corre perigo, tenho certeza...” Uma história apaixonante e dramática sobre amor, lealdade e sobre o poder da imaginação. Perfeita para qualquer um que já tenha tido um grande amigo – real ou não...
"Indico 'Memórias de um Amigo Imaginário'. Além de ser de longe o melhor livro que li esse ano, possui uma narrativa emocionante da visão da rotina de um amigo imaginário, seus medos e inseguranças na aventura que subitamente fora colocado e o que acontece a cada imaginário quando crescemos. É um livro que não pode faltar em nenhuma estante." - Nicoli

Priscila (euzinha!) recomendou...

O Livro de Memórias, de Lara Avery.
Da Editora Seguinte.
Sinopse: Sammie sempre teve um plano: se formar no ensino médio como a melhor aluna da classe e sair da cidade pequena onde mora o mais rápido possível. E nada vai ficar em seu caminho - nem mesmo uma rara doença genética que aos poucos vai apagar sua memória e acabar com sua saúde física. Ela só precisa de um novo plano.É assim que Sammie começa a escrever o livro de memórias: anotações para ela mesma poder ler no futuro e jamais esquecer. Ali, a garota registra cada detalhe de seu primeiro encontro perfeito com Stuart, um jovem escritor por quem sempre foi apaixonada, e admite o quanto sente falta de Cooper, seu melhor amigo de infância e de quem acabou se afastando. Porém, mesmo com esse registro diário, manter suas lembranças e conquistar seus sonhos pode ser mais difícil do que ela esperava.
"Um livro completamente emocional, onde você se agarra as esperanças de que tudo vai dar certo. Que tudo vai melhorar. Afinal, tudo o que resta a todos nós é apenas isso, a esperança."

E aí? Qual livro você nos indica? Deixe nos comentários para nós!!!